Resultado da pesquisa (12)

Termo utilizado na pesquisa Estima-Silva P

#1 - Epidemiological study of rabies in cattle in southern Brazil: spatial and temporal distribution from 2008 to 2017, 39(7):460-468

Abstract in English:

Rabies affects several domestic species, causing significant economic losses due to the death of animals in characteristic areas of the southern region of Rio Grande do Sul. In this context, this work aimed to study the epidemiology of rabies outbreaks observed in cattle from January 2008 to December 2017, through its space and time distribution in the southern region of Rio Grande do Sul. We performed an observational and ecological retrospective through the analysis of data recorded in necropsy protocols performed in cattle at the "Laboratório Regional de Diagnóstico" of the "Universidade Federal de Pelotas" (LRD UFPel). A descriptive data analysis aimed at evaluating the distribution of cases over time. The statistical analysis was performed with Gretl statistical software 1.9.12 (GNU Regression, Econometric, and Time-series Library). To the existence of stationarity was verified with the Dickey-Fuller test, considering a value of p<0.05. From January 2008 to December 2017, 1418 bovine diagnostic materials were received at the LRD-UFPel, and 160 outbreaks of rabies were confirmed in 160 farms located in the 24 municipalities of the LRD-UFPel area of influence. We observed 591 cattle out of a total of 25,886 infected with the virus. We conclude that rabies does not exhibit seasonality in the study region, with a tendency to decrease in frequency in the next years. The disease has an epidemic characteristic in most of the analyzed months (2012 2014), remaining endemic in the remaining period (2011, 2015 and 2016) with sporadic episodes of epidemics in these years. We also observed that as the incidence of the disease increased in the animals and in the properties, there was a geographical spread of the virus for the majority (54.16%) of the municipalities in the area of influence of the LRD-UFPel.

Abstract in Portuguese:

A raiva afeta várias espécies domésticas, causando perdas econômicas significativas pela morte de animais em áreas bem características da região Sul do Rio Grande do Sul. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi estudar a epidemiologia dos surtos de raiva observados em bovinos de janeiro de 2008 a dezembro de 2017, por meio de sua distribuição no espaço e no tempo na região sul do Rio Grande do Sul. Foi realizado um estudo observacional e ecológico retrospectivo, por meio da análise de dados registrados nos protocolos de necropsias realizadas em bovinos no Laboratório Regional de Diagnóstico da Universidade Federal de Pelotas (LRD-UFPel). Foi feita análise descritiva dos dados para avaliar a distribuição dos casos ao longo do tempo. Para a análise temporal foi utilizado o software estatístico Gretl 1.9.12 (GNU Regression, Econometricand Time-series Library). Para verificar a existência da estacionariedade utilizou-se o teste de Dickey-Fuller aumentado, considerando um valor de p<0,05. No período de janeiro de 2008 a dezembro de 2017, foram recebidos no LRD-UFPel 1418 materiais de bovinos para diagnóstico, sendo confirmados 160 surtos de raiva em 160 propriedades situadas nos 24 municípios da área de influência do LRD-UFPel. O número de animais infectados pelo vírus foi de 591 bovinos de um total de 25.886. O presente estudo permitiu concluir que a raiva não tem sazonalidade na região do estudo, tendo tendência de queda na frequência nos próximos anos. A doença tem característica epidêmica na maioria dos meses analisados (2012-2014), mantendo se endêmica no período restante (2011, 2015 e 2016) com episódios esporádicos de epidemias nestes anos. Observou se ainda, que na medida em que aumentou a incidência da doença nos animais e nas propriedades, houve disseminação geográfica do vírus para a maioria (54,16%) dos municípios da área de influência do LRD-UFPel.


#2 - Canine lymphomas diagnosed in the southern Brazil from 2000 to 2017: epidemiology and immunophenotype

Abstract in English:

Lymphoma is a neoplasm that originates from solid hematopoietic tissues and is one of the most common tumors in dogs. The goal of the present study was to perform a retrospective study of canine lymphomas diagnosed at the “Laboratório Regional de Diagnóstico”, at the “Faculdade de Veterinária” of the “Universidade Federal de Pelotas” (LRD-UFPel) from 2000 to 2017, to determine the epidemiology and anatomical distribution, and to evaluate the histopathological and immunohistochemical aspects of each case according to the adapted Kiel classification. The protocols for necropsies and biopsies in the laboratory were reviewed. Lymphoma was diagnosed in 77 dogs. Approximately 37.7% (29/77) of affected dogs had no defined breed, while dogs with defined breeds accounted for 58.4% (45/77) of the diagnoses. The occurrence in males (40/77) was slightly higher than that in females (36/77), and the mean age was 8.1 years (1.4-17 years). The most affected age group was between six and 10 years of age with 31 cases (40.2%). Regarding the anatomical classification, the multicentric form was the most prevalent, accounting for 71.4% (55/77) of the diagnoses. In 40 cases that immunophenotyping was performed, B-cell lymphomas represented 62.5% of the diagnoses (25/40), while T-cell lymphomas corresponded to 37.5% of the diagnoses (15/40). The degree of malignancy according to the modified Kiel classification was low in 35% of lymphomas (14/40) and high in 65% of cases (26/40). The multicentric form was more frequent in the region of influence of the LRD-UFPel. Identification of the immunophenotype can improve the quality of life and survival in affected dogs since it allows the most appropriate treatment for each patient.

Abstract in Portuguese:

O linfoma é uma neoplasia com origem nos tecidos hematopoiéticos sólidos e é um dos tumores mais frequentes em cães. O objetivo do presente trabalho foi efetuar um estudo retrospectivo dos linfomas caninos recebidos no Laboratório Regional de Diagnóstico, da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (LRD-UFPel) de 2000 a 2017, determinando a epidemiologia e a distribuição anatômica, bem como os aspectos histopatológicos e imuno‑histoquímicos de cada caso de acordo com a classificação de Kiel adaptada. Foram revisados os protocolos de necropsias e biópsias recebidos no laboratório identificando-se 77 casos de cães com diagnóstico de linfoma. A doença afetou cães sem raça definida em 37,7% (29/77) dos casos, enquanto os cães com raças definidas tiveram 58,4% (45/77) dos diagnósticos. A ocorrência em machos (40/77) foi discretamente maior do que em fêmeas (36/77) e a idade média foi de 8,1 anos (1,4-17 anos). A faixa etária mais acometida foi entre seis e 10 anos de idade com 31 casos (40,2%). Quanto à classificação anatômica a forma multicêntrica foi a mais prevalente atingindo 71,4% (55/77) dos diagnósticos. Em 40 casos em que a imunofenotipagem foi realizada, os linfomas de células B representaram 62,5% dos casos (25/40), enquanto os linfomas de células T equivaleram a 37,5% dos diagnósticos (15/40). O grau de malignidade de acordo com a classificação de Kiel modificada foi baixo em 35% dos linfomas (14/40) e alto em 65% dos casos (26/40). Conclui-se que a forma multicêntrica é mais frequente na região de influência do LRD-UFPel e que a identificação do imunofenótipo pode melhorar a qualidade de vida e dar maior sobrevida aos cães afetados uma vez que permite o tratamento mais adequado para cada caso.


#3 - Central nervous system disease of calves in southern Brazil: a contribution to the differential diagnosis, 38(4):685-691

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos B.L., Estima-Silva P., Coelho A.C.B., Oliveira P.A., Soares M.P., Sallis E.S.V., Bruhn F.R.P. & Schild A.L. 2018. [Central nervous system disease of calves in southern Brazil: a contribution to the differential diagnosis.] Doenças do sistema nervoso central de bezerros no sul do Rio Grande do Sul: uma contribuição ao diagnóstico diferencial. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(4):685-691. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br This paper aimed to determine the frequency of diseases of the central nervous system affecting calves under 12 months of age in southern Rio Grande do Sul. A retrospective study was conducted determining the main diseases observed in this category of cattle over a period of 36 years. We reviewed all the necropsy protocols and materials sent to the laboratory between 1978 and December 2015 relating to cattle under 12 months of age that showed neurological signs. The epidemiological data concerning the origin of the animals, raising system, breed, age and time of occurrence of each disease and frequency were taken from necropsy protocols. Out of 615 cases with neurological signs, 162 (26.3%) corresponded to cattle with age up to 12 months. The diagnoses were grouped by etiology of viral diseases (42.6%), bacterial diseases (19.1%), parasitic diseases (17.3%), congenital defects, hereditary diseases (6.2%), poisoning, mycotoxicoses (4.9%), nutritional deficiency and multifactorial diseases (2.5%), and trauma, degenerative diseases and neoplasms with 0.62% of diagnoses. Inconclusive cases represented 1.9% of the total diagnosed. In 1 to 90 day-old calves the main diseases observed were congenital defects, meningitis and encephalitis caused by bacteria. Central nervous system abscesses were also observed. In 4 to 9 month-old calves a lower frequency of disease were noted. Rabies was the most important disease diagnosed in this category. Babesiosis, rabies and encephalitis by bovine herpesvirus were the most important causes of death in 10 to 12 month-old calves.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos B.L., Estima-Silva P., Coelho A.C.B., Oliveira P.A., Soares M.P., Sallis E.S.V., Bruhn F.R.P. & Schild A.L. 2018. [Central nervous system disease of calves in southern Brazil: a contribution to the differential diagnosis.] Doenças do sistema nervoso central de bezerros no sul do Rio Grande do Sul: uma contribuição ao diagnóstico diferencial. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(4):685-691. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Este estudo teve o objetivo de determinar a frequência das enfermidades do sistema nervoso central que afetam bezerros até 12 meses de idade na região sul do Rio Grande do Sul. Foi realizado um estudo retrospectivo estabelecendo-se as principais enfermidades observadas nesta categoria de bovinos em um período de 36 anos. Foram revisados os protocolos de necropsia e de materiais remetidos ao Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas entre janeiro de 1978 e dezembro de 2015 referentes aos bovinos até 12 meses de idade que apresentavam sinais neurológicos. Foram resgatados os dados epidemiológicos referentes à procedência dos animais, tipo de criação, raça, idade e época de ocorrência e frequência de cada enfermidade. Foram identificados 615 casos de bovinos com sinais neurológicos, dos quais 162 (26,3%) tinham até 12 meses de idade. Os diagnósticos foram agrupados por etiologia, sendo que as enfermidades virais totalizaram 42,6% dos casos; as doenças bacterianas 19,1% e as doenças parasitárias 17,3%. Os defeitos congênitos e as doenças hereditárias representaram 6,2% dos casos, seguidos pelas intoxicações e micotoxicoses com 4,9%; pelas doenças carenciais e multifatoriais ambas com 2,5% dos casos e pelos traumatismos com 1,9%, doenças degenerativas e neoplasias com 0,6% dos diagnósticos. Os casos inconclusivos representaram 1,86% do total. Nos bezerros até os 90 dias as principais enfermidades foram os defeitos congênitos e as meningites e encefalites por causas bacterianas, além dos abscessos do sistema nervoso central; nos bezerros entre os quatro e nove meses as enfermidades tiveram uma frequência mais baixa destacando-se apenas a raiva. A partir dos 10 até os 12 meses a babesiose, a raiva e a encefalite por herpesvírus bovino foram as mais importantes como causa de morte.


#4 - Control of Senecio madagascariensis and Senecio brasiliensis by the use of sheep

Abstract in English:

In order to test different technics to control Senecio madagascariensis, three experiments were carried out. In the first, 40 sheep were placed in an area of four hectares for 90 days, with medium/high levels of infestation by the plant. The area after this period was desiccated with glyphosate (Roundup®) and seeded with Lotus corniculatus L., Trifolium repens, Medicago sativa and Festuca arundinacea Schreb. by direct seeding. After eight months, sheep returned to the area for another 90 days. The second experiment was conducted with 10 sheep grazing for 30 days and 60 days’ rest, in three areas of 0.5 hectares each, with low, medium and high levels of S. madagascariensis infestation. The third experiment was carried out using drying, plowing and cultivated pasture (legumes and grasses) for three consecutive times without the use of sheep in an area infested by the plant. For the control of S. brasiliensis and other species of the genus, a fourth experiment was performed on a farm with history of intoxication by Senecio spp. in cattle. Eighty-six sheep were used in an area of 90 hectares for a year. The results of these experiments demonstrated that sheep consume and decrease the amount of S. madagascariensis in infested areas. Furthermore, it also indicated that S. madagascariensis to be efficiently controlled requires continuous grazing with at least four sheep per hectare. Practices as drying the pastures with herbicides, tillage and pasture planting can help eliminate the plant in long-term plan. In areas with S. brasiliensis infestation mowing can be an effective practice, mainly due to the high size of the plant, since it facilitates consumption by sheep.

Abstract in Portuguese:

Com o objetivo de testar diferentes formas de controle de Senecio madagascariensis foram realizados três experimentos. No primeiro, 40 ovinos foram colocados em uma área de quatro hectares por 90 dias, com infestação média e alta por S. madagascariensis. A área após este período foi dessecada com glifosato (Roundup®) e semeada com Lotus corniculatus L. (cornichão), Trifolium repens (trevo branco), Medicago sativa (alfafa) e Festuca arundinacea Schreb. (festuca) por plantio direto. Os ovinos, após oito meses, retornaram a área por mais 90 dias. O segundo experimento foi realizado com 10 ovinos em pastejo por 30 dias com 60 dias de descanso em três áreas de 0,5 hectares cada uma, com infestação baixa, média e alta por S. madagascariensis. O terceiro experimento foi realizado utilizando-se dessecação, aração e plantio de pastagens (leguminosas e gramíneas) por três vezes consecutivas, sem utilização de ovinos em uma área invadida pela planta. Para o controle de S. brasiliensis e outras espécies do gênero, um quarto experimento foi realizado em uma propriedade rural com histórico de intoxicação por Senecio spp. em bovinos. Foram utilizados 86 ovinos, que permaneceram em uma área de 90 hectares durante um ano. Os resultados destes experimentos demonstraram que os ovinos consomem S. madagascariensis e diminuem a quantidade de planta em áreas infestadas. Por outro lado, evidenciou-se também que S. madagascariensis para ser controlado de forma eficiente necessita de pastejo contínuo com pelo menos quatro ovinos por ha. As práticas como dessecação com herbicidas, aração e plantio de pastagem podem auxiliar na eliminação da planta a longo prazo. Em áreas de infestação por S. brasiliensis a roçagem pode ser uma prática eficiente, principalmente pelo porte alto da planta, pois facilita o consumo pelos ovinos.


#5 - Equine multinodular pulmonary fibrosis in southern Brazil: pathology and differential diagnosis, 37(11):1247-1252

Abstract in English:

ABSTRACT.- Estima-Silva P., Marcolongo-Pereira C., Santos B.L., Coelho A.C.B., Amaral L.A., Lim A., Bolin S.R. & Schild A.L. 2017. Equine multinodular pulmonary fibrosis in southern Brazil: pathology and differential diagnosis. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1247-1252. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Equine multinodular pulmonary fibrosis (EMPF) diagnosed at the Laboratório Regional de Diagnóstico of Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Pelotas (LRD/UFPel), is described. Differential aspects of other pulmonary diseases in horses with pneumonia and interstitial fibrosis were discussed. The disease occurred in a 15-year-old equine that presented with clinical signs of respiratory distress, intermittent fever, anorexia, and dyspnea. Macroscopically, there was enlargement of the lungs with whitish, pale, firm and well-delimited nodules, approximately 7-10 cm in diameter, distributed throughout the parenchyma. Histologically, the lung nodules had alveolar spaces with walls covered by cuboidal epithelium containing macrophages, neutrophils, lymphocytes, hyperplasia of type II pneumocytes and, eventually, multinucleated giant cells. The interstitium was markedly thickened by mature fibrous connective tissue and collagen. There were intranuclear inclusion bodies in the macrophages. The PCR technique for detecting the EHV-5 DNA was positive. In a retrospective study of pneumonia cases in horses with interstitial fibrosis diagnosed in the LRD/UFPel, two animals had macroscopic and histological lesions similar to those with EMPF, but they were negative for EHV-5 in PCR. Four cases diagnosed with pneumonia and interstitial tissue fibrosis had a histological pattern that was different from that observed in the EMPF animal, thus eliminating the possibility of EMPF. It is concluded that EMPF is a sporadic disease that should be considered in cases of respiratory disease in horses. Reports of such cases are important to alert technicians about the occurrence of rare diseases in Brazil. It is also necessary to establish the true role of EHV-5 in the pathogenesis of EMPF. Cases of pulmonary fibrosis such as EMPF, in which the virus is not present, should be studied to establish whether it could be an idiopathic form of the disease.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Estima-Silva P., Marcolongo-Pereira C., Santos B.L., Coelho A.C.B., Amaral L.A., Lim A., Bolin S.R. & Schild A.L. 2017. Equine multinodular pulmonary fibrosis in southern Brazil: pathology and differential diagnosis. [Fibrose pulmonar multinodular em equinos no Sul do Rio Grande do Sul: patologia e diagnóstico diferencial.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1247-1252. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Descreve-se a fibrose multinodular pulmonar equina (EMPF) diagnosticado no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas. Foram discutidos a patologia da doença e os aspectos diferenciais de outras enfermidades pulmonares de equinos que cursam com pneumonia e fibrose intersticial. A doença ocorreu em um equino sem raça definida de 15 anos de idade que apresentou sinais clínicos de dificuldade respiratória febre intermitente, anorexia e dispneia, com evolução de aproximadamente 10 dias. Macroscopicamente havia aumento de volume dos pulmões e nódulos esbranquiçados, pálidos, firmes e bem delimitados, de aproximadamente 7-10 cm de diâmetro, distribuídos pelo parênquima. Histologicamente, o tecido pulmonar apresentava nódulos caracterizados pela presença de espaços alveolares, com paredes revestidas por epitélio cuboidal achatado, contendo macrófagos e neutrófilos e havia, também, linfócitos e hiperplasia de pneumócitos tipo II e eventualmente células gigantes multinuacleadas. O interstício estava acentuadamente espessado por tecido conjuntivo fibroso maduro e por colágeno. Havia corpúsculos de inclusão intranucleares em macrófagos. A técnica de PCR para detecção do DNA de herpes vírus equino-5 (EHV-5) resultou positiva. Em um estudo retrospectivo de casos de pneumonia com fibrose intersticial diagnosticados no LRD entre 2000 e 2015, dois equinos apresentaram lesões macroscópicas e histológicas similares às de EMPF, porém resultaram negativos na PCR para detecção de EHV-5. Quatro casos de pneumonia com fibrose do tecido intersticial apresentaram padrão histológico diverso da EMPF descartando-se a possibilidade de tratar-se da doença. Conclui-se que EMPF é uma enfermidade esporádica, no entanto deve ser levada em consideração em casos de doença respiratória em equinos. A descrição dos casos diagnosticados é importante para alertar técnicos sobre a ocorrência da mesma no Brasil. É necessário estabelecer o real papel do EHV-5 na patogenia da doença. Casos de fibrose pulmonar semelhantes à EMPF em que não esteja presente o vírus, devem ser estudados a fim de ficar estabelecido se poderia ser uma forma idiopática da mesma doença.


#6 - Sudden death in cattle in southern Brazil: epidemiology and diagnosis, 36(1):19-23

Abstract in English:

ABSTRACT.- Estima-Silva P., Molarinho K.R., Marcolongo-Pereira C., Soares M.P., Sallis E.S.V., Ladeira S.R.L. & Schild A.L. 2016. [Sudden death in cattle in southern Brazil: epidemiology and diagnosis.] Morte súbita em bovinos no Sul do Rio Grande do Sul: epidemiologia e diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):19-23. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br A survey of cases with history of sudden death in cattle was conducted in all necropsy protocols of the Regional Diagnostic Laboratory of the Veterinary School of the Federal University of Pelotas (LRD/UFPel) from 2000 to 2014. We considered animals that had died unexpectedly without prior illness or clinical signs 24 hours before death (Category 1), or before they were moved or suffered some type of management and died after falls or trembling (Category 2). We identified 72 cases (3.5%) from those two categories of a total of 2,031 materials of cattle received in LRD/UFPel. The cases occurred in all seasons of the year. In 34 cases (47.2%), affected cattle had more than four years of age, in 23 cases (31.9%) cattle had between two and three years, and in 11 cases (15.3%) they were up to one year of age. In four protocols (5.6%) age was not reported. In 62 cases (86.1%) the cattle were in an extensive grazing system, in seven (9.7%), they were in a semi-intensive grazing system, and in three cases (4.2%), they were maintained in an intensive farming system. Out of the 72 cases observed, 52 (72.2%) were classified in Category 1 and 20 (27.8%) in Category 2. The diseases that caused more often sudden death, were cerebral babesiosis (10/72), organophosphates poisoning (10/72), anthrax (7/72), bacillary hemoglobinuria (5/72), and fulguration (3/72). Out of the 18 cases considered inconclusive, just five full necropsiey were performed, and of the other 15, the material submitted was considered negative for Bacillus anthracis, and the material did not allow investigation for other diseases. The results showed that sudden deaths in southern Rio Grande do Sul are caused by diseases, mostly well-known and endemic to the region, which can be controlled or prevented by vaccination and appropriate management. Organs sent to the lab instead of the full body, limit the possibilities of conclusive diagnosis in cases of sudden death. The large number of negative cases regarding Bacillus anthracis infection was due to anthrax being a frequent suspicion when cattle appear dead without clinical signs, and the result of sending inappropriate material for the right diagnosis.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Estima-Silva P., Molarinho K.R., Marcolongo-Pereira C., Soares M.P., Sallis E.S.V., Ladeira S.R.L. & Schild A.L. 2016. [Sudden death in cattle in southern Brazil: epidemiology and diagnosis.] Morte súbita em bovinos no Sul do Rio Grande do Sul: epidemiologia e diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):19-23. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Foi realizado um levantamento nos protocolos de necropsias de bovinos com histórico de morte súbita ou superaguda recebidos no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (LRD/UFPel) entre 2000 e 2014. Para o estudo foram considerados os casos em que os animais tinham morrido inesperadamente sem apresentação de uma doença prévia ou sinal clínico no intervalo de 24 horas antes da observação do cadáver (Categoria 1) ou bovinos movimentados ou que sofreram algum tipo de manejo e morreram após quedas ou tremores com observação destes sinais (Categoria 2). Foram identificados 72 casos ou surtos incluídos nestas duas categorias de um total de 2.031 cadáveres/materiais de bovinos recebidos no LRD/UFPel no período, representando 3,5% do total. Os casos ocorreram em todas as épocas do ano e em 34 casos (47,2%) os bovinos afetados eram adultos, em 23 casos (31,9%) tinham entre dois e três anos e em 11 (15,3%) tinham até um ano de idade. Em quatro protocolos (5,6%) a idade não foi informada. Em 62 casos (86,1%) a forma de criação era extensiva, em sete (9,7%) a forma era semi-intensiva e em três (4,2%) a forma era intensiva. Dos 72 casos/surtos observados 52 (72,2%) foram classificados na Categoria 1 e 20 (27,8%) na Categoria 2. As enfermidades que mais causaram morte súbita ou superaguda foram: babesiose cerebral (10/72), intoxicação por organofosforados (10/72), carbúnculo hemático (7/72), hemoglobinúria bacilar (5/72) e fulguração (3/72). Dos 18 casos inconclusivos em apenas cinco foi realizada a necropsia completa e nos 15 casos negativos a Bacillus anthracis o material remetido não permitiu a pesquisa de outras enfermidades. Os resultados obtidos, permitiram concluir que as mortes súbitas na região Sul do Rio Grande do Sul são causadas por doenças, na sua grande maioria, bem conhecidas e endêmicas da região e que podem ser controladas ou evitadas por vacinação e manejo adequados. O envio de órgãos ao laboratório, quando não é possível enviar o cadáver completo, pode limitar o diagnóstico conclusivo em casos de morte súbita/ superaguda. O número expressivo de casos negativos a Bacillus anthracis ocorre em consequência de carbúnculo hemático ser uma suspeita frequente quando bovinos aparecem mortos sem a apresentação de sinais clínicos resultando no envio de material inadequado para a realização de outros diagnósticos.


#7 - Senecio madagascariensis Poir. (Asteraceae): a new cause of seneciosis in cattle in Southern Brazil, 34(9):851-855

Abstract in English:

ABSTRACT.- Stigger A.L., Estima-Silva P., Fiss L., Coelho A.C.B., Santos B.L., Gardner D.R., Marcolongo-Pereira C. & Schild A.L. 2014. [Senecio madagascariensis Poir. (Asteraceae): a new cause of seneciosis in cattle in Southern Brazil.] Senecio madagascariensis Poir. (Asteraceae): uma nova causa de seneciose em bovinos no Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(9):851-855. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Two outbreaks of Senecio madagascariensis poisoning in cattle occurred in October 2013 in southern Brazil. Morbidity rate ranged were 3.2% and 6.1%, and lethality rate was 100%. A third case of poisoning occurred on a property in which out of 54 cattle one died with clinical signs of intoxication. In all cases, the cattle were in areas highly infested by S. madagascariensis that was in bloom. The clinical signs were diarrhea, tenesmus, opisthotonus, and progressive weight loss. Death occurred between 10 and 15 days after the onset of clinical signs. At necropsy, lesions were edema in the mesentery, in the wall of the rumen and abomasum, and in the walls of the gall bladder; the liver was firm with marbled aspect. Histologically, the liver had proliferation of fibrous connective tissue, especially in portal areas, hepatomegalocytosis, and bile duct hyperplasia. The observation of large number of S. madagascariensis in several farms in the counties of Arroio Grande, Pedro Osório and Capão do Leão reinforces that this plant is in the process of adaptation and dissemination in this region and that other outbreaks may occur in coming years. The cases reported here apparently resulted from the consumption of the plant during the fall/winter of 2013, when it was in bloom. The quantification of alkaloids in S. madagascariensis revealed the presence of 500 &#956;g/g and 4000&#956;g/g of pyrrolizidine alkaloids in the dry plant from two properties. It is believed that the large amount of the plant in the areas where the animals were and the amount of pyrrolizidine alkaloids found were factors that contributed to the occurrence of outbreaks.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Stigger A.L., Estima-Silva P., Fiss L., Coelho A.C.B., Santos B.L., Gardner D.R., Marcolongo-Pereira C. & Schild A.L. 2014. [Senecio madagascariensis Poir. (Asteraceae): a new cause of seneciosis in cattle in Southern Brazil.] Senecio madagascariensis Poir. (Asteraceae): uma nova causa de seneciose em bovinos no Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(9):851-855. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Descrevem-se dois surtos de intoxicação por Senecio madagascariensis Poir. diagnosticados em bovinos em outubro de 2013 na região sul do Rio Grande do Sul. A morbidade foi de 3,2% e de 6,1% respectivamente e a letalidade foi de 100%. Um terceiro caso da intoxicação ocorreu em uma propriedade na qual de 54 bovinos um morreu com sinais clínicos da intoxicação. Em todos os casos, os bovinos estavam em áreas altamente infestas por S. madagascariensis que se encontrava em floração. Os sinais clínicos caracterizaram-se por diarreia, tenesmo, opistótono e emagrecimento progressivo e a morte ocorreu entre 10 e 15 dias após o início dos sinais clínicos. Nas necropsias as lesões eram de edema do mesentério, das paredes do abomaso e do rúmen, e das paredes da vesícula biliar, além de fígado firme e com aspecto marmorizado. Histologicamente havia no fígado proliferação de tecido conjuntivo fibroso, principalmente nos espaços porta, megalocitose e hiperplasia de ductos biliares. A observação de grande quantidade de S. madagascariensis em várias propriedades nos municípios de Arroio Grande, Pedro Osório e Capão do Leão a partir do ano 2013 sugere que esta planta está em pleno processo de adaptação e disseminação nesta região e que outros surtos podem ocorrer nos próximos anos. Os surtos relatados aparentemente resultaram do consumo da planta durante o outono/inverno de 2013, quando a mesma estava já em floração. A quantificação dos alcaloides revelou a presença de 500 µg/g e 4000µg/g de planta seca de alcaloides pirrolizidínicos em duas das três propriedades com casos de seneciose. Acredita-se que a grande quantidade de planta existente nas áreas onde os animais estavam e a quantidade de alcaloides presentes na mesma foram fatores que determinaram a ocorrência dos surtos.


#8 - Equine diseases in Southern Brazil, 34(3):205-210

Abstract in English:

ABSTRACT.- Marcolongo-Pereira C., Estima-Silva P., Soares M.P., Sallis E.S.V., Grecco F.B., Fernandes C.G., Raffi M.B. & Schild A.L. 2014. [Equine diseases in Southern Brazil.] Doenças de equinos na região Sul do Rio Grande do Sul. PesquisaVeterináriaBrasileira 34(3):205-210. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário, Rua Gomes Carneiro 1, Pelotas, RS 96010-610, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br A retrospective study of the diagnoses of injuries and deaths in equine in Southern Brazil was conducted between 1978 and 2012. All necropsy protocols and other materials of the Regional Diagnostic Laboratory of the Veterinary School of the Federal University of Pelotas were reviewed. The collected data consisted of 2,026 equine materials, including 514 necropsy protocols of and 1,512 other biologic materials, including the protocols of biopsies, organs, swabs, feces, blood, and skin scrapings. From the resulting 2,026 diagnoses, 467 (23.05%) corresponded to neoplasms and tumor like lesions; 168 (8.29%) to parasitic diseases; 135 (6.66%) to bacterial diseases; 31 (1.53%) to viral diseases; 86 (4.24%) to diseases caused by fungi and oomycetes; 50 (2.47%) to intoxication and poisoning by mycotoxins; 9 (0.44%) to metabolic diseases; 60 (2.96%) to other diseases; and 75 (3.70%) to non-transmittable diseases of the digestive tract. Three hundred twenty cases (15.79%) were classified as diseases of unknown etiology. Other diagnoses accounted for 489 of the total 2,026 cases (24.14%). In 44 (8.56%) of the 514 necropsies and 91 (9.47%) of the 961 biopsies of organs mailed into the laboratory, the diagnoses were inconclusive, totaling 135 (9.15%) of the 1,475 in the category. This study demonstrates the importance of skin lesions in horses, as 31.88% (642) of the biopsies received were lesions on the skin of the animals. The most significant tumors observed were equine sarcoid, at 33.18%, and squamous cell carcinoma, at 7.94%. The most common observed causes of death were leucoenceflomalacia (7.59%), rabies (3.70%) thromboembolism by Strongylus vulgaris (2.33%) and monocytic ehrlichiosis (1.75%).

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Marcolongo-Pereira C., Estima-Silva P., Soares M.P., Sallis E.S.V., Grecco F.B., Fernandes C.G., Raffi M.B. & Schild A.L. 2014. [Equine diseases in Southern Brazil.] Doenças de equinos na região Sul do Rio Grande do Sul. PesquisaVeterináriaBrasileira 34(3):205-210. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário, Rua Gomes Carneiro 1, Pelotas, RS 96010-610, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Foi realizado um estudo retrospectivo dos diagnósticos de causas de morte e de lesões em equinos na região Sul do Rio Grande do Sul entre 1978 e 2012. Foram revisados os protocolos de necropsia e materiais desta espécie encaminhados ao Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas no período. Foram recebidos 514 cadáveres de equinos e 1500 materiais (biopsias, órgãos, suabes, fezes, sangue e raspado de pele), totalizando 2026 materiais de equinos recebidos no período. Dos 2026 casos 467 (23,05%) corresponderam a neoplasmas e lesões tumorifores, 168 (8,29%) a doenças parasitárias; 135 (6,66%) a doenças bacterianas, 31 (1,53%) a doenças virais, 86 (4,24%) a doenças causadas por fungos e oomicetos, 50 (2,47%) a intoxicações e micotoxicoses, nove (0,44%) a doenças metabólicas, 60 (2,96%) a outras doenças e 75 (3,70%) a doenças não transmissíveis do trato digestivo. Trezentos e vinte (15,79%) foram classificados como doenças de etiologia indeterminada. Outros diagnósticos representaram 489/2026 (24,14%) casos. Em 44/514 (8,56%) das necropsias e em 91/961 (9,47%) de biopsias e órgãos remetidos ao laboratório o diagnóstico foi inconclusivo, perfazendo um total de 135/1475 (9,15%) casos incluídos nesta categoria. Ficou evidenciado neste trabalho a importância das lesões dermatológicas em equinos, sendo que 31,88% (642/2014) dos casos recebidos eram biopsias de lesões observadas na pele dos animais. Os principais tumores encontrados foram o sarcoide equino com 33,18% e o carcinoma de células escamosas com 7,94% das biopsias recebidas. Algumas causas de morte mais importantes diagnosticadas no período foram a leucoencefalomalacia (7,59%), a raiva (3,70%), o tromboembolismo por Strongylus vulgaris (2,33%) e a erliquiose monocítica (1,75%).


#9 - Acute experimental poisoning by Senecio brasiliensis in sheep and induced resistance against the poisoning, 32(9):912-916

Abstract in English:

ABSTRACT.- Grecco F.B., Estima-Silva P., Marcolongo-Pereira C., Soares M.P., Raffi M.B. & Schild A.L. 2012. [Acute experimental poisoning by Senecio brasiliensis in sheep and induced resistance against the poisoning.] Intoxicação experimental aguda por Senecio brasiliensis em ovinos e indução de resistência à intoxicação. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):912-916. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Sheep are more resistant to poisoning by Senecio spp. than cattle and horses. To determine whether this resistance could be induced by ingestion of small and repeated doses of the plant and to know how long the resistance could last, three experiments with fresh green leaves and stalks of Senecio brasiliensis were conducted. In Experiment 1, to determine the minimum dose for acute poisoning, single doses of 60, 80, 90, 100 and 100g/kg body weight (bw) were administered to five 1 and a half-year-old male Corriedale sheep. The sheep fed 60g/kg bw and 80g/kg bw of S. brasiliensis did not get sick; however, the sheep that received 80g/kg bw, developed mild fibrosis and megalocytosis in liver biopsies performed 90, 120 and 150 days after the end of plant administration. The sheep that received 90 and 100g/kg bw showed clinical signs of anorexia, prostration, paddling movements and abdominal pain, and died 12-48 hours after the onset of clinical signs. At their necropsy, ascites, disseminated petechiae and accentuated lobular pattern of the liver were found, and histologicaly hemorrhagic centrilobular necrosis was observed. In Experiment 2, the dose of 100g/kg bw fractionated into 2, 5 and 10 daily doses was administered to three sheep respectively. The fractioned dosage did not cause clinical signs of poisoning in any of the sheep, but periportal fibrosis and moderate megalocytosis were observed in liver biopsy performed at day 60 after the end of the plant administration. No histological lesions were observed in hepatic biopsies of sheep that received 10 daily doses of 10g/kg bw. In Experiment 3, to determine whether the sheep become resistant to the acute form of poisoning, four sheep ingested daily doses of 15g/kg bw of S. brasiliensis during 30 days and daily doses of 30g/kg bw for 10 days. On the day following the last dose of 30g/kg bw, two sheep were challenged with 100g/kg bw of the plant in a single dose. No clinical signs were observed in both sheep and no histological lesions could be found in the liver biopsies obtained 15 and 30 days after administration of the challenge dose. The third and fourth sheep received the challenge dose (100g/kg bw) 15 and 45 days after the end of plant administration. These animals showed anorexia, abdominal pain, and died about 12 hours after the onset of clinical signs. Gross and microscopic lesions were similar to those observed in sheep from Experiment 1. The results of this study demonstrate that sheep are susceptible to acute S. brasiliensis poisoning at doses of 90 and 100g/kg bw, but they become resistant after the continuous ingestion of small daily doses. This resistance has been lost 15 days after the end of the plant ingestion. Natural acute poisoning by S. brasiliensis probably does not occur in sheep, because they would have to eat large amounts of the plant in a short period of time.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Grecco F.B., Estima-Silva P., Marcolongo-Pereira C., Soares M.P., Raffi M.B. & Schild A.L. 2012. [Acute experimental poisoning by Senecio brasiliensis in sheep and induced resistance against the poisoning.] Intoxicação experimental aguda por Senecio brasiliensis em ovinos e indução de resistência à intoxicação. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):912-916. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Ovinos são mais resistentes à intoxicação por Senecio spp. que bovinos e equinos. Para determinar se essa resistência é induzida pela ingestão de pequenas e repetidas doses da planta e se essa resistência é duradoura, foram realizados três experimentos com folhas e talos verdes de Senecio brasilienses. Para determinar a dose mínima que causa intoxicação aguda (experimento 1), foram administradas doses únicas de 60, 80, 90, 100 e 100g/kg de peso corporal (pc) a cinco ovinos, respectivamente. Os animais que receberam 60 e 80 g/kg de pc de S. brasiliensis não adoeceram, porém o ovino que recebeu 80g/kg de pc apresentava fibrose e megalocitose discretas nas biópsias realizadas aos 90, 120 e 150 dias do término da administração da planta. Os ovinos que receberam 90 e 100g/kg de pc apresentaram anorexia, prostração, movimentos de pedalagem, dor abdominal e morte 12-48 horas após o aparecimento dos sinais clínicos. Na necropsia havia ascite, petéquias disseminadas e acentuação do padrão lobular hepático. Histologicamente havia necrose hemorrágica centro-lobular. No Experimento 2 a dose capaz de causar a intoxicação aguda foi fracionada e administrada em duas, cinco e 10 doses diárias para 3 ovinos, respectivamente. A dose tóxica fracionada não provocou sinais clínicos de intoxicação em nenhum dos ovinos, porém havia fibrose periportal e megalocitose moderadas nas biopsias realizadas aos 60 dias do término da administração da planta, as quais não evoluíram. O ovino que recebeu a dose fracionada em 10 administrações não apresentou lesões histológicas nas biópsias. Para determinar se os ovinos tornam-se resistentes à forma aguda da intoxicação (experimento 3), foram administradas doses diárias de 15g/kg de pc por 30 dias e 30g/kg de pc por 10 dias a quatro ovinos. No dia seguinte à última administração dois ovinos receberam a dose única de 100g/kg de pc de S. brasiliensis, mas não adoeceram nem apresentaram lesões em biópsias realizadas 15 e 30 dias após o desafio. Entretanto, dois ovinos que receberam essa dose, 15 e 45 dias após a última administração da planta, respectivamente, apresentaram anorexia, dor abdominal, movimentos de pedalagem e morreram 12 horas após o início dos sinais clínicos. As lesões macro e microscópicas eram semelhantes às observadas nos ovinos do Experimento 1. Os resultados do presente trabalho demonstraram que, experimentalmente, ovinos intoxicam-se de forma aguda com doses únicas de 90-100g/kg de pc, mas são capazes de suportar essas doses após a ingestão contínua de pequenas quantidades da planta, no entanto, essa suposta resistência é perdida se os ovinos deixam de ingerir a mesma. Pode-se sugerir também que a intoxicação aguda natural, provavelmente, não ocorre devido à improbabilidade de ingestão, por um ovino, da quantidade necessária de planta em um período curto de tempo.


#10 - Tetanus in cattle in southern Brazil: study of 24 outbreaks, 31(12):1066-1070

Abstract in English:

ABSTRACT.- Quevedo P.S, Ladeira S.R.L., Soares M.P., Marcolongo-Pereira C., Sallis E.S.V., Grecco F.B., Estima-Silva P. & Schild A.L. 2011. [Tetanus in cattle in southern Brazil: study of 24 outbreaks.] Tétano em bovinos no sul do Rio Grande do sul: estudo de 24 surtos. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(12):1066-1070. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Twenty-four outbreaks of tetanus occurred in 2009 in beef cattle on farms located in the region of influence of the Regional Diagnostic Laboratory (LRD), southern Rio Grande de Sul, are described. All herds were submitted to vaccination and/or application of anthelmintics between 8 and 25 days before the onset of clinical signs of tetanus. Those were prolapse of the third eyelid, stiff gait, recumbency with limbs extended and off the ground (spastic paralysis), very open eyelids, salivation, hyperexcitability, erect ears, mandibular trismus, food accumulation in the oral cavity, and presence of foam in mouth and nostrils in some cases. At postmortem some animals had necrosis, edema and hemorrhage surrounded by purulent exudate in the muscles where some medicine had been applied. Blood serum and muscle fragments of affected animals were collected for subsequent inoculation into mice. No changes were evident in histological examination. The clinical and epidemiological data associated with the absence of histological lesions allowed the diagnosis of tetanus. The infection probably occurred during the vaccination procedure, by intramuscular injections using contaminated needles. Although tetanus is not an important disease in the region, outbreaks could occur depending on epidemiological conditions. Appropriate care should be taken to avoid major economic losses as those that occurred in 2009 in the region.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Quevedo P.S, Ladeira S.R.L., Soares M.P., Marcolongo-Pereira C., Sallis E.S.V., Grecco F.B., Estima-Silva P. & Schild A.L. 2011. [Tetanus in cattle in southern Brazil: study of 24 outbreaks.] Tétano em bovinos no sul do Rio Grande do sul: estudo de 24 surtos. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(12):1066-1070. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br São descritos vinte e quatro surtos de tétano ocorridos no ano 2009 em bovinos de corte em propriedades situadas na região de influência do Laboratório Regional de Diagnóstico (LRD), sul do Rio Grande de Sul. Todos os rebanhos foram submetidos a procedimentos de vacinação e/ou aplicação de anti-helmíntico entre 8 e 25 dias antes do aparecimento dos primeiros sinais clínicos. O tempo de evolução variou de 12 horas até quatro dias. Os sinais clínicos observados foram: prolapso da terceira pálpebra, andar rígido, dificuldade de flexão dos membros e permanência em decúbito lateral com os membros estendidos e afastados do solo (paralisia espástica), pálpebras muito abertas, sialorréia, hiperexcitabilidade, orelhas eretas, trismo mandibular, acúmulo de alimento na cavidade oral e presença de espuma na boca e narinas em alguns casos. Alguns bovinos apresentavam área de necrose e edema hemorrágico circundada por exsudato purulento nos músculos onde havia sido aplicado algum medicamento. O soro sanguíneo e fragmentos de músculo com lesão de animais afetados foram coletados para posterior inoculação em camundongos. No exame histopatológico não foram evidenciadas alterações. O quadro clínico associado aos dados epidemiológicos e a ausência de lesões histológicas permitiram o diagnóstico de tétano. A infecção, provavelmente ocorreu durante o procedimento de vacinação, através injeções intramusculares utilizando agulhas contaminadas. Apesar do tétano não ser uma clostridiose importante na região fica evidenciado que surtos podem ocorrer em função de condições epidemiológicas adequadas e cuidados devem ser tomados para evitar perdas econômicas importantes como as que ocorreram no ano 2009 na região.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV