Resultado da pesquisa (7)

Termo utilizado na pesquisa Froes T.R

#1 - Fungal pneumonia in dogs and cats with pulmonary clinical signs in southern Brazil

Abstract in English:

Fungal pneumonia has been a differential diagnosis in dogs and cats with pulmonary clinical signs, posting also a public health risk to respective owners. Since a common-source environmental exposure may result in infection, dogs and cats may also act as sentinels for both animal and human disease. Accordingly, the present study has aimed to evaluate the occurrence of fungal pneumonia in dogs and cats with pulmonary clinical signs from May 2013 to February 2015 in southern Brazil. Thoracic radiographs, blood work and non-bronchoscopic Bronchoalveolar Lavage (BAL), followed by cytology and microbiologic analysis were performed in all animals. One dog was positive in the BAL fluid culture for a pathogenic fungus (Cryptococcus neoformans) and another dog to an opportunistic fungus (Candida parapsilosis). Both dogs have presented cough as the prior clinical sign and showed thoracic radiographic changes. In conclusion, the occurrence of fungal pneumonia in southern Brazil in dogs and cats through of this study was relatively low. The BAL fluid culture may allow diagnosis of fungal pneumonia caused by opportunistic or pathogenic fungi and this diagnosis should be a concern in dogs and cats with pulmonary clinical signs.

Abstract in Portuguese:

Pneumonia fúngica tem sido um diagnóstico diferencial em cães e gatos com sinais clínicos pulmonares, sendo também um risco de saúde pública para seus respectivos proprietários. Uma vez que uma fonte comum de exposição ambiental pode resultar em infecção, cães e gatos podem agir como sentinelas da doença para ambos, pessoas e animais. Assim, o presente estudo teve como objetivo avaliar a ocorrência de pneumonia fúngica em cães e gatos com sinais clínicos pulmonares, de maio de 2013 a fevereiro 2015 no sul do Brasil. Radiografias torácicas, exame de sangue e lavado broncoalveolar (LBA) não broncoscópico seguido de análise citológica e microbiológica foram realizados em todos os animais. Um cão foi positivo na cultura do fluido do LBA para um fungo patogênico (Cryptococcus neoformans) e outro cão para um fungo oportunista (Candida parapsilosis). Ambos os cães apresentaram tosse como sinal clínico principal e alterações radiológicas torácicas. Em conclusão, a ocorrência de pneumonia fúngica no sul do Brasil em cães e gatos por meio deste estudo foi relativamente baixa. A cultura do LBA pode possibilitar o diagnóstico de pneumonia fúngica causada por fungos oportunistas ou patogênicos e este diagnóstico diferencial deve ser uma preocupação em cães e gatos com sinais clínicos pulmonares.


#2 - Ultrasound features of liver, gallbladder kidneys, urinary bladder and jejunum in young and adult rabbits, 37(4):415-423

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva K.G., Nascimento L.V., Tasqueti U.I., Andrade C., Froes T.R. & Sotomaior C.S. 2017. [Ultrasound features of liver, gallbladder kidneys, urinary bladder and jejunum in young and adult rabbits.] Características ultrassonográficas de fígado, vesicular biliar, rins, vesicular urinária e jejuno em coelhos jovens e adultos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):415-423. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, BR-376 Km 14, São José dos Pinhais, PR 83010-500, Brazil. E-mail: cristina.sotomaior@pucpr.br This study described characteristics and measurements of the liver, gallbladder, kidney, urinary bladder and jejunum of young and adults New Zealand White (NZW) rabbits. The young rabbits’s group was composed of 39 rabbits of both sexes (20 males and 19 females), weaned at 30-31 days of age, and the evaluations carried out at 35, 56 and 77 days of age. The adults group was composed of 23 females and 15 males, with more than 6 months of age, and one ultrasonographic evaluation per animal. The exam consisted in the evaluation of liver, gallbladder, right and left kidneys, jejunum and urinary bladder. All the animals were weighed before the evaluations. The average weight increased (p<0.05) from 35 days to adults. Both in adult and in young rabbits, the liver presented predominantly isoechogenic in relation of right kidney and with homogeneous texture. The gallbladder had an elongated ovoid shape, ranging for pear-shaped to almond, with anechogenic content, not being visible in 2.6% of young rabbits and 26.3% of adults. The length and width were 1.06 and 0.39; 1.44 and 0.53; 1.41 and 0.58; 1.57 and 0.67cm, respectively at 35, 56, 77 days and adults. For young and adults rabbits, the gallbladder and the left and right kidneys were positively correlated (p<0.05) with weight. The kidneys had an ellipse shape with smooth surface, increasing (p>0.05) from 35 days to adulthood. There was a positive correlation (p<0.05) between the right and left kidney volumes. The description of urinary bladder more frequently (86%) observed was anechogenic content, with small free echogenic structure within the lumen, both in young and in adult rabbits. There was no difference (p>0.05) in the thickness of the layers of the jejunum among ages, with the mean of 0.23cm for all animals. With the results, the first Brazilian ultrasonographic data for liver, gallbladder, kidney, jejunum and urinary bladder were defined to NZW rabbits in 35, 56 and 77days of life, as well as adults.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva K.G., Nascimento L.V., Tasqueti U.I., Andrade C., Froes T.R. & Sotomaior C.S. 2017. [Ultrasound features of liver, gallbladder kidneys, urinary bladder and jejunum in young and adult rabbits.] Características ultrassonográficas de fígado, vesicular biliar, rins, vesicular urinária e jejuno em coelhos jovens e adultos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):415-423. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, BR-376 Km 14, São José dos Pinhais, PR 83010-500, Brazil. E-mail: cristina.sotomaior@pucpr.br O presente trabalho descreveu características e comparou mensurações do fígado, vesícula biliar, rins, vesícula urinária e jejuno de coelhos da raça Nova Zelândia Branco (NZB) jovens e adultos. O grupo dos jovens foi composto por 39 coelhos de ambos os sexos (20 machos e 19 fêmeas), desmamados aos 30-31 dias de idade, sendo as avaliações realizadas aos 35, 56 e 77 dias de idade. O grupo dos adultos foi composto por 23 fêmeas e 15 machos, com idade superior a 6 meses, sendo realizada uma avaliação ultrassonográfica por animal. O exame consistiu na avaliação do fígado, vesícula biliar, rins direito e esquerdo, jejuno e vesícula urinária. Todos os animais foram pesados antes dos exames. O peso médio dos animais aumentou (p<0,05) dos 35 dias até a idade adulta. Tanto nos adultos quanto nos jovens, o fígado apresentou-se predominantemente isoecogênico ao rim direito e com textura homogênea. A vesícula biliar apresentou-se em formato ovoide alongado, variando de piriforme à amendoado, com conteúdo anecogênico, não sendo visível em 2,6% dos coelhos jovens e em 26,3% dos adultos. O comprimento e a largura da vesícula biliar nas idades de 35, 56, 77 dias e adultos foram: 1,06 e 0,39; 1,44 e 0,53; 1,41 e 0,58; 1,57 e 0,67cm, respectivamente. Considerando jovens e adultos, as mensurações da vesícula biliar e dos rins esquerdo e direito apresentaram correlação positiva (p<0,05) com o peso. Os rins apresentaram-se no formato de elipse e com superfície regular, com aumento (p<0,05) dos 35 dias à idade adulta. Houve correlação positiva (p<0,05) entre os volumes renais direito e esquerdo. A descrição da vesícula urinária mais encontrada (86%) foi a com conteúdo anecogênico, com pequenas estruturas ecogênicas livres no lúmen, tanto em jovens quanto em adultos. Não houve diferença (p>0,05) da espessura das camadas do jejuno entre as idades, apresentando média de 0,23 cm para todos os animais. Estes são os primeiros dados brasileiros de características ultrassonográficas de fígado, vesícula biliar, rins, jejuno e vesícula urinária para coelhos NZB de 35, 56 e 77 dias de vida e adultos.


#3 - Adrenal glands measurements and ultrasound evaluation in nonhuman primates: squirrel monkey (Saimiri sciureus), owl monkey (Aotus azarae infulatus) and howler monkey (Alouatta guariba clamitans), 34(9):903-910

Abstract in English:

ABSTRACT.- Souza A.C., Lange R.R., Przydzimirski A.C., Castro P.H.G., Pascoli A., Junior J.C.S. & Froes T.R. 2014. [Adrenal glands measurements and ultrasound evaluation in nonhuman primates: squirrel monkey (Saimiri sciureus), owl monkey (Aotus azarae infulatus) and howler monkey (Alouatta guariba clamitans).] Avaliação ultrassonográfica e mensurações das glândulas adrenais em primatas não humanos neotropicais: mico-de-cheiro (Saimiri sciureus), macaco-da-noite (Aotus azarae infulatus) e bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitans). Pesquisa Veterinária Brasileira 34(9):903-910. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: froestilde@gmail.com The adrenal glands have endocrine functions related to multiple vital functions and are closely related to the animal’s ability to adapt to stress. The ultrasound is the diagnostic method of choice for evaluation of glands in different species. Considering the scarce literature, one may question whether the adrenal disorders in nonhuman primates are uncommon or underdiagnosed, and a hypothesis exists that this fact is determined by the lack of parameters. The goal is to describe the sonographic features of the adrenal glands for three species of nonhuman primates kept in captivity: squirrel monkey (Saimiri sciureus), owl monkey (Aotus azarae infulatus) and howler monkey (Alouatta guariba clamitans). It is concluded that it is possible to identify the adrenal glands by ultrasound, and the reference standards have been established successfully for the species in question. It is noteworthy that the adaptation of animals in many stressful environments is often accompanied by a hypertrophy of the adrenal glands, so one should take into account that the measurements performed in this study were established in captive animals.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Souza A.C., Lange R.R., Przydzimirski A.C., Castro P.H.G., Pascoli A., Junior J.C.S. & Froes T.R. 2014. [Adrenal glands measurements and ultrasound evaluation in nonhuman primates: squirrel monkey (Saimiri sciureus), owl monkey (Aotus azarae infulatus) and howler monkey (Alouatta guariba clamitans).] Avaliação ultrassonográfica e mensurações das glândulas adrenais em primatas não humanos neotropicais: mico-de-cheiro (Saimiri sciureus), macaco-da-noite (Aotus azarae infulatus) e bugio-ruivo (Alouatta guariba clamitans). Pesquisa Veterinária Brasileira 34(9):903-910. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: froestilde@gmail.com As glândulas adrenais possuem funções endócrinas relacionadas a múltiplas funções vitais, estando intimamente relacionadas à capacidade do animal em se adaptar ao estresse. O exame ultrassonográfico é o método diagnóstico de escolha para avaliação das glândulas em diferentes espécies. Considerando a escassa literatura, questiona-se se as doenças adrenais em primatas não humanos são incomuns ou subdiagnosticadas, havendo a hipótese desse fato ser determinado pela falta de parâmetros. Objetivou-se descrever as características ultrassonográficas das glândulas adrenais para três espécies de primatas não humanos mantidas em cativeiro: Saimiri sciureus (mico-de-cheiro), Aotus azarae infulatus (macaco-da-noite) e Alouatta guariba clamitans (bugio-ruivo). Conclui-se que é possível a identificação das glândulas adrenais por meio de exame ultrassonográfico, sendo que os padrões de referência foram estabelecidos com sucesso para as espécies em questão. Ressalta-se que a adequação de animais em ambientes estressantes é frequentemente acompanhada por uma hipertrofia das glândulas adrenais, portanto deve-se levar em consideração que as mensurações realizadas nesse estudo foram estabelecidas em animais de cativeiro.


#4 - The eye of the striped owl: morphologic observations, biometric findings and reference values for selected ophthalmic diagnostics tests,

Abstract in English:

ABTRACT.- Rodarte-Almeida A.C.V., Machado M., Baldotto S.B., Leigue dos Santos L., Lima L., Lange R.R., Froes T.R. & Montiani-Ferreira F. 2013. [The eye of the striped owl: morphologic observations, biometric findings and reference values for selected ophthalmic diagnostics tests.] O olho da coruja-orelhuda: observações morfológicas, biométricas e valores de referência para testes de diagnóstico oftálmico. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(10):1275-1289. Setor de Oftalmologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Cabral, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: acrodarte@gmail.com The investigation aimed to describe the most relevant morphological characteristics of the eyes of the striped owl (Asio clamator) and determine normal values for selected ophthalmic diagnostic tests. A total of 32 eyes of 16 young and adult free-ranging healthy striped owls of both sexes were investigated. Data of different morphological observations of the skull, eye globe and adnexa, clinical tests and parameters were collected, including Schirmer Tear Test (STT), normal conjunctival bacterial microbiota, esthesiometry, intraocular pressure (IOP), central corneal thickness (CCT), horizontal palpebral fissure length, horizontal, corneal diameter and fundoscopy. Twenty two types of bacteria were identified in twelve owls, the most frequent bacteriae were the Gram-positive. The mean value found for the STT was 5.03±3.28mm/min; horizontal palpebral fissure lengths was 21.24±1.17mm, and 15.7±2.74mm for horizontal corneal diameter. The mean value for the esthesiometry was 0.80±0.59cm, IOP was 13.81±5.62mmHg and CCT was 0.28±0.03cm. This study contributes to establish reference values for selected ophthalmic diagnostic tests in the striped owl, as well as for morphological characterization of the eyeball of Asio clamator; but it is still necessary to characterize furthermore its histologic features.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rodarte-Almeida A.C.V., Machado M., Baldotto S.B., Leigue dos Santos L., Lima L., Lange R.R., Froes T.R. & Montiani-Ferreira F. 2013. [The eye of the striped owl: morphologic observations, biometric findings and reference values for selected ophthalmic diagnostics tests.] O olho da coruja-orelhuda: observações morfológicas, biométricas e valores de referência para testes de diagnóstico oftálmico. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(10):1275-1289. Setor de Oftalmologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Cabral, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: acrodarte@gmail.com Objetivou-se relatar características morfológicas do bulbo ocular e determinar valores de referência para testes oftálmicos selecionados em corujas-orelhudas (Asio clamator). Foram estudados 32 olhos de 16 corujas (Asio clamator), adultas e jovens, machos e fêmeas, de vida livre. Sendo compilados dados referentes a observações morfológicas do crânio, bulbo ocular e anexos, além de mensuração de testes oftálmicos, incluindo, Teste Lacrimal de Schirmer (TLS), cultura da microbiota normal da conjuntiva, estesiometria, pressão intraocular (PIO), espessura de córnea central (ECC), diâmetro horizontal da rima palpebral, diâmetro horizontal da córnea e oftalmoscopia indireta. Vinte e dois tipos de bactérias foram identificados em 12 corujas havendo predominância de microrganismos Gram-positivos. A média encontrada para o TLS foi de 5,03±3,28mm/min, para o diâmetro horizontal da rima palpebral em 16 corujas foi 21,24±1,17mm, e 15,7±2,74mm para o diâmetro horizontal da córnea. O valor médio para o teste de estesiometria foi de 0,80±0,59cm, a PIO média de 13,81±5,62mmHg e ECC média de 0,28±0,03cm. O estudo contribuiu para a caracterização da morfologia ocular e para o estabelecimento de valores de referências de testes diagnósticos oftálmicos em corujas-orelhudas, sendo necessário ainda o desenvolvimento de estudos complementares sobre histologia ocular desta espécie.


#5 - Ultrasonographic anatomy of abdominal lymph nodes in the normal ferret, 31(12):1129-1132

Abstract in English:

ABSTRACT.- Garcia D.A.A., Silva L.C.S., Lange R.R. & Froes T.R. 2011.[Ultrasonographic anatomy of abdominal lymph nodes in the normal ferret.] Anatomia ultrassonográfica dos linfonodos abdominais de furões europeus hígidos. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(12):1129-1132. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: daniapag@yahoo.com.br In recent years the ferret (Mustela putoriu s furo) has become popular pet featuring a ever growing population in Brazil, and being increasingly found in veterinary clinics. This study aimed to evaluate the ultrasound anatomy of abdominal lymph nodes of healthy ferrets. We used 20 animals, nine of which males and eleven females, with overall mean age of three years. We located the mesenteric lymph nodes in 100% of the ferrets, the pancreatic-duodenal lymph nodes and the splenic ones in 55%, the gastric lymph node in 20%, and the hepatic lymph node in 5%. We measured their lengths. It is concluded that the location and sonographic characteristics of the abdominal lymph nodes in ferrets are very similar to the abdominal lymph nodes of cats. This is a preliminary orientation for the location of abdominal lymph nodes of healthy ferrets

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Garcia D.A.A., Silva L.C.S., Lange R.R. & Froes T.R. 2011.[Ultrasonographic anatomy of abdominal lymph nodes in the normal ferret.] Anatomia ultrassonográfica dos linfonodos abdominais de furões europeus hígidos. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(12):1129-1132. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: daniapag@yahoo.com.br Nos últimos anos o furão (Mustela putorius furo) tornou-se um conhecido animal de estimação sendo observada uma população em constante crescimento no Brasil, e por conseqüência cada vez mais presente em clínicas veterinárias. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a anatomia ultrassonográfica dos linfonodos abdominais de furões-europeus hígidos. Foram utilizados 20 animais, dentre os quais nove eram machos e onze fêmeas, com idade média total de três anos. Localizaram-se em 100% dos furões os linfonodos mesentéricos, em 55% dos animais os linfonodos pancreático-duodenal e esplênico, em 20% o linfonodo gástrico e em 5% o linfonodo hepático. Conclui-se que a localização e características ultrassonográfica dos linfonodos abdominais em furões são muito similares aos linfonodos abdominais de gatos, sendo este estudo uma orientação preliminar para a localização dos linfonodos abdominais de furões hígidos.


#6 - Clinical characteristics of the acute phase of feline immunodeficiency virus experimental infectio, 31(3):255-260

Abstract in English:

ABSTRACT.- Zanutto M.S., Froes T.R., Teixeira A.L. & Hagiwara M.K. 2011. [Clinical characteristics of the acute phase of feline immunodeficiency virus experimental infection.] Características clínicas da fase aguda da infecção experimental de felinos pelo vírus da imunodeficiência felina. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(3):255-260. Departamento de Clínicas Veterinárias, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual de Londrina, Rodovia Celso Garcia Cid s/n, Londrina, PR 86051-990, Brazil. E-mail: mzanutto@uel.br As a result of FIV infection of cats, feline immunodeficiency syndrome might be seen in the latter phase of infection. Gengivitis, weight loss, spread enlargement lymph nodes, anemia, chronic renal failure, neurological disturbances, chronic diarrhea, and oportunistic bacterial infections are commonly found. The acute phase of the infection might be unnoticed, making the diagnosis difficult and delaying the adoption of profilatic measures, in order to reduce FIV transmission for other susceptible cats. Aiming to study the clinical characteristics of the acute phase of FIV infection, ten young eight month old cats mixed breed were succesfully inoculated by intravenous route with one mL of blood obtained from one FIV-B positive cat. The infection was confirmed by ELISA test four and eight weeks p.i and nested-PCR. CBC counting, abdominal ultrasonography and ophtalmologic exams were done weekly, fortnightly and monthly during twelve weeks p.i. Mild tendency to lymphopenia at second week and neutropenia between fifth and seventh weeks p.i., fever in a few cats and lymph nodes, spleen and hepatic enlargements were the main clinical alterations found. The latters became evident starting on fourth week and remained throughout the twelve weeks observation period. Only one cat showed unilateral rigt uveitis. The acute phase of FIV infection elapsed with inespecific clinical manifestations. Lymph node, hepatic and spleen enlargements seen, though, suggest the needs for indication of tests for the diagnosis of FIV infection in all cats presenting those signs, thus allowing early diagnosis of FIV infection and the adoption of prophylatic measures.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Zanutto M.S., Froes T.R., Teixeira A.L. & Hagiwara M.K. 2011. [Clinical characteristics of the acute phase of feline immunodeficiency virus experimental infection.] Características clínicas da fase aguda da infecção experimental de felinos pelo vírus da imunodeficiência felina. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(3):255-260. Departamento de Clínicas Veterinárias, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual de Londrina, Rodovia Celso Garcia Cid s/n, Londrina, PR 86051-990, Brazil. E-mail: mzanutto@uel.br A infecção dos felinos pelo Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV) resulta no desenvolvimento da síndrome de imunodeficiência dos felinos. Gengivite, perda de peso, linfadenomegalia generalizada, anemia, insuficiência renal crônica, complicações neurológicas, diarréia crônica e infecções bacterianas são encontradas frequentemente. A fase aguda da infecção pode ser assintomática, retardando o estabelecimento do diagnóstico e a implantação de medidas profiláticas para restringir o contágio e a transmissão do agente aos felinos suscetíveis. Com a finalidade de estudar as características clínicas da fase aguda da infecção, dez felinos jovens, sem definição racial, com oito meses de idade foram inoculados por via endovenosa com 1mL de sangue venoso de um gato portador do FIV subtipo B. A confirmação da infecção foi obtida através de teste sorológico em quatro e oito semanas pós-inoculação (p.i.) e por nested-PCR. Foram realizados hemogramas semanais, exame ultrassonográfico do abdômen quinzenais e exame oftalmológico mensal, durante doze semanas p.i. Discreta tendência a linfopenia na segunda semana p.i. e a neutropenia entre a quinta e sétima semana p.i., febre intermitente em alguns gatos, linfadenomegalia e hepato-esplenomegalia entre a quarta e a 12ª semana p.i. foram as alterações clínicas observadas. Apenas um gato apresentou uveíte unilateral direita. A fase aguda da infecção transcorreu com alterações clínicas inespecíficas. A linfadenomegalia e a hepato-esplenomegalia observadas no decorrer da infecção, refletindo hiperplasia linfóide, sugerem a necessidade de se realizar o teste sorológico para o FIV, em todos os gatos que se apresentarem com essas alterações, o que permitirá o diagnóstico precoce da infecção e a adoção de medidas profiláticas no sentido de minimizar a propagação da infecção.


#7 - Ultrasonographic evaluation of the external ear in dogs, 30(4):335-339

Abstract in English:

ABSTRACT.- Schmidlin P.C., Froes T.R., Garcia D.A.A., Parchen H. & Montiani-Ferreira F. 2010. [Ultrasonographic evaluation of the external ear in dogs.] Avaliação ultrassonográfica do meato acústico em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(4):335-339. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: tilde@ufpr.br The purpose of this study was to determine the viability of ultrasonographic evaluation of the external ear in dogs. The thickness and architecture of the ear wall and tympanic bulla of 10 Labrador Retrievers without ear disease was evaluated. The examination was performed with an ultrasound system and a 14 MHz bidimentional linear-array transducer and general anesthesia, before and after the infusion of saline solution into the ear canal. The maxillary artery was identified with color Doppler and helped to establish the location of the tympanic bulla in all dogs. The proximal wall was less well-defined when compared with the distal wall of the ear canal. Dogs with increased ceruminal content within the ear canal showed a hypoechoic epithelium. The tympanic membrane was not identified. It was concluded that ultrasound evaluation is feasible and needs to be explored as clinical diagnostic tool for the diagnosis of ear diseases in dogs.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Schmidlin P.C., Froes T.R., Garcia D.A.A., Parchen H. & Montiani-Ferreira F. 2010. [Ultrasonographic evaluation of the external ear in dogs.] Avaliação ultrassonográfica do meato acústico em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(4):335-339. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná, Rua dos Funcionários 1540, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: tilde@ufpr.br O propósito deste trabalho foi determinar a viabilidade da ultrassonografia para avaliar o canal auditivo externo de cães, aferindo a espessura e arquitetura da parede do conduto auditivo e bula timpânica. Foram avaliados 10 cães da raça Retriever do Labrador não portadores de otite externa. O exame foi realizado com o aparelho de ultrassonografia bidimensional e transdutor linear de 14 MHz, com todos os animais sob efeito de anestesia geral. O exame foi efetivado antes e depois do conduto ser preenchido com solução salina, promovendo uma janela acústica anecóica. A artéria maxilar foi identificada com o Doppler colorido o que facilitou a localização da bula timpânica em todos os cães. A definição da imagem da parede proximal ao transdutor foi pior quando comparada à parede distal r em todos os animais, isto devido à proximidade da parede com a face de leitura do transdutor. Nos cães que apresentavam uma maior quantidade de cerúmen a superfície do epitélio estava com uma camada hiperecóica mais evidente. A membrana timpânica não foi identificada em nenhum animal. Conclui-se que ultrassonografia é viável e deve ser mais pesquisada na contribuição diagnóstica das doenças óticas em cães.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV