Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Gomes L.R

#1 - Distribution of common peroneal nerve in equine fetuses and anatomical description of sites for anesthetic block, 32(7):672-676

Abstract in English:

ABSTRACT.- Iglesias L.P., Silva F.O.C., Vasconcelos B.G., Ribeiro L.A., Hodniki N.F., Gomes L.R., Miglino M.A. & Melo A.P.F. 2012. [Distribution of common peroneal nerve in equine fetuses and anatomical description of sites for anesthetic block.] Distribuição do nervo fibular comum em fetos de equinos e descrição anatômica de pontos para bloqueio anestésico. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):672-676. Departamento de Anatomia Animal, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Rua Ceará s/n, Bloco 2D, Uberlândia, MG 38400-902, Brazil. E-mail: iglesias_lp@hotmail.com The distribution of the nervus fibularis communis was analyzed in 30 equine fetuses, mongrel, from the collection of the Animal Anatomy Laboratory at the School of Veterinary Medicine of Universidade Federal de Uberlândia, which were injected and stored in an aqueous solution of 10% formaldehyde. It was found that this nerve emerges from the ischiadicus, divides itself into nervus fibularis profundus and nervus fibularis superficialis distributing to the musculi extensor digitorum lateralis, extensor digitorum longus, fibularis tertius, and tibialis cranialis. Drawing an imaginary line in the medial-lateral region of the tuberositatis tibia, the nervus fibularis communis may be blocked in its proximal portion, in the caudal third, between the tendon of insertion of the biceps femoris and the lateral side of the musculus gastrocnemius (medium third); and the nervus fibularis profundus may be blocked in the proximal tibia, cranio-distally to the nervus fibularis communis. The block of nervus fibularis profundus may be performed in two regions of the tibia: proximal, considering the imaginary line, distal to the site referred to the nervus fibularis communis, and caudal to that described for the nervus fibularis profundus; and distal, on the lateral side of the tibiotarsal joint, between the tendons of insertion of the musculi extensor digitorum lateralis and extensor digitorum longus.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Iglesias L.P., Silva F.O.C., Vasconcelos B.G., Ribeiro L.A., Hodniki N.F., Gomes L.R., Miglino M.A. & Melo A.P.F. 2012. [Distribution of common peroneal nerve in equine fetuses and anatomical description of sites for anesthetic block.] Distribuição do nervo fibular comum em fetos de equinos e descrição anatômica de pontos para bloqueio anestésico. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):672-676. Departamento de Anatomia Animal, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Rua Ceará s/n, Bloco 2D, Uberlândia, MG 38400-902, Brazil. E-mail: iglesias_lp@hotmail.com Analisou-se a distribuição do nervo fibular comum em 30 fetos de equinos, sem raça definida, provenientes do acervo do Laboratório de Anatomia Animal da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Uberlândia, que foram injetados e conservados em solução aquosa de formaldeído a 10%. Contatou-se que o referido nervo deriva do isquiático, divide-se em nervos fibulares superficial e profundo, distribuindo-se para os músculos extensores lateral e longo do dedo, fibular terceiro e tibial cranial. Traçando-se uma linha imaginária na região médio-lateral da tuberosidade do osso tíbia, o nervo fibular comum pode ser bloqueado em sua parte proximal, no terço caudal, entre o tendão de inserção do músculo bíceps femoral e a face lateral do músculo gastrocnêmio lateral (terço médio); e o nervo fibular profundo, na parte proximal da tíbia, crânio-distalmente ao fibular comum. O bloqueio do nervo fibular superficial pode ser realizado em duas regiões da tíbia: na proximal, considerando-se a linha imaginária, distalmente ao ponto citado para o fibular comum e caudalmente ao descrito para o fibular profundo; e na distal, na face lateral da articulação tíbio-társica, entre os tendões de inserção dos músculos extensores lateral e longo do dedo.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV