Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Lins J.G.G

#1 - Haematological variables of Santa Ines and Ile de France suckling lambs: Influence of Haemonchus contortus infection

Abstract in English:

Haemonchus contortus is the major gastrointestinal parasite of sheep raised in tropical and subtropical areas worldwide. This trial aimed to evaluate the influence of H. contortus infection on the bone marrow response of Santa Ines (SI) and Ile de France (IF) suckling lambs experimentally infected with H. contortus. Fourteen SI lambs and 12 IF lambs were randomized in four groups: infected SI (n=8), non-infected SI (n=6), infected IF (n=8) and non-infected IF (n=4). Lambs of infected groups were submitted to 27 infections, conducted every two days, from 14 to 68 days of age, and each lamb received a total of 5400 H. contortus infective larvae (L3). Ten blood samples were obtained during the experimental period to be used for erythrocyte and leukocyte counts, packed cell volume and total plasma protein estimation. Additionally, it was carried out a differential leukocyte count. Lambs from control groups did not shed eggs in faeces all over the experiment, while infected Santa Ines and Ile de France lambs presented means of 2963 EPG (Eggs Per Gram of faeces) and 8175 EPG in the last sampling (P<0.05), respectively. Infected Santa Ines lambs had an increase in eosinophil release, however differences (P<0.05) on circulation number in comparison with infected Ile de France lambs were identified only in the last sampling (54 days post first infection). The mild H. cortortus infection did not produce significant changes in the blood variables of the Ile de France and Santa Ines suckling lambs.

Abstract in Portuguese:

Haemonchus contortus é o principal parasita gastrintestinal de ovinos criados em áreas tropicais e subtropicais. Este estudo objetivou avaliar a influência da infecção por H. contortus na resposta medular de cordeiros lactentes das raças Santa Inês (SI) e Ile de France (IF) infectados experimentalmente com H. contortus. Quatorze cordeiros SI e 12 cordeiros IF, foram distribuídos em quatro grupos: SI infectado (n=8), SI não infectado (n=6), IF infectado (n=8) e IF não infectado (n=4). Cordeiros dos grupos infectados foram submetidos a 27 infecções, realizadas a cada dois dias, do 14º até 68º dia de vida, com um total de 5400 larvas infectantes (L3) de H. contortus por animal. Foram realizadas 10 coletas de sangue ao longo do período experimental para determinação do volume globular, proteínas plasmáticas totais, contagem de eritrócitos e leucócitos, além do diferencial de leucócitos. Cordeiros controles não infectados não eliminaram ovos nas fezes durante todo o experimento, enquanto que os cordeiros Santa Ines e Ile de France infectados apresentaram em média 2963 ovos por grama de fezes (OPG) e 8175 OPG na última coleta (P<0,05), respectivamente. Cordeiros Santa Inês infectados tiveram um aumento na produção de eosinófilos, mas diferenças (P<0.05) no número de eosinófilos sanguíneos em comparação a cordeiros Ile de France infectados foram detectadas somente na última coleta (54 dias após a primeira infecção). A infecção leve por H. cortortus não induziu alterações significativas nas variáveis sanguíneas de cordeiros lactentes Ile de France e Santa Inês.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV