Resultado da pesquisa (3)

Termo utilizado na pesquisa Malta K.C

#1 - Outbreaks of photosensitization and allergic dermatitis in ruminants and equidae in northeastern Brazil

Abstract in English:

The study was conducted to determine the causes of photosensitization in ruminants and equidae in northeastern Brazil through a review of the files at the Laboratório de Patologia Veterinária of Universidade Federal da Paraíba. During four years of the study 22 outbreaks of photosensitization were diagnosed, including 11 outbreaks of primary photosensitization and eight outbreaks of hepatogenous photosensitization. Poisoning by Froelichia humboldtiana was the main cause of photosensitization, and the only cause of primary photosensitization. The most severely affected animals by primary photosensitization are donkeys, goats, cattle and sheep, but horses and mules may also be affected. Poisoning by Brachiaria decumbens was the main cause of hepatogenous photosensitization, and affected only sheep and cattle. Other plants associated with hepatogenous photosensitization in cattle include Enterolobium contortisiliquum and Lantana camara. Allergic dermatitis was diagnosed in two flocks of sheep and in a horse. The animals had chronic lesions characterized by areas of alopecia, crusts and hyperpigmentation on the head, around the eyes (sheep) and at the legs (horse). Itching was the main clinical sign in cases of primary photosensitization and insect hypersensitivity.

Abstract in Portuguese:

O presente estudo foi conduzido com o objetivo de determinar as causas de fotossensibilização em ruminantes e equídeos no Nordeste do Brasil, através da revisão dos laudos de exames arquivados no Laboratório de Patologia Veterinária da Universidade Federal da Paraíba. Durante os quatro anos do estudo foram diagnosticados 22 surtos de fotossensibilização, incluindo 11 surtos de fotossensibilização primária e oito surtos de fotossensibilização hepatógena. A intoxicação por Froelichia humboldtiana foi a principal causa de fotossensibilização e a única causa de fotossensibilização primária. As espécies mais gravemente afetadas por fotossensibilização primária foram os asininos, caprinos, bovinos e ovinos, mas os equinos e mulas também são afetados. A intoxicação por Brachiaria decumbens foi a principal causa de fotossensibilização hepatógena e afetou apenas os ovinos e bovinos. Outras plantas associadas com fotossensibilização hepatógena incluíram Enterolobium contortisiliquum e Lantana camara. Dermatite alérgica foi diagnosticada em dois rebanhos ovinos e em um cavalo. Os animais tinham lesões crônicas, caracterizadas por alopecia, crostas e hiperpigmentação no topo da cabeça, ao redor dos olhos (ovinos) e nos membros (equino). O prurido foi o principal sinal clínico observado nos casos de fotossensibilização primária e hipersensibilidade à picada de insetos.


#2 - Evaluation of passive immunity transfer and serum constituents of Santa Ines lambs born of single and twin pregnancies in the semiarid region of Paraiba, Brazil

Abstract in English:

This study is concerned with an evaluation of the influence of mode of birth on the transfer of passive immunity and some serum constituents to newborn lambs, naturally fed with colostrum, breed in the semiarid region of the State of Paraiba (Brazil) on an extensive system. Thirty-four clinically healthy Santa Ines lambs were employed, identified and weighted immediately after birth, and divided into two experimental groups of seventeen animals each. The PS group (nine males and eight females) included lambs born of single pregnancies and the PG group (six males and eleven females) comprised of lambs born of twin pregnancies. The colostrum intake occurred naturally and voluntarily at their mothers. Forty-eight hours after birth, 10 mL of blood were collected in siliconized tubes from each animal by puncture of the jugular vein, and maintained under vacuum. After centrifugation, aliquots of sera were separated and kept frozen at -15°C until analyzed. For the comparative study of serum constituents, two experimental groups were formed, distributed in a completely randomized lineation, 2x2 factorial (type of birth and sex). The data were subjected to analysis of variance, whose means were compared by Tukey test at 5%. The serum activities of AST and GGT, and the total protein serum, albumin, urea, creatinine, calcium, phosphorus and magnesium concentrations were determined by using sets of commercial reagents; the samples were read by an automatic spectrophotometer. The serum activities of AST, GGT and serum concentrations of total protein, albumin and globulins of the PS and PG lambs groups were not influenced by the type of pregnancy and sex. From the serum concentration of total protein, FTIP was found in the lambs of PG group, using the value of 5.0g/dL as the cutoff point. With the exception of calcium, serum concentrations of urea, creatinine, phosphorus and magnesium showed the same pattern. Although these constituents did not showed significant differences between groups and sex, higher values were observed in animals born of single pregnancies, suggesting that the absence of competition for the voluntary ingestion of colostrum may have been the determining factor. It can be concluded that lambs born twin deliveries and breed extensively in the semiarid region of the State of Paraiba failed to transfer passive immunity and showed significant reduction in serum levels of some biochemical constituents, indicating the need for human interference in these cases.

Abstract in Portuguese:

O presente trabalho teve por objetivo avaliar a influência do tipo de parto sobre a transferência de imunidade passiva e de alguns constituintes séricos de cordeiros recém-nascidos, alimentados naturalmente com colostro materno, criados no semiárido paraibano em sistema extensivo. Foram utilizados 34 cordeiros clinicamente sadios, da raça Santa Inês, os quais foram identificados e pesados imediatamente após o nascimento e separados em dois grupos experimentais com 17 animais cada. O grupo PS (nove machos e oito fêmeas) formado por animais nascidos de partos simples e o grupo PG (seis machos e onze fêmeas) formado por cordeiros nascidos de partos gemelares. A ingestão de colostro se deu de forma natural e voluntária em suas respectivas mães. Foram coletados 10 mL de sangue de cada animal, mediante punção da veia jugular, em tubos siliconizados a vácuo, 48 horas após o nascimento. Após centrifugação, as alíquotas de soro foram separadas e permaneceram congeladas a -15°C até o momento das análises. Para o estudo comparativo dos constituintes séricos, foram constituídos dois grupos experimentais distribuídos em um delineamento inteiramente casualizado, no esquema fatorial 2x2 (tipo de parto e sexo). Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, cujas médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5%. Foram determinadas as atividades séricas das enzimas aspartato aminotransferase (AST) e gamaglutamiltransferase (GGT) e as concentrações séricas de proteína total, albumina, ureia, creatinina, cálcio, fósforo e magnésio, utilizando-se conjuntos de reagentes comerciais e as leituras das amostras em espectrofotômetro automático. As atividades séricas de AST, GGT e as concentrações séricas de proteína total, albumina e globulinas dos cordeiros dos grupos PS e PG não foram influenciadas pelo tipo de gestação e sexo. A partir da concentração sérica de proteína total, verificou-se falha de transferência de imunidade passiva (FTIP) nos cordeiros do grupo PG, utilizando-se o valor 5,0g/dL como ponto de corte. Com exceção do cálcio, as concentrações séricas da ureia, creatinina, fósforo e magnésio apresentaram o mesmo padrão de comportamento. Embora esses constituintes não tenham apresentado diferença significativa entre os grupos estudados e o sexo, pôde-se observar valores mais elevados nos animais nascidos de partos simples, sugerindo que a ausência de concorrência pela ingestão voluntária de colostro materno pode ter sido o fator determinante. Pode-se concluir que cordeiros Santa Inês nascidos de partos gemelares e criados extensivamente no semiárido paraibano apresentam falha na transferência de imunidade passiva e alterações/diminuições marcantes nos teores séricos de alguns constituintes bioquímicos, suscitando a necessidade de interferência humana nestes casos.


#3 - Epidemiological situation of Toxoplasma gondii infection in equids from Brejo Paraibano microregion, Brazil, 32(10):995-1000

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oliveira Filho R.B., Malta K.C., Oliveira J.M.B., Albuquerque P.P.F., Mota R.A., Assis Santana V.L., Alves L.C. & Pinheiro Jr J.W. 2012. [Epidemiological situation of Toxoplasma gondii infection in equids from Brejo Paraibano microregion, Brazil.] Situação epidemiológica da infecção por Toxoplasma gondii em equídeos na microrregião do Brejo Paraibano. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(10):995-1000. Laboratório de Doenças Infecto Contagiosas, Unidade Acadêmica de Garanhuns, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Av. Bom Pastor s/n, Boa Vista, Garanhuns, PE 55296-901. E-mail: jrwilton@uag.ufrpe.br The objective of the study was to characterize the epidemiological situation of Toxoplasma gondii infection in equids from Brejo Paraibano microregion, Northeastern Brazil. Antibodies against T. gondii were investigated in samples of 257 equids (204 horses, 46 mules and seven donkeys) in 26 properties. For serological diagnosis was used the Indirect Fluorescent Antibody Test (IFAT) and a cut-off of 1:64. The number of foci was found to be 46.1%. In the samples analyzed, the overall prevalence was 7.8% (C.I. 4.8-8.8). The prevalence was 8.3% (C.I. 4.9-13.0) for horses, 2.2% (C.I. 0.1-11.5) for mules and 28.6% (C.I. 3.7-71.0) among donkeys. Logistic regression of the variables showed that the water source was a risk factor, because in those properties that supplied running water to the animals the risk of infection was 4.4 times higher than in those properties which provided standing water (OR 4.4; C.I. 1.0-19.0). This is the first report of the presence of antibodies against T. gondii in equids in this micro-region of Paraiba State. To reduce the risk of infection in these species, good quality water should be given to the animals, as well as access of cats to water sources and facilities where animals are kept must be avoided.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oliveira Filho R.B., Malta K.C., Oliveira J.M.B., Albuquerque P.P.F., Mota R.A., Assis Santana V.L., Alves L.C. & Pinheiro Jr J.W. 2012. [Epidemiological situation of Toxoplasma gondii infection in equids from Brejo Paraibano microregion, Brazil.] Situação epidemiológica da infecção por Toxoplasma gondii em equídeos na microrregião do Brejo Paraibano. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(10):995-1000. Laboratório de Doenças Infecto Contagiosas, Unidade Acadêmica de Garanhuns, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Av. Bom Pastor s/n, Boa Vista, Garanhuns, PE 55296-901. E-mail: jrwilton@uag.ufrpe.br Objetivou-se com o estudo caracterizar a situação epidemiológica da infecção por Toxoplasma gondii em equídeos na microrregião do Brejo Paraibano, região Nordeste do Brasil. Anticorpos contra T. gondii foram pesquisados em 257 amostras de equídeos (204 equinos, 46 muares e sete asininos) em 26 propriedades. Para o diagnóstico sorológico utilizou-se a Reação de Imunofluorescência Indireta (RIFI) e um ponto de corte de 1:64. O número de focos encontrado foi de 46,1%. Nas amostras analisadas, a prevalência geral foi de 7,8% (I.C. 4,8-8,8). A prevalência foi de 8,3% (I.C. 4,9-13,0) para os equinos, 2,2% (I.C. 0,1-11,5) para os muares e 28,6% (I.C. 3,7-71,0) entre os asininos. Na regressão logística das variáveis observou-se que a fonte de água foi um fator de risco, pois naquelas propriedades que forneciam água corrente para os animais o risco de infecção foi 4,4 vezes maior do que naquelas propriedades que forneciam água parada (OR 4,4; I.C. 1,0-19,0). Este é o primeiro relato da presença de anticorpos contra T. gondii em equídeos nessa microrregião do estado da Paraíba. Para diminuir os riscos de infecção nestas espécies, deve-se fornecer aos animais uma água de boa qualidade, bem como evitar acesso de gatos a fontes de água e instalações onde os animais são mantidos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV