Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Martins N.S

#1 - Eimeria spp. infection in lambs from southern Brazil

Abstract in English:

Eimeria infections are common in the sheep industry worldwide. Lambs are more susceptible to coccidiosis, especially in stressful conditions, being infected by different species of the parasite. Eimeria crandallis and Eimeria ovinoidalis are considered the most pathogenic, causing reduced growth, dehydration, anorexia, and death. In this study, the frequency of Eimeria species was evaluated in lambs from the southern region of the Rio Grande do Sul state, Brazil. Fecal samples from 248 lambs, from 19 farms, were tested for the presence of oocysts. The positive samples were re-examined and the sporulated oocysts analyzed morphometrically to identify the presence of Eimeria species. In 100% of the evaluated farms, there were animals positive for the protozoan. The frequency of Eimeria species was: E. ovinoidalis (94.74%), E. crandallis (89.47%), E. granulosa (78.95%), E. parva (68.42%), E. ahsata (63.13%), E. punctata (42.11%), E. bakuensis (36.84%), E. faurei (10.53%), and E. pallida (5.26%). Mixed infection was found in 94.74% of the samples. This research describes, for the first time, the occurrence of E. crandallis and E. ovinoidalis infecting lambs in the study area. The wide distribution of this protozoan and the high frequency of pathogenic species show the importance and potential damage of sheep coccidiosis in herds from Rio Grande do Sul.

Abstract in Portuguese:

As infecções por Eimeria são comuns na ovinocultura mundial. Cordeiros são mais suscetíveis a coccidiose, especialmente em condições estressantes, sendo infectados por diferentes espécies do parasito. Eimeria crandallis e Eimeria ovinoidalis são consideradas as mais patogênicas, causando redução do crescimento, desidratação, anorexia e morte. Neste estudo, a prevalência de Eimeria spp. foi avaliada em cordeiros da região sul do Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Amostras fecais de 248 cordeiros, provenientes de 19 fazendas, foram testadas quanto à presença de oocistos. As amostras positivas foram reexaminadas e os oocistos esporulados analisados morfometricamente para identificação das espécies de Eimeria presentes. Em 100% das fazendas avaliadas houve animais positivos para o protozoário. A frequência das espécies de Eimeria foi: E. ovinoidalis (94.74%), E. crandallis (89.47%), E. granulosa (78.95%), E. parva (68.42%), E. ahsata (63.13%), E. punctata (42.11%), E. bakuensis (36.84%), E. faurei (10.53%) e E. pallida (5.26). Infecção mista foi encontrada em 94.74% das amostras. Este trabalho descreve pela primeira vez a ocorrência de E. crandallis e E. ovinoidalis infectando cordeiros na área de estudo. Este trabalho descreve pela primeira vez a ocorrência de E. crandallis e E. ovinoidalis infectando cordeiros na área de estudo. A ampla distribuição desse protozoário e a alta frequência das espécies patogênicas evidenciam a importância da coccidiose ovina e os danos potenciais nos rebanhos do Rio Grande do Sul.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV