Resultado da pesquisa (34)

Termo utilizado na pesquisa Minas Gerais

#1 - Risk factors for high bulk milk somatic cell counts in dairy herds from Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil: a case-control study

Abstract in English:

High bulk milk somatic cell counts (BMSCC) are indicative of failures related to the control of mastitis in the herd, which compromises the quality of the milk and generates great losses for the producers and for the industry. A case-control study was carried out in dairy herds in the Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil, in order to contribute to the knowledge of the risk factors involved with elevated BMSCC. The study involved 46 dairy herds, of which 30 were considered cases (BMSCC ≥700,000 cells/mL of milk) and 16 control farms (BMSCC ≤200,000 cells/mL of milk). Sixteen qualitative variables and four quantitative variables were analyzed. The results showed that the risk factors for BMSCC ≥700,000 cells/mL were the presence of Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae pathogens in bulk milk, non-use of pre and post-dipping, non-use of disposable paper towel for drying of mammary glands, non-monitoring of mastitis in the herd by means of California Mastitis Test (CMT) or individual somatic cell counts (SCC), non-implementation of the milking line and therapy of dry cows and failures in hygiene of teats and udders before milking. Moderate correlations were also observed between the elevation of BMSCC and counts of S. aureus and BMSCC and counts S. agalactiae in bulk milk, and a moderate correlation between S. aureus and S. agalactiae counts in bulk milk. Failures with regard to the maintenance and use of milking equipment, including manual pressure application in milking assemblies, unregulated milking vacuum pressure, and vacuum loss during milking, and maintenance failures of the milking machine and bulk milk tank were also pointed out as important risk factors of BMSCC elevation. The results of this study provided subsidies for the elaboration of more effective programs for mastitis control and improvement of raw milk quality, reducing the losses caused by the disease to producers and industry.

Abstract in Portuguese:

Altas contagens de células somáticas no leite do tanque (CCSt) são indicativas de falhas relacionadas com o controle da mastite no rebanho, o que compromete a qualidade do leite e gera grandes perdas para os produtores e para a indústria. Visando identificar os fatores de risco envolvidos com a CCSt elevada, foi realizado um estudo de caso-controle em rebanhos bovinos leiteiros da região de Campos das Vertentes, em Minas Gerais. O estudo envolveu 46 propriedades, das quais 30 foram consideradas casos (CCSt ≥700.000 cels/mL de leite) e 16 propriedades controles (CCSt ≤200.000 cels/mL de leite). Foram analisadas 16 variáveis qualitativas e quatro variáveis quantitativas. Os resultados demonstraram que os fatores de risco para valores de CCSt ≥700.000 cels/mL de leite foram a presença dos patógenos Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae, não utilização do pré e de pós-dipping, não utilização de papel toalha descartável para a secagem dos tetos, não monitoramento da mastite por meio do California Mastitis Test (CMT) ou CCS individual, não implementação da linha de ordenha e da terapia de vacas secas e falhas na higiene de tetos e de úbere antes da ordenha. Também se observaram correlações moderadas entre a CCSt e as contagens de S. aureus e entre CCSt e as contagens de S. agalactiae, e correlação moderada entre as contagens de S. aureus e de S. agalactiae no leite do tanque. Falhas com relação à manutenção e utilização dos equipamentos de ordenha, aplicação de pressão manual nos conjuntos da ordenha, pressão de vácuo da ordenha desregulada, perda de vácuo durante a ordenha e falhas de manutenção da ordenhadeira e do tanque de expansão foram também apontadas como fatores de risco para elevação da CCSt. Os resultados deste estudo possibilitaram identificar fatores de risco importantes para contagens elevadas de CCSt que poderão fornecer subsídios para a elaboração de programas de controle mais efetivos para a mastite e para a melhoria da qualidade do leite, mitigando o impacto que a doença causa para os produtores e para a indústria.


#2 - Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae: prevalence, resistance to antimicrobials, and their relationship with the milk quality of dairy cattle herds in Minas Gerais state, Brazil

Abstract in English:

Bovine mastitis is the most frequent disease worldwide in dairy herds, causing high economic losses to producers and industry, as well as having implications for public health due to the zoonotic potential of some agents involved in its etiology and the increased risk of antimicrobial residues in milk and its derivatives. Considering the multifactorial aspect of this disease, knowledge of the agents involved in its etiology and their antimicrobial susceptibility profiles is very important. This study was conducted with 306 dairy herds from the Campo das Vertentes region, located in the south of Minas Gerais state, whose owners were milk suppliers to a dairy in the same region. The study involved approximately 34,000 dairy cows and covered an area of approximately 12,564 km2. In these herds, prevalence rates of Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae and their relationship with bulk milk somatic cell counts (BMSCC), total bacterial counts (TBC), and daily production were evaluated. In addition, analyses of resistance of these pathogens to the antimicrobials most commonly used in the treatment of mastitis in dairy herds were performed. Microbiological analyses of milk samples from collect from bulk milk tanks were performed aiming to evaluate the prevalence of S. aureus and S. agalactiae. For these proposes, the modified Baird-Parker Agar medium was used for detection of S. aureus and the modified Edwards Agar medium, enriched with 5% defibrinated sheep blood, was used for detection of S. agalactiae. The disc diffusion technique was applied to evaluate antimicrobial resistance. Results show high prevalence rates of S. aureus (70.3%) and S. agalactiae (67.0%) in the dairy farms studied, with 47.71% of the herds showing both pathogens. Associations between BMSCC and the presence of pathogens S. aureus and S. agalactiae and between TBC and the presence of S. agalactiae were observed, demonstrating the influence of these pathogens in milk quality. No variation was observed in the distribution of S. aureus and S. agalactiae in the different strata of daily production. High levels of resistance and multi-resistance were observed among the pathogens S. aureus and S. agalactiae. The results indicate the need for more effective control measures for mastitis caused by S. aureus and S. agalactiae in the dairy herds of the region studied and more judicious use of antimicrobials in order to reduce the problem of resistance to them.

Abstract in Portuguese:

A mastite bovina é a doença de maior frequência em rebanhos leiteiros em nível mundial, acarretando grandes prejuízos econômicos aos produtores e à indústria. Além disso, esta enfermidade tem implicações na saúde pública, devido ao potencial zoonótico de alguns agentes envolvidos em sua etiologia e por aumentar os riscos de resíduos de antimicrobianos no leite e derivados. Considerando o aspecto multifatorial da mastite bovina, o conhecimento dos agentes envolvidos em sua etiologia e os perfis de suscetibilidade aos antibióticos é de suma importância. O estudo envolveu 306 fazendas de leite da região de Campo das Vertentes, localizada no sul de Minas Gerais, cujos proprietários eram fornecedores de leite para um laticínio da região, totalizando aproximadamente 34.000 animais e abrangendo uma área aproximada 12.564 km2. Nestes rebanhos, avaliaram-se a prevalência de Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae e a relação destes agentes com os índices de contagem de células somáticas do leite do tanque de expansão (CCSt), contagem bacteriana total (CBT) e produção diária. Analisou-se também a resistência destes patógenos aos antimicrobianos mais comumente utilizados no tratamento da mastite em rebanhos leiteiros. Análises microbiológicas de amostras de leite dos tanques de expansão foram realizadas para se determinar as prevalências dos patógenos S. aureus e S. agalactiae. Para a detecção de S. aureus, utilizou-se o meio seletivo Ágar Baird‑Parker modificado e para a detecção de S. agalactiae, o meio seletivo Ágar Edwards modificado, enriquecido com 5% de sangue ovino desfibrinado. Foi utilizada a técnica de difusão em discos para a avaliação de resistência aos antimicrobianos. Os resultados apontaram altas prevalências de S. aureus (70,3%) e de S. agalactiae (67,0%), com 47,71% dos rebanhos examinados apresentando ambos os agentes. Verificaram-se associações entre a CCSt e a presença dos patógenos S. aureus e S. agalactiae, e também entre a CBT e a presença de S. agalactiae, demonstrando a interferência negativa destes patógenos nestes quesitos de qualidade. Não se observaram variações nas distribuições dos patógenos S. aureus e nem S. agalactiae em função da produção diária das propriedades estudadas. Níveis elevados de resistência e de multirresistência foram observados para ambos os agentes. Os resultados apontam a necessidade de medidas mais efetivas de controle para S. aureus e S. agalactiae nos rebanhos da região estudada e do uso mais criterioso dos antimicrobianos, visando minimizar o problema da resistência aos mesmos.


#3 - Mastitis in dairy goats from the state of Minas Gerais, Brazil: profiles of farms, risk factors and characterization of bacteria, 38(9):1742-1751

Abstract in English:

ABSTRACT.- Lima M.C., Souza M.C.C., Espeschit I.F., Maciel P.A.C.C., Sousa J.E., Moraes G.F., Ribeiro Filho J.D. & Moreira M.A.S. 2018. Mastitis in dairy goats from the state of Minas Gerais, Brazil: profiles of farms, risk factors and characterization of bacteria. [Mastite em cabras de leite no estado de Minas Gerais: perfil de propriedades, fatores de risco e caracterização de bactérias.] Pesquisa Veterinária Brasilera 38(9):1742-1751. Laboratório de Doenças Bacterianas, Departamento de Veterinária, Universidade Federal de Viçosa, Avenida PH Rolfs s/n, Centro, Viçosa, MG 36570‑900, Brazil. E-mail: masm@ufv.br The Zona da Mata of Minas Gerais has a specialized goat milk production chain. Goat milk is superior in quality compared with milk of other domestic species, and the demand for milk and milk products for the public has increased. Data on dairy goat breeding in Minas Gerais are scarce and relatively old, and this lack of information has limited the implementation of prophylactic measures, especially for mastitis, which represents the biggest sanitary problem for dairy herds. The objective of this work was to characterize mastitis and bacteria associated with it in milking goats in the Zona da Mata of Minas Gerais. It also causes socioeconomic problems and market issues for dairy goat farming. A total of 539 lactating goats were examined and 268 individual samples (one for teat) were collected from animals positive for strip cup test and/or the California Mastitis Test (CMT). Microbiological cultures were carried out on blood agar medium and the bacteria were subjected to phenotypic, genotypic and antimicrobial susceptibility tests. The prevalence of subclinical mastitis was 28.0% and the clinical prevalence was 2.8%. Bacterial multiplication was obtained in 62% of samples. One hundred eighty seven total bacteria were identified. The most common species identified was Staphylococcus aureus (60%), followed Staphylococcus epidermidis (9.1%,), Escherichia coli (6.9%), Staphylococcus saprophyticus (5.9%) e Staphylococcus caprae (4.3%). Bacteria of the genus Staphylococcus presented a profile of resistance to antimicrobials belonging to the beta-lactam class (penicillin, ampicillin and oxacillin) in addition to tetracycline, in contrast to the other antimicrobials tested. Twelve percent of multidrug resistence (MDR) was found in five microregions. Among the bacteria with the highest prevalence of MDR, 38.5% were E. coli and 10.6% were S. aureus. The producers of the Zona da Mata of Minas Gerais are technicians who work with specialized dairy breeds and practise good management. However, some measures related to prophylaxis and control of diseases, such as vaccination, have low adherence or are not performed due to a lack of veterinary assistance. This is the first study focusing on this region, which is highly prominent in goat milk production in Brazil. It provides important information that can help in the implementation of measures for the prophylaxis and control of diseases, and for maintenance of a constant supply of products in sufficient quantities and of a quality suitable for the consumer population.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Lima M.C., Souza M.C.C., Espeschit I.F., Maciel P.A.C.C., Sousa J.E., Moraes G.F., Ribeiro Filho J.D. & Moreira M.A.S. 2018. Mastitis in dairy goats from the state of Minas Gerais, Brazil: profiles of farms, risk factors and characterization of bacteria. [Mastite em cabras de leite no estado de Minas Gerais: perfil de propriedades, fatores de risco e caracterização de bactérias.] Pesquisa Veterinária Brasilera 38(9):1742-1751. Laboratório de Doenças Bacterianas, Departamento de Veterinária, Universidade Federal de Viçosa, Avenida PH Rolfs s/n, Centro, Viçosa, MG 36570‑900, Brazil. E-mail: masm@ufv.br A Zona da Mata de Minas Gerais possui uma cadeia especializada de produção de leite de cabra. O leite de cabra é superior em qualidade em comparação com o leite de outras espécies domésticas, e a demanda por leite e produtos lácteos do público tem aumentado. Os dados sobre o sistema de criação de cabras leiteiras em Minas Gerais são escassos e relativamente antigos, e essa falta de informação limita a implementação de medidas profiláticas, especialmente para a mastite, que representa o maior problema sanitário nos rebanhos leiteiros. Isso também causa problemas socioeconômicos e problemas de mercado para a criação de cabras leiteiras. O objetivo deste trabalho foi caracterizar a mastite e as bactérias associadas em cabras leiteiras na Zona da Mata de Minas Gerais. Um total de 539 cabras em lactação foi examinado e 268 amostras individuais (uma por teto) foram coletadas de animais positivos no teste da caneca de fundo escuro e/ou Califórnia Mastitis test (CMT). As culturas microbiológicas foram realizadas em meio Agar sangue e as bactérias foram submetidas a testes fenotípicos, genotípicos e testes de susceptibilidade antimicrobiana. A prevalência de mastite subclínica foi de 28,0% e a prevalência clínica foi de 2,8%. A multiplicação bacteriana foi obtida em 62,0% das amostras. Cento e oitenta e sete bactérias foram identificadas. As espécies mais identificadas foram: Staphylococcus aureus (60,4%), seguida de Staphylococcus epidermidis (9.1%,), Escherichia coli (6.9%), Staphylococcus saprophyticus (5.9%) e Staphylococcus caprae (4,3%) em ordem decrescente. As bactérias do gênero Staphylococcus apresentaram um perfil de resistência aos antimicrobianos pertencentes à classe de beta-lactâmicos - penicilina, ampicilina e oxacilina - além da tetraciclina, em contraste com os outros antimicrobianos testados. Doze por cento dos isolados apresentaram resistência múltipla a antibióticos (MDR) e foram encontrados em cinco microrregiões. Entre as bactérias com maior prevalência de MDR, 38,5% foram E. coli e 10,6% S. aureus. Os produtores da Zona da Mata de Minas Gerais são tecnificados, trabalham com raças leiteiras especializadas praticam e possuem bom manejo. No entanto, algumas medidas relacionadas à profilaxia e ao controle das doenças, como a vacinação, têm baixa adesão ou não são realizadas por falta de assistência veterinária. Este é o primeiro estudo com foco nesta região, que possui grande relevância na produção de leite de cabra no Brasil, fornecendo informações importantes que podem auxiliar na implementação de medidas de profilaxia e controle das doenças, e na manutenção de um fornecimento constante de produtos em quantidade e qualidade suficientemente adequada para a população consumidora.


#4 - Factors associated with the prevalence of helminths in Mangalarga Marchador horses in southern of Minas Gerais, Brazil, 38(6):1097-1104

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rosa M.H.F., Garcia A.M., Daher D.O., Lima I.G., Félix M.B., Capellari L.A., Ferreira F. & Rocha C.M.B.M. 2018. Factors associated with the prevalence of helminths in Mangalarga Marchador horses in southern of Minas Gerais, Brazil. [Fatores associados com a prevalência de helmintos em cavalos da raça Mangalarga Marchador em propriedades do Sul de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(6):1097-1104. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: mhfrosa@yahoo.com.br Horses are highly susceptible to parasitism. Helminth infections cause great harm to the animals and to their breeders. This study aimed at evaluating socioeconomic, cultural and management factors associated with the prevalence of gastrointestinal helminths of horses. A total of 40 farmas the Mangalarga Marchador horse breed were visited in southern Minas Gerais, Brazil, where interviews were conducted. Horse feces were collected on the farms and coproparasitological laboratory tests were conducted to quantify the infection and to identify parasites. Data were tabulated in Epidata and analyzed using the SPSS 20.0 software. A great similarity between breeds was observed, specifically in their profiles, as well as in their animal management techniques and in their parasite control habits. The cyathostome was the most prevalent helminth, followed by Oxyuris and large strongyles. The farms which prioritize only equine production are less likely to have animals with massive helminth infection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rosa M.H.F., Garcia A.M., Daher D.O., Lima I.G., Félix M.B., Capellari L.A., Ferreira F. & Rocha C.M.B.M. 2018. Factors associated with the prevalence of helminths in Mangalarga Marchador horses in southern of Minas Gerais, Brazil. [Fatores associados com a prevalência de helmintos em cavalos da raça Mangalarga Marchador em propriedades do Sul de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(6):1097-1104. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: mhfrosa@yahoo.com.br Os equinos são animais muito susceptíveis ao parasitismo. As helmintoses causam grandes prejuízos tanto para os animais, quanto para os criadores. Este estudo teve como objetivo avaliar os fatores sócio-econômicos-culturais e de manejo associados à prevalência de helmintos gastrointestinais de equinos. Foram visitados 40 criatórios de equinos Mangalarga Marchador no Sul de Minas Gerais, nos quais foram realizadas entrevistas. Foram coletadas fezes dos animais nas propriedades e realizados exames laboratoriais coproparasitológicos a fim de quantificar a infecção dos animais e identificar os parasitos. Os dados foram tabulados no Epidata e analisados no software SPSS 20.0. Observou-se uma grande semelhança no perfil dos criadores, assim como na caracterização da propriedade, manejo e controle de parasitos. Os ciatostomíneos foram os helmintos mais prevalentes, seguidos pelo Oxyuris e os grandes estrôngilos. As propriedades que priorizam a equinocultura têm menor chance de apresentar animais com infecção maciça.


#5 - Serum biochemical profile of Pêga breed donkeys in the state of Minas Gerais, 38(6):1225-1231

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos J.B.F., Franco M.M., Antunes R.C., Guimarães E.C. & Mundim A.V. 2018. Serum biochemical profile of Pêga breed donkeys in the state of Minas Gerais. [Perfil bioquímico sérico de jumentos da raça Pêga no estado de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(6):1225-1231. Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Avenida Pará 1720, bloco 2T, Uberlândia, MG 38400-902, Brazil. E-mail: joaos@ufu.br For the evaluation of serum biochemical parameters of Pêga breed donkeys (Equus asinus), for the different age groups and sex, blood samples of 123 animals were analyzed, of 29 males aged from 8 days to 10 years and of 94 females (15 lactating) aged from 2 days to 12 years, from two farms in the central-southern Minas Gerais, Brazil. The donkeys were divided by age into 5 groups: Group 1 (≤6 months), Group 2 (7-12 months), Group 3 (13-48 months), Group 4 (49-72 months), and Group 5 (≥73 months). According to the sex, they were divided into two groups, males and females. Serum biochemical elements: total protein, albumin, globulin, the A:G ratio, cholesterol, triglycerides, uric acid, creatinine, urea, phosphorus, calcium, Ca:P ratio, magnesium, alanine aminotransferase (ALT), aspartate aminotransferase (AST), alkaline phosphatase (ALP), gamma glutamyl transferase (GGT) and creatine kinase (CK), were evaluated in all animals. No significant differences were found for globulins, uric acid, urea and A:G ratio between age groups. Group 4 showed the highest values ​​for total protein when compared with animals in Group 1 and 2. In Goup 2, the donkeys showed albumin levels lower than Group 3 and 4. Group 1 they had cholesterol levels higher than those in Group 2 and 4, and similar of the other groups. Higher phosphorus serum concentration was observed in Group 1. Calcium was significantly lower in Group 2. The Ca:P ratio was higher for Group 5. The magnesium values ​​were significantly higher in donkeys older than 49 months (Group 4 and 5). The value of AST was lower for group 1. The ALP enzyme was significantly higher in younger animals up to 12 months, followed by gradual decrease with advancing age. The values ​​of GGT were higher in donkeys up to 6 months, followed by decreasing values ​​for subsequent groups. No differences were found between genders for albumin, cholesterol, creatinine, urea, uric acid, Ca:P ratio, magnesium, ALT, AST, and alkaline phosphatase. Females had higher values ​​for total protein, globulin and triglycerides. Males showed higher values ​​for A:G ratio, phosphorus, calcium and CK. The results showed that age and sex can influence serum biochemical values ​​ of Pêga breed donkeys.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos J.B.F., Franco M.M., Antunes R.C., Guimarães E.C. & Mundim A.V. 2018. Serum biochemical profile of Pêga breed donkeys in the state of Minas Gerais. [Perfil bioquímico sérico de jumentos da raça Pêga no estado de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(6):1225-1231. Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Avenida Pará 1720, bloco 2T, Uberlândia, MG 38400-902, Brazil. E-mail: joaos@ufu.br Para a avaliação dos parâmetros bioquímicos séricos de jumentos (Equus asinus) da raça Pêga, quanto às diferentes faixas etárias e sexo, foram analisadas amostras sanguíneas de 123 animais, sendo 29 machos com idades de 8 dias a 10 anos e 94 fêmeas (15 lactantes) de 2 dias a 12 anos, de dois criatórios na região centro-sul do estado de Minas Gerais. Os animais foram divididos em 5 grupos de acordo com as idades: Grupo 1 (≤6 meses); Grupo 2 (7-12 meses); Grupo 3 (13-48 meses); Grupo 4 (49-72 meses) e Grupo 5 (≥73 meses). De acordo com o sexo, foram divididos em dois grupos, machos e fêmeas. Para todos os animais foram realizadas as análises de proteínas totais, albumina, globulinas, relação A:G, colesterol, triglicérides, ácido úrico, creatinina, ureia, fósforo, cálcio, relação Ca:P, magnésio, alanina aminotransferase (ALT), aspartato aminotransferase (AST), fosfatase alcalina (FAL), gama glutamiltransferase (GGT) e creatina quinase (CK). Não foram encontradas diferenças significativas para os elementos globulinas, ácido úrico, ureia e relação A:G entre as faixas etárias. O Grupo 4 apresentou os maiores valores para proteínas totais quando comparados aos animais dos grupos 1 e 2. Os animais do Grupo 2 mostraram valores de albumina inferiores aos Grupos 3 e 4. Os animais do Grupo 1 apresentaram valores de colesterol superiores aos do Grupo 2 e 4, e semelhante aos demais grupos. Maior concentração sérica de fósforo foi observada nos animais do grupo 1. O cálcio apresentou valor significativamente menor no Grupo 2. A relação Ca:P foi maior para o grupo 5. Os valores do magnésio foram estatisticamente superiores nos animais com idade superior a 49 meses (Grupos 4 e 5). O valor da AST foi menor para o Grupo 1.As enzimas FAL apresentaram valor significativamente maior nos animais mais jovens até 12 meses, seguida de redução gradual com o avançar da idade. Os valores da GGT foi maior nos jumentos com até seis meses de idade, seguido de valores decrescentes para os grupos subsequentes. Não foram encontradas diferenças entre os sexos para albumina, colesterol, creatinina, ureia, ácido úrico, relação Ca:P, magnésio, ALT, AST e fosfatase alcalina. As fêmeas tiveram valores maiores para proteínas totais, globulinas e triglicérides. Os machos mostraram maiores valores para relação A:G, fósforo, cálcio e CK. Pelos resultados nota-se que a idade e o sexo podem influenciar nos valores bioquímicos séricos dos jumentos da raça Pêga.


#6 - Autochthonous case of Canine Visceral Leishmaniasis in a non-endemic area in Minas Gerais, Brazil, 37(12):1505-1508

Abstract in English:

ABSTRACT.- Faria M.T., Barbosa F.S., Teixeira-Neto R.G., Pinheiro G.R.G., Manhani M.N., Marcelino A.P., Barbosa J.R. & Fontes G. 2017. Autochthonous case of Canine Visceral Leishmaniasis in a non-endemic area in Minas Gerais, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1505-1508. Campus Centro Oeste, Universidade Federal de São João del Rei, Rua Sebastião Gonçalves Coelho 400, Bairro Chanadour, Divinópolis, MG 35501-296, Brazil. E-mail: gilberto.fontes@pq.cnpq.br Visceral Leishmaniasis by Leishmania infantum chagasi is an endemic zoonosis present in many areas of Brazil. This parasite needs reservoirs for maintenance of the infection and the presence of dogs in urban areas is a key factor for the spread of canine visceral leishmaniasis (CVL). The aim of this study was to report the first autochthonous case of CVL in the municipality of Iguatama, in west central region of Minas Gerais State. Dog infection by Leishmania infantum chagasi was confirmed in the municipality, previously considered as non-endemic area to CVL. The canine infection by Leishmania was confirmed by three immunological tests for antibodies: indirect immunofluorescence assay (IFA), rapid Dual Path Platform (DPP®) CVL immunochromatographic test, enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), and microscopic demonstration of Leishmania amastigotes in imprints of spleen and bone marrow stained by Giemsa. The species Leishmania infantum chagasi was confirmed by molecular diagnosis (PCR). Studies are being carried out, aiming to describe the importance and the prevalence of this disease in the region and factors associated with its transmission.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Faria M.T., Barbosa F.S., Teixeira-Neto R.G., Pinheiro G.R.G., Manhani M.N., Marcelino A.P., Barbosa J.R. & Fontes G. 2017. Autochthonous case of Canine Visceral Leishmaniasis in a non-endemic area in Minas Gerais, Brazil. [Caso autóctone de Leishmaniose Visceral Canina em área indene em Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1505-1508. Campus Centro Oeste, Universidade Federal de São João del Rei, Rua Sebastião Gonçalves Coelho 400, Bairro Chanadour, Divinópolis, MG 35501-296, Brazil. E-mail: gilberto.fontes@pq.cnpq.br Leishmaniose visceral causada por Leishmania infantum chagasi é uma zoonose endêmica em algumas regiões do Brasil. Este parasito necessita de reservatórios para a manutenção da infecção e a presença de cães em áreas urbanas é um fator importante para a manutenção e expansão da leishmaniose visceral canina (LVC). O objetivo deste estudo foi relatar o primeiro caso autóctone de LVC no município de Iguatama, na região Centro Oeste de Minas Gerais, cidade onde a LVC era tida como não existente. A infecção canina por Leishmania foi confirmada por três testes imunológicos para pesquisa de anticorpos: reação de imunofluorescência indireta (RIFI), teste rápido de imunocromatografia com plataforma dupla (DPP® LVC) e ensaio imunoenzimático (ELISA), e demonstração microscópica de amastigotas de Leishmania a partir de aposições de amostras de baço e de medula óssea corados pelo Giemsa. A espécie Leishmania infantum chagasi foi confirmada por diagnóstico molecular (PCR). Estudos estão sendo realizados com o objetivo de descrever a importância e a prevalência desta parasitose na região e os fatores associados com a transmissão.


#7 - Prevalence and risk factors for porcine cysticercosis in rural communities of eastern Minas Gerais, Brazil, 37(9):905-910

Abstract in English:

ABSTRACT.- Acevedo-Nieto E.C., Pinto P.S.A., Silva L.F., Guimarães-Peixoto R.P.M., Santos T.O., Ducas C.T.S. & Bevilacqua P.D. 2017. Prevalence and risk factors for porcine cysticercosis in rural communities of eastern Minas Gerais, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):905-910. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Veterinária, Universidade Federal de Viçosa, Avenida PH Rolfs s/n. Viçosa, MG 36570-900, Brazil. E-mail: ecanieto@gmail.com Cysticercosis is caused by Taenia solium, a parasitic zoonosis that affects human and pigs raised free-range in developing countries. The epidemiology of the taeniosis cysticercosis complex in Brazil is poorly understood especially when it comes to field research. The aim of this study was to estimate the prevalence and identify the risk factors associated with porcine cysticercosis in rural communities located in the east of Minas Gerais (MG), Brazil. From 371 farms in the county of Tumiritinga/MG, 101 farms from 14 communities were randomly sampled. Blood samples from pigs were collected, and epidemiological questionnaires were carried out. The serum samples obtained were analyzed through immunodiagnosis techniques, including ELISA and Western Blot, both for the detection of antibodies. The data obtained by different surveys were analyzed using EpiInfo 3.5.1 software to determine seroprevalence and risk factors associated with cysticercosis. The prevalence of farms with porcine cysticercosis was 9.9% (10/101) and antibody-based seropositive was 5.3% (13/247). The results indicate that cysticercosis occurs in high level in the rural area never studied before. These results suggest the presence of tapeworm carriers contributing to the occurrence and maintenance of this zoonotic life cycle in the county. Regarding risk factors, the most significant determinants for porcine cysticercosis in the field were free-range pig management (OR: 17.4, p: 0.0001), the method of disposal of human faeces in the environmental (OR: 7.6; p 0.012), and the size of the farm. Porcine cysticercosis was diagnosed only in areas represented by Agrarian Reform Settlements. From the results, it is possible to recommend as a means of control and prevention the destination of human faeces in appropriate sanitary landfills and the production of pigs in an enclosed area. Additionally, improving education in the communities sampled will indirectly affect the spreading of this disease. The results draw attention to the largest studies of this zoonotic disease in human settlements from rural areas due to the lack of knowledge about the epidemiology of the taeniosis-cysticercosis complex. The results could serve as the basis to support public policies aimed at creating an effective program to control the taeniosis-cysticercosis complex in the studied area. Awareness of TC among medical doctors, veterinarians, meat animal family producers and the public should be developed through appropriate information and education

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Acevedo-Nieto E.C., Pinto P.S.A., Silva L.F., Guimarães-Peixoto R.P.M., Santos T.O., Ducas C.T.S. & Bevilacqua P.D. 2017. Prevalence and risk factors for porcine cysticercosis in rural communities of eastern Minas Gerais, Brazil. [Prevalência e fatores de risco para cisticercose suína em comunidades rurais do leste de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):905-910. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Veterinária, Universidade Federal de Viçosa, Avenida PH Rolfs s/n. Viçosa, MG 36570-900, Brazil. E-mail: ecanieto@gmail.com A cisticercose causada pela Taenia solium é uma zoonose parasitária que afeta humanos e suínos principalmente nos países em desenvolvimento. No Brasil, sua epidemiologia é ainda pouco compreendida em diversas regiões. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência e identificar os fatores de risco associados à cisticercose suína em comunidades rurais localizadas na região leste do estado de Minas Gerais (MG). A partir de 371 propriedades pertencentes à 14 comunidades rurais do município de Tumiritinga, 101 foram amostradas aleatoriamente. Foram coletadas amostras de sangue dos suínos e aplicados questionários epidemiológicos. As amostras séricas foram analisadas através de técnicas de imunodiagnóstico, ELISA e Western Blot, para a detecção de anticorpos. Os dados obtidos nos inquéritos foram analisados utilizando o software EpiInfo 3.5.1 para determinar os fatores de risco associados à cisticercose. A prevalência das propriedades com a presença da cisticercose suína foi de 9,9% (10/101), a soropositividade foi de 5,3% (13/247). Os resultados são alarmantes para a ocorrência da cisticercose suína, sugerindo a presença de portadores de tênia que contribuem manutenção deste ciclo zoonótico nas áreas amostradas. Em relação aos fatores de risco, os determinantes mais importantes para a ocorrência da cisticercose suína foram a criação de suínos soltos (OR:17,4, p:0,0001), a eliminação de fezes humanas no meio ambiente (OR:7,6, p:0,012 ) e o tamanho da propriedade. Cisticercose suína foi diagnosticada somente em áreas representadas por assentamentos de Reforma Agrária. Os resultados permitem recomendar como medida de controle, a destinação dos dejetos humanos em sistemas adequados, a utilização de fossas sépticas, a criação de suínos em sistemas confinados e investimentos em educação em saúde. Ainda, os resultados chamam a atenção para maiores estudos sobre esta zoonose nos assentamentos da reforma agrária do país, devido à sua presença e à falta de conhecimento sobre a epidemiologia da teníase-cisticercose nestas áreas. Estas informações podem servir de base para apoiar políticas públicas voltadas para a criação de um programa eficaz de controle da teníase-cisticercose na região estudada. Uma maior atenção para esta zoonose deve ser estimulada entre médicos, médicos veterinários e agricultores familiares, através da informação e educação.


#8 - Occurrence of Toxoplasma gondii and risk factors for infection in pigs raised and slaughtered in the Triângulo Mineiro region, Minas Gerais, Brazil, 37(6):570-576

Abstract in English:

ABSTRACT.- Marques-Santos F., Amendoeira M.R.R., Carrijo K.F., Santos J.P.A.F., Arruda I.F., Sudré A.P., Figueiredo B.B. & Millar P.R. 2017. Occurrence of Toxoplasma gondii and risk factors for infection in pigs raised and slaughtered in the Triângulo Mineiro region, Minas Gerais, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(6):570-576. Laboratório de Parasitologia, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Santa Rosa, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: patriciariddell@vm.uff.br The Triângulo Mineiro region from Minas Gerais state, is an important meat-exporting region of Brazil and data about Toxoplasma gondii infection in pigs raised and slaughtered in this area are scarce. Therefore, the aim of this study was to evaluate the occurrence of T. gondii in swine and establish the risk factors associated with the infection. Samples were collected from 600 pigs raised under intensive system in farms located at three different counties (Carmo do Paranaíba, Patrocínio and Perdizes). The samples were submitted to indirect hemagglutination antibody test with dilution of 1:32 and to indirect immunofluorescence antibody test with a cutoff of 1:64. The occurrence of positive pig was 3.3% (n=20) and 51.8% (n=311) respectively. A significant difference was observed between toxoplasmatic infection and factors such as lineage, animal origin, size of the farm, collective raising with others species, presence of rodents and type of water offered (p≤0.05). There was no difference between gender and the farm goals. The results demonstrated an occurrence of anti-T.gondii antibodies higher than expected for intensive pig raising system on the studied area, which could indicate a possible sanitary management problem on the studied proprieties. Improvements on the raising techniques are necessary to reduce T. gondii infection sources.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Marques-Santos F., Amendoeira M.R.R., Carrijo K.F., Santos J.P.A.F., Arruda I.F., Sudré A.P., Figueiredo B.B. & Millar P.R. 2017. Occurrence of Toxoplasma gondii and risk factors for infection in pigs raised and slaughtered in the Triângulo Mineiro region, Minas Gerais, Brazil. [Ocorrência e fatores de risco da infecção por Toxoplasma gondii em suínos criados e abatidos na região do Triângulo Mineiro, Minas Gerais, Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(6):570-576. Laboratório de Parasitologia, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Santa Rosa, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: patriciariddell@vm.uff.br A região do Triângulo Mineiro, no estado de Minas Gerais, é uma importante região exportadora de carne do Brasil e pesquisas sobre a infecção por Toxoplasma gondii em suínos criados e abatidos nesta região são escassos. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a ocorrência de T. gondii nesses animais e estabelecer os fatores de risco associados com a infecção. Foram coletadas amostras de 600 suínos criados sob sistema intensivo, em fazendas localizadas em três municípios diferentes (Carmo do Paranaíba, Patrocínio e Perdizes). As amostras foram submetidas à Hemaglutinação Indireta com diluição de 1:32 e à Reação de Imunofluorescência Indireta com ponto de corte 1:64. A ocorrência de suínos positivos foi de 3,3% (n=20) e 51,8% (n=311), respectivamente. Foi observada diferença significativa entre a infecção toxoplásmica e fatores como linhagem, procedência dos animais, tamanho das propriedades, criação em conjunto com outras espécies, presença de roedores e tipo de água consumida (p≤0,05). Não houve diferenças estatísticas entre o sexo e finalidade de produção em relação à infecção por T. gondii. Os resultados demonstraram uma ocorrência de anticorpos anti-T. gondii superior à esperada em criações intensivas de suínos na região estudada, o que poderia indicar uma possível falha no manejo sanitário das propriedades estudadas. Melhorias nas técnicas de criação são necessárias para redução das fontes de infecção por T. gondii nos rebanhos.


#9 - Occurrence of caprine arthritis encephalitis virus (CAEV) in dairy goats produced in an intensive confined system in the state of Minas Gerais, Brazil, 37(6):577-581

Abstract in English:

ABSTRACT.- Nascimento-Penido P.M.P., Penido A.O., Galinari G.C.F, Heinemann M.B. & Leite R.C. 2017. [Occurrence of caprine arthritis encephalitis virus (CAEV) in dairy goats produced in an intensive confined system in the state of Minas Gerais, Brazil.] Ocorrência do vírus da artrite encefalite caprina (CAEV) em cabras leiteiras produzidas em sistema intensivo confinado no estado de Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(6):577-581. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos 6627, Cx. Postal 5675, Campus da Pampulha, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. ,E-mail: paulampn@gmail.com The objective of the present study was to identify the occurrence of caprine arthritis encephalitis virus (CAEV) infection in dairy goat farms with intensive system in Minas Gerais State. Five properties were evaluated, totaling 1072 animals, being 48 males and 1024 females of different ages and breeds (Toggenburg, Saanen and Alpine). The diagnostic method used was the agar gel immunodiffusion (AGID) test, to detect antibodies anti-CAEV, which is the diagnostic test recommended by World Organization for Animal Health - OIE. The occurrence of anti-CAEV antibodies in the properties was 49.5% (531/1072), however varied according to the farm. The anti-CAEV antibodies detection varied according to the property: Farm 1 = 69.6% (156/224); farm 2 = 41.5% (47/113); farm 3 = 40.3% (63/156); farm 4 = 24.6% (18/73) and farm 5 = 48.8% (247/506). Of the total sampled males, 14.5% (7/48) were serologically positive. According to the results, there is a high occurrence rate of CAEV-seropositive animals in Minas Gerais, which has one of the largest Brazilian dairy goat herds. Therefore, it is essential to adopt strategies for CAE control, such as a routine of diagnostics tests in the properties and the separation of healthy from infected goats. The elimination of positive breeding goats in the properties is also a measure of control, because it has been shown that these are an important route of CAEV transmission in dairy farms.

Abstract in Portuguese:

RESUMO- Nascimento-Penido P.M.P., Penido A.O., Galinari G.C.F, Heinemann M.B. & Leite R.C. 2017. [Occurrence of caprine arthritis encephalitis virus (CAEV) in dairy goats produced in an intensive confined system in the state of Minas Gerais, Brazil.] Ocorrência do vírus da artrite encefalite caprina (CAEV) em cabras leiteiras produzidas em sistema intensivo confinado no estado de Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(6):577-581. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos 6627, Cx. Postal 5675, Campus da Pampulha, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. ,E-mail: paulampn@gmail.com Objetivou-se no estudo identificar a ocorrência de infecção pelo vírus da artrite encefalite caprina (CAEV) em propriedades produtoras de leite caprino com sistema intensivo no estado de Minas Gerais. Foram avaliadas cinco propriedades, localizadas em cidades distintas, totalizando 1072 animais, sendo 48 machos e 1024 fêmeas de diferentes faixas etárias, das raças Toggenburg, Alpina e Saanen. O método de diagnóstico utilizado foi o de imunodifusão em ágar gel (IDGA), para detecção de anticorpos anti-CAEV, por ser o diagnóstico preconizado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). A ocorrência de anticorpos anti-CAEV nas propriedades estudadas foi de 49,5% (531/1072), entretanto a mesma variou de acordo com a propriedade. Foram observados os seguintes resultados por propriedade: propriedade 1 = 69,6% (156/224); propriedade 2 = 41,5% (47/113); propriedade 3 = 40,3% (63/156); propriedade 4 = 24,6% (18/73) e propriedade 5 = 48,8% (247/506). Do total de machos avaliados, 14,5% (7/48) apresentaram sorologia positiva. De acordo com os resultados, uma alta ocorrência de animais soropositivos foi identificada no estado de Minas Gerais, o qual possui um dos maiores rebanhos de cabras leiteiras do Brasil. Portanto, salienta-se a necessidade de se adotar medidas estratégias sanitárias para o controle da CAE, como a realização de exames rotineiros nas propriedades e a separação de animais infectados dos sadios. A exclusão de reprodutores positivos nas propriedades também é uma medida de controle, pois já foi demonstrado que estes são fontes de infecção importantes.


#10 - Diagnosis and risk factors of bovine taeniasis-cysticercosis complex in Salinas, Minas Gerais, Brazil, 37(3):205-209

Abstract in English:

ABSTRACT.- Magalhães F.C., Santos T.M., Assis D.C., Ornellas C.D., Pinto P.A. & Santos W.M. 2017. [Diagnosis and risk factors of bovine taeniasis-cysticercosis complex in Salinas, Minas Gerais, Brazil.] Diagnóstico e fatores de risco do complexo teníase-cisticercose bovina no município de Salinas, Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):205-209. Departamento de Tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG 30123-970, Brazil. E-mail: wagnerlmds@ufmg.br In order to diagnose the situation of bovine taeniasis-cysticercosis complex in the municipality of Salinas, Minas Gerais, Brazil, blood samples were collected from 355 cattle in 18 randomly selected farms. A socioeconomic questionnaire was filled in each farm for the analysis of factors which favor the maintenance of the taeniasis-cysticercosis complex. An epidemiological survey of human taeniasis was performed through analyses of the Municipal Health Department in the 2007-2010 period. A prevalence of 4.7% for bovine cysticercosis and the frequency of 0.29, 0.36, 0.24 and 0.24% for human taeniasis, during the evaluated period, was found. Among the risk factors, a statistically significant correlation was found between the occurrence of bovine cysticercosis and the ingestion of undercooked meat. It was concluded that bovine cysticercosis is present in the municipality of Salinas, due to inefficient heat treatment of the meat as the main risk factor for maintenance of the taeniasis-cysticercosis complex, reinforcing the need to adopt control measures with continuous epidemiological and health surveillance.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Magalhães F.C., Santos T.M., Assis D.C., Ornellas C.D., Pinto P.A. & Santos W.M. 2017. [Diagnosis and risk factors of bovine taeniasis-cysticercosis complex in Salinas, Minas Gerais, Brazil.] Diagnóstico e fatores de risco do complexo teníase-cisticercose bovina no município de Salinas, Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):205-209. Departamento de Tecnologia e Inspeção de Produtos de Origem Animal, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG 30123-970, Brazil. E-mail: wagnerlmds@ufmg.br Com o objetivo de diagnosticar a situação do complexo teníase-cisticercose bovina no município de Salinas, Minas Gerais, foram coletadas amostras de sangue de 355 bovinos distribuídos em 18 propriedades rurais, sorteadas aleatoriamente. Em cada propriedade, foi aplicado um questionário socioeconômico para a análise de fatores que favorecem a manutenção do complexo teníase-cisticercose bovina. Foi realizado também um levantamento epidemiológico dos casos de teníase diagnosticados nos laboratórios credenciados pela Secretaria Municipal de Saúde de Salinas, no período de 2007 a 2010. A prevalência de cisticercose bovina foi de 4,70% enquanto as prevalências de teníase, encontradas durante os quatro períodos avaliados, foram de 0,29%, 0,36%, 0,24% e 0,24%. Entre os fatores de risco para a manutenção do complexo teníase-cisticercose analisados, foi observada uma relação estatisticamente significativa entre a ocorrência de cisticercose bovina e a ingestão de carne malpassada pelos entrevistados. Foi concluído que a cisticercose bovina está presente no município de Salinas, Minas Gerais, sendo o tratamento térmico ineficiente da carne bovina o principal fator de risco para a manutenção do complexo teníase-cisticercose, o que reforça a necessidade da adoção de medidas de controle com contínua vigilância epidemiológica e sanitária.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV