Resultado da pesquisa (13)

Termo utilizado na pesquisa Miranda Neto E.G

#1 - Tuberculosis of the central nervous system in cattle in Paraíba, Brazil

Abstract in English:

This paper describes six cases of tuberculosis in the central nervous system (CNS) of cattle in the state of Paraíba in northeastern Brazil. We reviewed the autopsy reports of 851 bovine necropsies performed from 2003 to 2016. Seventy-three (8.6%) cattle were diagnosed with tuberculosis and six showed lesions in the CNS. Three cases affected cattle up to two-year-old and other three affected adults. Three cattle presented exclusively nervous signs, two had respiratory signs and weight loss and one did not present any clinical signs. At necropsy, five cattle had thickening of the leptomeninges of the cerebellum, pons, obex, spinal cord and cortex, mainly, in the region near the brain basilar Willis´ circle. Another animal, presented a single focal lesion in the cerebellum. Microscopically we observed moderate to severe granulomatous meningitis and encephalitis. Five cattle presented lesions in the lungs and mediastinal lymph nodes and three of them had disseminated lesions in other organs. In all cattle acid-fast bacilli were observed in the lesions and marked positive for immunohistochemistry with polyclonal antibody anti-Mycobacterium tuberculosis. It is concluded that bovine tuberculosis of central nervous system occurs sporadically in Paraíba, in cattle of different ages, most of them with disseminate lesions in other organs. The location of the lesions suggests that the agent invaded the brain by hematogenous route through the circle of Willis.

Abstract in Portuguese:

Descrevem-se seis casos de tuberculose no sistema nervoso central (SNC) em bovinos, no semiárido da Paraíba. Foram revisados os laudos de um total de 851 necropsias de bovinos realizadas no período de 2003 a 2016. Destes, 73 (8,6%) foram diagnosticados com tuberculose e seis apresentavam lesões no SNC. Três casos ocorreram em bovinos de até dois anos de idade e três em bovinos adultos. Três bovinos apresentaram exclusivamente sinais nervosos, dois tinham sinais respiratórios e perda de peso e um não apresentava nenhum sinal clínico. Macroscopicamente, em cinco bovinos, havia espessamento das leptomeninges do cerebelo, medula espinhal, ponte, obex, colículos e córtex, principalmente, na região basilar encefálica próxima ao polígono de Willis. Em apenas um bovino houve a presença de tubérculo único no cerebelo. Microscopicamente observou-se moderada a acentuada meningite e encefalite granulomatosa. Cinco bovinos apresentaram lesões pulmonares e nos gânglios mediastínicos e três deles tinham lesões disseminadas em outros órgãos. Em todos os bovinos foram encontrados bacilos ácido-álcool resistentes intralesionais e todos tiveram marcação positiva na técnica de imuno-histoquímica com anticorpo policlonal anti-Mycobacterium tuberculosis. Conclui‑se que a tuberculose do sistema nervoso central de bovinos ocorre de forma esporádica na Paraíba, principalmente em bovinos com lesões disseminadas em outros órgãos. Sugere-se que a disseminação do agente ocorre pela via hematógena, possivelmente através do polígono de Willis.


#2 - Digestive diseases of cattle from the semiarid of Brazil

Abstract in English:

Digestive problems are important causes of diseases in cattle and studies on the frequency of its occurrence in the semiarid region of Brazil have not been conducted. The aim of this study was to acquire information on the occurrence of digestive diseases of cattle attended at the Veterinary Hospital of the Federal University of Campina Grande from January 2000 to December 2014. During the period of the survey 1,202 cattle were attended, from which 19.4% (233/1202) were diagnosed with digestive disorders. The lethality rate of the diseases was 49.8% (116/233). Traumatic reticulitis and vagal indigestion were diagnosed respectively in 13.3% e 5.1% of the animals treated being considered common and high lethality motor disorders, which were attributed to the severity of injuries, delay in the clinical care and inaccurate diagnoses. Obstruction of the intake flow, caused by esophageal obstruction (4.3%), rumen impactations (11.7%), omasum and/or abomasum impaction (3.4%), and especially intestinal accidents (26.2%) was a commonly identified condition, and its case totality exceeded the number cases of ruminorreticular cavity fermentative disorders. Actinobacillosis (6.9%), actinomycosis (3%) and paratuberculosis (1.7%) were the bacterial infectious diseases diagnosed, and the first was the most frequent. Viral infectious diseases diagnosed were malignant catarrhal fever (4.3%), bovine viral diarrhea and mucosal disease (3%). Despite the management systems with low animal density and climatic conditions of the region do not favor the survival of gastrointestinal parasites, parasitic diseases were also important causes of morbidity in young cattle (9.4%), suggesting that suitable control measures for those diseases have not been implemented Motor disorders of the ruminoreticular cavity, followed by intestinal obstructions and digestive infectious diseases are the most frequent digestive problems of cattle in the semi-arid region of Brazil. The ingestion of foreign bodies is one of the most serious problems in the region and intense work is needed to disseminate it on prophylactic measures. In addition, measures for the control and prophylaxis of infectious diseases such as bovine viral diarrhea and paratuberculosis need to be disclosed, due to the possibility of dissemination of these diseases in the herds of the region.

Abstract in Portuguese:

Os problemas digestivos são importantes causas de afecções em bovinos e estudos sobre a frequência de ocorrência destas na região semiárida do Brasil ainda não foram realizados. Objetivou-se com este trabalho obter informações sobre a ocorrência de doenças do sistema digestório em bovinos atendidos no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2014. No período do levantamento foram atendidos 1.202 bovinos, sendo 19,4% (233/1202) diagnosticados com enfermidades do sistema digestório. A taxa de letalidade das enfermidades foi 49,8% (116/233). As reticulites traumáticas e a indigestão vagal foram diagnosticadas, respectivamente, em 13,3%e 5,1% dos animais atendidos, sendo considerados distúrbios motores frequentes e de alta letalidade devido à gravidade das lesões, demora no atendimento clínico e imprecisão no diagnóstico. A obstrução ao fluxo da ingesta foi também uma condição identificada frequentemente, sendo ocasionada por obstruções esofágicas (4,3%), impactações no rúmen (11,7%), omaso e/ou abomaso (3,4%) e principalmente acidentes intestinais (26,2%), tendo a totalidade dos casos superado os distúrbios fermentativos da cavidade ruminorreticular. Actinobacilose (6,9%), actinomicose (3%) e paratuberculose (1,7%) foram as doenças infecciosas bacterianas diagnosticadas. As doenças infecciosas virais diagnosticadas foram a febre catarral maligna (4,3%), diarreia viral bovina e a doença das mucosas (3%). As doenças parasitárias foram também importantes causas de morbidade em bovinos jovens (9,4%) apesar dos sistemas de criação com baixa lotação e as condições climáticas da região não favorecerem a sobrevivência de parasitos gastrintestinais, demonstrando que não estão sendo implantadas medidas de controle adequadas para estas enfermidades. Os distúrbios motores da cavidade ruminorreticular, seguido das obstruções intestinais e das doenças infecciosas digestivas são os mais frequentes problemas digestivos de bovinos na região semiárida do Brasil. A ingestão de corpos estranhos é um dos mais graves problemas na região sendo necessário intenso trabalho de divulgação sobre medidas profiláticas. Além disso, medidas de controle e profilaxia de enfermidades infectocontagiosas como a diarreia viral bovina e a paratuberculose precisam ser divulgadas, pela possibilidade de disseminação destas nos rebanhos da região.


#3 - Diseases of donkeys and mules in the brazilian semiarid, 34(12):1210-1214

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G. & Riet-Correa F. 2014. [Diseases of donkeys and mules in the brazilian semiarid.] Doenças de asininos e muares no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1210-1214. Hospital Veteri­nário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com The diseases of donkeys and mules in the semiarid region of northeastern Brazil were evaluated in a retrospective study of 200 donkeys and 58 mules, in the Veterinary Hospital of Federal University of Campina Grande, from January 2002 to December 2012. Data records of these animals as identification, anamnesis, clinical examination, treatment protocol, and outcome of cases were collected. The affected systems in order of frequency of cases were: integument, 88 cases; musculoskeletal, 78; digestive, 36; nervous, 23; reproductive, 15; and respiratory, 6. Eight animals were examined before orquiectomy; three animals had inconclusive diagnosis and one animal suffered a bee attack. The main diseases diagnosed in donkeys were traumatic wounds (32/200), fractures (27/200) and colic (14/200). In mules the main diagnoses were colic (8/58) and traumatic wounds (6/58). Fractures were the main motivation for performing euthanasia (22/200 donkeys and 3/58 mules). It is concluded that most diagnosed diseases are associated with mistreatment or lack of attention to the animals and should be prevented through awareness and education campaigns of owners and handlers.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G. & Riet-Correa F. 2014. [Diseases of donkeys and mules in the brazilian semiarid.] Doenças de asininos e muares no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1210-1214. Hospital Veteri­nário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com As doenças de asininos e muares na região semiárida do nordeste do Brasil foram avaliadas em um estudo retrospectivo dos 258 atendimentos realizados no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande no período de janeiro de 2002 a dezembro de 2012. Dos prontuários desses animais foram coletados dados referentes a identificação, anamnese, exame clínico, diagnóstico, protocolo de tratamento e evolução dos casos. Durante o período analisado foram atendidos 200 asininos e 58 muares. Os sistemas afetados foram os seguintes em ordem de frequência: tegumentar, 88 casos; musculoesquelético, 78; digestivo, 36; nervoso, 23; reprodutor, 15; e respiratório, 6. Oito animais foram atendidos para avaliação pré-cirúrgica e encaminhados para orquiectomia; três animais tiveram diagnóstico inconclusivo e um animal sofreu acidente por picada de abelha. As principais enfermidades diagnosticadas nos asininos foram feridas traumáticas (33/200), fraturas (27/200) e cólica (14/200). Para os muares os principais diagnósticos foram cólica (8/58) e feridas traumáticas (6/58). Em ambas as espécies as fraturas foram a principal causa para realização de eutanásia (22/200 asininos e 3/58 muares). Conclui-se que a maioria das doenças diagnosticadas estão associadas com maus tratos ou falta de atenção com os animais e devem ser prevenidas mediante campanhas de conscientização e educação dos proprietários e tratadores, esclarecendo sobre a importância das melhorias do manejo e do bem-estar dos animais.


#4 - Skin disease of equidae in the Brazilian semiarid region, 34(8):743-748

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G., Dantas A.F.M. & Riet-Correa F. 2014. [Skin disease of equidae in the Brazilian semiarid region.] Doenças de pele em equídeos no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):743-748. Hospital Veterinário, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Avenida Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com Diseases that affect the skin and appendages of equidae in the semiarid region of northeastern Brazil were analyzed through a retrospective study of records of the Large Animal Clinic of the Veterinary Hospital at the Federal University of Campina Grande, from January 2002 to December 2012. At all, 2054 equidae entered the hospital being 1786 horses, 200 donkeys, and 58 mules. A total of 535 (26.05%) were affected by skin diseases, 447 horses, 68 donkeys and 20 mules. In horses the more prevalent skin diseases were pythiosis (24.38%), traumatic injuries (23.04%), abscesses (12.75%), granulation tissue (8.5%), and habronemiasis (7.38%); together, these diseases represented 76% of dermatological problems observed in this species. In donkeys the more frequent diseases, representing 79.84% of the skin diseases, were traumatic wounds (47.5%), sarcoid (19.11%), and abscesses (13.23%). In mules the most frequent disease was traumatic wounds (30%) and habronemiasis and squamous cell carcinoma (15% each), which together accounted for 60% of the skin diseases in this species. It is concluded that skin diseases are important in equidae in the semiarid region of northeastern Brazil and the knowledge generated in this work is important for the diagnosis and treatment of these diseases.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G., Dantas A.F.M. & Riet-Correa F. 2014. [Skin disease of equidae in the Brazilian semiarid region.] Doenças de pele em equídeos no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):743-748. Hospital Veterinário, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Avenida Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com As doenças que acometem a pele e anexos de equídeos no semiárido nordestino foram analisadas mediante um estudo retrospectivo dos registros de atendimento na Clínica de Grandes Animais do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande, de janeiro de 2002 a dezembro de 2012. Dos 2.054 atendimentos 1.786 eram equinos, 200 eram asininos e 58 eram muares. Os diagnósticos de dermatopatias totalizaram 535 casos (26,05%) dos quais 447 foram em equinos, 68 em asininos e 20 em muares. Nos equinos as dermatopatias mais frequentes foram a pitiose (24,38%), as feridas traumáticas (23,04%), os abscessos (12,75%), o tecido de granulação (8,5%) e a habronemose (7,38%). Juntas essas enfermidades totalizaram 76,05% dos diagnósticos de dermatopatias para essa espécie. Em asininos as doenças mais frequentes foram feridas traumáticas (47,5%), sarcoide (19,11%) e abscessos (13,23%). Estas enfermidades juntas representaram 79,84% das doenças de pele nesta espécie. Os muares apresentaram feridas traumáticas em 30% dos casos e carcinoma de células escamosas e habronemose em 15% cada. As três enfermidades representaram 60% dos diagnósticos de doenças de pele nesta espécie. Conclui-se que as doenças de pele são uma das principais causas de atendimento clínico em equídeos na região semiárida do nordeste do Brasil e os conhecimentos gerados neste estudo são importantes para o reconhecimento, diagnóstico e tratamento das mesmas.


#5 - Retrospective study of tumors in ruminants and horses in semiarid Northeast of Brazil, 34(3):211-216

Abstract in English:

ABSTRACT.- Carvalho F.K.L., Dantas A.F.M., Riet-Correa F., Andrade R.L.F.S., Nóbrega Neto P.I., Miranda Neto E.G., Simões S.V.D. & Azevedo S.S. 2014. [Retrospective study of tumors in ruminants and horses in semiarid Northeast of Brazil.] Estudo retrospectivo das neoplasias em ruminantes e equídeos no semiárido do Nordeste Brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):211-216. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Avenida Universitária, s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br In Brazil, data related to occurrence of tumors in livestock are scarce. The objective of this study was to determine the frequency of tumors diagnosed in equidae, cattle, sheep and goats in the Pathology Laboratory of the Federal University of Campina Grande, Patos, state of Paraíba, from 1983 to 2010, and to analyze the risk factors by the chi square test, considering variables such as species, breed, age and sex. During the period, 177 (5.6%) out of 3153 specimens from biopsies or necropsies were diagnosed as tumors. There were significant differences (p<0.001) in the frequency of tumors among different species; horses (10.6%) were more affected than cattle (6.8%), and cattle were more affected than goats (3.3%) and sheep (2.1%). Squamous cell carcinoma was most frequent tumor in cattle (58.3% of the tumors), sheep (80%) and goats (46.1%), and sarcoid (45.3%) was the most frequent in horses. Regarding the location, neoplasms were more common in the skin of horses (62.5%) and sheep (60%), in the eyes and periocular skin in cattle (36.1%), and un the female reproductive system (perineal region and vulva) of goats (34.6%). Regarding the sex of the animals, only cattle had significant prevalence (p<0.001). Regarding age only goats showed significant prevalence (p=0.015). There was no significant prevalence in any animal species in relation to race. We concluded that squamous cell carcinomas in ruminants and equine sarcoid are the most common tumors in livestock in the semiarid Brazilian Northeast, and the equidae were the most affected among the species studied.

Abstract in Portuguese:

RESUMO- Carvalho F.K.L., Dantas A.F.M., Riet-Correa F., Andrade R.L.F.S., Nóbrega Neto P.I., Miranda Neto E.G., Simões S.V.D. & Azevedo S.S. 2014. [Retrospective study of tumors in ruminants and horses in semiarid Northeast of Brazil.] Estudo retrospectivo das neoplasias em ruminantes e equídeos no semiárido do Nordeste Brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):211-216. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Avenida Universitária, s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br No Brasil, dados relacionados com a ocorrência de neoplasias em ruminantes e equinos são escassos. Objetivou-se com este trabalho determinar a frequência de neoplasias diagnosticadas em bovinos, caprinos, ovinos e equídeos no Laboratório de Patologia Animal da Universidade Federal de Campina Grande, Patos, Paraíba, durante o período de 1983 a 2010 e analisar os fatores de risco, mediante o teste de qui-quadrado, considerando como variáveis, espécie, raça, sexo e idade. Durante o período foram registrados 177 (5,6%) tumores de um total de 3.153 diagnósticos provenientes de biópsias e necropsias. Houve diferenças significantes (p<0,001) na frequência de tumores entre as diferentes espécies sendo mais acometidos os equinos (10,6%), seguidos pelos bovinos (6,8%), caprinos (3,3%) e ovinos (2,1%). Os tumores mais frequentes foram o carcinoma células escamosas (CCE) nos bovinos (58,3%), ovinos (80%) e caprinos (46,1%) e o sarcoide em equinos (45,3%). Quanto à localização anatômica, as neoplasias foram mais frequentes na pele em equídeos (62,5%) e ovinos (60%), olho e tecido periocular em bovinos (36,1%) e sistema reprodutor feminino (períneo e vulva) em caprinos (34,6%). Em relação ao sexo dos animais, apenas os bovinos apresentaram prevalência significativa (p<0,001). Em relação à idade apenas os caprinos apresentaram prevalência significativa (p=0,015). Não houve prevalência significativa em nenhuma espécie em relação à raça. Conclui-se que os carcinomas de células escamosas em ruminantes e o sarcoide em equídeos são os tumores mais frequentes em animais de produção no semiárido do Nordeste Brasileiro e que a espécie equina foi a mais acometida dentre as espécies estudadas.


#6 - Productive systems of dairy goats in the semiarid of Paraiba: characterization, major limiting factors and evaluation of intervention strategies, 33(3):345-352

Abstract in English:

ABSTRACT.- Riet-Correa B., Simões S.V.D., Pereira Filho J.M., Azevedo S.S.A., Melo D.B., Batista J.A., Miranda Neto E.G. & Riet-Correa F. 2013. [Productive systems of dairy goats in the semiarid of Paraiba: characterization, major limiting factors and evaluation of intervention strategies.] Sistemas produtivos de caprinocultura leiteira no semiárido paraibano: caracterização, principais limitantes e avaliação de estratégias de intervenção. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):345-352. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: saravilar@bol.com.br Through a multidisciplinary study, eight dairy goat farms from the semiarid of Paraíba were studied for a period of two years with the aim to identify the main limiting factors for milk production and to propose and evaluate intervention strategies. A questionnaire was used to obtain information about the farms and their herd management. The forage availabilities were evaluated and proposals were made for correction. The animals were identified to facilitate the zootechnical bookkeeping and the milk production control. The major diseases were diagnosed. Analysis of variance, multiple linear regression and t test were used for data analysis. The average animal numbers in the herds were 53 at the start of the first year, 62 in the end of the year, and 49 in the second year. None herd had a defined breed. In the first year, seven farms had forage deficiency during the dry season, but only two during the rainy season. In the second year, after technical advertisement, six farms still had forage deficiency during the dry season and only two during the rainy season; however in six farms the yearly forage production was adequate and storing fodder during the rainy season would prevent the deficit during drought. The average milk production per goat was 1.19 liters. The most inadequate goat facilities were those used to keep the goat kids. Zootechnical bookkeeping was originally not practiced in any farm at the start of the study, but it was gradually and partially established. The main diseases recorded were caseous lymphadenitis, subclinical mastitis, keratoconjunctivitis and contagious ecthyma. The prevalence of subclinical mastitis, caseous lymphadenitis and gastrointestinal parasitoses were reduced after technical assistance. Reproductive problems were reported in 75% of the farms. Four herds had goat kid mortality rates higher than those acceptable. After analyzing the data, it can be concluded that a continuous and multidisciplinary technical assistance may minimize the factors limiting dairy goat production. The study showed that farmers accept the new technologies if they are appropriate to the systems and are gradually implemented.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Riet-Correa B., Simões S.V.D., Pereira Filho J.M., Azevedo S.S.A., Melo D.B., Batista J.A., Miranda Neto E.G. & Riet-Correa F. 2013. [Productive systems of dairy goats in the semiarid of Paraiba: characterization, major limiting factors and evaluation of intervention strategies.] Sistemas produtivos de caprinocultura leiteira no semiárido paraibano: caracterização, principais limitantes e avaliação de estratégias de intervenção. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):345-352. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: saravilar@bol.com.br Oito propriedades de leite caprino do semiárido paraibano foram acompanhadas, multidisciplinarmente, durante dois anos, com os objetivos de identificar os principais fatores limitantes da produção, assim como propor e avaliar estratégias de intervenção. Utilizou-se um questionário para obtenção de informações sobre as propriedades e práticas de manejo. Avaliou-se o balanço forrageiro de cada propriedade e foram feitas propostas para correção. Os animais foram identificados para que se viabilizasse a escrituração zootécnica e o controle da produção individual de leite. O diagnóstico das principais enfermidades foi estabelecido. Para análise dos dados, utilizou-se análise de variância, regressão linear múltipla e o teste t. O número médio de animais nos rebanhos era 53 cabeças (início do estudo), 62 (final do primeiro ano) e 49 (último ano). Nenhum rebanho tinha padrão racial definido. Na análise do balanço anual de forragem do primeiro ano, sete propriedades tiveram déficit forrageiro na seca, enquanto apenas duas apresentaram déficit durante o período chuvoso. No segundo ano, após as intervenções, seis das oito propriedades apresentaram déficit durante a seca e duas durante a chuva. Entretanto, em seis propriedades, se fossem armazenadas forragens no período da chuva, a quantidade de alimento produzida durante a chuva seria suficiente para manter os animais durante a estação seca. A média da produção de leite diária nas propriedades foi 1,19 litros por cabra. Os problemas mais graves de instalações foram identificados nos cabriteiros. No início do estudo, nenhum produtor realizava escrituração zootécnica, a qual foi gradativa e parcialmente implantada. As principais enfermidades diagnosticadas foram parasitoses gastrintestinais, linfadenite caseosa, mastite subclínica, ectima contagioso e ceratoconjuntivite. A prevalência de linfadenite, mastite e parasitoses gastrintestinais foram reduzidas, após a adoção de práticas adequadas. Problemas reprodutivos foram relatados por 75% dos proprietários. Em quatro propriedades, as taxas de mortalidade de animais jovens foram maiores do que as aceitáveis (8%). Após análise dos dados, observou-se que a assistência técnica permanente e multidisciplinar pode minimizar os fatores limitantes à caprinocultura leiteira. O estudo demonstrou que os produtores aceitam a implantação de novas tecnologias, desde que estas sejam gradativamente implantadas e adequadas aos sistemas de produção.


#7 - Diseases of the digestive system of sheep and goats in the semiarid region of Brazil, 33(2):192-198

Abstract in English:

ABSTRACT.- Lira M.A.A., Simões S.V.D., Riet-Correa F., Pessoa C.M.R., Dantas A.F.M. & Miranda Neto E.G. 2013. [Diseases of the digestive system of sheep and goats in the semiarid region of Brazil.] Doenças do sistema digestório de caprinos e ovinos no semiárido do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(2):193-198. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Avenida Universitária s/n, Patos, PB 58700-000, Brazil. E-mail: aquilavet@yahoo.com.br Diseases of the digestive system of goats and sheep in the semiarid region of northeastern Brazil were evaluated by a retrospective study of 2,144 attendances of small ruminants in the Veterinary Hospital of the Federal University of Campina Grande, Patos, Paraíba, from January 2000 to December 2011. The records were reviewed to determine the occurrence, epidemiology, and the main clinicopathological features of the gastrointestinal diseases diagnosed during the studied period. Out of a total of 512 cases (23.9%) of gastrointestinal disorders in small ruminants, 367 (71.7%) occurred in goats and 145 (28.1%) in sheep. Gastrointestinal helminthiasis and coccidiosis were the most frequent diseases (330 cases). The disorders of the rumen and reticulum (acidosis, simple indigestion, bloat, and ruminal compaction) constituted 94 cases. The abomasum was affected by primary and secondary ulcers, and obstruction and compression of the gastrointestinal tract were also observed. Malformations, such as anal atresia and cleft palate were recorded in both species, the latter being associated with ingestion of Mimosa tenuiflora. Among the infectious diseases, five outbreaks of contagious ecthyma, two cases of paratuberculosis, and two cases of gastrointestinal pythiosis were observed. Suspected seven cases of enterotoxemia and nonspecific enteritis were identified. The lack of an integrated control of parasites and the use of inadequate food during the period of lack of forage contributes to the occurrence of a great number of gastrointestinal diseases in small ruminants in the studied area. The practice of conservation of fodder could substantially reduce the occurrence of digestive disorders in the semiarid region.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Lira M.A.A., Simões S.V.D., Riet-Correa F., Pessoa C.M.R., Dantas A.F.M. & Miranda Neto E.G. 2013. [Diseases of the digestive system of sheep and goats in the semiarid region of Brazil.] Doenças do sistema digestório de caprinos e ovinos no semiárido do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(2):193-198. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Avenida Universitária s/n, Patos, PB 58700-000, Brazil. E-mail: aquilavet@yahoo.com.br As doenças do sistema digestório de caprinos e ovinos na região semi-árida do nordeste do Brasil foram avaliadas através de um estudo retrospectivo de 2.144 atendimentos de pequenos ruminantes no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande, Patos, Paraíba, no período de janeiro de 2000 a dezembro de 2011. Os registros foram revisados para determinar a ocorrência e as principais características clínicas, epidemiológicas e patológicas dessas enfermidades. De um total de 512 casos (23,9%) de distúrbios digestivos, 367 (71,7%) ocorreram em caprinos e 145 (28,3%) em ovinos. As helmintoses gastrintestinais e a coccidiose foram as doenças mais frequentes, com um total de 330 casos. Os distúrbios da cavidade ruminoreticular (acidose, indigestão simples, timpanismo, e compactação ruminal) totalizaram 94 casos. O abomaso foi afetado primária e secundariamente por úlceras. Casos de obstrução e compressão do trato gastrointestinal também foram observados. Malformações como atresia anal e fenda palatina foram registradas em ambas as espécies, sendo esta última associada à ingestão de Mimosa tenuiflora. Entre as doenças infecciosas foram observados cinco casos de ectima contagioso, dois casos de paratuberculose e dois casos de pitiose gastrointestinal. Em sete animais suspeitou-se de enterotoxemia e 31 casos foram diagnosticados como enterite inespecífica. A não utilização de práticas de controle integrado de parasitas e a utilização de alimentos inadequados durante o período de escassez de forragem contribuiu para a ocorrência de um grande número de doenças. A prática de conservação de forragens poderia reduzir substancialmente a ocorrência de distúrbios digestivos na região semiárida.


#8 - Use of Prosopis juliflora pods as food for cattle and horses, 32(10):1014-1016

Abstract in English:

ABSTRACT.- Medeiros M.A., Riet-Correa F., Pessoa A.F.A., Pessoa M.C.R., Batista J.A., Dantas A.F.M., Miranda Neto E.G. & Medeiros R.M.T. 2012. [Use of Prosopis juliflora pods as food for cattle and horses.] Utilização de vagens de Prosopis juliflora na alimentação de ruminantes e equinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(10):1014-1016. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com The ingestion of pods of Prosopis juliflora causes nervous signs in cattle due to lesions in the trigeminal nuclei, and colics in horses due to the formation of phytobezoars in the gut. The objective of this research was to study the toxicity for of P. juliflora pods in horses, and to establish if 30% of pods in the feed are not toxic for cattle. Three experiments were performed. In Experiment 1, two steers were fed, during one year, with food containing 30% of P. juliflora pods. None of the experimental animals showed nervous signs. In Experiment 2, two horses received pods of P. juliflora in amount equivalent to 1% of their bw during four months. For other 3 months this amount was increased to 1.5% bw. In Experiment 3, two horses received P. juliflora pods ad libitum during 30 days. None of the horses showed nervous signs or colic due to the presence of phytobezoars in the gut. These results suggest that P. juliflora pods, despite their toxicity, can be used to feed cattle at concentrations of 30% of the food during one year. There are no restrictions for the use of P. juliflora pods in horses in confined or semi-confined systems, but it is not recommended to maintain equidae grazing in areas where P. juliflora is fructificating. It is suggested that there is a loss in the capacity of the pods to form phytobezoars after harvesting. Cattle may be kept in areas invaded by P. juliflora, during fructification, for no more than 30 days.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Medeiros M.A., Riet-Correa F., Pessoa A.F.A., Pessoa M.C.R., Batista J.A., Dantas A.F.M., Miranda Neto E.G. & Medeiros R.M.T. 2012. [Use of Prosopis juliflora pods as food for cattle and horses.] Utilização de vagens de Prosopis juliflora na alimentação de ruminantes e equinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(10):1014-1016. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com As vagens de Prosopis juliflora (algaroba) causam sinais nervosos em bovinos, devidos a lesões no núcleo motor do trigêmeo, e cólicas em cavalos devidos à formação de fitobezoários no intestino. O presente trabalho objetivou estudar a toxicidade das vagens de P. juliflora para equinos e comprovar que a utilização 30% de vagens adicionadas na ração de bovinos não causa intoxicação. Para isso foram realizados três experimentos. No Experimento 1, dois bovinos ingeriram, durante um ano, vagens de algaroba, em quantidade equivalente a 30% do total da matéria seca ingerida. Nenhum animal experimental apresentou sinais nervosos. No Experimento 2, dois cavalos receberam vagens em quantidade equivalente a 1% do peso corporal (pc) durante quatro meses e em quantidade equivalente a 1,5% do pc durante outros três meses. No experimento 3, dois equinos receberam vagens ad libitum, durante um mês. Em nenhum dos equinos foram observados sinais nervosos nem cólicas devidas à formação de fitobezoários. Esses resultados sugerem que as vagens de algoraba, apesar de sua toxicidade, podem ser utilizadas na alimentação de bovinos em confinamento ou semi-confinamento, nas concentrações de 30% da alimentação por períodos de até um ano. Não há restrições para a administração de vagens de algaroba em equinos confinados; no entanto, permanecem as restrições para o pastejo de equídeos em áreas invadidas por algaroba. Sugere-se que as vagens perdem a sua capacidade de formar fitobezoários em consequência do armazenamento. Bovinos não devem permanecer em áreas invadidas por P. juliflora, quando a planta está frutificando, por mais de 30 dias.


#9 - Risk factors associated with the squamous cell carcinoma occurrence in ruminants and equine in the semiarid of the Paraíba, 32(9):881-886

Abstract in English:

ABSTRACT.- Carvalho F.K.L., Dantas A.F.M., Riet-Correa F., Miranda Neto E.G., Simões S.V.D. & Azevedo S.S. 2012. [Risk factors associated with the squamous cell carcinoma occurrence in ruminants and equine in the semiarid of the Paraíba.] Fatores de risco associados à ocorrência de carcinoma de células escamosas em ruminantes e equinos no semiárido da Paraíba. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):881-886. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Avenida Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br This paper describes the frequency of squamous cell carcinoma (SCC) diagnosed at the Laboratory (LPA) of Animal Pathology, Veterinary Hospital of the Federal University of Campina Grande (UFCG), in cattle, sheep, goats, and horses in the semiarid region of Paraíba, Brazil, from 1983 to 2010, analyzing epidemiological data and risk factors. We performed the analysis of risk factors, by the chi-square test, considering variables such as species, breed, sex, age and location of the tumor mass. During the period, 3153 diagnoses were recorded from biopsies and necropsies. From these, 81 cases (2.7%) were squamous cell carcinomas. The frequency by species was 4% (42/1052) in cattle, 2.5% (15/603) in horses, 1.7% (12/709) in sheep, and 1.5% (12/789) in goats, being significantly higher in cattle (p<0.001). All cases showed histological features of SCC, varying only the degree of cell differentiation. In cattle and goats, the frequency of SCC was significantly higher in adult animals (p<0.001 and <0.005, respectively). In cattle the preferred location was in the eyes and periocular region (p<0.001), in sheep in the skin (p=0.018), especially the head. In other species no significant differences were found in the tumor location. It is suggested that the higher frequency of SCC in cattle is due to the constitution of the herds, formed predominantly by females of the Holstein breed.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Carvalho F.K.L., Dantas A.F.M., Riet-Correa F., Miranda Neto E.G., Simões S.V.D. & Azevedo S.S. 2012. [Risk factors associated with the squamous cell carcinoma occurrence in ruminants and equine in the semiarid of the Paraíba.] Fatores de risco associados à ocorrência de carcinoma de células escamosas em ruminantes e equinos no semiárido da Paraíba. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):881-886. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Avenida Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br Neste trabalho descreve-se a frequência de carcinomas de células escamosas diagnosticados pelo Laboratório de Patologia Animal (LPA) do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) em bovinos, ovinos, caprinos e equinos no semiárido da Paraíba, durante o período de 1983 a 2010, analisando dados epidemiológicos e fatores de risco. Foi realizada a análise dos fatores de risco, mediante o teste de qui-quadrado de aderência, considerando como variáveis espécie, raça, sexo, idade e localização da massa tumoral. Durante o período foram registrados 3.153 diagnósticos provenientes de biópsias e necropsias. Destes, 81 casos (2,7%) foram de carcinomas de células escamosas. A frequência por espécie foi de 4% (42/1052) em bovinos, 2,5% (15/603) em equinos, 1,7% (12/709) em ovinos e 1,5% (12/789) em caprinos, sendo significativamente maior em bovinos (p<0,001). Todos os casos apresentavam características histológicas de CCE, variando apenas o grau de diferenciação celular. Em bovinos e caprinos, a frequência do tumor foi significativamente maior em animais adultos (p<0,001 e p<0,005, respectivamente). Nos bovinos a localização preferencial foi em olhos e região periocular (p<0,001) e nos ovinos na pele (p=0,018), principalmente na cabeça, enquanto que nas outras espécies não foram encontradas diferenças significantes na localização do tumor. Sugere-se que a maior frequência de CCE em bovinos deve-se à constituição do rebanho, formado predominantemente por fêmeas da raça Holandesa.


#10 - Acute abdomen in equidae in the semiarid of the Brazilian Northeast, 32(6):503-509

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa A.F.A, Miranda Neto E.G., Pessoa C.R.M., Simões S.V.D., Azevedo S.S. & Riet-Correa F. 2012. [Acute abdomen in equidae in the semiarid of the Brazilian Northeast.] Abdômen agudo em equídeos no semiárido do Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(6):503-509. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus de Patos, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58700-070, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br The cases of equidae acute abdomen diagnosed in the Veterinary Hospital of the Federal University of Campina Grande, in the semiarid of the Brazilian Northeast were reviewed. From January 2001 to December 2011, 70 (4.5%) equidae out of 1542 were affected by colic, including 60 horses, 4 mules, and 6 donkeys. Large colon impaction diagnosed in 37.14% of the cases was the most frequent cause of colic, followed by small colon impaction (10%) and foreign body in the small colon (7.14%). In four cases, colics were caused by phytobezoars in the large gut, two of which were associated with the ingestion of large amounts of fresh Prosopis juliflora pods. Six cases of colic by foreign bodies, mainly plastic bags, were observed, five located in the small colon and one in the large colon. Strangulating small intestinal lesions were observed in four cases. Other causes of colic were spasmodic colic (two cases due to gastrointestinal parasites and two due to consumption of home residues), and gastric impaction (three cases). Large colon displacement was diagnosed twice. Laceration of the small colon, cecal torsion, and bloat by ingestion of Manihot esculenta were diagnosed once. The main risk factor for the occurrence of colic was the ingestion of choped Pennisetum purpureum, Brachiaria spp., Sorghum spp. or Echinochloa polystachya (OR=4.03; P=0.007). As a result of the low quality of the foods the frequency of colic was significantly higher during the dry season (second semester) (OR=2.61; P<0.01). It is concluded that feeding with low quality forages during the dry season contributes with the high frequency of cases of colic in the Brazilian semiarid, and that is necessary to improve food quality and food management to try to decrease the frequency of this syndrome in the region.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa A.F.A, Miranda Neto E.G., Pessoa C.R.M., Simões S.V.D., Azevedo S.S. & Riet-Correa F. 2012. [Acute abdomen in equidae in the semiarid of the Brazilian Northeast.] Abdômen agudo em equídeos no semiárido do Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(6):503-509. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus de Patos, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58700-070, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br Foram revisados os casos de abdômen agudo de origem gastrintestinal em equídeos atendidos no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande, em Patos, Paraíba. No período de janeiro de 2001 a dezembro de 2010. Setenta (4,5%) do total de 1542 equídeos atendidos no período apresentaram quadro clínico de cólica, sendo 60 equinos, cinco muares e cinco asininos. A compactação de cólon maior foi a causa mais frequente de cólica, diagnosticada em 37,14% dos casos, seguida por compactação de cólon menor (10%) e corpo estranho de cólon menor (7,14%). Em quatro casos as cólicas foram causadas pela presença de fitobezoares no intestino grosso, sendo dois deles associados ao consumo de vagens de Prosopis juliflora. Em cinco casos foi observada a presença de corpos estranhos no cólon menor e em um caso os corposestranhos foram encontrados no cólon maior, sendo principalmente sacos plásticos. As lesões estrangulantes do intestino delgado foram observadas em quatro casos. Outras causas foram cólica espasmódica (dois casos por parasitose e dois por ingestão de resíduos domiciliares), sobrecarga gástrica (três casos) e deslocamento de cólon maior que foi diagnosticado em dois animais. Laceração de cólon menor, torção de ceco, compactação de ceco e timpanismo por consumo de Manihot esculenta foram diagnosticados em uma única ocasião. O principal fator de risco para o desenvolvimento de cólicas foi o consumo de Pennisetum purpureum, Brachiaria decumbens, Sorghum spp. ou Echinochloa polystachya picados manualmente ou em picotadeira ou triturados em forrageira (OR=4,03; P=0,007). Como resultado da baixa qualidade dos alimentos ingeridos, a frequência dos atendimentos de equídeos portadores de cólica foi significativamente maior no segundo semestre (época da seca na região estudada) (OR=2,61; P<0,01). Concluiu-se que a oferta de volumoso de baixa qualidade na seca contribui para a alta frequência de casos de cólica e que o manejo alimentar tem um papel importante na ocorrência da doença e, por isso, a sua melhoria pode influenciar positivamente na redução do número de casos de cólica em equídeos no semiárido nordestino.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV