Resultado da pesquisa (2)

Termo utilizado na pesquisa Nascimento D.M

#1 - Response of vital functions, Apgar and cortisol in the prognosis of vigor against neonatal factors of lambs

Abstract in English:

The management of lambs during the neonatal period has been studied in several researches due to the vital and hormonal organic adaptations undergone by the calf after birth. However, gender, number of pups and type of delivery play an important role in understanding neonatal vigor. The study of these groups with the monitoring of clinical evolution and cortisol metabolism becomes an indispensable subsidy for a better understanding of this neonatal phase, aiming to minimize the losses generated. The objective of this study was to evaluate the influence of gender, number of pups and type of delivery in the prognosis of neonatal vigor of lambs through clinical and cortisol diagnosis. Thirty crossbred Santa Inês lambs with Dorper in the neonatal phase were divided into three groups: male and female, number of pups (single and twin) and type of delivery (eutocic and dystocic). In each group, clinical evaluation of heart and respiratory rate, rectal temperature, Apgar score and weight were performed; and with the exception of cortisol, all evaluations were performed at fifteen and sixty minutes, as well as at twelve and twenty-four hours. In addition, blood samples were collected for cortisol dosage obtained in two moments at fifteen and sixty minutes using the radioimmunoassay technique. Among the three experimental groups related to lamb vigor, the heart rate was the only one that showed lower mean values ​​(P<0.05) at twenty-four hours in the male group 90.00±20.20bpm, twins 96.44±20.02bpm and eutocic 93.25±18.11bpm. Differences in respiratory rate values ​​were observed in the eutocic group (64.00±14.75mpm) at twenty‑four hours. In the group of males there was a significant reduction in body temperature during the evaluation moments (P<0.05). Lambs from the group of twins showed lower body weight during the evaluations. At both times the analysis of serum cortisol was less than at sixty minutes. It was concluded that soon after the birth there were marked changes in the physiological parameters and weight of Santa Inês lambs, but were not enough to cause negative effects on the vigor of the neonates, indicating the occurrence of effective neonatal adaptation capacity in this species.

Abstract in Portuguese:

O manejo dos cordeiros durante o período neonatal tem sido objeto de estudo em diversas pesquisas devido às adaptações orgânicas vitais e hormonais sofridas pela cria após o parto. Todavia, o gênero, número de filhotes e o tipo de parto parecem desempenhar um papel importante para melhor compreensão do vigor neonatal. Além disso, o estudo destes grupos com o acompanhamento da evolução clínica e do metabolismo do cortisol torna-se um subsidio indispensável para melhor compreensão dessa fase neonatal, visando minimizar as perdas geradas. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a influência do gênero, número de filhotes e tipo de parto na apresentação do vigor neonatal dos cordeiros através do diagnostico clinico e de cortisol. Foram utilizados trinta cordeiros mestiços da raça Santa Inês com Dorper em fase neonatal divididos em três grupos: gênero (macho e fêmea), número de filhotes (único e gemelar) e tipo de parto (eutócico e distócico). Em cada grupo, foi realizada a avaliação clínica da frequência cardíaca e respiratória, temperatura retal, escore Apgar e peso; e com a exceção do cortisol, todas as avaliações foram realizadas aos quinze e sessenta minutos, como também às doze e vinte e quatro horas. Adicionalmente, procedeu-se com a coleta de amostras de sangue total para dosagem de cortisol obtida em dois momentos aos quinze e sessenta minutos através da técnica de radioimunoensaio. Dentre os três grupos experimentais relacionados com vigor dos cordeiros, a frequência cardíaca foi a única que evidenciou menores médias (P<0,05) às vinte e quatro horas no grupo dos machos 90,00±20,20bpm, gêmeos 96,44±20,02bpm e eutócicos 93,25±18,11bpm. Observou‑se no grupo eutócico diferenças nos valores da frequência respiratória de 64,00±14,75mpm às vinte e quatro horas. No grupo dos machos houve redução significativa na temperatura corpórea durante os momentos de avaliação (P<0,05). Cordeiros do grupo de gêmeos demonstraram menor peso corpóreo durante as avaliações. Em ambos momentos a análise do cortisol sérico demonstrou se menor aos sessenta minutos. Pôde se concluir que logo após o parto ocorreram alterações marcantes nos parâmetros fisiológicos e peso de cordeiros Santa Inês, porém não foram suficientes para causar efeitos negativos sobre o vigor dos neonatos, indicando a ocorrência de efetiva capacidade de adaptação neonatal nesta espécie.


#2 - Thoracic and heart biometrics of non-anesthetized agouti (Dasyprocta primnolopha Wagler, 1831) measured on radiographic images, 33(3):411-416

Abstract in English:

ABSTRACT.- Diniz A.N., Silva Júnior J.R., Ambrósio C.E., Sousa J.M., Sousa V.R., Carvalho M.A.M., Nascimento D.M. & Alves F.R. 2013. Thoracic and heart biometrics of non-anesthetized agouti (Dasyprocta primnolopha Wagler, 1831) measured on radiographic images. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):411-416. Departamento de Morfisiologia Veterinária, Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portella, Bairro Ininga, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: flavioribeiro@ufpi.edu.br The agouti is a species intensively hunted throughout the Amazon and the semi-arid regions of northeastern Brazil. Considering the current trend in conservation management of wild species, the aim of this study was to determine the morphometric reference to the heart of agouti raised in captivity, based on thoracic and cardiac measurements in these animals. Thirty adult agoutis, 1 to 3 years of age, without clinical signs of cardiac disease were selected. The animals were physically restrained and radiographies in laterolateral (LL) and ventrodorsal (VD) recumbence were produced. The following measures were taken: the apicobasilar length of the heart (at the most cranial height of the Carina region to the heart apex) (AB), maximum width of the heart perpendicular to AB (CD), heart inclination angle (AIC), trachea inclination angle (AIT), distance from the right heart wall (DPTd), distance from the left heart wall (DPTe) and vertical depth of the thorax, and the ventral face of the vertebral column to the dorsal border of the sternum at the level of the trachea bifurcation (H). The ratios between AB/CD, AB/H and CD/H were also analyzed. To calculate the vertebral heart scale (VHS), the AB and CD measurements were laid over the thoracic vertebra starting at T4. Radiographic evaluation showed values consistent with those reported in small animals and some wild and exotic species. The main biometric values in the chest cavity and heart of agouti are arranged as follows: (1) The ratios between AB/H ratio and CD/H were not sensitive for identifying heart increases (p>0.05), while the ratio AB/CD was more sensitive in this identification (p<0.05); (2) AIC: 21.2±6.4o (mean between male and famale); (3) AIT for males and females: 9.93±3.23° and 8.4±3.94°; (4) DPTd and DPTe for males: 0.97±0.40cm and 0.7±0.30cm; (5) DPTd and DPTe for females: 1.12±0.42cm and 01.02±0.43cm; (6) VHS for males and females: 7.75±0.48v e 7.61±0.34v; (7) The caudal vena cava (CVC) was visualized dorsal-cranially and located right of the midline. The data obtained allowed the acquisition of the first reference values for biometry of the heart of agoutis, contributing to better understanding of cardiac morphology and identification of cardiomyopathy in these animals.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Diniz A.N., Silva Júnior J.R., Ambrósio C.E., Sousa J.M., Sousa V.R., Carvalho M.A.M., Nascimento D.M. & Alves F.R. 2013. Thoracic and heart biometrics of non-anesthetized agouti (Dasyprocta primnolopha Wagler, 1831) measured on radiographic images. [Biometria torácica e cardíaca de cutias não anestesiadas (Dasyprocta primnolopha Wagler, 1831) mensuradas em imagens radiográficas.]Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):411-416. Departamento de Morfisiologia Veterinária, Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Piauí, Campus Universitário Ministro Petrônio Portella, Bairro Ininga, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: flavioribeiro@ufpi.edu.br A cutia é uma espécie intensamente caçada em toda a Amazônia e nas regiões semi-áridas do Nordeste do Brasil. Considerando a tendência atual em gestão de conservação das espécies selvagens, o objetivo deste estudo foi determinar referências morfométricas para o coração de cutia criadas em cativeiro, com base em medições torácicas e cardíacas desses animais. Foram selecionados 30 cutias adultas, sem sinais clínicos de doença cardíaca, com idade entre 1 a 3 anos. Os animais foram contidos fisicamente e realizadas projeções radiográficas laterolaterais e (LL) e ventrodorsais (VD). As seguintes medidas foram tomadas: O comprimento apicobasilar do coração (na altura mais cranial da região carina até o ápice do coração) (AB); a largura máxima coração perpendicular a AB (CD); o ângulo de inclinação do cardíaca (AIC); ângulo de inclinação da traquéia (AIT); a distância a partir da parede direita do coração (DPTd); a distância a partir da parede esquerda do coração (DPTe) e profundidade vertical do tórax, da face ventral da coluna vertebral até à borda dorsal do esterno, no nível da bifurcação da traqueia (H). As relações entre AB/CD, AB/H e CD/H também foram analisadas. Para calcular o “vertebral heart scale” (VHS), as medidas AB e CD foram colocadas sob as vértebras torácicas a partir de T4. A avaliação radiográfica demonstrou valores consistentes com aqueles relatados em pequenos animais e algumas espécies selvagens e exóticos. Os principais valores biométricos mensurados na cavidade torácica e cardíaca da cutia, estão dispostas da seguinte forma: (1) As relações entre AB/H e CD/H não foram sensíveis para identificar aumento do coração (p> 0,05), enquanto a proporção AB/CD foi mais sensível nesta identificação (p <0,05); (2) AIC: 21,2 ± 6.4o (média entre machos e fêmeas); (3) AIT para machos e fêmeas: 9.93 ± 3.23° and 8.4±3.94°; (4) DPTd e DPTe para os machos: 0,97 ± 0,40 cm e 0,7 ± 0,30, (5) DPTd e DPTe para as fêmeas: 1,12 ± 0,42 e 01,02 ± 0,43; (6) VHS para machos e fêmeas: 7.75±0.48v e 7.61±0.34v; (7) A veia cava caudal (CVC) foi visualizada dorso-cranialmente e localizada à direita da linha média. Os dados obtidos permitiram a obtenção dos primeiros valores de referência para a biometria do coração de cutias, contribuindo para uma maior compreensão da morfologia cardíaca e identificação de cardiomiopatia nestes animais.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV