Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa Nascimento H.H.L

#1 - Use of different fixation times and application of two immunohistochemical methods for detection of KIT and Ki67 proteins in canine cutaneous mast cell tumors

Abstract in English:

Due to the high prevalence of mast cell tumors (MCTs) in the diagnostic routine, several factors, especially prognostic, have been sought to determine the biological behavior of these neoplasms. Immunohistochemistry (IHC) is one of the main tools utilized to biologically differentiate more aggressive tumors from less aggressive ones. However, some immunostainings are influenced by formalin fixation, interfering with the results. This is both a retrospective and prospective study of MCTs diagnosed in laboratory routine. A total of 25 samples, without knowledge about fixation time, were analyzed in the retrospective study, whereas 12 samples, with known fixation times, were assessed in the prospective study. Two histologic grading systems (Patnaik and Kiupel), special staining of toluidine blue, and IHC for KIT and Ki67 proteins were applied in both studies. Additionally, two amplification systems (biotinylated and non-biotinylated) for Ki67 protein and counting of the argyrophilic nucleolar organizing regions (AgNOR method) were tested in the prospective study. In the retrospective study, greater agreement between the evaluating pathologists was observed when the Kiupel system was used. IHC staining for KIT protein was effective in both studies, regardless of fixation time. IHC staining for Ki67 protein was highly sensitive to formaldehyde, and staining failure was observed in 56% of the cases in the retrospective study. In the prospective study, samples fixed for longer than 24 hours showed a reduction in the number of stained cells (altering the determination of the cell growth fraction) or showed absence of IHC staining in both amplification systems. The use of the AgNOR method to evaluate the rate of cell proliferation may be an alternative when the fixation time of the neoplasm is unknown or longer than 24 hours.

Abstract in Portuguese:

Devido a alta prevalência dos mastocitomas cutâneos caninos (MCCs) na rotina diagnóstica, vários fatores, especialmente fatores prognósticos, têm sido buscados para auxiliar na determinação do comportamento biológico desse neoplasma. A imuno-histoquímica é uma das principais ferramentas empregadas para diferenciar tumores biologicamente mais agressivos de tumores menos agressivos. Entretanto, algumas imunomarcações sofrem influência pela fixação em formol, interferindo nos resultados. Este estudo compreendeu avaliar através de uma etapa retrospectiva e uma etapa prospectiva casos de MCCs diagnosticados na rotina laboratorial. Um total de 25 amostras, sem conhecimento do tempo de fixação, foi analisado no estudo retrospectivo e 12 amostras, com tempos de fixação conhecidos, no estudo prospectivo. Foram aplicados nos dois estudos, dois sistemas de graduação histológica (Patnaik e Kiupel), a coloração especial de azul de toluidina e a imuno-histoquímica para as proteínas KIT e Ki67. Adicionalmente, no estudo prospectivo, foram testados dois sistemas de amplificação (biotinilado e não biotinilado) para a proteína Ki67 e a técnica de AgNOR (contagem das regiões organizadoras nucleolares argirofílicas). Na etapa retrospectiva, observou-se uma maior concordância entre os patologistas avaliadores quando o sistema Kiupel foi utilizado. A imunomarcação para KIT se manteve eficaz em ambos os estudos, independentemente do tempo de fixação. A imunomarcação para o Ki67 mostrou-se altamente sensível ao tempo de fixação em formol, sendo observada falha na imunomarcação em 56% dos casos do estudo retrospectivo. No estudo prospectivo, constatou-se que amostras fixadas por mais de 24 horas em formol apresentaram redução na quantidade de células imunomarcadas (alterando a determinação da fração de crescimento celular) ou apresentaram ausência de imunomarcação em ambos os sistemas de amplificação. A utilização do método AgNOR, para avaliar a taxa de proliferação celular, pode ser uma alternativa quando o tempo de fixação do neoplasma for desconhecido ou superior a 24 horas.


#2 - Outbreaks of photosensitization and allergic dermatitis in ruminants and equidae in northeastern Brazil, 38(5):889-895

Abstract in English:

ABSTRACT.- Amado G.P., Silva C.C.B., Barbosa F.M.S., Nascimento H.H.L., Malta K.C., Azevedo M.V., Lacerda-Lucena P.B. & Lucena R.B. 2018. [Outbreaks of photosensitization and allergic dermatitis in ruminants and equidae in northeastern Brazil.] Surtos de fotossensibilização e dermatite alérgica em ruminantes e equídeos no Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(5):889-895. Laboratório de Patologia Veterinária, Hospital Veterinário, Departamento de Ciências Veterinárias, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Campus II, Areia, PB 58397-000, Brazil. E-mail: lucena.rb@gmail.com The study was conducted to determine the causes of photosensitization in ruminants and equidae in northeastern Brazil through a review of the files at the Laboratório de Patologia Veterinária of Universidade Federal da Paraíba. During four years of the study 22 outbreaks of photosensitization were diagnosed, including 11 outbreaks of primary photosensitization and eight outbreaks of hepatogenous photosensitization. Poisoning by Froelichia humboldtiana was the main cause of photosensitization, and the only cause of primary photosensitization. The most severely affected animals by primary photosensitization are donkeys, goats, cattle and sheep, but horses and mules may also be affected. Poisoning by Brachiaria decumbens was the main cause of hepatogenous photosensitization, and affected only sheep and cattle. Other plants associated with hepatogenous photosensitization in cattle include Enterolobium contortisiliquum and Lantana camara. Allergic dermatitis was diagnosed in two flocks of sheep and in a horse. The animals had chronic lesions characterized by areas of alopecia, crusts and hyperpigmentation on the head, around the eyes (sheep) and at the legs (horse). Itching was the main clinical sign in cases of primary photosensitization and insect hypersensitivity.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Amado G.P., Silva C.C.B., Barbosa F.M.S., Nascimento H.H.L., Malta K.C., Azevedo M.V., Lacerda-Lucena P.B. & Lucena R.B. 2018. [Outbreaks of photosensitization and allergic dermatitis in ruminants and equidae in northeastern Brazil.] Surtos de fotossensibilização e dermatite alérgica em ruminantes e equídeos no Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(5):889-895. Laboratório de Patologia Veterinária, Hospital Veterinário, Departamento de Ciências Veterinárias, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal da Paraíba, Campus II, Areia, PB 58397-000, Brazil. E-mail: lucena.rb@gmail.com O presente estudo foi conduzido com o objetivo de determinar as causas de fotossensibilização em ruminantes e equídeos no Nordeste do Brasil, através da revisão dos laudos de exames arquivados no Laboratório de Patologia Veterinária da Universidade Federal da Paraíba. Durante os quatro anos do estudo foram diagnosticados 22 surtos de fotossensibilização, incluindo 11 surtos de fotossensibilização primária e oito surtos de fotossensibilização hepatógena. A intoxicação por Froelichia humboldtiana foi a principal causa de fotossensibilização e a única causa de fotossensibilização primária. As espécies mais gravemente afetadas por fotossensibilização primária foram os asininos, caprinos, bovinos e ovinos, mas os equinos e mulas também são afetados. A intoxicação por Brachiaria decumbens foi a principal causa de fotossensibilização hepatógena e afetou apenas os ovinos e bovinos. Outras plantas associadas com fotossensibilização hepatógena incluíram Enterolobium contortisiliquum e Lantana camara. Dermatite alérgica foi diagnosticada em dois rebanhos ovinos e em um cavalo. Os animais tinham lesões crônicas, caracterizadas por alopecia, crostas e hiperpigmentação no topo da cabeça, ao redor dos olhos (ovinos) e nos membros (equino). O prurido foi o principal sinal clínico observado nos casos de fotossensibilização primária e hipersensibilidade à picada de insetos.


#3 - Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle, 37(8):785-789

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oliveira Neto T.S., Riet-Correa F., Barbosa F.M.S., Nascimento H.H.L., Carvalho L.R.R.A., Alves A.J. & Lucena R.B. 2017. [Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle.] Intoxicação por Portulaca elatior (Portulacaceae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):785-789. Departamento de Ciências Veterinárias, Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias, Campus II, Areia, PB 58397-000. E-mail: lucena.rb@gmail.com An outbreak of acute poisoning in cattle caused by the ingestion of Portulaca elatior occurred in the northeastern Brazil. The outbreak resulted from ingestion of the plant provided by the farmer. Four out of five cattle were poisoned and two died. Clinical signs included abdominal pain, muscle trembling, intense salivation, mild bloat and dehydration. The course of the disease ranged from 10 to 18 hours. Gross findings included dehydration, reddening of the mucosa of forestomachs, abomasum, and intestine, with ulcerations of the ruminal mucosa. The presence of Portulaca leaves in the rumen was noted in both cases. The main histologic lesions were superficial to full thickness degeneration and necrosis of the stratified epithelium lining the forestomachs, necrosis and inflammation of the intestinal mucosa, and lymphoid necrosis. The serum activities of AST and GGT and serum were within normal ranges. The diagnosis of poisoning associated with ingestion of P. elatior was based on the epidemiology, clinical signs and lesions. The lack of information about the toxicity of P. elatior was the main cause for the accident of poisoning.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oliveira Neto T.S., Riet-Correa F., Barbosa F.M.S., Nascimento H.H.L., Carvalho L.R.R.A., Alves A.J. & Lucena R.B. 2017. [Portulaca elatior (Portulacaceae) poisoning in cattle.] Intoxicação por Portulaca elatior (Portulacaceae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):785-789. Departamento de Ciências Veterinárias, Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Agrárias, Campus II, Areia, PB 58397-000. E-mail: lucena.rb@gmail.com Descreve-se um surto de intoxicação aguda em bovinos causado pela ingestão de Portulaca elatior na região nordeste do Brasil. O surto resultou da ingestão a partir da administração da planta no cocho pelo criador para os bovinos. Quatro de cinco bovinos foram intoxicados e dois morreram. Os sinais clínicos incluíram dor abdominal, tremores musculares, intensa salivação, timpanismo moderado e desidratação. O curso clínico da doença variou de 10 a 18 horas. Os achados macroscópicos incluíram desidratação, avermelhamento das mucosas dos pré-estômagos, abomaso e intestinos, além de ulceração da mucosa ruminal. Nos dois casos foi notada a presença de fragmentos de Portulaca no interior do rúmen. Os achados histológicos foram de degeneração e necrose das camadas superficiais do epitélio dos pré-estômagos, necrose e inflamação da mucosa intestinal e necrose linfoide. As atividades de AST e GGT estavam dentro dos valores de normalidade. O diagnóstico de intoxicação associado à ingestão de P. elatior foi baseado na epidemiologia, sinais clínicos e lesões. A ausência de informação sobre a toxicidade de P. elatior foi a principal causa para a ocorrência da intoxicação acidental.


#4 - Clinical and histopathological characterization of allergic dermatitis in dogs, 37(3):248-256

Abstract in English:

ABSTRACT.- Vasconcelos J.S., Oliveira Neto T.S., Nascimento H.H.L., Barbosa F.M.S., Rezende F.Y.S, Oliveira L.G., Lucena R.B. & Dantas A.F.M. 2017. [Clinical and histopathological characterization of allergic dermatitis in dogs.] Caracterização clínica e histopatológica das dermatites alérgicas em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):248-256. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília. Cx. Postal 61, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: veterinariojsv@yahoo.com.br This paper describes the clinical and histopathological features of allergic dermatitis in dogs diagnosed the metropolitan region of João Pessoa, Paraíba. From September 2014 to September 2015 a total of 90 dogs with skin lesions was studied. Twenty-four cases showed changes consistent with allergic dermatitis, in 12 males and 12 females. The age of dogs ranged from 3 months to 15 years. Atopic dermatitis was the most common, affecting 58.33% (14/24) of the dogs, followed by food hypersensitivity dermatitis at 25% (6/24), allergic contact dermatitis at 8.33% (2/24), a case of allergic dermatitis flea and one case of drug hypersensitivity, which represented 4.17% respectively. Gross lesions included hypotrichosis, hyperpigmentation, comedones, erythema, alopecia, xerosis, erosions, ulcers, and exudates. Anatomically distributed was on face, head, neck, thoracolumbar, lumbosacral, flank, limbs and abdomen. The most common microscopic lesions were hyperkeratosis, acanthosis, spongiosis and exocytosis of lymphocytes in the epidermis. In the superficial dermis was observed perivasculitis, perianexite and in some cases pigmentary incontinence, edema, dilated lymphatic vessels and sweat glands. Histopathological examination associated with medical history, clinical examination and skin examen are important tools for the diagnosis of allergic dermatitis in dogs, as well as for associated therapeutic measures.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Vasconcelos J.S., Oliveira Neto T.S., Nascimento H.H.L., Barbosa F.M.S., Rezende F.Y.S, Oliveira L.G., Lucena R.B. & Dantas A.F.M. 2017. [Clinical and histopathological characterization of allergic dermatitis in dogs.] Caracterização clínica e histopatológica das dermatites alérgicas em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):248-256. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília. Cx. Postal 61, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: veterinariojsv@yahoo.com.br Descrevem-se as características clínicas e histopatológicas da dermatite alérgica diagnosticada em cães da região metropolitana de João Pessoa, Paraíba. Durante o período de setembro de 2014 a setembro de 2015, um total de 90 cães com lesões cutâneas. Desses 24 apresentaram alterações compatíveis com dermatite alérgica, sendo 12 machos e 12 fêmeas. A dermatite atópica (DA) foi a mais frequente, afetando 58,33% (14/24) dos cães, seguido por dermatite por hipersensibilidade alimentar (HA) 25% (6/24), dermatite de contato alérgica (DAC) com 8,33% (2/24) dos casos, dermatite alérgica por picada de pulgas (DAPP) com um caso e a hipersensibilidade a medicamento (farmacodermia) também um caso, que representou 4,17% respectivamente. As lesões macroscópicas incluíram hipotricose, hiperpigmentação, comedões, eritema, alopecia, xerose, erosões, úlceras e exsudato, anatomicamente distribuídas na face, cabeça, pescoço, toracolombar, lombossacra, flanco, membros e abdome. As lesões microscópicas mais frequentes foram hiperceratose, acantose, espongiose e exocitose de linfócitos na epiderme. Na derme superficial foi observada perivasculite, perianexite e em alguns casos de incontinência pigmentar, edema, dilatação de vasos sanguíneos, linfáticos e glândulas sudoríparas. O exame histopatológico associado com a história clínica, exame clínico e pele são ferramentas importantes para o diagnóstico de dermatite alérgica em cães, bem como medidas terapêuticas associadas.


#5 - Ulcerative and granulomatous enteritis associated with Molineus torulosus parasitism in neotropical primates, 36(10):1005-1008

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bacalhao M.B.M., Siqueira R.A.S., Nery T.F.L., Firmino M.O., Oliveira Neto T.S., Nascimento H.H.L., Guerra R.R. & Lucena R.B. 2016. Ulcerative and granulomatous enteritis associated with Molineus torulosus parasitism in neotropical primates. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(10):1005-1008. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal da Paraíba, Centro Ciências Agrárias, Cidade Universitária, Areia, PB 58397-110, Brazil. E-mail: lucena.rb@gmail.com This paper reports eleven cases of ulcerative and granulomatous enteritis associated with Molineus torulosus parasitism in different species of neotropical primates of the Sapajus genus. All of the affected monkeys had been apprehended by the environmental police and were being treated in a rehabilitation center for wild animals. The clinical history was weight loss and debility. During the necropsy, several nodules were found on the duodenum and proximal jejunum wall, with ulcers on the adjacent intestinal mucosa, including the nodules in the pancreas of four monkeys. Histologically, eosinophilic granulomas were observed in the small intestine, associated with fibrosis, eggs and adult models of Trichostrongylidae, etiology consistent with Molineus torulosus. This study describes the first cases of parasitism in Sapajus flavius, a species previously considered extinct, but recently rediscovered, and presents the occurrence of M. torulosus in two other species, Sapajus libidinosus and Sapajus apella.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bacalhao M.B.M., Siqueira R.A.S., Nery T.F.L., Firmino M.O., Oliveira Neto T.S., Nascimento H.H.L., Guerra R.R. & Lucena R.B. 2016. Ulcerative and granulomatous enteritis associated with Molineus torulosus parasitism in neotropical primates. [Enterite ulcerativa e granulomatosa com parasitismo de Molineus torulosus em primatas neotropicais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(10):1005-1008. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Universidade Federal da Paraíba, Centro Ciências Agrárias, Cidade Universitária, Areia, PB 58397-110, Brazil. E-mail: lucena.rb@gmail.com São relatados 11 casos de enterite ulcerativa e granulomatosa associada ao parasitismo por Molineus torulosus em diferentes espécies de primatas neotropicais do gênero Sapajus. Todos os macacos afetados haviam sido apreendidos pela polícia ambiental e estavam sendo tratados em um centro de reabilitação de animais silvestres. O histórico clínico era de emagrecimento e debilidade. Durante a necropsia, foram constatados diversos nódulos na parede do duodeno e jejuno proximal, com úlceras na mucosa intestinal adjacente, além de nódulos no pâncreas de quatro macacos. Histologicamente, observou-se no intestino delgado, granulomas eosinofílicos associados à fibrose, ovos e exemplares adultos de tricostrongilídeos, etiologia consistente com Molineus torulosus. O presente trabalho descreve os primeiros casos de parasitismo em Sapajus flavius, uma espécie antes considerada extinta e recentemente redescoberta, e relata a ocorrência de M. torulosus em outras duas espécies, Sapajus libidinosus e Sapajus apella.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV