Resultado da pesquisa (8)

Termo utilizado na pesquisa Pereira V.L.A

#1 - Detection of the mcr-1 gene in Enteropathogenic Escherichia coli (EPEC) and Shigatoxigenic E. coli (STEC) strains isolated from broilers

Abstract in English:

Enteropathogenic Escherichia coli (EPEC) and Shigatoxigenic E. coli (STEC) strains are among the major pathotypes found in poultry and their products, which are capable of causing human enteric infections. Colistin has been claimed the drug of choice against diseases caused by multidrug-resistant Gram-negative bacteria (MDRGN) in humans. The mcr-1 gene was the first plasmidial gene that has been described to be responsible for colistin resistance and has also been detected in birds and poultry products. Our study aimed to detect the mcr-1 gene in enteropathogenic strains of E. coli in order to evaluate the resistance to colistin in broilers. The material was obtained from 240 cloacal samples and 60 broiler carcasses. The strains were isolated by the conventional bacteriological method and by the virulence genes, which characterize the enteropathogenic strains and resistance, and the samples were detected by polymerase chain reaction (PCR). Of the 213 isolated strains of E. coli, 57 (26.76%) were characterized as atypical EPEC and 35 (16.43%) as STEC. The mcr-1 gene was found in 3.5% (2/57) of the EPEC strains and 5.7% (2/35) of the STEC strains. In this study, it was possible to confirm that the mcr-1 resistance gene is already circulating in the broiler flocks studied and may be associated with the pathogenic strains.

Abstract in Portuguese:

Escherichia coli Enteropatogênica (EPEC) e Shigatoxigênica (STEC) estão entres os principais patotipos encontrados em aves e produtos avícolas que são capazes de causar doença entérica no homem. A colistina tem sido preconizada como droga de escolha para o tratamento de doenças causadas por bactérias Gram-negativas multirresistentes em humanos. O gene mcr-1 foi o primeiro gene plasmidial a ser descrito como responsável pela resistência a colistina e tem sido descrito em aves e produtos avícolas. Este estudo tem como objetivo a detecção do gene mcr-1 em estirpes de E. coli enteropatogênicas a fim de avaliar a resistência a colistina em frangos de corte. O material foi obtido a partir de 240 amostras cloacais e 60 carcaças de frango de corte. As estirpes foram isoladas pelo método bacteriológico convencional e os genes de virulência, que caracterizam as estirpes enteropatogênicas, e resistência foram detectados pela reação em cadeia pela polimerase (PCR). Das 213 estirpes de E. coli isoladas, 57 (26,76%) foram caracterizadas como EPEC atípica e 35 (16,43%) como STEC. O gene mcr-1 foi encontrado em 3,5% (2/57) das estirpes EPEC e 5,7% (2/35) das estirpes STEC. Neste estudo foi possível confirmar que o gene de resistência mcr-1 já está em circulação nos lotes de frango de corte estudados e pode estar associado às estirpes patogênicas


#2 - Investigation of Mycoplasma spp. in birds of the Rio de Janeiro Zoo by isolation and PCR

Abstract in English:

Brazil is one of the countries with the most abundant avifauna in the world. The confinement of birds associated with close contact with other animals and humans favor the spread of agents of respiratory diseases. Among them, mycoplasmas can cause asymptomatic or apparent disease that manifests in birds by coughing, sneezing, rales, conjunctivitis, ocular and nasal discharge. Several described mycoplasmas cause disease in birds, especially Mycoplasma gallisepticum (MG) and Mycoplasma synoviae (MS). The diagnosis of Mycoplasma spp. can be done by clinical observation and laboratory analysis. Molecular diagnosis by PCR was boosted by its speed, sensitivity, and low cost of agent isolation techniques that take up to 21 days to complete. This study aimed to verify the occurrence of Mycoplasma spp. in birds of the Rio de Janeiro Zoo (Rio Zoo), by isolation and PCR. Of the total 635 birds from the Rio Zoo, 81 were studied for detection of Mycoplasma spp., when taken for routine health assessment exams. These birds belonged to the following orders: Psittaciformes (45), Accipitriformes (18), Galliformes (7), Piciformes (5), Strigiformes (4), Falconiformes (1) and Cariamiformes (1), all individuals already identified by microchip or leg-ring. There was no isolation of mycoplasmas in any of the samples tested, whereas, in the PCR, 62.96% (51/81) were positive, with 1.96% (1/51) identified as MG and 19.61% (10/51) as MS, representing 1.23% (1/81) and 12.34% (10/81) of the total population studied. PCR was shown to be a more effective technique than isolation in the detection of Mycoplasma spp. in birds. It was possible to detect mycoplasmas in birds from Riozoo with no clinical respiratory signs, with higher MS prevalence than MG. The positivities for Mycoplasma spp., MS, and MG were different among the orders studied, being the highest occurrence in birds of prey, followed by Galliformes and Piciformes. The presence of MG and MS in birds of Rio de Janeiro Zoo confirms the circulation of these agents and the need for further studies on the dissemination of mycoplasmas in zoos for the epidemiological analysis of these bacteria in these places.

Abstract in Portuguese:

O Brasil é um dos países com maior avifauna do mundo. O confinamento de aves associado ao contato próximo a outros animais e seres humanos favorece a disseminação de agentes etiológicos causadores de doenças respiratórias. Dentre eles, os micoplasmas podem causar doença assintomática ou aparente que se manifesta em aves por espirros, estertores, conjuntivite, corrimentos oculares e nasais. São diversos os micoplasmas descritos causadores de doença em aves, com destaque para Mycoplasma gallisepticum (MG) e Mycoplasma synoviae (MS). O diagnóstico de Mycoplasma spp. pode ser feito pela observação clínica e análises laboratoriais. O diagnóstico molecular pela Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) ganhou impulso por sua rapidez, sensibilidade e baixo custo em relação às técnicas de isolamento do agente que levam até 21 dias para conclusão do gênero Mycoplasma. Objetivou-se verificar a ocorrência da infecção por Mycoplasma spp. em aves no Zoológico do Rio de Janeiro (Rio Zoo), por isolamento e PCR. Do plantel de 635 aves do Rio Zoo, foram estudadas 81 para detecção de Mycoplasma spp., quando contidas para exames rotineiros de avaliação da condição de saúde. Essas aves eram pertencentes às ordens Psittaciformes (45), Accipitriformes (18), Galliformes (7), Piciformes (5), Strigiformes (4), Falconiformes (1) e Cariamiformes (1), todas já identificadas por microchip ou por anilha. Não houve isolamento de micoplasmas em nenhuma das amostras testadas, enquanto na PCR, 62,96% (51/81) foram positivas, sendo 1,96% (1/51) identificadas como MG e 19,61% (10/51) como MS, representando 1,23% (1/81) e 12,34% (10/81) da população total estudada. A PCR demonstrou ser uma técnica mais efetiva que o isolamento na detecção de Mycoplasma spp. em aves. Foi possível detectar micoplasmas nas aves do Riozoo sem sinal clínico respiratório, tendo MS maior prevalência do que MG. As positividades para Mycoplasma spp., MG e MS foram diferentes entre as ordens de aves estudadas, sendo a maior ocorrência nas aves de rapina, seguida dos Galliformes e dos Piciformes. A presença de MG e MS nas aves do Rio de Janeiro Zoo confirma a circulação destes agentes e a necessidade de mais estudos sobre a disseminação de micoplasmas em zoológicos para análise epidemiológica dessas bactérias nesse local.


#3 - Prevalence and antimicrobial susceptibility of Salmonella spp. serotypes in broiler chickens and carcasses in the State of Rio de Janeiro, Brazil

Abstract in English:

The presence of Salmonella spp. in poultry products and their by-products is a major challenge for commercial production. Data about the prevalence, the circulating serotypes and the antimicrobial susceptibility profile of Salmonella spp. strains in the State of Rio de Janeiro are scarce. Therefore, the aim of this study was to detect the presence of Salmonella spp. in live chickens and carcasses in slaughterhouses of the State of Rio de Janeiro, to identify the serotypes and to evaluate the antimicrobial susceptibility of these strains for fluoroquinolones and beta-lactams. Sixty cloacal swabs samples from broiler chickens and sixty samples of carcasses from six slaughterhouses under State Inspection were collected. The isolates were serotyped and resistance was tested to eight antimicrobials: enrofloxacin, ciprofloxacin, norfloxacin, cephalothin, ceftiofur, cefotaxime, amoxicillin/clavulanic acid and ampicillin by disc diffusion method. The results showed a prevalence of Salmonella spp. of 1.66% (1/60) in cloacal swabs samples and 26.66% (16/60) in carcasses. In cloacal swabs sample only Senftenberg (1.66%) serotype was isolated. In total, seven different serotypes were obtained from carcasses: Senftenberg (15%), followed by Mbandaka (8.3%), Schwarzengrund (3.3%), Cerro (3.3%), Ohio (3.3%), Minnesota (1.66%) and Tennessee (1.66%). Regarding antimicrobial susceptibility, 29 (87.87%) isolates were sensitive to all antimicrobials tested and 4 (12.12%) isolates were resistant to three or more beta-lactams antimicrobials. No susceptibility to fluoroquinolones was observed. These results showed a prevalence of Salmonella spp. higher than expected in slaughterhouses in the State of Rio de Janeiro, besides the presence of several serotypes of Salmonella spp. The resistance found for beta-lactams alerts to the spread of these strains through the food chain.

Abstract in Portuguese:

A presença de Salmonella spp. em produtos de origem avícola e seus subprodutos se mostra um grande desafio para a produção comercial. Dados de prevalência, dos sorotipos circulantes e do perfil de susceptibilidade antimicrobiana de cepas de Salmonella spp. no Estado do Rio de Janeiro são escassos. Portanto, objetivou-se detectar a presença Salmonella spp. em frangos vivos e carcaças em matadouros do Estados do Rio de Janeiro, identificar os sorotipos e avaliar a susceptibilidade antimicrobiana dessas cepas para fluoroquinolonas e betalactâmicos. Foram coletadas 60 amostras cloacais de frangos vivos e 60 amostras de carcaça de seis matadouros sob Inspeção Estadual (SIE). Os isolados foram sorotipificados e testados frente a oito antimicrobianos: enrofloxacina, ciprofloxacina, norfloxacina, cefalotina, ceftiofur, cefotaxima, amoxicilina/ácido clavulânico e ampicilina pelo método de difusão em disco. Os resultados mostraram uma prevalência de Salmonella spp. de 1,66% (1/60) em amostras de suabe de cloaca e de 26,66% (16/60) em carcaças. Em amostras de suabe de cloaca, somente o sorotipo Senftenberg (1,66%) foi isolado. No total, foram isolados sete sorotipos diferentes nas carcaças: Senftenberg (15%) o mais frequente, seguido por Mbandaka (8,3%), Schwarzengrund (3,3%), Cerro (3,3%), Ohio (3,3%), Minnesota (1,66%) e Tennessee (1,66%). Em relação à susceptibilidade antimicrobiana, 29 (87,87%) isolados foram sensíveis a todos os antimicrobianos testados e 4 (12,12%) isolados foram resistentes a pelo menos três antimicrobianos betalactâmicos ou mais. Não foi observada resistência às fluoroquinolonas. Os resultados encontrados demonstram uma prevalência de Salmonella spp. acima da esperada em matadouros do Estado do Rio de Janeiro, além da presença de vários sorotipos de Salmonella spp. A resistência encontrada para betalactâmicos alerta para a disseminação dessas cepas pela cadeia alimentar.


#4 - Transmission, serologic and tissue responses in chickens vaccinated with Mycoplasma gallisepticum F strain (MG-F), 36(5):401-404

Abstract in English:

ABSTRACT.- Machado L.S., Santos F.F., Santos L.M.M., Tortelly R., Pimentel J.C., Sesti L., Pereira V.L.A. & Nascimento E.R. 2016. Transmission, serologic and tissue responses in chickens vaccinated with Mycoplasma gallisepticum F strain (MG-F). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):401-404. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Pública, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Dr. Vital Brazil Filho 64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: elmiro@vm.uff.br MG-F protects chickens from MG Mycoplasmosis and monitoring is done by serology (SAR and ELISA) and PCR. Histopathology is used to evaluate bird response to MG. This study evaluated MG-F profile vaccination in SPF chicken. This trial used 100 chickens, being 40 unvaccinated (G1), 40 eye-drop vaccinated at 8 weeks of age with MG-F ( Ceva Animal Health , São Paulo , SP , Brazil ) (G2) and 20 immunized by contact (G3) . Samples were obtained on the 8th, 12th, 15th, 18th, 20th and 24th week for SAR, ELISA and PCR. Fragments of trachea and air sac, for microscopy, were got after necropsies on the 15th and 24th week. Up to 12 weeks there was no significant difference among groups by SAR. SAR reactions appeared from the 15th week with these averages: G1 (1.7, 1.76 , 0.1, 0.15) , G2 (7.81, 7.65, 8.25, 6.29) and G3 (8.1, 8.5, 9.5, 6.16), while by ELISA it occurred after the 18th week with optical densities averages: G1 (0.19, 0.14, 0.16) , G2 (0.47, 0.45, 0.41) and G3 (0.55, 0.51, 0.51) . Positivity in G3 by PCR occurred seven weeks after exposure. At the 15th week the air sac score means were 0.20, 0.55, and 0.32 and 24th week were 0.15, 0.80 and 0.66 (p>0.05). For trachea, G2 (0.48) yielded higher score average than G1 (0.10) and G3 (0.00) on the 15th week. Changes in G3 were seen only at 24th week, being this average (1.00) significantly different (p<0,05) from G1 (0.08) and G2 (0.46). SAR and PCR detected MG-F in G3 earlier than ELISA. Higher tracheal changes for G2 and G3 as compared to G1 could be ascribed to MG-F vaccine infection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Machado L.S., Santos F.F., Santos L.M.M., Tortelly R., Pimentel J.C., Sesti L., Pereira V.L.A. & Nascimento E.R. 2016. Transmission, serologic and tissue responses in chickens vaccinated with Mycoplasma gallisepticum F strain (MG-F). [Transmissão, resposta sorológica e tecidual de poedeiras vacinadas com Mycoplasma gallisepticum cepa F.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):401-404. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Pública, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Dr. Vital Brazil Filho 64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: elmiro@vm.uff.br Mycoplasma gallisepticum cepa F (MG-F) é altamente utilizada em vacinação de poedeiras. MG-F confere bons níveis de proteção às galinhas, deslocando MG de campo ou diminuindo o número deles no trato respiratório. Soroaglutinação Rápida (SAR), ELISA e PCR são testes no monitoramento da micoplasmose, enquanto a histopatologia, mesmo não sendo rotineira, é usada para avaliar a resposta das aves à infecção por MG. O objetivo deste estudo foi avaliar a transmissibilidade, soroconversão e alterações teciduais de MG-F em galinhas. Um total de 100 galinhas SPF foi utilizado, sendo 40 delas não vacinadas (G1), 40 vacinadas na 8ª semana de idade com MG-F (Ceva Saúde Animal, São Paulo/SP, Brasil) (G2) e 20 imunizadas por contato com aves do G2 (G3). Soros e suabes traqueais foram obtidos na 8ª, 12ª, 15ª, 18ª, 20ª, 24ª semana para monitoramento por SAR, ELISA e PCR. Fragmentos de traqueia e saco aéreo, para microscopia, foram feitas após necropsias na 15ª e 24ª semana. Até a 12ª semana não houve diferença significativa entre os grupos pela SAR. Houve reação a SAR a partir da 15ª semana com as seguintes médias: G1 (1,7; 1,76; 0,1; 0,15), G2 (7,81; 7,65; 8,25; 6,29) e G3 (8,1; 8,5; 9,5; 6,16), enquanto por ELISA a soroconversão ocorreu a partir da 18ª semana com médias de densidades óticas de G1 (0,19; 0,14; 0,16), G2 (0,47; 0,45; 0,41) e G3 (0,55; 0,51; 0,51). Todas as aves do G3 apresentaram positividade pela PCR sete semanas após exposição. Não houve diferença significativa entre as medias dos escores de saco aéreo entre os grupos, na 15ª semana (0,20; 0,55; 0,32) e 24ª semana (0,15; 0,80 e 0,66). Em relação à traqueia, G2 apresentou média maior na 15ª semana (0,48) que G3 (0,00) e G1 (0,10). Alterações em G3 foram observadas somente na 24ª semana onde as médias foram de 0,08(G1); 0,46 (G2) e 1,00 (G3), havendo significância (p<0,05) entre G1 e G3. SAR e PCR foram capazes de detectar a transmissão de MG-F de forma precoce em relação ao ELISA. Em relação ao G1 (controle negativo) as reações teciduais para os grupos vacinados foram mais intensas na 24ª semana, o que tudo indica sendo resposta à vacinação.


#5 - Mycoplasma gallisepticum as a risk factor on weight of broilers condemnated with airsacculitis by Federal Sanitary Inspection, 32(7):645-648

Abstract in English:

ABSTRACT.- Machado L.S., Nascimento E.R., Pereira V.L.A., Almeida D.O., Silva R.C.F. & Santos L.M.M. 2012. [Mycoplasma gallisepticum as a risk factor on weight of broilers condemnated with airsacculitis by Federal Sanitary Inspection.] Mycoplasma gallisepticum como fator de risco no peso de lotes de frangos de corte com condenação por aerossaculite na Inspeção Sanitária Federal. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):645-648. Departamento de Saúde Coletiva Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Dr. Vital Brazil Filho64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: leandromachadovet@yahoo.com.br The Brazilian poultry industry improves annually and is more representative on production and exportation of their products. Care on poultry health cooperates to these developments, however, respiratory agents that affect weight and carcass quality, continue to threaten poultry production. Airsacculitis is considered the main cause of total and/or partial condemnation of broilers carcasses, being Mycoplasma gallisepticum (MG) the most important agent of it. This study aimed to detect MG by “Polymerase Chain Reaction” (PCR) and to correlate its positivity with airsacculitis, weight losses and condemnated broilers by Federal Sanitary Inspection. A total of 40 flocks of slaughter broilers under Federal Inspection in Rio Grande do Sul, Brazil, were randomly selected. In each flock three broilers, regardless of sex, were randomly chosen for necropsy where tracheas were collected and polled in one sample for analysis. For PCR, DNA was extracted by the method of phenol-chloroform and amplified with pairs of specific primers for MG. From the 40 flocks PCR analyzed, 20% (8/40) were positive for MG. MG detection was found to be correlected with airsacculitis increase and weight decrease by multiple logistic regression equation (p<0,05), LogitPi= 7.9409 + (0,5601 x X1) - (3.3080 x X2). Airsacculitis rate increase also correleted with decrease in body weight by simple linear regression equation (p<0.05), Y= 2.1050 - 0.6397X. In conclusion, MG positivity is related to airsacculitis which causes weight loss in broilers. In addition, the PCR was an effective technique for the detection of MG in flocks of broilers, but was not affected by the kind of biological specimens collected, as tracheal scraping or swab.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Machado L.S., Nascimento E.R., Pereira V.L.A., Almeida D.O., Silva R.C.F. & Santos L.M.M. 2012. [Mycoplasma gallisepticum as a risk factor on weight of broilers condemnated with airsacculitis by Federal Sanitary Inspection.] Mycoplasma gallisepticum como fator de risco no peso de lotes de frangos de corte com condenação por aerossaculite na Inspeção Sanitária Federal. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):645-648. Departamento de Saúde Coletiva Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Dr. Vital Brazil Filho64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: leandromachadovet@yahoo.com.br A Indústria avícola brasileira cresce anualmente e se torna cada vez mais representativa na produção e exportação dos seus produtos. Os cuidados com a sanidade avícola têm acompanhado e favorecido essa evolução, entretanto, agentes respiratórios que afetam o peso e a qualidade da carcaça, continuam a provocar grandes prejuízos à produção avícola. A aerossaculite é considerada uma das principais causas da condenação total e/ou parcial de carcaças de frangos de corte, sendo de grande importância Mycoplasma gallisepticum (MG). O objetivo do presente estudo foi detectar MG pela PCR e correlacionar sua positividade a aerossaculite, queda de peso e condenação de carcaças de lotes de frangos de corte na Inspeção Sanitária Federal. Do total de 40 lotes de frangos de corte abatidos sob Inspeção Sanitária Federal, localizado no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil, foram selecionados ao acaso. Em cada lote, três frangos de corte, independente de sexo, foram randomicamente selecionados para necropsia, sendo as traquéias coletadas e agrupadas em pool para formação de uma amostra para análise. Pela PCR, o DNA foi extraído pelo método de fenol-clorofórmio e amplificado com pares de “primers” específicos para MG. Dos 40 lotes analisados pela PCR, 20% (8/40) foram positivos para MG. Houve relação entre a positividade para MG, aumento da taxa de aerossaculite e queda de peso por Regressão Logística Múltipla (p<0,05), LogitPi= 7,9409 + (0,5601 x X1) - (3,3080 x X2). O aumento da taxa de aerossaculite esteve relacionada à queda de peso por Regressão Linear Simples (p<0,05), Y= 2, 1050-0,6397X. Em conclusão, a positividade por MG está relacionada à aerossaculite que provoca queda de peso em frangos de corte. Em adição, a PCR foi uma técnica eficaz para a detecção de MG em lotes de frangos de corte, não sendo este diagnóstico influenciado pelo tipo de colheita do material biológico, por escarificado ou swab de traquéia.


#6 - Occurrence of infection with Toxoplasma gondii and factors associated with transmission in broiler chickens and laying hens in different raising systems, 32(3):231-236

Abstract in English:

ABSTRACT.- Millar P.R., Alves F.M.X., Teixeira V.Q., Vicente R.T., Menezes E.M., Sobreiro L.G., Pereira V.L.A. & Amendoeira M.R.R. 2012. Occurrence of infection with Toxoplasma gondii and factors associated with transmission in broiler chickens and laying hens in different raising systems. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(3):231-236. Laboratório de Toxoplasmose, Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz, Avenida Brasil 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ 21040-900, Brazil. E-mail: amendoei@ioc.fiocruz.br Toxoplasmosis is a zoonotic disease caused by the protozoan Toxoplasma gondii. The aim of the present study was to determine the occurrence and identify the risk factors associated with transmission of T. gondii to chickens raised in different systems (free-ranged and confined) to produce eggs or meat. The 810 animals were allocated in two experimental groups according to the production system purpose: 460 broiler chickens (Group 1) and 350 layer chickens (Group 2). In order to analyze the possible factors involved in T. gondii infection in the chickens, an epidemiological questionnaire was developed for all properties.The serological detection of anti-Toxoplasma gondii antibodies was performed by Indirect Immunofluorescence (IFAT) and by Enzime Linked Imunossorbent Assay (ELISA). Since the agreement index (kappa) between these two serological techniques was considered high, 21.2% of the 810 animals were considered reactive. In Group 1, 12.2% (56/460) were positive, while in the Group 2 the positivity rate was 33.1% (116/350). The production system may be influencing the seropositivity of the animals in both groups. However, only in Group 2 it was possible to notice a statistically significant relationship between the breeding system and the frequency of positive sera. This result indicates that, at least for laying hens, the production system is directly involved in T. gondii infection. The contact with cats in Group 1 did not influence the distribution of seroreactive animals, but in Group 2 a significant relationship was observed. The occurrence of anti-T. gondii antibodies was high in both groups (broiler and posture chickens). Free-ranged chickens raised for egg production proved to be the most exposed group to the T. gondii infection. This can be related to the fact that these animals stay for longer periods in the farms, in direct contact with possibly contaminated soil by the presence of domestic cats.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Millar P.R., Alves F.M.X., Teixeira V.Q., Vicente R.T., Menezes E.M., Sobreiro L.G., Pereira V.L.A. & Amendoeira M.R.R. 2012. Occurrence of infection with Toxoplasma gondii and factors associated with transmission in broiler chickens and laying hens in different raising systems. Ocorrência da infecção por Toxoplasma gon- dii e fatores associados à sua transmissão em aves de corte e postura produzidas em diferentes tipos de criação. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(3):231-236. Laboratório de Toxoplasmose, Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz, Avenida Brasil 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro, RJ 21040-900, Brazil. E-mail: amendoei@ioc.fiocruz.br A toxoplasmose é uma zoonose causada pelo protozo- ário Toxoplasma gondii. O objetivo deste estudo foi determinar a ocorrência e identificar os fatores de risco associados à transmissão de T. gondii para frangos criados em diferentes sistemas (caipira e confinado) para produzir ovos ou carne. Os 810 animais foram divididos em dois grupos experimentais de acordo com o propósito do sistema de produção: 460 frangos de corte (Grupo 1) e 350 galinhas poedeiras (Grupo 2). A fim de analisar os possíveis fatores envolvidos na infecção pelo T. gondii nas galinhas, um questionário epidemiológico foi respondido por todos os proprietários. A detecção sorológica de anticorpos anti-Toxoplasma gondii foi realizada pela técnica de imunofluorescência indireta (RIFI) e Enzime Linked Assay Imunossorbent (ELISA). Uma vez que o índice de concordância (kappa) entre estas duas técnicas sorológicas foi considerada alta, 21,2% dos 810 animais foram considerados reativos. No Grupo 1, 12,2% (56/460) foram positivos, enquanto no Grupo 2 a taxa de positividade foi de 33,1% (116/350). O sistema de produção pode estar influenciando a soropositividade dos animais em ambos os grupos. No entanto, apenas no Grupo 2, foi possível notar uma relação estatisticamente significativa entre o sistema de produção e da freqüência de soros positivos. Este resultado indica que, pelo menos para as galinhas poedeiras, o sistema de produção está diretamente envolvido na infecção pelo T. gondii. O contato com os gatos no Grupo 1 não influenciou a distribuição dos animais sororreagentes, mas no Grupo 2 uma relação estatisticamente significativa foi observada. A ocorrência de anticorpos anti-T. gondii foi alta nos dois grupos (frangos de corte e postura). Galinhas cairpiras criadas para produção de ovos provou ser o grupo mais exposto à infecção T. gondii. Isto pode estar relacionado ao fato de que estes animais ficam por períodos mais longos nas fazendas, em contato direto com o solo possivelmente contaminado pela presença de gatos domésticos.


#7 - Profile of antimicrobial resistance and detection of iss gene by the polymerase chain reaction in the typification of pathogenic Escherichia coli in meat type quails under sanitary inspection, 30(5):406-410

Abstract in English:

ABSTRACT.- Abreu D.L.C., Franco R.M., Nascimento E.R., Pereira V.L.A., Alves F.M.X. & Almeida J.F. 2010. [Profile of antimicrobial resistance and detection of iss gene by the polymerase chain reaction in the typification of pathogenic Escherichia coli in meat type quails under sanitary inspection.] Perfil de sensibilidade antimicrobiana e detecção do gene iss pela reação em cadeia da polimerase na tipificação de Escherichia coli patogênica em codornas de corte sob inspeção sanitária. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(5):406-410. Departamento de Tecnologia de Alimentos, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ 24320-340, Brazil. E-mail: dayseabreu@predialnet.com.br The pathogenicity of Escherichia coli strains is partially related to the expression of virulence factors genes, present in genetic elements called plasmids. APEC strains responsible for diseases in birds may present the iss gene which increases the resistance of E. coli strains to the lityc effect of the host’s serum, besides resistance to several antimicrobials. This study was conduced in order to detect E. coli in tracheae of meat-type quails and to evaluate, by the presence of the iss gene and the profile of antimicrobial susceptibility, the pathogenic potential of the isolated samples for birds and humans. One hundred and eighty tracheae of quails were collected for detection of E. coli, antimicrobial sensitivity tests, and for polymerase chain reaction (PCR), for detection of iss gene. From the examined quails, 8.9 % (16/180) were positive for E. coli, from which 20 strains of this bacterium were obtained. Most of them were resistant to Tetracycline (16/20), followed by Ceftadizime (13/20) and Nalidixic-acid (12/20) and only one isolate was resistant to Amoxicillin. The detection of iss gene occurred in 55% (11/20) of the isolates, indicating that these strains had the potential to be pathogenic not only for quails, but also for other kinds of birds, other animals and even human beings that would be in contact with these E. coli isolates.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Abreu D.L.C., Franco R.M., Nascimento E.R., Pereira V.L.A., Alves F.M.X. & Almeida J.F. 2010. [Profile of antimicrobial resistance and detection of iss gene by the polymerase chain reaction in the typification of pathogenic Escherichia coli in meat type quails under sanitary inspection.] Perfil de sensibilidade antimicrobiana e detecção do gene iss pela reação em cadeia da polimerase na tipificação de Escherichia coli patogênica em codornas de corte sob inspeção sanitária. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(5):406-410. Departamento de Tecnologia de Alimentos, Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ 24320-340, Brazil. E-mail: dayseabreu@predialnet.com.br A patogenicidade das cepas de Escherichia coli está relacionada à expressão de fatores de virulência encontrados em elementos genéticos denominados plasmídios. O patotipo APEC, responsável por diferentes tipos de doenças em aves, pode apresentar o gene iss que aumenta a resistência das cepas de E. coli aos efeitos líticos do soro, além da resistência a diversos antimicrobianos. Este estudo foi conduzido para detectar E. coli em traquéias de codornas destinadas ao abate e avaliar, pela presença do gene iss e o perfil de susceptibilidade antimicrobiana, o potencial patogênico para aves e humanos dos isolados obtidos. Foram coletadas 180 traquéias de codornas para detecção de E. coli, determinação do perfil de resistência a agentes antimicrobianos e posterior detecção, por reação em cadeia da polimerase (PCR), do gene iss. Das traquéias analisadas, 8,9 % (16/180) foram positivas para E. coli, sendo obtidos 20 isolados deste agente. A maioria dos isolados foi resistente à Tetraciclina (16/20), seguida pela Ceftazidima (13/20) e Ácido Nalidíxico (12/20), sendo apenas um resistente à Amoxicilina. A detecção do gene iss ocorreu em 55% (11/20) dos isolados. A presença do gene iss e a resistência a múltiplos antimicrobianos dos isolados obtidos neste estudo pode indicar um possível potencial patogênico das cepas de E. coli tanto para codornas quanto para outros tipos de aves e animais e mesmo para o ser humano que fique em contato com as mesmas.


#8 - Detection of Mycoplasma mycoides cluster by indirect immunoperoxidase (IPI) and PCR-REA in the ear canal of bovines, 30(5):465-469

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos S.B., Nascimento E.R., Faccini J.L.H., Barreto M.L., Almeida J.F., Pereira V.L.A. & Campos C.A.M. 2010. [Detection of Mycoplasma mycoides cluster by indirect immunoperoxidase (IPI) and PCR-REA in the ear canal of bovines.] Detecção do Grupo Mycoplasma mycoides por imunoperoxidase indireta (IPI) e PCR-REA em conduto auditivo de bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(5):465-469. Departamento de Saúde Coletiva Veterinária e Saúde Pública, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: elmiro@vm.uff.br Mycoplasma mycoides cluster (MMC) was diagnosed by polimerase chain reaction-restriction endonuclease analysis (PCR-REA) and indirect immunoperoxidase (IPI), both, carried out in flushing from external ear canal, collected from bovine at slaughter time in the State of Rio de Janeiro, southeastern, Brazil. A total of 60 bovines were randomly selected. Sterile syringes (60mL) loaded with buffer solution (PBS, pH 7.2) were used for the ear canal flushing. The obtained samples were stored in glycerol (1:2) and frozen at -20oC until use. These specimens were diluted up to 10-5, inoculated in liquid and solid modified Hayflick´s media and incubated at 37oC for 2-3 days. The plates were kept in a microaerophilia condition and examined every two days under a stereomicroscope for the presence of typical colonies “fried-egg”. In this study, 35 strains selected in agreement with their biochemistry and physiologic proprieties, were used. From the 60 cultivated samples, 48 (80.00%) were positive for Mycoplasma spp. Under IPI the prevalence obtained for MMC was 20.0% (12/60) while by PCR-REA it was 41.7% (25/60). The IPI typing of these isolates resulted in 58.3% (7/12) for M.mycoides mycoides LC and 41.7% (5/12) for M. capricolum. PCR-REA for MMC was confirmed by the amplicon size of 785bp, compatible with this group. The Kappa value for the association between these two tests was 0.14 (p>0.05). After restriction analysis with AluI in all MMC strains the fragments size obtained were of 81, 98, 186 and 236bp, but not of 370bp that is compatible with Mycoides mycoides mycoides SC of bovine type. The presence of mycoplasmas species in the ear canal of asymptomatic bovines represent a risk of subsequent propagation of Mycoplasma spp. among bovine herds in Brazil.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos S.B., Nascimento E.R., Faccini J.L.H., Barreto M.L., Almeida J.F., Pereira V.L.A. & Campos C.A.M. 2010. [Detection of Mycoplasma mycoides cluster by indirect immunoperoxidase (IPI) and PCR-REA in the ear canal of bovines.] Detecção do Grupo Mycoplasma mycoides por imunoperoxidase indireta (IPI) e PCR-REA em conduto auditivo de bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(5):465-469. Departamento de Saúde Coletiva Veterinária e Saúde Pública, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: elmiro@vm.uff.br O Grupo Mycoplasma mycoides (GMM) foi diagnosticado por PCR-REA e imunoperoxidase indireta (IPI) em amostras de lavados de conduto auditivo de bovinos no Estado do Rio de Janeiro, Brasil. 60 bovinos foram selecionados aleatoriamente. As lavagens foram feitas com uso de seringas estéreis contendo um volume de 60 mL de solução salina tamponada (PBS pH 7.2). As amostras obtidas foram estocadas em glicerol (1:2) e congeladas a -20oC até uso. Estas amostras foram diluídas até 10-5 e repicadas em meio Hayflick modificado, sólido e líquido, sendo incubados a 37oC por 48-72 horas. As placas foram mantidas em microaerofilia e observadas diariamente, para visualização das colônias típicas em “ovo-frito”. Das 60 amostras cultivadas, 48 (80,00%) foram positivas para Mycoplasma spp. A prevalência obtida para o GMM na IPI foi de 20,0% (12/60) enquanto na PCR-REA foi de 41,7% (25/60). Das cepas tipificadas pela IPI 58,3% (7/12) foram M. mycoides subsp. mycoides LC e 41,7% (5/12) foram M. capricolum. Na PCR-REA o grupo M. mycoides foi confirmado pela visualização de um amplicon de 785bp, compatível com este grupo. O valor encontrado no teste Kappa para associação entre estes testes foi de 0,14 (P>0,05. Na clivagem do produto da PCR com a enzima de restrição AluI, de cepas de referências e dos isolados de ouvido os fragmentos obtidos foram de 81, 98, 186 e 236pb, mas não de 370pb, que é específica para o agente da Pleuropneumonia Contagiosa Bovina. A presença de espécies de micoplasmas no conduto auditivo de bovinos assintomáticos representa um risco para propagação de Mycoplasma spp. entre rebanhos bovinos no Brasil.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV