Resultado da pesquisa (10)

Termo utilizado na pesquisa Pessoa C.R.M

#1 - Systemic acanthamoebiasis associated with canine distemper in dogs in the semiarid region of Paraíba, Brazil, 35(2):160-164

Abstract in English:

ABSTRACT.- Frade M.T.S., Melo L.F., Pessoa C.R.M., Araújo J.L., Fighera R.A., Souza A.P., Uzal F. & Dantas A.F.M. 2015. Systemic acanthamoebiasis associated with canine distemper in dogs in the semiarid region of Paraíba, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(2):160-164. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br Infections by free-living amoebae can cause systemic disease in animals and humans. We describe the epidemiological, clinical and pathological aspects of disseminated acanthamoebiasis associated with canine distemper in three dogs of the semiarid region of Paraíba, Northeastern Brazil. Affected dogs developed progressive neurological and respiratory signs that progressed to death within in two to 20 days. Gross lesions were irregular and with yellow-reddish nodules randomly distributed in the lungs, heart, kidneys, spleen, lymph nodes, adrenals, and intestine. One dog had foci of malacia in the parietal cortex and another one in nucleus of brain basis. Histologically, pyogranulomas with areas of necrosis and hemorrhage in all organs affected were observed, associated with myriads of intralesional amoebic trophozoites. All three cases were concomitant canine distemper, that possibly triggered immunosuppression in the dogs. The diagnosis was performed through microscopic findings of infection by free-living amoebae and confirmed Acanthamoeba sp. by immunohistochemistry.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Frade M.T.S., Melo L.F., Pessoa C.R.M., Araújo J.L., Fighera R.A., Souza A.P., Uzal F. & Dantas A.F.M. 2015. Systemic acanthamoebiasis associated with canine distemper in dogs in the semiarid region of Paraíba, Brazil. [Acanthamoebíase sistêmica associada a cinomose canina em cães na região semiárida da Paraíba.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(2):160-164. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br Infecções por amebas de vida livre podem causar doença sistêmica nos animais e no homem. Descrevem-se os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos de acanthamoebíase disseminada associada com cinomose em três cães na região semiárida da Paraíba, Nordeste do Brasil. Os cães afetados desenvolveram sinais respiratórios e neurológicos progressivos, que evoluíram para a morte em dois a 20 dias. Na necropsia havia áreas nodulares, irregulares e amarelo-avermelhadas distribuídas aleatoriamente em pulmões, coração, rins, fígado, baço, linfonodos, adrenal e intestino. Em um caso havia foco de malácia no córtex parietal e outro em núcleo da base encefálica. Histologicamente, foram observados piogranulomas com áreas de necrose e hemorragia em todos os órgãos afetados, associados a miríades de amebas intralesionais. Nos três casos havia cinomose concomitante, que possivelmente desencadeou imunossupressão nos cães. O diagnóstico foi realizado através dos achados microscópicos de infecção por amebas de vida livre e confirmado Acanthamoeba sp. pela imuno-histoquímica.


#2 - Large luteal cell megalocytosis in pregnant cows with chronic seneciosis, 35(1):33-38

Abstract in English:

ABSTRACT.- Krabbe A.A., Gonçalves M.A., Pozzobon R., Pessoa C.R.M., Soares M.P., Costa R.A. & Anjos B.L. 2015. [Large luteal cell megalocytosis in pregnant cows with chronic seneciosis.] Megalocitose de células luteínicas grandes de vacas prenhes com seneciose crônica. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1):33-38. Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, RS 97500-970, Brazil. E-mail: anjosbl@gmail.com Several species of Senecio are widely distributed on pasture lands in Southern Brazil. Farmers from this region are known to complain about declines in reproductive rates in cattl from undetermined causes. Several poisonous plants can cause direct and indirect reproductive disorders in cattle in several countries, including Brazil. However, their pathogenetic mechanisms are still poorly understood. The aim of this study is to describe ovarian lesions in cows with chronic seneciosis, from farms located in the Southwest Mesoregion of Rio Grande do Sul, a southern state in Brazil. Twenty-one cases of bovine chronic seneciosis diagnosed between 2011 and 2014 were analyzed. The study showed that chronic seneciosis is the major cause of death in adult cattle in the region. Four pregnant cows showing classical necropsy large luteal cells (LLG) from the ovaries of these four cows had marked megalocytosis and nuclear pseudo-inclusions. Some LLG showed nuclei with up to 23.69μm in diameter and the increase in size of these nuclei was significantly greater than measured those of control cows. It is concluded that the ingestion Senecio spp. induces ovarian changes in cows and the intoxication should be considered as a possible cause of reproductive failure in cattle herds from this region.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Krabbe A.A., Gonçalves M.A., Pozzobon R., Pessoa C.R.M., Soares M.P., Costa R.A. & Anjos B.L. 2015. [Large luteal cell megalocytosis in pregnant cows with chronic seneciosis.] Megalocitose de células luteínicas grandes de vacas prenhes com seneciose crônica. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1):33-38. Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade Federal do Pampa, Uruguaiana, RS 97500-970, Brazil. E-mail: anjosbl@gmail.com Diversas espécies de Senecio estão amplamente difundidas nas pastagens de propriedades rurais do Sul do Brasil. Criadores dessa região relatam quedas nos índices reprodutivos dos rebanhos bovinos, muitas vezes de causas não determinadas. Várias plantas tóxicas são capazes de causar alterações reprodutivas diretas e indiretas em bovinos em diversos países, incluindo o Brasil, no entanto seus mecanismos patogenéticos ainda são pouco compreendidos. O objetivo desse trabalho é descrever lesões ovarianas em vacas com seneciose crônica proveniente de propriedades rurais da mesorregião Sudoeste Rio-grandense. Foram estudados 21 casos positivos de seneciose crônica diagnosticados entre 2011 e 2014. O estudo revelou que a seneciose crônica é a principal causa de morte de bovinos adultos na região. Quatro vacas prenhes apresentaram lesões hepáticas clássicas da intoxicação por Senecio spp. Essas vacas tiveram seus ovários avaliados histologicamente e células luteínicas grandes (CLG) desses ovários apresentavam megalocitose e pseudoinclusões nucleares. Algumas CLG apresentaram núcleos com até 23,69µm de diâmetro e o aumento no tamanho desses núcleos foi significativamente maior que os de vacas controle. Conclui-se que a intoxicação por Senecio spp. causa alterações ovarianas em vacas e é possível que a intoxicação cause perdas reprodutivas nos rebanhos bovinas da região.


#3 - Diseases of donkeys and mules in the brazilian semiarid, 34(12):1210-1214

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G. & Riet-Correa F. 2014. [Diseases of donkeys and mules in the brazilian semiarid.] Doenças de asininos e muares no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1210-1214. Hospital Veteri­nário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com The diseases of donkeys and mules in the semiarid region of northeastern Brazil were evaluated in a retrospective study of 200 donkeys and 58 mules, in the Veterinary Hospital of Federal University of Campina Grande, from January 2002 to December 2012. Data records of these animals as identification, anamnesis, clinical examination, treatment protocol, and outcome of cases were collected. The affected systems in order of frequency of cases were: integument, 88 cases; musculoskeletal, 78; digestive, 36; nervous, 23; reproductive, 15; and respiratory, 6. Eight animals were examined before orquiectomy; three animals had inconclusive diagnosis and one animal suffered a bee attack. The main diseases diagnosed in donkeys were traumatic wounds (32/200), fractures (27/200) and colic (14/200). In mules the main diagnoses were colic (8/58) and traumatic wounds (6/58). Fractures were the main motivation for performing euthanasia (22/200 donkeys and 3/58 mules). It is concluded that most diagnosed diseases are associated with mistreatment or lack of attention to the animals and should be prevented through awareness and education campaigns of owners and handlers.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G. & Riet-Correa F. 2014. [Diseases of donkeys and mules in the brazilian semiarid.] Doenças de asininos e muares no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1210-1214. Hospital Veteri­nário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com As doenças de asininos e muares na região semiárida do nordeste do Brasil foram avaliadas em um estudo retrospectivo dos 258 atendimentos realizados no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande no período de janeiro de 2002 a dezembro de 2012. Dos prontuários desses animais foram coletados dados referentes a identificação, anamnese, exame clínico, diagnóstico, protocolo de tratamento e evolução dos casos. Durante o período analisado foram atendidos 200 asininos e 58 muares. Os sistemas afetados foram os seguintes em ordem de frequência: tegumentar, 88 casos; musculoesquelético, 78; digestivo, 36; nervoso, 23; reprodutor, 15; e respiratório, 6. Oito animais foram atendidos para avaliação pré-cirúrgica e encaminhados para orquiectomia; três animais tiveram diagnóstico inconclusivo e um animal sofreu acidente por picada de abelha. As principais enfermidades diagnosticadas nos asininos foram feridas traumáticas (33/200), fraturas (27/200) e cólica (14/200). Para os muares os principais diagnósticos foram cólica (8/58) e feridas traumáticas (6/58). Em ambas as espécies as fraturas foram a principal causa para realização de eutanásia (22/200 asininos e 3/58 muares). Conclui-se que a maioria das doenças diagnosticadas estão associadas com maus tratos ou falta de atenção com os animais e devem ser prevenidas mediante campanhas de conscientização e educação dos proprietários e tratadores, esclarecendo sobre a importância das melhorias do manejo e do bem-estar dos animais.


#4 - Skin disease of equidae in the Brazilian semiarid region, 34(8):743-748

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G., Dantas A.F.M. & Riet-Correa F. 2014. [Skin disease of equidae in the Brazilian semiarid region.] Doenças de pele em equídeos no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):743-748. Hospital Veterinário, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Avenida Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com Diseases that affect the skin and appendages of equidae in the semiarid region of northeastern Brazil were analyzed through a retrospective study of records of the Large Animal Clinic of the Veterinary Hospital at the Federal University of Campina Grande, from January 2002 to December 2012. At all, 2054 equidae entered the hospital being 1786 horses, 200 donkeys, and 58 mules. A total of 535 (26.05%) were affected by skin diseases, 447 horses, 68 donkeys and 20 mules. In horses the more prevalent skin diseases were pythiosis (24.38%), traumatic injuries (23.04%), abscesses (12.75%), granulation tissue (8.5%), and habronemiasis (7.38%); together, these diseases represented 76% of dermatological problems observed in this species. In donkeys the more frequent diseases, representing 79.84% of the skin diseases, were traumatic wounds (47.5%), sarcoid (19.11%), and abscesses (13.23%). In mules the most frequent disease was traumatic wounds (30%) and habronemiasis and squamous cell carcinoma (15% each), which together accounted for 60% of the skin diseases in this species. It is concluded that skin diseases are important in equidae in the semiarid region of northeastern Brazil and the knowledge generated in this work is important for the diagnosis and treatment of these diseases.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa A.F.A., Pessoa C.R.M., Miranda Neto E.G., Dantas A.F.M. & Riet-Correa F. 2014. [Skin disease of equidae in the Brazilian semiarid region.] Doenças de pele em equídeos no semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):743-748. Hospital Veterinário, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Avenida Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: andref_vet@hotmail.com As doenças que acometem a pele e anexos de equídeos no semiárido nordestino foram analisadas mediante um estudo retrospectivo dos registros de atendimento na Clínica de Grandes Animais do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande, de janeiro de 2002 a dezembro de 2012. Dos 2.054 atendimentos 1.786 eram equinos, 200 eram asininos e 58 eram muares. Os diagnósticos de dermatopatias totalizaram 535 casos (26,05%) dos quais 447 foram em equinos, 68 em asininos e 20 em muares. Nos equinos as dermatopatias mais frequentes foram a pitiose (24,38%), as feridas traumáticas (23,04%), os abscessos (12,75%), o tecido de granulação (8,5%) e a habronemose (7,38%). Juntas essas enfermidades totalizaram 76,05% dos diagnósticos de dermatopatias para essa espécie. Em asininos as doenças mais frequentes foram feridas traumáticas (47,5%), sarcoide (19,11%) e abscessos (13,23%). Estas enfermidades juntas representaram 79,84% das doenças de pele nesta espécie. Os muares apresentaram feridas traumáticas em 30% dos casos e carcinoma de células escamosas e habronemose em 15% cada. As três enfermidades representaram 60% dos diagnósticos de doenças de pele nesta espécie. Conclui-se que as doenças de pele são uma das principais causas de atendimento clínico em equídeos na região semiárida do nordeste do Brasil e os conhecimentos gerados neste estudo são importantes para o reconhecimento, diagnóstico e tratamento das mesmas.


#5 - Economic impact, epidemiology and control poisonous plants in Brazil, 33(6):752-758

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T. & Riet-Correa F. 2013 [Economic impact, epidemiology and control poisonous plants in Brazil.] Importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):752-758. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, CSTR, Patos, PB 58700-310, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br The economic impact, epidemiology and control of plant poisonings in Brazil are reviewed. With the data obtained from diagnostic laboratories from different Brazilian regions, annual losses due to animal deaths are estimated in approximately 820.761 to 1.755.763 cattle, 399.800 to 445.309 sheep, 52.675 to 63.292 goats, and 38.559 horses. In Brazil toxic plants include 131 species within 79 genera, but this number is increasing continuously. However, most economic losses are caused by few plants including Palicourea marcgravii, Amorimia spp., Senecio spp., Pteridium aquilinum, Ateleia glazioviana and Cestrum laevigatum in cattle, Brachiaria spp. in cattle and sheep, Nierembergia veitchii, Mimosa tenuiflora and Ipomoea asarifolia in sheep, swainsonine-containing plants (Ipomoea carnea, Turbina cordata and Sida carpinifolia) in goats, and Brachiaria humidicola and Crotalaria retusa in horses. The main factors that determine the occurrence and frequency of plant poisoning include palatability, hunger, thirst, social facilitation, unawareness of the plant, access to toxic plants, toxic dose, ingestion period, variations in toxicity, and animal resistance/susceptibility. The results obtained in Brazil with the use of biological control, conditioned food aversion, selection of non-toxic varieties of forages, use of resistant animals to poisoning, and techniques to induce resistance are described.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T. & Riet-Correa F. 2013 [Economic impact, epidemiology and control poisonous plants in Brazil.] Importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):752-758. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, CSTR, Patos, PB 58700-310, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br A importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas em animais domésticos no Brasil são revisadas. Com os dados dos laboratórios de diagnóstico de diferentes regiões do país, as perdas anuais por mortes de animais foram estimadas em 820.761 a 1.755.763 bovinos, 399.800 a 445.309 ovinos, 52.675 a 63.292 caprinos e 38.559 equinos. No Brasil, atualmente, o número de plantas tóxicas é de 131 espécies e 79 gêneros e aumenta permanentemente. No entanto, a maioria das perdas são causadas por poucas plantas, incluindo Palicourea marcgravii, Amorimia spp., Senecio spp., Pteridium aquilinum, Ateleia glazioviana e Cestrum laevigatum em bovinos, Brachiaria spp em bovinos e ovinos, Nierembergia veitchii, Mimosa tenuiflora e Ipomoea asarifolia em ovinos, plantas que contêm swainsonina (Ipomoea carnea, Turbina cordata e Sida carpinifolia) em caprinos e Brachiaria humidicola e Crotalaria retusa em equinos. Os principais fatores epidemiológicos relacionados às intoxicações por plantas incluem palatabilidade, fome, sede, facilitação social, desconhecimento da planta, acesso a plantas tóxicas, dose tóxica, período de ingestão, variações de toxicidade e resistência/susceptibilidade dos animais às intoxicações. Quanto aos métodos de controle e profilaxia descrevem-se os resultados obtidos no Brasil com métodos recentemente desenvolvidos, incluindo controle biológico, aversão alimentar condicionada, utilização de variedades não tóxicas de forrageiras, utilização de animais resistentes às intoxicações e técnicas de indução de resistência.


#6 - Pythiosis in sheep from Pernambuco and Bahia States, Brazil, 33(4):476-482

Abstract in English:

ABSTRACT.- Carrera M.V., Peixoto R.M., Gouveia G.V., Pessoa C.R.M., Jesus F.P.K., Santurio J.M., Botton S.A. & Costa M.M. 2013. [Pythiosis in sheep from Pernambuco and Bahia States, Brazil.] Pitiose em ovinos nos estados de Pernambuco e Bahia. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):476-482. Campus Ciências Agrárias, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Rodov. BR 407 Km 12, Lote 543, Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho s/n, Petrolina, PE 56300-990, Brazil. E-mail: rodolfo.peixoto@ifsertao-pe.edu.br Pythiosis is a devastating infectious disease caused by an aquatic oomycete, Pythium insidioum, and affects animals and humans that inhabit wetlands. The disease is characterized mainly by granulomatous lesions in the hosts. The purpose of this study was to report the occurrence of pythiosis in sheep in the states of Pernambuco (PE) and Bahia (BA), Northeastern Brazil, as well as to evaluate the efficacy of an immunotherapic against ovine pythiosis. Blood samples were collected from 53 sheep, 49 from flocks in counties located in PE and four from BA. Seven sheep showed clinical signs of ovine pythiosis; one of them was submitted to euthanasia and its head and submandibular lymph node was collected and sent for histopathologic and mycological analyses. Other six sheep were treated with an immunotherapic. During the treatment the animals were kept in the Sheep Industry Sector facilities at Univasf/Petrolina-PE. ELISA, fungal culture and polymerase chain reaction (PCR) methods were used to confirm the diagnosis of clinical ovine pythiosis in the sheep flock. At microscopic examination of the material collected from the nasal cavity of a sheep euthanized was observed a focally extensive area of necrosis with presence of diffuse infiltration of intact and degenerated neutrophils bordering the cartilage. Only one sheep showed clinical cure, indicating efficiency in the pythiosis treatment of 16.7% (1/6). Ovine pythiosis has been increasing in several municipalities of PE and BA. In this context, the immunotherapy may be an alternative to be searched. Therefore, further studies are needed to investigate the effect of immunotherapy on ovine pythiosis.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Carrera M.V., Peixoto R.M., Gouveia G.V., Pessoa C.R.M., Jesus F.P.K., Santurio J.M., Botton S.A. & Costa M.M. 2013. [Pythiosis in sheep from Pernambuco and Bahia States, Brazil.] Pitiose em ovinos nos estados de Pernambuco e Bahia. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):476-482. Campus Ciências Agrárias, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Rodov. BR 407 Km 12, Lote 543, Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho s/n, Petrolina, PE 56300-990, Brazil. E-mail: rodolfo.peixoto@ifsertao-pe.edu.br A pitiose é uma doença infecciosa causada pelo oomiceto aquático P. insidiosum que acomete animais e o homem, especialmente habitantes de áreas úmidas. A enfermidade apresenta como característica principal a formação de lesões com aspecto granulomatoso nos hospedeiros. Neste trabalho, relatou-se a ocorrência da pitiose em ovinos nos estados de Pernambuco (PE) e Bahia (BA), Nordeste do Brasil, bem como foi avaliada a eficácia de um imunoterápico frente a esta enfermidade. Amostras de sangue de 53 ovinos foram coletadas, sendo 49 animais oriundos de propriedades localizadas em PE e quatro animais provenientes da BA. Sete ovinos demonstraram sinais clínicos de pitiose ovina. Um dos animais foi submetido à eutanásia e sua cabeça e linfonodo submandibular foram coletados e enviados para análises laboratoriais. Seis ovinos foram submetidos à imunoterapia, sendo mantidos nas instalações do setor de ovinocultura da Univasf/Petrolina-PE durante o tratamento. As técnicas de ELISA, cultura fúngica e reação em cadeia da polimerase (PCR) foram utilizadas como métodos diagnósticos da pitiose ovina, sendo eficientes para confirmação dos casos clínicos no rebanho. Ao exame microscópico do material coletado da cavidade nasal de um animal eutanasiado, observou-se uma área focalmente extensa de necrose com presença de infiltrado difuso de neutrófilos íntegros e degenerados margeando a cartilagem. Somente um animal apresentou cura clínica, indicando uma eficiência no tratamento da pitiose de 16,7% (1/6). O aumento de casos de pitiose tem sido denotado em diversos municípios de PE e da BA. Neste contexto, o emprego do imunoterápico pode ser uma alternativa a ser pesquisada. Portanto, estudos futuros devem ser realizados para investigar o efeito da imunoterapia aplicada à pitiose em ovinos.


#7 - Acute abdomen in equidae in the semiarid of the Brazilian Northeast, 32(6):503-509

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa A.F.A, Miranda Neto E.G., Pessoa C.R.M., Simões S.V.D., Azevedo S.S. & Riet-Correa F. 2012. [Acute abdomen in equidae in the semiarid of the Brazilian Northeast.] Abdômen agudo em equídeos no semiárido do Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(6):503-509. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus de Patos, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58700-070, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br The cases of equidae acute abdomen diagnosed in the Veterinary Hospital of the Federal University of Campina Grande, in the semiarid of the Brazilian Northeast were reviewed. From January 2001 to December 2011, 70 (4.5%) equidae out of 1542 were affected by colic, including 60 horses, 4 mules, and 6 donkeys. Large colon impaction diagnosed in 37.14% of the cases was the most frequent cause of colic, followed by small colon impaction (10%) and foreign body in the small colon (7.14%). In four cases, colics were caused by phytobezoars in the large gut, two of which were associated with the ingestion of large amounts of fresh Prosopis juliflora pods. Six cases of colic by foreign bodies, mainly plastic bags, were observed, five located in the small colon and one in the large colon. Strangulating small intestinal lesions were observed in four cases. Other causes of colic were spasmodic colic (two cases due to gastrointestinal parasites and two due to consumption of home residues), and gastric impaction (three cases). Large colon displacement was diagnosed twice. Laceration of the small colon, cecal torsion, and bloat by ingestion of Manihot esculenta were diagnosed once. The main risk factor for the occurrence of colic was the ingestion of choped Pennisetum purpureum, Brachiaria spp., Sorghum spp. or Echinochloa polystachya (OR=4.03; P=0.007). As a result of the low quality of the foods the frequency of colic was significantly higher during the dry season (second semester) (OR=2.61; P<0.01). It is concluded that feeding with low quality forages during the dry season contributes with the high frequency of cases of colic in the Brazilian semiarid, and that is necessary to improve food quality and food management to try to decrease the frequency of this syndrome in the region.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa A.F.A, Miranda Neto E.G., Pessoa C.R.M., Simões S.V.D., Azevedo S.S. & Riet-Correa F. 2012. [Acute abdomen in equidae in the semiarid of the Brazilian Northeast.] Abdômen agudo em equídeos no semiárido do Nordeste do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(6):503-509. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Campus de Patos, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58700-070, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br Foram revisados os casos de abdômen agudo de origem gastrintestinal em equídeos atendidos no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Campina Grande, em Patos, Paraíba. No período de janeiro de 2001 a dezembro de 2010. Setenta (4,5%) do total de 1542 equídeos atendidos no período apresentaram quadro clínico de cólica, sendo 60 equinos, cinco muares e cinco asininos. A compactação de cólon maior foi a causa mais frequente de cólica, diagnosticada em 37,14% dos casos, seguida por compactação de cólon menor (10%) e corpo estranho de cólon menor (7,14%). Em quatro casos as cólicas foram causadas pela presença de fitobezoares no intestino grosso, sendo dois deles associados ao consumo de vagens de Prosopis juliflora. Em cinco casos foi observada a presença de corpos estranhos no cólon menor e em um caso os corposestranhos foram encontrados no cólon maior, sendo principalmente sacos plásticos. As lesões estrangulantes do intestino delgado foram observadas em quatro casos. Outras causas foram cólica espasmódica (dois casos por parasitose e dois por ingestão de resíduos domiciliares), sobrecarga gástrica (três casos) e deslocamento de cólon maior que foi diagnosticado em dois animais. Laceração de cólon menor, torção de ceco, compactação de ceco e timpanismo por consumo de Manihot esculenta foram diagnosticados em uma única ocasião. O principal fator de risco para o desenvolvimento de cólicas foi o consumo de Pennisetum purpureum, Brachiaria decumbens, Sorghum spp. ou Echinochloa polystachya picados manualmente ou em picotadeira ou triturados em forrageira (OR=4,03; P=0,007). Como resultado da baixa qualidade dos alimentos ingeridos, a frequência dos atendimentos de equídeos portadores de cólica foi significativamente maior no segundo semestre (época da seca na região estudada) (OR=2,61; P<0,01). Concluiu-se que a oferta de volumoso de baixa qualidade na seca contribui para a alta frequência de casos de cólica e que o manejo alimentar tem um papel importante na ocorrência da doença e, por isso, a sua melhoria pode influenciar positivamente na redução do número de casos de cólica em equídeos no semiárido nordestino.


#8 - Poisoning by Indigofera suffruticosa (Leg. Papilionoideae) in cattle, 30(11):953-957

Abstract in English:

ABSTRACT.- Salvador I.S., Medeiros R.M.T., Pessoa C.R.M., Dantas A.F.M., Riet-Correa F. & Sucupira G.J. 2010. [Poisoning by Indigofera suffruticosa (Leg. Papilionoideae) in cattle.] Intoxicação por Indigofera suffruticosa (Leg. Papilionoideae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(11):953-957. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, 58700-970 Patos, PB, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com.br Poisoning by Indigofera suffruticosa was diagnosed on a farm in the state of Paraíba, in the Brazilian semiarid region, in a herd of 25 cows and one bull. The herd was grazing for ten days in a paddock severely invaded by I. suffruticosa. Five days after the introduction into the paddock some cows showed red urine, and in ten days, when the herd was removed from the pastures, six cows had decreased milk production and hemoglobinuria. Five days after being withdrawn from the pastures, one cow showed aggressiveness and two days later was found death. At necropsy, the liver was yellowish with petechial hemorrhages on the surface and had increased lobular pattern. The kidneys were dark and with red spots up to 2mm in diameter in the surface, which extended radially into the renal cortex. The urinary bladder was full of dark red urine. Upon histologic examination the kidneys had multifocal areas of ischemic tubular necrosis with hemoglobin deposition in the epithelial cells and hemoglobin casts in the tubules. The liver had diffuse paracentral and occasionally centrolobular coagulative necrosis. The other affected cows recovered spontaneously within 3-8 days after having been moved from the paddock. It is concluded that poisoning by I. suffruticosa, despite the spontaneous recovering of most cattle, can cause the death of some affected animals by acute hemolytic anemia.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Salvador I.S., Medeiros R.M.T., Pessoa C.R.M., Dantas A.F.M., Riet-Correa F. & Sucupira G.J. 2010. [Poisoning by Indigofera suffruticosa (Leg. Papilionoideae) in cattle.] Intoxicação por Indigofera suffruticosa (Leg. Papilionoideae) em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(11):953-957. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, 58700-970 Patos, PB, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com.br Em uma propriedade do Município de Aparecida, no sertão da Paraíba, foi diagnosticada intoxicação por Indigofera suffruticosa em um rebanho de 25 vacas e um boi que foram colocados em um piquete que continha predominantemente I. suffruticosa onde permaneceram durante 10 dias. No quinto dia de pastejo o proprietário observou urina com coloração vermelho escura em uma vaca e ao final de dez dias de pastejo havia seis vacas doentes apresentando hemoglobinúria e diminuição na produção leiteira. No quinto dia após serem retiradas do pasto uma vaca apresentou agressividade e no sétimo dia foi encontrada morta pela manhã. Na necropsia o fígado apresentava coloração amarelada com pontos avermelhados e aumento do padrão lobular. A bexiga encontrava-se repleta com urina de cor vermelho escura. Os rins estavam escuros e com áreas hemorrágicas, de até 2mm, que se estendiam radialmente para dentro do córtex e parte da medula. Na histologia, os rins apresentavam áreas multifocais de necrose tubular isquêmica aguda com deposição de hemoglobina nas células epiteliais e cilindros de hemoglobina nos túbulos. No fígado havia necrose de coagulação difusa paracentral e ocasionalmente centrolobular. Os demais bovinos afetados se recuperaram espontaneamente 3-8 dias após serem retirados da pastagem. Conclui-se que a intoxicação por I. suffruticosa apesar de apresentar recuperação espontânea na maioria dos bovinos, mesmo se estes continuam ingerindo a planta, pode causar a morte de alguns animais por anemia aguda.


#9 - Tremorgenic disease in ruminants and equidae in the Brazilian semiarid, 30(7):541-546

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T., Dantas A.F., Oliveira O.F. & Riet-Correa F. 2010. [Tremorgenic disease in ruminants and equidae in the Brazilian semiarid.] Doença tremorgênica em ruminantes e equídeos no semiárido da Paraiba. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(7):541-546. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, 58700-970 Patos, PB, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com Eight outbreaks of a tremorgenic disease are reported in ruminants and equidae in the semiarid region of the Brazilian state of Paraíba. Seven outbreaks occurred from July to December 2007, with highest frequency in September and October. Another outbreak was observed in February 2008. All outbreaks occurred during the dry season. The disease affected horses, mules, cattle and sheep. Clinical signs were staggering, hypermetria, ataxia, wide-based stance and alertness. After being removed from pastures the animals recovered in a period of 3-4 days to two weeks, however when returned to the pasture clinical signs reappeared. One affected sheep was euthanized and necropsied. Gross and histologic lesions were not observed. Different grasses including Digitaria bicornis, Enteropogon mollis, Chloris virgata and Chloris barbata were present in the pastures where the disease occurred. In six farms the disease occurred in cultures of Opuntia ficcus-indica invaded by grasses and two in deforested native vegetation invaded by similar grasses. Two horses were fed ad libitum during seven days, mature forage collected in pastures where the disease occurred. One horse showed mild signs of the disease on the fifth day of consumption, but recovered one day later. These results suggest that the disease is associated with the ingestion of some graminae, probably Chloris spp. Previous reports mentioned the occurrence of a similar disease, between 1956 and 1962, in the semiarid region of Pernambuco, in pastures with Chloris orthonothon.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T., Dantas A.F., Oliveira O.F. & Riet-Correa F. 2010. [Tremorgenic disease in ruminants and equidae in the Brazilian semiarid.] Doença tremorgênica em ruminantes e equídeos no semiárido da Paraiba. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(7):541-546. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, 58700-970 Patos, PB, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com Descrevem-se oito surtos de uma doença tremorgênica em bovinos, ovinos, equinos e muares na região do Cariri, semiárido da Paraíba. Sete surtos aconteceram de julho a dezembro de 2007, com maior frequência entre setembro e outubro. Outro surto foi observado em fevereiro de 2008. Todos os surtos ocorreram no período da seca. Os sinais observados foram tremores musculares, hipermetria, ataxia, aumento da base de sustentação, constante estado de alerta e, em alguns casos, decúbito. Quando retirados das pastagens os animais recuperavam-se em 3-4 dias a duas semanas, porém quando retornavam ao pasto de origem adoeciam novamente. Um ovino foi necropsiado e não foram observadas lesões macroscópicas ou microscópicas. Em seis propriedades a doença ocorreu em cultivos de palma invadidos por gramíneas e em duas em áreas de caatinga desmatada invadidas pelas mesmas gramíneas. Diversas gramíneas, incluindo Digitaria bicornis, Enteropogon mollis, Chloris virgata e Chloris barbata foram encontradas nos piquetes onde ocorreu a doença. Dois equinos foram alimentados por sete dias com gramíneas secas provenientes de fazendas onde haviam acontecido surtos da doença. Um dos equinos apresentou sinais leves da doença no quinto dia de ingestão, mas recuperou-se no dia seguinte. Esses resultados sugerem que a doença está associada à ingestão de alguma gramínea, possivelmente Chloris spp. Relatos anteriores mencionam a ocorrência de uma intoxicação semelhante, entre 1956 e 1962, no Agreste Pernambucano, em pastagens de Chloris orthonothon.


#10 - Diarrhea in goats associated with the ingestion of Arrabidaea corallina (Bignoniaceae), 30(7):547-550

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T., Pessoa A.F.A., Araújo J.A., Dantas A.F.M., Silva-Castro M.M. & Riet-Correa F. 2010. [Diarrhea in goats associated with the ingestion of Arrabidaea corallina (Bignoniaceae).] Diarreia em caprinos associada ao consumo de Arrabidaea corallina (Bignoniaceae). Pesquisa Veterinária Brasileira 30(7):547-550. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, 58700-000 Patos, PB, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com.br An outbreak of poisoning by Arrabidaea corallina (Jacq.) Sandw. (Fam. Bignoniaceae) in goats is reported, which occurred in the municipality of Boqueirão, semiarid of Paraíba, during the dry season. In a flock of 550 goats, older than one year of age, 56 (10%) were affected and 6 (1%) died. Clinical signs were diarrhea, increased ruminal movements and depression. The goats recovered after being moved to another paddock. The pasture had low forage availability and large amounts of A. corallina was the only other green plant observed. One goat was necropsied. The gut had liquid, fetid and blackish content, and showed catarrhal enteritis. Histology revealed acute, diffuse and moderate enteritis. Eimeria sp. was also observed. Non significant macroscopic or histological lesions were seen in other tissues. The disease was experimentally reproduced in four goats after the administration of fresh leaves of A. corallina, at 3-6 daily doses of 15g per kg of body weight. The animals showed diarrhea 3-4 days after the beginning of administration and recovered 5-6 days afterwards. It is concluded that the plant is responsible for the outbreak of diarrhea in goats, but parasitic disease or malnutrition can be contributing factors to the animal death. Goats should be withdrawn from paddocks with A. corallina if during the dry seasons no other forage is available.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T., Pessoa A.F.A., Araújo J.A., Dantas A.F.M., Silva-Castro M.M. & Riet-Correa F. 2010. [Diarrhea in goats associated with the ingestion of Arrabidaea corallina (Bignoniaceae).] Diarreia em caprinos associada ao consumo de Arrabidaea corallina (Bignoniaceae). Pesquisa Veterinária Brasileira 30(7):547-550. Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, 58700-000 Patos, PB, Brazil. E-mail: rmtmed@uol.com.br Descreve-se um surto de intoxicação natural por Arrabidaea corallina (Jacq.) Sandw. (fam. Bignoniaceae) em caprinos no Município de Boqueirão, semiárido da Paraíba, durante a estação seca. De um rebanho de 550 caprinos maiores de um ano foram afetados 56 (10%) e morreram 6 (1%), com sinais clínicos de diarreia, aumento dos movimentos ruminais e depressão. Os demais animais se recuperaram após serem retirados da pastagem. O rebanho alimentava-se de pastagem nativa e nesse período dispunham de pouca forragem. Todavia, A. corallina era a única planta invasora que se mantinha verde e existia em grande quantidade. Um caprino afetado foi necropsiado. O intestino delgado apresentava conteúdo liquefeito, fétido e enegrecido e alterações de enterite catarral. Ao exame histológico observou-se enterite aguda, difusa e moderada, ocasionalmente com presença de Eimeria sp. Não foram observadas lesões macroscópicas ou microscópicas significativas em outros órgãos. A doença foi reproduzida experimentalmente em 4 caprinos após administração das folhas frescas de A. corallina em 3-6 doses diárias de 15g por kg de peso animal. Os caprinos apresentaram diarreia 3-4 dias após o início da ingestão e se recuperaram 5-6 dias após o final da administração. Conclui-se que o consumo de A. corallina é responsável pela ocorrência da doença em caprinos a campo. No entanto outras doenças como a infestação parasitária e a desnutrição podem contribuir para causar a morte dos animais. Recomenda-se a retirada de caprinos de áreas invadidas por A. corallina quando, em consequência de estiagem, não houver outra forragem disponível.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV