Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Poló T.S

#1 - Influence of mastitis on electrophoretic fractions of colostrum from Holstein cows, 38(3):430-435

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos G.G.F., Deschk M., Silva A.K.G., Poló T.S., Marinho M., Peiró J.R. & Feitosa F.L.F. 2018. [Influence of mastitis on electrophoretic fractions of colostrum from Holstein cows.] Influência da mastite nas frações eletroforéticas do colostro de vacas da raça Holandesa. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):430-435. Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rua Clóvis Pestana 793, Jardim Dona Amélia, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: leydsonf@fmva.unesp.br The aim of this study was to evaluate the protein fractions in colostral secretions of cows affected by mastitis immediately after calving. Therefore, 30 Holstein cows were divided into three groups: Group I (GI) composed of ten multiparous cows calving without mastitis; Group II (GII) composed of ten multiparous cows calving with subclinical mastitis, and Group III (GIII) composed of ten multiparous cows calving with mastitis. The concentration of immunoglobulin A (IgA), lactoferrin (LF), albumin, immunoglobulin G (IgG), β-lactoglobulin (β-Lg) and α-lactoalbumin (α-La) was determined by sodium dodecyl sulphate-polyacrylamide gel electrophoresis (SDS-PAGE). It was found that the IgG, LF and albumin vary among glands of subclinical and clinical mastitis and healthy and that the presence of a bacteria in the mammary gland was the key role for changing of the pattern of serum protein source.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos G.G.F., Deschk M., Silva A.K.G., Poló T.S., Marinho M., Peiró J.R. & Feitosa F.L.F. 2018. [Influence of mastitis on electrophoretic fractions of colostrum from Holstein cows.] Influência da mastite nas frações eletroforéticas do colostro de vacas da raça Holandesa. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):430-435. Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Faculdade de Medicina Veterinária de Araçatuba, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rua Clóvis Pestana 793, Jardim Dona Amélia, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: leydsonf@fmva.unesp.br O objetivo desse estudo foi o de avaliar as frações proteicas em secreções colostrais de vacas acometidas por mastite clínica imediatamente após o parto. Para tanto, foram utilizadas 30 vacas da raça Holandesa distribuídas em três grupos, a saber: Grupo I (GI)- 10 vacas pluríparas sadias, Grupo II (GII) 10 vacas pluríparas que pariram com mastite assintomática e Grupo III (GIII) 10 vacas pluríparas que pariram com mastite clínica. Foram avaliadas as concentrações de imunoglobulina a (IgA), lactoferrina (LF), albumina, imunoglobulina G (IgG), β-lactoglobulina (β-Lg) e α-lactoalbumina (α-La) por meio da eletroforese em gel de poliacrilamida contendo dodecil sulfato de sódio (SDS-PAGE).Observou-se que a IgG, LF e a albumina variaram entre as glândulas com mastite assintomática e clínica quando comparadas às glândulas sadias, e que a presença de um único microrganismo é capaz de promover alterações no proteinograma, com ou sem manifestações clínicas na glândula mamária.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV