Resultado da pesquisa (14)

Termo utilizado na pesquisa Pythium insidiosum

#1 - Equine pythiosis in the eastern wetlands of Uruguay

Abstract in English:

Equine pythiosis is an ulcerative and granulomatous disease of the skin, caused by the oomycete Pythium insidiosum (Pythiaceae). The objective of this study was to describe seven cases of equine pythiosis that occurred from 2012 to 2017 in the eastern region of Uruguay. Six of the seven cases occurred in the eastern wetland ecosystems of the Merin basin, and the remaining case occurred in the wetland fluvial plains of the Tacuarembó River. Lesions consisted of a large, rapidly growing ulcerated tumor with abundant granulation tissue, serosanguineous secretion, and fistulous tracts containing large concretions or kunkers. The animals presented intense pruritus, claudication and loss of body condition, with death or euthanasia in extremis in six cases. The main histological lesions consisted of an eosinophilic and pyogranulomatous inflammatory process, with numerous foci of eosinophilic necrosis (kunkers), collagenolysis, and a Splendore–Hoeppli reaction. In all cases, silver coloration (Grocott) showed intralesional hyphae compatible with P. insidiosum, which was confirmed by immunohistochemistry in three cases. A horse in the terminal phase of the disease was treated with triamcinolone acetonide (50mg IM every 15 days), and fully recovered after 1 year. It is concluded that equine pythiosis is prevalent in the wetland ecosystems of eastern Uruguay and that treatment with triamcinolone is auspicious.

Abstract in Portuguese:

Pitiose é uma doença granulomatosa e ulcerativa da pele dos equinos causada pelo oomyceto Pythium insidiosum (Pythiaceae). O objetivo deste trabalho foi descrever sete casos de pitiose equina que ocorreram de 2012 a 2017 na região leste do Uruguai. Seis dos sete casos ocorreram no ecossistema de áreas pantanosas da bacia da bacia da Lagoa Mirim Merin e o restante nas planícies fluviais pantanosas do rio Tacuarembó. As lesões se caracterizaram por tumores ulcerados de crescimento rápido com abundante tecido de granulação, secreção serossanguinolenta e presença de tratos fistulosos contendo material coraloide ou kunkers. Os equinos apresentavam prurido intenso, claudicação e perda da condição corporal e seis morreram ou foram eutanasiados in extremis. As principais lesões histológicas consistiam de um processo inflamatório piogranulomatoso com numerosos focos de necrose eosinofílicos (kunkers), colagenólise e reação de Splendori-Hoepli. Em todos os casos a impregnação pela prata (Grocott) revelou a presença de hifas intralesionais compatíveis com P. insidiosum, o que foi confirmado pela imuno histoquímica em três casos. Um equino em fase terminal da doença foi tratado com triamcinolona acetonida (50mg, IM, a cada 15 dias), recuperando-se completamente após um ano. Conclui-se que a pitiose é uma enfermidade presente em áreas úmidas na região leste do Uruguai e o tratamento com triamcinolona pode ser uma alternativa promissora.


#2 - Isolation and characterization of Pythium species from swampy areas in the Rio Grande do Sul, Brazil, and evaluation of pathogenicity in an experimental model, 37(5):459-464

Abstract in English:

ABSTRACT.- Zambrano C.G., Fonseca A.O.S., Valente J.S.S., Braga C.Q., Sallis E.S.V., Azevedo M.I., Weiblen C., Santurio J.M., Botton S.A. & Pereira D.I.B. 2017. [Isolation and characterization of Pythium species from swampy areas in the Rio Grande do Sul, Brazil, and evaluation of pathogenicity in an experimental model.] Isolamento e caracterização de espécies de Pythium de ambientes aquáticos no Estado do Rio Grande do Sul e avaliação da patogenicidade em modelo experimental. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):459-464. Laboratório de Micologia, Instituto de Biologia, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96160-000, Brazil. E-mail: danielabrayer@gmail.com One hundred and eighty-six water samples from swampy areas were collected in 13 municipalities of South, Central and West regions of Rio Grande do Sul, Brazil, in order to isolate and characterize Pythium species and assess their pathogenicity using rabbits as experimental model. Different Pythium species were isolated from 22 (11.8%) water samples, including P. insidiosum (n=1), P. catenulatum (n=3), P. pachycaule voucher (n=1), P. rhizo-oryzae (n=3), P. torulosum (n=4) e Pythium spp. (n=10). Zoospores of these microorganisms were produced in vitro and inoculated subcutaneously into rabbits, which were assessed over 45 days. Only P. insidiosum showed pathogenicity, causing pythiosis in the experimental model.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Zambrano C.G., Fonseca A.O.S., Valente J.S.S., Braga C.Q., Sallis E.S.V., Azevedo M.I., Weiblen C., Santurio J.M., Botton S.A. & Pereira D.I.B. 2017. [Isolation and characterization of Pythium species from swampy areas in the Rio Grande do Sul, Brazil, and evaluation of pathogenicity in an experimental model.] Isolamento e caracterização de espécies de Pythium de ambientes aquáticos no Estado do Rio Grande do Sul e avaliação da patogenicidade em modelo experimental. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):459-464. Laboratório de Micologia, Instituto de Biologia, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96160-000, Brazil. E-mail: danielabrayer@gmail.com Foram coletadas 186 amostras de água de ambientes pantanosos em 13 municípios das regiões Sul, Central e Oeste do Rio Grande do Sul, Brasil, com o objetivo de isolar e caracterizar espécies de Pythium e avaliar a sua patogenicidade empregando coelhos como modelo experimental. Em 11,8% (n=22) das águas coletadas foram isoladas diferentes espécies de Pythium incluindo: P. insidiosum (n=1), P. catenulatum (n=3), P. pachycaule voucher (n=1), P. rhizo-oryzae (n=3), P. torulosum (n=4) e Pythium spp. (n=10). Zoósporos desses micro-organismos foram produzidos in vitro e inoculados por via subcutânea em coelhos, os quais foram avaliados durante 45 dias. Dentre os oomicetos testados, apenas P. insidiosum evidenciou patogenicidade, causando pitiose no modelo experimental, evidenciando que, em nossas condições, apenas esta espécie de Pythium é patógena para mamíferos.


#3 - Pythiosis in dogs in the semiarid region of Northeast Brazil, 37(5):485-490

Abstract in English:

ABSTRACT.- Frade M.T.S., Diniz P.V.N., Olinda R.G., Maia L.A., Galiza G.J.N., Souza A.P., Nóbrega Neto P.I. & Dantas A.F.M. 2017. Pythiosis in dogs in the semiarid region of Northeast Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):485-490. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: talita_frade@hotmail.com We describe the epidemiological, clinical and pathological features of five cases of pythiosis in dogs in northeast semiarid. The disease occurred in dogs with age between one and three years, females and males of different breeds. The dogs were created in urban areas, but were occasionally taken to the countryside and then had contact with wetlands. The main clinical signs were weight loss, vomiting, diarrhea and tenesmus. Macroscopically there were intestinal wall thickening with irregular firm masses with yellowish granular areas interspersed with a whitish tissue, involving the duodenum, colon and rectum, extending to the lymph nodes and pancreas, and the vagina and liver. In the skin there were areas of alopecia and irregular ulcerations, some containing small cavitations with serosanguineous secretion. Microscopically there were pyogranulomatous inflammation and in one case also there were eosinophilic necrosis associated with negative images tubuliformes by hematoxylin and eosin, strongly stained by GMS and weakly by PAS. Hyphae were strongly marked by immunohistochemistry with polyclonal anti-Pythium insidiosum. The disease occurs sporadically in dogs in the semiarid Northeast, however should be included in the differential diagnosis of chronic diseases and proliferative aspect of the gastrointestinal system, and front skin lesions of difficult treatment.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Frade M.T.S., Diniz P.V.N., Olinda R.G., Maia L.A., Galiza G.J.N., Souza A.P., Nóbrega Neto P.I. & Dantas A.F.M. 2017. Pythiosis in dogs in the semiarid region of Northeast Brazil. [Pitiose em cães na região semiárida do Nordeste, Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):485-490. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: talita_frade@hotmail.com Descrevem-se os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos de cinco casos de pitiose em cães na região semiárida do Nordeste. A doença ocorreu em cães com idade entre um e três anos, fêmeas e machos, de diferentes raças. Os cães eram criados em zona urbana, mas ocasionalmente eram levados para zona rural e tinham contato com áreas alagadas. Em um caso não havia informações no histórico sobre acesso à zona rural. Os principais sinais clínicos observados foram perda de peso, vômito, diarreia e tenesmo. Macroscopicamente havia espessamento da parede do intestino com massas firmes, irregulares, com áreas granulares amareladas entremeadas por tecido esbranquiçado, no duodeno, cólon e reto, que se estendia ao pâncreas e linfonodos, além de fígado e vagina. Na pele havia área de alopecia e ulcerações irregulares, algumas contendo pequenas cavitações com secreção serosanguinolenta. Microscopicamente havia inflamação piogranulomatosa e em um caso também havia necrose eosinofílica associada a imagens negativas tubuliformes pela hematoxilina e eosina, fortemente impregnadas pelo GMS e fracamente coradas pelo PAS. As hifas foram fortemente imunomarcadas pela imuno-histoquímica com anticorpo policlonal anti-Pythium insidiosum. A doença ocorre esporadicamente em cães no semiárido nordestino, entretanto deve ser incluída no diagnostico diferencial das doenças em cães com evolução crônica e proliferativa que acometem o sistema gastrintestinal, e frente a lesões cutâneas de difícil tratamento.


#4 - Nasal cavity diseases of small ruminants in Federal District and Goiás State, Brazil, Prezado(a) [[FIRST^NAME]] [[LAST^NAME]], Ref.: Programa de Interiorização e Educação Continuada O Grupo HCT é um núcleo de aperfeiçoamento profissional que atua desde

Abstract in English:

ABSTRACT.- Mustafa V.S., Guedes K.M.R., Lima E.M.M., Borges J.R.J. & Castro M.B. 2015. [Nasal cavity diseases of small ruminants in Federal District and Goiás State, Brazil.] Doenças da cavidade nasal em pequenos ruminantes no Distrito Federal e no Estado de Goiás. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(7):627-636. Laboratório de Patologia Veterinária, Hospital Veterinário, Universidade de Brasília, Via L4 Norte, Cx. Postal 4508, Brasília, DF 70910-970, Brazil. E-mail: mbcastro@unb.br Nasal cavity diseases that affect small ruminants can cause losses to sheep and goat herds in Central Brazil. A retrospective study of the University of Brasilia´s Veterinary Pathology Laboratory autopsy reports from 2003 to 2014 was conducted to verify the occurrence of small ruminants nasal cavity diseases. Six necropsied sheep (6/463 1.29%) showed mycotic or oomicotic granulomatous rhinitis and 22 animals (22/538, 4.08%) presented oestrosis diagnosis, affecting 86.36% of sheep and 13.64% of goats. The pyogranulomatous rhinitis in sheep occurred in flooded areas with abundant plant material decomposing. Rhinofacial pythiosis infection in animals showed as major changes swelling in the nasal region due to extensive granulomatous lesions associated with tissue necrosis, characterized by numerous macrophages and polymorphonuclear cells surrounding necrotic centers containing the agent surrounded by Splendore-Hoeppli reaction. Sheep with conidiobolomycosis showed extensive areas of necrosis and pyogranulomatous inflammation associated with fungal hyphae, localized in the nasopharynx and also in peribulbar region and exophthalmia. Most animals with oestrosis showed no significant clinical and pathological changes, even with the presence of larvae mainly in the sinuses and nasal turbinates, trachea and paranasal sinus. The importance of such diseases is still unknown in the region, and the knowledge of the clinical-pathological and epidemiological conditions is of great relevance for the diagnosis, control and prevention to avoid the expansion and losses to livestock.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Mustafa V.S., Guedes K.M.R., Lima E.M.M., Borges J.R.J. & Castro M.B. 2015. [Nasal cavity diseases of small ruminants in Federal District and Goiás State, Brazil.] Doenças da cavidade nasal em pequenos ruminantes no Distrito Federal e no Estado de Goiás. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(7):627-636. Laboratório de Patologia Veterinária, Hospital Veterinário, Universidade de Brasília, Via L4 Norte, Cx. Postal 4508, Brasília, DF 70910-970, Brazil. E-mail: mbcastro@unb.br As enfermidades que acometem a cavidade nasal de pequenos ruminantes podem causar prejuízos aos rebanhos de ovinos e caprinos na região central do Brasil. Foi realizado estudo retrospectivo dos laudos de necropsia do Laboratório de Patologia Veterinária da Universidade de Brasília (LPV-UnB) nos anos de 2003 a 2014 para verificar a ocorrência das doenças que acometeram a cavidade nasal de pequenos ruminantes. Foram analisados 463 protocolos de ovinos e 75 de caprinos totalizando 538 casos. Seis ovinos (6/463 1,29%) foram necropsiados com rinite granulomatosa micótica ou oomicótica e 22 animais do estudo (22/538; 4,08%) tiveram o diagnóstico de oestrose, sendo 86,36% ovinos e 13,64% caprinos. As rinites piogranulomatosas em ovinos ocorreram em áreas alagadas, com abundante material vegetal em decomposição. Os ovinos com pitiose rinofacial apresentaram como principais alterações aumento de volume na região nasal devido a extensas lesões granulomatosas associadas a necrose tecidual, caracterizadas por inúmeros macrófagos e polimorfonucleares circundando centros necróticos contendo o agente envolto por reação de Splendore-Hoeppli. Os ovinos com conidiobolomicose exibiram extensas áreas de necrose e inflamação piogranulomatosa, associadas à presença de hifas fúngicas na nasofaringe e também na região peribulbar e exoftalmia. A maioria dos animais com oestrose não apresentou alterações clínico-patológicas significativas, apesar de serem encontradas larvas principalmente nos seios e conchas nasais, traqueia e seio paranasal. A importância dessas enfermidades ainda é pouco conhecida na região, sendo de grande relevância que as condições clínico-patológicas e epidemiológicas sejam elucidadas para o diagnóstico, o controle e a prevenção, para evitar a expansão e prejuízos para os rebanhos.


#5 - Pythiosis in sheep from Paraná, southern Brazil, 35(6):513-517

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bernardo F.D., Conhizak C., Ambrosini F., Jesus F.P.K., Santurio J.M., Kommers G.D., Elias F. & Franciscato C. 2015. Pythiosis in sheep from Paraná, southern Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):513-517. Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal da Fronteira Sul, Av. Edmundo Gaievski 1000, Realeza, PR 85770-000, Brazil. E-mail: carinafranciscato@yahoo.com.br This paper reports pythiosis in a sheep from southwestern Paraná, Brazil, confirmed by indirect ELISA (Enzime-Linked Immunosorbent Assay) and immunohistochemistry, as well as it describes the macro and microscopic injuries, in order to understand the pathogenicity. A 4-year-old ewe from a flock of 30 Santa Inês sheep, raised semi-extensively with access to a weir, showed cachexia, bilateral enlargement in nasal region, a serous and bloody secretion with a fetid odor from its nose and swollen submandibular and retropharyngeal lymph nodes. Blood collection was performed trough jugular vein puncture in order to make complete blood cell count (CBC) and to obtain serum for the subsequent serological examination. As the hematological counts were within the normal range for sheep, the animal was euthanized and submitted to necropsy. Indirect ELISA resulted positive for pythiosis. Necropsy revealed necrosis of the hard palate with a diameter of 3.5cm and extending up to the nasal cavity, forming a fistula. Submandibular and retropharyngeal lymph nodes were enlarged and edematous on section. Microscopic findings for submandibular and retropharyngeal lymph nodes consisted in moderate infiltration of eosinophils mainly in the subcapsular sinus, characterizing reactive eosinophilic lymphadenitis. The nasal cavity revealed rhinitis and oral cavity stomatitis with necro-eosinophilic and pronounced multifocal granulomatous infiltration and presence of hyphae. Hyphae found in palate and nasal cavity were positive for Pythium insidiosum by Grocott’s method and immunohistochemistry, the last one considered to be confirmatory for the pathogen diagnostic. This report has an important epidemiological aspect, as it is the first case of pythiosis in sheep confirmed by serology in South Brazil and an alert of possible infection by the pathogen in floodplains.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bernardo F.D., Conhizak C., Ambrosini F., Jesus F.P.K., Santurio J.M., Kommers G.D., Elias F. & Franciscato C. 2015. Pythiosis in sheep from Paraná, southern Brazil. [Pitiose em ovinos no Paraná, Sul do Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):513-517. Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal da Fronteira Sul, Av. Edmundo Gaievski 1000, Realeza, PR 85770-000, Brazil. E-mail: carinafranciscato@yahoo.com.br Este trabalho tem como objetivo descrever um caso de pitiose confirmado por ELISA (Enzime-Linked Immunosorbent Assay) indireto e imuno-histoquímica em uma ovelha do sudoeste do Paraná, Brasil, bem como suas lesões macro e microscópicas, a fim de compreender a sua patogenicidade. Trata-se de um ovino, fêmea, de 4 anos de idade, de um rebanho de 30 animais, da raça Santa Inês, criados em sistema semiextensivo, com acesso à um açude. O animal vinha apresentando aumento de volume na região do focinho, associado a emagrecimento progressivo. No exame físico apresentou-se caquético, com aumento de volume bilateral na região nasal, e com uma secreção serosanguinolenta de odor fétido fluindo das narinas, além de possuir os linfonodos submandibulares e retrofaríngeos bilateralmente infartados. Foi realizada coleta de sangue por punção da veia jugular para realização do hemograma e obtenção do soro para posterior realização de exame sorológico. Sendo que todos os parâmetros hematológicos analisados estavam dentro dos valores normais para a espécie. Após a realização do exame clínico e da coleta de sangue, o animal foi eutanasiado e procedeu-se a necropsia. Através do Teste de ELISA indireto, a amostra apresentou resultado positivo para pitiose. Na ocasião da necropsia pode-se verificar uma área necrosada de aproximadamente 3,5 cm de diâmetro no palato duro, a qual se estendeu até o assoalho da cavidade nasal formando uma fístula. Os linfonodos submandibulares e retrofaríngeos estavam aumentados de volume e ao corte edematosos. Os achados microscópicos dos linfonodos submandibulares e retrofaríngeos consistiram de quantidade moderada de eosinófilos, principalmente nos seios subcapsulares caracterizando uma linfadenite eosinofílica (reativa). Na cavidade nasal e oral, observou-se, respectivamente, rinite e estomatite necro-eosinofílica e granulomatosa multifocal acentuada associada a hifas intralesionais. As hifas encontradas no palato e na cavidade nasal foram Grocott-positivas e positivas pela técnica de imuno-histoquímica para Pythium insidiosum, esta última técnica também foi considerada confirmatória para o diagnóstico do agente. Este relato possui impacto epidemiológico por ser o primeiro caso de pitiose sorologicamente confirmado na espécie ovina na região Sul do Brasil e também, serve de alerta para a população, principalmente do meio rural, visto a possibilidade de infecção com o agente quando em contato com áreas alagadiças.


#6 - Epidemiology of equine pythiosis in southern of Rio Grande do Sul State, Brazil, 32(9):865-868

Abstract in English:

ABSTRACT.- Marcolongo-Pereira C., Sallis E.S.V., Raffi M.B., Pereira D.I.B., Hinnah F.L., Coe- lho A.C.B. & Schild A.L. 2012. [Epidemiology of equine pythiosis in southern of Rio Grande do Sul State, Brazil.] Epidemiologia da pitiose equina na Região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):865-868. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br A survey of cases of equine pythiosis received by the Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, from January 1979 to July 2011, was made to determine the epidemiological conditions in which the disease occurs in southern Rio Grande do Sul. Samples from 1888 horses were received; 435 samples were from the integumentary system, of which 63 (14.5%) corresponded to pythiosis. The affected animals were of both sexes and their age ranged from 8 months to 22 years. Crioulo was the most prevalent breed. Most cases of pythiosis were sent to the laboratory between March and June. The evolution of the lesions due to pythiosis ranged from 2 weeks to 1 year. The municipalities with the greatest number of cases were Pelotas (22/63), Santa Vitória do Palmar (15/63) and Rio Grande (8/63). With respect to the climatic data, in most cases the maximum temperature in the probable month of infection was above or close to 30°C during at least one day. The observation of cases in the colder seasons of the year could be due to the stagnant water temperature higher than the temperature of the air, which allows the development of infective structures of Pythium insidiosum.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Marcolongo-Pereira C., Sallis E.S.V., Raffi M.B., Pereira D.I.B., Hinnah F.L., Coe- lho A.C.B. & Schild A.L. 2012. [Epidemiology of equine pythiosis in southern of Rio Grande do Sul State, Brazil.] Epidemiologia da pitiose equina na Região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):865-868. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Foi realizado um levantamento dos casos de pitiose equina recebidos no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas, no período de janeiro de 1979 a julho de 2011, com o objetivo de determinar as condições epidemiológicas em que a doença ocorre na região sul do Rio Grande do Sul. Nesse período foram recebidos 1888 materiais de equinos, dos quais, 435 eram provenientes do sistema tegumentar e 63 (14,5%) corresponderam à pitiose. Os animais afetados eram de ambos os sexos com idades variando entre oito meses e 22 anos. A raça mais frequentemente afetada foi a Crioula. A maioria dos casos de pitiose foi encaminhada ao laboratório entre março e junho. A evolução das lesões de pitiose variou de duas semanas até um ano. Os municípios com maior número de casos de pitiose foram Pelotas (22/63) Santa Vitória do Palmar (15/63) e Rio Grande (8/63). Foi observado que na maioria dos casos, no mês provável de infecção a temperatura máxima foi superior ou próxima a 30°C em pelo menos um dia. A observação de casos em épocas mais frias do ano pode ser devido ao fato da temperatura de águas estagnadas ser mais elevada que a temperatura ambiental o que permite o desenvolvimento das estruturas infectantes de Pythium insidiosum.


#7 - Pythium insidiosum: Morphological and molecular identification of Brazilian isolates, 32(7):619-622

Abstract in English:

ABSTRACT.- Azevedo M.I., Pereira D.I.B., Botton S.A., Costa M.M., Mahl C.D., Alves S.A. & Santurio J.M. 2012. Pythium insidiosum: Morphological and molecular identification of Brazilian isolates. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):619-622. Laboratório de Pesquisas Micológicas, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: janio.santurio@gmail.com Pythium insidiosum is an oomycete belonging to the kingdom Stramenipila and it is the etiologic agent of pythiosis. Pythiosis is a life-threatening infectious disease characterized by the development of chronic lesions on cutaneous and subcutaneous, intestinal, and bone tissues in humans and many species of animals. The identification of P. insidiosum is important in order to implement a rapid and definitive diagnosis and an effective treatment. This study reports the identification of 54 isolates of P. insidiosum of horses, dogs and sheep that presented suspicious clinical lesions of pythiosis from different regions in Brazil, by using morphological and molecular assays. Throughout the PCR it was possible to confirm the identity of all Brazilian isolates as being P. insidiosum.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Azevedo M.I., Pereira D.I.B., Botton S.A., Costa M.M., Mahl C.D., Alves S.A. & Santurio J.M. 2012. Pythium insidiosum: Morphological and molecular identification of Brazilian isolates. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):619-622. Laboratório de Pesquisas Micológicas, Departamento de Microbiologia e Parasitologia, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: janio.santurio@gmail.com Pythium insidiosum é um oomiceto pertencente ao Reino Stramenopila e agente etiológico da pitiose, uma doença infecciosa com riscos de morte. A pitiose é caracterizada pelo desenvolvimento de lesões crônicas sobre os tecidos cutâneos, subcutâneas, intestinal e ósseo em humanos e muitas espécies de animais. A identificação de P. insidiosum é importante, a fim de se obter um diagnóstico rápido e definitivo, bem como um tratamento eficaz. Este estudo relata a identificação de 54 isolados de P. insidiosum de cavalos, cães e ovelhas que apresentavam lesões compatíveis e suspeita clínicas de pitiose, provenientes de diferentes regiões do Brasil, através de métodos morfológicos e moleculares. Através da PCR foi possível confirmar a identidade de todos os isolados brasileiros como sendo P. insidiosum.


#8 - Pythiosis of livestock in the Pantanal, Mato Grosso, Brazil, 31(12):1083-1089

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos C.E.P. dos, Santurio J. M. & Marques L.C. 2011. [Pythiosis of livestock in the Pantanal, Mato Grosso, Brazil.] Pitiose em animais de produção no Pantanal Matogrossense. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(12):1083-1089. Departamento de Clínica Médica Veterinária, Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Fernando Correa da Costa 2367, Cuiabá, MT 78060-900, Brazil. E-mail: carloseduardo@ufmt.br An epidemiological study (2009-2010) included cattle and horses affected with pythiosis from farms in Pantanal, Mato Grosso, Brazil. The disease occurred predominantly from November to March annually, period of the local rainy season. The mean annual incidence of pythiosis was 0.22% and 12.5% in cattle and horses, respectively. In cattle, the case distribution occurred during the peak of the floods and was restricted to 6 to 18 months of age heifers. Mild perilesional edema and lameness evolved to spontaneous resolution within until 90 days. In horses, pythiosis affected animals of both sexes with 3 to 8 years of age. Reinfection afflicted one horse. The lesions evolved to extensive granulation tissue and ‘kunkers’ in horses that experienced marked cachexy. Death occurred three to seven months after the beginning of symptoms. The mean mortality rate was 5.88% and the case fatality rate was 45.45%. Diagnosis was confirmed by ELISA test, PCR, histopathology (HE and Grocott) and isolation of Pythium insidiosum. In the endemic area studied, the disease in cattle did not represent an economic impact; on the other hand, the majority of cases in horses progressed unsatisfactorily. The incidence of pythiosis in horses was 57.23 times the incidence recorded in cattle, with statistical significance. While environmental flooded conditions were the same, such difference might be associated with species susceptibility, behavior and management.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos C.E.P. dos, Santurio J. M. & Marques L.C. 2011. [Pythiosis of livestock in the Pantanal, Mato Grosso, Brazil.] Pitiose em animais de produção no Pantanal Matogrossense. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(12):1083-1089. Departamento de Clínica Médica Veterinária, Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Fernando Correa da Costa 2367, Cuiabá, MT 78060-900, Brazil. E-mail: carloseduardo@ufmt.br Realizou-se, em quatro propriedades rurais no Pantanal Matogrossense, em 2009 e 2010, um estudo clínico e epidemiológico da pitiose em bovinos e equinos. A enfermidade ocorreu predominantemente entre os meses de novembro e março, correspondendo ao período chuvoso na região. A incidência média anual foi de 0,22% e 12,5% em bovinos e equinos, respectivamente. Nos bovinos, a distribuição dos casos ocorreu no ápice das cheias e restringiu-se a novilhas de 6 a 18 meses de idade, nas quais as lesões cutâneas estiveram associadas com edemas perilesionais discretos e claudicações, mas curaram espontaneamente, em um período máximo de 90 dias. Nos equinos, a pitiose acometeu animais de ambos os sexos, de três a oito anos de idade e registrou-se um caso de reinfecção. A doença evoluiu com agravos no sítio lesional, com desenvolvimento de extenso tecido de granulação, kunkers em permeio à lesão, acentuada caquexia e mortes, as quais ocorreram entre três e sete meses após o início dos sinais. A mortalidade média foi 5,88% e a letalidade 45,45%. A confirmação do diagnóstico incluiu ELISA-teste, PCR, histopatologia (HE e Grocott) e isolamento de P. insidiosum. Na área endêmica estudada, a enfermidade não causou impacto econômico em bovinos, a despeito da evolução insatisfatória registrada na maioria dos equinos. Nesse estudo, a incidência de pitiose em equinos foi 57,23 vezes a observada em bovinos, com significância estatística. Apesar das mesmas condições ambientais, tal diferença foi provavelmente associada com susceptibilidade, comportamento e manejo das espécies nos campos alagados.


#9 - Development of Polyclonal IgY antibodies in chickens and IgG in rabbits immunized against proteins of Pythium insidiosum isolated from horses in the state of Rio de Janeiro, 30(1):87-93

Abstract in English:

ABSTRACT.- Nunes Rangel M.F., Lemos L.S., Almeida C.M.C., Sales L.G. & Vieira-da-Motta O. 2010. Development of Polyclonal IgY antibodies in chickens and IgG in rabbits immunized against proteins of Pythium insidiosum isolated from horses in the state of Rio de Janeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(1):87-93. Micologia Veterinária do Setor de Doenças Infectocontagiosas, Laboratório de Sanidade Animal do Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Av. Alberto Lamego 2000, Horto, Campos dos Goytacazes, RJ 28013-602, Brazil. E-mail: olney@uenf.br Pythiosis is caused by Pythium insidiosum and the occurrence of disease in horses was described in the North and Northwest State of Rio de Janeiro, Brazil. The disease was described in cattle, sheep, humans, and horses in different states and regions across the country. This paper describes the development of IgY and IgG polyclonal antibodies, in chicken and rabbits, respectively against proteins extracted from kunkers and hyphae of P. insidiosum from affected horses. The proteins were recognized by chicken, rabbit and horse antibodies by immunodiffusion and Western blot against majority bands of 27 and 43 KDa, and titrated by ELISA. The antibodies IgY developed by the first time against Brazilian strains of P. insidiosum may represent a valuable tool in the detection of antigens of the pathogen and contribute to further studies aimed at immunotherapy and knowledge about this disease in endemic areas in Rio de Janeiro and in Brazil.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Nunes Rangel M.F., Lemos L.S., Almeida C.M.C., Sales L.G. & Vieira-da-Motta O. 2010. Development of Polyclonal IgY antibodies in chickens and IgG in rabbits immunized against proteins of Pythium insidiosum isolated from horses in the state of Rio de Janeiro. [Desenvolvimento de Anticorpos IgY em galinhas e IgG em coelhos imunizados contra proteínas de Pythium insidiosum isolado de equinos no Estado do Rio de Janeiro, Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 30(1):87-93. Micologia Veterinária do Setor de Doenças Infectocontagiosas, Laboratório de Sanidade Animal do Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Av. Alberto Lamego 2000, Horto, Campos dos Goytacazes, RJ 28013-602, Brazil. E-mail: olney@uenf.br Pitiose é causada por Pythium insidiosum e a doença foi descrita em equinos no Norte e Noroeste do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. A doença foi descrita em bovinos, ovelhas, humanos e cavalos em diferentes estados e regiões do país. Este trabalho descreve o desenvolvimento de anticorpos policlonais, IgY e IgG, em galinha e coelho, respectivamente, contra proteínas extraídas de kunkers e hifas de P. insidiosum de cavalos doentes. As proteínas foram reconhecidas por anticorpos de galinha, coelho e cavalos contra as bandas majoritárias de 27 e 34 KDa em imunodifusão e Western blot tituladas por ELISA. Os anticorpos IgY desenvolvidos pela primeira vez contra cepas brasileiras de P. insidiosum podem representar um valioso instrumento na detecção de antígenos de patógenos e contribuem para novos estudos baseados na imunoterapia e no entendimento sobre esta doença em áreas endêmicas no Rio de Janeiro e em todo o país.


#10 - Cutaneous pythiosis in cattle in the Southern region of Rio Grande do Sul, Brazil, 29(11):938-942

Abstract in English:

ABSTRACT.- Grecco F.B., Schild A.L., Quevedo P., Assis-Brasil N.D., Kommers G.D., Marcolongo-Pereira C. & Soares M.P. 2009. [Cutaneous pythiosis in cattle in the Southern region of Rio Grande do Sul, Brazil.] Pitiose cutânea em bovinos na região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 29(11):938-942. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br An outbreak of cutaneous pythiosis is described in cattle from southern Rio Grande do Sul, Brazil. Cattle were introduced into flooded pastures and developed ulcerative and wet cutaneous lesions on distal limbs and Planum nasale. Histologically, the lesions were characterized by multiple granulomas with intralesional hyphae, better seen in the methenamine silver stain, and surrounded by abundant fibrous tissue. Diagnosis was based on epidemiology, gross and histological lesions, and by positive immuno-histochemical reaction with anti-Pythium insidiosum polyclonal antibody. Morbidity was 23.8% and lesions were observed 15-90 days after cattle were introduced in the flooded area. Affected cattle had spontaneous healing without treatment. It is suggested that the disease is more frequent than what was earlier thought, mainly in flooded areas of the Southern region of the Rio Grande do Sul State.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Grecco F.B., Schild A.L., Quevedo P., Assis-Brasil N.D., Kommers G.D., Marcolongo-Pereira C. & Soares M.P. 2009. [Cutaneous pythiosis in cattle in the Southern region of Rio Grande do Sul, Brazil.] Pitiose cutânea em bovinos na região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 29(11):938-942. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Descreve-se a ocorrência de pitiose cutânea em bovinos de corte na região sul do Rio Grande do Sul. Os animais foram introduzidos em área alagada e desenvolveram lesões cutâneas ulcerativas e úmidas, de tamanhos variados, localizadas na região distal dos membros e no chanfro nasal. Histologicamente, as lesões eram caracterizadas por múltiplos granulomas com hifas intralesionais, melhor observadas pela coloração de metenamina nitrato de prata de Gomori, e circundadas por abundante tecido conjuntivo fibroso. O diagnóstico foi realizado com base na epidemiologia, lesões macroscópicas e histológicas e pela reação imuno-histoquímica positiva com anticorpo policlonal anti-Pythium insidiosum. A morbidade foi de 23,8% e os animais adoeceram 15-90 dias após a introdução na área alagada. Em todos os casos as lesões evoluíram para a cura sem tratamento. Sugere-se que a doença possa ser mais frequente em bovinos do que se supõe, principalmente em áreas alagadas da região Sul do Rio Grande do Sul.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV