Resultado da pesquisa (6)

Termo utilizado na pesquisa Rocha C.M.B.M

#1 - Risk factors for high bulk milk somatic cell counts in dairy herds from Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil: a case-control study

Abstract in English:

High bulk milk somatic cell counts (BMSCC) are indicative of failures related to the control of mastitis in the herd, which compromises the quality of the milk and generates great losses for the producers and for the industry. A case-control study was carried out in dairy herds in the Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil, in order to contribute to the knowledge of the risk factors involved with elevated BMSCC. The study involved 46 dairy herds, of which 30 were considered cases (BMSCC ≥700,000 cells/mL of milk) and 16 control farms (BMSCC ≤200,000 cells/mL of milk). Sixteen qualitative variables and four quantitative variables were analyzed. The results showed that the risk factors for BMSCC ≥700,000 cells/mL were the presence of Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae pathogens in bulk milk, non-use of pre and post-dipping, non-use of disposable paper towel for drying of mammary glands, non-monitoring of mastitis in the herd by means of California Mastitis Test (CMT) or individual somatic cell counts (SCC), non-implementation of the milking line and therapy of dry cows and failures in hygiene of teats and udders before milking. Moderate correlations were also observed between the elevation of BMSCC and counts of S. aureus and BMSCC and counts S. agalactiae in bulk milk, and a moderate correlation between S. aureus and S. agalactiae counts in bulk milk. Failures with regard to the maintenance and use of milking equipment, including manual pressure application in milking assemblies, unregulated milking vacuum pressure, and vacuum loss during milking, and maintenance failures of the milking machine and bulk milk tank were also pointed out as important risk factors of BMSCC elevation. The results of this study provided subsidies for the elaboration of more effective programs for mastitis control and improvement of raw milk quality, reducing the losses caused by the disease to producers and industry.

Abstract in Portuguese:

Altas contagens de células somáticas no leite do tanque (CCSt) são indicativas de falhas relacionadas com o controle da mastite no rebanho, o que compromete a qualidade do leite e gera grandes perdas para os produtores e para a indústria. Visando identificar os fatores de risco envolvidos com a CCSt elevada, foi realizado um estudo de caso-controle em rebanhos bovinos leiteiros da região de Campos das Vertentes, em Minas Gerais. O estudo envolveu 46 propriedades, das quais 30 foram consideradas casos (CCSt ≥700.000 cels/mL de leite) e 16 propriedades controles (CCSt ≤200.000 cels/mL de leite). Foram analisadas 16 variáveis qualitativas e quatro variáveis quantitativas. Os resultados demonstraram que os fatores de risco para valores de CCSt ≥700.000 cels/mL de leite foram a presença dos patógenos Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae, não utilização do pré e de pós-dipping, não utilização de papel toalha descartável para a secagem dos tetos, não monitoramento da mastite por meio do California Mastitis Test (CMT) ou CCS individual, não implementação da linha de ordenha e da terapia de vacas secas e falhas na higiene de tetos e de úbere antes da ordenha. Também se observaram correlações moderadas entre a CCSt e as contagens de S. aureus e entre CCSt e as contagens de S. agalactiae, e correlação moderada entre as contagens de S. aureus e de S. agalactiae no leite do tanque. Falhas com relação à manutenção e utilização dos equipamentos de ordenha, aplicação de pressão manual nos conjuntos da ordenha, pressão de vácuo da ordenha desregulada, perda de vácuo durante a ordenha e falhas de manutenção da ordenhadeira e do tanque de expansão foram também apontadas como fatores de risco para elevação da CCSt. Os resultados deste estudo possibilitaram identificar fatores de risco importantes para contagens elevadas de CCSt que poderão fornecer subsídios para a elaboração de programas de controle mais efetivos para a mastite e para a melhoria da qualidade do leite, mitigando o impacto que a doença causa para os produtores e para a indústria.


#2 - Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae: prevalence, resistance to antimicrobials, and their relationship with the milk quality of dairy cattle herds in Minas Gerais state, Brazil

Abstract in English:

Bovine mastitis is the most frequent disease worldwide in dairy herds, causing high economic losses to producers and industry, as well as having implications for public health due to the zoonotic potential of some agents involved in its etiology and the increased risk of antimicrobial residues in milk and its derivatives. Considering the multifactorial aspect of this disease, knowledge of the agents involved in its etiology and their antimicrobial susceptibility profiles is very important. This study was conducted with 306 dairy herds from the Campo das Vertentes region, located in the south of Minas Gerais state, whose owners were milk suppliers to a dairy in the same region. The study involved approximately 34,000 dairy cows and covered an area of approximately 12,564 km2. In these herds, prevalence rates of Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae and their relationship with bulk milk somatic cell counts (BMSCC), total bacterial counts (TBC), and daily production were evaluated. In addition, analyses of resistance of these pathogens to the antimicrobials most commonly used in the treatment of mastitis in dairy herds were performed. Microbiological analyses of milk samples from collect from bulk milk tanks were performed aiming to evaluate the prevalence of S. aureus and S. agalactiae. For these proposes, the modified Baird-Parker Agar medium was used for detection of S. aureus and the modified Edwards Agar medium, enriched with 5% defibrinated sheep blood, was used for detection of S. agalactiae. The disc diffusion technique was applied to evaluate antimicrobial resistance. Results show high prevalence rates of S. aureus (70.3%) and S. agalactiae (67.0%) in the dairy farms studied, with 47.71% of the herds showing both pathogens. Associations between BMSCC and the presence of pathogens S. aureus and S. agalactiae and between TBC and the presence of S. agalactiae were observed, demonstrating the influence of these pathogens in milk quality. No variation was observed in the distribution of S. aureus and S. agalactiae in the different strata of daily production. High levels of resistance and multi-resistance were observed among the pathogens S. aureus and S. agalactiae. The results indicate the need for more effective control measures for mastitis caused by S. aureus and S. agalactiae in the dairy herds of the region studied and more judicious use of antimicrobials in order to reduce the problem of resistance to them.

Abstract in Portuguese:

A mastite bovina é a doença de maior frequência em rebanhos leiteiros em nível mundial, acarretando grandes prejuízos econômicos aos produtores e à indústria. Além disso, esta enfermidade tem implicações na saúde pública, devido ao potencial zoonótico de alguns agentes envolvidos em sua etiologia e por aumentar os riscos de resíduos de antimicrobianos no leite e derivados. Considerando o aspecto multifatorial da mastite bovina, o conhecimento dos agentes envolvidos em sua etiologia e os perfis de suscetibilidade aos antibióticos é de suma importância. O estudo envolveu 306 fazendas de leite da região de Campo das Vertentes, localizada no sul de Minas Gerais, cujos proprietários eram fornecedores de leite para um laticínio da região, totalizando aproximadamente 34.000 animais e abrangendo uma área aproximada 12.564 km2. Nestes rebanhos, avaliaram-se a prevalência de Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae e a relação destes agentes com os índices de contagem de células somáticas do leite do tanque de expansão (CCSt), contagem bacteriana total (CBT) e produção diária. Analisou-se também a resistência destes patógenos aos antimicrobianos mais comumente utilizados no tratamento da mastite em rebanhos leiteiros. Análises microbiológicas de amostras de leite dos tanques de expansão foram realizadas para se determinar as prevalências dos patógenos S. aureus e S. agalactiae. Para a detecção de S. aureus, utilizou-se o meio seletivo Ágar Baird‑Parker modificado e para a detecção de S. agalactiae, o meio seletivo Ágar Edwards modificado, enriquecido com 5% de sangue ovino desfibrinado. Foi utilizada a técnica de difusão em discos para a avaliação de resistência aos antimicrobianos. Os resultados apontaram altas prevalências de S. aureus (70,3%) e de S. agalactiae (67,0%), com 47,71% dos rebanhos examinados apresentando ambos os agentes. Verificaram-se associações entre a CCSt e a presença dos patógenos S. aureus e S. agalactiae, e também entre a CBT e a presença de S. agalactiae, demonstrando a interferência negativa destes patógenos nestes quesitos de qualidade. Não se observaram variações nas distribuições dos patógenos S. aureus e nem S. agalactiae em função da produção diária das propriedades estudadas. Níveis elevados de resistência e de multirresistência foram observados para ambos os agentes. Os resultados apontam a necessidade de medidas mais efetivas de controle para S. aureus e S. agalactiae nos rebanhos da região estudada e do uso mais criterioso dos antimicrobianos, visando minimizar o problema da resistência aos mesmos.


#3 - Factors associated with the prevalence of helminths in Mangalarga Marchador horses in southern of Minas Gerais, Brazil, 38(6):1097-1104

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rosa M.H.F., Garcia A.M., Daher D.O., Lima I.G., Félix M.B., Capellari L.A., Ferreira F. & Rocha C.M.B.M. 2018. Factors associated with the prevalence of helminths in Mangalarga Marchador horses in southern of Minas Gerais, Brazil. [Fatores associados com a prevalência de helmintos em cavalos da raça Mangalarga Marchador em propriedades do Sul de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(6):1097-1104. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: mhfrosa@yahoo.com.br Horses are highly susceptible to parasitism. Helminth infections cause great harm to the animals and to their breeders. This study aimed at evaluating socioeconomic, cultural and management factors associated with the prevalence of gastrointestinal helminths of horses. A total of 40 farmas the Mangalarga Marchador horse breed were visited in southern Minas Gerais, Brazil, where interviews were conducted. Horse feces were collected on the farms and coproparasitological laboratory tests were conducted to quantify the infection and to identify parasites. Data were tabulated in Epidata and analyzed using the SPSS 20.0 software. A great similarity between breeds was observed, specifically in their profiles, as well as in their animal management techniques and in their parasite control habits. The cyathostome was the most prevalent helminth, followed by Oxyuris and large strongyles. The farms which prioritize only equine production are less likely to have animals with massive helminth infection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rosa M.H.F., Garcia A.M., Daher D.O., Lima I.G., Félix M.B., Capellari L.A., Ferreira F. & Rocha C.M.B.M. 2018. Factors associated with the prevalence of helminths in Mangalarga Marchador horses in southern of Minas Gerais, Brazil. [Fatores associados com a prevalência de helmintos em cavalos da raça Mangalarga Marchador em propriedades do Sul de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(6):1097-1104. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: mhfrosa@yahoo.com.br Os equinos são animais muito susceptíveis ao parasitismo. As helmintoses causam grandes prejuízos tanto para os animais, quanto para os criadores. Este estudo teve como objetivo avaliar os fatores sócio-econômicos-culturais e de manejo associados à prevalência de helmintos gastrointestinais de equinos. Foram visitados 40 criatórios de equinos Mangalarga Marchador no Sul de Minas Gerais, nos quais foram realizadas entrevistas. Foram coletadas fezes dos animais nas propriedades e realizados exames laboratoriais coproparasitológicos a fim de quantificar a infecção dos animais e identificar os parasitos. Os dados foram tabulados no Epidata e analisados no software SPSS 20.0. Observou-se uma grande semelhança no perfil dos criadores, assim como na caracterização da propriedade, manejo e controle de parasitos. Os ciatostomíneos foram os helmintos mais prevalentes, seguidos pelo Oxyuris e os grandes estrôngilos. As propriedades que priorizam a equinocultura têm menor chance de apresentar animais com infecção maciça.


#4 - Risk analysis as a strategic tool for Brazilian official veterinary service: problems and challenges, 34(6):542-554

Abstract in English:

<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script> <!-- 580x400 --> <ins class="adsbygoogle" style="display:inline-block;width:580px;height:400px" data-ad-client="ca-pub-2385483047681341" data-ad-slot="2363532676"></ins> <script> (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); </script>ABSTRACT.- Santos D.V., Todeschini B., Rocha C.M.B.M. & Corbellini L.G. 2014. [Risk analysis as a strategic tool for Brazilian official veterinary service: problems and challenges.] A análise de risco como ferramenta estratégica para o serviço veterinário oficial brasileiro: dificuldades e desafios. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(6):542-554. Seção de Epidemiologia e Estatística, Departamento de Defesa Agropecuária, Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do Rio Grande do Sul, Av. Getúlio Vargas 1384, Bairro Menino Deus, Porto Alegre, RS 90150-900, Brazil. E-mail: diego-santos@agricultura.rs.gov.br The official veterinary service is responsible for protecting public and animal health, certifying the supply of safe animal products to consumers. A tool that assists in the pursuit of these goals is the risk analysis, which began to be used in the second half of the 1990s for the official veterinary services of countries. To carry out a risk analysis, qualitative or quantitative, one must initially identify the danger, which in the area of animal health is usually the pathogen causing a disease. The subsequent step is risk assessment, which must be analyzed, supported by scientific studies or experts in the field, the possible ways of introduction, exposition and maintenance of the pathogen in the susceptible population, as well biological, economic, political and social consequences. The third step in the analysis of risk refers to risk management, which aims to propose measures to mitigate the risk to the desired level, and assess the cost/benefit of each measure. The last phase of a risk analysis is risk communication. This step is critical for success of the study and should be initiated along with risk analysis itself, always leaving open a permanent communication with all social actors interested in risk analysis. Risk analysis has become an important tool used by managers of the official veterinary services in decision-making, contributing to the choice of alternatives that give scientifically the lowest animal health risk. This study conducted a review of the literature on risk analysis aimed to expose its definition and development process, as well as to see how it is being used and what limitations and challenges of using this tool by the Brazilian national veterinary service.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos D.V., Todeschini B., Rocha C.M.B.M. & Corbellini L.G. 2014. [Risk analysis as a strategic tool for Brazilian official veterinary service: problems and challenges.] A análise de risco como ferramenta estratégica para o serviço veterinário oficial brasileiro: dificuldades e desafios. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(6):542-554. Seção de Epidemiologia e Estatística, Departamento de Defesa Agropecuária, Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio do Rio Grande do Sul, Av. Getúlio Vargas 1384, Bairro Menino Deus, Porto Alegre, RS 90150-900, Brazil. E-mail: diego-santos@agricultura.rs.gov.br O serviço veterinário oficial é responsável por proteger a saúde pública e animal, assegurando a oferta de produtos de origem animal inócuos aos consumidores. Uma ferramenta que auxilia na busca desses objetivos é a análise de risco, que iniciou a ser utilizada na segunda metade da década de 90 pelos serviços veterinários oficiais dos países. Para a realização de uma análise de risco, qualitativa ou quantitativa, inicialmente deve-se identificar o perigo, a qual na área da saúde animal geralmente é o agente patogênico causador de uma doença. A etapa subsequente é a avaliação do risco, na qual devem ser analisados, com suporte de trabalhos científicos ou especialistas na área, as formas possíveis de introdução, exposição e manutenção do agente patogênico na população susceptível, bem como as consequências, biológicas, econômicas, políticas e sociais trazidas pela enfermidade. A terceira etapa da análise de risco refere-se ao manejo dos riscos, que visa propor medidas que mitiguem o risco verificado até o nível desejado, bem como avaliar o custo/benefício de cada medida. A última fase de uma análise de risco é a comunicação dos riscos. Essa etapa é fundamental para o sucesso do estudo e deve ser iniciada juntamente com a análise de risco em si, sempre deixando aberto um canal permanente de comunicação com todos os atores sociais interessados na análise de risco. A análise de risco tornou-se um importante instrumento utilizado pelos gestores dos serviços veterinários oficiais na tomada de decisões, contribuindo para a escolha de alternativas que confiram, cientificamente, o menor risco sanitário. Este trabalho realizou uma revisão da literatura sobre análise de risco objetivando expor sua definição e processo de elaboração, assim como verificar como ela está sendo utilizada, quais limitações e desafios do uso dessa ferramenta pelo serviço veterinário oficial brasileiro. <a href="http://motograf.ru">&#1055;&#1088;&#1086;&#1082;&#1072;&#1090; &#1080; &#1072;&#1088;&#1077;&#1085;&#1076;&#1072; &#1075;&#1080;&#1076;&#1088;&#1080;&#1082;&#1086;&#1074; &#1074; &#1057;&#1055;&#1073;</a>


#5 - Risk factors associated with the infection by Cryptosporidium spp. and Giardia duodenalis in cattle during their growing phase in dairy herds in the mesoregion of Campo das Vertentes de Minas Gerais, Brazil, 31(8):690-696

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva Júnior F.A., Carvalho A.H.O., Rocha C.M.B.M. & Guimarães A.M. 2011. [Risk factors associated with the infection by Cryptosporidium spp. and Giardia duodenalis in cattle during their growing phase in dairy herds in the mesoregion of Campo das Vertentes de Minas Gerais, Brazil.] Fatores de risco associados à infecção por Cryptosporidium spp. e Giardia duodenalis em bovinos na fase de cria e recria de rebanhos leiteiros na mesorregião do Campo das Vertentes de Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(8):690-696. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: amg@dmv.ufla.br This cross-sectional observational study was conducted to evaluate the risk factors associated with the infection by Cryptosporidium spp. and Giardia duodenalis in calves of 20 dairy farms located in the mesoregion of Campo das Vertentes in Minas Gerais state, Brazil. The farms were divided equally into two groups according to the type of milk: Group I = B-milk, and Group II = Raw refrigerated milk. Fecal samples from 356 calves were collected from September 2008 to August 2009 and analyzed using the Ziehl-Neelsen stain and fluctuation in 33% zinc sulfate solution to detect, respectively, Cryptosporidium spp. oocysts and G. duodenalis cysts. Data on management practices and health conditions for the cattle rearing were obtained through interviews during the visit to each property at the time when a single sample was collected from feces of calves 1 day to 12 months of age. The overall average frequency of calves infected with Cryptosporidium spp. was 21.62% and the age of 7 to 21 days had the greatest number of animals eliminating oocysts. For G. duodenalis, the overall average frequency was 25.56% and the age group 60 to 90 days had the highest number of calves with cysts in the feces. The results of this study indicate that infection by Cryptosporidium spp. and G. duodenalis is common in calves from dairy cattle in the Campo das Vertentes of Minas Gerais. Among the factors associated with an increased risk of infection by Cryptosporidium spp. and G. duodenalis in calves discussed in this study, the followings stand out: Permanence in the maternity picket for more than 12 hours after birth, colostrum feeding from 7 hours after birth, the first supply of water and concentrate from 1 to 7 days of age, and maintenance in a collective installation and/or one located near the corral.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva Júnior F.A., Carvalho A.H.O., Rocha C.M.B.M. & Guimarães A.M. 2011. [Risk factors associated with the infection by Cryptosporidium spp. and Giardia duodenalis in cattle during their growing phase in dairy herds in the mesoregion of Campo das Vertentes de Minas Gerais, Brazil.] Fatores de risco associados à infecção por Cryptosporidium spp. e Giardia duodenalis em bovinos na fase de cria e recria de rebanhos leiteiros na mesorregião do Campo das Vertentes de Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(8):690-696. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: amg@dmv.ufla.br Este estudo observacional do tipo transversal foi realizado com o objetivo avaliar os fatores de risco associados à infecção por Cryptosporidium spp. e Giardia duodenalis em bezerras provenientes de 20 propriedades leiteiras, localizadas na mesorregião do Campo das Vertentes de Minas Gerais. As propriedades foram divididas igualmente em dois grupos de acordo com o tipo de leite produzido: Grupo I = Leite B e Grupo II = Leite cru refrigerado. Amostras fecais de 356 bezerras foram coletadas no período de setembro de 2008 a agosto de 2009 e analisadas utilizando-se os métodos de Ziehl-Neelsen e flutuação em sulfato zinco a 33% para detecção, respectivamente, dos oocistos de Cryptosporidium spp. e cistos de G. duodenalis. Dados sobre práticas de manejo e condições sanitárias de criação dos bovinos foram obtidos por meio de entrevistas durante a visita a cada propriedade, no momento em que foi coletada uma única amostra de fezes de bezerras de 1 dia a 12 meses de idade. A frequência média global de bezerras infectadas por Cryptosporidium spp. foi de 21,62%, sendo a faixa etária de 7- 21 dias de idade a que apresentou o maior número de animais eliminando oocistos. Para G. duodenalis, a frequência média global foi de 25,56% e a faixa etária de 60-90 dias de idade foi a com maior número de animais com cistos nas fezes. Os resultados deste estudo indicam que infecções por Cryptosporidium spp. e G. duodenalis estão amplamente distribuídas entre fêmeas bovinas na fase de cria e recria provenientes de rebanhos leiteiros na mesorregião do Campo das Vertentes de Minas Gerais. Dentre os fatores associados a um maior risco de infecção por Cryptosporidium spp. e G. duodenalis em bezerras, discutidos neste estudo, se destacam os seguintes: a permanência no piquete maternidade por mais de 12h após o nascimento; o fornecimento de colostro a partir de 7h de vida; o primeiro fornecimento de água e concentrado entre 1 e 7 dias de idade; e a manutenção em instalação coletiva e/ou localizada próxima ao curral.


#6 - Factors associated to seroprevalence of Neospora caninum and Toxoplasma gondii in caprine herds in southern Minas Gerais state, Brazil, 31(1):53-58

Abstract in English:

ABSTRACT.- Varaschin M.S., Mesquita L.P., Guimarães A.M., Hirsch C., Abreu C.C., Rocha C.M.B.M., Wouters F. & Moreira M.C. 2011. [Factors associated to seroprevalence of Neospora caninum and Toxoplasma gondii in caprine herds in southern Minas Gerais state, Brazil.] Fatores associados a soroprevalência de Neospora caninum e Toxoplasma gondii em rebanhos caprinos na região sul de Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(1):53-58. Setor de Patologia Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário s/n, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: msvaraschin@ufla.br This study determines the seroprevalences of Neospora caninum and Toxoplasma gondii in caprine herds in southern Minas Gerais state and investigates their association with the reproductive performance of the herds analyzed since no data concerning neosporosis in goats in this state are available. Serum samples from 401 goats from 11 farms were subjected to indirect immunofluorescence reaction for the detection of N. caninum and T. gondii. The mean prevalence rates of animals that tested positive were 10.7% and 21.4%, respectively. Significant differences between different age groups were observed. The highest frequencies of positive cases for both parasites were observed in goats over three years of age; in this group, the probability of seropositivity for N. caninum and T. gondii was 2.6 and 4.8 times higher, respectively, when compared to animals up to one year of age. No positive correlation was found between the mean prevalence rate of N. caninum (p-0,553) and T. gondii (p=0.098) and the occurrence of reproductive problems in the herds using T-test. However, farms with a history of reproductive problems exhibited an average of 18.64% animals reactive to N. caninum, compared to 13.97% from farms where those problems were not reported. When reproductive problems were separated in category, the relationship between occurrence of abortion and seroprevalence of N. caninum and T. gondii was significant (p<0.05) using Fisher’s exact test and chi-square test. No difference was seen (p>0.05) between the mean prevalence rate of T. gondii of herds to which cats had access as compared to herds that had no contact with cats using a T-test. However, the mean prevalence rate in farms where cats had access to the herd was 31.01% as compared to 17.34% in farms where there were no cats. Access of dogs was observed in 100% of the farms. The results obtained in this study demonstrate that N. caninum and T. gondii infect goats in southern Minas Gerais and that these parasites can be associated with the occurrence of abortion in this animal species.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Varaschin M.S., Mesquita L.P., Guimarães A.M., Hirsch C., Abreu C.C., Rocha C.M.B.M., Wouters F. & Moreira M.C. 2011. [Factors associated to seroprevalence of Neospora caninum and Toxoplasma gondii in caprine herds in southern Minas Gerais state, Brazil.] Fatores associados a soroprevalência de Neospora caninum e Toxoplasma gondii em rebanhos caprinos na região sul de Minas Gerais. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(1):53-58. Setor de Patologia Veterinária, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário s/n, Cx. Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: msvaraschin@ufla.br Este estudo estabelece a soroprevalência de Neospora caninum e Toxoplasma gondii em rebanhos caprinos no Sul de Minas Gerais e verifica a sua associação com o desempenho reprodutivo dos rebanhos analisados, uma vez que não há dados sobre neosporose em caprinos neste Estado. Amostras de soro de 401 caprinos provenientes de 11 propriedades foram submetidas à reação de imunofluorescência indireta anti-N. caninum e T. gondii. A prevalência média de animais positivos foi de 10,7% e 21,4%, respectivamente. Houve diferença significativa entre as faixas etárias. Neste quesito os maiores índices de positividade, para ambos os parasitas, foram observados nos caprinos acima de três anos de idade. Estes apresentaram uma probabilidade 2,6 e 4,8 maior, em relação aos animais de até um ano de idade, para N. caninum e T. gondii, respectivamente. No teste T não houve associação positiva entre as médias de prevalência de N. caninum (p=0,553) e T. gondii (p=0,098) com a ocorrência de problema reprodutivo nos rebanhos. Porém, propriedades com histórico de problemas reprodutivos apresentaram uma média de reagentes para N. caninum de 18,64%, se comparadas a 13,97% de criatórios que não relataram essas alterações. Quando os problemas reprodutivos foram separados em categorias a relação entre a ocorrência de aborto e a soroprevalência de N. caninum e de T. gondii foi significativa (p<0,05) por meio dos testes Exato de Fisher e Qui-quadrado. Não houve diferença (p>0,05) entre as médias de prevalência de T. gondii e o acesso de gatos ao rebanho no teste T. Entretanto, a média de prevalência nas propriedades em que os gatos tinham acesso foi de 31,01%, se comparada a 17,34% em criatórios onde não existiam gatos. Foi constatado o acesso de cães em 100% das propriedades. Os resultados obtidos neste estudo demonstram que N. caninum e T. gondii infectam caprinos no Sul de Minas Gerais e que estes parasitas podem estar associados à ocorrência de abortos nessa espécie animal.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV