Resultado da pesquisa (15)

Termo utilizado na pesquisa Rodrigues M

#1 - Comparison of electrolyte and acid-base balances of Dorper breed ewes between single and twin pregnancies

Abstract in English:

During pregnancy there are modifications in the metabolic profile of sheep that may predispose to the occurrence of metabolic disorders, of which pregnancy toxaemia (PT) is highlighted. Blood gas analysis is detects changes in acid-base and electrolyte balance effectively. The objectives of this study were to study the acid-base and electrolyte balance of sheep during gestation and in the immediate peripartum (up to 48 hours postpartum), comparing single gestation with twins. Sixty healthy sheep of Dorper breed, two to five years old were raised in a semi-intensive system and were divided in two experimental groups: Group 1: 30 ewes, with ultrasonographic diagnosis of single fetus gestation; Group 2: 30 ewes, with ultrasonographic diagnosis of twin pregnancy. The experimental moments were defined as: MI-immediately after artificial insemination (control); MG30 - 30 days of gestation; MG90 - 90 days of gestation; MG120 - 120 days of gestation; MG130 - 130 days of gestation; MG140 - 140 days of gestation; MP - lambing; MPP1 - 24h postpartum; MPP2 - 48h postpartum. At all times 1mL of blood was collected per jugular vein puncture for blood gas evaluation in a portable equipament (I-Stat). The pH, carbon dioxide pressure (PCO2), bicarbonate (HCO3–), base excess (BE), sodium (Na+), potassium (K+), chloride (Cl–), ionized calcium (Ca+2), lactate, anion gap (AG) were mensured and strong ion difference (SID) were calculed. This work showed that there were changes in acid-base and electrolyte balance in pregnant ewes, due to the decrease in BE, HCO3–, TCO2 and increase of lactate and AG during gestation, but the pH remained normal and did not present any difference among moments in both groups. Comparing the groups, single-gestation ewes presented higher alkaline expenditure at delivery than twin-gestation, evidenced by lower levels of BE and HCO3–. Lower Na+ levels were observed in prepartum; drop in K+ values ​​with advancing gestation; hyperchloremia and hypocalcemia during gestation according to the reference standards for species; decreased iCa+2 levels in the final third of gestation in both groups. It was concluded that the ewes of this study were healthy until the last moment analyzed (48h postpartum), although have shown greater consumption of the alkaline reserve in the peripartum, being more explicit in the single gestation animals. In addition, this situation can be physiological and result in increased energy demand during gestation, more exacerbated by peripartum.

Abstract in Portuguese:

Durante a gestação ocorrem modificações metabólicas nas ovelhas que podem predispor a ocorrência de transtornos metabólicos, dos quais se destaca a toxemia da prenhez (TP). A hemogasometria é um exame que detecta alterações nos equilíbrios ácido-básico e eletrolítico de forma eficaz. Os objetivos deste estudo foram estudar os equilíbrios ácido-básico e eletrolítico de ovelhas durante a gestação e no periparto imediato (até 48 horas pós-parto), comparando‑se gestação única com gemelar. Foram utilizadas 60 ovelhas criadas em manejo semi-intensivo, hígidas, da raça Dorper, com dois a cinco anos de idade. Foram constituídos dois grupos experimentais: Grupo 1: 30 ovelhas, com diagnóstico ultrassonográfico de gestação de feto único; Grupo 2: 30 ovelhas, com diagnóstico ultrassonográfico de gestação gemelar. Os momentos experimentais foram definidos como: MI - imediatamente após a inseminação artificial (controle); MG30 - 30 dias de gestação; MG90 - 90 dias de gestação; MG120 - 120 dias de gestação; MG130 - 130 dias de gestação; MG140 - 140 dias de gestação; MP - dia do parto; MPP1 - 24h pós-parto; MPP2 - 48h pós-parto. Em todos os momentos foi colhido 1mL de sangue por punção da veia jugular para avaliação hemogasométrica em aparelho portátil (I-Stat). Foram analisados os parâmetros: pH, pressão de dióxido de carbono (PCO2), bicarbonato (HCO3–), excesso de bases (EB), sódio (Na+), potássio (K+), cloreto (Cl–), cálcio ionizado (iCa+2), lactato, ânion gap (AG) e diferença de íons fortes (SID). Este trabalho mostrou que houve mudanças nos equilíbrios ácido-básico e eletrolítico nas ovelhas prenhes, pela diminuição do EB, HCO3– e aumento do lactato e AG no decorrer da gestação, porém o pH se manteve dentro da normalidade e não apresentou diferença ao longo dos momentos em ambos os grupos. Comparando os grupos, as ovelhas de gestação única apresentaram maior consumo da reserva alcalina no momento do parto do que as de gestação gemelar, evidenciado menores níveis de EB e HCO3–. Foram observados níveis mais baixos de Na+ no pré-parto; queda dos valores de K+ com o avanço da gestação; hipercloremia e hipocalcemia durante a gestação segundo os padrões de referência para espécie e diminuição dos níveis de iCa+2 no terço final da gestação nas ovelhas de ambos os grupos. Concluiu-se que as ovelhas deste estudo apresentaram-se saudáveis até o último momento analisado (48h pós-parto), embora tenham mostrado maior consumo da reserva alcalina no periparto, sendo mais evidente nos animais de gestação única. Apesar disso, essa ocorrência pode ser considerada fisiológica e consequência do aumento da demanda energética durante a gestação, mais exacerbada no periparto.


#2 - Association between decreased expression of estrogen receptor alpha, androgen receptor and phosphatase and tensin homolog immunoexpression in the canine prostate

Abstract in English:

Canine prostate gland is a hormonal dependent organ and its imbalance of estrogen and androgen receptor expressions are directly associated with the development of different diseases. Due to the lack of information regarding the behavior of the aforementioned receptors in canine prostate cancer (PC), this study aimed to identify estrogen receptor alpha (ERα), androgen receptor (AR), Ki67 and phosphatase and tensin homolog (PTEN) protein expressions in canine PC by immunohistochemistry. We found nuclear expression of ERα and AR in the epithelial cells of normal canine samples and a loss of protein expression in PC samples. Normal samples showed Ki67 expression in a few basal cells and the PC samples showed the highest mean of positive cells (253.1). Canine prostate cancer showed a high proliferative index, which was associated with independence of hormonal actuation. PTEN showed positive nuclear and cytoplasmic expression in normal canine samples and a loss in PC. Loss of ERα, AR and PTEN indicated that canine PC exhibits the same immunohistochemical phenotype as in human patients with PC resistant to hormonal therapy. Therefore, canine PC should be considered as a model to study human PC resistant to hormonal therapy.

Abstract in Portuguese:

A glândula prostática canina é um órgão dependente de hormônio, e o desequilíbrio na expressão dos receptores de estrógeno e andrógeno estão diretamente associados com o desenvolvimento de diferentes doenças. Devido à falta de informação sobre o comportamento desses receptores no câncer prostático canino (PC), este estudo tem por objetivo identificar a expressão proteica através da técnica de imuno‑histoquímica do receptor de estrógeno alfa (REα), receptor de andrógeno (RA), Ki67 e fosfatase e tensina homóloga (PTEN). Foi encontrado nas células epiteliais prostáticas normais caninas a expressão nuclear de REα e RA, e perda de expressão proteica nas amostras de PC. As amostras normais apresentaram expressão de Ki67 em poucas células basais e as amostras de PC apresentaram a maior média de células positivas (253,1). O câncer de próstata canino apresentou uma taxa alta de proliferação, o qual foi associado com a atuação independente de hormônio. As amostras de próstatas caninas normais revelaram marcação nuclear e citoplasmática da proteína PTEN e perda nas amostras de PC. A perda de REα, RA e PTEN indicam que as amostras de PC exibem o mesmo fenótipo imuno-histoquímico de pacientes humanos com câncer prostático resistente a terapia hormonal. Sendo assim, o PC canino deve ser considerado um modelo para estudos de câncer prostático humano resistente a terapia hormonal.


#3 - Skeletogenesis in punare (Thrichomys laurentinus - Rodentia, Echimyidae), 36(Supl.1):51-57

Abstract in English:

ABSTRACT.- Favaron P.O., Rodrigues M.N., Borghesi J., Anunciação A.R.A., Oliveira M.F. & Miglino M.A. 2016. [Skeletogenesis in punare (Thrichomys laurentinus - Rodentia, Echimyidae).] Esqueletogênese em punaré (Thrichomys laurentinus - Rodentia, Echimyidae). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(Supl.1):51-57. Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Avenida Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: phelipe.favaron@yahoo.com.br The aim of this study was to describe the skeletogenesis in punaré (Thrichomys laurentinus). We used 11 embryos and 12 fetuses in different stages of development, allocated into 4 groups. Samples were obtained from the Multiplication Center of Wild Animals, at Federal Rural University of the Semi-Arid, Mossoro/RN, Brazil. After fixed in formalin (10%) or glutaraldehyde (2.5%) the morphological analysis was performed with a magnifying glass, and the macroscopic characteristics were photographed. Analysis of X-rays and alizarin red staining was made to better understand the development of bone structures. In x-ray analysis, it was possible to verify that the embryos showed no radiopacity, unlike fetuses that had gradual radiopacity along of the groups. In group II, there was an increase in radiopacity in the spine, mandibular and maxillary regions. In group III, the radiopacity was increased in the hind limbs, ribs and in the frontal region, and group IV showed higher radiopacity in the thoracic limbs and occipital, temporal and frontal skull. These characteristics were confirmed by histological and alizarin red analysis. We concluded that the knowledge of normal skeletal embryology is critical for understanding of adverse effects caused by nutrition and use of drugs during the development.

Abstract in Portuguese:

ABSTRACT.- Favaron P.O., Rodrigues M.N., Borghesi J., Anunciação A.R.A., Oliveira M.F. & Miglino M.A. 2016. [Skeletogenesis in punare (Thrichomys laurentinus - Rodentia, Echimyidae).] Esqueletogênese em punaré (Thrichomys laurentinus - Rodentia, Echimyidae). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(Supl.1):51-57. Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Avenida Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: phelipe.favaron@yahoo.com.br O objetivo deste estudo foi descrever o desenvolvimento do esqueleto do punaré (Thrichomys laurentinus). Para tanto, foram utilizados 11 embriões e 12 fetos em diferentes estágios de desenvolvimento, sendo divididos em 4 grupos de acordo com o período gestacional. As amostras foram obtidas no Centro de Multiplicação de Animais Silvestres da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró-RN, Brasil. Após fixados em formol (10%) ou glutaraldeído (2,5%), foi realizada a analise morfológica com auxílio de lupa, sendo as características macroscópicas fotodocumentadas. Análises de raios-x e coloração por alizarina red foram realizadas para melhor compreensão do desenvolvimento ósseo. Nas análises de raio-x os embriões não apresentaram nenhuma radiopacidade, ao contrário dos fetos que apresentavam radiopacidade gradual ao longo dos grupos. No grupo II houve aumento de radiopacidade na região da coluna vertebral e das regiões mandibular e maxilar. No grupo III a radiopacidade estava aumentada nos membros pélvicos, nas costelas e na região frontal e no grupo IV nos membros torácicos e nas regiões occipital, temporal e frontal do crânio. Tais características foram confirmadas pelas analises histológicas e pela técnica de Alizarina Red. Com isso podemos concluir que o conhecimento acerca da embriologia do sistema ósseo normal é fundamental para o entendimento dos efeitos adversos causados pela nutrição e uso de drogas durante o desenvolvimento.


#4 - Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation, 36(1):1-12

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Rodrigues M.M.P., Dantas G.N., Sacco S.R., Lopes R.S., Dias A. & Gonçalves R.C. 2016. [Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation.] Avaliação clínica, laboratorial e anatomopatológica do sistema urinário de ovinos confinados com ou sem suplementação de cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):1-12. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com The urinary acidification with ammonium chloride (AC) is an efficient preventive method for urolithiasis in sheep. The objectives of this study with feedlot sheep receiving concentrated diet with high protein content were (1) to verify the effect of diet on urolith formation and development of the disease, (2) to analyze the macroscopic and histopathological characteristics of the urinary system, and (3) to relate the clinical, laboratory and necropsy findings with the presence of uroliths. Sixty male sheep were used: AC group (n=40), 400mg/kg AC/day, orally treated for 42 consecutive days, and control group (n=20), untreated. Seven times were determined for sampling with a seven-day interval, totaling 56 days of feedlot. Small uroliths were found in the renal pelvis of five sheep in both groups. The most relevant microscopic renal lesions were vascular congestion and tubular necrosis. It was concluded that the highly concentrated diet caused renal injury in both groups, without changing the renal function, what was proven by laboratory tests of urea and creatinine. Ammonium chloride provided to the CA group did not prevent urolith formation, but reduced its prevalence in comparison with the control group. Sheep of the control group had increased kidney damage, which resulted in higher incidence of crystalluria and tubular necrosis induced by the consumption of a diet rich in grains.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Rodrigues M.M.P., Dantas G.N., Sacco S.R., Lopes R.S., Dias A. & Gonçalves R.C. 2016. [Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation.] Avaliação clínica, laboratorial e anatomopatológica do sistema urinário de ovinos confinados com ou sem suplementação de cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):1-12. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com A acidificação urinária com cloreto de amônio (CA) é um método preventivo eficiente em urolitíase obstrutiva em ovinos. Os objetivos deste estudo com ovinos confinados, que receberam dieta concentrada com elevado teor proteico, foram: verificar o efeito da dieta sobre a formação de urólitos e o desenvolvimento da doença; analisar as características macroscópicas e histopatológicas do sistema urinário; relacionar os achados clínicos, laboratoriais e necroscópicos com a presença de urólitos. Utilizaram-se 60 ovinos machos: grupo CA (n=40), 400 mg/kg CA/dia, tratados via oral, por 42 dias consecutivos; grupo-controle (n=20), não tratado. Determinaram-se sete momentos de colheita de amostras com intervalos de sete dias, no total de 56 dias de confinamento. Encontraram-se microcálculos na pelve renal em cinco animais de ambos os grupos. As lesões renais microscópicas mais relevantes foram congestão vascular e necrose tubular. Concluiu-se que a dieta rica em concentrado provocou lesão renal em ambos os grupos, embora sem alterar a função renal, o que foi comprovado em testes pela ureia e creatinina séricas. O cloreto de amônio fornecido ao grupo CA não impediu a calculogênese, mas reduziu sua prevalência em relação ao grupo-controle. Os ovinos do grupo-controle tiveram maior comprometimento renal, pela alta incidência de cristalúria e pela necrose tubular, induzidas pelo consumo da dieta rica em grãos.


#5 - Celiotomy by plastrotomy in a yellow-footed tortoise (Geochelone denticulata), 35(2):173-176

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rodrigues M.C., Lima W.C., Quessada A.M., Silva F.A.N., Silva L.M.C., Souza A.B., Moura C.R.C. & Lima D.A.S.D. 2015. Celiotomy by plastrotomy in a yellow-footed tortoise (Geochelone denticulata). Pesquisa Veterinária Brasileira 35(2):173-176. Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí, Centro de Ciências Agrárias, Campus Universitário, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: olecramsopmac@yahoo.com.br One herein reports a successful case of celiotomy by plastrotomy for removal of foreign bodies in yellow-footed tortoise (Geochelone denticulata). The animal was treated at the Veterinary Hospital of the Federal University of Piaui, with appetite loss, regurgitation, constipation, lethargy, reluctance to walk and slightly reddish ocular mucous membranes. Radiographic examination was performed, confirming the presence of foreign bodies in the stomach. The tortoise underwent celiotomy by plastrotomy for the removal of the foreign bodies. The opening of the plastron was performed through the abdominal shields, with the aid of a circular mini grinding saw. One performed an incision in the midline between the two abdominal veins to access the abdominal cavity. A gastrotomy for removal of the foreign bodies (nails, toothpicks, stones, pieces of plastic, glass and crockery pieces) was performed after the location of the stomach. The surgery was successful and confirmed with radiographic evaluation in the immediate postoperative period. The celiotomy by plastrotomy for removal of foreign bodies in that animal proved to be a viable, very important and safe technique to the survival of chelonians.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rodrigues M.C., Lima W.C., Quessada A.M., Silva F.A.N., Silva L.M.C., Souza A.B., Moura C.R.C. & Lima D.A.S.D. 2015. Celiotomy by plastrotomy in a yellow-footed tortoise (Geochelone denticulata). [Celitomia por plastrotomia em jabuti-tinga (Geochelone denticulata).] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(2):173-176. Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí, Centro de Ciências Agrárias, Campus Universitário, Teresina, PI 64049-550, Brazil. E-mail: olecramsopmac@yahoo.com.br Neste relato descreve-se um caso bem sucedido de celiotomia por plastrotomia para remoção de corpos estranhos em uma jabuti-tinga (Geochelone denticulata). O animal foi atendido no Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí apresentando falta de apetite, regurgitação, constipação, letargia, relutância em andar e mucosas oculares hiperêmicas. Foi realizado exame radiográfico, o qual confirmou presença de corpos estranhos no estômago. O animal foi submetido à celiotomia por plastrotomia para remoção dos corpos estranhos. A abertura do plastrão foi realizada através dos escudos abdominais, com o auxílio de uma mini-serra circular de retífica. Foi feita uma incisão na linha média entre as duas veias abdominais para se acessar a cavidade abdominal e, uma vez exposto, o estômago foi incisado para remoção dos corpos estranhos (grampos, palitos de dente, pedras, peças de plástico, fragmentos de louças e vidros). A cirurgia foi bem sucedida e a remoção total dos corpos estranhos foi confirmada por radiografia realizada no pós-operatório imediato. A celiotomia por plastrotomia para remoção de corpos estranhos neste animal demonstrou ser uma técnica muito importante, segura e viável para a sobrevivência de quelônios.


#6 - Influence of Insulin-like Growth Factor I (IGF-I) on the survival and the in vitro development of caprine preantral follicles, 34(10):1037-1044

Abstract in English:

ABSTRACT.- Costa S.L., Costa E.P., Pereira E.C.M., Benjamin L.A., Rodrigues M.T., Mendes V.R.A. & Silva T.F. 2014. Influence of Insulin-like Growth Factor I (IGF-I) on the survival and the in vitro development of caprine preantral follicles. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(10):1037-1044. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas e da Saúde, Laboratório de Maturação de Ovócitos e Fertilização In Vitro, Universidade Federal de Viçosa, Avenida Peter Henry Rolfs s/n, Campus Universitário, Viçosa, MG 36570-900, Brazil. E-mail: sanelylc@hotmail.com The aim of this study was to investigate the effects of the insulin-like growth factor -I (IGF-I) on survival, activation (transition from primordial to primary follicles) and growth of caprine preantral follicles cultured in vitro. Fragments of ovarian cortex were cultured for one and seven days in the absence or presence of IGF-I (0, 50 and 100ng/ml). The non-cultured and cultured tissues were processed and analyzed by histology and transmission electron microscopy. The culture for one day in a medium with 100ng/ml of IGF-I showed 86.7% of morphologically normal follicles. These results were similar (P>0.05) to the percentage of normal follicles found in the control (96.7%). It was also found that this medium increased the percentage of follicular activation (developing follicles) with one day of culture. The oocyte and follicular diameters remained similar to the control by culturing for one day in a medium containing 100ng/ml of IGF-I. The ultrastructural analysis did not confirm the integrity of the follicular fragments in a medium containing IGF-I (100ng/ml) after one and seven days of culture. In conclusion, this study demonstrated that the addition of 100 ng/ml of IGF-I in the culture medium enables the development of preantral follicles of goats with one day of culture. However, it is not sufficient to maintain the follicular integrity and the follicular survival rate after seven days of culture.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Costa S.L., Costa E.P., Pereira E.C.M., Benjamin L.A., Rodrigues M.T., Mendes V.R.A. & Silva T.F. 2014. Influence of Insulin-like Growth Factor I (IGF-I) on the survival and the in vitro development of caprine preantral follicles. [Influência do Fator de Crescimento Semelhante à Insulina-I (IGF-I) sobre a sobrevivência e o desenvolvimento in vitro de folículos pré-antrais caprinos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(10):1037-1044. Programa de Pós-Graduação em Ciências Biológicas e da Saúde, Laboratório de Maturação de Ovócitos e Fertilização In Vitro, Universidade Federal de Viçosa, Avenida Peter Henry Rolfs s/n, Campus Universitário, Viçosa, MG 36570-900, Brazil. E-mail: sanelylc@hotmail.com O objetivo do presente estudo foi investigar os efeitos do fator de crescimento semelhante a insulina-I (IGF-I) na sobrevivência, ativação (transição de folículos primordiais para primários) e crescimento de folículos pré-antrais caprinos cultivados in vitro. Fragmentos de córtex ovariano foram cultivados por um e sete dias na ausência ou presença de IGF-I (0, 50 e 100ng/mL). Os tecidos não cultivados e cultivados foram processados e analisados por histologia e microscopia eletrônica de transmissão. O cultivo por um dia em meio com 100ng/mL de IGF-I apresentou 86,7% de folículos morfologicamente normais. Estes resultados foram semelhantes (P>0,05) ao percentual de folículos normais encontrados no controle (96,7%). Verificou-se ainda que este meio aumentou o percentual de ativação folicular (folículos em desenvolvimento) com um dia de cultivo. Os diâmetros ovocitário e folicular mantiveram-se semelhantes ao controle ao cultivar por um dia em meio contendo 100ng/mL de IGF-I. As análises ultraestruturais não confirmaram a integridade folicular dos fragmentos em meio contendo IGF-I (100 ng/mL) após um e sete dias de cultivo. Em conclusão, esse estudo demonstrou que a adição de 100 ng/mL de IGF-I no meio de cultivo ativa o desenvolvimento de folículos pré-antrais de caprinos com um dia de cultivo. Entretanto, não é suficiente para manter a integridade folicular e a taxa de sobrevivência folicular após sete dias de cultivo.


#7 - Evaluation of the characteristics of ruminal fluid, hemogasometry, pedometer activity and subclinical laminitis diagnosis in dairy cows, 33(Supl.1):99-106

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rodrigues M., Deschk M., Santos G.G.F., Perri S.H.V., Merenda V.R., Hussni C.A., Alves A.L.G. & Rodrigues C.A. 2013. [Evaluation of the characteristics of ruminal fluid, hemogasometry, pedometer activity and subclinical laminitis diagnosis in dairy cows.] Avaliação das características do líquido ruminal, hemogasometria, atividade pedométrica e diagnóstico de laminite subclínica em vacas leiteiras. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(Supl.1):99-106. Departamento de Clínica Cirurgia Veterinária, Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Distrito de Rubião Jr s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: rodriguesca@fmvz.unesp.br The objectives of this study were to evaluate the characteristics of ruminal fluid, blood gas analysis, pedometer activity and suclinical laminitis occurrence, through the presence of secondary foot diseases in high production dairy cows, from a commercial herd. 200 Holstein cows originating from the same farm, located in Araçatuba/SP, Brazil, were divided into four groups, which are established from the daily milk production. Initially clinical examination of the cows was procedure, followed by sampling of rumen fluid, by esophageal tube. Fluid was evaluated for pH, color, odor, consistency, sedimentation, flotation and methylene blue reduction test. Venous blood samples were also collected for blood gas analysis, in addition to collecting data from pedometrics (number of steps) and daily milk production. Data were tabulated and submitted to correlation analysis. No animal had reported changes in rumen pH. Non-acid base imbalance were found, since the values of blood pH, PCO2, TCO2, HCO3- and BE were normal during hemogasimetric analysis. The pedometric was effective as a screening method to cows with foot diseases. It demonstrated reduction in the number of steps due to pain, correlated with lower milk production. However, the identification of foot lesions was only possible through specific digital clinical examination. The occurrence of 49.5 % of herd foot problems was due to the risk factors present in the farm. The abrasive concrete and inadequate facilities, also associated with the possible occurrence of sub-acute ruminal acidosis, were observed as risk factors. However, sub-acute ruminal acidosis was undiagnosed by the methods used. The correlation between the values of ruminal pH, and blood gas analysis pedometrics showed efficient for the early diagnosis of foot diseases and also in establishing the etiology of these diseases. Subclinical laminitis occurred primarily in cow’s herd, considering the multifactorial etiology of this disease, occurrence and distribution of foot diseases diagnosed.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rodrigues M., Deschk M., Santos G.G.F., Perri S.H.V., Merenda V.R., Hussni C.A., Alves A.L.G. & Rodrigues C.A. 2013. [Evaluation of the characteristics of ruminal fluid, hemogasometry, pedometer activity and subclinical laminitis diagnosis in dairy cows.] Avaliação das características do líquido ruminal, hemogasometria, atividade pedométrica e diagnóstico de laminite subclínica em vacas leiteiras. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(Supl.1):99-106. Departamento de Clínica Cirurgia Veterinária, Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Distrito de Rubião Jr s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: rodriguesca@fmvz.unesp.br Este estudo objetivou avaliar as características do líquido ruminal, hemogasometria, atividade pedométrica e ocorrência laminite subclínica, por meio da presença de enfermidades podais secundárias, em vacas leiteiras de alta produção, provenientes de um rebanho comercial. Foram avaliadas 200 vacas holandesas, oriundas da mesma propriedade, localizada na região de Araçatuba, SP, divididas em quatro grupos, sendo estes estabelecidos a partir da produtividade diária. Inicialmente procedeu-se o exame clínico dos animais, seguido da colheita de amostras do líquido ruminal, por meio de sondagem esofágica, sendo este avaliado quanto ao pH, cor, odor, consistência, sedimentação, flutuação e prova de redução pelo azul de metileno. Também foram colhidas amostras de sangue venoso para hemogasometria, além da coleta dos dados da pedometria (número de passos) e produção de leite diária das vacas. Os dados obtidos foram tabulados e submetidos à análise de correlação. Nenhum animal avaliado apresentou alterações no pH ruminal, bem como não foram encontrados distúrbios do desequilíbrio ácido básico, pois os valores de pH sanguíneo, PCO2, TCO2, HCO3- e EB estavam dentro da normalidade, durante a análise hemogasométrica. A pedometria foi efetiva como método de triagem para as vacas acometidas de afecções podais, pois se observou a redução no número de passos devido à dor, correlacionada a menor produção leiteira. Contudo, a identificação destas afecções, somente foi possível mediante exame clínico específico dos dígitos. A ocorrência das afecções podais em 49,5% do rebanho deveu-se aos fatores de riscos presentes na propriedade, como o concreto abrasivo e instalações inadequadas, associados também a possível ocorrência de acidose ruminal subaguda, não diagnosticada pela metodologia utilizada. A correlação entre os valores do pH ruminal, pedometria e hemogasometria se mostrou eficiente para o diagnóstico precoce das afecções podais e também no estabelecimento da etiologia destas enfermidades. A laminite subclínica acometeu primariamente as vacas do rebanho, considerando a etiologia multifatorial desta afecção, ocorrência e distribuição das enfermidades podais diagnosticadas.


#8 - Gross morphology and topography of the digestive apparatus in rheas (Rhea americana americana), 32(7):681-686

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rodrigues M.N., Oliveira G.B., Silva R.S.S, Tivane C.T., Albuquerque J.F.G., Miglino M.A. & Oliveira M.F. 2012. [Gross morphology and topography of the digestive apparatus in rheas (Rhea americana americana).] Macroscopia e topografia do aparelho digestório de emas (Rhea americana americana). Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):681-686. Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Cidade Universitária, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508270, Brazil. E-mail: marcio_medvet@hotmail.com Rheas are birds belonging to the ratites group and, among ostriches and emus, are the largest birds currently alive. In this work we studied the macroscopic aspects of rheas’ digestive tract in order to provide important information to a better understanding of these birds’ eating habits as well their anatomy. Twenty young animals aging between two and six months from the Centre for Wild Animals Multiplication (Cemas, scientific breeding license form Ibama no.1478912) were used. After dissection it was observed that their tongue was small and presented a rhomboid form, being disposed on the oral cavity floor, and inserted in its base by a frenulum. The esophagus was a rectilinear tube with elastic aspect and longitudinal elastic fibers, without dilation, which gives it an absence of crop. The proventriculus presented a fusiform form and the gastric ventricle showed and slightly oval form when filled, and was internally coated with a thick gastric cuticle. The small intestine was composed of three distinct regions: duodenum, jejunum and ileum. The duodenum had a light gray color and showed a “U” curved shaped. The jejunum was dark green, long and composed of several short loops arranged above each other. The ileum had a gray color and was connected with the jejunum. In ventral line to the rectum and cloaca, the ileum extended cranially, dorsally to the ascending duodenum. The large intestine was composed of two caeca, one right and one left, and colon-rectum and ileum were continuous with the cloaca. The structures of the rhea digestive tract resemble those described in the literature regarding to its shape and topography, even though rhea’s caeca are well developed and relatively long.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rodrigues M.N., Oliveira G.B., Silva R.S.S, Tivane C.T., Albuquerque J.F.G., Miglino M.A. & Oliveira M.F. 2012. [Gross morphology and topography of the digestive apparatus in rheas (Rhea americana americana).] Macroscopia e topografia do aparelho digestório de emas (Rhea americana americana). Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):681-686. Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Cidade Universitária, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508270, Brazil. E-mail: marcio_medvet@hotmail.com As emas são aves que pertencem ao grupo das ratitas e juntamente com os avestruzes e emus, são as maiores aves vivas na atualidade. Neste trabalho estudou-se os aspectos macroscópicos do aparelho digestório de emas com o intuito de fornecer informações importantes ao estudo dos hábitos alimentares dessas aves, bem como de sua anatomia. Foram utilizados vinte animais jovens com idade entre dois e seis meses obtidos do Centro de Multiplicação de Animais Silvestres (Cemas), registrado com criador científico sob o nº 1478912. Após dissecação verificou-se que a língua era pequena, disposta no assoalho da cavidade oral, possui forma rombóide e estava inserida pela sua base por um frênulo. O esôfago era um tubo retilíneo de aspecto elástico com fibras longitudinais, sem dilatação, o que confere a ausência do papo. O proventrículo gástrico apresentava formato fusiforme. O ventrículo gástrico possuía formato ligeiramente oval, quando repleto, internamente era recoberto por uma cutícula gástrica espessa. O intestino delgado era formado por três regiões distintas: duodeno, jejuno e íleo. O duodeno possuía coloração cinza claro e apresentava-se curvado em forma de “U”. O jejuno era longo e formado por várias alças curtas dispostas uma sobre a outra e possuía coloração verde escuro. O íleo era de cor cinza e continuo com o jejuno. Na linha ventral ao reto e cloaca, este se estendia em sentido cranial, dorsalmente ao duodeno ascendente. O intestino grosso era formado por dois cecos, um direito e um esquerdo, e o cólon-reto contínuo com o íleo e a cloaca. As estruturas que compõem o aparelho digestório de ema assemelham-se com o que preconiza a literatura, com relação à forma e topografia para a maioria das aves, contudo os cecos são bem desenvolvidos e bastante dilatados nas emas.


#9 - Gross morphology of rhea oropharingeal cavity, 32(Supl.1):53-59

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rodrigues M.N., Tivane C.N., Carvalho R.C., Oliveira G.B., Silva R.S.B., Ambrosio C.E., Oliveira M.F & Miglino M.A. 2012. Gross morphology of rhea oropharingeal cavity. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(Supl.1):53-59. Universidade Federal do Maranhão, BR 222 Km 4, Chapadinha, MA 65500-000, Brazil. E-mail: rafaelcarvalho@ufma.br The rhea (Rhea americana americana) is an american bird belonging to Ratite’s family. Studies related to its morphology are still scarce. This study aims to describe the macroscopic structures of the oropharyngeal cavity. Five heads (2 to 6 months old) formalin preserved were anatomically dissected to expose the oropharynx. The oropharynx of the rhea was “bell-shaped” composed by the maxillary and mandibular rhamphotheca. The roof and floor presented two distinct regions different in colour of the mucosa. The rostral region was pale pink contrasting to grey coloured caudal region. The median longitudinal ridge extended rostrally from the apex of the choana to the tip of the beak in the roof and it is clearly more prominent and rigid than the homolog in the floor that appeared thin and stretched merely along the rostral portion of the regio interramalis. The floor was formed by the interramal region, (regio interramalis) tongue and laryngeal mound containing glove-shaped glottis. This study confirmed the basic morphology of the oropharinx of the rhea. However, important morphological information not previously described is highlighted and contradictory information present in the literature is clarified.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rodrigues M.N., Tivane C.N., Carvalho R.C., Oliveira G.B., Silva R.S.B., Ambrosio C.E., Oliveira M.F & Miglino M.A. 2012. Gross morphology of rhea oropharingeal cavity. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(Supl.1):53-59. Universidade Federal do Maranhão, BR 222 Km 4, Chapadinha, MA 65500-000, Brazil. E-mail: rafaelcarvalho@ufma.br A ema é uma ave Americana pertencente à familia das Ratitas. Estudos relacionados a sua morfologia são escassos. O objetivo deste estudo foi descrever as estruturas macroscópicas da cavidade orofaríngea. Cinco cabeças (dois a seis meses de idade) de emas fixadas em formol foram dissecadas para a exposição da orofaringe. A orofaringe das emas apresentou formato de “sino” composta pela ranfoteca maxilar e mandibular. O teto e o assoalho apresentavam duas regiões distintas com diferenças na coloração da mucosa. A região rostral era rosa clara contrastando com a coloração cinza da região caudal. A linha longitudinal mediana se estendia rostralmente do ápice da coana ate a extremidade do bico no teto e esta era bem proeminente e rígida quanto a mesma estrutura no assoalho, esta apresentou-se estendida ao longo da porção rostral da região interramal. O assoalho estava formado pela região interramal, língua, glote e cartilagens da laringe com formato de dedos de luvas. O estudo confirma a morfologia básica da orofaringe das emas. Entretanto, importantes informações morfológicas não descritas anteriormente são destacadas e informações contraditórias presentes na literatura são esclarecidas.


#10 - Origin and distribution of femoral nerve of the rocky cavy, Kerodon rupestris (Cavidae), 31(Supl.1):84-88

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oliveira G.B., Albuquerque J.F.G., Rodrigues M.N., Paiva A.L.C., Moura C.E.B., Miglino M.A. & Oliveira M.F. 2011. [Origin and distribution of femoral nerve of the rocky cavy, Kerodon rupestris (Cavidae).] Origem e distribuição do nervo femoral do mocó, Kerodon rupestris (Cavidae). Pesquisa Veterinária Brasileira 31(Supl.1):84-88. Departamento de Ciências Animais, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Bairro Pres. Costa e Silva, Mossoró, RN 59625-900, Brazil. E-mail: moacir@ufersa.edu.br Rock cavy (Kerodon rupestris Wied, 1820), a rodent mammal from the Cavidae family is highly adapted to conditions of heat and shortage of water and food, mainly in the periods of great drought that periodically devastate the semi-arid of Northeast Brazil. In the literature, few data are found regarding the functional anatomy of the rock cavy, especially involving the anatomy of the nervous system. We aimed to investigate the origin of the femoral nerve close to the intervertebral foramina, its location and distribution for the musculature of the legs, to verify its importance to support further studies for wild animal clinics, and to contribute for the comparative neuro-anatomy. Ten adult rock cavies of different ages were used (4 males and 6 females), that had died in the Wild Animal Multiplication Center (Cemas) of the Rural Federal University of the Semi-Arid, Mossoró. After the fixation in aqueous solution of 10% formalin, the dissection of the abdominal cavity of the animals was accomplished for complete visualization of the femoral nerve. Variations were verified in the number of lumbar vertebrae, as seven animals (70%) had seven lumbar vertebrae, and three (30%) only six, altering the origin of the nerve. On the right side, in four animals (40%) the femoral nerve originated from ventral branches of L5 to L6, four (40%) from L5 to L7, and in two (20%) from L4 to L6. On the left side, in five animals (50%) the femoral nerve originated from the ventral branches of L5 to L6, in three (30%) from L5 to L7, and two (20%) also from L4 to L6.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oliveira G.B., Albuquerque J.F.G., Rodrigues M.N., Paiva A.L.C., Moura C.E.B., Miglino M.A. & Oliveira M.F. 2011. [Origin and distribution of femoral nerve of the rocky cavy, Kerodon rupestris (Cavidae).] Origem e distribuição do nervo femoral do mocó, Kerodon rupestris (Cavidae). Pesquisa Veterinária Brasileira 31(Supl.1):84-88. Departamento de Ciências Animais, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Bairro Pres. Costa e Silva, Mossoró, RN 59625-900, Brazil. E-mail: moacir@ufersa.edu.br O mocó (Kerodon rupestris Wied,1820), um mamífero roedor da família Cavidae, que se assemelha bastante ao preá, é um animal altamente adaptado às condições de calor e de escassez de água e de alimento, principalmente nos períodos das grandes secas que assolam periodicamente a região do semi-árido nordestino. Verifica-se que na literatura há escassez de dados referentes à anatomia funcional dos mocós, em especial de trabalhos envolvendo a anatomia do sistema nervoso. Visando conhecer a origem do nervo femoral junto aos forames intervertebrais, sua localização e distribuição pelo membro pélvico, a musculatura envolvida em seu trajeto, a importância desse estudo para clínica de animais silvestres e contribuir para o desenvolvimento da neuroanatomia comparada, procedeu-se esta pesquisa, na qual foram utilizados dez animais adultos de diferentes idades (4 machos e 6 fêmeas) que vieram a óbito no Centro de Multiplicação de Animais Silvestres (Cemas) da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa). Os animais foram fixados em solução aquosa de formaldeído a 10% e posteriormente tiveram a cavidade abdominal dissecada até a completa visualização do nervo femoral. Foram verificadas variações no número de vértebras lombares nos animais, entre seis (30%) e sete (70%) vértebras, alterando, conseqüentemente, a origem do nervo. No antímero direito, verificou-se que em 40% dos animais o nervo femoral originava-se de ramos ventrais de L5L6, em 40% de L5L6L7 e em 20% de L4L5L6. Já no esquerdo 50% dos exemplares o nervo femoral foi formado de raízes ventrais de L5L6, em 30% de L5L6L7 e em 20% de L4L5L6.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV