Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa Serological survey

#1 - Serological survey of bluetongue virus in sheep from Minas Gerais

Abstract in English:

Bluetongue is an infectious, non-contagious disease that affects domestic and wild ruminants, caused by a virus from the Orbivirus genus, Reoviridae family, transmitted by arthropod vectors of the Culicoides genus. This paper aims to be the first serological survey of bluetongue in sheep from the Meso-regions of Campo das Vertentes and South and Southeast of Minas Gerais. Samples were collected from sheep from different properties. The serum samples were submitted to Agar Gel Immunodiffusion (AGID) and competitive Enzyme-Linked Immunosorbent Assay (cELISA). 303 serum samples were submitted to AGID and cELISA. In these samples, 164 (54.13%) were positive in the AGID technique, and 171 (56.44%) positive in the cELISA technique, with an almost perfect agreement between the techniques (kappa index = 0.887). In all visited properties, positive animals have been found in the herd. Animals acquired from properties of the studied mesoregions were more likely to be positive in IDGA and cELISA tests than animals acquired from properties in other regions of Brazil (p<0.001). These results suggest that bluetongue virus (BTV) is widespread in the mesoregions of Campo das Vertentes and South and Southeast of Minas Gerais.

Abstract in Portuguese:

A língua azul (LA) é uma doença infecciosa, não contagiosa, que acomete ruminantes domésticos e silvestres, causada por um vírus do gênero Orbivirus da família Reoviridae, transmitida por vetores artrópodes do gênero Culicoides. O presente estudo representa o primeiro trabalho a realizar um inquérito sorológico da língua azul em rebanhos ovinos nas Mesorregiões de Campo das Vertentes e Sul e Sudoeste de Minas Gerais. Foram coletadas amostras de soro de ovinos de diferentes propriedades. As amostras de soro foram submetidas aos testes de imunodifusão em gel de ágar (IDGA) e ensaio de imunoadsorção enzimática por competição (cELISA). Ao todo 303 amostras de soro foram submetidas ao IDGA e cELISA. Dessas amostras, 164 (54,13%) foram positivas na técnica de IDGA e 171 (56,44%) positivas na técnica de cELISA, havendo concordância quase perfeita entre as técnicas (índice kappa = 0,887). Em todas as propriedades visitadas, foram encontrados animais positivos no rebanho. Animais adquiridos de propriedades das Mesorregiões estudadas, tiveram mais chances de serem positivos nos testes de IDGA e cELISA do que animais adquiridos de propriedades de outras Regiões do Brasil (p<0,001). Esses resultados sugerem que o vírus da língua azul encontra-se disseminado em ovinos nas Mesorregiões de Campo das Vertentes e Sul e Sudoeste de Minas Gerais.


#2 - Serological survey of anti-Leptospira spp. antibodies in Barbary sheep (Ammotragus lervia) at the Curitiba Zoo, southern Brazil

Abstract in English:

Leptospirosis is a worldwide zoonosis, affecting humans, domestic and wild animals. The present study aimed to evaluate prevalence of anti-Leptospira spp. antibodies in Barbary sheep at the Curitiba zoo. Microscopic agglutination test (MAT) was performed using 17 serogroups. Antibodies against Leptospira spp. were observed in 23.5% samples and Icterohaemorrhagiae was the only prevalent serogroup. The presence of anti-Leptospira antibodies in Barbary sheep indicates exposure to leptospires; thus monitoring and preventive measures are necessary in zoo’s captive animals, since they can act as sentinels of environmental exposure in an area with high movement of people.

Abstract in Portuguese:

A leptospirose é uma zoonose mundial que afeta seres humanos, animais domésticos e selvagens. O presente estudo objetivou avaliar a prevalência de anticorpos anti-Leptospira spp. em aoudads do zoológico de Curitiba. Foi realizado o teste de Soroaglutinação microscópica (SAM) utilizando 17 sorogrupos. Anticorpos contra Leptospira spp. foram observados em 23.5% das amostras de aoudads e Icterohaemorrhagiae foi o único sorogrupo prevalente. A presença de anticorpos em aoudads indica exposição a leptospiras portanto monitoramento e medidas preventivas são necessários em animais confinados em zoológicos, uma vez eles podem atuar como sentinelas de exposição ambiental em uma área com alta circulação de pessoas.


#3 - Spotted Fever Group Rickettsiae in dogs at the surroundings of Conservation Units in the state of Rio de Janeiro: serological survey and associated factors, 37(11):1307-1312

Abstract in English:

ABSTRACT.- Campos S.D.E., Cunha N.C., Machado C.S.C., Souza T.V.T., Fonseca A.B.M., Pinter A., Fonseca A.H. & Almosny N.R.P. 2017. [Spotted Fever Group Rickettsiae in dogs at the surroundings of Conservation Units in the state of Rio de Janeiro: serological survey and associated factors.] Circulação de Rickettsias do Grupo da Febre Maculosa em cães no entorno de Unidades de Conservação Federais do estado do Rio de Janeiro: evidência sorológica e fatores associados. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1307-1312. Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Santa Rosa, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: s.destri@gmail.com Diseases caused by Rickettsiae have wide distribution and are associated with arthropods. Rickettsia rickettsii is the most pathogenic species of the Spotted Fever Group (SFG) and responsible for the Brazilian Spotted Fever. In the southeast the disease is endemic and serological surveys have demonstrated the presence of antibodies to SFG antigens in dogs, reinforcing the participation of the dog as sentinels. The main vectors are Amblyomma ticks, for which hosts are often wildlife animals. The aim of this study was to evaluate the presence of SFG Rickettsiae in the surroundings of Conservation Units (UC) at the state of Rio de Janeiro by Indirect Immunofluorescence Assay in dogs, and determine associated factors. Serum samples of 155 dogs were tested, with 16.1% of the seropositive animals at least to one of the antigens tested. There was an association between seroreactivity dogs and access to rainforest fragments; lack of veterinary care assistance; lack of actions against ticks; and family income up to two minimum salaries. Dogs with this profile had a higher chance of being exposed to SFG Rickettsiae. According to logistic regression, not going to rainforest areas was considered a protective factor for the dog along with the existence of veterinary care assistance and treatment against ticks. It was concluded that the SFG pathogens are present in the surroundings of UC studied, and possibly both R. rickettsii and R. parkeri are infecting dogs, since the animals showed exposure to both agents. We emphasize the participation of the veterinary and the adoption of the tick control measures as tools in preventing rickettsial infection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Campos S.D.E., Cunha N.C., Machado C.S.C., Souza T.V.T., Fonseca A.B.M., Pinter A., Fonseca A.H. & Almosny N.R.P. 2017. [Spotted Fever Group Rickettsiae in dogs at the surroundings of Conservation Units in the state of Rio de Janeiro: serological survey and associated factors.] Circulação de Rickettsias do Grupo da Febre Maculosa em cães no entorno de Unidades de Conservação Federais do estado do Rio de Janeiro: evidência sorológica e fatores associados. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1307-1312. Departamento de Patologia e Clínica Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Santa Rosa, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: s.destri@gmail.com Doenças causadas por rickettsias tem ampla distribuição geográfica e estão associadas a artrópodes hematófagos. Rickettsia rickettsii é espécie mais patogênica do Grupo da Febre Maculosa (GFM) e responsável pela Febre Maculosa Brasileira. No sudeste do país a doença é endêmica e inquéritos sorológicos tem demonstrado presença de anticorpos para antígenos do GFM em cães, reforçando a participação do cão como sentinela. Os principais vetores são carrapatos do gênero Amblyomma, cujos hospedeiros são, muitas vezes, animais de vida silvestre. Assim, objetivou-se avaliar a circulação de rickettsias do GFM no entorno de Unidades de Conservação (UC) no Rio de Janeiro por meio da Imunofluorescência Indireta em cães, além de determinar os fatores associados. Amostras de soro de 155 cães foram testadas, sendo 16,1% dos animais sororreagentes pelo menos a um dos antígenos testados. Houve associação entre a sororreatividade dos cães e o acesso à mata; falta de assistência médico-veterinária; falta de medidas contra carrapatos; e renda familiar do responsável de até dois salários mínimos. Cães com este perfil apresentaram maior chance de serem expostos aos agentes do GFM. De acordo com o modelo de regressão logística, não frequentar áreas de mata foi considerado um fator de proteção para o cão, juntamente com possuir acompanhamento médico-veterinário e receber medidas contra carrapatos. Concluiu-se que patógenos do GFM circulam no entorno das UC estudadas, sendo possível que R. rickettsii e R. parkeri infectem cães, uma vez que os animais demonstraram exposição aos dois agentes. Ressalta-se a participação do veterinário e a adoção de medidas de combate a carrapatos como ferramentas na prevenção da infecção rickettsial.


#4 - Serological survey of toxoplasmosis and leptospirosis in neotropical wild mammals from Aracaju Zoo, Sergipe, Brazil, 29(12):1009-1014

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pimentel J.S., Gennari S.M., Dubey J.P., Marvulo M.F.V., Vasconcellos S.A., Morais Z.M., Silva J.C.R. & Evêncio Neto J. 2009. [Serological survey of toxoplasmosis and leptospirosis in neotropical wild mammals from Aracaju Zoo, Sergipe, Brazil.] Inquérito sorológico para toxoplasmose e leptospirose em mamíferos selvagens neotropicais do Zoológico de Aracaju, Sergipe. Pesquisa Veterinária Brasileira 29(12):1009-1014. Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe, Zoológico do Parque da Cidade, Av. Corinto Leite s/n, Industrial, Aracaju, SE 49067-060, Brazil. E-mail: joubertpimentel@bol.com.br Modern zoological gardens are institutions to wildlife maintenance, aiming its conservation, the performance of scientific research and leisure, recreation and environ-mental education activities. The variety of wild species living in conditions different from the one found in its natural habitats represents a propitious environment for diseases spread, specially the zoonotic ones. Due to data shortage and wild mammals’ epidemio-logical relevance both for toxoplasmosis as for leptospirosis, this study aimed to determine the serological survey of toxoplasmosis and leptospirosis in Neotropical wild mammals, from Zoo of Aracaju, Sergipe, Brazil. Blood samples were collected from 32 wild mammals, adults and from both sexes: 14 wild bearded capuchins (Cebus libidinosus), four golden-bellied capuchins (Cebus xanthosternus), three pumas (Puma concolor), one jaguar (Panthera onca), one crab-eating fox (Cerdocyon thous), six crab-eating raccoons (Procyon cancrivorus), two South American coatis (Nasua nasua), and one tayra (Eira barbara). Sera were tested to Toxoplasma gondii antibodies by the modified agglutination test (MAT e”1:25), and by the microscopic seroaglutination test (cut-off e”1:100) using 24 serovar of pathogenic leptospiras and two serovar of saprophyte leptospiras. Antibodies to T. gondii were found in 17 of 32 (53.1%) wild mammals, and antibodies to Leptospira spp. were found in 4 of 32 (12.5%) wild mammals. In relation to gender, 9 of 15 (60%) males, and 8 of 17 (47.1%) females had antibodies to Toxoplasma gondii, and 4 of 15 (26.7%) males had antibodies to Leptospira spp. Considering the origin of the seropositive animals to T. gondii, 8 of 17 (47%) were born in the zoo, 7 of 17 (41.2%) were from other zoos, and 2 (11.8%) were from the wild. Three of 4 (75%) mammals seropositive to Leptospira spp. were born in zoo, and 1 of 4 (25%) was from the wild. This is the first serological survey of Leptospira spp. in Neotropical primates and carnivores from Northeast zoo of Brazil, and the first time that antibodies to T. gondii and Leptospira spp. (serovar Copenhageni) were observed in the threaten specie of primate golden-bellied capuchins (Cebus xanthosternus) in Aracaju, SE.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pimentel J.S., Gennari S.M., Dubey J.P., Marvulo M.F.V., Vasconcellos S.A., Morais Z.M., Silva J.C.R. & Evêncio Neto J. 2009. [Serological survey of toxoplasmosis and leptospirosis in neotropical wild mammals from Aracaju Zoo, Sergipe, Brazil.] Inquérito sorológico para toxoplasmose e leptospirose em mamíferos selvagens neotropicais do Zoológico de Aracaju, Sergipe. Pesquisa Veterinária Brasileira 29(12):1009-1014. Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe, Zoológico do Parque da Cidade, Av. Corinto Leite s/n, Industrial, Aracaju, SE 49067-060, Brazil. E-mail: joubertpimentel@bol.com.br Os zoológicos modernos são instituições destinadas à manutenção da fauna selvagem com o objetivo de promover a conservação, pesquisa científica, lazer, recreação e educação ambiental. A ampla variedade de espécies selvagens, vivendo em condições diferentes do seu habitat natural, representa um ambiente propício à disseminação de doenças, muitas delas zoonóticas. Devido à escassez de dados e à relevância dos mamíferos selvagens neste contexto epidemiológico, tanto na toxoplasmose, quanto na leptospirose, foi efetuado o inquérito sorológico para toxoplasmose e leptospirose em mamíferos selvagens neotropicais do Zoológico de Aracaju, Sergipe, Brasil. Para tanto foram colhidas amostras sanguíneas de 32 animais, adultos, de ambos os sexos incluindo: 14 macacos-prego (Cebus libidinosus), quatro macacos-prego-do-peito-amarelo (Cebus xanthosternus), três onças-suçuaranas (Puma concolor), uma onça-pintada (Panthera onca), uma raposa (Cerdocyon thous), seis guaxinins (Procyon cancrivorus), dois quatis (Nasua nasua) e um papa-mel (Eira barbara). Para a pesquisa de anticorpos anti-Toxoplasma gondii foi utilizado o Teste de Aglutinação Modificada (MAT ³”1:25) e para pesquisa de anticorpos anti-Leptospira spp. foi utilizado o teste de Soroaglutinação Microscópica (ponto de corte ³1:100) com uma coleção de antígenos vivos que incluiu 24 variantes sorológicas de leptospiras patogênicas e duas leptospiras saprófitas. Dentre os 32 mamíferos, 17 (53,1%) apresentaram anticorpos anti-T. gondii e quatro (12,5%) foram positivos para anticorpos anti-Leptospira spp. De acordo com o sexo, 60% (9/15) dos machos e 47,1% (8/17) das fêmeas foram soropositivos para T. gondii e 26,7% (4/15) dos machos apresentaram anticorpos anti-Leptospira spp. Dos mamíferos que apresentaram anticorpos anti-T. gondii, 47% (8/17) nasceram no zoológico, 41,2% (7/17) foram oriundos de outras instituições e dois (11,8%) foram provenientes da natureza. Em relação aos quatro mamíferos soropositivos para Leptospira spp., três (75%) foram procedentes da natureza e um (25%) nasceu no zoológico. Este foi o primeiro inquérito sorológico de anticorpos anti-Leptospira spp. em primatas e carnívoros neotropicais em um zoológico do Nordeste do Brasil e descreveu pela primeira vez a ocorrência de anticorpos anti-T. gondii e anti-Leptospira spp. com sorovar mais provável Copenhageni no primata ameaçado de extinção macaco-prego-de-peito-amarelo (C. xanthosternus) em Aracaju, SE.


#5 - Serological survey and risk factors for brucellosis due to Brucella canis in dogs of the Santana de Parnaíba municipality, State of São Paulo, 23(4):156-160

Abstract in English:

ABSTRACT.- Azevedo S.S., Vasconcellos S.A., Alves C.J., Keid L.B., Grasso L.M.P.S., Mascolli R. & Pinheiro S.R. 2003. [Serological survey and risk factors for brucellosis due to Brucella canis in dogs of the Santana de Parnaíba municipality, State of São Paulo.] Inquérito sorológico e fatores de risco para a brucelose por Brucella canis em cães do Município de Santana de Parnaíba, Estado de São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 23(4):156-160. Depto Medicina Veterinária Preventiva, FMVZ/USP, 05508-090 São Paulo·SP, Brazil. E-mail: sevedo@fmvz.usp.br The prevalence of brucellosis due to Bruce/la canis was investigated in dogs of the Santana de Parnaíba. county, State of São Paulo, southeastem Brazil, and the risk factors for infection were analyzed. For this purpose, 41 O blood samples were collected from dogs duririg the rabies vaccination campaign, in August 1999. The agar gel immunodiffusion test (AGIO), using lipopolysaccharides and protein antigens from Brucella ovis; strain Reo 198, was applied first as a screening test on normal sera, and secondly, for confirmation. fl1e sarne AGIO test was applied to sera treated previously with 2-mercapthathanol (ME-AGIO). The complement fixation test (CFT), using B. ovis antigen, strain 63/290, was applied also as a confirmatory test. For the prevalence analysis, animais presenting positive results in both ME-AGIO and CFTwere considered positive. The prevalence of brucellosis due to B. canis was 2.2% (95% C.I. = 1.01-4.13%). Dogs that were allowed bytheir owners to stay free outside their home had a higher risk for contracting B. canis infection, with an odds ratio value of 8.73 (95% C.I.=1.48-51.55) and p=0.04.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Azevedo S.S., Vasconcellos S.A., Alves C.J., Keid L.B., Grasso L.M.P.S., Mascolli R. & Pinheiro S.R. 2003. [Serological survey and risk factors for brucellosis due to Brucella canis in dogs of the Santana de Parnaíba municipality, State of São Paulo.] Inquérito sorológico e fatores de risco para a brucelose por Brucella canis em cães do Município de Santana de Parnaíba, Estado de São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 23(4):156-160. Depto Medicina Veterinária Preventiva, FMVZ/USP, 05508-090 São Paulo·SP, Brazil. E-mail: sevedo@fmvz.usp.br Foi investigada a prevalência da brucelose causada por Brucella canis em cães do município de Santana de Parnaíba, SP, Brasil, e realizado um estudo de possíveis fatores de risco associados à soropositividade para B. canis. Foram examinadas 410 amostras de soro sanguíneo de cães colhidas durante a campanha de vacinação anti-rábica animal, realizada em agosto de 1999. A imunodifusão em gel de ágar (IOGA), utilizando antígeno de lipopolissacarídeos e proteínas de Brucella ovis, amostra Reo 198, foi empregada em soros normais como teste de triagem, e, para a confirmação, a mesma técnica foi aplicada em soros tratados pelo 2-mercaptoetanol (IOGA-ME). A reação de fixação de complemento (CFT), utilizando antígeno de B. ovis, amostra 63/290, também foi utilizada como prova confirmatória. A determinação da prevalência considerou como positivos os animais que reagiram positivamente nos dois testes confirmatórios. (IOGA-ME e CFT). A prevalência da B. canis foi de 2,2% (1.C. 95% = 1,01-4, 13%). A análise estatística mostrou que os cães com acesso irrestrito à rua o dia todo (manejo do tipo solto) estiveram mais expostos ao risco da infecção por B. canis, com um valor de odds ratio de 8,73 (I.C. 95% = 1,48-51,55) e p=0,04.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV