Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Silva A.O.A

#1 - Occurrence of enzootic bovine leukosis in the State of Pará, Brazil, 19(1):7-11

Abstract in English:

ABSTRACT.- Molnár É., Molnár L., Dias H. T., Silva A.O.A. & Vale W.G. 1999. [Occurrence of enzootic bovine leukosis in the State of Pará, Brazil.] Ocorrência da leucose enzoótica dos bovinos no Estado do Pará, Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 19(1):7-11. Laboratório de Investigação e Diagnóstico de Enfermidade Animal, Centro Agropecuário, Universidade Federal do Pará, Belém, PA 66075-900, Brazil. The occurrence of the infection with Bovine Leukosis Virus (BLV) was examined in agar-gel immunodiffusion (AGID) test and with indirect enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), in the State of Pará, Brazil. The blood sera were collected from different breeds including Nelore, Piemontes, Si mental, Holstein Frisian, Indubrasil, Girolanda, Sim brasil and their crossbreedings. The majority of the animals were adults. The overall occurrence of infections was 49.8% (359/721) and 26.0% (174/668) for ELISA and AGID test, respectively. All animal groups examined showed infection in ELISA, however in the AGID test two groups were sera negative.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Molnár É., Molnár L., Dias H. T., Silva A.O.A. & Vale W.G. 1999. [Occurrence of enzootic bovine leukosis in the State of Pará, Brazil.] Ocorrência da leucose enzoótica dos bovinos no Estado do Pará, Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 19(1):7-11. Laboratório de Investigação e Diagnóstico de Enfermidade Animal, Centro Agropecuário, Universidade Federal do Pará, Belém, PA 66075-900, Brazil. A ocorrência da infecção pelo Vírus da Leucose Enzoótica dos Bovinos (BLV) no Estado do Pará, foi estudada através do método de imunodifusão em ágar-gel (AGID) e por um ensaio imunoenzimatico (ELISA) indireto, paralelamente. Os exames foram realizados com amostras de soros sanguíneos oriundos de bovinos de diferentes raças sendo a maioria deles adultos. A prevalência observada foi de 49,8% (359/721) no ELISA e 26,0% (174/668) no AGID. Todos os 14 grupos dos animais estudados pelo ELISA indireto, mostraram a existência da infeção, enquanto que pelo método da AGID, dois grupos de animais foram negativos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV