Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Silveira N.S.S

#1 - Bovine digital dermatitis in the Brazilian Amazon biome and topical treatment with Copaifera reticulata oil

Abstract in English:

Bovine Digital Dermatitis (BDD) was studied in crossbred dairy cows grazing in Rondon do Pará, in the state of Pará, as well as in Açailândia and Cidelândia, in the state of Maranhão, Brazilian Amazon biome. The digits inspection from the dairy cows during milking was performed in ten farms comprising four visits (August and November 2016; April and July 2017). The cows were kept all year in pastures, and were mechanically milked on concrete floors and the animals were protected against the rains in eight farms, maintaining a daily cleaning, however, it could not be found a concrete floor in pre- or post-milking to ensure milking parlor on three farms. Manual milking on no concrete floors was performed in two farms. No preventive measures against hoof lesions were adopted. The BDD prevalence was 1.3% (22/1664), and no statistical difference among rainy or no rainy season was obtained (p = 0.72). The BDD lesions were classified according to “M system” (M0 = no lesion, M1 = active ulceration <2cm, M2 = active ulceration >2cm, M3 = healing stage, M4 = chronic stage, M4.1 = M4 with active ulceration). Regarding the 22 BDD lesions observed, 22.7% (5/22) were M1 stage, 36.4% (8/22) M2, 22.7% (5/22) M3, 13.6% (3/22) M4 and 4.5 (1/22) M4.1. Hypertrophic hairs at the edges of the lesions caused by fly larvae of genus Cochliomyia spp. as well as alterations on the hoof were also observed. Topical treatment was performed in six BDD lesions with a raw extract from trees of the genus Copaifera reticulata (Copaiba oil) and compared with the treatment of salicylic acid paste in five BDD lesions. The lesions were protected with a bandage for seven days and followed weekly until recovery. The complete therapeutic responses were 83.4% (5/6) and 75% (3/4), respectively, with an average time of seven weeks. The BDD in the Amazon biome occurs in low prevalence, not seasonal, and presents macro and microscopic features similar to BDD lesions from dairy cattle kept in free-stall housing. The treatment with copaiba oil showed similar results to the treatment of salicylic acid paste and can be used in control measures to BDD in the Amazon biome.

Abstract in Portuguese:

A dermatite digital bovina (DDB) foi estudada em vacas mestiças leiteiras nos municípios de Rondon do Pará no Pará, Açailândia e Cidelândia no Maranhão, bioma amazônico brasileiro. Para tanto, foram realizadas quatro visitas a 10 propriedades, nos meses de agosto e novembro em 2016 e abril e julho em 2017, e realizada a inspeção dos dígitos de 1.664 vacas em lactação durante a ordenha. Nestas propriedades as vacas eram criadas a pasto durante todo o ano e ordenhadas mecanicamente em oito propriedades. As quais, as salas de ordenha tinham piso concretado, com proteção contra as chuvas e era realizada a limpeza diariamente. No entanto, em três dessas propriedades, as salas de pré ou pós ordenha tinham piso não concretado e em duas, a ordenha era manual em piso de chão batido. Em todas elas não havia medidas profiláticas para afecções podais. A prevalência de DDB foi de 1,3% (22/1.664) e não se obteve diferença estatística entre os períodos chuvoso e não chuvoso (P = 0,72). As lesões observadas foram classificadas de acordo com o sistema M (M0-sem lesão; M1-lesão ulcerada <2cm; M2-lesão ulcerada >2cm; M3-lesão em cicatrização; M4-lesão crônica; M4.1- M4 com área ulcerada). De 22 lesões observadas, 22,7% (5/22) apresentavam-se em estágio M1, 36,4% (8/22) em M2, 22,7% (5/22) em M3, 13,6% (3/22) em M4 e 4,5% (1/22) em M4.1. Pelos hipertrofiados nos bordos das lesões, larvas de moscas do gênero Cochliomyia spp. e alterações no tecido córneo também foram observados. Nas lesões de 11 bovinos, em seis, foi realizado o tratamento tópico com extrato bruto de Copaifera reticulata (óleo de copaíba) e em cinco, com a pasta de ácido salicílico a 660mg/g e ambos os tratamentos foram protegidos com bandagem por sete dias. Após, as lesões foram acompanhadas semanalmente até a cura e obteve-se um índice de 83,4% (5/6) e 75% (3/4) de cura com esses tratamentos, respectivamente, com uma média de 7 semanas. Conclui-se que no bioma amazônico a DDB ocorre em baixa prevalência, não sazonal e com características macroscópicas semelhantes às lesões de vacas leiteiras criadas em sistema free stall. O tratamento com o óleo da copaíba apresentou resultados semelhante ao ácido salicílico e pode ser uma alternativa como medida de controle da DDB no bioma amazônico.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV