Resultado da pesquisa (3)

Termo utilizado na pesquisa Vettorato M.C

#1 - B-mode ultrasonography and gray scale histogram for evaluation of the nuchal ligament in Quarter horse

Abstract in English:

The gray scale histogram (GSH) makes it possible to measure the amount and distribution of gray shade frequencies, providing quantitative information on both echogenicity and echotexture of tissues. There is a need to diminish the subjectivity of the ultrasound images of the nuchal ligament (NL). This work proposes to evaluate the NL by ultrasound B-mode GSH images in different ages of Quarter horses. It used 15 healthy Quarter horses, which were classified by age into three different groups: “baby” (1), “sobreano” (2) and “adult” (3). The animals were submitted to chemical restraint for the ultrasound examination. Subsequently, the GSH tool was used in each image for statistical analysis. There was a significant difference between Mean and Mode between groups. Group 1 differed significantly when compared to Group 2 and 3. Group 2 presented superior echogenicity to Group 1 and 3. The height of the NL did not vary considerably between groups. GSH indicated that the echogenicity of NL in Quarter horses varies with age.

Abstract in Portuguese:

O histograma em escala de cinza (HEC) possibilita a mensuração da quantidade e distribuição da frequência de tonalidades de cinza, fornecendo informações quantitativas, tanto sobre a ecogenicidade quanto a ecotextura dos tecidos. Havendo a necessidade de diminuir a subjetividade das imagens ultrassonográficas do ligamento nucal (LN), esse trabalho propôs avaliar o LN por imagens ultrassonograficas modo-B pelo HEC em diferentes idades de cavalos da raça Quarto de Milha. Utilizou 15 cavalos da raça Quarto de Milha saudáveis os quais foram classificados por idade em três grupos diferentes: “baby” (1), “sobreano” (2) e “adulto” (3). Os animais foram submetidos a contenção química para a realização do exame ultrassonográfico. Posteriormente, a ferramenta HEC foi empregada em cada imagem para análise estatística. Houve diferença significativa entre as variáveis “Mean” e “Mode” entre os grupos. O Grupo 1 diferenciou significativamente quando comparado ao Grupo 2 e 3. O Grupo 2 apresentou ecogenicidade superior ao Grupo 1 e 3. Quanto à altura do LN não teve variação considerável entre os grupos. O HEC indicou que a ecogenicidade do LN em cavalos Quarto de Milha varia conforme a idade.


#2 - Grayscale histogram analysis to study the echogenicity and echotexture of the walls of the common carotid arteries of horses and mules

Abstract in English:

Visual inspection of ultrasound examination for assessment of echogenicity and echotexture of blood vessel tissues is a technique routinely used in medical practice in humans. However, simple visual inspection can lead to poor quality diagnoses and errors. The use of grayscale histogram (GSH) analysis has proved to be an efficient technique to quantify the region of interest, allowing minimization of image interpretation errors. This study aimed to evaluate and compare the echogenicity and echotexture of the walls of the common carotid arteries of healthy female horses and mules using the GSH technique and correlate them with age, body mass, and vessel diameters. B-mode ultrasound examinations were performed in the left and right common carotid arteries in three regions (cranial, middle, and caudal) in 11 horses and 11 healthy mules. The GSH of the animals showed heterogeneous walls, but did not differentiate statistically between female horses and mules. The Mean variable of the middle right, middle left and caudal right sides showed differences, more significant in the mules. On the middle right side, the Min variable was different, higher in the mules. On the middle and caudal left side, the variables Max and Mode showed higher values in the mules. For the mules, the age factor presented negative correlation with the Mean, Mode,, Mode(Count), and Mode(Count)/Count(%) variables, and the body mass factor presented negative correlation with the Mode, Mean and Max variables. For the female horses, the body mass factor showed positive correlation with the Mean and Mode variables. Echogenicity of the carotid artery walls differed between female horses and mules, whereas echotexture was heterogeneous and statistically similar among the animals. The age and body mass factors inversely influenced the echogenicity of the mules, but were not significant in the female horses, in which only the body mass factor positively influenced echogenicity.

Abstract in Portuguese:

A técnica de avaliação da ecogenicidade e ecotextura dos tecidos dos vasos sanguíneos por inspeção visual do exame de ultrassonografia, já é uma prática da rotina médica em humanos. No entanto, a simples visualização manual pode induzir à erros e diagnósticos de pouca qualidade. O uso de análise por histograma em escala de cinza (HEC) tem se demostrado uma eficiente técnica para quantificar a região avaliada, permitindo minimizar erros de interpretação. O objetivo deste trabalho foi avaliar e comparar a ecogenicidade e ecotextura das paredes das artérias carótidas comuns das fêmeas equina e muares hígidos usando a técnica de HEC, e correlacioná-las com a idade, massa corpórea e diâmetros dos vasos. Exames de ultrassonografia modo-B foram realizados nas artérias carótidas comuns esquerda e direita em três regiões (cranial, médio e caudal) em 11 fêmeas equina e 11 muares hígidos. O HEC dos animais apresentou paredes heterogêneas, mas não diferenciaram estatisticamente entre fêmeas equinas e muares. A variável Mean do lado direito médio, esquerdo médio e caudal apresentou diferenças, sendo maiores nos muares. No lado direito médio, o Min foi diferente, sendo superior nos muares. Já para o lado esquerdo médio e caudal, as variáveis Max e Mode apresentaram valores maiores nos muares. Para os muares, o fator idade apresentou correlação negativa com Mean, Mode, Mode (Count) e Mode(Count)/Count (%) e o fator massa corpórea apresentou correlação negativa com Mode, Mean e Max. Para as fêmeas equinas o fator massa corpórea apresentou correlação positiva com Mean e Mode. A ecogenicidade das paredes das artérias carótidas diferiram entre fêmeas equina e muares, já a ecotextura foi heterogênea e semelhante estatisticamente entre os animais. A idade e a massa corpórea influenciaram inversamente na ecogenicidade dos muares, enquanto que nas fêmeas equina a idade não foi significativa, apenas a massa corpórea influenciou positivamente com a ecogenicidade.


#3 - B-mode and Doppler ultrasonography in the assessment of the common carotid arteries of equines and mules and the relation with body mass, age and neck circumference

Abstract in English:

As age increases, changes in cardiovascular anatomy and physiology occur, even in the absence of disease. Thus, studies of vessel hemodynamics are considered primordial to detect any cardiovascular changes. The objective of this study has been to describe the parameters of B-mode and spectral Doppler ultrasonography in the evaluation of the common carotid arteries of 11 equine and 11 mules, and correlate with age, body mass and neck circumferences. The diameters, intima - media thickness (IMT), resistivity index (RI), pulsatility index (PI), systolic velocity (SV), diastolic velocity (DV), maximum velocity (MV), vascular flow index (VFI), body mass, age, circumference and neck length. Ultrasonographic variables were evaluated in three different region called cranial, middle and caudal. Equine females presented higher values regarding the body mass, age and neck length, as compared to the neck circumferences of the animals, those of the mules were superior. The age of the mules had a positive correlation with the body mass, diameter and neck circumferences, it has a negative correlation between age and vessel diameters. The body mass of the mules had a positive correlation with age and vessel diameters, and with vessel diameters and neck circumferences in equine females. The RI and PI variables had a positive correlation with body mass for mules, and with age for equine females. The DV had a negative correlation with body mass for both equine and mule females. Regarding the variables MV and VFI, age correlated negatively for mules, while it was not significant for equine females. It found a difference between equine females and mules in the correlations performed, with body mass, age, neck circumferences and between B-mode and Doppler ultrasonography variables.

Abstract in Portuguese:

Com o aumento da idade ocorrem alterações na anatomia e fisiologia cardiovascular, mesmo na ausência de doenças. Assim, os estudos da hemodinâmica dos vasos são considerados primordiais para detectar quaisquer alterações cardiovasculares. Esse trabalho tem como objetivo descrever as variáveis de ultrassonografia modo-B e Doppler espectral na avaliação das artérias carótidas comuns de 11 fêmeas equinas e 11 muares, e correlacionar com idade, massa corpórea e circunferências dos pescoços. Para tais procedimentos foram avaliados os diâmetros, espessura da camada íntima média (EIM), índice de resistividade (IR), índice de pulsatilidade (IP), velocidade sistólica (VS), velocidade diastólica (VD), velocidade máxima (VM), índice de vascularização de fluxo (IVF), massa corpórea, idade, circunferências e comprimentos dos pescoços. As variáveis ultrassonográficas foram avaliadas em três regiões diferentes denominados de crania médio e caudal. As fêmeas equinas apresentaram valores maiores referente ao massa corpórea, idade e comprimento dos pescoços, já em relação às circunferências dos pescoços dos animais, as dos muares foram superiores. A idade dos muares possuiu correlação positiva com a massa corpórea, diâmetro e com as circunferências dos pescoços, com as fêmeas equinas, possui correlação negativa entre idade e os diâmetros dos vasos. A massa corpórea dos muares teve correlação positiva com idade e diâmetros dos vasos, já às fêmeas equinas com diâmetros dos vasos e as circunferências dos pescoços. As variáveis IR e IP tiveram correlação positiva com a massa corpórea para os muares, e com idade para fêmeas equinas. O VD teve correlação negativa com a massa corpórea tanto para as fêmeas equinas quanto nos muares. Já as variáveis VM e IVF, a idade correlacionou negativamente para os muares, enquanto não foi significativo para as fêmeas equinas. Averiguou diferença entre fêmeas equinas e muares nas correlações realizadas, com a massa corpórea, idade, circunferências dos pescoços e entre as variáveis da ultrassonografia modo-B e Doppler.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV