Resultado da pesquisa (12)

Termo utilizado na pesquisa leishmaniose visceral

#1 - Autochthonous case of Canine Visceral Leishmaniasis in a non-endemic area in Minas Gerais, Brazil, 37(12):1505-1508

Abstract in English:

ABSTRACT.- Faria M.T., Barbosa F.S., Teixeira-Neto R.G., Pinheiro G.R.G., Manhani M.N., Marcelino A.P., Barbosa J.R. & Fontes G. 2017. Autochthonous case of Canine Visceral Leishmaniasis in a non-endemic area in Minas Gerais, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1505-1508. Campus Centro Oeste, Universidade Federal de São João del Rei, Rua Sebastião Gonçalves Coelho 400, Bairro Chanadour, Divinópolis, MG 35501-296, Brazil. E-mail: gilberto.fontes@pq.cnpq.br Visceral Leishmaniasis by Leishmania infantum chagasi is an endemic zoonosis present in many areas of Brazil. This parasite needs reservoirs for maintenance of the infection and the presence of dogs in urban areas is a key factor for the spread of canine visceral leishmaniasis (CVL). The aim of this study was to report the first autochthonous case of CVL in the municipality of Iguatama, in west central region of Minas Gerais State. Dog infection by Leishmania infantum chagasi was confirmed in the municipality, previously considered as non-endemic area to CVL. The canine infection by Leishmania was confirmed by three immunological tests for antibodies: indirect immunofluorescence assay (IFA), rapid Dual Path Platform (DPP®) CVL immunochromatographic test, enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA), and microscopic demonstration of Leishmania amastigotes in imprints of spleen and bone marrow stained by Giemsa. The species Leishmania infantum chagasi was confirmed by molecular diagnosis (PCR). Studies are being carried out, aiming to describe the importance and the prevalence of this disease in the region and factors associated with its transmission.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Faria M.T., Barbosa F.S., Teixeira-Neto R.G., Pinheiro G.R.G., Manhani M.N., Marcelino A.P., Barbosa J.R. & Fontes G. 2017. Autochthonous case of Canine Visceral Leishmaniasis in a non-endemic area in Minas Gerais, Brazil. [Caso autóctone de Leishmaniose Visceral Canina em área indene em Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(12):1505-1508. Campus Centro Oeste, Universidade Federal de São João del Rei, Rua Sebastião Gonçalves Coelho 400, Bairro Chanadour, Divinópolis, MG 35501-296, Brazil. E-mail: gilberto.fontes@pq.cnpq.br Leishmaniose visceral causada por Leishmania infantum chagasi é uma zoonose endêmica em algumas regiões do Brasil. Este parasito necessita de reservatórios para a manutenção da infecção e a presença de cães em áreas urbanas é um fator importante para a manutenção e expansão da leishmaniose visceral canina (LVC). O objetivo deste estudo foi relatar o primeiro caso autóctone de LVC no município de Iguatama, na região Centro Oeste de Minas Gerais, cidade onde a LVC era tida como não existente. A infecção canina por Leishmania foi confirmada por três testes imunológicos para pesquisa de anticorpos: reação de imunofluorescência indireta (RIFI), teste rápido de imunocromatografia com plataforma dupla (DPP® LVC) e ensaio imunoenzimático (ELISA), e demonstração microscópica de amastigotas de Leishmania a partir de aposições de amostras de baço e de medula óssea corados pelo Giemsa. A espécie Leishmania infantum chagasi foi confirmada por diagnóstico molecular (PCR). Estudos estão sendo realizados com o objetivo de descrever a importância e a prevalência desta parasitose na região e os fatores associados com a transmissão.


#2 - Visceral leishmaniasis in dogs from rural settlements, 37(11):1292-1298

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva J.D., Melo D.H.M., Costa J.A.G., Costa D.F., Silva R.B.S., Melo M.A., Azevedo S.S. & Alves C.J. 2017. [Visceral leishmaniasis in dogs from rural settlements.] Leishmaniose visceral em cães de assentamentos rurais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1292-1298. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Santa Cecília, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br In rural settlements there are higher concentrations of reservoirs and vectors of canine visceral leishmaniasis (CVL) due to environmental changes resulting from human action by occupation of the territory, however, there are no surveys in Brazil on epidemiological information of CVL in these areas. The aim of this study was to determine the seroprevalence of Leishmania sp. in dogs from rural settlements, as well as to identify the risk factors associated with infection. A total of 306 dogs were tested, and the serological diagnosis of CVL was performed by ELISA S7. Of the 306 dogs, 118 presented anti-Leishmania sp. antibodies., resulting in a frequency of 38.6%. The risk factors identified for CVL seropositivity were: age of 12-24 months (OR=2.97), age of 24-48 months (OR=4.83), age of 4-6 years (OR=4.40), age >6 years (OR=3.62), contact with poultry (OR=1.67) and gender (female) (OR=1.97). Dogs from rural settlements in the semiarid of Paraiba showed high anti-Leishmania sp. antibody frequency, what makes the population of those settlements susceptible to infection. This highlights for the need to alert the epidemiological surveillance agencies to stablish prevention and control methods for that zoonosis, including educational and health activities on these settlements, as they are located in areas with favorable characteristics for CVL installation.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva J.D., Melo D.H.M., Costa J.A.G., Costa D.F., Silva R.B.S., Melo M.A., Azevedo S.S. & Alves C.J. 2017. [Visceral leishmaniasis in dogs from rural settlements.] Leishmaniose visceral em cães de assentamentos rurais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1292-1298. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Santa Cecília, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br Nos assentamentos rurais há maiores concentrações de reservatórios e vetores da leishmaniose visceral canina (LVC) devido às transformações ambientais resultantes da ação antrópica pela ocupação do território, no entanto, não há estudos no Brasil acerca de informações epidemiológicas da LVC em assentamentos rurais. O objetivo do presente trabalho foi determinar a soroprevalência para Leishmania sp. em cães de assentamentos rurais, bem como identificar os fatores de risco associados a infecção. Foram utilizados 306 cães e o diagnóstico sorológico da LVC foi realizado através do ELISA S7. Dos 306 cães investigados, 118 apresentaram anticorpos anti-Leishmania sp., resultando em frequência de 38,6%. Idade de 12 – 24 meses (OR=2,97), idade de 24--48 meses (OR=4,83), idade de 4-6 anos (OR=4,40), idade >6 anos (OR=3,62), contato com aves (OR=1,67) e sexo (fêmea) (OR=1,97) foram apontados como fatores de risco para LVC. Cães de assentamentos rurais do semiárido paraibano apresentaram frequência elevada de anticorpos anti-Leishmania sp., o que torna a população desses locais susceptíveis à infecção. Isso evidencia a necessidade de alerta aos órgãos de vigilância epidemiológica para estabelecer medidas de prevenção e controle dessa zoonose, incluindo ações educacionais e sanitárias nesses assentamentos, já que os mesmos estão situados em áreas com características propícias à instalação da LVC.


#3 - Epidemiology of visceral leishmaniasis in Fortaleza, Ceará, Brazil, 37(10):1119-1124

Abstract in English:

ABSTRACT.- Rodrigues A.C.M., Melo A.C.F.L., Júnior A.D.S., Franco S.O., Rondon F.C.M. & Bevilaqua C.M.L. 2017. [Epidemiology of visceral leishmaniasis in Fortaleza, Ceará, Brazil.] Epidemiologia da leishmaniose visceral no município de Fortaleza, Ceará. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1119-1124. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Universidade Estadual do Ceará, Av. Dr. Silas Munguba 1700, Campus Itaperi, Fortaleza, CE 60714-903, Brazil. E-mail: bevilaqua.uece@gmail.com The objective was to analyze the data relating to the transmission of visceral leishmaniasis (LV) in Fortaleza municipality, and discuss about the vector distribution, domestic reservoir and human cases from 2009 to 2013.This study is descriptive conducted through a survey of secondary data. The correlation between human and canine cases and sandflies number was taken by Spearman correlation test, with 5% significance level. In the period 2009 to 2013, 941 cases and 55 deaths were confirmed. The mortality rate for the period was 5.84%. There was a higher proportion of cases among men in all the years analyzed. The age group 1-4 years old had the highest percentage of cases, highlighting the year 2010 with 31.5% of the cases. The average distribution of cases by SER demonstrated a predominance in SER I, V and VI. With regard to the vector species found in greater abundance was Lutzomyia (Lutzomyia) longipalpis, followed by Lutzomyia (Lutzomyia) migonei and Lutzomyia (Lutzomyia) lenti. According to the records, 39,626 dogs were serum reagents for LV in the years 2009-2013, these 14,313 were killed. The year 2013 stood out with 17,808 dogs serum reagents, and 1,273 of SER III, 2572 of SER V and 1909 of SER VI. There was no significant correlation between the number of sand flies and the number of canine VL cases (p>0.05). There was a negative correlation between human and canine cases (r = -0.0388) and correlation was observed between human cases and number of sand flies (r= 0.7469).Our findings create prospects for the identification of other factors that may influence the incidence of human and canine cases, such as the participation of other possible reservoirs and vectors in the transmission of the visceral leishmaniasis in Fortaleza.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Rodrigues A.C.M., Melo A.C.F.L., Júnior A.D.S., Franco S.O., Rondon F.C.M. & Bevilaqua C.M.L. 2017. [Epidemiology of visceral leishmaniasis in Fortaleza, Ceará, Brazil.] Epidemiologia da leishmaniose visceral no município de Fortaleza, Ceará. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1119-1124. Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Universidade Estadual do Ceará, Av. Dr. Silas Munguba 1700, Campus Itaperi, Fortaleza, CE 60714-903, Brazil. E-mail: bevilaqua.uece@gmail.com O objetivo do trabalho foi analisar os dados relacionados à transmissão da leishmaniose visceral (LV), no município de Fortaleza, e discutir a respeito da distribuição do vetor, reservatório doméstico e casos humanos ocorridos no período de 2009 a 2013. O presente estudo é do tipo descritivo realizado por meio de levantamento de dados secundários. A correlação entre casos humanos, caninos e número de flebotomíneos foi feita pelo teste de correlação de Spearman, com nível de significância de 5%. No período de 2009 a 2013 foram confirmados 941 casos e 55 óbitos. A letalidade média no período foi de 5,84%. Na distribuição por sexo, houve uma maior proporção de casos no sexo masculino em todos os anos analisados. A faixa etária de 1 a 4 anos apresentou a maior porcentagem de casos, destacando-se o ano de 2010 com 31,5% dos casos. A distribuição média de casos por regional demonstrou um predomínio nas regionais I, V e VI. Em relação aos flebotomíneos, a espécie encontrada em maior abundância foi Lutzomyia (Lutzomyia) longipalpis, seguido de Lutzomyia (Lutzomyia) migonei e Lutzomyia (Lutzomyia) lenti. Segundo os registros da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, 39.626 cães foram soro reagentes para LV nos anos de 2009 a 2013, destes 14.313 foram eutanasiados. O ano de 2013 destacou-se com 17.808 cães soro reagentes, sendo 1.273 da SER (Secretaria Executiva Regional) III, 2.572 da SER V e 1.909 da SER VI. Não foi observada correlação significativa entre o número de flebotomíneos capturados e o número de casos caninos de LV(p>0,05). Houve correlação negativa entre casos humanos e caninos (r=-0,0388) e correlação positiva entre casos humanos e número de flebotomíneos (r=0,7469). Os achados criam perspectivas para a identificação de outros fatores que podem influenciar a incidência de casos humanos e caninos, como a participação de outros possíveis reservatórios e vetores na cadeia de transmissão da leishmaniose visceral no município de Fortaleza.


#4 - Evaluation of parasite infectivity for Lutzomyia longipalpis by xenodiagnosis in dogs treated for natural visceral leishmaniasis, 37(7):701-707

Abstract in English:

ABSTRACT.- Nery G., Becerra D.R.D., Borja L.S., Magalhães-Junior J.T., Souza B.M.P.S., Franke C.R., Veras P.S.T., Larangeira D.F. & Barrouin-Melo S.M. 2017. [Evaluation of parasite infectivity for Lutzomyia longipalpis by xenodiagnosis in dogs treated for natural visceral leishmaniasis.] Avaliação da infectividade parasitária a Lutzomyia longipalpis por xenodiagnóstico em cães tratados para leishmaniose visceral naturalmente adquirida. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(7):701-707. Laboratório de Infectologia Veterinária, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia, Av. Adhemar de Barros 500, Salvador, BA 40170-110, Brazil. E-mail: gabinery@hotmail.com The outcome of a multidrug chemotherapeutic protocol against canine visceral leishmaniasis (VL) has been evaluated for its effect on dogs’ capacity of transferring Leishmania infantum to sand flies by xenodiagnosis. Thirty-five naturally infected dogs were examined before and during treatment with a combination of metronidazole, ketoconazole, and allopurinol, at every three months up to one year. For each evaluation, treated dogs were individually submitted to xenodiagnosis and quantitative PCR to quantify parasite load in sand flies. The treatment was effective in blocking parasite transmission from host to sand flies (p=0.011) in the assessed dogs. There was a significant correlation between clinical improvement and sand fly infectivity: dogs that achieved better clinical conditions showed a lower chance of L. infantum transference to vector by xenodiagnosis (r=0.528, p=0.002). These results demonstrate that the treatment of dogs with the proposed protocol may represent an alternative to dog culling in Brazil for disease control, since these drugs are not used for treating human VL in endemic areas.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Nery G., Becerra D.R.D., Borja L.S., Magalhães-Junior J.T., Souza B.M.P.S., Franke C.R., Veras P.S.T., Larangeira D.F. & Barrouin-Melo S.M. 2017. [Evaluation of parasite infectivity for Lutzomyia longipalpis by xenodiagnosis in dogs treated for natural visceral leishmaniasis.] Avaliação da infectividade parasitária a Lutzomyia longipalpis por xenodiagnóstico em cães tratados para leishmaniose visceral naturalmente adquirida. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(7):701-707. Laboratório de Infectologia Veterinária, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia, Av. Adhemar de Barros 500, Salvador, BA 40170-110, Brazil. E-mail: gabinery@hotmail.com O efeito de um protocolo quimioterápico multidrogas contra a leishmaniose visceral (LV) canina, sobre a capacidade de transmissão de Leishmania infantum ao vetor, foi analisado por meio de xenodiagnóstico. Trinta e cinco cães naturalmente infectados foram avaliados antes e durante o tratamento com a combinação de metronidazol, cetoconazol e alopurinol a cada três meses por até um ano. Em cada avaliação, os cães foram individualmente submetidos ao xenodiagnóstico e quantificação da carga parasitária por PCR quantitativa. O tratamento foi eficaz em bloquear a transmissibilidade parasitária do cão para o flebotomíneo (p= 0,011) nos cães avaliados. Houve significante correlação entre recuperação clínica e infectividade: cães com melhora clínica mais evidente apresentaram menores chances de transferir L. infantum ao Lutzomyia longipalpis via xenodiagnóstico (r=0,528, p= 0,002). Esses resultados demonstram que o tratamento canino com o protocolo proposto pode representar uma alternativa ao sacrifício de cães no Brasil como medida de controle da doença, uma vez que as drogas utilizadas não são aplicadas ao tratamento da LV humana em áreas endêmicas.


#5 - Feline immunodeficiency virus (FIV), feline leukaemia virus (FeLV) and Leishmania sp. in domestic cats in the Midwest of Brazil, 37(5):491-494

Abstract in English:

ABSTRACT.- Poffo D., Almeida A.B.P.F., Nakazato L., Dutra V., Correa S.H.R., Mendonça A.J. & Sousa V.R.F. 2017. Feline immunodeficiency virus (FIV), feline leukaemia virus (FeLV) and Leishmania sp. in domestic cats in the Midwest of Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):491-494. Departamento de Clínica Médica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Fernando Corrêa da Costa 2367, Boa Esperança, Cuiabá, MT 78900-060, Brazil. E-mail: regia@ufmt.br This search aimed to investigate FIV and FeLV infections in domestic cats, analysing the epidemiological profile of the disease as well as additional infection with Leishmania sp. We evaluated 88 domestic cats for the presence of FIV, FeLV and Leishmania sp. infection. Eleven (12.5%) cats were positive for FIV infection, four (4.5%) were positive for FeLV, and two were co-infected. However, none was infected with Leishmania sp. The prevalence for FIV infection was higher than FeLV, and those observed in other regions, but no factor was associated with the infection by FIV and FeLV in this study.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Poffo D., Almeida A.B.P.F., Nakazato L., Dutra V., Correa S.H.R., Mendonça A.J. & Sousa V.R.F. 2017. Feline immunodeficiency virus (FIV), feline leukaemia virus (FeLV) and Leishmania sp. in domestic cats in the Midwest of Brazil. [Infecção por Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV), vírus da leucemia felina (FeLV) e Leishmania sp. em gatos domésticos no Centro-Oeste do Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):491-494. Departamento de Clínica Médica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Fernando Corrêa da Costa 2367, Boa Esperança, Cuiabá, MT 78900-060, Brazil. E-mail: regia@ufmt.br Esta pesquisa teve o objetivo de investigar a infecção em gatos domésticos por FIV e FeLV, analisando o perfil epidemiológico destas doenças, assim como a infecção por Leishmania sp. Oitenta e oito gatos domésticos foram avaliados pesquisando a infecção por FIV, FeLV e Leishmania sp. Onze (12,5%) gatos foram positivos para infecção por FIV, quatro (4,5%) para FeLV, e dois gatos apresentaram co-infecção pelos dois vírus. Entretanto, nenhum gato doméstico apresentou infecção por Leishmania sp. A prevalência da infecção para FIV foi maior que a observada para FeLV, e que a observada em outras regiões, mas nenhum fator teve associação à infecção neste estudo.


#6 - Blood pressure and renal injury in dogs with visceral leishmaniasis, 36(9):857-863

Abstract in English:

ABSTRACT.- Sousa M.G., Lima A.B.G., Araújo C.R.A., Silva V.B.C., Ramos A.T., Machado G.F., Melo G.D. & Carareto R. 2016. Blood pressure and renal injury in dogs with visceral leishmaniasis. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):857-863. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Rua dos Funcionários 1540, Cabral, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: marlos98@ufpr.br Systemic hypertension is known to be a common consequence of chronic renal disease, which is frequently diagnosed in dogs with visceral leishmaniasis. Although many veterinary investigations have looked at the renal injury caused by Leishmania spp., the role played by this complication in the development of arterial hypertension documented in some animals with visceral leishmaniasis is not completely understood. In this study, 18 adult dogs with naturally-occurring visceral leishmaniasis and varying clinical signs underwent an indirect blood pressure measurement. Also, sera and spot urine were used for laboratory tests. The median systolic blood pressure was 135.2mmHg (95% confidence interval: 128.5-147.7), median mean arterial pressure was 105.8mmHg (98.3-110.4), and median diastolic arterial pressure was 88.5mmHg (77.8-92.5). No differences existed between asymptomatic and symptomatic animals regarding arterial pressure, and no correlations were documented between blood pressure and serum creatinine, blood urea, urine protein-to-creatinine ratio, urine specific gravity, and the fractional excretion of sodium and potassium. Although an association between hypertension and the identification of inflammation on histopathology could not be demonstrated in hypertensive animals, the assessment of kidney samples from 12 dogs indicated mild inflammation with a lymphoplasmacytic infiltrate (6/12), moderate inflammation with multifocal lymphoplasmacytic and histiocytic infiltrates (3/12), and multifocal degeneration and protein casts (2/12). Anti-Leishmania spp. immunohistochemistry assays stained the renal epithelium in 2/12 of the animals. Even though mild systemic hypertension was documented in a small subset of animals, no relationship between the severity of clinical signs and hypertension could be anticipated.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Sousa M.G., Lima A.B.G., Araújo C.R.A., Silva V.B.C., Ramos A.T., Machado G.F., Melo G.D. & Carareto R. 2016. Blood pressure and renal injury in dogs with visceral leishmaniasis. [Pressão sanguínea e lesão renal em cães com leishmaniose visceral.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):857-863. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Paraná (UFPR), Rua dos Funcionários 1540, Cabral, Curitiba, PR 80035-050, Brazil. E-mail: marlos98@ufpr.br A hipertensão sistêmica é reconhecida como uma consequência comum da doença renal crônica, cujo diagnóstico é frequente em cães com leishmaniose visceral. Embora muitas pesquisas veterinárias tenham investigado a lesão renal causada pela Leishmania spp., o papel dessa complicação no desenvolvimento da hipertensão arterial documentada em alguns animais com leishmaniose visceral ainda não é completamente compreendido. Neste estudo, 18 cães adultos com diagnóstico de leishmaniose visceral e sinais clínicos variáveis foram submetidos à avaliação indireta da pressão arterial. Além disso, foram coletados soro e urina para análises laboratoriais. As medianas das pressões arteriais sistólica, média e diastólica foram 135,2mmHg (intervalo de confiança de 95%: 128,5-147,7), 105,8mmHg (98,3-110,4) e 88,5mmHg (77,8-92,5), respectivamente. Não foram constatadas diferenças entre os cães assintomáticos e sintomáticos em relação à pressão arterial, assim como não houve correlação entre a pressão arterial e a creatinina e uréia séricas, relação proteína-creatinina urinária, densidade urinária e excreção fracionada de sódio e potássio. Embora não tenha sido evidenciada associação entre hipertensão arterial e inflamação do tecido renal à histopatologia, a avaliação das amostras oriundas de 12 cães indicou inflamação leve, com infiltrado linfoplasmocitário (6/12), inflamação moderada com infiltrados linfoplasmocitário e histiocítico multifocais (3/12), além de degeneração multifocal e cilindros protéicos (2/12). Ensaios imunoistoquímicos anti-Leishmania spp. marcaram o epitélio renal em 2/12 animais. Apesar de hipertensão leve ter sido documentada em uma pequena parcela dos cães estudados, não se evidenciou relação entre a severidade dos sinais clínicos e o desenvolvimento de hipertensão arterial.


#7 - Epidemiological aspects of canine visceral leishmaniasis in the semi-arid region of Paraiba and analysis of diagnostic techniques, 36(7):625-629

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva R.B.S., Mendes R.S., Santana V.L., Souza H.C., Ramos C.P.S., Souza A.P., Andrade P.P. & Melo M.A. 2016. [Epidemiological aspects of canine visceral leishmaniasis in the semi-arid region of Paraiba and analysis of diagnostic techniques.] Aspectos epidemiológicos da leishmaniose visceral canina na zona rural do semiárido paraibano e análise de técnicas de diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira. 36(7):625-629. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: marcia.melo@pq.cnpq.br Visceral leishmaniasis is caused by Leishmania infantum in Brazil. It is a chronic disease and often a fatal zoonosis and considered as a serious worldwide public health problem and recognized by the World Health Organization as one of seventeen “Neglected Tropical Diseases”. This study was conducted in 2012 in the county of Patos, in Paraíba State semiarid region. The main purposes were to estimate the prevalence and the risk factors of canine visceral leishmaniasis (CVL), and to evaluate the performance of serological tests. Serological prevalence was determined using three techniques (ELISA, IFA and DPP chromatographic immunoassay - Dual Path Platform). ELISA was the golden standard, since it is the confirmatory test for CVL as established by the Brazilian Ministry of Health. In total, 362 blood samples were collected and were considered positive if positive by two serological assays. Positive samples were tested by PCR and qPCR. An epidemiological questionnaire was applied to the dog owner to identify risk factors associated with CVL. The seroprevalence was 11.33% (41/362). Chromatographic immunoassay - DPP showed a sensitivity of 58% (95%, CI: 0.43 to 0.72) and specificity of 96% (95%, CI: 0.93-0.98) , with a Kappa index of 0.5. The IFA had a sensitivity of 85% (95%, CI: 0.72 to 0.94), specificity of 99% (95%, CI: 0.98 to 1) and Kappa value of 0.8. The risk factor identified in the multivariate analysis was gender (OR=2.15 [1.09 to 4.21]), male dogs having 2.15 times more chance of being infected. The increased likelihood can possibly be explained by the use of male dogs for hunting and as guard dogs, two factors that increase dog contact to infected sandflies. Due to the prevalence rates, it should be recommended control measures against canine visceral leishmaniasis. The results demonstrated that the Chromatographic immunoassay (DPP-Dual Path Platform) is not the best technique for screening positive animals due to its low sensitivity, suggesting its replacement by ELISA.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva R.B.S., Mendes R.S., Santana V.L., Souza H.C., Ramos C.P.S., Souza A.P., Andrade P.P. & Melo M.A. 2016. [Epidemiological aspects of canine visceral leishmaniasis in the semi-arid region of Paraiba and analysis of diagnostic techniques.] Aspectos epidemiológicos da leishmaniose visceral canina na zona rural do semiárido paraibano e análise de técnicas de diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira. 36(7):625-629. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: marcia.melo@pq.cnpq.br No Brasil, a leishmaniose visceral é causada pela Leishmania infantum. É uma zoonose crônica e, frequentemente, fatal, sendo considerada um grave problema de saúde pública no mundo e reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como uma das dezessete “Doenças Tropicais Negligenciadas”. O presente estudo foi realizado em 2012, na zona rural do município de Patos, semiárido paraibano, com o objetivo de estimar a prevalência, os fatores de risco da leishmaniose visceral canina (LVC) na região e avaliar os testes de diagnóstico sorológico. Foram coletadas 362 amostras de sangue e a prevalência da infecção foi determinada através de três técnicas sorológicas (ELISA, RIFI e Teste Imunocromatográfico DPP - Dual Path Plataform), sendo consideradas positivas as amostras que apresentaram pelo menos dois testes reagentes. As amostras positivas na sorologia foram testadas na PCR e qPCR. Aplicou-se um questionário epidemiológico aos proprietários para identificação dos possíveis fatores de risco. A taxa de prevalência foi de 11,33% (41/362). Considerou-se o ELISA como padrão ouro, já que é o teste confirmatório para a LVC pelo Ministério da Saúde. O DPP (Dual Path Plataform) apresentou sensibilidade de 58% (95% CI: 0,43-0,72) e especificidade de 96% (95% CI: 0,93-0,98), com índice Kappa de 0,57. A RIFI apresentou sensibilidade de 85% (95% CI: 0,72-0,94), especificidade de 99% (95% CI: 0,98-1) e valor Kappa de 0,88. O fator de risco identificado na análise multivariada por regressão logística múltipla foi o sexo (OR=2,15 [1,09-4,21]) e os cães machos apresentaram 2,15 vezes mais chances de serem infectados, que pode ser justificado por serem mais utilizados para a caça e como cão de guarda, dois fatores que aumentam a exposição do animal ao flebótomo. Em função da taxa de prevalência encontrada, indica-se a aplicação de medidas de controle no município. Os resultados da comparação dos ensaios sorológicos demonstraram que o DPP (Dual Path Plataform) não é a melhor técnica para triagem dos animais positivos em função da baixa sensibilidade do método, sugerindo que o mesmo seja substituído pelo ELISA.


#8 - Assessment of the electrocardiogram in dogs with visceral leishmaniasis, 33(5):643-647

Abstract in English:

ABSTRACT.- Sousa M.G., Carareto R., Silva J.G. & Oliveira J. 2013. Assessment of the electrocardiogram in dogs with visceral leishmaniasis. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(5):643-647. Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal do Tocantins, Rodov. BR-153 Km 112, Araguaína, TO, 77800-970, Brazil, E-mail: marlos@uft.edu.br As myocarditis and arrhythmias have been shown to occur in both human beings and dogs with leishmaniasis, electrocardiograms of 105 dogs serologically positive for this disease were assessed for rhythm disturbances and changes in ECG waves. A few expressive alterations were seen, including sinus arrest, right bundle branch block, and atrial premature beats in 14.3%, 4.8%, and 4.8% of the studied subjects, respectively. Also, the analysis of ECG waves showed changes suggestive of left atrium and ventricle enlargements, and myocardial hypoxia in some animals. Although cardiac compromise has been previously reported in dogs with leishmaniasis, only a small subset of dogs showed any alteration in the electrocardiogram, which cannot support the occurrence of myocarditis in this investigation.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Sousa M.G., Carareto R., Silva J.G. & Oliveira J. 2013. Assessment of the electrocardiogram in dogs with visceral leishmaniasis. [Avaliação do eletrocardiograma em cães com leishmaniose visceral.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(5):643-647. Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal do Tocantins, Rodov. BR-153 Km 112, Araguaína, TO, 77800-970, Brazil, E-mail: marlos@uft.edu.br Devido à identificação prévia de miocardite e arritmias tanto em seres humanos quanto em cães portadores de leishmaniose, 105 cães com sorologia positiva para tal enfermidade tiveram seus eletrocardiogramas avaliados quanto à presença de distúrbios do ritmo e alterações nas ondas eletrocardiográficas. Poucas variações expressivas foram observadas, exceto parada sinusal, bloqueio de ramo direito e complexos atriais prematuros em 14,3%, 4,8%, e 4,8% dos pacientes estudados, respectivamente. Ademais, a análise do ECG demonstrou alterações sugestivas de sobrecarga do átrio e do ventrículo esquerdos e hipóxia do miocárdio. Embora o comprometimento cardíaco em cães com leishmaniose já tenha sido demonstrado anteriormente, apenas uma pequena parte dos cães avaliados apresentou alteração no eletrocardiograma, não sendo possível correlacionar com a ocorrência de miocardite nesta pesquisa.


#9 - Outbreak of autochthonous canine visceral leishmaniasis in Santa Catarina, Brazil, 33(4):490-496

Abstract in English:

ABSTRACT.- Steindel M., Menin A., Evangelista T., Stoco P.H., Marlow M.A., Fleith R.C., Pilati C. & Grisard E.C. 2013. Outbreak of autochthonous canine visceral leishmaniasis in Santa Catarina, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):490-496. Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Rua João Pio Duarte Silva s/n, Córrego Grande, Bloco A, Campus Trindade, Florianópolis, SC 88040-900, Brazil. E-mail: mario.steindel@ufsc.br The present study reports the first outbreak of autochthonous canine visceral leishmaniasis in Florianópolis, Santa Catarina, southern Brazil. Following the report of two cases of CVL, the Control Center of Zoonotic Diseases conducted a serological survey by ELISA and IFAT assays in seven districts of the Santa Catarina Island. Eleven seropositive dogs of autochthonous transmission were used in the present study. Infection by Leishmania sp. was confirmed by parasitological examination of bone marrow, liver, spleen and lymph nodes, culture in Schneider’s medium and PCR. Leishmania sp. isolates were characterized by PCR-RFLP and hybridization with specific probes, allowing for the identification of Leishmania infantum. Autochthonous transmission of this disease in an area with high tourist traffic presents a major public health concern and signifies the emergence of an important zoonosis in southern Brazil. Therefore, the implementation of surveillance and control measures is imperative to prevent the spread of the disease among the canine population as well as transmission to the human population.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Steindel M., Menin A., Evangelista T., Stoco P.H., Marlow M.A., Fleith R.C., Pilati C. & Grisard E.C. 2013. Outbreak of autochthonous canine visceral leishmaniasis in Santa Catarina, Brazil. [Surto autóctone de leishmaniose visceral canina no Estado de Santa Catarina.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):490-496. Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Rua João Pio Duarte Silva s/n, Córrego Grande, Bloco A, Campus Trindade, Florianópolis, SC 88040-900, Brazil. E-mail: mario.steindel@ufsc.br O presente estudo relata o primeiro surto autóctone de leishmaniose visceral canina (LCV) em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Durante levantamento soro-epidemiológico realizado pelo Centro de Controle de Doenças Zoonóticas (CCZ) envolvendo 2.124 cães, 29 (1,37%) foram soropositivos para VL (ELISA + RIFI). Onze cães positivos por transmissão autóctone foram utilizados no presente estudo. A confirmação da infecção por Leishmania sp. foi realizada pelo exame parasitológico da medula óssea, fígado, baço e linfonodos, cultura em meio Schneider e PCR. Os isolados de Leishmania sp. foram caracterizados por PCR-RFLP e hibridação com sondas específicas, permitindo a identificação de Leishmania infantum. A transmissão autóctone da LCV em uma área com grande fluxo turístico como Florianópolis representa um preocupante risco à saúde pública e o surgimento de uma importante zoonose no sul do Brasil. Neste contexto, a implementação de medidas de vigilância e controle da doença são fundamentais para evitar a propagação da doença entre a população canina, bem como a transmissão para a população humana.


#10 - Indirect ELISA for the serological diagnosis of visceral leishmaniasis in wild canids, 33(4):528-534

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ferreira P.R.B., Larangeira D.F., Oliveira L.S., Malta M.C.C., Gomes M.C., Bastos B.L., Portela R.W. & Barrouin-Melo S.M. 2013. [Indirect ELISA for the serological diagnosis of visceral leishmaniasis in wild canids.] Teste de ELISA indireto para diagnóstico sorológico de leishmaniose visceral em canídeos silvestres. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):528-534. Laboratório de Infectologia Veterinária, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia, Av. Adhemar de Barros 500, Salvador, BA 40170-110, Brazil. E-mail: paulomev@yahoo.com.br In South America, some wild canids are considered natural reservoirs of Leishmania chagasi. The immunological response of wild canids to Leishmania is not well understood, and the development of diagnostic methods is necessary for such purpose. In the present study, the standardization of an enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) for the serodiagnosis of visceral leishmaniasis (VL) in Brazilian species of wild canids is described. Serum and plasma samples from 12 captive wild canids were studied: seven from maned wolves (Chrysocyon brachyurus), three from hoary foxes (Lycalopex vetulus), and two from crab-eating foxes (Cerdocyon thous). Samples from C. brachyurus and L. vetulus, both captive in an endemic area for VL, presenting clinical disease and positivity in Indirect Immunofluorescence Reaction and Polymerase Chain Reaction tests were used as positive controls. The antibody anti-dog IgG and Protein A, both conjugated with horseradish peroxidase, were compared in indirect ELISA tests which detected four (04/12) and three (03/12) seropositive C. brachyurus for anti-Leishmania antibodies, respectively. The ELISA tests were able to clearly distinguish negative from positive samples, as the mean optical density (OD) of the negative samples was 4.8 and 15.5 times lower than those of the positive ones either using anti-dog IgG and Protein A, respectively. Samples from three ELISA - positive C. brachyurus were analyzed by Western blotting and identified immunodominant bands of 19, 22, 24, 45 and 66 kDa, among 22 protein bands detected. The ELISAs with protein A and anti-dog IgG showed respectively excellent (Kappa = 1.0; p<0.001) and moderate (Kappa = 0.8; p<0.0015) agreement with the Western blotting assay. The ELISA tests showed to be adequate for screening studies to identify antibody responses, thus indicating contact with Leishmania infection by wild canids.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ferreira P.R.B., Larangeira D.F., Oliveira L.S., Malta M.C.C., Gomes M.C., Bastos B.L., Portela R.W. & Barrouin-Melo S.M. 2013. [Indirect ELISA for the serological diagnosis of visceral leishmaniasis in wild canids.] Teste de ELISA indireto para diagnóstico sorológico de leishmaniose visceral em canídeos silvestres. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):528-534. Laboratório de Infectologia Veterinária, Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal da Bahia, Av. Adhemar de Barros 500, Salvador, BA 40170-110, Brazil. E-mail: paulomev@yahoo.com.br Na América do Sul, alguns canídeos silvestres são considerados reservatórios naturais da Leishmania chagasi. A resposta imunológica desses animais à Leishmania é pouco conhecida, havendo a necessidade de métodos diagnósticos adequados para esse fim. No presente estudo, é descrita a padronização do ensaio imunoenzimático indireto (ELISA) para o diagnóstico sorológico de leishmaniose visceral em canídeos silvestres brasileiros. Foram estudadas amostras de soro e plasma de 12 canídeos cativos: sete lobos-guará (Chrysocyon brachyurus), três raposinhas (Lycalopex vetulus) e dois cachorros-do-mato (Cerdocyon thous). As amostras de um C. brachyurus e uma L. vetulus, cativos em área endêmica para LV, que apresentavam doença clínica e positividade em testes de Imunofluorescência Indireta e Reação em Cadeia de Polimerase, foram utilizadas como controles positivos. Foram comparados os conjugados anti-IgG de cão e proteína A, ambos ligados a peroxidase, cujos testes detectaram quatro (04/12) e três (03/12) C. brachyurus soropositivos para anticorpos anti-Leishmania sp., respectivamente. As médias das densidades ópticas (DOs) das amostras negativas foram nitidamente mais baixas do que as médias das DOs dos positivos tanto no ELISA com anti-IgG de cão (4,8 vezes) como com proteína A (15,5 vezes). Os soros de três C. brachyurus positivos no ELISA indireto foram avaliados por Western blotting e identificaram 22 bandas, sendo imunodominantes as de peso molecular de 19, 22, 24, 45 e 66 kDa. Os testes ELISA com a proteína A e o conjugado anti-IgG de cão apresentaram respectivamente concordância excelente (Kappa = 1; p<0,001) e moderada (Kappa = 0,8; p<0,0015), com o Western blotting. Ambos foram, portanto, considerados adequados a avaliações de triagem de animais cuja resposta humoral de anticorpos indica contato com o parasito, úteis para subsidiar estudos para adequação de metodologias específicas para os canídeos silvestres.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV