Ano 2013 - Volume 33, Número 4


Título
Surto autóctone de leishmaniose visceral canina no Estado de Santa Catarina, 33(4):490-496
Autores

Resumo
RESUMO.- Steindel M., Menin A., Evangelista T., Stoco P.H., Marlow M.A., Fleith R.C., Pilati C. & Grisard E.C. 2013. Outbreak of autochthonous canine visceral leishmaniasis in Santa Catarina, Brazil. [Surto autóctone de leishmaniose visceral canina no Estado de Santa Catarina.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):490-496. Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Rua João Pio Duarte Silva s/n, Córrego Grande, Bloco A, Campus Trindade, Florianópolis, SC 88040-900, Brazil. E-mail: mario.steindel@ufsc.br

O presente estudo relata o primeiro surto autóctone de leishmaniose visceral canina (LCV) em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Durante levantamento soro-epidemiológico realizado pelo Centro de Controle de Doenças Zoonóticas (CCZ) envolvendo 2.124 cães, 29 (1,37%) foram soropositivos para VL (ELISA + RIFI). Onze cães positivos por transmissão autóctone foram utilizados no presente estudo. A confirmação da infecção por Leishmania sp. foi realizada pelo exame parasitológico da medula óssea, fígado, baço e linfonodos, cultura em meio Schneider e PCR. Os isolados de Leishmania sp. foram caracterizados por PCR-RFLP e hibridação com sondas específicas, permitindo a identificação de Leishmania infantum. A transmissão autóctone da LCV em uma área com grande fluxo turístico como Florianópolis representa um preocupante risco à saúde pública e o surgimento de uma importante zoonose no sul do Brasil. Neste contexto, a implementação de medidas de vigilância e controle da doença são fundamentais para evitar a propagação da doença entre a população canina, bem como a transmissão para a população humana.
Download / Visualização