Ano 2011 - Volume 31, Número 1001


Título
Adição de cisteína na preservação de sêmen suíno refrigerado e sua relação com a fertilidade suína, 31(Supl.1):25-32
Autores

Resumo
RESUMO.- Severo C.K., Pereira G.R., Pereira A.M., Ilha G.F., Oliveira J.F.C., Soares M., Arruda R.P. & Gonçalves P.B.D. 2011. Cysteine addition on short-term cooled board semen preservation and its relationship with swine field fertility. [Adição de cisteína na preservação de sêmen suíno refrigerado e sua relação com a fertilidade suína.] Pesquisa Veterinária Brasileira 31(Supl.1):25-32. Laboratório de Biotecnologia e Reprodução Animal, Departamento de Clínica de Grandes Animais, Hospital Veterinário, Prédio 97, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: bayard@biorep.ufsm.br

A inseminação artificial é usada rotineiramente na indústria suinícula para reduzir os custos de produção além de obter maior eficiência reprodutiva durante o processo de resfriamento do sêmen. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da adição de diferentes concentrações de cisteína (CIS) ao diluidor de sêmen Beltsville Thawing Solution (BTS) resfriado sobre a qualidade espermática por até 72 horas. Foram coletados ejaculados de três cachaços e as amostras de sêmen foram diluídas em BTS, conforme os seguintes tratamentos: BTS (grupo controle); CIS0,1 (BTS + 0,1mM de cisteína); CIS0,5 (BTS + 0,5mM de cisteína); CIS1,0 (BTS + 1,0mM de cisteína); CIS2,5 (BTS + 2,5mM de cisteína); CIS5,0 (BTS + 5,0mM de cisteína); CIS10,0 (BTS + 10,0mM de cisteína) e CIS20,0 (BTS + 20,0mM de cisteína). A avaliação da integridade espermática foi determinada através de sondas fluorescentes em uma combinação de 100μg/mL FICT-PSA (isotiocinato de lecitina), 0.5mg/ml PI (iodeto de propidio), e 153μM JC-1 (5,5’,6,6’-tetracloro-1,1’,3,3’-tetraetillbenzimidazolil iodeto de carbocianina). As avaliações dos tratamentos foram realizadas 0, 24, 48 e 72 horas após a diluição do sêmen. Adicionalmente, foi avaliado o efeito da adição de 5,0 mM de cisteína ao diluidor BTS na manutenção da qualidade espermática e no efeito na fertilidade em suínos. Após a inseminação artificial, as fêmeas foram avaliadas quanto a taxa de retorno e o tamanho da leitegada. Durante todos os períodos analizados, os grupos CIS10,0 e CIS20,0 apresentaram menor número de espermatozóides viáveis em relação aos demais grupos. A viabilidade espermática diminuiu a níveis abaixo de 10% nos tratamentos CIS10,0 e CIS20,0 nas primeiras 24 horas de armazenamento a 17ºC. Ao final do período de armazenamento todos os grupos apresentavam média inferior a 65% de espermatozóides com a membrana plasmática intacta. A viabilidade espermática diminuiu significativamente quando altas concentrações de CIS (hora “0”; CIS10,0 e CIS20,0; p<0.05) foram adicionadas ao sêmen comparadas com as demais concentrações. O grupo BTS (10,20±0,39) apresentou menor taxa de retorno ao estro comparado com BTSCIS (86,05±0,39), além de apresentar maior número de leitões nascidos (12,71±3,38 vs. 9,00±3,38, respectivamente). Portanto, podemos concluir que a adição de CIS ao diluidor BTS não mantém a qualidade espermática e resulta em maior taxa de retorno ao estro e menor número de leitões nascidos.
Download / Visualização