Ano 2014 - Volume 34, Número 3


Título
Efeitos da sazonalidade e da condição ovariana sobre a produção in vitro de embriões de gatos domésticos em uma região entre o Equador e o Trópico de Capricórnio, 34(3):277-280
Autores

Resumo
RESUMO.- Martins L.R., Fernandes, C.B., Villaverde A.I.S.B., Landim-Alvarenga F.C. & Lopes M.D. 2014. The seasonal and ovarian status effects on in vitro production of domestic cat embryos in a region between Equator and Tropic of Capricorn. [Efeitos da sazonalidade e da condição ovariana sobre a produção in vitro de embriões de gatos domésticos em uma região entre o Equador e o Trópico de Capricórnio.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):277-280. Laboratório de Reprodução Animal, Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Alexandre Ferronato 1200, Sinop, MT 78557-267, Brazil. E-mail: lirigatto@yahoo.com.br

Do Trópico de Capricórnio ao Equador, sabe-se que a sazonalidade no gato domestico é ausente, i.e., estes animais são considerados reprodutores não sazonais nestas regiões. Nós hipotetizamos que esta particularidade possa ter alguma influência sobre a produção embrionária in vitro. O objetivo deste experimento foi determinar a porcentagem de clivagem e formação de mórulas e blastocistos produzidos a partir de oócitos recuperados de ovários de gatas em três condições - folicular, lútea ou inativa – durante duas estações reprodutivas pelas quais gatas passam na região sudeste do Brasil (22°53’09” S e 48°26’42” O) - estação não reprodutiva (ENR), que compreende os meses de janeiro a março; e estação reprodutiva (ER), agosto à outubro. Trinta gatas foram castradas. Os ovários foram classificados de acordo com sua condição e foram fatiados em PBS para liberação dos complexos cumulus oophorus (COC). COC grau I foram lavados três vezes em H-MEM suplementado com BSA, glutamina, piruvato sódico, cisteína, estreptomicina e penicilina. Os oócitos foram incubados em grupos de 20-30 em 400 µL de DMEM suplementado com FSH, LH, estradiol, IGF-I e fator de crescimento fibroblástico básico sob óleo mineral por 30 ou 36 horas em atmosfera úmida de 5% de O2, 5% CO2 e 90% N2 a 38°C. Os COC foram fertilizados em meio Ham’s F-10 suplementado com BSA, cisteína, piruvato e estreptomicina/penicilina (meio de cultura) com sêmen fresco selecionado através da técnica de swim up. Dezoito horas depois, os presumíveis zigotos foram denudados, a porcentagem de clivagem foi determinada e cada 10 zigotos foram transferidos para gotas de 100 mL de meio de cultura para cultivo durante 3 dias. Após 72 horas de cultivo, a porcentagem de formação de mórulas foi avaliada e estas estruturas foram transferidas para gotas do mesmo meio de cultivo. No oitavo dia de cultivo a formação de blastocisto foi avaliada. Durante a ENR, de um total de 272 (inativo), 162 (lútea) e 134 (folicular) oócitos fertilizados, a porcentagem de clivagem de zigotos, formação de mórulas e de blastocistos derivados de ovários inativos foi 24,63, 16,54 e 8,09 respectivamente; para aqueles oriundos de ovários na condição lútea, a porcentagem foi de 21,6, 12,96 e 8,64, e para aqueles provenientes de ovários na fase folicular, foi de 24,62, 16,41 e 8,21. Considerando a ER, de um total de 102 (inativo), 198 (lútea) e 86 (folicular) oócitos fertilizados, a frequência relativa (%) de zigotos clivados, mórulas e blastocistos derivados de ovários na condição inativa foi de 64,7, 41,17 e 23,53 respectivamente; para aqueles oriundos de ovários na condição lútea, a porcentagem foi de 64,14, 40,41 e 23,73, e para aqueles provenientes de ovários na fase folicular, foi de 63,95, 39,54 e 24,41. Os resultados deste experimento demonstraram que não houve diferença estatística significante (P < 0.05) na frequência de embriões clivados e na formação de mórulas e blastocistos quando comparadas as três condições ovarianas dentro da mesma estação. Entretanto, a ER apresentou resultados melhores considerando as taxas de clivagem e formação de mórula e de blastocisto se comparada à ENR.
Download / Visualização