Ano 2014 - Volume 34, Número 10


Título
Teste intradérmico com proteínas recombinantes de Mycobacterium bovis como antígenos em Cavia porcellus, 34(10):957-962
Autores

Resumo
RESUMO.- Melo E.S.P., Souza I.I.F., Ramos C.A.N., Osório A.L.A.R., Nascimento V.A. & Araújo F.R. 2014. [Skin test with recombinant protein of Mycobacterium bovis as antigen in Cavia porcellus.] Teste intradérmico com proteínas recombinantes de Mycobacterium bovis como antígenos em Cavia porcellus. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(10):957-962. Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Av. Senador Filinto Mülller 2443, Cidade Universitária, Campo Grande, MS 79070-900, Brazil. E-mail: elainespmelo@hotmail.com

O teste intradérmico para o diagnóstico da tuberculose bovina utiliza derivados proteicos purificados (PPD) de Mycobacterium bovis que são capazes de induzir reações de hipersensibilidade em animais infectados. No entanto, apresenta baixa especificidade devido à ocorrência de reações cruzadas com outras micobactérias. Neste sentido, o objetivo desse trabalho foi produzir proteínas recombinantes (ESAT-6, PE13, PE5 e ESX-1) de Mycobacterium bovis e avaliá-las como antígenos em teste intradérmico utilizando Cavia porcellus como modelo, e verificar se as condições empregadas na purificação (nativa ou desnaturante) interferem no desempenho antigênico dessas proteínas. As proteínas foram testadas em Cavia porcellus previamente sensibilizados com cepa M. bovis AN5 inativada, individualmente (160 µg) ou combinadas na forma de um coquetel (40 µg cada). O coquetel de proteínas induziu reações de hipersensibilidade nos animais sensibilizados significativamente superiores (p=0,002) as observadas nos animais não sensibilizados, possibilitando diferenciação. No entanto, as proteínas isoladamente não foram capazes de promover essa diferenciação. As condições de solubilização e purificação influenciaram o desempenho antigênico da proteína ESAT-6, pois, quando produzida em condição desnaturante desencadeou reações inespecíficas nos animais não sensibilizados, enquanto que aquela produzida em condições nativas e aplicada em concentrações de 6, 12, 24 e 48µg induziu reações significativas apenas nos animais sensibilizados, confirmando o seu potencial como antígeno.
Download / Visualização