Ano 2015 - Volume 35, Número 1


Título
Infecção por Plasmodium spp. e Haemoproteus spp. em aves da Mata Atlântica brasileira detectada por microscopia e reação em cadeia da polimerase, 35(1):67-74.
Autores

Resumo
RESUMO.- Tostes R., Vashist U., Scopel K.K.G., Massard C.L., Daemon E. & D’Agosto M. 2015. Plasmodium spp. and Haemoproteus spp. infection in birds of the Brazilian Atlantic Forest detected by microscopy and polymerase chain reaction. [Infecção por Plasmodium spp. e Haemoproteus spp. em aves da Mata Atlântica brasileira detectada por microscopia e reação em cadeia da polimerase.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1):67-74. Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, BR-465 Km 7, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: raquelctostes@yahoo.com.br

Nos últimos anos infecção por protozoários hemosporídeos dos gêneros Plasmodium e Haemoproteus, tem sido considerada um dos fatores mais importantes relacionados com a extinção e / ou declínio da população de várias espécies de aves em todo o mundo. No Brasil, apesar da grande biodiversidade aviária, poucos estudos foram desenvolvidos para detectar a infecção, especialmente entre as aves silvestres mantidas em cativeiro. Assim, o objetivo deste estudo foi analisar a prevalência de infecção por Plasmodium spp. e Haemoproteus spp. em aves silvestres em cativeiro na Mata Atlântica do sudeste do Brasil, utilizando microscopia convencional e reação em cadeia da polimerase. Amostras de sangue de 119 aves mantidas em cativeiro no Ibama durante o período de julho de 2011 a julho de 2012, foram coletadas. A densidade parasitária foi determinada com base apenas em leituras de esfregaços de sangue por microscopia fotônica. A prevalência média de infecção por Plasmodium spp. e Haemoproteus spp. obtida por exame microscópico de esfregaços sanguíneos e PCR foi semelhante (83,19% e 81,3%, respectivamente), com Caracara plancus e Saltator similis sendo as espécies mais parasitadas. A parasitemia média determinada pela contagem microscópica de formas evolutivas de Plasmodium spp. e Haemoproteus spp. foi de 1,51%. Os resultados obtidos neste estudo reforçam a importância do manejo de aves em cativeiro, especialmente quando serão reintroduzidas na natureza.
Download / Visualização