Ano 2015 - Volume 35, Número 6


Título
Identificação e resistência antimicrobiana de membros da família Enterobacteriaceae isolados de canários (Serinus canaria), 35(6):552-556
Autores

Resumo
RESUMO.- Horn R.V., Cardoso W.M., Lopes E.S., Teixeira R.S.C., Albuquerque A.H., Rocha-e-Silva R.C., Machado D.N. & Bezerra W.G.A. 2015. Identification and antimicrobial resistance of members from the Enterobacteriaceae family isolated from canaries (Serinus canaria). [Identificação e resistência antimicrobiana de membros da família Enterobacteriaceae isolados de canários (Serinus canaria).] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):552-556. Laboratório de Estudos Ornitológicos, Faculdade de Veterinária, Universidade Estadual do Ceará, Av. Paranjana 1700, Fortaleza, CE 60740-000, Brazil. E-mail: rubenhorn@hotmail.com

A família Enterobacteriaceae possui bactérias com potencial zoonótico e a presença destas bactérias em canários é relatada na literatura, porém a realidade dos plantéis de criadores de canários é desconhecida. Portanto, este trabalho teve como objetivo isolar enterobactérias de canários belga (Serinus canarius) com o intuito de conhecer os gêneros mais comuns nestas aves e suas respectivas resistências a antimicrobianos. De fevereiro a junho de 2013 foram coletadas 387 amostras de swabs cloacais de canários de oito propriedades da cidade de Fortaleza, Brasil e de 58 necropsias de aves do acervo próprio do Laboratório de Estudos Ornitológicos. As amostras foram submetidas a isolamento microbiológico utilizando-se água peptonada e ágar MacConkey. As colônias foram selecionadas de acordo com suas características morfológicas nas placas, submetidas à tipificação bioquímica para identificação e ao teste de sensibilidade a antimicrobianos. Foram isoladas 61 cepas, sendo 42 de suabes cloacais e 19 de necropsias. A bactéria mais isolada foi Escherichia coli com vinte e cinco cepas, seguida por catorze Klebsiella spp., doze Enterobacter spp., sete Pantoea agglomerans, duas Serratia spp. e uma cepa de Proteus mirabilis. As cepas apresentaram maior resistência a sulfonamidas com 55,7%, seguidas por ampicilina com 54,1% e tetraciclina com 39,3%. Além disso, o total de cepas resistentes a múltiplas drogas (RMD) foi 34 (55,7%). Portanto, conclui-se que os canários albergam enterobactérias e que as cepas apresentam alto índice de resistência a antimicrobianos, com alta frequência de cepas RMD.
Download / Visualização