Ano 2015 - Volume 35, Número 9


Título
Detecção de fatores de virulência e de resistência antimicrobiana em isolados produtores de toxina Shiga de ovinos, 35(9):775-780
Autores

Resumo
RESUMO.- Ferreira M.R.A., Silva T.S., Stella A.E., Conceição F.R., Reis E.F. & Moreira C.N. 2015. Detection of virulence factors and antimicrobial resistance patterns in Shiga toxin-producing Escherichia coli isolates from sheep. [Detecção de fatores de virulência e de resistência antimicrobiana em isolados produtores de toxina Shiga de ovinos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(9):775-780. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Goiás, Regional Jataí, Rodovia BR-364 Km 192 nº3.800, Parque Industrial, Cx. Postal 3, Jataí GO 75801-615, Brazil. E-mail: cissanm@yahoo.com.br

A fim de detectar os fatores de virulência em isolados de E. coli produtoras de toxina Shiga (STEC) e investigar o perfil de resistência aos antimicrobianos, swabs retais foram coletados em ovelhas saudáveis das raças Santa Inês e Dorper. Dos 115 isolados de E. coli obtidos, 78,3% (90/115) foram caracterizados como STEC, dos quais 52,2% (47/90) possuíam o gene stx1, 33,3% (30/90) stx2 e 14,5% (13/90) ambos os genes. Em busca de fatores de virulência, 47,7% e 32,2% dos isolados apresentaram genes saa e cnf1. De acordo com a análise do perfil de resistência a antimicrobianos, 83,3% (75/90) eram resistentes a pelo menos um dos antibióticos testados. Na classificação filogenética, os isolados foram agrupados 24,4% (22/90) no grupo D (patogênico), 32,2% (29/90) no grupo B1 (comensal) e 43,3% (39/90) no grupo A (comensal). A presença de vários fatores de virulência, bem como o elevado número de isolados multirresistentes encontrados neste estudo apoia a afirmação de que as ovelhas são portadoras potenciais de patógenos que ameaçam a saúde pública.
Download / Visualização