Ano 2015 - Volume 35, Número 12


Título
Co-infecção por Tritrichomonas foetus e Pen- tatrichomonas hominis em gatos assintomático, 35(12):980-988
Autores

Resumo
RESUMO.- Dos Santos C.S., De Jesus V.L.T., McIntosh D., Berto B.P. & Lopes C.W.G. 2015. Co-infection by Tritrichomonas foetus and Pentatrichomonas hominis in asymptomatic cats. [Co-infecção por Tritrichomonas foetus e Pen-
tatrichomonas hominis em gatos assintomáticos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(12):980-988. Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Anexo 1, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Campus de Seropédica, BR-465 Km 7, Seropédica, RJ 23897-970, Brazil. E-mail: carolinespitz@yahoo.com.br

Tritrichomonas foetus, um parasito bem conhecido por seu significado como um agente patogênico transmitido venereamente em bovinos, também foi identificado como causa de diarreia crónica do intestino grosso em gatos domésticos em muitos países. No Brasil, vários estudos sobre o diagnóstico de tricomonose bovina foram realizados, mas até agora, não há informação disponível em relação à trichomonose felina. Assim, este é o primeiro estudo a relatar a ocorrência de T. foetus e Pentatrichomonas hominis em gatos por meio de análise morfológica e molecular. Fezes de 77 gatos foram examinadas, a partir da qual quatro (5,2%) foram positivas para a presença de parabasalídeos. A análise morfológica de esfregaços corados revelou trophozoitos piriformes com três flagelos anteriores, núcleo alongado e axóstilo cuja projeção termina abruptamente em formato de filete, características estas de identificação morfológica T. foetus. Além disso, microscopia eletrônica de varredura e transmissão, revelaram caracteres morfológicos semelhantes aos descritos na literatura para esta espécie. A análise molecular de culturas utilizando iniciadores específicos para trofozoítos de T. foetus (TFR3 e TFR4), mostrou que as quatro amostras foram positivas para este parasito e osequenciamento dos fragmentos amplificados demonstraram 99,7-100% de similaridade com seqüências depositadas no GeneBank de T. foetus. Nenhum trofozoíto com morfologia consistente com a descrição de P. hominis foi visualizado nas amostras. No entanto, a análise molecular, utilizando iniciadores específicos para esta espécie (TH3 e TH5) detectou que três das quatro amostras (75%) também foram positivas para P. hominis e o sequenciamento de nucleotideos revelou 100% de similaridade dos amplicons quando comparada com o mesmo fragmento de DNA de P. hominis depositado no GenBank. Como tal, o presente estudo relata a coinfecção de gatos com T. foetus e P. hominis e destacou a exigência de uma combinação de métodos para o diagnóstico de coinfecções. Estes resultados demonstram a importância do diagnóstico correto para a aplicação da terapia apropriada por parte dos veterinários.
Download / Visualização