Ano 2016 - Volume 36, Número 1001


Título
Transferência de imunidade passiva e proteinograma sérico em bezerros das raças Crioula Lageana variedade mocha e Aberdeen Angus (Red Angus) nos primeiros seis meses de vida, 36(Supl.1):33-40
Autores

Resumo
RESUMO.- Schade J., Rossi R.M., Fonteque G.V., Martins E., Lisbôa J.A.N., Flaiban K.K.M.C., Preti M.C.P. & Fonteque J.H. 2016. [Transfer of passive immunity and serum proteinogram in calves of the Criollo Lageano hornless variety and Aberdeen Angus (Red Angus) breed in their first six months of life.] Transferência de imunidade passiva e proteinograma sérico em bezerros das raças Crioula Lageana variedade mocha e Aberdeen Angus (Red Angus) nos primeiros seis meses de vida. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(Supl.1):33-40. Departamento de Medicina Veterinária, Centro de Ciência Agroveterinárias, Universidade do Estado de Santa Catarina, Av. Luiz de Camões 2090, Lages, SC 88520-000, Brazil. E-mail: fonteque@hotmail.com

A raça Crioula Lageana apresenta-se como uma alternativa para a pecuária moderna, devido a sua grande variabilidade genética, rusticidade e adaptação às condições ambientais do Planalto Catarinense. Estas características podem influenciar importantes eventos fisiológicos, os quais deveriam ser investigados, pois podem auxiliar no desenvolvimento de futuros programas de melhoramento animal. Sabe-se que a falha da transferência de imunidade passiva (TIP) constitui um importante fator para a elevação dos índices de mortalidade neonatal na espécie bovina. Desta forma, torna-se indispensável à avaliação dos aspectos relacionados à TIP em bezerros da raça Crioula Lageana variedade mocha e a sua comparação com outras raças de corte criadas no Planalto Serrano Catarinense. Com o objetivo de avaliar e comparar a TIP e o proteinograma sérico foram selecionados dois grupos experimentais compostos por 11 bezerros da raça Crioula Lageana variedade mocha e 14 bezerros da raça Aberdeen Angus (Red Angus). Amostras de sangue foram colhidas por meio da venopunção jugular para a mensuração da proteína total sérica (PTS), eletroforese das proteínas séricas em gel de agarose, atividade da gamaglutamiltransferase (GGT) e concentração de imunoglobulinas G (IgG) por meio do método de turvação pelo sulfato de zinco nos períodos entre 24 e 36 horas, 15, 30, 60, 90, 120, 150 e 180 dias de vida. A análise estatística dos dados foi realizada por meio da análise de variância de medidas repetidas (ANOVA), teste de Tukey para a comparação entre médias (P<0,05) e correlação entre as variáveis. Ao analisar os valores de PTS, globulinas, gamaglobulinas, IgG e atividade sérica de GGT ao nascimento (24 a 36 horas) pode se afirmar que houve adequada TIP não havendo diferença significativa entre as raças, exceto para a atividade sérica da GGT. Observaram-se variações fisiológicas na curva de proteínas séricas do nascimento até os 180 dias de idade. Forte correlação positiva foi observada entre os valores de gamaglobulina e IgG (r=0,814 para CL e r=0,877 para AA), PTS (r=0,783 para CL e r=0,947 para AA), globulinas (r=0,945 para CL e r=0,985 para AA), evidenciando que estas variáveis foram bons indicadores da TIP em bezerros ao segundo dia de vida (24–36 horas). A correlação entre gamaglobulinas e atividade da GGT foi fracamente positiva (r=0,251) para bovinos da raça Crioula Lageana variedade mocha e fortemente positiva (r=0,815) para a raça Aberdeen Angus (Red Angus), o qual foi admitido a grande variação nos valores da GGT após 24 horas de vida do bezerro. Não houve diferença na TIP entre as raças Crioula Lageana variedade mocha e Aberdeen Angus (Red Angus), ocorrendo de maneira bem-sucedida em ambas as raças. Pode-se sugerir que a raça Crioula Lageana variedade mocha seja mais tardia na síntese ativa de anticorpos, ressaltando a precocidade dos taurinos evidenciada na raça Aberdeen Angus (Red Angus).
Download / Visualização