Ano 2016 - Volume 36, Número 9


Título
Celulite em codornas japonesas alimentadas com extrato de orégano nas dietas e inoculadas com Escherichia coli, 36(9):831-836
Autores

Resumo
RESUMO.- Sakamoto M.I., Esteves A.F., Reis C.A.C., Carregaro V.M.L., Fernandes N.L.M. & Fernandes J.I.M. 2016. [Cellulitis in Japanese quails fed oregano extract in the diet and inoculated with Escherichia coli.] Celulite em codornas japonesas alimentadas com extrato de orégano nas dietas e inoculadas com Escherichia coli. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):831-836. Departamento de Produção Animal, Universidade Camilo Castelo Branco, Av. Hilário da Silva Passos 950, Parque Universitário, Descalvado, SP 13690-950, Brazil. E-mail: mizumiss@yahoo.com.br

Com o objetivo de avaliar a utilização do extrato de orégano nas dietas de codornas japonesas (Coturnix coturnix japonica) e desafiadas com cepas de Escherichia coli, sobre as características de desempenho, a incidência de celulite aviária e titulação de anticorpos específicos contra antígenos de E. coli, foram utilizadas 360 codornas japonesas, com 90 dias de idade, distribuídas em gaiolas de arame galvanizado em galpão convencional. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 5x2 (extrato de orégano x desafiado ou não com E. oli), totalizando dez tratamentos com seis repetições de seis aves por gaiola. Os níveis do extrato de orégano (EO) avaliados foram: 0,00; 0,025; 0,050; 0,100 e 0,150%. Foram avaliadas características de desempenho produtivo, lesões macroscópicas da celulite após períodos pós-inoculação das cepas e amostras de soro foram colhidas para verificar a titulação de anticorpos nas aves. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo Teste T. Foi observado efeito de E. coli sobre todas as características produtivas, independentemente dos níveis de EO avaliados, onde grupos desafiados apresentaram piores resultados de desempenho. As lesões macroscópicas, características da celulite, observadas somente nas aves desafiadas com E. coli foram classificadas como grau leve e sem presença de hemorragias. Para a titulação de anticorpos específicos, houve maior quantificação para aves desafiadas com as cepas de E. coli em relação às não desafiadas. Pode-se concluir que o extrato de orégano suplementado nas rações não se mostrou eficaz frente ao desafio com E. coli em codornas na fase de postura e as aves desafiadas com E. coli apresentaram maiores respostas imunes humoral e celular, em relação às não desafiadas, caracterizadas pelo aumento na titulação de anticorpos e pela lesão macroscópica peitoral, independentemente dos níveis de extrato de orégano avaliados.
Download / Visualização