Ano 2016 - Volume 36, Número 11


Título
Estudo de ovários fetais equinos: uma abordagem histológica, 36(11):1116-1120
Autores

Resumo
RESUMO.- Moraes G.D., Curcio B. da R., Nogueira C.E., Pazinato F.M., Finger I.S., Silva A.C., Varella Jr. A.S. & Corcini C.D. 2016. [Study of fetal equine ovary: an histological approach.] Estudo de ovários fetais equinos: uma abordagem histológica. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(11):1116-1120. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Rio Grande, Avenida Itália, km 8, Bairro Carreiros, Rio Grande, RS 96203-900, Brazil. E-mail: corcinicd@gmail.com

O estudo do desenvolvimento embriológico de órgãos reprodutivos representa uma ferramenta importante para a compreensão das particularidades da espécie equina, assim como ampliar os conhecimentos sobre o desenvolvimento de folículos antrais que podem ser utilizados para produção in vitro de embriões. O presente trabalho teve como objetivo descrever as alterações morfológicas de ovários fetais equinos ocorrentes durante o desenvolvimento gestacional. Foram utilizados fetos equinos provenientes de abatedouro. Imediatamente após o abate foi realizada medição da distância cefalococcígea para o cálculo da idade gestacional em dias (dias de gestação - DG) e dissecação dos fetos para a retirada e fixação dos ovários. Foram realizadas avaliações macroscópicas e histológicas pelas técnicas de Hematoxilina-eosina e PAS. Foram utilizados 19 fetos com idade de 50-269 dias de gestação, distribuídos em 9 grupos de DG. Na avaliação macroscópica foi observada diferença entre o volume dos ovários de acordo com a idade gestacional, sendo observado maior volume ovariano entre os dias 210 a 269 de desenvolvimento gestacional. Na avaliação histológica foi observado epitélio de revestimento cúbico e distinção entre as camadas cortical e medular nos ovários fetais a partir de 50-89 DG. As principais características identificadas foram à distinção morfológica entre as camadas cortical e medular nos ovários fetais equinos: os cordões ovígeros surgiram no intervalo de 150-179 DG; o córtex iniciada como uma camada delgada e por volta do 210º dia de gestação apresentou espessamento pelo aumento da quantidade de tecido conjuntivo rico em vasos sanguíneos, o qual se manteve até os estágios finais da gestação; a região medular adquiriu uniformidade estrutural por volta do 150º dia, mostrando células similares em tamanho e vasos sanguíneos de calibre maior. A partir desta etapa, as células medulares diminuíram em tamanho e feixes de tecido conjuntivo denso tornaram esta zona parcialmente dividida.
Download / Visualização