Ano 2017 - Volume 37, Número 4


Título
Concentração inibitória mínima de cepas Brachyspira hyodysenteriae brasileiras, 37(4):331-338
Autores

Resumo
RESUMO.- Daniel A.G.S., Sato J.P.H., Gabardo M.P., Resende T.P., Barcellos D.E.S.N., Pereira C.E.R. Vannucci F.A. & Guedes R.M.C. 2017. Minimum inhibitory concentration of Brazilian Brachyspira hyodysenteriae strains. [Concentração inibitória mínima de cepas Brachyspira hyodysenteriae brasileiras.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):331-338. Departamento de Clínica e Cirurgia Veterinária, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Avenida Pres. Antônio Carlos 6627, Pampulha, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. E-mail: guedesufmg@gmail.com

Os objetivos deste trabalho foram a caracterização de isolados de Brachyspira hyodysenteriae e avaliar os padrões de sensibilidade antimicrobiana de isolados obtidos a partir de suínos no Brasil com base no teste de concentração inibitória mínima (MIC). A MIC foi realizada em 22 isolados de B. hyodysenteriae obtidos entre 2011 a 2013 usando os seguintes antimicrobianos: tilosina, tiamulina, valnemulina, doxiciclina, lincomicina e tilvalosina. Surtos de disenteria suína foram diagnosticados com base na apresentação clínica, isolamento bacteriano, lesões macroscópicas e microscópicas, PCR duplex para B. hyodysenteriae e B. pilosicoli e sequenciamento do gene nox. Todos os valores de MIC obtidos foram consistentemente mais elevados ou igual ao ponto de corte microbiológica descrito na literatura. Os valores de MIC 90 para os fármacos testados foram de 8 µg / mL para a doxiciclina, > 4 µg/ml de valnemulina, 8 µg / mL para a tiamulina, 32 µg / ml para tilvalosina, > 64 µg / ml para a lincomicina e > 128 μg / ml de tilosina. Estes resultados corroboram em grande parte com os relatados na literatura. Tiamulina, doxiciclina e tilvalosina apresentaram os menores resultados de MIC. Todas as amostras submetidas à análise filogenética com base na sequência do gene nox exibiram resultados semelhantes, indicando 100% de identidade com B. hyodysenteriae. Este é o primeiro estudo que descreve o padrão MIC de B. hyodysenteriae isoladas no Brasil.
Download / Visualização