Ano 2017 - Volume 37, Número 4


Título
Toxicidade do inseticida Tiametoxam para o Pacamã (Lophisiolurus alexandri), 37(4):307-312
Autores

Resumo
RESUMO.- Albinati A.C.L., Soares P.C., Albinati R.C.B., Moreira E.L.T., Lira A.D. & Carvalho J.V. 2017. [Toxicity of Thiamethoxam insecticide for Pacamã (Lophisiolurus alexandri).] Toxicidade do inseticida Tiametoxam para o Pacamã (Lophisiolurus alexandri). Pesquisa Veterinária Brasileira 37(4):307-312. Colegiado de Medicina Veterinária, Universidade do Vale do São Francisco, Rodovia BR-407 Km 12, Lote 543, Projeto de Irrigação Senador Nilo Coelho s/n, C1, Petrolina, PE 56300-990, Brazil. E-mail: catarina.albinati@gmail.com

Este estudo avaliou a toxicidade aguda e crônica de um inseticida a base de tiametoxam para peixes da espécie Pacamã (Lophisiolurus alexandri), avaliando a CL50%, além de alterações histopatológicas hepáticas em animais expostos por 96 horas e 15 dias ao inseticida. Para tanto foram utilizados 120 alevinos submetidos a cinco diferentes concentrações do inseticida (30, 60, 120, 240 e 480mg/L) por 15 dias, com dois tempos amostrais, 96 horas e 15 dias. Não houve mortalidade significativa durante todo o período experimental, no entanto os animais apresentaram alterações como vacuolização citoplasmática, congestão e necrose. A CL50% foi determinada como superior a 100mg/L, considerada praticamente não tóxico. A necrose foi a alteração melhor evidenciada nos animais expostos, com o aumento da ocorrência nos animais do teste de toxicidade crônica.
Download / Visualização