Ano 2017 - Volume 37, Número 9


Título
Prevalência e fatores de risco para cisticercose suína em comunidades rurais do leste de Minas Gerais, 37(9):905-910
Autores

Resumo
RESUMO.- Acevedo-Nieto E.C., Pinto P.S.A., Silva L.F., Guimarães-Peixoto R.P.M., Santos T.O., Ducas C.T.S. & Bevilacqua P.D. 2017. Prevalence and risk factors for porcine cysticercosis in rural communities of eastern Minas Gerais, Brazil. [Prevalência e fatores de risco para cisticercose suína em comunidades rurais do leste de Minas Gerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):905-910. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Veterinária, Universidade Federal de Viçosa, Avenida PH Rolfs s/n. Viçosa, MG 36570-900, Brazil. E-mail: ecanieto@gmail.com

A cisticercose causada pela Taenia solium é uma zoonose parasitária que afeta humanos e suínos principalmente nos países em desenvolvimento. No Brasil, sua epidemiologia é ainda pouco compreendida em diversas regiões. O objetivo deste estudo foi estimar a prevalência e identificar os fatores de risco associados à cisticercose suína em comunidades rurais localizadas na região leste do estado de Minas Gerais (MG). A partir de 371 propriedades pertencentes à 14 comunidades rurais do município de Tumiritinga, 101 foram amostradas aleatoriamente. Foram coletadas amostras de sangue dos suínos e aplicados questionários epidemiológicos. As amostras séricas foram analisadas através de técnicas de imunodiagnóstico, ELISA e Western Blot, para a detecção de anticorpos. Os dados obtidos nos inquéritos foram analisados utilizando o software EpiInfo 3.5.1 para determinar os fatores de risco associados à cisticercose. A prevalência das propriedades com a presença da cisticercose suína foi de 9,9% (10/101), a soropositividade foi de 5,3% (13/247). Os resultados são alarmantes para a ocorrência da cisticercose suína, sugerindo a presença de portadores de tênia que contribuem manutenção deste ciclo zoonótico nas áreas amostradas. Em relação aos fatores de risco, os determinantes mais importantes para a ocorrência da cisticercose suína foram a criação de suínos soltos (OR:17,4, p:0,0001), a eliminação de fezes humanas no meio ambiente (OR:7,6, p:0,012 ) e o tamanho da propriedade. Cisticercose suína foi diagnosticada somente em áreas representadas por assentamentos de Reforma Agrária. Os resultados permitem recomendar como medida de controle, a destinação dos dejetos humanos em sistemas adequados, a utilização de fossas sépticas, a criação de suínos em sistemas confinados e investimentos em educação em saúde. Ainda, os resultados chamam a atenção para maiores estudos sobre esta zoonose nos assentamentos da reforma agrária do país, devido à sua presença e à falta de conhecimento sobre a epidemiologia da teníase-cisticercose nestas áreas. Estas informações podem servir de base para apoiar políticas públicas voltadas para a criação de um programa eficaz de controle da teníase-cisticercose na região estudada. Uma maior atenção para esta zoonose deve ser estimulada entre médicos, médicos veterinários e agricultores familiares, através da informação e educação.
Download / Visualização