Resultado da pesquisa (415)

Termo utilizado na pesquisa Pathology

#1 - Pythiosis in cattle in Northeastern Brazil

Abstract in English:

The epidemiological, clinical and pathological aspects of cutaneous pythiosis occurring in cattle from three farms in the Northeastern of Brazil are described. A biopsy of the lesions of one bovine from each farm was performed. In two cases, the affected cattle had contact with water accumulated in dams during the dry season in the semiarid region. Another case occurred in the coastal tropical region in cattle grazing around irrigation channels. Clinically, lesions were observed mainly on the skin of the thoracic and/or pelvic limbs, characterized by flat and irregular ulcerated areas or nodules of varying sizes, some with fistulous tracts penetrating deep into the subcutaneous tissue. In one case the regional lymph nodes were affected. Histologically, in all cases, pyogranulomatous dermatitis associated with negative hyphae images, in hematoxylin-eosin stained sections, were observed. In sections stained by Grocott methenamine silver, the hyphae measured 2-8μm and had irregular ramifications and rare septations. Immunohistochemistry technique demonstrated strong immunolabeling for Pythium insidiosum. Pythiosis should be included in the differential diagnosis of dermatopathies in cattle in the Northeastern of Brazil.

Abstract in Portuguese:

Descrevem-se os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos da pitiose cutânea em bovinos de três propriedades do Nordeste do Brasil. Uma biópsia das lesões de um bovino de cada propriedade foi realizada. Em dois casos, os bovinos afetados tiveram acesso à água acumulada em açudes durante a estação seca da região semiárida. O outro bovino acometido estava a pastoreio próximo a canais de irrigação na região litorânea. Clinicamente, as lesões foram observadas principalmente na pele dos membros torácicos e/ou pélvicos e caracterizavam-se por áreas planas e irregulares de ulceração ou nódulos de tamanhos variados, alguns com trajetos fistulosos penetrando profundamente no tecido subcutâneo. Em um caso, os linfonodos regionais foram afetados. Histologicamente, em todos os casos, observou-se dermatite piogranulomatosa associada a imagens negativas de hifas, em secções corados por hematoxilina e eosina. Em seções coradas por metenamina de prata de Grocott, as hifas mediam 2-8μm e possuíam ramificações irregulares com raras septações. A imuno-histoquímica demonstrou forte imunomarcação para Pythium insidiosum. A pitiose deve ser incluída como diagnóstico diferencial de dermatopatias de bovinos no Nordeste do Brasil.


#2 - Epidemiological and pathological aspects of cardiomyopathies in cats in southern Brazil

Abstract in English:

Cardiomyopathies are considered one of the most important causes of heart failure in cats and are subdivided into three main morphological types: hypertrophic (HCM), dilated (DCM), and restrictive (RCM). This study aimed to determine the frequency and types of cardiomyopathies in cats diagnosed in southern Brazil, with an emphasis on their epidemiological and pathological aspects. Necropsy reports filed in a veterinary pathology laboratory were reviewed, and cats diagnosed with cardiomyopathy were selected for the study. Animal identification data, history and clinical signs, and gross lesions, were reviewed and compiled. During the study period, 1.594 cat necropsies were performed, of which 72 (4.5%) comprised a diagnosis of cardiomyopathy. HCM was the most frequent followed by CMR and CMD, representing 77.8%, 12.5% and 9.7%, respectively. Age ranged from three months to 18 years, with a median age of seven years. In relation to sex, 62.5% were males and 37.5% females. In 76.4% of the cases, it affected cats without a breed defined. Restrictive mixed dyspnea and hydrothorax were the main signs or findings of the clinical examination. Sudden death and acute paresis of the pelvic limbs due to aortic thromboembolism have also been described. In HCM, myocardial thickening was observed, with a reduction in the ventricular chamber. Hypertrophy, disarray, and fibrosis of the myofibers were the main histological findings. In RCM, whitish and thickened endocardium was seen in most cases. DCM was characterized by dilated cardiac chambers, and microscopic examination revealed no significant findings. The main extra cardiac lesions revealed pulmonary edema and congestion, hydrothorax and chronic passive congestion of the liver. Cardiomyopathies are important causes of death in cats and should be included in the differential diagnosis of patients with cardio respiratory clinical signs and in cases related to sudden death and acute paresis of the pelvic limbs.

Abstract in Portuguese:

As cardiomiopatias são consideradas umas das mais importantes causas de insuficiência cardíaca em gatos e são subdivididas morfologicamente em três principais tipos: cardiomiopatia hipertrófica (CMH), dilatada (CMD) e restritiva (CMR). Este trabalho teve como objetivo determinar a frequência e os tipos de cardiomiopatias em gatos diagnosticados no Sul do Brasil, abordando seus aspectos epidemiológicos e patológicos. Foram revisados os laudos de necropsias de gatos e selecionados para o estudo de diagnóstico de cardiomiopatia. Os dados referentes à identificação do animal, o histórico/sinais clínicos e lesões macroscópicas foram revisados e compilados. No período estudado, foram realizadas 1.594 necropsias de gatos, destas, 72 (4,5%) compreenderam diagnóstico de cardiomiopatia. A CMH foi a mais frequente seguida pela CMR e CMD, representando 77,8%, 12,5% e 9,7%, respectivamente. A idade variou de três meses a 18 anos, com a idade mediana de sete anos. Em relação ao sexo, 62,5% eram machos e 37,5% fêmeas. Em 76,4% dos casos, afetou gatos sem raça definida. Dispneia mista restritiva e hidrotórax foram os principais sinais ou achados do exame clínico. Morte súbita e paresia aguda de membros pélvicos em razão do tromboembolismo aórtico também foram descritos. Na CMH, observou-se espessamento do miocárdio, com redução da câmara ventricular. Hipertrofia, desarranjo e fibrose das miofibras foram os principais achados histológicos. Na CMR, visualizou-se endocárdio esbranquiçado e espessado na maioria dos casos. A CMD caracterizou-se pela dilatação das câmaras cardíacas, e sem lesão histológica significante. As principais lesões extracardíacas encontradas foram edema e congestão pulmonares, hidrotórax e congestão passiva crônica do fígado. As cardiomiopatias são causas importantes de morte em gatos, devem ser incluídas no diagnóstico diferencial de pacientes com sinais clínicos cardiorrespiratórios e também em casos relacionados a morte súbita e paresia aguda dos membros pélvicos.


#3 - Epidemiological and pathological aspects of noninfectious diseases of the gastrointestinal tract in 114 horses in Southern Brazil

Abstract in English:

Equine colic is one of the most common cause of death in horses, but few studies have investigated specifically the conditions at the necropsy. This study aimed to describe the epidemiological and pathological features of noninfectious diseases of the gastrointestinal tract in horses. A retrospective study was conducted in search of cases of these diseases affecting horses from 2005 to 2017. During this period, 114 horses died of noninfectious diseases of the gastrointestinal tract, and the main causes were: primary gastric dilation (27/114), volvulus (27/114), enterolithiasis (20/114), rectal (colonic) perforation (15/114), gastric or cecocolonic impaction (10/114), incarcerations (6/114), intussusception (4/114), and others (5/114). Mixed breeds horses (56/114) and males (69/114) were mostly affected. The horses had a median and mean age of 10 and 10.9-years old, respectively. Primary gastric dilation was characterized by distension of the stomach by moderate to large amounts of content, which in 21 cases caused tearing of the stomach wall at the greater curvature (peritonitis), and the main predisposing factor was alimentary overload (17/27). Intestinal volvulus occurred within the small intestine (14 cases) and within the large intestines (13 cases). Grossly, there was intestinal ischemia with reddened to deep-black serosa and diffusely red mucosae. Enterolithiasis caused partial or complete obstruction of the right dorsal colon (9/20), transverse colon (4/20), small colon and right dorsal colon (3/20), rectum and right dorsal colon (2/20), and small colon (2/20). Viscera perforation and peritonitis occurred in 11 cases. Rectal (colonic) perforation involved the rectum (10/15), rectum/small colon (4/15), and the small colon (1/15). It was characterized by a focally extensive transmural tearing, associated with reddened borders, and retroperitoneal to diffuse peritonitis. Palpation related iatrogenic injuries (11/15) were the main cause. Impactions affected the large colon (7/10), the cecum (2/10), and the stomach (1/10). Incarcerations consisted of inguinoscrotal hernias (2/6), small intestine entrapment by a mesenteric failure (2/6), diaphragmatic hernia, and umbilical eventration. Grossly, the organs were constricted by a hernial ring, with intestinal ischemia and reddened to dark-red serosa. Predisposing factors included previous surgeries (2/6) and patent inguinal ring (1/6). Intussusception involved the small intestine (3/4) and ileocecum (1/4). Foals with lack of colostrum intake and concomitant pneumonia was a characteristic presentation (3/4). Grossly, the intussusceptum slipped into intussuscipiens, with diffuse deep black-red discoloration. Other causes included large colon displacement (2/5), extrinsic and intrinsic obstruction of the small intestine (2/5), and an intestinal adenocarcinoma. Noninfectious gastrointestinal diseases are major causes of death in horses. Epidemiological and gross features of the conditions should be accounted to obtain a final diagnosis of the cause of the colic.

Abstract in Portuguese:

A cólica em equinos é considerada como a principal causa de morte de cavalos, porém poucos estudos têm investigado especificamente as condições envolvidas através da necropsia. O objetivo desse estudo foi descrever os aspectos epidemiológicos e patológicos de doenças não infecciosas do trato gastrointestinal de equinos. Foi conduzido um estudo retrospectivo em busca de casos dessas doenças envolvendo cavalos de 2005 a 2017. Durante esse período, 114 equinos morreram devido a doenças não infecciosas do trato gastrointestinal, e as principais causas foram: dilatação gástrica (27/114), vólvulos (27/114), enterolitíase (20/114), ruptura retal (colônica) (15/114), compactação gástrica ou cecocolônica (10/114), encarceramentos (6/114), intussuscepções (4/114), e outros (5/114). Animais sem raça definida (56/114) e machos (69/114) foram mais afetados. Os equinos apresentavam uma média e mediana de idade de 10 e 10,9 anos, respectivamente. A dilatação gástrica primária era caracterizada por distensão do estômago por moderada a grande quantidade de conteúdo, que em 21 casos provocava ruptura da parede gástrica na curvatura maior (peritonite), e o principal fator predisponente foi sobrecarga alimentar (17/27). Vólvulo intestinal ocorreu no intestino delgado e no intestino grosso (14 e 13 casos, respectivamente). Macroscopicamente, havia isquemia intestinal com serosa avermelhada a enegrecida e mucosa difusamente avermelhada. A enterolitíase causou obstrução parcial ou completa do cólon dorsal direito (9/20), cólon transverso (4/20), cólon menor e cólon dorsal direito (3/20), cólon menor (2/20), e reto e cólon maior direito (2/20). Perfuração de vísceras e peritonite foram observadas em 11 casos. A ruptura retal (colônica) envolveu o reto (10/15), reto/cólon menor (4/15) e cólon menor (1/15). Essa era caracterizada por ruptura transmural focalmente extensa, com bordos avermelhados e peritonite retroperitoneal a difusa. Traumas relacionados à palpação (11/15) foram a principal causa. Compactações afetaram o cólon maior (7/10), ceco (2/10) e estômago (1/10). Encarceramentos consistiram em hérnias inguinoescrotais (2/6), encarceramento de alças intestinais por falha no mesentério (2/6), hérnia diafragmática e eventração umbilical. Macroscopicamente, os órgãos estavam constritos por um anel hernial, com isquemia intestinal e serosa avermelhada a vermelho-escura. Fatores predisponentes incluíram cirurgias prévias (2/6) e anel inguinal patente (1/6). Intussuscepções envolveram o intestino delgado (3/4) e íleoceco (1/4). A apresentação característica foi em potros com falta de colostro e concomitante pneumonia. Macroscopicamente, o intussuscepto deslizava em direção ao intussuscepiente, exibindo coloração vermelho-enegrecida difusa. Outras causas incluíram deslocamento de cólon maior (2/5), obstrução extrínseca e intrínseca do intestino delgado (2/5), e um caso de adenocarcinoma intestinal. Doenças não infecciosas são importantes causas de morte em equinos. Os aspectos epidemiológicos e macroscópicos das condições devem ser considerados para o que o diagnóstico final da causa da cólica seja obtido.


#4 - Pathological and immunohistochemical aspects of primary hepatobiliary neoplasms in cats

Abstract in English:

Primary hepatobiliary neoplasms (PHN) are uncommon in cats, and originate in hepatocytes, intra- and extrahepatic bile ducts, mesenchymal cells, and cells of neuroendocrine origin. The aim of this study was to determine the frequency of PHN in cats diagnosed in the metropolitan region of Porto Alegre (RS), Brazil, for a period of 17 years, determining their epidemiological, anatomopathological and immunohistochemical aspects. Necropsy reports of 2.090 cats were analyzed, 125 were diagnosed with primary hepatobiliary diseases, of which 15 were cases of PHN, representing 12% of the specific hepatobiliary conditions and 0.7% of the necropsies. All PHN were malignant, of which 93.3% had epithelial origin and 6.7% presented mesenchymal origin. Cholangiocarcinoma was the most commonly diagnosed neoplasm, followed by hepatocellular carcinoma and hemangiosarcoma. In general, cats with no defined breed were the most affected. Concerning sex, 60% were females and 40% males. Age ranged from five to 18 years, with a mean age of 10.5 years (median of ten years). Grossly, cholangiocarcinoma and hemangiosarcoma were multinodular and hepatocellular carcinoma was massive. Microscopically, cholangiocarcinomas were arranged in acini and ducts, whereas hepatocellular carcinomas were arranged in solid sheets or trabeculae. On immunohistochemistry, cholangiocarcinomas, hepatocellular carcinomas, and hemangiosarcomas were positive for the antibodies CK 7, Hep Par-1, and vimentin and von Willebrand factor, respectively.

Abstract in Portuguese:

Neoplasias hepatobiliares primárias (NHP) são incomuns em gatos e se originam de hepatócitos, células dos ductos biliares intra e extra-hepáticos, células mesenquimais e ainda células de origem neuroendócrina. O objetivo do trabalho foi determinar a frequência das NHP em gatos diagnosticados na Região Metropolitana de Porto Alegre, no período de 17 anos, abordando seus aspectos epidemiológicos, anatomopatológicos e imuno-histoquímicos (IHQ). Foram analisados os laudos de necropsia de 2.090 gatos sendo que 125 foram diagnosticados com doenças hepatobiliares primárias, destes 15 foram casos de NHP, representando 12% das condições hepatobiliares específicas e 0,7% do total de necropsias. Todos os diagnósticos de NHP eram malignos, destes 93,3% apresentaram origem epitelial e 6,7% mesenquimal. Colangiocarcinoma foi a neoplasia mais diagnosticada, seguido do carcinoma hepatocelular e hemangiossarcoma. De uma maneira geral, os gatos sem raça definida foram os mais acometidos. Em relação ao sexo 60% eram fêmeas e 40% machos. A idade variou de cinco a 18 anos, com a idade média de 10,5 anos (mediana de 10 anos). Macroscopicamente o colangiocarcinoma e hemangiossarcoma eram multinodulares, e o carcinoma hepatocelular, maciço. À histologia, houve predomínio do arranjo acinar e ductal nos colangiocarcinomas e sólido, no carcinoma hepatocelular. Na IHQ os colangiocarcinomas foram reativos para CK 7, carcinoma hepatocelular para Hep Par-1 e hemangiossarcoma para vimentina e fator de von Willebrand.


#5 - Primary nonlymphoid gastrointestinal neoplasms in dogs in Rio Grande do Sul

Abstract in English:

Gastrointestinal neoplasms (GIN) are uncommon in dogs, but they mainly show malignant behavior and poor prognosis. The types of GIN in dogs and their frequency, as well as their epidemiological and histopathological characteristics were analyzed through a retrospective study of biopsies from 24.711 dogs from 2005 to 2017. Additionally, histological sections of neoplasms were subjected to immunohistochemistry (IHC) using antibodies against pancytokeratin, vimentin, smooth muscle actin, c-Kit, S-100, CD31, CD79αcy, and neuron‑specific enolase. Of the total samples from dogs analyzed, 88 corresponded to GIN. Neoplasms occurred more frequently in purebred dogs (64.8%, 57/88), males (53.4%, 47/88), with a median age of 10 years. The intestine was affected by 84.1% (74/88) of the cases. Of these, the large intestine was the most affected (67.6%, 50/74). Most of the neoplasms had malignant behavior (88.6%, 78/88). Regarding the classification of neoplasms, 46.6% (41/88) of the diagnoses corresponded to epithelial, 46.6% (41/88) were mesenchymal, 5.7% (5/88) were hematopoietic, and 1.1% (1/88) was neuroendocrine. The most frequently diagnosed neoplasms were papillary adenocarcinoma (19.3%, 17/88), leiomyosarcoma (17.0%, 15/88), gastrointestinal stromal tumors (GISTs) (12.5%, 11/88), and leiomyoma (5.0%, 8/88). Adenocarcinomas were located mainly in the rectum, whereas leiomyosarcomas and GISTs developed mainly in the cecum. Epithelial neoplasms showed a greater potential for lymphatic invasion whereas mesenchymal neoplasms appeared to be more expansive with intratumoral necrosis and hemorrhage. Immunohistochemistry was found to be an important diagnostic technique for the identification of infiltrating cells in carcinomas and an indispensable technique for the definitive diagnosis of sarcomas.

Abstract in Portuguese:

Neoplasmas gastrointestinais (NGI) são pouco comuns em cães, mas possuem principalmente comportamento maligno e prognóstico reservado. Os tipos de NGI em cães e sua frequência, bem como características epidemiológicas e histopatológicas foram analisados por meio de um estudo retrospectivo dos exames de biópsias de 24.711 cães entre os anos de 2005 a 2017. Adicionalmente, cortes histológicos de NGI foram submetidos à técnica de imuno-histoquímica (IHQ), utilizando os anticorpos anti-pancitoqueratina, vimentina, actina de músculo liso, c-Kit, S-100, CD31, CD79αcy e enolase neurônio específica. Do total de cães analisados, 88 corresponderam a NGI não linfoides. Os neoplasmas ocorreram com maior frequência em cães de raça pura (64,8%, 57/88), machos (53,4%, 47/88), com mediana de idade de 10 anos. O intestino foi acometido em 84,1% dos casos (74/88). Destes, o intestino grosso foi o segmento mais afetado (67,6%, 50/74). A maior parte dos neoplasmas tinha comportamento maligno (88,6%, 78/88). Quanto à classificação, 46,6% (41/88) dos diagnósticos corresponderam a neoplasmas epiteliais, 46,6% (41/88) mesenquimais, 5,7% (5/88) hematopoiéticos e 1,1% (1/88), neuroendócrino. Os neoplasmas mais frequentemente diagnosticados foram adenocarcinoma papilar (19,3%, 17/88), leiomiossarcoma (17,0%, 15/88), tumor estromal gastrointestinal (GIST) (12,5%, 11/88) e leiomioma (12,5%, 8/88). Adenocarcinomas localizavam-se principalmente no reto, enquanto leiomiossarcoma e GISTs desenvolveram-se principalmente no ceco. Os neoplasmas epiteliais demonstraram um potencial maior de invasão linfática enquanto que os mesenquimais aparentaram ser mais expansivos, com necrose e hemorragia intratumorais. A imuno-histoquímica mostrou ser uma técnica diagnóstica importante para a identificação de células neoplásicas infiltravas no caso dos carcinomas e uma técnica indispensável para o diagnóstico definitivo de sarcomas.


#6 - V Encontro Internacional de Saúde Animal e Prevenção

Abstract in English:

Os produtos de origem animal se constituem em importantes componentes das exportações brasileiras, sendo a qualidade sanitária um fator essencial para a sua aceitação no mercado internacional. Enfermidades como a febre aftosa, a encefalopatia espongiforme bovina, a peste suína clássica e a enfermidade de Newcasttle são problemas de saúde animal que significam riscos potenciais para os países produtores de carne e derivados, que, além de implicações sanitárias, também possuem importância política, econômica e social. Enfermidades frequentes ou emergentes podem constituir entrave à produção, perda de mercado, repercussão em saúde pública e prejuízos econômicos. Diante disso, as ações de profilaxia e o controle das doenças requerem profissionais capacitados nas ações diretas do diagnóstico clínico, epidemiológico e laboratorial. As diversas técnicas e métodos de diagnóstico têm evoluído constantemente ao longo dos últimos anos. Os laboratórios de universidades, centros de pesquisa e de referência têm direcionado estudos e ações no sentido de obter maior eficácia e confiabilidade nos resultados fornecidos. Os médicos veterinários atuantes em campo formam o elo fundamental na garantia de qualidade dos exames executados pelos laboratórios, por proverem o material biológico utilizado nos ensaios. Face às novas tecnologias, ou mesmo aos métodos de diagnóstico tradicionais, estes profissionais necessitam de constante atualização em relação aos procedimentos de investigação clínica, bem como do envio adequado de amostras, solicitação de exames e a interpretação dos resultados. Neste contexto, este evento permitirá a articulação de importantes centros de pesquisa nacionais e do exterior, reunindo, em Mato Grosso, pesquisadores de destaque para intercâmbio de conhecimentos e discutir conceitos sobre úde animal e prevenção de doenças.

Abstract in Portuguese:

Os produtos de origem animal se constituem em importantes componentes das exportações brasileiras, sendo a qualidade sanitária um fator essencial para a sua aceitação no mercado internacional. Enfermidades como a febre aftosa, a encefalopatia espongiforme bovina, a peste suína clássica e a enfermidade de Newcasttle são problemas de saúde animal que significam riscos potenciais para os países produtores de carne e derivados, que, além de implicações sanitárias, também possuem importância política, econômica e social. Enfermidades frequentes ou emergentes podem constituir entrave à produção, perda de mercado, repercussão em saúde pública e prejuízos econômicos. Diante disso, as ações de profilaxia e o controle das doenças requerem profissionais capacitados nas ações diretas do diagnóstico clínico, epidemiológico e laboratorial. As diversas técnicas e métodos de diagnóstico têm evoluído constantemente ao longo dos últimos anos. Os laboratórios de universidades, centros de pesquisa e de referência têm direcionado estudos e ações no sentido de obter maior eficácia e confiabilidade nos resultados fornecidos. Os médicos veterinários atuantes em campo formam o elo fundamental na garantia de qualidade dos exames executados pelos laboratórios, por proverem o material biológico utilizado nos ensaios. Face às novas tecnologias, ou mesmo aos métodos de diagnóstico tradicionais, estes profissionais necessitam de constante atualização em relação aos procedimentos de investigação clínica, bem como do envio adequado de amostras, solicitação de exames e a interpretação dos resultados. Neste contexto, este evento permitirá a articulação de importantes centros de pesquisa nacionais e do exterior, reunindo, em Mato Grosso, pesquisadores de destaque para intercâmbio de conhecimentos e discutir conceitos sobre saúde animal e prevenção de doenças.


#7 - Outbreak of enzootic ataxia in goats and sheep in the state of Bahia

Abstract in English:

The objective of this study was to describe for the first time the clinical-epidemiological, laboratory and pathological aspects of different forms of enzootic ataxia in goats and lambs in the state of Bahia, as well as to propose an emergency oral treatment with copper sulfate in an individualized way for neonates. Three outbreaks of enzootic ataxia were studied. The history, clinical signs and epidemiological data were obtained from the owners and checked during the visits. The first outbreak (FO) occurred in 2013 in a property located in the municipality of Itaberaba and affected a herd composed of 90 goats and 130 sheep. The second outbreak (SO) occurred in 2014 in the municipality of Santa Luz and affected a herd of 90 goats and 110 sheep. The third outbreak (TO) occurred in 2018, in a property located in the same municipality of the SO, being the herd constituted by 80 sheep. Samples of blood were collected from all goats and sheep treated for serum copper dosage. Nine animals (five goats and four sheep) that presented a more severe clinical picture and unfavorable prognosis were necropsied for diagnostic confirmation. During the necropsy of the FO, SO and TO animals, liver samples were collected for copper dosage as well as fragments of several organs for histopathology. At the site where the SO occurred, samples of soil and the main forages where the animals were kept were collected to determine copper, iron, molybdenum, sulfur and zinc contents. The clinical and histopathological findings in the three outbreaks studied were characteristic of enzootic ataxia. In the outbreaks studied, the frequency of enzootic ataxia was higher in goats (52) than in lambs (39). In the goats the mean values of serum copper (0.05mg/kg) and hepatic (2.48mg/kg) of the FO and SO were well below their respective reference values, 12 times lower than serum levels and eight times lower in relation to liver contents. On the other hand, TO sheep presented mean values of serum copper (0.015mg/kg) reduced by 40 times. The levels of iron and sulfur were high in the fodder of the property where the SO occurred, already in the soil, iron levels were high and copper levels were reduced. The treatment tested in neonates and lambs with two doses of copper sulphate solution orally at a dose of 20mg/kg for sheep and 35mg/kg for goats during the first and second week of life was effective in prevention of enzootic ataxia in neonates and can be used for emergency control of the disease. The occurrence of enzootic ataxia (congenital and late form) in goats and sheep was first reported in Bahia. It is also worth noting that this disease caused by copper deficiency has caused great damage to the breeders of small ruminants, mainly due to the high mortality of the animals affected.

Abstract in Portuguese:

Objetivou-se com esse estudo descrever pela primeira vez os aspectos clínico-epidemiológicos, laboratoriais e patológicos de diferentes formas de ataxia enzoótica em cabritos e borregos no estado da Bahia, bem como propor um tratamento oral emergencial com sulfato de cobre de forma individualizada para neonatos. Foram estudados três surtos de ataxia enzoótica. O histórico, sinais clínicos e dados epidemiológicos foram obtidos com os proprietários e verificados durantes as visitas técnicas. O primeiro surto (PS) ocorreu em 2013 em uma propriedade localizada no município de Itaberaba e acometeu um rebanho composto por 90 caprinos e 130 ovinos. O segundo surto (SS) aconteceu em 2014 no município de Santa Luz e afetou um rebanho formado por 90 caprinos e 110 ovinos. O terceiro surto (TS) ocorreu 2018, em uma propriedade localizada no mesmo município do SS, sendo o rebanho constituído por 80 ovinos. Amostras de sangue foram colhidas de todos os caprinos e ovinos atendidos, para dosagem de cobre sérico. Nove animais (cinco caprinos e quatro ovinos) que apresentavam quadro clínico mais grave e prognóstico desfavorável foram necropsiados para confirmação diagnóstica. Durante a necropsia dos animais do PS, SS e TS amostras de fígado foram coletadas para dosagem de cobre, bem como amostras de diversos órgãos para exame histopatológico. Na propriedade onde ocorreu o SS, foram coletadas amostras de solo e das principais forragens onde os animais eram mantidos, a fim de se determinar os teores de cobre, ferro, molibdênio, enxofre e zinco. Os achados clínicos e histopatológicos verificados nos três surtos estudados foram característicos de ataxia enzoótica. Nos surtos estudados, a frequência da ataxia enzoótica foi maior em cabritos (52) do que em cordeiros (39). Nos caprinos os valores médios de cobre sérico (0,05mg/kg) e hepático (2,48mg/kg) do PS e SS encontravam-se muito abaixo dos respectivos valores de referência, sendo 12 vezes menor em relação aos níveis séricos e oito vezes menor em relação aos teores hepáticos. Já os ovinos do TS apresentavam valores médios de cobre sérico (0,015mg/kg) reduzidos cerca de 40 vezes. Os teores de ferro e enxofre encontravam-se elevados nas forragens da propriedade onde ocorreu o SS, já no solo, os níveis de ferro apresentavam-se elevados e os de cobre reduzidos. O tratamento testado nos cabritos e borregos neonatos, com duas administrações individualizadas com solução de sulfato de cobre, por via oral, na dose de 20mg/kg para ovinos e 35mg/kg para caprinos, na primeira e segunda semana de vida, foi eficaz na prevenção da ataxia enzoótica nos neonatos e pode ser utilizado para controle emergencial da doença. Comprovou-se pela primeira vez na Bahia a ocorrência da ataxia enzoótica (forma congênita e tardia) em caprinos e ovinos. Ressalta-se ainda que, esta doença causada por deficiência de cobre, tem cursado com grandes prejuízos aos criadores de pequenos ruminantes, sobretudo, devido à alta mortalidade dos animais acometidos.


#8 - Spontaneous poisoning by Talisia esculenta in cattle

Abstract in English:

Talisia esculenta, commonly known as pitombeira, is a tree which fruits are widely consumed by human beings in northeastern Brazil. The aim of this work is to describe the epidemiological, clinical and pathological aspects of two outbreaks of spontaneous poisoning by T. esculenta in cattle in the dry region of Pernambuco, northeastern Brazil. The cases occurred in the municipalities of São Bento do Una and Belo Jardim. From a total of 25 adult cattle, eight become sick after ingest T. esculenta leaves and fruits. Four cattle died until 72 hours after the first clinical signs; which consisted in ataxia, reluctance to walk, tottering, head tremors muscle spasms in the limbs, rigidity of the pelvic limbs with wide base stance position, ruminal atony and, when stressed, presented falls and remained in abnormal positions. Two cattle were necropsied; the only significant finding was the presence of partially digested leaves, barks and seeds of T. esculenta in ruminal contents. Microscopically no lesions were observed. There is no specific therapy for poisoning by T. esculenta leaves. Prophylaxis consists in preventing cattle from gaining access to pasture areas containing the plant.

Abstract in Portuguese:

Talisia esculenta, popularmente conhecida como pitombeira, é uma árvore cujos frutos são amplamente consumidos por seres humanos no nordeste do Brasil. O objetivo deste trabalho é descrever os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos de dois surtos de intoxicação espontânea por T. esculenta em bovinos no Agreste de Pernambuco, Nordeste do Brasil. Os casos ocorreram nos municípios de São Bento do Una e Belo Jardim De um total de 25 bovinos adultos, oito adoeceram após consumirem as folhas e frutos de T. esculenta. Quatro morreram em até 72 horas após a observação dos primeiros sinais clínicos; que consistiam em ataxia, relutância em caminhar, andar cambaleante, tremores de cabeça, espasmos musculares nos membros, rigidez dos membros pélvicos com posição de ampla base, atonia ruminal e, quando excitados, apresentavam quedas e permaneciam em posições anormais. Dois bovinos foram necropsiados e o único achado significante foi a presença de folhas, cascas e sementes parcialmente digeridas de T. esculenta no conteúdo ruminal. Microscopicamente não foram observadas lesões. Não existe terapia específica para a intoxicação pelas folhas de T. esculenta. A profilaxia consiste em evitar que bovinos tenham acesso às áreas de pastagem contendo a planta.


#9 - Clinical and pathological findings of Rhodococcus equi infection in foals

Abstract in English:

Infection by Rhodococcus equi is considered one of the major health concerns for foals worldwide. In order to better understand the disease’s clinical and pathological features, we studied twenty cases of natural infection by R. equi in foals. These cases are characterized according to their clinical and pathological findings and immunohistochemical aspects. Necropsy, histologic examination, bacterial culture, R. equi and Pneumocystis spp. immunohistochemistry were performed. The foals had a mean age of 60 days and presented respiratory signs (11/20), hyperthermia (10/20), articular swelling (6/20), prostration (4/20), locomotor impairment (3/20) and diarrhea (3/20), among others. The main lesions were of pyogranulomatous pneumonia, seen in 19 foals, accompanied or not by pyogranulomatous lymphadenitis (10/20) and pyogranulomatous and ulcerative enterocolitis (5/20). Pyogranulomatous osteomyelitis was seen in 3 foals, one of which did not have pulmonary involvement. There was lymphoplasmacytic (4/20), lymphoplasmacytic and neutrophilic (1/20) or pyogranulomatous arthritis (1/20), affecting multiple or singular joints. Immunohistochemistry revealed to be a valuable tool for the detection of R. equi, confirming the diagnosis in all cases. Furthermore, pulmonary immunostaining for Pneumocystis spp. demonstrates that a coinfection with R. equi and this fungal agent is a common event in foals, seen in 13 cases.

Abstract in Portuguese:

Infecção por Rhodococcus equi é considerado um dos maiores problemas sanitários para potros em todo o mundo. Para melhor compreender a apresentação clínica e patológica da enfermidade, foram avaliados vinte casos de infecção natural por R. equi em potros. Os casos são caracterizados de acordo com seus achados clínicos e patológicos e aspectos imuno-histoquímicos. Foram realizados exames de necropsia, histologia, bacteriologia e imuno-histoquímica para R. equi e Pneumocystis spp. Os potros tinham idade media de 60 dias e apresentaram sinais respiratórios (11/20), hipertermia (10/20), aumento de volume articular (6/20), prostração (4/20), distúrbios locomotores (3/20) e diarreia (3/20), entre outros. As lesões mais importantes eram pneumonia piogranulomatosa, vista em 19 potros, acompanhada ou não por linfadenite piogranulomatosa (10/20) e enterocolite ulcerativa (5/20). Osteomielite piogranulomatosa foi constatada em três potros, um dos quais não apresentava envolvimento pulmonar. Artrites afetando uma ou múltiplas articulações eram caracterizadas por infiltrado linfoplasmocítico (4/20), linfoplasmocítico e neutrofílico (1/20) e piogranulomatoso (1/20). A imuno‑histoquímica demonstrou ser uma ferramenta valiosa na detecção de R. equi, permitindo confirmar o diagnóstico em todos os casos avaliados. Além disso, a imuno-histoquímica para Pneumocystis spp. demonstra que a coinfecção por R. equi e o agente fúngico é um evento frequente em potros, constatado em 13 casos.


#10 - Dystrophic mineralization in uremic dogs: an update

Abstract in English:

Pathological mineralization is the abnormal deposition of minerals in body tissues, previously injured or not. In these lesions, in addition to calcium, other minerals can be found at lower concentrations. Classically, mineralization is divided into two types: dystrophic and metastatic. However, currently, there is no consensus among researchers on the type of mineralization that occurs in uremic dogs. The objective of this study was to elucidate the type of pathological mineralization that occurs in dogs with uremic syndrome through the correlation of biochemical examinations with gross and histopathological changes, given the existence of controversial information on this theme in the specialized literature. The Shapiro‑Wilk, D’Agostino and Pearson tests were used to evaluate data normality distribution, and analysis of variance (ANOVA) was applied to compare the data between more than two groups. Additionally, the Dunnett’s multiple comparison test was used in the comparison between the Control Group (CG) and the Experimental Groups (G1, G2, and G3). Serum levels of urea, creatinine, total and ionized calcium, phosphorus, calcium-phosphorus product (CPP), parathyroid hormone (PTH), and albumin of 40 azotemic dogs with chronic kidney disease (CKD) were evaluated. Dogs were categorized by degree of azotemia (mild, moderate, and severe). Ionized hypocalcemia was observed in 97.5% (39/40) of the dogs, and no animals presented ionized hypercalcemia. Hyperphosphatemia was frequent (62.5%), especially in dogs with severe azotemia. PTH concentration increased with progression of azotemia, and high PTH levels were verified in 100% of the dogs with severe azotemia. CPP >60mg2/dl2 was observed in 75% (30/40) of the dogs. Of the 29 dogs that died during the study period, 16 were necropsied. Soft tissue mineralization was observed in 93.7% (15/16) of these dogs at gross and histopathological evaluation (HE and Von Kossa), regardless of the degree of azotemia, in nine organs/tissues: kidneys (75%), lungs (50%), stomach (31.2%), heart (25%), larynx (25%), intercostal muscles (25%), aorta (6.2%), intestines (6.2%), and tongue (6.2%). In one animal, the serosa of all segments of the small intestine showed whitish, rough, irregular, multifocal plaques of varying sizes, confirmed by histopathology as dystrophic mineralization of the longitudinal outer muscular layer, which presented necrosis of coagulation and of the intestinal serosa. This intestinal lesion has not been described in dogs with uremic syndrome to date. In conclusion, the laboratory and histopathologic data previously described, especially regarding tissue and vascular mineralization, which occur in association with previous degenerative/necrotic lesions in the absence of hypercalcemia in dogs with CKD, assist with clarifying inconsistencies found in the existing literature. Therefore, conceptually, mineralization that occurs in uremic dogs should be considered dystrophic.

Abstract in Portuguese:

Mineralização patológica é a deposição anormal de minerais em tecidos previamente lesados ou não. Nessas lesões, além do cálcio, outros minerais podem ser encontrados em concentrações inferiores. Classicamente, as mineralizações são divididas em dois tipos: distrófica e metastática. Contudo, atualmente, ainda não há consenso entre os pesquisadores sobre o tipo de mineralização que ocorre em cães urêmicos. Objetivou-se com esse estudo elucidar o tipo de mineralização patológica que ocorre em cães com síndrome urêmica através da correlação de exames bioquímicos com alterações macroscópicas e histopatológicas, visto a existência de informações controversas na literatura especializada. Os dados obtidos foram submetidos ao teste de Shapiro-Wilk e teste de D’Agostino e Pearson para avaliação da normalidade da distribuição e para comparação de dados em mais de dois grupos foi utilizado o teste ANOVA. Adicionalmente, o teste de comparações múltiplas de Dunnett permitiu a comparação entre o grupo controle (GC) com os demais grupos (G1, G2 e G3). Foram avaliados os níveis séricos de ureia, creatinina, cálcio total e ionizado, fósforo, produto cálcio-fósforo (PCF), PTH e albumina de 40 cães azotêmicos com doença renal crônica (DRC). Os cães foram classificados quanto ao grau de azotemia (leve, moderada e severa). Verificou-se hipocalcemia ionizada em 97,5% (39/40) dos cães e, em nenhum animal houve hipercalcemia ionizada. Hiperfosfatemia foi frequente (62,5%), principalmente em cães com azotemia severa. A concentração do PTH aumentou conforme a progressão da azotemia, encontrando-se elevada em 100% dos cães com azotemia severa. Em 75% (30/40) dos cães o PCF foi superior a 60mg2/dl2. Durante o estudo, 29 cães morreram, sendo 16 desses necropsiados. Em 93,7% (15/16) desses cães observou-se mineralização de tecidos moles, durante a avaliação macroscópica e histopatológica (HE e Von Kossa), independentemente do grau de azotemia, em nove órgãos/tecidos: rins (75%), pulmões (50%), estômago (31,2%), coração (25%), laringe (25%), músculos intercostais (25%), aorta (6,2%), intestino (6,2%) e língua (6,2%). Adicionalmente, em um animal verificou-se na serosa de todos os segmentos do intestino delgado placas multifocais brancacentas, rugosas, irregulares de tamanhos variados, cuja histopatologia confirmou tratar-se de mineralização distrófica da camada longitudinal muscular externa que apresentava necrose de coagulação e da serosa intestinal. Essa lesão intestinal nunca havia sido descrita em cães com síndrome urêmica. Em suma, os dados laboratoriais e histopatológicos aqui descritos, sobretudo, no que se refere à mineralização tecidual e vascular, que ocorrem relacionadas a lesões degenerativo-necróticas prévias, na ausência de hipercalcemia, em cães com DRC, ajudam a esclarecer as incongruências existentes na literatura. Por conseguinte, conceitualmente, as mineralizações que ocorrem em cães urêmicos devem ser consideradas distróficas.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV