Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa estrógeno

#1 - Progesterone and estrogen receptor expression by canine cutaneous soft tissue sarcomas

Abstract in English:

Canine soft tissue sarcomas (STS) comprise a heterogeneous group of malignancies that share similar histopathological features, a low to moderate recurrence rate and low metastatic potential. In human medicine, the expression of estrogen receptors (ER) and progesterone receptors (PR) in sarcomas has been studied to search for prognostic factors and new treatment targets. Similar studies have yet to be conducted in veterinary medicine. The objective of this study was therefore to investigate by immunohistochemistry (IHC) the ER and PR expression in a series of 80 cutaneous and subcutaneous sarcomas in dogs with histopathological features of peripheral nerve sheath tumor (PNST) and perivascular wall tumor (PWT). All cases were positive for PR and negative for ER. Tumors of high malignancy grade (grade III) exhibited higher PR expression than low-grade tumors (grade I). Tumors with mitotic activity greater than 9 mitotic figures/10 high power fields also exhibited higher PR expression. In addition, there was a positive correlation between cell proliferation (Ki67) and PR expression. Therefore, it is possible that progesterone plays a greater role than estrogen in the pathogenesis of these tumors. Future studies should explore the potential for selective progesterone receptor modulators as therapeutic agents in canine STS, as well as evaluating PR expression as a predictor of prognosis.

Abstract in Portuguese:

Sarcomas de tecidos moles (STM) caninos compreendem um grupo heterogêneo de neoplasias malignas, que apresentam alterações histopatológicas similares, baixa a moderada taxa de recorrência e baixo potencial metastático. Em medicina humana, a expressão de receptor para estrógeno (RE) e receptor para progesterona (RP) nos sarcomas tem sido estudada, visando a busca por fatores prognósticos e novos alvos para tratamentos. Na medicina veterinária, ainda não foram realizados estudos similares. O objetivo deste trabalho foi investigar por imuno-histoquímica a expressão de RE e RP em uma série de 80 sarcomas cutâneos e subcutâneos de cães, com características histopatológicas de tumor de bainha de nervo periférico e tumor de parede perivascular. Todos os casos foram positivos para RP e negativos para RE. Tumores de alto grau de malignidade (grau III) exibiram maior expressão deste receptor que os tumores de baixo grau (grau I). Tumores com atividade mitótica maior que 9 figuras mitóticas/10 campos de grande aumento também exibiram maior expressão do RP. Em adição, houve correlação positiva entre o índice de proliferação celular (Ki67) e a expressão de RP. Assim, é possível que a progesterona desempenhe maior papel que o estrógeno na patogênese desses tumores. Futuros trabalhos poderão explorar o potencial dos moduladores seletivos de RP como agente terapêutico em STM caninos, bem como avaliar a expressão de RP como preditiva de prognóstico.


#2 - Association between decreased expression of estrogen receptor alpha, androgen receptor and phosphatase and tensin homolog immunoexpression in the canine prostate

Abstract in English:

Canine prostate gland is a hormonal dependent organ and its imbalance of estrogen and androgen receptor expressions are directly associated with the development of different diseases. Due to the lack of information regarding the behavior of the aforementioned receptors in canine prostate cancer (PC), this study aimed to identify estrogen receptor alpha (ERα), androgen receptor (AR), Ki67 and phosphatase and tensin homolog (PTEN) protein expressions in canine PC by immunohistochemistry. We found nuclear expression of ERα and AR in the epithelial cells of normal canine samples and a loss of protein expression in PC samples. Normal samples showed Ki67 expression in a few basal cells and the PC samples showed the highest mean of positive cells (253.1). Canine prostate cancer showed a high proliferative index, which was associated with independence of hormonal actuation. PTEN showed positive nuclear and cytoplasmic expression in normal canine samples and a loss in PC. Loss of ERα, AR and PTEN indicated that canine PC exhibits the same immunohistochemical phenotype as in human patients with PC resistant to hormonal therapy. Therefore, canine PC should be considered as a model to study human PC resistant to hormonal therapy.

Abstract in Portuguese:

A glândula prostática canina é um órgão dependente de hormônio, e o desequilíbrio na expressão dos receptores de estrógeno e andrógeno estão diretamente associados com o desenvolvimento de diferentes doenças. Devido à falta de informação sobre o comportamento desses receptores no câncer prostático canino (PC), este estudo tem por objetivo identificar a expressão proteica através da técnica de imuno‑histoquímica do receptor de estrógeno alfa (REα), receptor de andrógeno (RA), Ki67 e fosfatase e tensina homóloga (PTEN). Foi encontrado nas células epiteliais prostáticas normais caninas a expressão nuclear de REα e RA, e perda de expressão proteica nas amostras de PC. As amostras normais apresentaram expressão de Ki67 em poucas células basais e as amostras de PC apresentaram a maior média de células positivas (253,1). O câncer de próstata canino apresentou uma taxa alta de proliferação, o qual foi associado com a atuação independente de hormônio. As amostras de próstatas caninas normais revelaram marcação nuclear e citoplasmática da proteína PTEN e perda nas amostras de PC. A perda de REα, RA e PTEN indicam que as amostras de PC exibem o mesmo fenótipo imuno-histoquímico de pacientes humanos com câncer prostático resistente a terapia hormonal. Sendo assim, o PC canino deve ser considerado um modelo para estudos de câncer prostático humano resistente a terapia hormonal.


#3 - Influence of mammary neoplasm on the serum concentration of hormones and on the expression of estrogen and progesterone receptors in bitches

Abstract in English:

The aim of this study was to evaluate the serum concentrations of estradiol, progesterone, prolactin, the gene expression of estrogen α and β and progesterone receptors in bitches with mammary neoplasms. Sixty adult crossbred bitches distributed in two groups were used. Group I consisted of 30 bitches with mammary neoplasms and Group II consisted of 30 healthy bitches without neoplasia. For the tutors, interviews were made about the disease epidemiology. After preoperative examinations, bitches with mammary neoplasia were submitted to mastectomy; fragments of the neoplasms and regional lymph nodes were collected and processed for histopathological analysis. Blood samples were collected in tubes without anticoagulant and the serum was analyzed by electrochemiluminescence to measure estradiol, progesterone and prolactin. The gene expression of the hormonal receptors was performed by means of the Real-time PCR technique, thus fragments of mammary neoplasms were collected and the RNA was extracted to obtain cDNA. Expression of the mRNA for ERα, ERβ and PR was assessed from the amplification of these genes using specific primers. Higher serum levels of estradiol (mean 38.98±13.68pg/mL) were observed in bitches with malignant neoplasms when compared to the control bitches (p<0.05). Serum prolactin levels were higher (mean of 0.231±0.201ng/mL) in bitches that did not have mammary neoplasms when compared to Group I (p<0.05). No difference was observed for related to the progesterone levels between the groups (p>0.05). Both malignant and benign tumors expressed ERα, ERβ and RP with no statistical difference (p>0.05) and there were no difference related to the other prognostic factors investigated (clinical staging, presence of ulceration, vascularization and aging of neoplasms). Serum estradiol levels increased significantly with the clinical staging of the disease (p<0.05). There was a moderate negative correlation between serum levels of estradiol and prolactin. It was concluded that serum levels of estradiol and PRL were influenced by tumor malignancy and clinical staging of neoplasms. Hormonal receptors were expressed by neoplasms, regardless of tumor type and are not associated with other classical prognostic factors, such as ulceration, vascularization or clinical staging.

Abstract in Portuguese:

O objetivo desse estudo foi avaliar as concentrações séricas de estradiol, progesterona e prolactina, bem como a expressão gênica dos receptores de estrógeno α e β e de progesterona em cadelas com neoplasias mamárias. Foram utilizadas 60 cadelas adultas, sem raça definida que foram distribuídas em dois grupos. O Grupo I constituído por 30 cadelas portadoras de neoplasias mamárias e o Grupo II constituído por 30 cadelas saudáveis, não portadoras de neoplasia. Para os tutores, foram aplicados questionários sobre fatores epidemiológicos da doença. Após avaliação dos exames pré-operatórios, as cadelas com neoplasia mamária foram submetidas à mastectomia, coletaram-se fragmentos das neoplasias e linfonodos regionais, os quais foram processados para análise histopatológica. Para as dosagens hormonais de estradiol, progesterona e prolactina foram colhidas amostras de sangue em tubos sem anticoagulante e os soros foram submetidos à técnica de eletroquimioluminescência. A expressão gênica dos receptores hormonais foi realizada por meio da técnica de Real-time PCR e para isso foram coletados fragmentos das neoplasias mamárias e extraído o RNA para obtenção do cDNA. A expressão do mRNA para os REα, REβ e RP foi avaliada a partir da amplificação desses genes utilizando primers específicos. Verificaram-se maiores níveis séricos de estradiol (média de 38,98±13,68pg/mL) em cadelas portadoras de neoplasias mamárias malignas quando comparadas as cadelas do grupo controle (p<0,05). Já os níveis séricos de prolactina foram maiores (média de 0,231±0,201ng/mL) nas cadelas que não possuíam neoplasias mamárias quando comparadas ao Grupo I (p<0,05). Para os níveis de progesterona não foram observadas diferença entre os diferentes grupos (p>0,05). Tanto os tumores malignos como os benignos expressaram REα, REβ e RP, não havendo diferença (p>0,05) na expressão entre tumores malignos ou benignos ou relacionada aos outros fatores prognósticos investigados (estadiamento clínico, presença de ulceração, vascularização e tempo de evolução do processo). Os níveis séricos de estradiol aumentaram significativamente com o estadiamento clínico da doença (p<0,05). Verificou-se moderada correlação negativa entre os níveis séricos de estradiol e prolactina. Dessa forma, conclui-se que as dosagens séricas de estradiol e PRL foram influenciadas pela malignidade do tumor e pelo estadiamento clínico das neoplasias. Os receptores hormonais foram expressos pelas neoplasias, independentemente do tipo tumoral e não estão associados aos outros fatores prognóstico clássicos, como presença de ulceração, vascularização ou estadiamento clínico.


#4 - Estrogen and interferon &#947; influence on 2, 3 indoleamine-dioxygenase expression in culture of placenta and fetal cells from Wistar rats, 35(9):795-800

Abstract in English:

ABSTRACT.- Salvadori M.L.B., Bianchi P.K.F.C, Liphaus B.L., Souza E.Z., Silva R.S. & Kfoury Júnior J.R. 2015. [Estrogen and interferon &#947; influence on 2, 3 indoleamine-dioxygenase expression in culture of placenta and fetal cells from Wistar rats.] Influência do estrógeno e do interferon &#947; sobre a expressão da indoleamina-2,3-dioxigenase em cultura de células de placenta e embriões de ratas Wistar. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(9):795-800. Setor de Anatomia, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques Paiva 87, Butantã, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: jrobertok@usp.br The indoleamine 2,3-dioxygenase (IDO) is an enzyme responsible for catabolizing the tryptophan. Its presence in the placental uterine environment is related to immunological tolerance to the semi-allograft because it prevents proliferation of maternal immune cells, either by the lack of this amino acid or by the action of its catabolites, such as the quinolinic acid, which is particularly toxic for T lymphocytes. Little is known regarding the influence of hormones and cytokines on the expression of IDO in the maternal fetal interface. Therefore, the hypothesis that some hormones and interleukins present in uteroplacental region could have an effect on the expression of IDO on cultured cells was tested. Cells derived from the fetal maternal interface from Wistar rats were kept in culture and supplemented with estradiol and interferon-&#947;. Expression of the enzyme was assessed by flow cytometry at periods of 4, 24 and 48 hours and confirmation of the presence of protein by immunohistochemistry. The results showed an increasing of IDO expression after the addition of estrogen (9.03±0.81 to 11.25±0.25) and interferon-&#947; (9.03±0.81 to 20.43±0.60). The effect of interferon-&#947; was expected as reported in the literature, however, elevated IDO expression by estrogen represents new information on possible mechanisms involved in the enzyme activation. These findings could provide a better understanding of IDO contribution on maternal-fetal tolerance and may collaborate to future therapeutic modulation of this enzyme

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Salvadori M.L.B., Bianchi P.K.F.C, Liphaus B.L., Souza E.Z., Silva R.S. & Kfoury Júnior J.R. 2015. [Estrogen and interferon &#947; influence on 2, 3 indoleamine-dioxygenase expression in culture of placenta and fetal cells from Wistar rats.] Influência do estrógeno e do interferon &#947; sobre a expressão da indoleamina-2,3-dioxigenase em cultura de células de placenta e embriões de ratas Wistar. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(9):795-800. Setor de Anatomia, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques Paiva 87, Butantã, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: jrobertok@usp.br A indoleamina 2,3-dioxigenase (IDO) é uma enzima responsável por catabolizar o aminoácido triptofano. Sua presença no ambiente uterino placentário está relacionada à tolerância imunológica ao semi-aloenxerto, pois impede a proliferação de células imunológicas maternas, seja pela falta do aminoácido, ou pela ação de alguns catabólitos oriundos da quebra do triptofano, como o ácido quinolínico, que é tóxico principalmente para os linfócitos T. Pouco se conhece sob a influência de substâncias (hormônios e citocinas) presentes na interface materno fetal e a expressão dessa enzima. Por esta razão, formulou-se a hipótese de que hormônios e interleucinas presentes na região uteroplacentária poderiam exercer algum efeito na expressão da IDO. Células oriundas da interface materno fetal de ratas Wistar foram mantidas em cultivo, onde receberam suplementação com estradiol e interferon-&#947;. A expressão da enzima foi avaliada pela técnica de citometria de fluxo nos períodos de 4, 24 e 48 horas e confirmação da presença proteica por imuno-histoquímica. Os resultados mostraram um aumento na expressão de IDO após a adição de estrógeno (9,03±0,81/11,25±0,25) e interferon-&#947; (9,03±0,81/20,43±0,60). O efeito do interferon-&#947; já era esperado como relatado na literatura, contudo, a elevação da expressão da IDO pela adição do estrógeno constitui nova informação sobre possíveis mecanismos envolvidos na ativação da enzima. O melhor esclarecimento desses achados poderia contribuir para uma melhor compreensão da participação dessa enzima na tolerância materno-fetal e para uma futura modulação terapêutica da mesma.


#5 - Detection of illegal estrogen administration through immunohistochemical markers in the bovine prostate, 19(3/4):133-138

Abstract in English:

ABSTRACT.- Fernández P.E., Sanguinetti H.R., Portiansky E.L, Barbeito C.G. & Gimeno E.J. 1999. Detection of illegal estrogen administration through immunohistochemical markers in the bovine prostate. [Verificação da administração ilegal de estrógenos através de marcadores imunohistoquímicos na próstata de bovinos] Pesquisa Veterinaria Brasileira 19(3/4):133-138. Institute of Pathology &quot;Prof. Dr. Bernardo Epstein&quot;, School of Veterinary Sciences, National University of La Plata, P.O.Box 296, (1900) La Plata, Argentina. The immunodetection of diverse cell markers was evaluated in prostatic samples from bullocks, and bullocks showing epithelial hyperplasia-metaplasia, with oestrogen-induced changes, and in experimental samples from bullocks inoculated with dietylstilbestrol (DES). Antigen-retrieval procedures allowed the use of tissues that had been fixed in formalin for long periods. Three tissue markers were chosen for the study: cytokeratins 13 and 16, vimentin and desmin. Monoclonal antibody K8.12 (specific for cytokeratins 13 and 16) stained basal cells and hyperplastic-metaplastic epithelium; monoclonal antivimentin, and desmin, allowed the definition of fibromuscular changes.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Fernández P.E., Sanguinetti H.R., Portiansky E.L, Barbeito C.G. & Gimeno E.J. 1999. Detection of illegal estrogen administration through immunohistochemical markers in the bovine prostate. [Verificação da administração ilegal de estrógenos através de marcadores imunohistoquímicos na próstata de bovinos] Pesquisa Veterinaria Brasileira 19(3/4):133-138. Institute of Pathology &quot;Prof. Dr. Bernardo Epstein&quot;, School of Veterinary Sciences, National University of La Plata, P.O.Box 296, (1900) La Plata, Argentina. A imunodeteccão de marcadores celulares foi avaliada em amostras prostáticas de bovinos com hiperplasia ou hiperplasia-metaplasia epiteliais, induzidas por estrógenos administrados ilegalmente e em próstatas de bovinos inoculados com dietilstilbestrol (DES). A técnica de recuperação antigênica permitiu o uso de tecidos fixados em formalina, por longos períodos. Foram utilizados os anticorpos monoclonais K8.12, anti-vimentina e anti-desmina para determinação de células basais coradas/epitélio hiperplásico-metaplásico, células do estroma e células musculares, respectivamente. As alterações tissulares observadas nos casos de campo e nos experimentais foram semelhantes, através do que se concluiu que houve administração ilegal de estrógenos. O teste imunohistoquímico com esses marca-dores específicos foi útil ao exame histológico da próstata, uma vez que a análise das imagens permite maior e melhor quantificação das alterações observadas. Os testes bioquí-micos, entretanto, são necessários para uma avaliação mais precisa.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV