Resultado da pesquisa (3)

Termo utilizado na pesquisa testosterone

#1 - Testicular histological evaluation and serum testosterone concentrations of bulls after chemical castration with calcium chloride, 38(8):1554-1563

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pereira L.F., Dias F.G.G., Miguel M.P., Honsho C.S., Tavares D.C., Hellú J.A.A. & Souza F.F. 2018. Testicular histological evaluation and serum testosterone concentrations of bulls after chemical castration with calcium chloride. [Avaliação histológica e das concentrações séricas de testosterona de touros após a castração química com cloreto de cálcio.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1554-1563. Departamento de Reprodução Animal e Radiografia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rua Prof. Dr. Walter Maurício Correa s/n, Cx. Postal 560, Campus de Botucatu, Botucatu, SP 18618‑681, Brazil. E-mail: fabiana.f.souza@unesp.br Orchiectomized bulls have advantages in the meat quality and ease of handling. Chemical castration is an option for surgical castration and the sclerosing agents can be administered into the testicular or epididymis parenchyma. These agents have a lower incidence of complications than surgery, especially when associated with dimethylsulfoxide (DMSO), which has anti‑inflammatory action and increases the absorption of other drugs. Thus, this study aimed to evaluate the effect of a single intratesticular injection of calcium chloride solution associated with DMSO for the chemical sterilization of bulls. Twenty-four young adult bulls were utilized, distributed into 3 groups (G20, G30 and G40, n = 8/group), according to the calcium chloride concentration (20, 30 and 40%), in 10mL volume. Serum concentrations of testosterone, body weight, testicular volume and ecotexture, clinical signs and behavior and were evaluated for 45 days. Thus, the animals were orchiectomized and testicles were assessed histologically. There were no changes in body weight, decreased serum testosterone concentrations (except G30), signs of scrotal sensitivity or changes in behavior over the period. However, there was significant increase in testicular volume, especially on the 2nd and 3rd day after treatment, with values returning to the value initials at 15 days. Testicular adherence and firm consistency were observed during orchiectomy. Ultrasound examination revealed a loss of integrity of the median raphe, with cavity formation and an alteration of the testicular echotexture. In the histological evaluation, coagulation necrosis of seminiferous tubules and interstitial cells was observed, mainly in the medial portion in all groups. Some animals presented total absence of tubular formations in all the studied groups, being the effects of greater intensity in the G40. Additionally, pronounced edema was noted in all groups, especially in G40. Inflammatory infiltrate, fibroplasia and neovascularization were found to be predominantly discrete. Based on the conditions used in this study, we conclude that calcium chloride associated with DMSO can be used as a method of chemical sterilization in bovines.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pereira L.F., Dias F.G.G., Miguel M.P., Honsho C.S., Tavares D.C., Hellú J.A.A. & Souza F.F. 2018. Testicular histological evaluation and serum testosterone concentrations of bulls after chemical castration with calcium chloride. [Avaliação histológica e das concentrações séricas de testosterona de touros após a castração química com cloreto de cálcio.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1554-1563. Departamento de Reprodução Animal e Radiografia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Rua Prof. Dr. Walter Maurício Correa s/n, Cx. Postal 560, Campus de Botucatu, Botucatu, SP 18618‑681, Brazil. E-mail: fabiana.f.souza@unesp.br Bovinos orquiectomizados apresentam vantagens na qualidade da carne e facilidade no manejo. A quimioesterilização é uma opção à castração cirúrgica e os agentes esclerosantes podem ser administrados no parênquima testicular ou epidídimo. Estes produtos possuem menor incidência de complicações, comparados a cirurgia, especialmente quando associados ao dimetilsulfóxido (DMSO), que apresenta ação anti-inflamatória e aumenta a absorção de outros fármacos. Assim, este estudo teve como objetivo avaliar o efeito de uma única injeção intratesticular de solução de cloreto de cálcio associado com 0,5% de DMSO para a esterilização química de bovinos. Vinte e quatro touros adultos jovens foram utilizados, distribuídos em 3 grupos (G20, G30 e G40, n = 8/grupo) de acordo com a concentração de cloreto de cálcio (20, 30 e 40%), em um volume de 10mL. Foram avaliadas as concentrações séricas de testosterona, peso corporal, volume e ecotextura testicular, sinais clínicos e comportamento por 45 dias. A seguir, os animais foram submetidos à orquiectomia e os testículos avaliados histologicamente. Não foram observadas alterações do peso corporal, diminuição das concentrações de testosterona sérica (exceto no G30), sinais de sensibilidade escrotal ou alterações no comportamento no período avaliado. Porém, houve aumento significativo do volume testicular, especialmente nos 2º e 3º dia após o tratamento, com valores retornando aos iniciais aos 15 dias. Aderência e consistência firme dos testículos foram achados observados durante a orquiectomia. O exame ultrassonográfico revelou perda de integridade da rafe mediana, com formação de cavidades e alteração da ecotextura testicular. Na avaliação histológica, verificou-se necrose de coagulação de túbulos seminíferos e células intersticiais acentuada, principalmente, na porção medial em todos os grupos, sendo que em alguns animais havia ausência total das formações tubulares em todos os grupos estudados, sendo os efeitos de maior intensidade no G40. Além disso, edema foi acentuado em todos os grupos, principalmente em G40. Infiltrado inflamatório, fibroplasia e neovascularização foram achados predominantemente discretos. Com base nas condições utilizadas neste estudo, conclui-se que o cloreto de cálcio associado com o DMSO pode ser utilizado como um método de esterilização química em bovinos.


#2 - Validation of a radioimmuno-assay for the quantification of fecal testosterone metabolites in the Syrian hamster (Mesocricetus auratus), 31(5):459-463

Abstract in English:

ABSTRACT.- Chelini M.O.M., Oliveira C.A. & Otta E. 2011. [Validation of a radioimmuno-assay for the quantification of fecal testosterone metabolites in the Syrian hamster (Mesocricetus auratus).] Validação de um radioimunoensaio para a quantificação de metabólitos fecais de testosterona no hamster Sírio (Mesocricetus auratus). Pesquisa Veterinária Brasileira 31(5):459-463. Departamento de Psicologia Experimental, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Mello Moraes 1721, São Paulo, SP 05508-030, Brazil. E-mail: marodile@usp.br Besides being models for a variety of human diseases, hamsters have been object of numerous behavioral studies about stress and agonistic behavior. Such studies usually involve hormone change monitoring. The aim of the present study was to confirm the suitability of a commercial kit for human serum testosterone analysis to quantify testosterone metabolites in the feces (MFT) of male and female Syrian hamsters. Ten males were submitted to a GnRH challenge test to stimulate testicular activity and increase circulating testosterone levels. Five females received a testosterone injection and five other females were given a saline injection. Fecal samples collected before and after the procedures, and fecal samples collected from 20 pregnant females through gestation were analyzed for MFT with a commercial radioimmunoassay. The detection of a MFT peak 12 h after GnRH administration followed by a decrease under baseline showed that, in males, changes in the levels of MFT are related to respective changes of testosterone concentrations in the blood. Again in males a circadian cycle of MFT similar to the circadian rhythm described in literature for blood concentrations was detected. The administration of exogenous testosterone caused in females a dramatic peak of MFT. However, the concentrations measured through gestation did not reflect the pattern of endogenous testosterone blood levels as described in the literature. Therefore, the use of a radioimmunoassay for human blood testosterone was validated in male Syrian hamster, but a more specific assay would be necessary for female hamsters.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Chelini M.O.M., Oliveira C.A. & Otta E. 2011. [Validation of a radioimmuno-assay for the quantification of fecal testosterone metabolites in the Syrian hamster (Mesocricetus auratus).] Validação de um radioimunoensaio para a quantificação de metabólitos fecais de testosterona no hamster Sírio (Mesocricetus auratus). Pesquisa Veterinária Brasileira 31(5):459-463. Departamento de Psicologia Experimental, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Mello Moraes 1721, São Paulo, SP 05508-030, Brazil. E-mail: marodile@usp.br Modelo para o estudo de diversas doenças humanas, o hamster tem sido objeto de numerosos estudos comportamentais e envolvendo estresse e/ou comportamento agonístico que supõem, muitas vezes, o monitoramento das flutuações hormonais nos indivíduos envolvidos. O objetivo do presente trabalho foi confirmar a adequação de um conjunto comercial para dosagem de testosterona em sangue humano para a quantificação de metabólitos fecais de testosterona (MFT) em hamsters Sírios machos e fêmeas. Dez machos foram submetidos a um desafio com um agonista de GnRH para estimular a atividade testicular, elevando os níveis circulantes de testosterona. Cinco fêmeas receberam uma injeção de testosterona enquanto cinco outras receberam uma injeção de solução salina. Amostras de fezes coletadas antes e depois dos procedimentos, assim como amostras fecais de 20 fêmeas gestantes coletadas ao longo da gestação foram analisadas com um conjunto comercial para radioimunoensaio. Um pico de MFT 12h após a injeção seguido de uma queda abaixo do nível basal comprovou que, nos machos, as alterações nos níveis de MFT refletem as alterações da concentração de testosterona no sangue. Nestes observou-se um ciclo circadiano das concentrações de MFT com acrofase no início do período claro correspondendo ao ciclo descrito para as concentrações sanguíneas na literatura. Nas fêmeas a administração de testosterona exógena provocou uma elevação importante dos níveis de MFT, mas as concentrações medidas ao longo da gestação não refletiram o padrão dos níveis sanguíneos do hormônio endógeno. O conjunto para radioimunoensaio para testosterona em sangue humano mostrou-se adequado para o monitoramento da função testicular no hamster macho, mas um ensaio mais específico seria necessário para as fêmeas.


#3 - Cortisol influence on testicular testosterone secretion in domestic cat: An in vitro study, 30(10):887-890

Abstract in English:

ABSTRACT.- Genaro G. & Franci C.R. 2010. Cortisol influence on testicular testosterone secretion in domestic cat: An in vitro study. [Ação do cortisol sobre a secreção de testosterona em testículos de gato doméstico: um estudo in vitro.] Pesquisa Veterinária Brasileira 30(10):887-890. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Cx. Postal 390, Ribeirão Preto, SP 14001-970, Brazil. E-mail: ggenaro@ffclrp.usp.br The aim of the present experiment was to investigate the effect of corticosteroids (exogen) on in vitro testosterone secretion after stress by transportation (40 minutes). Feline testes (Felis silvestris catus) were incubated in the following media: TCM 199; TCM 199 + hCG 10–7M; TCM 199 + hydrocortisone 10–7M, or TCM 199 + hCG + hydrocortisone. The animals (n=21) were allocated into three groups: (S) that arrived at 3 h prior to surgery, (A) that remained in the laboratory for 36 h before being submitted to surgical procedure, and (C) that were also allowed to remain for 36 hours in the laboratory before the surgical procedure, but whose testes had been incubated with hydrocortisone prior to incubation in the referred media. The results showed that group S secreted higher levels of testosterone, regardless of the culture media. It is noteworthy that the suppressing action of hydrocortisone sodium succinate led to a reduction in the testosterone concentration, despite the presence of hCG.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Genaro G. & Franci C.R. 2010. Cortisol influence on testicular testosterone secretion in domestic cat: An in vitro study. [Ação do cortisol sobre a secreção de testosterona em testículos de gato doméstico: um estudo in vitro.] Pesquisa Veterinária Brasileira 30(10):887-890. Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Cx. Postal 390, Ribeirão Preto, SP 14001-970, Brazil. E-mail: ggenaro@ffclrp.usp.br O objetivo deste trabalho foi investigar o efeito da hidrocortisona sobre a secreção de testosterona após cultivo in vitro dos testículos, em distintas situações de estresse (transporte) de gatos domésticos (Felis silvestris catus). Testículos foram incubados nos seguintes meios de cultura: TCM 199; TCM 199 + hCG 10–7M; TCM 199 + hydrocortisona 10–7M e TCM 199 + hCG + hidrocortisona. Os animais (n=21) foram alocados em 3 sub-grupos: (S) animal admitido 3 horas antes da orquiectomia, (A) animais orquiectomizados após 36 horas de permanência no biotério e (C) animais que permaneceram por 36 horas no biotério antes da cirurgia e que tiveram seus testículos pré-incubados em hidrocortisona. Os resultados demonstraram que o grupo S secretou maiores valores de testosterona em todas as condições estudadas. É válido mencionar que a supressão promovida pela hidrocortisona também promoveu redução na concentração de testosterona no meio TCM 199, a despeito da presença de hCG.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV