Resultado da pesquisa (17)

Termo utilizado na pesquisa cortisol

#1 - Response of vital functions, Apgar and cortisol in the prognosis of vigor against neonatal factors of lambs

Abstract in English:

The management of lambs during the neonatal period has been studied in several researches due to the vital and hormonal organic adaptations undergone by the calf after birth. However, gender, number of pups and type of delivery play an important role in understanding neonatal vigor. The study of these groups with the monitoring of clinical evolution and cortisol metabolism becomes an indispensable subsidy for a better understanding of this neonatal phase, aiming to minimize the losses generated. The objective of this study was to evaluate the influence of gender, number of pups and type of delivery in the prognosis of neonatal vigor of lambs through clinical and cortisol diagnosis. Thirty crossbred Santa Inês lambs with Dorper in the neonatal phase were divided into three groups: male and female, number of pups (single and twin) and type of delivery (eutocic and dystocic). In each group, clinical evaluation of heart and respiratory rate, rectal temperature, Apgar score and weight were performed; and with the exception of cortisol, all evaluations were performed at fifteen and sixty minutes, as well as at twelve and twenty-four hours. In addition, blood samples were collected for cortisol dosage obtained in two moments at fifteen and sixty minutes using the radioimmunoassay technique. Among the three experimental groups related to lamb vigor, the heart rate was the only one that showed lower mean values ​​(P<0.05) at twenty-four hours in the male group 90.00±20.20bpm, twins 96.44±20.02bpm and eutocic 93.25±18.11bpm. Differences in respiratory rate values ​​were observed in the eutocic group (64.00±14.75mpm) at twenty‑four hours. In the group of males there was a significant reduction in body temperature during the evaluation moments (P<0.05). Lambs from the group of twins showed lower body weight during the evaluations. At both times the analysis of serum cortisol was less than at sixty minutes. It was concluded that soon after the birth there were marked changes in the physiological parameters and weight of Santa Inês lambs, but were not enough to cause negative effects on the vigor of the neonates, indicating the occurrence of effective neonatal adaptation capacity in this species.

Abstract in Portuguese:

O manejo dos cordeiros durante o período neonatal tem sido objeto de estudo em diversas pesquisas devido às adaptações orgânicas vitais e hormonais sofridas pela cria após o parto. Todavia, o gênero, número de filhotes e o tipo de parto parecem desempenhar um papel importante para melhor compreensão do vigor neonatal. Além disso, o estudo destes grupos com o acompanhamento da evolução clínica e do metabolismo do cortisol torna-se um subsidio indispensável para melhor compreensão dessa fase neonatal, visando minimizar as perdas geradas. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a influência do gênero, número de filhotes e tipo de parto na apresentação do vigor neonatal dos cordeiros através do diagnostico clinico e de cortisol. Foram utilizados trinta cordeiros mestiços da raça Santa Inês com Dorper em fase neonatal divididos em três grupos: gênero (macho e fêmea), número de filhotes (único e gemelar) e tipo de parto (eutócico e distócico). Em cada grupo, foi realizada a avaliação clínica da frequência cardíaca e respiratória, temperatura retal, escore Apgar e peso; e com a exceção do cortisol, todas as avaliações foram realizadas aos quinze e sessenta minutos, como também às doze e vinte e quatro horas. Adicionalmente, procedeu-se com a coleta de amostras de sangue total para dosagem de cortisol obtida em dois momentos aos quinze e sessenta minutos através da técnica de radioimunoensaio. Dentre os três grupos experimentais relacionados com vigor dos cordeiros, a frequência cardíaca foi a única que evidenciou menores médias (P<0,05) às vinte e quatro horas no grupo dos machos 90,00±20,20bpm, gêmeos 96,44±20,02bpm e eutócicos 93,25±18,11bpm. Observou‑se no grupo eutócico diferenças nos valores da frequência respiratória de 64,00±14,75mpm às vinte e quatro horas. No grupo dos machos houve redução significativa na temperatura corpórea durante os momentos de avaliação (P<0,05). Cordeiros do grupo de gêmeos demonstraram menor peso corpóreo durante as avaliações. Em ambos momentos a análise do cortisol sérico demonstrou se menor aos sessenta minutos. Pôde se concluir que logo após o parto ocorreram alterações marcantes nos parâmetros fisiológicos e peso de cordeiros Santa Inês, porém não foram suficientes para causar efeitos negativos sobre o vigor dos neonatos, indicando a ocorrência de efetiva capacidade de adaptação neonatal nesta espécie.


#2 - Evaluation of serum concentrations of cortisol and thyroxine in bitches with early-stage mammary carcinoma, 38(10):1949-1954

Abstract in English:

ABSTRACT.- Salomão R.L., Crivellenti L.Z., Simões A.P.R., Brito M.B.S., Silva P.E.S., Costa P.B., Tinucci-Costa M., Santana A.E. & Borin-Crivellenti S. 2018. Evaluation of serum concentrations of cortisol and thyroxine in bitches with early-stage mammary carcinoma. [Concentrações séricas de cortisol e tiroxina em cadelas com carcinoma mamário em estádio inicial.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1949-1954. Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Avenida Pará 1720, bloco 2T, Umuarama, Uberlândia, MG 38400-902, Brazil. E-mail: sofiabcrivellenti@ufu.br In view of the fact that cancer is considered a chronic disease that can interfere with hormonal homeostasis by means of cytokines, we hypothesized that, even at early stages, mammary carcinoma is able to alter the balance of the hypothalamic-pituitary-thyroid and hypothalamic-pituitary-adrenal axes. To test this hypothesis, the serum concentrations of basal cortisol, thyroxine (T4), free thyroxine (fT4), and thyroid-stimulating hormone (TSH) were evaluated in 20 unspayed bitches that had a histopathological diagnosis of grade 1 mammary carcinoma at clinical stage I according to the World Health Organization (WHO) classification (T1N0M0). The control animals comprised 10 unspayed bitches in perfect health conditions that were matched with those with mammary carcinoma by age. No significant differences regarding the concentrations of basal cortisol, TSH, t4, and fT4 were found between the bitches carrying early stage mammary carcinoma when compared to the control group. This suggests that, even if malignant, early-stage mammary carcinomas do not exhibit the ability to alter the concentrations of hormones produced by the hypothalamic-pituitary-adrenal or hypothalamic-pituitary-thyroid axes.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Salomão R.L., Crivellenti L.Z., Simões A.P.R., Brito M.B.S., Silva P.E.S., Costa P.B., Tinucci-Costa M., Santana A.E. & Borin-Crivellenti S. 2018. Evaluation of serum concentrations of cortisol and thyroxine in bitches with early-stage mammary carcinoma. [Concentrações séricas de cortisol e tiroxina em cadelas com carcinoma mamário em estádio inicial.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1949-1954. Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Avenida Pará 1720, bloco 2T, Umuarama, Uberlândia, MG 38400-902, Brazil. E-mail: sofiabcrivellenti@ufu.br Em vista do fato de neoplasias serem consideradas doenças crônicas que por meio de citocinas podem interferir na homeostase hormonal, hipotetizou-se que o carcinoma mamário, mesmo nos seus estádios iniciais, fosse capaz de alterar o equilíbrio dos eixos hipotalâmico-hipofisário&#8209;tireóideo e hipotalâmico-hipofisário-adrenal. Para tal, foram avaliadas as concentrações séricas de cortisol basal, tiroxina (T4), tiroxina livre (fT4) e tireotrofina (TSH) de 20 fêmeas caninas, inteiras, com diagnóstico histopatológico de carcinoma mamário grau 1 e estadiamento clínico I segundo a classificação da Organização Mundial da Saúde - OMS (T1N0M0). Os animais controle constituíram-se por 10 fêmeas caninas inteiras, em perfeitas condições de higidez, as quais foram pareadas, por idade, com aquelas portadoras de carcinoma mamário. Não foram encontradas diferenças significativas nas concentrações de cortisol basal, TSH, T4 e fT4 das cadelas portadoras de carcinoma mamário em estádio inicial quando comparadas às controles sugerindo que, mesmo considerados malignos, ainda não apresentam a capacidade de alterar as concentrações dos hormônios produzidos pelos eixos hipotalâmico-hipofisário-adrenal e tireóideo.


#3 - Welfare in horses of the Jockey Club Paraná: clinic ethologic indicators and circadian rhythm of cortisol, 38(9):1720-1725

Abstract in English:

ABSTRACT.- Gontijo L.A., Cassou F., Duarte P.C., Lago L.A., Alves G.E.S., Melo M.M. & Faleiros R.R. 2018. [Welfare in horses of the Jockey Club Paraná: clinic ethologic indicators and circadian rhythm of cortisol.] Bem-estar em equinos do Jockey Club do Paraná: indicadores clínicos, etológicos e ritmo circadiano do cortisol. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1720-1725. Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Presidente Antônio Carlos 6627, Cx. Postal 567, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. E-mail: faleirosufmg@gmail.com The objective was to study indicative parameters of welfare in 30 race horses evaluated for temperament, behavior, clinical parameters (general condition, abrasions, body score, colic in the last year, heart and respiratory rates) and plasma cortisol levels (morning, afternoon and circadian rhythm). All animals presented good general physical condition, normal clinical parameters for the species and no colic episodes in the year preceding the study. However, 36.7% of animals had stereotypies. Despite the high incidence of altered circadian cortisol rhythmicity (CCR) within the group of animals with abnormal behavior (63.64%), there was no statistical difference (P>0.05) when compared with the incidence in the group animals without stereotyping (31.58%). Four animals with stereotypic behavior carried devices to restrict the expression of anomalies. All these four individuals had altered CCR, showing that restricting the stereotypic behavior of a horse increases 18 times the chances of altered CCR when compared to an individual with normal behavior. The horses of the Jockey Club of Paraná, despite having good physical condition compared to previous national studies, had behavioral and adrenocortical function consonant with chronic stress changes. The results also corroborate previous concepts of stereotyping as stress relieving in horses, and that the use of its physical restriction increases the chances of disturbances in cortisol metabolism.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Gontijo L.A., Cassou F., Duarte P.C., Lago L.A., Alves G.E.S., Melo M.M. & Faleiros R.R. 2018. [Welfare in horses of the Jockey Club Paraná: clinic ethologic indicators and circadian rhythm of cortisol.] Bem-estar em equinos do Jockey Club do Paraná: indicadores clínicos, etológicos e ritmo circadiano do cortisol. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1720-1725. Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Presidente Antônio Carlos 6627, Cx. Postal 567, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. E-mail: faleirosufmg@gmail.com Com o objetivo de estudar parâmetros indicativos de bem-estar, 30 equinos de corrida foram avaliados quanto ao temperamento, comportamento, parâmetros clínicos (condição geral, escoriações, escore corporal, cólicas no último ano, frequências cardíaca e respiratória) e níveis de cortisol plasmático (matutino, vespertino e ritmo circadiano). Todos os animais apresentaram boas condições físicas gerais, parâmetros clínicos normais para a espécie e não tiveram cólica no ano anterior ao estudo, demonstrando a preocupação dos tratadores com a saúde física dos animais. Contudo, 36,7% dos animais estudados apresentavam estereotipias. Apesar da alta incidência de indivíduos com ritmo circadiano do cortisol (RCC) alterado dentro do grupo de animais com comportamentos anormais (63,64%), não foi encontrada diferença estatística (P>0,05) quando comparado com a incidência do grupo de animais sem estereotipia (31,58%). Quatro animais com estereotipia portavam dispositivos para restringir a expressão de anomalias. Desses, todos apresentaram RCC alterado, permitindo demonstrar que equinos restringidos fisicamente de realizar sua estereotipia apresentam 18 vezes mais chances de ter alteração no RCC do que um animal de comportamento normal. Conclui-se que os equinos do Jockey Club do Paraná, apesar de apresentarem condições físicas satisfatórias comparados a estudos nacionais anteriores, possuíam alterações comportamentais e de função adrenocortical compatíveis com estresse crônico. Os achados também corroboram noções prévias de que a estereotipia é uma forma de tentar aliviar o estresse crônico em equinos, e que o uso de meios físicos para restringir sua manifestação aumenta a chance de distúrbios no metabolismo do cortisol.


#4 - Pain identification after orchiectomy in young bulls: development of the visual analogue scale compared with physiological parameters, behavioral patterns and facial expression, 38(3):436-443

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bertagnon H.G., Batista C.F., Bellinazzi J.B., Coneglian M.M., Mendes A.F. & Della Libera A.M.M.P. 2018. [Pain identification after orchiectomy in young bulls: development of the visual analogue scale compared with physiological parameters, behavioral patterns and facial expression.] Identificação de dor após orquiectomia em garrotes: desenvolvimento de escala análogo visual em comparação a parâmetros fisiológicos, padrões comportamentais e expressão facial. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):436-443. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Avenida Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: hbertagnon@unicentro.br The identification of pain in cattle and your relief, are essential for animal welfare, however there is still no ideal test for this evaluation. Some researchers have used serum cortisol, heart and respiratory rates for this assessment, while others use scales based on behavior or facial expressions. However, doesn’t exist but a scale that takes into account the union of these identifiers for cattle. Furthermore, most researchers manipulate the animals to identify pain, which could mask the result. In this way, this paper proposed design and validate a visual analog scale for pain identification in cattle undergoing orchiectomy. For this, 8 Holstein calves with 200 days old and 250kg live weight were submitted to orchiectomy with local anesthesia and analgesics. The identification of pain was based on physiological analysis (serum cortisol and respiratory rate), behavioral, and facial expression in the visual-analogue -30 (30 minutes before surgery) and 1, 3, 6, 12, 24, 72 and 420 hours after the procedure; and with the exception of cortisol, all analyzes were performed without the interference of the appraiser with the animal, by videos. It was noted that all the methods proposed were able to identify post orchiectomy pain in cattle, however the degree of pain were higher in different post-surgical times. There was poor correlation between the proposed models, because it was found limitations for most assessed methodologies. We concluded an association between various parameters of pain, as visual analogue scale, can increase the accuracy to identify pain orchiectomy in bulls.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bertagnon H.G., Batista C.F., Bellinazzi J.B., Coneglian M.M., Mendes A.F. & Della Libera A.M.M.P. 2018. [Pain identification after orchiectomy in young bulls: development of the visual analogue scale compared with physiological parameters, behavioral patterns and facial expression.] Identificação de dor após orquiectomia em garrotes: desenvolvimento de escala análogo visual em comparação a parâmetros fisiológicos, padrões comportamentais e expressão facial. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):436-443. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Avenida Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: hbertagnon@unicentro.br A identificação de dor em bovinos e seu alivio, são essenciais para o bem estar animal, todavia ainda não há um teste ideal para esta avaliação. Alguns pesquisadores têm utilizados cortisol sérico e frequências cardíaca e respiratória para esta avaliação, enquanto outros utilizam escalas baseadas em comportamento ou expressões faciais, não existindo uma escala que leve em consideração a união destes identificadores para bovinos. Além disso, a maioria dos pesquisadores manipulam os animais para identificar a dor, o que poderia mascarar os resultados. Desta maneira o presente trabalho propôs elaborar e validar uma escala análogo visual para identificação de dor em bovinos submetidos à orquiectomia. Para tanto 8 bovinos holandeses de 200 dias de vida e 250 kg de peso vivo foram submetidos a orquiectomia com previa anestesia local e uso de analgésicos. A identificação de dor foi baseada em analises fisiológica (cortisol sérico e frequência respiratória), comportamental, de expressão facial e análogo visual nos momentos -30 (30 minutos antes do procedimento) e 1, 3, 6 12, 24, 72 e 420 horas após o procedimento; e com a exceção do cortisol, todas as analises foram realizadas sem a interferência do avaliador com o animal, por meio de filmagens de vídeos. Notou-se que todas as metodologias propostas foram capazes de identificar dor pós orquiectomia em bovinos, no entanto a graduação de maior dor foi em momentos pós-cirúrgicos distintos conforme o parâmetro avaliado. Assim houve fraca correlação entre os modelos propostos, pois se encontrou limitações para a maioria das metodologias avaliadas, concluindo-se que a associação entre os vários parâmetros de dor, tal qual o utilizado na escala análogo visual, aumenta a acurácia em identificar a dor após orquiectomia em bovinos.


#5 - Evaluation of neonatal vitality and blood glucose, lactate and cortisol concentrations in foals of the Paint Horse breed, 37(8):891-896

Abstract in English:

ABSTRACT.- Cruz R.K.S., Alfonso A., Souza F.F., Oba E., Padovani C.R., Ramos P.R.R., Lourenço M.L.G. & Chiacchio S.B. 2017. Evaluation of neonatal vitality and blood glucose, lactate and cortisol concentrations in foals of the Paint Horse breed. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):891-896. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Unesp, Campus Botucatu, Distrito Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. Email: mege@fmvz.unesp.br Clinical evaluations of newborns, as well as defining the therapeutic decision, represent significant challenges to the veterinarian. This study aimed to evaluate neonatal vitality using the modified Apgar score and blood glucose, lactate, and cortisol concentrations in newborn equines. Twenty foals of the Paint Horse breed born by normal delivery were evaluated during the first 48 hours of life. The modified Apgar score was determined at birth and 10 minutes later, with values ranging from 0 to 10. Blood samples for the laboratory tests were collected at birth and at 4, 8, 12, 16, 20, 24, 36, and 48 hours. The mean Apgar score was significantly lower at birth than at 10 minutes (p < 0.001). Blood glucose concentrations increased significantly between birth (98.90 ± 35.97 mg/dL) and 8 hours (127.90 ± 27.15 mg/dL), stabilizing after the first 12 hours (148.95 ± 29.59 mg/dL). Serum lactate concentrations showed a significant decrease across the time points tested, with the highest value occurring at birth (5.48 ± 2.17 mmol/L) and stabilizing after 24 hours (2.76 ± 1.31 mmol/L). Cortisol concentrations significantly decreased (p < 0.01) between 4 (10.46 ± 7.46 µg/dL) and 48 hours (5.21 ± 3.35 µg/dL), with the highest value occurring 4 hours after birth. The common occurrence of laboratory abnormalities in healthy newborn foals reinforces the need to conduct regular clinical examinations and to develop laboratory reference values &#8203;&#8203;for different breeds and ages.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Cruz R.K.S., Alfonso A., Souza F.F., Oba E., Padovani C.R., Ramos P.R.R., Lourenço M.L.G. & Chiacchio S.B. 2017. Evaluation of neonatal vitality and blood glucose, lactate and cortisol concentrations in foals of the Paint Horse breed. [Avaliação dos padrões de vitalidade neonatal, glicemia, lactato e cortisol em potros da raça Paint Horse.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):891-896. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Unesp, Campus Botucatu, Distrito Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. Email: mege@fmvz.unesp.br A avaliação clínica dos recém-nascidos, bem como a definição da conduta terapêutica adotada representam expressivos desafios ao Médico Veterinário. O objetivo deste estudo foi avaliar a vitalidade neonatal pelo escore de Apgar modificado, glicemia, lactatemia e cortisol em neonatos equinos. Para tal, foram utilizados 20 potros da raça Paint Horse, nascidos em eutocia, durante as primeiras 48 horas de vida. O escore de Apgar modificado foi realizado ao nascimento e 10 minutos após, atribuindo-se notas de 0 a 10. As colheitas das amostras de sangue, para a realização das análises laboratoriais, ocorreram nos momentos ao nascimento, 4, 8, 12, 20 16, 20, 24, 36 e 48 horas de vida. A média do escore de Apgar ao nascimento foi significativamente menor que aos 10 minutos (p<0,001). A glicemia aumentou significativamente entre o nascimento (98,90 ± 35,97 mg/dL) e às 8 horas (127,90 ± 23 27,15 mg/dL), com estabilização após as primeiras 12 horas (148,95 ± 29,59 mg/dL). A concentração sérica de lactato apresentou decréscimo significativo entre os momentos estudados, sendo o maior valor encontrado ao nascimento (5,48 ± 2,17 mmol/L), com estabilização a partir das 24 horas (2,76 ± 1.31 mmol/L). As concentrações de cortisol, reduziram significativamente (p<0,01), entre as 4 (10,46 ± 7,46 µg/dL) e as 48 horas (5,21 ± 3,35 µg/dL), sendo o maior valor encontrado as 4 horas após o nascimento. A ocorrência comum de anormalidades laboratoriais em potros recém-nascidos, aparentemente saudáveis, reforça a necessidade da realização de exames clínicos regulares e o desenvolvimento de valores laboratoriais de referência, em diferentes raças e idades.


#6 - Infrared thermography of the ocular surface as stress indicator for piglets postweaning, 37(5):453-458

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pulido-Rodríguez L.F., Titto E.A.L., Henrique F.L., Longo A.L.S., Hooper H.B., Pereira T.L., Pereira A.M.F. & Titto C.G. 2017. [Infrared thermography of the ocular surface as stress indicator for piglets postweaning.] Termografia infravermelha da superfície ocular como indicador de estresse em suínos na fase de creche. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):453-458. Laboratório de Biometeorologia e Etologia, Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, Universidade de São Paulo, Av. Duque de Caxias Norte 225, Campus Fernando Costa, Pirassununga, SP 13635-900, Brazil. E-mail: crisgtitto@usp.br Weaning is a critical phase in pigs’ life due to maternal separation and the introduction of a new diet. Infrared thermography measurement taken in the ocular region appears to be a reliable indicator of the stress condition of the pig. The aim of this study was to evaluate the relationship between ocular surface temperature by infrared thermography and cortisol in piglets post weaning. Sixty-six piglets were evaluated once a week, during 7 weeks, in two periods of the day (7am and 15pm) and ocular surface temperature and dorsal surface temperature were collected using a thermographic camera and a laser surface thermometer, respectively. Saliva was also collected to determine salivary cortisol. Statistical analysis included fixed effects of week and period of the day and their interaction, and relationship between thermography, dorsal surface temperature and cortisol were done by Pearson’s correlations with 5% significance level. Salivary cortisol did not differ between periods, but it was higher in the first three weeks after weaning (P<0.05). During the first two weeks after weaning cortisol presented high and positive correlation (P<0.05) between ocular surface temperature (0.89) and dorsal surface temperature (0.80). The two superficial temperatures had a moderate and positive association (r=0.41; P<0.0001) during all experiment. This study highlights that the ocular surface temperature obtained through infrared thermography can be a superficial body temperature indicators, besides being a non-invasive and fast method of measurement. However, more research is needed to deepen the relationship between ocular surface temperature and cortisol during chronic stress.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pulido-Rodríguez L.F., Titto E.A.L., Henrique F.L., Longo A.L.S., Hooper H.B., Pereira T.L., Pereira A.M.F. & Titto C.G. 2017. [Infrared thermography of the ocular surface as stress indicator for piglets postweaning.] Termografia infravermelha da superfície ocular como indicador de estresse em suínos na fase de creche. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):453-458. Laboratório de Biometeorologia e Etologia, Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos, Universidade de São Paulo, Av. Duque de Caxias Norte 225, Campus Fernando Costa, Pirassununga, SP 13635-900, Brazil. E-mail: crisgtitto@usp.br Desmama é uma fase crítica na vida do suíno devido a separação materna e a introdução de uma dieta seca. A termografia infravermelha medida na região ocular se mostra como um indicador confiável para a condição de estresse pontual de suínos. O objetivo deste estudo foi determinar a relação entre medidas de termografia infravermelha da superfície ocular e de cortisol em situações de estresse em leitões na pós desmama. Foram avaliados 66 leitões, uma vez por semana, durante sete semanas, em dois períodos do dia (7h e 15h) com medidas de temperatura superficial ocular, temperatura superficial do dorso e amostras de saliva para determinação de cortisol salivar. A análise estatística contemplou os efeitos fixos de semana e período do dia e sua interação e correlações de Pearson para relação entre termografia ocular, temperatura superficial e cortisol a 5% de significância. Cortisol salivar não diferiu entre os períodos, mas foi superior nas três primeiras semanas após o desmame (P<0,05). Nas duas primeiras semanas após a desmama o cortisol apresentou correlação alta e positiva (P<0,05) com a temperatura ocular máxima (0,89) e a temperatura superficial do dorso (0,80). As duas temperaturas superficiais apresentaram uma associação moderada positiva (r=0,41; P<0,0001) durante todo o período experimental. Este estudo destaca que a temperatura de superfície ocular obtida por meio da termografia infravermelha pode ser um indicador de temperatura de superfície corporal e estado de bem-estar de leitões em fase de creche, além de ser um método não invasivo e de rápida mensuração. Entretanto, mais pesquisas são necessárias para aprofundar a relação entre temperatura ocular e cortisol durante estresse crônico.


#7 - Use of low-dose of synthetic ACTH in the adrenal stimulation test for diagnosis and monitoring of canine hyperadrenocorticism: evaluation of diagnostic efficacy, 37(3):241-247

Abstract in English:

ABSTRACT.- Martins R.C.B. & Jericó M.M. 2017. [Use of low-dose of synthetic ACTH in the adrenal stimulation test for diagnosis and monitoring of canine hyperadrenocorticism: evaluation of diagnostic efficacy.] Uso de baixa dose de ACTH sintético no teste de estimulação da função adrenal para o diagnóstico e controle do hiperadrenocorticismo canino: avaliação da eficácia diagnóstica. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):241-247. Curso de Medicina Veterinária, Universidade Anhembi Morumbi (UAM), Rua Doutor Almeida Lima 1134, Parque da Mooca, São Paulo, SP 03164-000, Brazil. E-mail: renatacast.vet@gmail.com ACTH stimulation is the gold standard test to monitor levels of endogen control of patients under treatment for canine hyperadrenocorticism and it may also be used to diagnose the disease. Current protocols use doses ranging from 5ug/kg to 250ug per animal by intravenous or intramuscular administration. There are no studies with doses inferior to 5ug/kg in adrenopatic patients. In the present investigation, the dose of 1ug/kg/IV was tested; compared with the recommended dose of d 5ug/kg/IV in groups of dogs under clinical suspicion of HAC (HAC Diag), animals under treatment for HAC (HAC Control) and healthy animals (Healthy). Under the dose of 1ug/kg/IV, average results for baseline cortisol values were equal to 2.40ug/dL(+/- 1.57ug/dL) for healthy, 1.53g/dL(+/-0.93ug/dL) for HAC Control and 3.37ug/dL(+/-1.57ug/dL) for HAC Diag. Post-ACTH values in the dose of 1ug/kg were average 11.43ug/dL(+/-2.46ug/dL) for healthy animals, 2.67ug/dL (+/-1.39ug/dL) for HAC Control and 16.56ug/dL(+/-7.62ug/dL) for HAC Diag group. Basal cortisol values at a dose of 5ug/kg were 0.89ug/dL (+/-0.23ug/dL) Control group for HAC; average 3.08ug/dL (+/-1.99ug/dL) for HAC Diag group. Baseline cortisol under the dose of 5ug/kg were average 3.71ug/dL(+/-1.57ug/dL) for HAC Control and 22.52g/dL(+/-8.75ug/dL) for HAC diag. Based on the present results, it was found that both doses of 1 and 5ug/kg of synthetic ACTH do not differ, providing the same kind of change in cortisol values (ANOVA, p=0.225). Also, the dose of 1ug/kg of ACTH was equally effective in raising levels of cortisol in the three groups tested (Healthy, HAC and HAC Control Diag; ANOVA, p<0.05). Through the Dunn test it was observed that HAC Control presented HAC-&#916; cortisol (delta = difference between cortisol after stimulation and basal cortisol) significantly lower than HAC Diag (p<0.05) and healthy animals (p<0.05). Therefore the dose of 1ug/kg of synthetic ACTH can be effectively used to perform the ACTH stimulation test effectively.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Martins R.C.B. & Jericó M.M. 2017. [Use of low-dose of synthetic ACTH in the adrenal stimulation test for diagnosis and monitoring of canine hyperadrenocorticism: evaluation of diagnostic efficacy.] Uso de baixa dose de ACTH sintético no teste de estimulação da função adrenal para o diagnóstico e controle do hiperadrenocorticismo canino: avaliação da eficácia diagnóstica. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):241-247. Curso de Medicina Veterinária, Universidade Anhembi Morumbi (UAM), Rua Doutor Almeida Lima 1134, Parque da Mooca, São Paulo, SP 03164-000, Brazil. E-mail: renatacast.vet@gmail.com O teste de estimulação com ACTH é o teste de escolha para realizar o controle dos valores de cortisol endógeno em pacientes sob tratamento para o hiperadrenocorticismo canino, podendo ser utilizado também para diagnosticar a doença. Os protocolos atuais utilizam doses que variam entre 5ug/kg a 250ug/animal por administração intravenosa ou intramuscular. Não se constatam estudos com doses menores que as de 5ug/kg em pacientes portadores de hiperadrenocorticismo. No presente estudo, foi testada a dose de 1ug/kg/IV; comparada à dose consagrada de 5ug/kg/IV, em grupos de animais suspeitos de HAC (HAC Diag), animais portadores de HAC e em tratamento (HAC Control) e animais sadios (Sadios). Na dose de 1ug/kg/IV, os valores basais de cortisol dos Sadios foram iguais à média 2,40ug/dL(+/-1,57ug/dL), dos HAC control foi de média 1,53ug/dL(+/-0,93,ug/dL) e dos HAC diag foi média 3,37ug/dL(+/-1,57ug/dL). Os valores pós-ACTH na dose de 1ug/kg foram de média 11,43ug/dL(+/-2,46ug/dL) para animais sadios, 2,67ug/dL(+/-1,39ug/dL) para o grupo HAC Control e média 16,56ug/dL(+/-7,62ug/dL) para o grupo HAC Diag. Os valores basais de cortisol na dose de 5ug/kg foram 0,89ug/dL(+/-0,23ug/dL) para o grupo HAC Control; média 3,08ug/dL(+/-1,99 ug/dL) para o grupo HAC Diag. Os valores pós-ACTH na dose de 5ug/kg foram de média 3,71ug/dL(+/-1,57ug/dL), para o grupo HAC control e média 22,52ug/dL (+/-8,75ug/dL) para o grupo HAC diag. Analisando-se os resultados obtidos, constatou-se que as doses 1 e 5ug/kg de ACTH sintético não diferem entre si, promovendo o mesmo tipo de variação nos valores de cortisol (ANOVA; p=0,225). Também, que a dose de 1ug/kg de ACTH foi igualmente eficaz na elevação dos níveis de cortisol nos três grupo testados (Sadios, HAC Control e HAC Diag; ANOVA, p<0,05). E, pelo teste de Dunn observamos que o grupo HAC control apresenta &#8710;-cortisol (delta =diferença entre cortisol após estimulo e o cortisol basal) significativamente menor que o dos grupos diagnóstico (p<0,05) e animais sadios (p<0,05). Concluiu-se que a dose de 1ug/kg de ACTH sintético pode ser utilizada com eficácia para a realização do teste de estimulação com ACTH.


#8 - Effect of a synthetic analogue of the feline facial pheromone on salivary cortisol levels in the domestic cat, 37(3):287-290

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva B.P.L., Knackfuss F.B., Labarthe N. & Mendes-de-Almeida F. 2017. Effect of a synthetic analogue of the feline facial pheromone on salivary cortisol levels in the domestic cat. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):287-290. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: flavyama@id.uff.br This study aimed to evaluate the ability of a saliva collection device (Salivette®) to measure cortisol levels in saliva samples of domestic cats and to assess the effect of a synthetic analogue of the feline facial pheromone fraction F3 (Feliway®) on cortisol levels. A total of 28 domestic cats from a private high-quality sanctuary were sampled before exposure to the facial pheromone and after 35 days of exposure. Two pheromone devices were placed in the area where the animals ate to guarantee the exposure of all cats. The collecting device yielded a sufficient volume of saliva (>0.20mL) to allow cortisol measurement. Cortisol measurements ranged from 0.02g/dL to 0.16µg/dL, with a difference between before (42.1%) and after (62.6%) exposure to the pheromone (F=3.2351; p&#8804;0.0002). No difference in cortisol levels was observed between before (x =0.078&#956;g/dL) and after (x =0.066&#956;g/dL) (t=1.79; p=0.08) exposure. However, salivary cortisol levels decreased in 75% (21/28) of the cats after exposure (x2=12.07; p=0.0005), suggesting that the animals have different susceptibilities to the pheromone or that they spent different lengths of time in the area where the pheromone devices were installed.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva B.P.L., Knackfuss F.B., Labarthe N. & Mendes-de-Almeida F. 2017. Effect of a synthetic analogue of the feline facial pheromone on salivary cortisol levels in the domestic cat. [Efeito do análogo sintético do feromônio facial felino sobre o nível de cortisol salivar de gatos domésticos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):287-290. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: flavyama@id.uff.br O presente estudo avaliou o uso de um dispositivo de coleta salivar (Salivette®) para mensurar o cortisol salivar de gatos domésticos e avaliar o efeito do análogo sintético do feromônio facial felino - fração F3 (Feliway®) sobre seus níveis de cortisol. Um total de 28 gatos domésticos mantidos em gatil particular tiveram amostras de saliva coletadas antes da exposição ao feromônio facial felino e após 35 dias de exposição. Dois difusores de feromônio foram instalados na área onde os animais se alimentavam, a fim de garantir que todos os gatos fossem expostos. Os dispositivos de coleta salivar permitiram a coleta de volume salivar suficiente (>0,20 mL) para a mensuração do cortisol. Os níveis de cortisol salivar variaram de 0,02g/dL a 0,16ug/dL, com coeficiente de variação de 42,1% antes e de 62,6% após à exposição ao feromônio (F=3.2351; p&#8804; 0.0002). Não foi verificada diferença entre os níveis de cortisol salivar nas amostras obtidas antes (x =0,078µg/dL) e após ( x =0,066&#956;g/dL) (t=1,79; p=0,08) à exposição. Entretanto, os níveis de cortisol salivar diminuíram em 75% (21/28) dos gatos expostos ao feromônio (x2=12,07; p=0,0005), sugerindo que os animais apresentam susceptibilidade diferente ao feromônio facial sintético ou que passaram períodos de tempo distintos na área onde os difusores foram instalados.


#9 - Fecal cortisol metabolites as indicators of stress in crab-eating-fox (Cerdocyoun thous) in captivity, 35(10):859-862

Abstract in English:

ABSTRACT.- Paz R.C.R., Souza N.P. & Brown J.L. 2015. Fecal cortisol metabolites as indicators of stress in crab-eating-fox (Cerdocyoun thous) in captivity. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(10):859-862. Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnica, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Fernando Correa da Costa, Boa Esperança, Cuiabá, MT 78060-900, Brazil. E-mail: reginacrpaz@gmail.com Blood samples collection is a common method in biological research using domestic animals. However, most blood sampling techniques are complicated and highly invasive and may therefore not be appropriate for wildlife animals in research concerning stress. Thus, a non-invasive method to measure steroid hormones is critically needed. The first goal of this study was to determine how glucocorticoids concentrations are impacted by translocation and reproductive activity in crab-eating-fox (Cerdocyoun thous) in captivity. The physiological relevance of fecal glucocorticoid metabolites was further validated by demonstrating: (1) The translocation of a male to a females enclosure resulted in a 3.5-fold increase compared to baseline concentrations, (2) changes in adrenocortical activity, as reflected in concentrations of fecal cortisol metabolites during reproduction, gestation and lactation in females foxes, indicating that social interactions resulted in large increases of fecal glucocorticoids metabolites during the reproductive season. From these findings we conclude that fecal samples can be used for the non-invasive assessment of adrenocortical status in crab-eating-fox.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Paz R.C.R., Souza N.P. & Brown J.L. 2015. Fecal cortisol metabolites as indicators of stress in crab-eating-fox (Cerdocyoun thous) in captivity. [Metabolitos fecais de cortisol como indicadores de estresse em cachorro-do-mato (Cerdocyoun thous) em cativeiro.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(10):859-862. Faculdade de Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnica, Universidade Federal de Mato Grosso, Av. Fernando Correa da Costa, Boa Esperança, Cuiabá, MT 78060-900, Brazil. E-mail: reginacrpaz@gmail.com Coleta de sangue é um método comumente utilizado na pesquisa com animais domésticos. Entretanto, a técnica de coleta de sangue torna-se complicada e altamente invasiva em animais selvagens devido ao estresse, tornando-a inapropriada para pesquisa. Dessa maneira, métodos não invasivos utilizados na mensuração de hormonios tornam-se necessários. O principal objetivo deste estudo foi determinar como as concentrações de glucocorticoides atuam durante a translocação e a atividade reprodutiva de cachorro-do-mato (Cerdocyoun thous) em cativeiro. A relevância fisiológica da análise de metabolitos fecais de glucocorticoides pôde ser validada pela demonstração de que: (1) A translocação de machos para o recinto de fêmeas resultou em um aumento de 3.5 vezes comparado a concentrações basais; (2) mudanças na atividade adrenocortical, como reflexo das concentrações de metabolitos de cortisol fecal durante a reprodução, gestação e lactação em femeas de cachorro-do-mato (Cerdocyoun thous), indicaram que interações sociais resultaram em aumento de glucocorticoides fecais durante a época reprodutiva. Com estas constatações podemos concluir que amostras fecais podem ser usadas para acesso não invasivo da atividade adrenocortical em cachorro-do-mato (Cerdocyoun thous).


#10 - Blood profile, serum biochemistry, C-reactive protein and cortisol in golden conures (Guaroba guarouba) in captivity, 33(3):394-398

Abstract in English:

ABSTRACT.- Carvalho C.C.D., Ramos J.A.C., Rameh-de-Albuquerque L.C., Silva M.A., Sousa E.L., Lustosa D.A.P.V. & Soares P.C. 2013. [Blood profile, serum biochemistry, C-reactive protein and cortisol in golden conures (Guaroba guarouba) in captivity.] Perfil hematológico, bioquímico, proteína C reativa e cortisol de ararajuba (Guaroba guarouba) mantidos em cativeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):394-398. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: cleytondantas@bol.com.br The aim of this study was to determine the hematological, serum biochemical, C-reactive protein and cortisol 14 clinically healthy golden conures (Guaroba guarouba) kept in captivity at the Zoo of Parque Estadual de Dois Irmãos Recife/PE, Brazil. Blood samples were collected from the jugular vein with an average of 0.8mL and divided into two parts, the first deposited in MiniCollect®EC and the other containing EDTA tube with gel separator for separating blood serum. Biochemical indicators and PCR was determined using the ARCHITECT analyzer c8000. Cortisol was analyzed on the Roche Cobas E411. To determine the number of erythrocytes and leukocytes the methodology of counting in a Neubauer chamber was used. Hematocrit was assessed by using the microhematocrit and hemoglobin for the method of cianometahemoglobulina. For the differential count the Shilling technique was used. The RBC indices (MCV, MCH and MCHC) were determined with values found in the erythrocytic series. The data were characterized by dispersion of frequencies, using the following measures of central tendency: mean, standard deviation, median and percentile 25 and 75 percentile. Parameters such as iron, triglycerides, CRP, and cortisol were identified and referenced in this pioneering species of bird. Data are presented as reference for Guaroba guarouba raised in captivity under similar conditions of management and healthiness and can still contribute to the work of ex situ conservation of this species.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Carvalho C.C.D., Ramos J.A.C., Rameh-de-Albuquerque L.C., Silva M.A., Sousa E.L., Lustosa D.A.P.V. & Soares P.C. 2013. [Blood profile, serum biochemistry, C-reactive protein and cortisol in golden conures (Guaroba guarouba) in captivity.] Perfil hematológico, bioquímico, proteína C reativa e cortisol de ararajuba (Guaroba guarouba) mantidos em cativeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):394-398. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: cleytondantas@bol.com.br Objetivou-se determinar os valores hematológicos, bioquímicos séricos, proteína C reativa e cortisol de 14 ararajubas (Guaroba guarouba) clinicamente saudáveis mantidas em cativeiro no zoológico do Parque Estadual de Dois Irmãos Recife/PE. Amostras de sangue foram obtidas da veia jugular com volume médio de 0,8ml, fracionando em duas porções, a primeira depositada em tubo MiniCollect®CE contendo EDTA e a outra tubo com gel separador, para a separação do soro sanguíneo. Os indicadores bioquímicos e PCR foram determinados através do analisador ARCHITECT c8000. O cortisol foi analisado no Cobas E411 da Roche. Para a determinação dos números de eritrócitos e leucócitos, foi utilizada a metodologia da contagem em câmara de Neubauer. O hematócrito foi avaliado pelo método do microhematócrito e a hemoglobina pelo método da cianometahemoglobulina. Para a contagem diferencial de leucócitos, foi utilizada a técnica de Shilling. Os índices hematimétricos (VCM, HCM E CHCM) foram determinados com os valores encontrados na série eritrocítica. Os dados foram caracterizados por dispersão de freqüências, utilizando-se as seguintes medidas de tendência central: Média, desvio-padrão, mediana e percentil de 25 e percentil 75. A determinação de alguns parâmetros como ferro, triglicerídeos, PCR e cortisol foram identificados como sendo pioneiramente referenciados nesta espécie de ave. Os dados são apresentados como sendo de referência para a ararajuba (Guaroba guarouba) criada em cativeiro em condições similares de manejo e higidez e ainda pode contribuir para os trabalhos de conservação ex situ desta espécie.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV