Resultado da pesquisa (20)

Termo utilizado na pesquisa bovinos.

#1 - Digestive diseases of cattle diagnosed at the “Clínica de Bovinos de Garanhuns”-UFRPE: retrospective study and influence of seasonality

Abstract in English:

Diseases of the bovine digestive system make up an important group of diseases, often being responsible for significant economic losses in the livestock sector. The current work aimed to carry out a retrospective study of the diseases of the digestive system in cattle diagnosed at the “Clínica de Bovinos de Garanhuns”, “Universidade Federal Rural de Pernambuco”, from January 1999 to December 2018. In this period, a total of 9,343 cattle were admitted to the CBG-UFRPE, of which 2,238 (24.0%) were diagnosed with diseases of the digestive system. In two decades, the total number of cattle admitted annually by the institution almost doubled as well as the number of cases of digestive diseases. The diseases categorized as mechanical/motor were the most prevalent (33.6%), followed by fermentative (28.4%), gastroenteritis (16.0%), esophageal diseases (9.7%), and diseases of the oral cavity (4.5%). Lesions of the rectum and anus, congenital alterations, and other digestive diseases showed relative frequencies below 4%. Traumatic reticulitis and its sequelae (14.5%) are the most prevalent disorders, followed by simple indigestion (10.1%), esophageal and intestinal obstructive disorders (9.0%), non-specific gastroenteritis (8.6%), displaced abomasum (RDA and LDA) (5.5%), and frothy bloat, ruminal lactic acidosis, and impaction of the forestomach and abomasum, which represented approximately 5% each. In general, these diseases presented a lethality rate of 46.0%, with emphasis on mechanical/motor diseases with a lethality rate of 73.8%. In general, diseases were more prevalent in females, crossbreeds, aged over 24 months, and raised in a semi-intensive system. Diseases of the digestive system increased over the years studied, representing a considerable portion of the diseases that affect cattle raised in this region, which makes up the main milk basin in the State of Pernambuco, confirming its economic and social impact in the region.

Abstract in Portuguese:

As enfermidades do sistema digestório dos bovinos compõem importante grupo de doenças frequentemente responsáveis por perdas econômicas significativas no setor pecuário. Este trabalho teve por objetivo realizar um estudo retrospectivo das enfermidades do sistema digestório dos bovinos diagnosticadas na Clínica de Bovinos de Garanhuns, Universidade Federal Rural de Pernambuco, no período de janeiro de 1999 a dezembro de 2018. Neste período foi atendido um total de 9.343 bovinos dos quais 2.238 (24,0%) foram diagnosticados com enfermidades do sistema digestório. Em duas décadas, o número total de bovinos atendidos anualmente pela instituição quase dobrou, assim como o número de casos de doenças digestivas. As enfermidades categorizadas como de natureza mecânica/motora foram as mais prevalentes (33,6%), seguidas das fermentativas (28,4%), das gastroenterites (16,0%), das enfermidades esofágicas (9,7%) e das enfermidades da cavidade oral (4,5%). As lesões do reto e ânus, as alterações congênitas e outras enfermidades digestórias apresentaram frequências relativas inferiores a 4%. As reticulites traumáticas e suas sequelas (14,5%) destacaram-se como as doenças mais prevalentes, seguidas das indigestões simples (10,1%), dos transtornos obstrutivos esofágicos e intestinais (9,0%), das gastroenterites inespecíficas (8,6%), dos deslocamentos de abomaso (DAD e DAE) (5,5%) e do timpanismo espumoso, acidose láctica ruminal e compactações dos pré-estômagos e abomaso, que representaram aproximadamente 5% cada. No geral estas enfermidades apresentaram taxa de letalidade de 46,0%, com destaque para as enfermidades de natureza mecânica/motora cuja letalidade foi de 73,8%. De maneira geral as enfermidades foram mais prevalentes em fêmeas mestiças, com idade superior a 24 meses, criadas em sistema semi-intensivo. As enfermidades do sistema digestório, crescentes ao longo dos anos estudados, representaram parcela considerável das doenças que acometem os bovinos criados na região que compõe a principal bacia leiteira do Estado de Pernambuco, ratificando seu impacto econômico e social para a região.


#2 - Microbiological and molecular detection of Mycoplasma bovis in milk samples from bovine clinical mastitis

Abstract in English:

The genus Mycoplasma includes more than 200 bacterial species that cause disease in animals. It is responsible for causing mastitis in bovines and may be related to other manifestations, such as arthritis and pneumonia in calves and heifers. The present study aimed to detect Mycoplasma bovis isolated from milk samples of bovine clinical mastitis, and to compare the isolation rates in two culture media: Hayflick and SP4. An initial screening was performed in order to detect the presence of the class Mollicutes in 1166 milk samples from clinical mastitis by the conventional Polymerase Chain Reaction (PCR) technique. According to the 1166 milk samples evaluated, 8.6% (100/1166) were positive to class Mollicutes. Regarding molecular analyses, 1.1% (13/1166) of conventional PCR for positive M. bovis was obtained and 0.9% (11/1166) in real-time PCR. The results of the microbiological culture of the 100 samples previously screened demonstrated that 6% (6/100) of colony growth have been developed when using the Hayflick medium, and 11% (11/100) when using the SP4 medium (including the positive on Hayflick medium). Concerning the 11 isolates obtained in the microbiological culture, conventional PCR confirmed M. bovis in nine of them, and two cultures were negative. In the phylogenetic analysis of the isolates, all of them were grouped in M. bovis and M. agalactiae clusters. The results confirmed the importance of the presence of M. bovis in the etiology of bovine clinical mastitis and reinforced the need for further studies to elucidate other Mycoplasma species that may be involved in bovine clinical mastitis in Brazil.

Abstract in Portuguese:

O gênero Mycoplasma inclui mais de 200 espécies que causam doenças nos animais. É responsável por quadros de mastite em bovinos, podendo também estar relacionado à outras manifestações como artrite e pneumonia em bezerros e novilhas. O presente estudo objetivou a detecção de Mycoplasma bovis isolados a partir de amostras de leite de mastite clínica bovina, bem como, a comparação da taxa de isolamento em dois meios de cultura: Hayflick e SP4. Para efeito de triagem amostral, foram avaliadas quanto à presença da classe Mollicutes 1166 amostras de leite de casos de mastite clínica pela técnica de PCR convencional. Das 1166 amostras de leite avaliadas, 8,6% (100/1166) foram positivas à classe. Nas análises moleculares, obteve-se 1,1% (13/1166) de positividade para Mycoplasma bovis na PCR convencional e 0,9% (11/1166) na PCR em tempo real. Os resultados do cultivo microbiológico das 100 amostras triadas previamente demonstraram 6% (6/100) de crescimento de colônias ao se utilizar o meio Hayflick e 11% (11/100) ao se utilizar o meio SP4 (incluindo as positivas ao primeiro). A partir dos 11 isolados obtidos no cultivo microbiológico, a PCR convencional confirmou Mycoplasma bovis em nove deles, e dois foram negativos para o agente. Na análise filogenética dos isolados, todos agruparam no cluster Mycoplasma bovis e Mycoplasma agalactiae. Frente aos resultados, ressalta-se a importância da presença de Mycoplasma bovis na etiologia da mastite clínica bovina e reforça a necessidade de estudos mais aprofundados para a elucidação de outras espécies de micoplasmas que possam estar envolvidas na mastite bovina.


#3 - Occurrence of brucellosis, leptospirosis and neosporosis in cows with retained placenta in Southwest Paraná, Brazil, 38(8):1537-1542

Abstract in English:

ABSTRACT.- Porto Y.F., Pinto Neto A., Bernardi F., Possa M.G., Mota M.F., Martinez A.C., Merlini L.S. & Berber R.C. 2018. Occurrence of brucellosis, leptospirosis and neosporosis in cows with retained placenta in Southwest Paraná, Brazil. [Ocorrência de brucelose, leptospirose e neosporose em vacas com retenção de placenta no Sudoeste do Paraná, Brasil] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1537-1542. Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Realeza, Av. Edmundo Gaievisky 1000, Realeza, PR 85770-000, Brazil. E-mail: adalgiza.uffs@gmail.com The aim of this study was to measure the occurrence of brucellosis, leptospirosis and neosporosis in cows from 25 family farms milk, with semi-intensive grazing system, located in the Southwest region of Paraná, Brazil. Eighty-four cows with retained placenta, between July 2013 to July 2014, diagnosed by the presence of fetal membranes in the uterus up to 12 hours after partum, decrease of appetite and of milk production, as well increase of rectal temperature were included into the study. The animals were submitted to blood collection for evaluating the seropositivity for brucellosis, leptospirosis and neosporosis. The blood was collected at 15 to 45 days postpartum, avoiding false negative results due to immune deficiency observed in the transition period. After collection, the blood was centrifuged, the serum was packed in three aliquots, identified and subsequently frozen. Serology was performed to diagnose brucellosis (technique of buffered acidified antigen), leptospirosis (through the microscopic agglutination test - MAT) and neosporosis (indirect immunofluorescence test). Animals were considered positive when presenting titer >1:100 (leptospirosis) and 1:200 (neosporosis). No animal with placenta retention presented Brucella abortus bacteria; 39% (33/84) were reactive to one or more Leptospira serovars, 15% (13/84) were positive to Neospora caninum, and 4% (4/84) had both diagnosis, being reactive for leptospirosis and neosporosis. In conclusion, data from this experiment inspires greater attention to leptospirosis and neosporosis in dairy cattle presenting placenta retention in southwest Paraná.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Porto Y.F., Pinto Neto A., Bernardi F., Possa M.G., Mota M.F., Martinez A.C., Merlini L.S. & Berber R.C. 2018. Occurrence of brucellosis, leptospirosis and neosporosis in cows with retained placenta in Southwest Paraná, Brazil. [Ocorrência de brucelose, leptospirose e neosporose em vacas com retenção de placenta no Sudoeste do Paraná, Brasil] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1537-1542. Curso de Medicina Veterinária, Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Realeza, Av. Edmundo Gaievisky 1000, Realeza, PR 85770-000, Brazil. E-mail: adalgiza.uffs@gmail.com Objetivou-se com esse estudo avaliar a ocorrência de brucelose, leptospirose e neosporose em fêmeas bovinas de 25 propriedades leiteiras de agricultura familiar, mantidas em sistema de pastejo semi-intensivo, localizadas na Região Sudoeste do Paraná, Brasil. Para tanto, incluiu-se nesse estudo, 84 vacas diagnosticadas com retenção de placenta (RP) pela presença parcial ou total dos anexos fetais no útero após 12 horas do parto, diminuição do apetite e da produção de leite, como também aumento da temperatura retal. Os animais foram submetidos à coleta de sangue 15 a 45 dias pós-parto, a fim de evitar resultado falso negativo devido à imunodeficiência observada no período de transição. Após coleta, o sangue foi centrifugado, o soro aliquotado em três amostras, identificado e congelado. Para o diagnóstico sorológico de Brucelose utilizou-se o exame sorológico do antígeno acidificado tamponado, de leptospirose a técnica de soroaglutinação microscópica, e neosporose pela técnica de imunofluorescência indireta. Os animais foram diagnosticados positivos quando apresentaram título igual ou superior à 1:100 (leptospirose) e 1:200 (neosporose). Em nenhum dos 84 animais com RP foi detectada a presença da bactéria Brucella abortus. Desses, 39,28% (33/84) foram reativos para um ou mais sorovares de Leptospira, 15,47% (13/84) foram positivos para Neospora caninum e 4,76% (4/84) foram reativos para sorovares de Leptospira sp. e N. caninum, concomitantemente. Em conclusão, os dados deste estudo inspiram maior atenção à leptospirose e neosporose em bovinos leiteiros que apresentam retenção de placenta no sudoeste do Paraná.


#4 - Clinical and pathological findings and control methods of the poisoning by Pteridium (aquilinum) arachnoideum in a farm of Rio Grande do Sul, Brazil, 38(8):1584-1596

Abstract in English:

ABSTRACT.- Boabaid F.M., Oliveira L.G.S., Dalto A.G.C., Bandarra P.M., Souza F.S., Sonne L. & Driemeier D. 2018. [Clinical and pathological findings and control methods of the poisoning by Pteridium (aquilinum) arachnoideum in a farm of Rio Grande do Sul, Brazil.] Achados clínico-patológicos e métodos de controle da intoxicação por Pteridium (aquilinum) arachnoideum em uma propriedade do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1584-1596. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br The infestation of pastures by populations of Pteridium arachnoideum has been a considerable and global problem to the livestock production, due to animal mortality and pasture coverage reduction. Given the impact of P. arachnoideum on cattle production, it has been proposed to monitor a beef cattle farm in Rio Grande do Sul, to assess some of the losses associated with the plant consumption and the methods employed for the plant control. A survey of cattle deaths associated with fern poisoning on the farm was carried out from January 2007 to January 2015. In addition, the viability of sheep as a biological control tool was tested. Attempts to control the plant through the use of the herbicides methylsulfuron‑methyl and picloram associated or not with previous mowing were monitored. Cases of natural poisoning observed in the farm included the acute form (22), known as hemorrhagic diathesis as well as the chronic form, consisting in digestive carcinomas (6). Five cases of hemorrhagic diathesis in young cattle went along with marked laryngeal edema, which was clinically manifested as dyspnea and roaring, in addition to the classic pathological changes of widespread hemorrhages and infarcts. Even though less frequent, upper digestive tract carcinomas caused significant losses, due to annual mortality of mature cows. In occasions, when cattle were moved to newly mowed infested areas, outbreaks of acute poisoning were observed. The attempted control by sheep introduction showed to be unpractical, due to the little consumption seen at a stocking rate of four sheep per hectare. However, sheep mortality due to P. arachnoideum consumption was not recorded. The plant control method applied at the farm is based on both, the mowing of densely populated areas and the use of herbicides, namely metylsulfuron-methyl and picloram, in all paddocks. The reduction of P. arachnoideum coverage showed to be varied in different paddocks, however allowed the recovery of some grazing areas. This practice needs further studies, as some areas have not had satisfactory pasture recovery, and its indiscriminate use could lead to environmental impacts and resistance of P. arachnoideum to herbicides.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Boabaid F.M., Oliveira L.G.S., Dalto A.G.C., Bandarra P.M., Souza F.S., Sonne L. & Driemeier D. 2018. [Clinical and pathological findings and control methods of the poisoning by Pteridium (aquilinum) arachnoideum in a farm of Rio Grande do Sul, Brazil.] Achados clínico-patológicos e métodos de controle da intoxicação por Pteridium (aquilinum) arachnoideum em uma propriedade do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1584-1596. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br A infestação de pastagens por Pteridium arachnoideum é um problema que afeta a pecuária em diversas partes do mundo, ocasionando perdas produtivas e mortalidades nos rebanhos, bem como a redução das áreas de pastagens. Devido aos prejuízos na bovinocultura, foi proposto o acompanhamento de uma propriedade no Rio Grande do Sul com perdas por Pteridium arachnoideum. Realizou-se um levantamento das mortes associadas à intoxicação por samambaia na propriedade durante o período de janeiro de 2007 a janeiro de 2015. Adicionalmente, testou-se a viabilidade de ovinos como ferramenta de controle biológico de samambaia e se acompanhou as tentativas de controle da planta através do uso dos herbicidas metilsulfuron-metil e picloram, os quais eram associados ou não à roçada prévia. Das mortes por intoxicação natural acompanhadas na propriedade, observou‑se 22 casos de quadro agudo de diátese hemorrágica e seis de quadro crônico de carcinomas do trato digestório superior. Em cinco bovinos jovens com diátese hemorrágica, além de hemorragias disseminadas e infartos, observou-se acentuado edema laríngeo, que cursava, clinicamente, com dispneia e estertores respiratórios característicos. Os carcinomas do trato digestório superior, apesar de menos frequentes, causaram perdas expressivas, devido à mortalidade anual de reprodutoras. Notou-se que a introdução de bovinos jovens em áreas recentemente roçadas pode resultar no consumo de grandes quantidades de samambaia e na ocorrência de surtos da enfermidade aguda. O controle das populações de samambaia pelo pastejo por ovinos não foi eficiente, devido ao baixo consumo observado com a lotação de quatro ovinos por hectare, embora mortalidade de ovinos por consumo da planta não tenha sido registrada. Após a retirada do potreiro infestado por samambaia, ao final do experimento, oito dos ovinos foram acompanhados, clinicamente, por três anos e não apresentaram nenhuma alteração. A utilização dos herbicidas resultou em uma redução da cobertura de P. arachnoideum. No entanto, essa prática necessita de estudos adicionais, já que algumas áreas não tiveram recuperação satisfatória da pastagem e o seu uso pode causar impactos ambientais e aquisição de resistência de P. arachnoideum aos herbicidas.


#5 - Histological and ultrastructural evolution of liver lesions in experimental Myoporum laetum poisoning of sheep and cattle, 23(4):149-155

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bonel-Raposoj., Driemeier D., Barros S.S. & Gevehr~Fernandes C. 2003. [Histological and ultrastructural evolution of liver lesions in experimental Myoporum laetum poisoning of sheep and cattle.] Evolução das lesões histológicas e ultra-estruturais no fígado de ovinos e bovinos experimentalmente intoxicados por Myoporum laetum. Pesquisa Veterinária Brasileira 23(4):149-155. Depto Patologia Animal, Faculdade de Veterinária, UFPel, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: bonel-raposo@brturbo.com Green leaves of Myoporum laetum were collected during spring and summer, and administered to five sheep and six steers at dosages of 20 and 30 g/kg. Liver biopsies were taken before (Controls) and 1, 3 and 7 days after dosage. ln sheep, the clinicai signs were depression, rumen hypomotility, dried feces, tenesmus, teeth grinding, dyspnea and typical lesions of photosensitization. ln cattle, the clinicai picture was much less pronounced. The main histological findings in sheep were vacuolization of hepatocytes, portal ftbrosis, bile duct proliferation and necrosis of periportal hepatocytes; the ultrastructural examination revealed hyperplasia of the smooth endoplasmic reticulum, hepatocellular hydropic degeneration, presence of crystals and severa! other degenerative changes. ln cattle both, the histological and the ultrastructural findings, were less evident.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bonel-Raposoj., Driemeier D., Barros S.S. & Gevehr~Fernandes C. 2003. [Histological and ultrastructural evolution of liver lesions in experimental Myoporum laetum poisoning of sheep and cattle.] Evolução das lesões histológicas e ultra-estruturais no fígado de ovinos e bovinos experimentalmente intoxicados por Myoporum laetum. Pesquisa Veterinária Brasileira 23(4):149-155. Depto Patologia Animal, Faculdade de Veterinária, UFPel, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: bonel-raposo@brturbo.com Amostras de Myoporum laetum foram colhidas durante a primavera e verão e administradas a cinco ovinos e seis bovinos em doses únicas de 20 e 30 g/kg. Biópsias hepáticas foram colhidas antes (controles) e 1, 3 e 7 dias após a dosagem da planta. Estas biópsias foram analisadas histológica e ultraestruturalmente. Os sinais clínicos, em ovinos, caracterizaramse, especialmente; pordepressão, diminuição dos movimentos ruminais, fezes ressequidas, tenesmo, ranger de dentes, dispnéia e lesões típicas de fotossensibilização. Em bovinos, o quadro clínico foi discreto. Os principais achados histológicos, em ovinos, incluíram vacuolização de hepatócitos, fibrose portal, proliferação de duetos biliares e necrose de hepatócitos periportais. Os estudos ultra-estruturais, em ovinos, revelaram hiperplasia do retículo endoplasmático liso, tumefação de hepatócitos, degranulação e vesiculação do retículo endoplasmático rugoso, presença de cristais aciculares, retenção biliar, tumefação de mitocôndrias e várias outras alterações degenerativas. Em bovinos, tanto os achados histológicos, quanto os ultra-estruturais foram menos evidentes.


#6 - Characterization of tissue damages after ovum pick-up in bovine, 23(3):119-124

Abstract in English:

ABSTRACT.- Viana J.H.M., Nascimento A.A., Pinheiro N.L., Ferreira A.M., Camargo L.S.A., Sá W.F. & Marques Júnior A.P. 2003. [Characterization of tissue damages after ovum pick-up in bovine.) Caracterização de seqüelas subseqüentes à punção folicular em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 23(3):119-124. Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora, MG 36038-330, Brazil. E-mail: jhmviana@cnpgl.embrapa.br The aim of this studywas to evaluate lesions of the genital tract in animais used as oocyte donors. Gir breed cows (n=20) used in different experiments involving the ovum pick-up technique were evaluated. At the end of each experimental period the animais were examined by rectal palpation, ultrasonography and vaginoscopy. A group of cows (n=8) were selected for histopathologic characterization of ovarian lesions. Ovaries were surgically removed, fixed and processed for histological examination. The cows evaluated underwent 9 to 42 puncture sessions, and yielded 10 to 719 oocytes. There was a low prevalence (5.26%) of inflammatory changes in the vagina mucosa. The occurrence of adherence was significantly correlated with the number of puncture sessions the animal underwent (r=0.31; P<0.05), but not with the total of oocytes collected (r=0.03; P>0.05). The opposite was observed reganding ovarian fibrosis, which showed a high correlation with oocyte yield (r=0.53; P<0.05). Histopathologic evaluation revealed scar tissue, inflammatory cell infiltration and presence of luteal tissue dispersed within the ovarian stroma.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Viana J.H.M., Nascimento A.A., Pinheiro N.L., Ferreira A.M., Camargo L.S.A., Sá W.F. & Marques Júnior A.P. 2003. [Characterization of tissue damages after ovum pick-up in bovine.] Caracterização de seqüelas subseqüentes à punção folicular em bovinos. Pesquisa Veterinária Brasileira 23(3):119-124. Embrapa Gado de Leite, Juiz de Fora, MG 36038-330, Brazil. E-mail: jhmviana@cnpgl.embrapa.br Objetivaram-se avaliar lesões no trato genital em animais utilizados como doadores de oócitos. Foram examinadas vacas da raça Gir (n=20) que participaram de diferentes experimentos envolvendo a técnica de punção folicular. Ao término de cada período experimental, os animais foram examinados por palpação retal, ultra-sonografia e vagi-noscopia. Um grupo de vacas (n=8) foi selecionado para a caracterização histopatológica das lesões ovarianas. Os ovários foram retirados cirurgicamente, fixados e processados, e as lâminas obtidas coradas e analisadas. Fóram avaliados animais submetidos a entre nove e 42 sessões de punção, e que produziram entre 10 e 719 oócitos. Observou-se uma baixa prevalência (5,26%) de processos inflamatórios na mucosa do fundo de saco vaginal. A ocorrência de aderências apresentou uma correlação positiva com o número de sessões de punção a que o animal foi submetido (r=0,31; P<0,05), mas não com o total de oócitos recuperados (r=0,03; P>0,05). Tendência oposta foi observada em relação à fibrose ovariana, que apresentou uma alta correlação com o número de oócitos recuperados (r=0,53; P<0,05). A avaliação histopatológica demonstrou a presença de tecido cicatricial, infiltrados de células inflamatórias e presença de tecido luteal disperso no estroma ovariano.


#7 - Intoxication by Vernonia rubricaulis in cattle in Mato Grosso do Sul, 22(3):119-128

Abstract in English:

RESUMO.- Brum K.B., Purisco E., Lemos R.A.A. & Riet-Correa F. 2002. [Intoxication by Vernonia rubricaulis in cattle in Mato Grosso do Sul.] Intoxicação por Vernonia rubricaulis em bovinos no Mato Grosso do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 22(3):119-128. Depto Medicina Veterinária, UFMS, Cx. Postal 549, Campo Grande, MS 79070-900. E-mail: rlemos@nin.ufms.br Descrevem-se surtos de intoxicação por Vernonia rubricoulis em bovinos em nove fazendas no Estado de Mato Grosso do Sul, entre setembro de 1999 e maio de 2001. No total morreram pelo menos 954 animais. Alguns fatores foram aparentemente importantes para a ocorrência da intoxicação: a utilização de técnicas que favorecem a brotação da planta incluindo a utilização da roçadeira ("trilho") para o controle de plantas invasoras, assim como a queima ou o desmatamento do campo; o transporte de animais procedentes de outras fazendas ou de outros piquetes da mesma fazenda, com ou sem manejo de animais no curral; e a superlotação de piquetes. O curso clínico variou de 12 a 48 horas. Os sinais clínicos foram, principalmente, agressividade ou depressão, salivação, cegueira, gemidos, incoordenação, retração de abdômen, fezes ressecadas com muco e estrias de sangue, focinho seco e decúbito. A letalidade foi de 100%. Os principais achados de necropsia foram observados no fígado. As lesões hepáticas variavam num mesmo animal e entre diferentes animais. Áreas focais vermelhas de hemorragias com tamanhos variando entre 1 mm e 25cm, foram observadas em meio ao tecido hepático amarelado em alguns casos. Fígados inteiros ou áreas hepáticas com aspecto de noz-moscada e fígados difusamente amarelados com ou sem hemorragias petequiais, também foram observados. Ocorriam, também, hemorragias em diferentes tecidos e órgãos. As principais alterações histológicas caracterizaram-se por necrose centrolobular com vacuolização dos hepatócitos das áreas periportais e intermediárias ou necrose massiva e vacuolização difusa dos hepatócitos. A intoxicação foi reproduzida experimentalmente em três bovinos. A menor dose que causou morte foi de 3g/kg da planta verde fresca em fase de brotação. Os sinais clínicos e as lesões macro e microscópicas observadas foram semelhantes às apresentadas pelos animais intoxicados naturalmente.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Brum K.B., Purisco E., Lemos R.A.A. & Riet-Correa F. 2002. [Intoxication by Vernonia rubricaulis in cattle in Mato Grosso do Sul.] Intoxicação por Vernonia rubricaulis em bovinos no Mato Grosso do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 22(3):119-128. Depto Medicina Veterinária, UFMS, Cx. Postal 549, Campo Grande, MS 79070-900. E-mail: rlemos@nin.ufms.br Descrevem-se surtos de intoxicação por Vernonia rubricoulis em bovinos em nove fazendas no Estado de Mato Grosso do Sul, entre setembro de 1999 e maio de 2001. No total morreram pelo menos 954 animais. Alguns fatores foram aparentemente importantes para a ocorrência da intoxicação: a utilização de técnicas que favorecem a brotação da planta incluindo a utilização da roçadeira ("trilho") para o controle de plantas invasoras, assim como a queima ou o desmatamento do campo; o transporte de animais procedentes de outras fazendas ou de outros piquetes da mesma fazenda, com ou sem manejo de animais no curral; e a superlotação de piquetes. O curso clínico variou de 12 a 48 horas. Os sinais clínicos foram, principalmente, agressividade ou depressão, salivação, cegueira, gemidos, incoordenação, retração de abdômen, fezes ressecadas com muco e estrias de sangue, focinho seco e decúbito. A letalidade foi de 100%. Os principais achados de necropsia foram observados no fígado. As lesões hepáticas variavam num mesmo animal e entre diferentes animais. Áreas focais vermelhas de hemorragias com tamanhos variando entre 1 mm e 25cm, foram observadas em meio ao tecido hepático amarelado em alguns casos. Fígados inteiros ou áreas hepáticas com aspecto de noz-moscada e fígados difusamente amarelados com ou sem hemorragias petequiais, também foram observados. Ocorriam, também, hemorragias em diferentes tecidos e órgãos. As principais alterações histológicas caracterizaram-se por necrose centrolobular com vacuolização dos hepatócitos das áreas periportais e intermediárias ou necrose massiva e vacuolização difusa dos hepatócitos. A intoxicação foi reproduzida experimentalmente em três bovinos. A menor dose que causou morte foi de 3g/kg da planta verde fresca em fase de brotação. Os sinais clínicos e as lesões macro e microscópicas observadas foram semelhantes às apresentadas pelos animais intoxicados naturalmente.


#8 - Experimental intoxication by the leaves of Melia azedarach (Meliaceae) in cattle, 22(1):19-24

Abstract in English:

ABSTRACT.- Méndez M.C., Aragão M., Elias F, Riet-Correa F & Gimeno E.J. 2002. (Experimental intoxication by the leaves of Melia azedarach (Meliaceae) in cattle.) Pesquisa Veterinária Brasileira 22(1):19-24. [Intoxicação experimental pelas folhas de Melia azedarach (Meliaceae) em bovinos.] Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, 96010-900 Pelotas, RS, Brazil. E-mail: nane@ufpel.tche.br. Green leaves of Melia azedarach were administered at single doses ranging from 5 to 30 g/ kg bw to 11 calves. Clinical signs were depression, ruminal stasis, dry feces with blood, ataxia, muscle tremors, sternal recumbency, hypothermia and abdominal pain. Serum AST and CPK were increased. Signs appeared from 8 to 24 hours after dosing, and the clinical course lasted from 2 to 72 hours. Three calves dosed with 30g/kg bw died. The macroscopic findings included intestinal congestion, yellow discoloration of the liver, brain congestion and dry feces with blood in the rectum. The liver showed swollen and vacuolated hepatocytes. Necrotic hepatocytes were scattered throughout the parenchyma or concentrated in the periacinar zone. Degénerative and necrotic changes were observed in the epithelium of the forestomachs. There was also necrosis of the lymphoidtissue. Skeletal muscles showed hyaline degeneration and fiber necrosis. The necrotic fragments contained floccular or granular debris with infiltration by macrophages and satellite cells.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Méndez M.C., Aragão M., Elias F, Riet-Correa F & Gimeno E.J. 2002. (Experimental intoxication by the leaves of Melia azedarach (Meliaceae) in cattle.) Pesquisa Veterinária Brasileira 22(1):19-24. [Intoxicação experimental pelas folhas de Melia azedarach (Meliaceae) em bovinos.] Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, 96010-900 Pelotas, RS, Brazil. E-mail: nane@ufpel.tche.br. Folhas verdes de Melia azedarach foram administradas em dose única a 11 bovinos nas doses de 5 a 30g/kg de peso vivo. Os sinais clínicos caracterizaram-se por depressão, atonia ruminal, fezes duras com sangue, incoordenação, tremores musculares, decúbito esternal, hipotermia e dores abdominais. Os níveis séricos de AST e CPK estavam aumentados. O aparecimento dos sinais clínicos foi observado entre 8-24 horas após a ingestão das folhas e o curso clínico durou entre 2 e 72 horas. Três animais que receberam 30g/kg morreram. Os achados macroscópicos caracterizaram-se por congestão dos intestinos e do cérebro, fígado amarelado e presença de fezes duras com sangue no reto. Os hepatócitos estavam tumefeitos e com vacuolização citoplasmática. Observaram-se hepatóci tos necróticos distribuídos no parênquima ou próximos à veia centrolobular. Lesões degenerativas e necróticas foram observadas no epitélio dos pré-estômagos. Havia também necrose do tecido linfóide. Nos músculos esqueléticos observaram-se degeneração hialina e necrose das fibras. Os fragmentos necróticos apresentavam necrose flocular ou granular com infiltração de macrófagos e células satélites.


#9 - Dysthermic syntlrome (hyperthermia) in cattle associated with poisoning by Claviceps purpurea, 21(2):81-86

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ilha M.R.S., Riet-Correa F. & Barros C.S.L. 2001. [Dysthermic syntlrome (hyperthermia) in cattle associated with poisoning by Claviceps purpúrea] Síndrome distêrmica (hipertermia) em bovinos associada à intoxicação por Claviceps purpurea. Pesquisa Veterinária Brasileira 21(2):81-86. Depto Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, 97105- 900 Santa Maria, RS, Brazil. E-mail: ilha76@mailcity.com Three outbreaks of dysthermic syndrome (hyperthermia) associated with poisoning by Claviceps purpurea are described in dairy cattle in the State of Rio Grande do Sul, Brazil. During the summer of 1999/2000, 37 cattle out of 66 (56%) were affected up to 3 months after the introduction of a new batch of feed contaminated by this fungus. The main clinical signs included pyrexia, dull, rough and long hair coats, intense salivation, difficult respiration with open mouth and, in some cases, with the tangue protruding from the mouth. Affected cattle sought shade or remained within water ponds. There was a 10-30% reduction in feed intake and loss of weight. Reduction in milk yield was 30-50%. Clinical signs were more intense during daytime, and their intensity were directly proportional to the environmental temperature. Necropsy findings in one necropsied cow included mild pulmonary emphysema, mainly in dorsal aspect of the diaphragmatic lobes. Histollogically, there were moderate hypertrophy of the smooth muscle layer ofbronchioles, rupture of alveolar septae with resulting club-shaped alveolar stumps. Sclerotia of C. purpurea were found in the ration fed to cattle in the three farms where the outbreaks occurred. Affected cattle recovered approximately 60 days after feeding the contaminated ration was discontinued. Diagnosis was based on epidemiological data, clinical signs, presence of sclerotia of C. purpurea in the feed of affected cattle, necropsy and histopathological findings. The pathogenesis, clinical signs and pathology of dysthermic syndrome are discussed and compared to other reports on this condition.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ilha M.R.S., Riet-Correa F. & Barros C.S.L. 2001. [Dysthermic syntlrome (hyperthermia) in cattle associated with poisoning by Claviceps purpúrea] Síndrome distêrmica (hipertermia) em bovinos associada à intoxicação por Claviceps purpurea. Pesquisa Veterinária Brasileira 21(2):81-86. Depto Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, 97105- 900 Santa Maria, RS, Brazil. E-mail: ilha76@mailcity.com Descrevem-se três surtos de síndrome distérmica (hipertermia) associada à intoxicação por Claviceps purpurea, em bovinos de leite durante o verão de 1999-2000, em três estabelecimentos do Rio Grande do Sul. De um total de 66 bovinos que ingeriram a ração contaminada com o fungo, 37 (56%) adoeceram até 3 meses após a introdução da ração contaminada. Os principais sinais clínicos foram temperatura retal elevada, pêlos compridos, longos e sem brilho, salivação intensa, respiração ofegante, com a boca aberta e, em alguns casos, com a língua para fora da cavidade oral. Os animais acometidos procuravam sombra ou permaneciam dentro d&#39;água. Houve diminuição de 10 a 30% no consumo de alimentos e perda de peso. A redução na produção de leite foi de 30 a 50%. Os sinais clínicos se intensificavam d0rante o dia e eram diretamente proporcionais à elevação da temperatura ambiental. Os achados de necropsia em um bovino que foi eutanasiado, incluíram leve enfisema pulmonar, principalmente na região dorsal dos lobos pulmonares diafragmáticos. Histologicamente havia moderada hipertrofia da musculatura lisa dos bronquíolos e ruptura de septos alveolares formando cotos alveolares em clava. Nos três estabelecimentos onde ocorreram os surtos, escleródios de C. purpurea foram observados nas amostras de ração fornecida aos bovinos. Os animais afetados recuperaram-se após aproximadamente 60 dias da retirada da ração contaminada. O diagnóstico baseou-se em dados epidemiológicos, sinais clínicos, na presença de escleródios de C. purpurea na ração fornecida aos animais, nos achados de necropsia e na histopatologia. A patogenia e o quadro clínico-patológico observados são discutidos e comparados com outros relatos dessa enfermidade.


#10 - Experimental poisoning by Asclepias curassavica (Asclepiadaceae) in cattle. Complementary data, 21 (1):1-4

Abstract in English:

ABSTRACT.- Tokarnia C.H., Brito M.F & Cunha B.R.M. 2001. [Experimental poisoning by Asclepias curassavica (Asclepiadaceae) in cattle. Complementary data] Intoxicação experimental por Asclepias curassavica (Asclepiadaceae) em bovinos. Dados complementares. Pesquisa Veterinária Brasileira 21 (1):1-4. Projeto Sanidade Animal Embrapa/UFRRJ, Km 4 7, Seropédica, RJ 23851-970, Brazil. In experiments in bovines, which received repeated daily sublethal doses of Asclepias rnrassavica (2.5 and 5.0 g/kg/day during 12 days) till reaching the lethal dose or more, the fresh leaves of the plant did not show a cu mui ative effect. One animal developed tolerance against a dose which previously caused symptoms (5 g/kg), but not against a larger one (10 g/kg) which was given subsequently. The dried plant continued toxic up to 2 months after collection, but after 6 months had lost its toxicity. A mixture of the hacked fresh plant with fresh hacked grass, was not eaten by the animals in amounts that possibly could cause symptoms of poisoning, when given in proportions that varied from 1 :2 to 1 :6, plant:grass. A mixture of the recently dried hacked plant with dried hacked grass, in the proportion of 1 :3, was eaten only by one of four bovines in amounts that possibly could cause symptoms; but even that animal did not show symptoms of poisoning.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Tokarnia C.H., Brito M.F & Cunha B.R.M. 2001. [Experimental poisoning by Asclepias curassavica (Asclepiadaceae) in cattle. Complementary data] Intoxicação experimental por Asclepias curassavica (Asclepiadaceae) em bovinos. Dados complementares. Pesquisa Veterinária Brasileira 21 (1):1-4. Projeto Sanidade Animal Embrapa/UFRRJ, Km 4 7, Seropédica, RJ 23851-970, Brazil. Em experimentos com bovinos, que receberam diariamente doses subletais repetidas (2,5 e 5,0 g/kg/dia durante 12 dias) até alcançar a dose letal e/ou ultrapassá-la, A. curassavica recém-coletada não demonstrou efeito acumulativo. Em um animal houve desenvolvimento de tolerância contra a dose que anteriormente causou sintomas de intoxicação (5,0 g/kg), mas não contra uma dose maior (10 g/kg). A planta dessecada continuou tóxica até 2 meses após a coleta, mas após 6 meses tinha perdido a sua toxidez. A mistura da planta fresca picada com capim fresco picado não foi ingerida pelos animais em quantidades que pudessem causar sintomas de intoxicação, em nenhuma das proporções que variaram de 1 :2 a 1 :6, planta : capim. A planta recentemente dessecada picada em mistura com capim fenado picado, na proporção de 1 :3, só foi consumida por um de quatro bovinos em quantidades que poderiam provocar sintomas de intoxicação; mas mesmo esse bovino não chegou a adoecer


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV