Resultado da pesquisa (1022)

Termo utilizado na pesquisa ovinos

#1 - V Encontro Internacional de Saúde Animal e Prevenção

Abstract in English:

Os produtos de origem animal se constituem em importantes componentes das exportações brasileiras, sendo a qualidade sanitária um fator essencial para a sua aceitação no mercado internacional. Enfermidades como a febre aftosa, a encefalopatia espongiforme bovina, a peste suína clássica e a enfermidade de Newcasttle são problemas de saúde animal que significam riscos potenciais para os países produtores de carne e derivados, que, além de implicações sanitárias, também possuem importância política, econômica e social. Enfermidades frequentes ou emergentes podem constituir entrave à produção, perda de mercado, repercussão em saúde pública e prejuízos econômicos. Diante disso, as ações de profilaxia e o controle das doenças requerem profissionais capacitados nas ações diretas do diagnóstico clínico, epidemiológico e laboratorial. As diversas técnicas e métodos de diagnóstico têm evoluído constantemente ao longo dos últimos anos. Os laboratórios de universidades, centros de pesquisa e de referência têm direcionado estudos e ações no sentido de obter maior eficácia e confiabilidade nos resultados fornecidos. Os médicos veterinários atuantes em campo formam o elo fundamental na garantia de qualidade dos exames executados pelos laboratórios, por proverem o material biológico utilizado nos ensaios. Face às novas tecnologias, ou mesmo aos métodos de diagnóstico tradicionais, estes profissionais necessitam de constante atualização em relação aos procedimentos de investigação clínica, bem como do envio adequado de amostras, solicitação de exames e a interpretação dos resultados. Neste contexto, este evento permitirá a articulação de importantes centros de pesquisa nacionais e do exterior, reunindo, em Mato Grosso, pesquisadores de destaque para intercâmbio de conhecimentos e discutir conceitos sobre úde animal e prevenção de doenças.

Abstract in Portuguese:

Os produtos de origem animal se constituem em importantes componentes das exportações brasileiras, sendo a qualidade sanitária um fator essencial para a sua aceitação no mercado internacional. Enfermidades como a febre aftosa, a encefalopatia espongiforme bovina, a peste suína clássica e a enfermidade de Newcasttle são problemas de saúde animal que significam riscos potenciais para os países produtores de carne e derivados, que, além de implicações sanitárias, também possuem importância política, econômica e social. Enfermidades frequentes ou emergentes podem constituir entrave à produção, perda de mercado, repercussão em saúde pública e prejuízos econômicos. Diante disso, as ações de profilaxia e o controle das doenças requerem profissionais capacitados nas ações diretas do diagnóstico clínico, epidemiológico e laboratorial. As diversas técnicas e métodos de diagnóstico têm evoluído constantemente ao longo dos últimos anos. Os laboratórios de universidades, centros de pesquisa e de referência têm direcionado estudos e ações no sentido de obter maior eficácia e confiabilidade nos resultados fornecidos. Os médicos veterinários atuantes em campo formam o elo fundamental na garantia de qualidade dos exames executados pelos laboratórios, por proverem o material biológico utilizado nos ensaios. Face às novas tecnologias, ou mesmo aos métodos de diagnóstico tradicionais, estes profissionais necessitam de constante atualização em relação aos procedimentos de investigação clínica, bem como do envio adequado de amostras, solicitação de exames e a interpretação dos resultados. Neste contexto, este evento permitirá a articulação de importantes centros de pesquisa nacionais e do exterior, reunindo, em Mato Grosso, pesquisadores de destaque para intercâmbio de conhecimentos e discutir conceitos sobre saúde animal e prevenção de doenças.


#2 - Risk factors for high bulk milk somatic cell counts in dairy herds from Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil: a case-control study

Abstract in English:

High bulk milk somatic cell counts (BMSCC) are indicative of failures related to the control of mastitis in the herd, which compromises the quality of the milk and generates great losses for the producers and for the industry. A case-control study was carried out in dairy herds in the Campos das Vertentes region, Minas Gerais State, Brazil, in order to contribute to the knowledge of the risk factors involved with elevated BMSCC. The study involved 46 dairy herds, of which 30 were considered cases (BMSCC ≥700,000 cells/mL of milk) and 16 control farms (BMSCC ≤200,000 cells/mL of milk). Sixteen qualitative variables and four quantitative variables were analyzed. The results showed that the risk factors for BMSCC ≥700,000 cells/mL were the presence of Staphylococcus aureus and Streptococcus agalactiae pathogens in bulk milk, non-use of pre and post-dipping, non-use of disposable paper towel for drying of mammary glands, non-monitoring of mastitis in the herd by means of California Mastitis Test (CMT) or individual somatic cell counts (SCC), non-implementation of the milking line and therapy of dry cows and failures in hygiene of teats and udders before milking. Moderate correlations were also observed between the elevation of BMSCC and counts of S. aureus and BMSCC and counts S. agalactiae in bulk milk, and a moderate correlation between S. aureus and S. agalactiae counts in bulk milk. Failures with regard to the maintenance and use of milking equipment, including manual pressure application in milking assemblies, unregulated milking vacuum pressure, and vacuum loss during milking, and maintenance failures of the milking machine and bulk milk tank were also pointed out as important risk factors of BMSCC elevation. The results of this study provided subsidies for the elaboration of more effective programs for mastitis control and improvement of raw milk quality, reducing the losses caused by the disease to producers and industry.

Abstract in Portuguese:

Altas contagens de células somáticas no leite do tanque (CCSt) são indicativas de falhas relacionadas com o controle da mastite no rebanho, o que compromete a qualidade do leite e gera grandes perdas para os produtores e para a indústria. Visando identificar os fatores de risco envolvidos com a CCSt elevada, foi realizado um estudo de caso-controle em rebanhos bovinos leiteiros da região de Campos das Vertentes, em Minas Gerais. O estudo envolveu 46 propriedades, das quais 30 foram consideradas casos (CCSt ≥700.000 cels/mL de leite) e 16 propriedades controles (CCSt ≤200.000 cels/mL de leite). Foram analisadas 16 variáveis qualitativas e quatro variáveis quantitativas. Os resultados demonstraram que os fatores de risco para valores de CCSt ≥700.000 cels/mL de leite foram a presença dos patógenos Staphylococcus aureus e Streptococcus agalactiae, não utilização do pré e de pós-dipping, não utilização de papel toalha descartável para a secagem dos tetos, não monitoramento da mastite por meio do California Mastitis Test (CMT) ou CCS individual, não implementação da linha de ordenha e da terapia de vacas secas e falhas na higiene de tetos e de úbere antes da ordenha. Também se observaram correlações moderadas entre a CCSt e as contagens de S. aureus e entre CCSt e as contagens de S. agalactiae, e correlação moderada entre as contagens de S. aureus e de S. agalactiae no leite do tanque. Falhas com relação à manutenção e utilização dos equipamentos de ordenha, aplicação de pressão manual nos conjuntos da ordenha, pressão de vácuo da ordenha desregulada, perda de vácuo durante a ordenha e falhas de manutenção da ordenhadeira e do tanque de expansão foram também apontadas como fatores de risco para elevação da CCSt. Os resultados deste estudo possibilitaram identificar fatores de risco importantes para contagens elevadas de CCSt que poderão fornecer subsídios para a elaboração de programas de controle mais efetivos para a mastite e para a melhoria da qualidade do leite, mitigando o impacto que a doença causa para os produtores e para a indústria.


#3 - Evaluation of pulmonary maturity in bovine neonates: analysis of amniotic fluid

Abstract in English:

Considering the representativeness of dairy cattle in our country, the concern about the mortality rates of the animals increases each time. Regarding to calf mortality, the Respiratory Distress Syndrome (RDS) has an important relevance during the neonatal period, and it is present in immature lungs. The amniotic fluid is in direct contact with the fetus, and it is able to offer evidence about his maturity. The aim of this study was to standardize the characteristics of the amniotic fluid, color, aspect, viscosity, quantification of lamellar body and surfactant evaluation by the Clements test and cytology, of term-born, mature and healthy calves. There were used 50 Black and White Holstein calves, which mothers were observed at calving in order to collect the amniotic fluid by puncture in the moment of exposure of the fetal membrane through the vaginal canal. Most amniotic fluid had a clear and hazy appearance due to varying degrees of viscosity and the presence or absence of clots. The Clements test could be adapted to the bovine species by the modification consisting in the addition of 3mL of amniotic fluid and 1mL of 95% ethanol. The methodology of the lamellar body count by the automated particle counter is not applicable for the bovine because of the small size of their lamellar body. The Nile Blue staining is unsatisfactory on predicting fetal maturity on the bovine species, different from cytology using Hematoxylin-Shorr stain. The presence of orange cells, increase in large amounts at the end of pregnancy. The cell stained orange counting, cells which are found in great amounts at the end of pregnancy. The present study stablished new parameters for evaluation of fetal and pulmonary maturity in the bovine species.

Abstract in Portuguese:

O objetivo desse estudo foi reunir novos dados práticos sobre a avaliação da maturidade pulmonar em neonatos bovinos, padronizando as características do líquido amniótico de bezerros maduros e hígidos, o que proporcionará a oportunidade de tratamento precoce dos animais prematuros, evitando prejuízos econômicos, principalmente quando consideramos os animais de alto valor genético. Amostras de líquido amniótico foram coletadas de 50 vacas da Raça Holandesa Preta e Branca. Corpos lamelares foram identificados por microscopia eletrônica de transmissão como estruturas de tamanho aproximado de 130nm, o que impede sua contagem em analisadores automáticos. O teste de Clements sofreu adaptações de técnica e se mostrou viável com a diluição de 3mL de líquido amniótico em 1mL de etanol a 95%. A citologia utilizando o método de Hematoxilina-Shorr, diferentemente do teste de Azul de Nilo, foi eficaz na identificação das células orangiofílicas, indicativas de maturidade fetal. Esses métodos mostraram-se originais e úteis ferramentas para a avaliação de maturidade pulmonar na espécie bovina, porém estudos com bezerros prematuros ainda são necessários.


#4 - Seneciosis in cattle associated with ingestion of Senecio brasiliensis under different forms of consumption in Santa Catarina state, Brazil

Abstract in English:

This study identified the different forms of ingestion of Senecio brasiliensis in cattle, diagnosed by the Animal Pathology Laboratory at CAV-UDESC, in the state of Santa Catarina, Brazil. A retrospective evaluation from 1987 to 2016 showed that ingestion has occurred voluntarily due to the presence of the adult plant in native field and/or involuntary, due to the presence of the plant in hay and silage, provided in the trough together with other pastures or by contamination in grain residues. These different forms of ingestion demonstrate the importance of epidemiologic investigation in the diagnosis of seneciosis.

Abstract in Portuguese:

Esse estudo identificou as diferentes formas de ingestão de Senecio brasiliensis em bovinos, diagnosticados pelo laboratório de Patologia Animal do CAV-UDESC, no estado de Santa Catarina. Através de avaliação retrospectiva referente aos anos de 1987 a 2016, foi possível observar que as formas de ingestão da planta ocorreram de forma voluntária, pela presença da planta adulta em campo nativo, e/ou involuntária, pela presença da planta em fenos, silagens, fornecidas no cocho junto à outras pastagens ou por contaminação em resíduos de grãos. Essas diferentes formas de ingestão demonstram a importância da investigação epidemiológica no diagnóstico da seneciose.


#5 - Enterotoxin-encoding genes in Staphylococcus aureus from buffalo milk

Abstract in English:

This paper investigated the occurrence of Staphylococcus aureus and the detection of enterotoxin-encoding genes of these strains in milk collected from 30 Murrah buffaloes used to produce dairy products in Brazil. A total of 68 strains of Staphylococcus aureus were found as identified by conventional laboratory tests, and thus screened for sea, seb, sec, sed, see, seg, seh and sei enterotoxin-encoding genes by polymerase chain reaction (PCR). Twelve strains containing enterotoxin-amplified genes were found, with higher expression for the sei and seh genes. These results can be attributed to animal health and inadequate cleaning of the equipment, indicating the need for better quality control in animal production and health lines. The results of this study with the presence of pathogens and their enterotoxigenic potential indicate a source of food poisoning, as well as being a pioneering study in the detection of new enterotoxins for buffalo milk.

Abstract in Portuguese:

Este estudo investigou a ocorrência de isolados de Staphylococcus aureus e a detecção de genes que codificam a enterotoxigenicidade dessas cepas em leite de búfala utilizado na produção de laticínios no Brasil. As amostras foram coletados em 30 búfalos da raça Murrah, identificado por testes laboratoriais convencionais, foram identificados um total de 68 cepas de S. aureus e rastreados para os genes que codificam a enterotoxina sea, seb, sec, sed, see, seg, seh and sei por reação em cadeia da polimerase (PCR). Doze cepas contendo genes da enterotoxina foram amplificadas, com maior expressão para os genes sei e seh. Esses resultados podem ser atribuídos à saúde animal e à higiene inadequada do equipamento, indicando a necessidade de melhor controle de qualidade nas linhas de produção e saúde animal. Os resultados desta pesquisa, com a presença de patógenos e seu potencial enterotoxigênico, indicam uma fonte de intoxicação alimentar, além de ser uma pesquisa pioneira na detecção de novas enterotoxinas para o leite de búfala.


#6 - Hypomagnesemia in dairy cattle in Uruguay

Abstract in English:

An outbreak of hypomagnesemia is reported in Holstein dairy cattle grazing lush oat (Avena sativa) pasture in Uruguay. Nine of 270 (3.3%) cows died in May-July (autumn-winter) 2017. These nine cows were from 2 to 9-years-old (1st-6th lactation), with 22 to 194 days of lactation and 15.8 to 31.4L of daily milk production. Two cows with acute sialorrhea, muscle spasms, lateral recumbency, weakness, opisthotonos, and coma, were euthanized and necropsied. No significant macroscopic or histological lesions were found. One untreated clinically-affected cow and eight out of 14 clinically healthy cows of the same group under similar management and production conditions had low serum levels of Mg (lower than 0.7mmol/L). Secondarily, both clinically affected cows and six out of 14 healthy cows had low serum Ca levels. The K/(Ca+Mg) ratio of two oat forages, corn silage, and ration was 5.10, 7.73, 2.45, and 0.85, respectively. A K/(Ca+Mg) ratio lower than 2.2 represents a risk for hypomagnesemia. The difference between the contribution-requirement of minerals in the diet was established and a daily deficiency of Mg (-0.36g/day), Na (-25.2g/day) and Ca (-9.27g/day) was found, while K (184.42g/day) and P (12.81g/day) were in excess. The diet was reformulated to correct the deficiencies and the disease was controlled by the daily administration of 80g of magnesium oxide, 80g of calcium carbonate and 30g sodium chloride per cow. It is concluded that hypomagnesemia is a cause of mortality in dairy cattle in Uruguay, and that the condition can be prevented by appropriate diet formulation

Abstract in Portuguese:

Descreve-se um surto de hipomagnesemia em bovinos leiteiros da raça Holandês com alimentação a base de pastagens de aveia (Avena sativa) em crescimento no Uruguai, nos meses de maio a julho (outono-inverno) de 2017. De um rebanho de 270 vacas em ordenha, nove (3,3%) morreram. As nove vacas tinham entre dois e nove anos, estavam entre a primeira e a sexta lactação e a produção diária era de 15,8 a 31,4 litros de leite. Duas vacas que apresentaram sialorreia, espasmos musculares, decúbito lateral, debilidade, opistótono e posteriormente, estado comatoso foram eutanasiadas e necropsiadas. Não foram observadas lesões macroscópicas ou histológicas significantes. Uma vaca com sinais clínicos, não tratada, e oito de 14 vacas sem sinais clínicos, do mesmo rebanho, apresentaram baixos níveis séricos de Mg (menos de 0,7mmol/L). Adicionalmente, as duas vacas com sinais clínicos e seis das 14 vacas sem sinais clínicos apresentaram baixos níveis de Ca sérico. A relação do risco tetanizante K/(Ca+Mg) de duas pastagens de aveia, silagem de milho e ração concentrada foi estimada em 5; 10; 7,73; 2,15 e 0,85, respectivamente. Uma  relação K/(Ca+Mg) maior de 2,2 é um indicador do potencial tetanizante da forragem, A diferença entre o aporte e os requerimentos dos minerais foi estabelecida constatando‑se deficiência diária de Mg (-0,36g/dia), Na (-25,2g/dia) e Ca (-9,27g/dia). O potássio (K) (184,42g/dia) e o fósforo (P) (12,81g/dia) estavam em excesso. A dieta foi reformulada para corrigir as deficiências e a doença foi controlada mediante a administração diária de 80g de MgO, 80g de CaCO3 e 30g de NaCl por vaca. Conclui-se que a hipomagnesemia é uma doença de importância crescente em gado leiteiro no Uruguai e que deve ser prevenida mediante a formulação correta da dieta.


#7 - Salmonellosis in calves without intestinal lesions

Abstract in English:

Salmonellosis is a known cause of enteric disorders in calves. However, cases in the septicemic form may not present enteric lesions, which may lead the veterinary practitioner to not suspect salmonellosis, compromising the diagnosis. The current study describes the epidemiological, clinical, pathological and immunohistochemical aspects of septicemic salmonellosis in calves without enteric lesions. The protocols involving bovine material submitted to the Pathology Laboratory (LAP) of the “Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia” (FAMEZ) of the “Universidade Federal do Mato Grosso do Sul” (UFMS) from January 1995 to July 2018 were studied. Cases confirmed or suggestive of septicemic salmonellosis in calves without enteric manifestations were selected. Fragments of the liver, lung, and spleen embedded in paraffin were submitted to immunohistochemistry (IHC). Only cases in which there was positive marking on the IHC or culture isolation of Salmonella were included in this study. Of a total of 5,550 cattle examined in the period, ten presented septicemic salmonellosis without enteric lesions. Clinical signs included mucosal pallor, apathy, hyperthermia, and dyspnea. Only three calves presented diarrhea, and two were found dead before clinical changes were observed. The most common necropsy findings were hepatosplenomegaly; yellow, orange or brown discolored livers; pale mucous membranes; inflated and sometimes red lungs; fibrin or fluid within body cavities; and gallbladder filled with inspissated bile. Jaundice was observed in three calves that had a concomitant infection with Anaplasma sp. Microscopically, paratyphoid hepatic nodules and interstitial pneumonia were the most frequent manifestations, followed by thrombosis and bacterial colonies in the spleen, lung, liver, and brain. A strong positive marking was observed in IHC, predominantly in the lung and to a lesser extent in the liver. Polymerase chain reaction (PCR) indicated the Dublin serotype as the causative agent in the samples of the four calves submitted to this procedure. In calves, the septicemic form was the major cause of death due to salmonellosis. Septicemic salmonellosis was usually not accompanied by diarrhea. The clinical signs of septicemia are nonspecific and of little assistance in the diagnosis. IHC has been shown to be efficient in the detection of the agent, mainly in the lung and especially in situations where it is not possible to perform bacterial culture.

Abstract in Portuguese:

A salmonelose é uma causa conhecida de distúrbios entéricos em bezerros. Porém, casos na forma septicêmica podem não apresentar manifestação entérica, o que leva o médico veterinário a não suspeitar de salmonelose, comprometendo o diagnóstico. Este estudo descreve os aspectos epidemiológicos, clínicos, patológicos e imuno-histoquímicos da salmonelose septicêmica em bezerros sem lesões entéricas. O estudo foi realizado a partir dos protocolos referentes a materiais de bovinos enviados para diagnóstico ao Laboratório de Anatomia Patológica (LAP) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FAMEZ) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) de janeiro de 1995 a julho de 2018. Foram selecionados os casos de bezerros confirmados ou sugestivos de salmonelose septicêmica sem lesões entéricas. Fragmentos de fígado, pulmão e baço embebidos em parafina foram submetidos ao exame de imuno-histoquímica (IHQ). Somente foram incluídos neste estudo casos em que houve marcação positiva na IHQ ou isolamento da bactéria em cultura. De um total de 5.550 bovinos examinados no período, dez apresentaram salmonelose septicêmica sem lesão entérica. Os sinais clínicos incluíram palidez de mucosas, apatia, hipertermia e dispneia. Apenas três bezerros apresentaram diarreia e dois foram encontrados mortos sem terem sido observadas alterações clínicas. Os achados mais frequentes de necropsia foram hepatoesplenomegalia, fígado amarelado, alaranjado ou acastanhado, palidez de mucosas, pulmões inflados e, por vezes, vermelhos, fibrina ou líquido nas cavidades do organismo e vesícula biliar repleta de bile grumosa. Icterícia foi observada em três bezerros que apresentavam infecção concomitante por Anaplasma sp. Microscopicamente, os nódulos paratifoides hepáticos e pneumonia intersticial foram as manifestações mais encontradas, seguidas por trombose e colônias bacterianas no baço, pulmão, fígado e encéfalo. Na IHQ, marcação fortemente positiva foi observada, predominantemente, no pulmão e, em menor intensidade, no fígado. A técnica de reação em cadeia de polimerase (PCR) tipificou o sorotipo Dublin como agente etiológico nas amostras dos quatro bezerros submetidos a este procedimento. Em bezerros, a forma septicêmica foi a principal responsável pelas mortes por salmonelose. Na maioria das vezes essa forma não estava acompanhada por diarreia. Os sinais clínicos da forma septicêmica são inespecíficos e de pouco auxílio no direcionamento do diagnóstico. A IHQ mostrou-se eficiente na detecção do agente principalmente no pulmão e especialmente nas situações em que não é possível a realização da cultura bacteriana.


#8 - Clostridial diseases diagnosed in cattle from the South of Rio Grande do Sul, Brazil. A forty-year survey (1978-2018) and a brief review of the literature

Abstract in English:

Clostridial diseases are important causes of livestock losses in the southern Rio Grande do Sul. Since 1978 annual surveys conducted at the "Laboratório Regional de Diagnóstico" of the "Universidade Federal de Pelotas" (LRD-UFPel) have shown that clostridial diseases represent 10.40% of the bacterial diseases diagnosed in cattle and 1.65% of all diseases diagnosis in cattle over a 40-year period. The purpose of this study is to review the clinical, epidemiological and pathological aspects of the clostridial diseases diagnosed in cattle from January 1978 to December 2018 at the LRD-UFPel in the hopes that it will constitute a useful guide for field veterinary practitioners and interested farmers. We assessed and review the necropsy protocols of 6,736 cattle; these necropsies were performed either by LRD-UFPel faculty or by field veterinary practitioners; 111 outbreaks (1.65%) were diagnosed as clostridial disease, distributed as follows: 35 outbreaks of tetanus, 34 of blackleg, 23 of bacillary hemoglobinuria, 11 of malignant edema (gas gangrene), and eight of botulism. Approximately 904, from a total of 42,480 cattle at risk, died in these outbreaks.

Abstract in Portuguese:

Clostridioses são doenças produzidas por alguma das espécies do gênero Clostridium e são importantes causas de perdas pecuárias no sul do Rio Grande do Sul. Pesquisas anuais realizadas no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (LRD-UFPel) desde 1978 demonstraram que as clostridioses representaram 11,1% das doenças bacterianas diagnosticadas em bovinos e 1,65% de todos os diagnósticos de doenças em bovinos ao longo de 40 anos. O objetivo deste estudo é revisar os aspectos clínicos, epidemiológicos e patológicos das clostridioses diagnosticadas de janeiro de 1978 a dezembro de 2018, pelo LRD/UFPel com a intenção de que esse trabalho possa servir de guia útil para os veterinários de campo e fazendeiros interessados. Foram avaliados e revisados os protocolos de necropsia de 6.736 bovinos; essas necropsias foram realizadas pelo pessoal do LRD/UFPel ou por veterinários de campo. Cento e quatro (1,16%) casos foram diagnosticados como clostridioses, distribuídos da seguinte forma: 35 surtos de tétano, 34 de cartbúnculo sintomático, 23 de hemoglobinúria bacilar, 11 de edema maligno (gangrena gasosa) e oito de botulismo. Aproximadamente 904, de um total de 42.480 bovinos sob-risco, morreram nesses surtos.


#9 - Spontaneous and experimental poisoning by Merremia macrocalyx (Convolvulaceae) in cattle

Abstract in English:

The aim of this work was to describe the epidemiological, clinical and pathological aspects of spontaneous poisoning by Merremia macrocalyx in cattle in the Pernambuco state, northeastern Brazil, and to experimentally replicate the poisoning by this plant. To determine the occurrence of poisonings, 30 farms were visited in six municipalities at the Forest Zone of Pernambuco. The plant was found in nine farms, in which history of plant poisoning in cattle, and occasionally in sheep were also reported. Three outbreaks of spontaneous poisonings in cattle were studied. To replicate the disease experimentally, two steers received a single dose of 60g/kg and two steers received 80g/kg of the fresh leaves of M. macrocalyx in the trough for spontaneous ingestion. Two steers were also used as a control group. The main clinical signs observed in spontaneous cases consisted of restlessness, bloat, polyuria, diarrhea, and death within 48 to 72 hours after the onset of clinical signs. Cattle experimentally poisoned presented similar clinical signs to those observed in spontaneous cases. Gross lesions consisted of dryness and impaction of the rumen, omasum and reticulum contents. Abomasal content was fluid, the mucosa was hyperemic, with swollen folds and multiple ulcers. Similar lesions were observed in duodenum mucosae. Histologically, lesions observed in the abomasum and duodenum mucosa consisted of necrosis, hemorrhage and inflammatory infiltration of neutrophils and lymphocytes. The wide distribution and palatability of this plant, associated with the high sensitivity of the bovine species verified in this experiment, highlight the importance of this plant in spontaneous cases of poisoning in cattle.

Abstract in Portuguese:

O objetivo deste trabalho é descrever os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos da intoxicação espontânea por Merremia macrocalyx em bovinos de Pernambuco, nordeste do Brasil e reproduzir experimentalmente a intoxicação por esta planta. Para determinar a ocorrência das intoxicações, foram visitadas 30 propriedades em seis municípios na Zona da Mata de Pernambuco. A planta foi encontrada em nove fazendas onde também haviam históricos de intoxicações em bovinos e ocasionalmente em ovinos. Três surtos de intoxicações espontâneas em bovinos foram estudados e para reproduzir experimentalmente a doença, dois novilhos receberam doses únicas de 60g/kg e dois novilhos receberam 80g/kg de folhas frescas de M. Macrocalyx para consumo espontâneo no cocho. Dois novilhos foram utilizados como grupo controle. Os principais sinais clínicos observados na intoxicação espontânea consistiram em agitação, timpanismo, poliúria, diarreia e morte dentro de 48 a 72 horas após a observação dos primeiros sinais clínicos. Os bovinos intoxicados experimentalmente apresentaram sinais clínicos semelhantes aos observados nos casos espontâneos. À necropsia as lesões consistiam em compactação e ressecamento dos conteúdos do rúmen, omaso e retículo. O conteúdo do abomaso estava fluido, notava-se hiperemia das mucosas, as pregas estavam edemaciadas e continham múltiplas úlceras. Lesões semelhantes também foram observadas na mucosa do duodeno. Histologicamente, as lesões observadas na mucosa do abomaso e do duodeno consistiam em necrose, hemorragia e infiltrado inflamatório neutrofílico e linfocítico. A ampla distribuição de Merremia macrocalyx na região estudada e a boa palatabilidade associada à alta sensibilidade da espécie bovina verificada neste experimento, reforça a importância desta planta em casos espontâneos de intoxicação em bovinos.


#10 - Subgingival bacterial microbiota associated with ovine periodontitis

Abstract in English:

Periodontitis is an inflammatory response in a susceptible host caused by complex microbiota, predominantly composed of Gram-negative anaerobic bacteria. Aiming to characterize the subgingival bacterial microbiota associated with ovine periodontitis, polymerase chain reaction (PCR) was performed in subgingival periodontal pocket samples of 14 sheep with severe periodontitis and in subgingival sulcus biofilm of 14 periodontally healthy sheep in search mainly of Gram-negative and Gram-positive microorganisms considered important periodontopathogens. The most prevalent bacteria in the sheep with periodontal lesions were Tannerella forsythia (78.6%), Treponema denticola (78.6%), Fusobacterium nucleatum (64.3%), and Porphyromonas gingivalis (50%), whereas in the healthy sheep, F. nucleatum (42.8%) was the most often detected bacterium. Statistically significant differences were observed for Campylobacter rectus, Enterococcus faecium, Prevotella nigrescens, T. forsythia, and T. denticola (p<0.05) in the sheep with periodontitis in the comparison between groups. Aggregatibacter actinomycetemcomitans, Enterococcus faecalis, and Porphyromonas gulae were not detected in any of the samples analyzed. In conclusion, C. rectus, E. faecium, P. nigrescens, T. forsythia, and T. denticola were associated with severe lesions caused by ovine periodontitis, and F. nucleatum was the most prevalent microorganism in the subgengival sulcus biofilm of healthy sheep.

Abstract in Portuguese:

Periodontite é a resposta inflamatória de um hospedeiro suscetível causada por complexa microbiota, composta predominantemente por bactérias anaeróbias Gram-negativas. Com o objetivo de caracterizar a microbiota bacteriana subgengival associada à periodontite ovina foi realizada a reação em cadeia da polimerase (PCR) de amostras de biofilme subgengival de 14 ovinos com a enfermidade e 14 ovinos periodontalmente saudáveis, com destaque para micro-organismos Gram-negativos e Gram-positivos considerados importantes periodontopatógenos. As bactérias mais prevalentes em 14 animais com lesões periodontais foram Tannerella forsythia (78,6%), Treponema denticola (78,6%), Fusobacterium nucleatum (64,3%) e Porphyromonas gingivalis (50%). Entretanto, nos 14 ovinos sem lesões periodontais, F. nucleatum (42,8%) foi a bactéria mais detectada. Associação estatisticamente diferente foi observada para Campylobacter rectus, Enterococcus faecium, Prevotella nigrescens, T. forsythia e T. denticola (p<0,05) nos ovinos com periodontite em comparação entre os dois grupos. Aggregatibacter actinomycetemcomitans, Enterococcus faecalis e Porphyromonas gulae não foram detectados em nenhuma das amostras pesquisadas. Conclui-se que C. rectus, E. faecium, P. nigrescens, T. forsythia e T. denticola estão associados às lesões resultantes da periodontite ovina com manifestação clínica grave e F. nucleatum o micro-organismo mais prevalente no biofilme subgengival de animais periodontalmente sadios.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV