Resultado da pesquisa (329)

Termo utilizado na pesquisa sheep

#1 - Subgingival bacterial microbiota associated with ovine periodontitis

Abstract in English:

Periodontitis is an inflammatory response in a susceptible host caused by complex microbiota, predominantly composed of Gram-negative anaerobic bacteria. Aiming to characterize the subgingival bacterial microbiota associated with ovine periodontitis, polymerase chain reaction (PCR) was performed in subgingival periodontal pocket samples of 14 sheep with severe periodontitis and in subgingival sulcus biofilm of 14 periodontally healthy sheep in search mainly of Gram-negative and Gram-positive microorganisms considered important periodontopathogens. The most prevalent bacteria in the sheep with periodontal lesions were Tannerella forsythia (78.6%), Treponema denticola (78.6%), Fusobacterium nucleatum (64.3%), and Porphyromonas gingivalis (50%), whereas in the healthy sheep, F. nucleatum (42.8%) was the most often detected bacterium. Statistically significant differences were observed for Campylobacter rectus, Enterococcus faecium, Prevotella nigrescens, T. forsythia, and T. denticola (p<0.05) in the sheep with periodontitis in the comparison between groups. Aggregatibacter actinomycetemcomitans, Enterococcus faecalis, and Porphyromonas gulae were not detected in any of the samples analyzed. In conclusion, C. rectus, E. faecium, P. nigrescens, T. forsythia, and T. denticola were associated with severe lesions caused by ovine periodontitis, and F. nucleatum was the most prevalent microorganism in the subgengival sulcus biofilm of healthy sheep.

Abstract in Portuguese:

Periodontite é a resposta inflamatória de um hospedeiro suscetível causada por complexa microbiota, composta predominantemente por bactérias anaeróbias Gram-negativas. Com o objetivo de caracterizar a microbiota bacteriana subgengival associada à periodontite ovina foi realizada a reação em cadeia da polimerase (PCR) de amostras de biofilme subgengival de 14 ovinos com a enfermidade e 14 ovinos periodontalmente saudáveis, com destaque para micro-organismos Gram-negativos e Gram-positivos considerados importantes periodontopatógenos. As bactérias mais prevalentes em 14 animais com lesões periodontais foram Tannerella forsythia (78,6%), Treponema denticola (78,6%), Fusobacterium nucleatum (64,3%) e Porphyromonas gingivalis (50%). Entretanto, nos 14 ovinos sem lesões periodontais, F. nucleatum (42,8%) foi a bactéria mais detectada. Associação estatisticamente diferente foi observada para Campylobacter rectus, Enterococcus faecium, Prevotella nigrescens, T. forsythia e T. denticola (p<0,05) nos ovinos com periodontite em comparação entre os dois grupos. Aggregatibacter actinomycetemcomitans, Enterococcus faecalis e Porphyromonas gulae não foram detectados em nenhuma das amostras pesquisadas. Conclui-se que C. rectus, E. faecium, P. nigrescens, T. forsythia e T. denticola estão associados às lesões resultantes da periodontite ovina com manifestação clínica grave e F. nucleatum o micro-organismo mais prevalente no biofilme subgengival de animais periodontalmente sadios.


#2 - High frequency of cutaneous squamous cell carcinoma in Friesian Milchschaf sheep in Uruguay

Abstract in English:

This study described five cases of squamous cell carcinoma (SCC) in the pinnae, eyelids, and eyes of Friesian Milchschaf sheep from two flocks raised under extensive conditions in Uruguay. The prevalence values for both flocks were 2.12% and 2.53%, respectively. Macroscopically, single or multiple, nodular, verrucous, or plaque-like neoplasms, with occasional ulceration and bleeding, were observed in the affected areas. Histologically, well and moderately-differentiated SCCs were diagnosed in three and two cases, respectively. The Milchschaf breed is native of Germany, and its individuals present white non-pigmented skin with the face and legs clear of fleece, thus adapted to areas with lower solar radiation. Additionally, in the German breeding systems, animals remain indoors for long periods. The increased exposure time to higher levels of solar radiation of the Uruguayan extensive production systems may be a predisposing factor for the development of SCC in this sheep breed. In Uruguay, there is more solar radiation and the production systems provide less protection against sunlight compared with the German production system. The high frequency of SCC should be considered prior to introducing European breeds with non-pigmented skin in Uruguay and other countries of the region.

Abstract in Portuguese:

Descreveram-se carcinomas de células escamosas (CCE) nas orelhas, pálpebras e olhos em cinco ovinos da raça Frisona Milchschaf em dois rebanhos de criação extensiva no Uruguai. A prevalência nos rebanhos foi de 2,12% e 2,53%. Macroscopicamente se observaram lesões focais ou multifocais, com aumento de volume, nodulares, verrucosas ou em placas, com ocasionais ulcerações e hemorragias. Apresentavam aspecto verrucoso, por vezes com superfície ulcerada e firmes ao corte. De acordo com as características histológicas da neoplasia, as lesões foram classificadas em CCEs bem diferenciados em três casos e moderadamente diferenciados em dois casos. Esta raça é nativa da Alemanha, caracterizada pela face deslanada e pele branca despigmentada. Na Alemanha, há menores níveis de radiação solar do que no Uruguai e seu sistema de produção é mais intensivo, com permanência dos animais confinados durante longos períodos. O aumento do tempo de exposição a níveis mais elevados de radiação solar pode ser um fator predisponente para o desenvolvimento de CCEs nesta raça em sistemas extensivos de produção no Uruguai. Neste País há mais radiação solar e os sistemas produtivos fornecem menos proteção contra a luz solar, em relação ao sistema de produção alemão. A alta frequência de CEE deveria ser levada em consideração para quem decide introduzir no Uruguai e outros países da região. raças europeias com a face despigmentada.


#3 - Response of vital functions, Apgar and cortisol in the prognosis of vigor against neonatal factors of lambs

Abstract in English:

The management of lambs during the neonatal period has been studied in several researches due to the vital and hormonal organic adaptations undergone by the calf after birth. However, gender, number of pups and type of delivery play an important role in understanding neonatal vigor. The study of these groups with the monitoring of clinical evolution and cortisol metabolism becomes an indispensable subsidy for a better understanding of this neonatal phase, aiming to minimize the losses generated. The objective of this study was to evaluate the influence of gender, number of pups and type of delivery in the prognosis of neonatal vigor of lambs through clinical and cortisol diagnosis. Thirty crossbred Santa Inês lambs with Dorper in the neonatal phase were divided into three groups: male and female, number of pups (single and twin) and type of delivery (eutocic and dystocic). In each group, clinical evaluation of heart and respiratory rate, rectal temperature, Apgar score and weight were performed; and with the exception of cortisol, all evaluations were performed at fifteen and sixty minutes, as well as at twelve and twenty-four hours. In addition, blood samples were collected for cortisol dosage obtained in two moments at fifteen and sixty minutes using the radioimmunoassay technique. Among the three experimental groups related to lamb vigor, the heart rate was the only one that showed lower mean values ​​(P<0.05) at twenty-four hours in the male group 90.00±20.20bpm, twins 96.44±20.02bpm and eutocic 93.25±18.11bpm. Differences in respiratory rate values ​​were observed in the eutocic group (64.00±14.75mpm) at twenty‑four hours. In the group of males there was a significant reduction in body temperature during the evaluation moments (P<0.05). Lambs from the group of twins showed lower body weight during the evaluations. At both times the analysis of serum cortisol was less than at sixty minutes. It was concluded that soon after the birth there were marked changes in the physiological parameters and weight of Santa Inês lambs, but were not enough to cause negative effects on the vigor of the neonates, indicating the occurrence of effective neonatal adaptation capacity in this species.

Abstract in Portuguese:

O manejo dos cordeiros durante o período neonatal tem sido objeto de estudo em diversas pesquisas devido às adaptações orgânicas vitais e hormonais sofridas pela cria após o parto. Todavia, o gênero, número de filhotes e o tipo de parto parecem desempenhar um papel importante para melhor compreensão do vigor neonatal. Além disso, o estudo destes grupos com o acompanhamento da evolução clínica e do metabolismo do cortisol torna-se um subsidio indispensável para melhor compreensão dessa fase neonatal, visando minimizar as perdas geradas. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a influência do gênero, número de filhotes e tipo de parto na apresentação do vigor neonatal dos cordeiros através do diagnostico clinico e de cortisol. Foram utilizados trinta cordeiros mestiços da raça Santa Inês com Dorper em fase neonatal divididos em três grupos: gênero (macho e fêmea), número de filhotes (único e gemelar) e tipo de parto (eutócico e distócico). Em cada grupo, foi realizada a avaliação clínica da frequência cardíaca e respiratória, temperatura retal, escore Apgar e peso; e com a exceção do cortisol, todas as avaliações foram realizadas aos quinze e sessenta minutos, como também às doze e vinte e quatro horas. Adicionalmente, procedeu-se com a coleta de amostras de sangue total para dosagem de cortisol obtida em dois momentos aos quinze e sessenta minutos através da técnica de radioimunoensaio. Dentre os três grupos experimentais relacionados com vigor dos cordeiros, a frequência cardíaca foi a única que evidenciou menores médias (P<0,05) às vinte e quatro horas no grupo dos machos 90,00±20,20bpm, gêmeos 96,44±20,02bpm e eutócicos 93,25±18,11bpm. Observou‑se no grupo eutócico diferenças nos valores da frequência respiratória de 64,00±14,75mpm às vinte e quatro horas. No grupo dos machos houve redução significativa na temperatura corpórea durante os momentos de avaliação (P<0,05). Cordeiros do grupo de gêmeos demonstraram menor peso corpóreo durante as avaliações. Em ambos momentos a análise do cortisol sérico demonstrou se menor aos sessenta minutos. Pôde se concluir que logo após o parto ocorreram alterações marcantes nos parâmetros fisiológicos e peso de cordeiros Santa Inês, porém não foram suficientes para causar efeitos negativos sobre o vigor dos neonatos, indicando a ocorrência de efetiva capacidade de adaptação neonatal nesta espécie.


#4 - DNA damage and primordial follicle activation after in vitro culture of sheep ovarian cortex in Morus nigra leaf extract

Abstract in English:

This study evaluated the effect of Morus nigra leaf extract, with or without supplementation, on morphology, activation and DNA damage of preantral follicles cultured within sheep ovarian tissue. Ovaries were collected and divided into fragments, being one fixed for histological and Terminal deoxynucleotidyl transferase (TdT) mediated dUTP nick-end labeling (TUNEL) analysis (fresh control). The remaining fragments were cultured for 7 days in alpha minimum essential media (α-MEM) supplemented with bovine serum albumin (BSA), insulin, transferrin, selenium, glutamine, hypoxanthine and ascorbic acid (α-MEM+; control medium) or into medium composed of M. nigra extract without supplements (0.1; 0.2 or 0.4mg/mL) or supplemented with the same substances described above for α-MEM+ (MN 0.1+; 0.2+ or 0.4+mg/mL). Then, tissues were destined to histological and TUNEL analysis. The α-MEM+ treatment had more morphologically normal follicles than all M. nigra extract treatments. However, α-MEM+ treatment also showed signs of atresia because the percentage of TUNEL positive cells was similar in α-MEM+ and in 0.1mg/mL M. nigra without and with supplements. Moreover, a reduction in the primordial follicles and an increase in the growing ones were observed in all treatments, except 0.2mg/mL M. nigra. In conclusion, the follicles cultured at 0.1mg/mL M. nigra extract were in good condition and able to continue their development, as demonstrated by the same rates of DNA damage and follicular activation as the control medium.

Abstract in Portuguese:

Este estudo avaliou o efeito do extrato das folhas de Morus nigra, com ou sem suplementos, sobre a morfologia, a ativação e o dano ao DNA de folículos pré-antrais cultivados inclusos em tecido ovariano. Os ovários foram coletados e divididos em fragmentos, sendo um fixado para análise histológica e ensaio de marcação de terminações dUTP mediada por desoxinucleotidil transferase terminal (TUNEL) (controle fresco). Os fragmentos restantes foram cultivados durante 7 dias em meio essencial mínimo alfa (α-MEM) suplementado com albumina sérica bovina (BSA), insulina, transferrina, selênio, glutamina, hipoxantina e ácido ascorbico (α-MEM+; meio controle) ou em meio composto de extrato de M. nigra sem suplementos (0,1; 0,2 or 0,4mg/mL) ou suplementado com as mesmas substâncias descritas para α-MEM+ (MN 0,1+; 0,2+ or 0,4+mg/mL). Então, os tecidos foram destinados à análise histológica e TUNEL. O tratamento do α-MEM+ apresentou mais folículos morfologicamente normais que todos os tratamentos do extrato de M. nigra. No entanto, o tratamento com α-MEM+ também mostrou sinais de atresia, pois a porcentagem de células TUNEL positivas foi semelhante em α-MEM+ e em 0,1mg/mL M. nigra sem e com suplementos. Além disso, observou-se uma redução nos folículos primordiais e um aumento nos folículos em crescimento em todos os tratamentos, exceto 0,2mg/mL M. nigra. Em conclusão, os folículos cultivados com 0,1mg/mL de extrato de M. nigra estavam em boas condições e aptos a continuar seu desenvolvimento, como demonstrado pelas taxas de dano ao DNA e de ativação folicular semelhantes ao meio controle.


#5 - Mammary gland health of Santa Inês ewes at the drying and puerperium and evaluation of a dry-off terapy with gentamicin

Abstract in English:

Mastitis represents an important health problem for Santa Inês breed, causing losses to the producer, due to loss of ewes or the decrease in weight gain of lambs. The aim of this work was to assess the health of the mammary gland of Santa Inês ewes at the drying and puerperium and to investigate the efficacy of a dry-off therapy with gentamicin. In this study, 64 ewes were divided in a control group (GC) and treatment group (GT), and the health of the mammary gland was assessed at the drying and puerperium. The GT ewes received 250mg of gentamicin (Gentocin® DryCow/Schering-Plough, product indicated for use in dairy cows) in each mammary half. For diagnosis, clinical examination, California Mastitis Test, somatic cell count and milk culture was performed. In the GC, of the 45 (70.3%) healthy mammary halves at the drying, 12 developed subclinical mastitis and nine clinical mastitis at the puerperium. In the GT, among 51 (79.7%) healthy mammary halves at the drying, six developed subclinical mastitis and 11 clinical mastitis at the puerperium. No association was observed between treatment and the occurrence of mastitis at puerperium. Of the 19 (29.7%) mammary halves of the GC that presented subclinical mastitis at the drying, three remained with subclinical mastitis and five developed clinical mastitis at the puerperium. In the GT, of the 13 (20.3%) mammary halves that had subclinical mastitis at the drying, four remained with subclinical mastitis and four developed clinical mastitis. No association was observed between treatment and cure or persistence of mastitis at the puerperium. The main microorganisms isolated, at the drying and puerperium, from animals with subclinical or clinical mastitis were Staphylococcus spp., predominantly coagulase negative Staphylococcus (CSN). At the puerperium, 29 cases of clinical mastitis occurred, 19 with isolation, where 10 were CNS and six S. aureus. Mannheimia haemolytica was isolated in one case of subclinical mastitis and other of clinical mastitis. News protocols and different ways of handling at drying and at puerperium must be investigated.

Abstract in Portuguese:

A mastite é um problema sanitário importante em ovelhas da raça Santa Inês, ocasionando prejuízo ao produtor em virtude do descarte de matrizes e da queda no ganho de peso dos cordeiros. O objetivo deste trabalho foi avaliar a saúde da glândula mamária de ovelhas da raça Santa Inês na secagem e no puerpério e pesquisar a eficácia da terapia intramamária com gentamicina na secagem. Sessenta e quatro ovelhas foram divididas em grupos controle (GC) e tratamento (GT), cada um contendo 32 animais, e a saúde da glândula mamária avaliada na secagem e no puerpério. As ovelhas do GT receberam 250mg de gentamicina (Gentocin® Mastite Vaca Seca/ Schering-Plough Veterinária, produto indicado pela empresa para utilização em vacas de leite) em cada metade mamária. Para o diagnóstico, foram realizados exame físico da glândula mamária, California Mastitis Test, contagem de células somáticas e cultura do leite. No GC, das 45 (70,3%) metades mamárias sadias na secagem, 12 desenvolveram mastite subclínica e nove mastite clínica no puerpério. No GT, das 51 (79,7%) metades mamárias sadias na secagem, seis desenvolveram mastite subclínica e 11 mastite clínica no puerpério. Não houve associação entre o tratamento e a ocorrência de mastite no puerpério. Das 19 (29,7%) metades mamárias do GC que apresentaram mastite subclínica na secagem, três permaneceram com mastite subclínica e cinco desenvolveram mastite clínica no puerpério. No GT, das 13 (20,3%) metades mamárias com mastite subclínica na secagem, quatro permaneceram com mastite subclínica e quatro desenvolveram mastite clínica. Não houve associação entre o tratamento e a cura ou persistência da mastite no puerpério. Os principais micro-organismos isolados, na secagem e puerpério, de animais com mastite subclínica ou clínica foram Staphylococcus spp., com predominância de Staphylococcus Coagulase Negativa (SCN). No puerpério, ocorreram 29 casos de mastite clínica, sendo 19 com isolamento, 10 com SCN e seis com S. aureus. Mannheimia haemolytica foi isolado em um caso de mastite subclínica e um caso de mastite clínica. Novos protocolos e diferentes formas de manejo na secagem e no puerpério devem ser pesquisados


#6 - Is it possible to integrate livestock into biodiversity conservation? Case study of sheep depredation by puma (Puma concolor)

Abstract in English:

In several parts of Latin America, the expansion of agriculture over the years has caused loss and reduction of wild fauna natural habitat. Recently, deaths of sheep and cattle have increased due to predation by large carnivores and the resulting retaliation by farmers on predators. Consequently, populations of these top predators have been reduced or have got even locally extinct, leading to imbalances on ecosystems, altered because of the carnivore effects on prey dinamics. The objective of this study is to analyse sheep depredation by puma (Puma concolor), in Central Brazil and in the Colombian Andes and point out preventive and mitigating measures that can be implemented in rural areas. From 2005 to 2014, we visited a ranch in Alto Paraguai, Mato Grosso, Brazil for diagnostic purposes and we compared the death of sheep from diseases and depredation attacks. In 2014, we visited a rural area in the central region of Departamento del Valle del Cauca, at 2814m of altitude in the Colombian Andes, to diagnose sheep predation, implement preventive measures, and evaluate their effectiveness. The results reveal that economic losses due to predation are critical on both studied regions and similar to losses by diseases in Mato Grosso state, Brazil. Thus, we recommend the integration of health management, preventive measures as well as mitigation of depredatory attacks at the local scale and we discuss potential sustainable measures that can be locally implemented by farmers. Furthermore, we recommend that public policies should incorporate scientific results on human-wildlife conflicts to be effective, considering both livestock management and biodiversity conservation.

Abstract in Portuguese:

Em diversas partes da América Latina, a perda e diminuição do habitat natural de animais silvestres ocorre em função do aumento das atividades agropecuárias. Nos últimos anos o número de mortes de animais de criação por depredação tem aumentado, bem como a consequente retaliação aos predadores. Como resultado destas ações, ocorre à extinção ou redução das populações destes predadores de topo, provocando perdas ecológicas. Esse estudo teve como objetivo apontar medidas preventivas e mitigatórias da depredação de ovinos por onça-parda (Puma concolor). Através da análise de dois estudos de casos de depredação no Centro-Oeste brasileiro e na região dos Andes Colombianos, levantamos soluções alternativas sustentáveis para que profissionais e criadores possam se prevenir desta ameaça ao rebanho ovino. Um estudo de caso foi realizado em fazenda no município de Alto Paraguai, Mato Grosso. Entre os anos 2005 e 2014 houve visitas na propriedade para diagnóstico de doenças e realizou-se estudo comparativo da quantidade de mortes por doenças com as mortes por depredação. No ano de 2010 ocorreu um ataque depredatório que resultou em morte de seis ovinos. Em 2014, realizou-se um estudo na região central do Departamento del Valle del Cauca, há 2814m de altitude nos Andes colombianos, para diagnosticar a depredação de gado na região e implementar medidas para prevenir sua ocorrência e avaliar sua eficácia. No total, foram implementadas medidas anti-depredação sobre oito propriedades, e entre elas, um curral com cerca elétrica para ovelhas foi implementada em uma fazenda no município de Tuluá. Os resultados mostram que as perdas econômicas por depredação são graves nas duas regiões estudadas e se equiparam a perdas por doenças no estudo de caso em Mato Grosso, Brasil. Portanto recomenda-se a combinação entre o manejo sanitário, métodos de prevenção e, se necessário, mitigação de ataques depredatório. Além disso, legisladores devem se associar a pesquisadores para traçar estratégias efetivas para esse sério problema na América Latina.


#7 - Morphological analysis of the elastic and collagen fibers in the ram penis

Abstract in English:

The penis represents the organ of the male’s copulation. It is essential to know the reproductive biology and the morphology of the reproductive organs to increase animal production. In order to contribute to this knowledge and provides information on the ram reproductive morphology, the purpose of this work was to describe the distribution, based on light microscopy, of the collagen and elastic fibers in the ram penis. For that, were collected transverse fragments of the penis (root, sigmoid flexure, body and glans) of seven rams. The specimens were fixed in paraformaldehyde for 24h and destined for the histological routine. The extracellular matrix of the ram penis was composed of collagen and elastic fibers. The penis was enveloped by the tunica albuginea, consisting essentially of collagen fibers, which were arranged in two layers: an outer longitudinal and an inner circular. This tunic emitted septa that penetrated the corpus cavernosum. The elastic fibers appeared transversely and longitudinally in the corpus cavernosum, corpus spongiosum, and next to the neurovascular bundle of the penis. This structure was not different to that reported for other domestic ruminants such as cattle and buffaloes.

Abstract in Portuguese:

O pênis representa o órgão da cópula do macho. É fundamental que se conheça a biologia reprodutiva e a morfologia dos órgãos reprodutores para o incremento da produção animal. Com o objetivo de contribuir para este conhecimento e fornecer informações sobre a morfologia reprodutiva de ovinos, o propósito deste trabalho foi descrever a distribuição, com base na microscopia de luz, das fibras colágenas e elásticas no pênis de ovinos. Para tanto, foram coletados fragmentos transversais do pênis (raiz, flexura sigmoide, corpo e glande) de sete ovinos. Os exemplares foram fixados em paraformaldeído por 24h e destinados à rotina histológica. A matriz extracelular do pênis de ovinos estava constituída por fibras colágenas e elásticas. O pênis estava envolvido pela túnica albugínea, formada essencialmente por fibras colágenas, que estavam arranjadas em duas camadas: longitudinal externa e circular interna. Esta túnica emitiu septos que penetraram no corpo cavernoso. As fibras elásticas apareceram de modo transversal e longitudinal nos corpos cavernoso e esponjoso e junto ao feixe vásculo-nervoso do pênis de ovinos. Esta estrutura mostrou-se similar ao encontrado em outros ruminantes domésticos como bovinos e bubalinos.


#8 - Not all abscesses in small ruminants are caused by Corynebacterium pseudotuberculosis, 38(10):1902-1908

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva R.M.M., Cerqueira R.B., Vieira V.P., Ribas J.R.L., Nascimento K.A., Pimentel L.A., Pedroso P.M.O. & Macêdo J.T.S.A. 2018. [Not all abscesses in small ruminants are caused by Corynebacterium pseudotuberculosis.] Nem todo abscesso em pequenos ruminantes é causado por Corynebacterium pseudotuberculosis. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1902-1908. Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Via L4 Norte s/n, Brasília, DF 70910-970, Brazil. E-mail: jtsam_targino@yahoo.com.br The study aimed to determine the prevalence and distribution of abscessed lesions, etiologic agent identification and assessment of histological lesions in sheep and goats slaughtered in a slaughter plant refrigerator with Federal Inspection Service in the State of Bahia. The amount of 153 samples of viscera and lymph nodes with abscesses of 1.148 slaughtered animals were collected. The highest prevalence in sheep was in males, aged 12 months, as in liver (21.2%) and prescapular lymph nodes (20.3%) the main affected organs. The prevalence in goats in male, aged 30 months and in retropharyngeal (25%) and prescapular lymph nodes (25%). The following microorganisms were isolated from the samples: Corynebacterium pseudotuberculosis 33.33%, Escherichia coli 19.61%, Proteus mirabilis 9.80%, Pseudomonas aeruginosa 7.19%, Trueperella pyogenes 5.22%, Streptococcus spp. 5.22% and Staphylococcus aureus 4.57%. The macroscopic and histological lesions of abscesses collected presented no difference between isolated microorganisms.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva R.M.M., Cerqueira R.B., Vieira V.P., Ribas J.R.L., Nascimento K.A., Pimentel L.A., Pedroso P.M.O. & Macêdo J.T.S.A. 2018. [Not all abscesses in small ruminants are caused by Corynebacterium pseudotuberculosis.] Nem todo abscesso em pequenos ruminantes é causado por Corynebacterium pseudotuberculosis. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1902-1908. Laboratório de Patologia Veterinária, Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Via L4 Norte s/n, Brasília, DF 70910-970, Brazil. E-mail: jtsam_targino@yahoo.com.br O presente estudo objetivou determinar a prevalência e distribuição de lesões abscedativas, identificação do agente etiológico e avaliação das lesões histológicas em caprinos e ovinos abatidos em um matadouro-frigorífico com Serviço de Inspeção Federal do estado da Bahia. Foram coletadas 153 amostras de vísceras e linfonodos com abscessos de 1.148 animais abatidos. A maior prevalência na espécie ovina foi em macho, com faixa etária de 12 meses, sendo os principais órgãos acometidos fígado (21,2%) e linfonodo pré-escapular (20,3%). Na espécie caprina, a prevalência maior foi em macho, com faixa etária de 30 meses, sendo os linfonodos retro faríngeo (25%) e pré-escapular os mais acometidos (25%). Isolou-se os seguintes micro-organismos das amostras: Corynebacterium pseudotuberculosis em 33,33%, Escherichia coli (19,61%), Proteus mirabilis (9,80%), Pseudomonas aeruginosa (7,19%), Trueperella pyogenes (5,22%), Streptococcus spp. (5,22%) e Staphylococcus aureus (4,57%). As lesões macroscópicas e histológicas dos abscessos coletados não apresentaram diferenças entre micro-organismos isolados.


#9 - Echocardiographic parameters and vertebral heart size (VHS) in lambs during the neonatal period, 38(9):1869-1877

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ulian C.M.V., Lourenço M.L.G., Inamassu L.R., Souza P.M., Mamprim M.J., Alfonso A. & Chiacchio S.B. 2018. Echocardiographic parameters and VHS in lambs during the neonatal period. [Parâmetros ecocardiográficos e tamanho cardíaco vertebral (VHS) em cordeiros durante o período neonatal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1869-1877. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Devido à imaturidade cardíaca, os recém-nascidos apresentam uma morfologia e débito cardíacos diferenciados quando comparado aos adultos. O objetivo deste estudo foi descrever as alterações cardíacas ecocardiográficas e silhueta cardíaca ao exame radiográfico a partir do método VHS (vertebral heart size) em cordeiros recém-nascidos durante o período neonatal. Vinte e oito cordeiros saudáveis da raça Ile de France foram avaliados desde o nascimento até os 35 dias de idade. Ao exame ecocardiográfico avaliou-se em sístole e diástole, os índices relacionados aos ventrículos direito (VD) e esquerdo (VE), a parede livre do ventrículo esquerdo, aorta (Ao), átrio esquerdo (Ae), septo e ponto E, e diâmetros finais. Foi feita a relação entre o átrio esquerdo e aorta, além da fração de ejeção e de encurtamento. O VHS foi mensurado a partir do tamanho dos eixos longo e curto do coração em relação às vértebras torácicas. Os resultados obtidos demonstraram aumento do VE em relação ao VD no decorrer dos 35 dias (p<0,05). Os índices calculados e a relação AE:Ao não tiveram diferença. Os valores de VHS tiveram distribuição normal com média de 9,67 vértebras em todo o período. Os parâmetros radiográficos e ecocardiográficos mostraram diferenças significativas entre os momentos analisados. Os valores VHS variaram de 8.4 a 11.2 vertebras. Para evitar que essas alterações sejam erroneamente interpretadas como cardiopatias na espécie, este estudo demonstra às peculiaridades do desenvolvimento cardíaco neonatal em cordeiros, além de descrever parâmetros para esta faixa etária em cordeiros da raça Ilê de France.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ulian C.M.V., Lourenço M.L.G., Inamassu L.R., Souza P.M., Mamprim M.J., Alfonso A. & Chiacchio S.B. 2018. Echocardiographic parameters and VHS in lambs during the neonatal period. [Parâmetros ecocardiográficos e tamanho cardíaco vertebral (VHS) em cordeiros durante o período neonatal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1869-1877. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Due to cardiac immaturity, newborns have a different morphology and cardiac output when compared with adults. The purpose of this study was to describe the cardiac changes in echocardiographic characteristics and vertebral heart size (VHS) in newborn lambs during the neonatal period. Twenty-eight healthy Ile de France lambs were evaluated from birth to 35 days old. With the assistance of echocardiography, this study evaluated, both in systole and diastole, indexes related to the right and left ventricles, the aorta (Ao), the left atrium (LA), the E point to septal separation (EPSS) and the thickness of the interventricular septum (VSd, VSs). The left atrium-to-aorta ratio (LA:Ao) was analyzed and both the shortening (SF%) and ejection fractions were calculated (EF%). The VHS was obtained by measuring the heart’s long and short axes and comparing it to the thoracic vertebrae. Throughout the first 35 days, the results obtained demonstrated an increased LV:RV ratio when compared to adult lambs. The calculated indexes and the LA:Ao ratio did not present statistically significant differences. The VHS values were normally distributed, presenting a mean of 9.67 vertebrae (v) during the entire period. Both radiographic and echocardiographic parameters showed significant differences between the analyzed moments. The VHS values ranged from 8.4v at the minimum end to 11.2v at the maximum. In order to prevent these changes from being misdiagnosed as heart diseases, this study contributed to take note of neonatal physiological anatomy peculiarities and in addition, it describes the parameters for this age in Ilê de France lambs.


#10 - Assessment of serum lactate levels, blood glucose values and blood gas values in sheep, newborn lambs and placenta, 38(9):1878-1884

Abstract in English:

ABSTRACT.- Peternelli Silva L., Lourenço M.L.G., Paula R.A., Verdugo M.R., Pereira K.H.N.P. & Chiacchio S.B. 2018. Assessment of serum lactate levels, blood glucose values and blood gas values in sheep, newborn lambs and placenta. [Avaliação da concentração de lactato sérico, glicemia e hemogasometria de ovelhas, cordeiros recém&#8209;nascidos e placenta.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1878-1884. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Departamento de Clínica Veterinária, Rua Prof. Dr. Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Newborn animals, in the fetal-to-neonatal transition, usually face several challenges in their first 24 hours, including issues with acid-base balance, glycemic levels and oxygenation. Difficulties to overcome such issues have caused several deaths among newborns. Therefore, studies have been carried out in order to evaluate them. The main purpose of this study is to evaluate the correlation between the serum lactate level in the mother, in the placenta and in the newborn. Moreover, the study measured the lactate level, blood glucose level and blood gas level in the first 24 hours. Tests were carried out right after birth, and at 4, 8, 12 and 24 hours after. Lactate levels were quite similar to the placental levels (p=0.991) which, in turn, were significantly different from the mother’s (p=0.011). Results showed that, shortly after birth, the production of lactate in the placenta is part of the issue. Along the first 24 hours, the study observed a reduction of the levels of lactate in newborns; the levels were closer to the normal index levels for the species. Regarding the blood gas test results, we observed mild metabolic acidosis at birth; acid-base balance was completely stable at the end of the period.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Peternelli Silva L., Lourenço M.L.G., Paula R.A., Verdugo M.R., Pereira K.H.N.P. & Chiacchio S.B. 2018. Assessment of serum lactate levels, blood glucose values and blood gas values in sheep, newborn lambs and placenta. [Avaliação da concentração de lactato sérico, glicemia e hemogasometria de ovelhas, cordeiros recém&#8209;nascidos e placenta.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1878-1884. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Departamento de Clínica Veterinária, Rua Prof. Dr. Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Os principais desafios da transição fetal-neonatal são a estabilização do equilíbrio ácido-básico, glicemia e oxigenação ao longo das primeiras 24 horas de vida. Falhas nesse sistema são a maior causa de morte nesse período e os estudos de viabilidade neonatal tem se concentrado nas avaliações destas variáveis. O objetivo do presente estudo foi avaliar a comparação da lactatemia materna, placentária e neonatal ao nascimento e, ainda, observar o comportamento do lactato, glicemia e hemogasometria nas primeiras 24 horas de vida do neonato ovino. Para tanto, as avaliações foram realizadas ao nascimento, 4, 8, 12 e 24 horas após. A lactatemia neonatal se mostrou próxima à placentária (p=0,991) e significativamente diferente da materna (p=0,011), o que sugere uma influência da produção de lactato pela placenta na lactatemia neonatal ao nascimento. Ao longo das 24 horas de vida foi possível observar a depuração de lactato pelo organismo do neonato, aproximando assim dos valores de referência para a espécie. Na hemogasometria foi possível observar discreta acidose metabólica, com normalização já nas primeiras 4 horas e estabilização completa do equilíbrio ácido-básico ao final das 24 horas de vida.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV