Resultado da pesquisa (78)

Termo utilizado na pesquisa Epidemiology

#31 - Molecular epidemiology of Anaplasma platys, Ehrlichia canis and Babesia vogeli in stray dogs in Paraná, Brazil, 37(2):129-136

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ribeiro C.M., Matos A.C., Azzolini T., Bones E.R., Wasnieski E.A., Richini-Pereira V.B., Lucheis S.B. & Vidotto O. 2017. Molecular epidemiology of Anaplasma platys, Ehrlichia canis and Babesia vogeli in stray dogs in Paraná, Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):129-136. Faculdade Educacional de Dois Vizinhos, União de Ensino do Sudoeste do Paraná, Av. Presidente Kennedy 2601, Dois Vizinhos, PR 85660-000, Brazil. E-mail: clau.mribeiro@hotmail.com Hemoparasitic infections are tick-borne diseases, which affect animals and humans. Considering the importance of canine hemoparasitic infections in veterinary clinics, this study aimed to determine the occurrence of Anaplasma platys, Ehrlichia canis and Babesia vogeli in blood samples from 182 dogs not domiciled in the city of Pato Branco, southwestern region of Paraná State, Brazil, using polymerase chain reaction (PCR). The prevalence of A. platys and B. vogeli was 32.9% and 10.9% respectively, and A. platys infection prevailed (p<0.001). The number of dogs positive for A. platys was larger in Winter (p<0.05). All blood samples were negative for E. canis. In the dogs, infestation by Amblyomma cajennense predominated over that by Rhipicephalus sanguineus (p<0.001); but there was no significant association between PCR and the variables presence of ticks, sex and age. Dogs infected by A. platys and B. vogeli showed thrombocytopenia, lymphopenia and leukocytosis; but there was no correlation between such hematological changes and infection by hemoparasites. This appears to be the first molecular study that demonstrates the existence of A. platys and B. vogeli in dogs from the southwestern region of Paraná.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ribeiro C.M., Matos A.C., Azzolini T., Bones E.R., Wasnieski E.A., Richini-Pereira V.B., Lucheis S.B. & Vidotto O. 2017. Molecular epidemiology of Anaplasma platys, Ehrlichia canis and Babesia vogeli in stray dogs in Paraná, Brazil. [Epidemiologia molecular de Anaplasma platys, Ehrlichia canis e Babesia vogeli em cães não domiciliados do Paraná.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):129-136. Faculdade Educacional de Dois Vizinhos, União de Ensino do Sudoeste do Paraná, Av. Presidente Kennedy 2601, Dois Vizinhos, PR 85660-000, Brazil. E-mail: clau.mribeiro@hotmail.com As hemoparasitoses são enfermidades transmitidas por carrapatos que afetam os animais e os humanos. Considerando a importância das hemoparasitoses caninas na clínica médica veterinária, este estudo objetivou determinar a ocorrência de Anaplasma platys, Ehrlichia canis e Babesia vogeli em amostras de sangue de 182 cães não domiciliados do município de Pato Branco, região sudoeste paranaense, Brasil, utilizando a reação em cadeia da polimerase (PCR). A prevalência de A. platys e B. vogeli foi de 32,9% e 10.9%, respectivamente, predominando a infecção por A. platys (p<0,001). Constatou-se um maior número de cães positivos para A. platys no período do inverno (p<0.05). Todas as amostras de sangue foram negativas para E. canis. Nos cães, a infestação por Amblyomma cajennense prevaleceu sobre a infestação por Rhipicephalus sanguineus (p<0,001), mas não foi observada associação significativa entre a PCR e as variáveis presença de carrapatos, sexo e idade. Cães infectados por A. platys e B. vogeli apresentaram trombocitopenia, linfopenia e leucocitose, porém não houve correlação destas alterações hematológicas com a infecção pelos hemoparasitas. Este é o primeiro estudo molecular que demonstra a existência de A. platys e de B. vogeli em cães da região sudoeste paranaense.


#32 - Cattle Tick Fever in semi-arid of Pernambuco

Abstract in English:

This study aimed to determine the seroprevalence of Babesiosis and Anaplasmosis in cattle from the municipalities of Ouricuri and Petrolina, state of Pernambuco, Brazil, and to define the risk factors for the occurrence of the diseases. Blood samples were collected for serologic testing by Indirect Immunofluorescence Assay (IFA). Sanitary epidemiological questionnaires were applied to the producers aiming to identify possible risk factors. Ticks were collected, identified and tested by Polymerase Chain Reaction (PCR) for the diagnosis of infection by Anaplasma marginale, Babesia bigemina and Babesia bovis. The study was conducted with 861 cattle, being 468 in Petrolina and 393 in Ouricuri. The seroprevalence of A. marginale, B. bigemina and B. bovis in Petrolina was of 35.0% (164/468), 35.9% (168/468) and 32.3% (151/468), respectively; and in Ouricuri was 45.5% (179/393), 38.6% (152/393), and 54.9% (216/393), respectively. Co-infection for Anaplasma spp. and Babesia spp. was observed in 31.6% and 32.1% samples of Petrolina and Ouricuri, respectively. The detection of DNA of Babesia spp. by PCR was possible in 5.8% (8/137) ticks; which 62.5% (5/8) was detected later infection with B. bovis; and 23.3% (32/137) with A. marginale. The presence of ticks, the use of acaricide, age, race, and county of residence of the animals were identified as risk factors for TBD by univariate analysis and multivariate. This study allowed the characterization of the municipalities studied as enzootic instability areas for these hemoparasitic, and consequently alert for adoption of adequate control measures and new studies.

Abstract in Portuguese:

Este estudo objetivou determinar a soroprevalência da Babesiose e Anaplasmose em bovinos dos municípios de Ouricuri e Petrolina, estado de Pernambuco, Brasil; e definir os possíveis fatores de risco para a ocorrência dessas doenças. Amostras de sangue foram coletadas para realização de teste sorológico por Imunofluorescência Indireta (RIFI). Questionários epidemiológicos sanitários foram aplicados aos produtores com o objetivo de identificar possíveis fatores de risco. Carrapatos foram coletados, identificados e testados por Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) para o diagnóstico da infecção por Anaplasma marginale, Babesia bigemina e Babaesia bovis. O estudo foi conduzido com 861 bovinos, sendo 468 de Petrolina e 393 de Ouricuri. A soroprevalência de A. marginale, B. bigemina e B. bovis em Petrolina foi de 35,0% (164/468), 35,9% (168/468) e 32,3% (151/468), respectivamente; e em Ouricuri foi de 45,5% (179/393), 38,6% (152/393) e 54,9% (216/393), respectivamente. A co-infecção por Anaplasma spp. e Babesia spp. foi observada em 31,6% e 32,1% de amostras de Petrolina e Ouricuri, respectivamente. A detecção de DNA de Babesia spp. por PCR foi possível em 5,8% (8/137) carrapatos, dos quais em 62,5 % (5/8) foi detectada posteriormente infecção por B. bovis, e em 23,3% (32/137) por A. marginale. A presença de carrapatos, o uso de acaricidas, idade, raça, e o município de residência dos animais foram identificados como fatores de risco para TPB pela análise univariável e multivariável. Este estudo permitiu caracterizar os municípios estudados como de instabilidade enzoótica para esses hemoparasitos, e consequentemente, alertar para adoção de medidas adequadas de controle e realização de novos estudos.


#33 - Epidemiology of rabies in large animals of Parana, Brazil, from 1977 to 2012, 36(12):1145-1154

Abstract in English:

ABSTRACT.- Dognani R., Pierre E.J., Silva M.C.P., Patrício M.A.C., Costa S.C., Prado J.R. & Lisbôa J.A.N. 2016. [Epidemiology of rabies in large animals of Parana, Brazil, from 1977 to 2012.] Epidemiologia descritiva da raiva dos herbívoros notificados no estado do Paraná entre 1977 e 2012. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(12):1145-1154. Departamento de Clínicas Veterinárias, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual de Londrina, Campus Universitário, Caixa Postal 10011, Londrina, PR 86057-970, Brazil. E-mail: janlisboa@uel.br A descriptive epidemiological survey of rabies in herbivorous reared in the state of Parana, Brazil, was carried out from 1977 to 2012. The positive cases and the total number of brain samples processed for diagnostic purposes were distributed according to species, year, month, geographical region and municipality. Chi-square test was used to verify if rabies was associated to these factors. Probabilistic model was applied to historical series in order to verify cyclic and seasonal patterns. In Parana, rabies is an endemic disease with variable yearly occurrence, without seasonal pattern and with a possible cyclic pattern every 18 years. Cattle (86.9%) and equides (11.3%) were mainly affected. Rabies was registered in 47.6% of all municipalities, indicating a great spread of this disease in Parana, mainly during the last decade. Middlewest and Curitiba regions, followed by Pioneer North and West regions, were the areas of most occurrence. The number of cases per municipality was weakly correlated with the number of shelters for Desmodus rotundus (r=0.469; p<0.0001). Therefore, we suggest that annual immunization of cattle and equides should be applied in the high occurrence areas (Middlewest and Curitiba regions) and encouraged in intermediate occurrence areas (Pioneer North and West regions).

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Dognani R., Pierre E.J., Silva M.C.P., Patrício M.A.C., Costa S.C., Prado J.R. & Lisbôa J.A.N. 2016. [Epidemiology of rabies in large animals of Parana, Brazil, from 1977 to 2012.] Epidemiologia descritiva da raiva dos herbívoros notificados no estado do Paraná entre 1977 e 2012. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(12):1145-1154. Departamento de Clínicas Veterinárias, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Estadual de Londrina, Campus Universitário, Caixa Postal 10011, Londrina, PR 86057-970, Brazil. E-mail: janlisboa@uel.br Realizou-se estudo epidemiológico descritivo da raiva dos herbívoros no estado do Paraná entre os anos de 1977 e 2012. Os casos confirmados de raiva e o total de amostras de encéfalo encaminhadas para o diagnóstico foram distribuídos por espécie, por ano, por meses, por mesorregião geográfica e por municípios, aplicando-se o teste de Qui-quadrado para verificar se havia associação com esses fatores. Modelo probabilístico foi ajustado à série histórica para verificação de padrões cíclico ou sazonal. Comprovou-se que a raiva é uma doença endêmica no PR, com ocorrência variável entre os anos, sem padrão sazonal e com ciclicidade aparente a cada 18 anos, acometendo, sobretudo, bovinos (86,9%) e equídeos (11,3%). Verificou-se grande difusão no estado (47,6% dos municípios), e a maior expansão geográfica aconteceu na última década. As áreas de ocorrência maior foram as mesorregiões Centro Oriental e de Curitiba, seguidas por Norte Pioneiro e Oeste. O número de casos de raiva por município se correlacionou, ainda que fracamente, com o número de abrigos de Desmodus rotundus (r=0,469; p<0,0001). Sugere-se que a imunização anual de bovinos e equídeos passe a ser adotada nas áreas de maior ocorrência (mesorregiões Centro Oriental e de Curitiba) e encorajada nas de ocorrência intermediária (mesorregiões Norte Pioneiro e Oeste).


#34 - Sudden death in cattle in southern Brazil: epidemiology and diagnosis, 36(1):19-23

Abstract in English:

ABSTRACT.- Estima-Silva P., Molarinho K.R., Marcolongo-Pereira C., Soares M.P., Sallis E.S.V., Ladeira S.R.L. & Schild A.L. 2016. [Sudden death in cattle in southern Brazil: epidemiology and diagnosis.] Morte súbita em bovinos no Sul do Rio Grande do Sul: epidemiologia e diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):19-23. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br A survey of cases with history of sudden death in cattle was conducted in all necropsy protocols of the Regional Diagnostic Laboratory of the Veterinary School of the Federal University of Pelotas (LRD/UFPel) from 2000 to 2014. We considered animals that had died unexpectedly without prior illness or clinical signs 24 hours before death (Category 1), or before they were moved or suffered some type of management and died after falls or trembling (Category 2). We identified 72 cases (3.5%) from those two categories of a total of 2,031 materials of cattle received in LRD/UFPel. The cases occurred in all seasons of the year. In 34 cases (47.2%), affected cattle had more than four years of age, in 23 cases (31.9%) cattle had between two and three years, and in 11 cases (15.3%) they were up to one year of age. In four protocols (5.6%) age was not reported. In 62 cases (86.1%) the cattle were in an extensive grazing system, in seven (9.7%), they were in a semi-intensive grazing system, and in three cases (4.2%), they were maintained in an intensive farming system. Out of the 72 cases observed, 52 (72.2%) were classified in Category 1 and 20 (27.8%) in Category 2. The diseases that caused more often sudden death, were cerebral babesiosis (10/72), organophosphates poisoning (10/72), anthrax (7/72), bacillary hemoglobinuria (5/72), and fulguration (3/72). Out of the 18 cases considered inconclusive, just five full necropsiey were performed, and of the other 15, the material submitted was considered negative for Bacillus anthracis, and the material did not allow investigation for other diseases. The results showed that sudden deaths in southern Rio Grande do Sul are caused by diseases, mostly well-known and endemic to the region, which can be controlled or prevented by vaccination and appropriate management. Organs sent to the lab instead of the full body, limit the possibilities of conclusive diagnosis in cases of sudden death. The large number of negative cases regarding Bacillus anthracis infection was due to anthrax being a frequent suspicion when cattle appear dead without clinical signs, and the result of sending inappropriate material for the right diagnosis.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Estima-Silva P., Molarinho K.R., Marcolongo-Pereira C., Soares M.P., Sallis E.S.V., Ladeira S.R.L. & Schild A.L. 2016. [Sudden death in cattle in southern Brazil: epidemiology and diagnosis.] Morte súbita em bovinos no Sul do Rio Grande do Sul: epidemiologia e diagnóstico. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):19-23. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Foi realizado um levantamento nos protocolos de necropsias de bovinos com histórico de morte súbita ou superaguda recebidos no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (LRD/UFPel) entre 2000 e 2014. Para o estudo foram considerados os casos em que os animais tinham morrido inesperadamente sem apresentação de uma doença prévia ou sinal clínico no intervalo de 24 horas antes da observação do cadáver (Categoria 1) ou bovinos movimentados ou que sofreram algum tipo de manejo e morreram após quedas ou tremores com observação destes sinais (Categoria 2). Foram identificados 72 casos ou surtos incluídos nestas duas categorias de um total de 2.031 cadáveres/materiais de bovinos recebidos no LRD/UFPel no período, representando 3,5% do total. Os casos ocorreram em todas as épocas do ano e em 34 casos (47,2%) os bovinos afetados eram adultos, em 23 casos (31,9%) tinham entre dois e três anos e em 11 (15,3%) tinham até um ano de idade. Em quatro protocolos (5,6%) a idade não foi informada. Em 62 casos (86,1%) a forma de criação era extensiva, em sete (9,7%) a forma era semi-intensiva e em três (4,2%) a forma era intensiva. Dos 72 casos/surtos observados 52 (72,2%) foram classificados na Categoria 1 e 20 (27,8%) na Categoria 2. As enfermidades que mais causaram morte súbita ou superaguda foram: babesiose cerebral (10/72), intoxicação por organofosforados (10/72), carbúnculo hemático (7/72), hemoglobinúria bacilar (5/72) e fulguração (3/72). Dos 18 casos inconclusivos em apenas cinco foi realizada a necropsia completa e nos 15 casos negativos a Bacillus anthracis o material remetido não permitiu a pesquisa de outras enfermidades. Os resultados obtidos, permitiram concluir que as mortes súbitas na região Sul do Rio Grande do Sul são causadas por doenças, na sua grande maioria, bem conhecidas e endêmicas da região e que podem ser controladas ou evitadas por vacinação e manejo adequados. O envio de órgãos ao laboratório, quando não é possível enviar o cadáver completo, pode limitar o diagnóstico conclusivo em casos de morte súbita/ superaguda. O número expressivo de casos negativos a Bacillus anthracis ocorre em consequência de carbúnculo hemático ser uma suspeita frequente quando bovinos aparecem mortos sem a apresentação de sinais clínicos resultando no envio de material inadequado para a realização de outros diagnósticos.


#35 - Epidemiology and distribution of extrarenal lesions of uremia in 161 dogs, 35(6):562-568

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silveira I.P., Inkelmann M.A., Tochetto C., Rosa F.B., Fighera R.A., Irigoyen L.F., & Kommers G.D. 2015. [Epidemiology and distribution of extrarenal lesions of uremia in 161 dogs.] Epidemiologia e distribuição de lesões extrarrenais de uremia em 161 cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):562-568. Laboratório de Patologia Veterinária, Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: glaukommers@yahoo.com The aim of this study was to determine the epidemiology and the morphological characteristics (including the anatomic localization) of the extrarenal uremic lesions, as well as to describe the main lesions of the urinary system associated with the occurrence of uremia, through analysis of the protocols of necropsies performed in dogs from January 1996 to December 2012 (17 years) at the Laboratório de Patologia Veterinária of the Universidade Federal de Santa Maria. A total of 4,201 dogs were necropsied and 161 (3.8%) had extrarenal uremic lesions. In 134 dogs (83.2%) clinical signs associated with uremia were reported. The extrarenal lesions more often observed, in descending order of prevalence, were ulcerative and hemorrhagic gastritis (56.5%), soft-tissue mineralization (55.9%), pulmonary edema (47.2%), ulcerative stomatitis and/or glossitis (30.4%), endocarditis/atrial and aortic thrombosis (28.6%), parathyroid hyperplasia (9.3%), fibrous osteodystrophy (8.1%), anemia (6.2%), ulcerative laryngitis (5%), ulcerative and hemorrhagic enteritis (3.7%), fibrinonecrotic esophagitis (1.9%), and fibrinous pericarditis (1.9%). In most of the cases, the extrarenal lesions of uremia were due to prolonged azotemia secondary to severe renal lesions, such as interstitial nephritis and glomerulonephritis (the most prevalent ones)

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silveira I.P., Inkelmann M.A., Tochetto C., Rosa F.B., Fighera R.A., Irigoyen L.F., & Kommers G.D. 2015. [Epidemiology and distribution of extrarenal lesions of uremia in 161 dogs.] Epidemiologia e distribuição de lesões extrarrenais de uremia em 161 cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(6):562-568. Laboratório de Patologia Veterinária, Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: glaukommers@yahoo.com Com o objetivo de determinar a epidemiologia e as características morfológicas, incluindo a localização anatômica, das lesões extrarrenais de uremia, bem como determinar as principais lesões do sistema urinário associadas à ocorrência de uremia, foram revisados os protocolos de necropsias de cães realizadas no Laboratório de Patologia Veterinária da Universidade Federal de Santa Maria de janeiro de 1996 a dezembro de 2012 (17 anos). Nesse período foram necropsiados 4.201 cães, sendo que 161 (3,8%) apresentaram lesões extrarrenais de uremia. Em 134 cães (83,2%) foram descritos sinais clínicos associados à uremia. As lesões extrarrenais mais frequentes, em ordem decrescente, foram: gastrite ulcerativa e hemorrágica (56,5%), mineralização de tecidos moles (55,9%), edema pulmonar (47,2%), estomatite e/ou glossite ulcerativa (30,4%), endocardite/trombose atrial e aórtica (28,6%), hiperplasia das paratireoides (9,3%), osteodistrofia fibrosa (8,1%), anemia (6,2%), laringite ulcerativa (5%), enterite ulcerativa/hemorrágica (3,7%), esofagite fibrinonecrótica (1,9%) e pericardite fibrinosa (1.9%). Na maioria dos casos as lesões extrarrenais de uremia foram decorrentes de azotemia prolongada por lesões renais graves, sendo as mais prevalentes a nefrite intersticial e a glomerulonefrite.


#36 - Molecular epidemiology and extended-spectrum &#946;-lactamases production of Klebsiella pneumoniae isolated from three dairy herds, 33(7):855-859

Abstract in English:

ABSTRACT.- Nóbrega D.B., Guiduce M.V.S., Guimarães F.F., Riboli D.F., Cunha M.L.R.S., Langoni H., Pantoja J.C.F. & Lucheis S.B. 2013. Molecular epidemiology and extended-spectrum &#946;-lactamases production of Klebsiella pneumoniae isolated from three dairy herds. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(7):855-859. Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-900, Brazil. E-mail: diegoborin@yahoo.com The objectives of this study were to isolate Klebsiella pneumoniae from different sources in three dairy cattle herds, to use the pulsed-field gel electrophoresis (PFGE) to measure genotypic similarities between isolates within a dairy herd, to verify the production of extended-spectrum &#946;-lactamases (ESBLs) by the double-disk synergy test (DDST), and to use the PCR to detect the main ESBLs subgroups genes. Three dairy farms were selected based on previous mastitis outbreaks caused by K. pneumoniae. Milk samples were collected from lactating cows and from the bulk tank. Swabs were performed in different locations, including milking parlors, waiting room, soil, animal’s hind limbs and rectum. K. pneumoniae was isolated from 27 cases of intramammary infections (IMI) and from 41 swabs. For farm A isolates from IMI and bulk tank were considered of the same PGFE subtype. One isolate from a bulk tank, three from IMI cases and four from environmental samples were positive in the DDST test. All eight DDST positive isolates harbored the blashv gene, one harbored the blatem gene, and three harbored the blactx-m gene, including the bulk tank isolate. Our study confirms that ESBL producing bacteria is present in different locations in dairy farms, and may be responsible for IMI. The detection of ESBLs on dairy herds could be a major concern for both public and animal health.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Nóbrega D.B., Guiduce M.V.S., Guimarães F.F., Riboli D.F., Cunha M.L.R.S., Langoni H., Pantoja J.C.F. & Lucheis S.B. 2013. Molecular epidemiology and extended-spectrum &#946;-lactamases production of Klebsiella pneumoniae isolated from three dairy herds. [Epidemiologia molecular e produção de b- lac-tamases de espectro estendido de Klebsiella pneumoniae isoladas de três propriedades leiteiras.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(7):855-859. Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-900, Brazil. E-mail: diegoborin@yahoo.com Os objetivos deste estudo foram isolar Klebsiella pneumoniae de diferentes localidades em três propriedades leiteiras, utilizar a eletroforese em campo pulsátil para averiguar similaridades genotípicas entre os isolados de uma mesma propriedade, verificar a produção de beta-lactamases de espectro estendido (ESBLs) pela prova da disco-difusão dupla associada (DDST) e utilizar a PCR para detecção dos principais subgrupos genéticos de ESBLs. Três propriedades leiteiras foram selecionadas baseando-se em surtos prévios de mastites causadas por K. pneumoniae. Amostras de leite foram coletadas de vacas em lactação e do tanque de expansão. Swabs foram realizados em diferentes localidades, incluindo salas de lactação, salas de espera, solo, reto e membros posteriores de animais. K. pneumoniae foi isolada de 27 casos de infecções intramamária (IMI) e de 41 swabs. Para a propriedade A os isolados de IMI e do tanque de expansão foram considerados do mesmo subtipo molecular. Um isolado do tanque de expansão, três de casos de IMI e quatro de amostras ambientais foram considerados positivos no teste da DDST. Todos os oito isolados DDST positivos portavam o gene blashv, um portava o gene blatem, e três portavam o gene blactx-m, incluindo um isolado de tanque de expansão. Nosso estudo confirma que bactérias produtoras de ESBLs estão presentes em diferentes localidades em propriedades leiteiras, e podem ser responsáveis por quadros de IMI. A detecção de ESBLs em propriedades leiteiras pode representar uma grande preocupação para saúde pública e para a saúde animal.


#37 - Economic impact, epidemiology and control poisonous plants in Brazil, 33(6):752-758

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T. & Riet-Correa F. 2013 [Economic impact, epidemiology and control poisonous plants in Brazil.] Importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):752-758. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, CSTR, Patos, PB 58700-310, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br The economic impact, epidemiology and control of plant poisonings in Brazil are reviewed. With the data obtained from diagnostic laboratories from different Brazilian regions, annual losses due to animal deaths are estimated in approximately 820.761 to 1.755.763 cattle, 399.800 to 445.309 sheep, 52.675 to 63.292 goats, and 38.559 horses. In Brazil toxic plants include 131 species within 79 genera, but this number is increasing continuously. However, most economic losses are caused by few plants including Palicourea marcgravii, Amorimia spp., Senecio spp., Pteridium aquilinum, Ateleia glazioviana and Cestrum laevigatum in cattle, Brachiaria spp. in cattle and sheep, Nierembergia veitchii, Mimosa tenuiflora and Ipomoea asarifolia in sheep, swainsonine-containing plants (Ipomoea carnea, Turbina cordata and Sida carpinifolia) in goats, and Brachiaria humidicola and Crotalaria retusa in horses. The main factors that determine the occurrence and frequency of plant poisoning include palatability, hunger, thirst, social facilitation, unawareness of the plant, access to toxic plants, toxic dose, ingestion period, variations in toxicity, and animal resistance/susceptibility. The results obtained in Brazil with the use of biological control, conditioned food aversion, selection of non-toxic varieties of forages, use of resistant animals to poisoning, and techniques to induce resistance are described.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pessoa C.R.M., Medeiros R.M.T. & Riet-Correa F. 2013 [Economic impact, epidemiology and control poisonous plants in Brazil.] Importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):752-758. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, CSTR, Patos, PB 58700-310, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br A importância econômica, epidemiologia e controle das intoxicações por plantas em animais domésticos no Brasil são revisadas. Com os dados dos laboratórios de diagnóstico de diferentes regiões do país, as perdas anuais por mortes de animais foram estimadas em 820.761 a 1.755.763 bovinos, 399.800 a 445.309 ovinos, 52.675 a 63.292 caprinos e 38.559 equinos. No Brasil, atualmente, o número de plantas tóxicas é de 131 espécies e 79 gêneros e aumenta permanentemente. No entanto, a maioria das perdas são causadas por poucas plantas, incluindo Palicourea marcgravii, Amorimia spp., Senecio spp., Pteridium aquilinum, Ateleia glazioviana e Cestrum laevigatum em bovinos, Brachiaria spp em bovinos e ovinos, Nierembergia veitchii, Mimosa tenuiflora e Ipomoea asarifolia em ovinos, plantas que contêm swainsonina (Ipomoea carnea, Turbina cordata e Sida carpinifolia) em caprinos e Brachiaria humidicola e Crotalaria retusa em equinos. Os principais fatores epidemiológicos relacionados às intoxicações por plantas incluem palatabilidade, fome, sede, facilitação social, desconhecimento da planta, acesso a plantas tóxicas, dose tóxica, período de ingestão, variações de toxicidade e resistência/susceptibilidade dos animais às intoxicações. Quanto aos métodos de controle e profilaxia descrevem-se os resultados obtidos no Brasil com métodos recentemente desenvolvidos, incluindo controle biológico, aversão alimentar condicionada, utilização de variedades não tóxicas de forrageiras, utilização de animais resistentes às intoxicações e técnicas de indução de resistência.


#38 - Epidemiology of leptospirosis at Sorocaba Zoo, São Paulo state, Southeastern Brazil, 32(11):1174-1178

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ullmann L.S., Neto R.N.D., Teixeira R.H.F., Nunes A.V., Silva R.C., Pereira-Richini V.B. & Langoni H. 2012. Epidemiology of leptospirosis at Sorocaba Zoo, São Paulo state, Southeastern Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(11):1174-1178. Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus Botucatu, Distrito de Rubião Junior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. *Corresponding author: leila_ullmann@yahoo.com.br Leptospirosis is considered a worldwide distributed zoonosis, caused by the bacteria Leptospira spp. Since several species of wildlife animals are reportedly reservoirs, the aim of the present study was to know the epidemiology of leptospirosis at the Sorocaba Zoo, Southern Brazil. Serum samples of wild mammals from Artiodactyla, Carnivora, Didelphimorphia, Diprotodontia, Perissodactyla, Pilosa, Primates, Proboscidea and Rodentia orders, kept in captivity as well as from zoological staff were assayed by microscopic agglutination test (MAT). Whole blood, urine and tissue samples from wild mammals and synanthropic animals were assayed by polymerase chain reaction (PCR). An epidemiological survey was applied to evaluate the risk factors for animal infection and staff level of knowledge on leptospirosis. A total of 13/229 (5.68%; CI95% 3.37-9.47%) serum samples from wild mammals were reagent on MAT. Serology from synanthropic animals, zoo staff and molecular analysis of animal samples were all negative. Leptospirosis knowledge of zoo park staff was considered medium. In conclusion, leptospiral infection occurs at the studied zoo but due to the low occurrence found, the lowest reported in literature, wild captive mammals do not act as source of infection of leptospirosis to other animals and human beings.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ullmann L.S., Neto R.N.D., Teixeira R.H.F., Nunes A.V., Silva R.C., Pereira-Richini V.B. & Langoni H. 2012. Epidemiology of leptospirosis at Sorocaba Zoo, São Paulo state, Southeastern Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(11):1174-1178. Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus Botucatu, Distrito de Rubião Junior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. *Corresponding author: leila_ullmann@yahoo.com.br A leptospirose é considerada uma zoonose de distribuição mundial, causada por bactérias do gênero Leptospira spp. Uma vez que muitas espécies de animais selvagens são consideradas como reservatórios, o objetivo do presente estudo foi conhecer a epidemiologia da leptospirose no Zoológico de Sorocaba, sudeste do Brasil. Amostras de soro de mamíferos selvagens cativos das ordens Artiodactyla, Carnivora, Didelphimorphia, Diprotodontia, Perissodactyla, Pilosa, Primates, Proboscidea e Rodentia, assim como dos funcionários do zoo foram analisados pela soroaglutinação microscópica (SAM). Sangue total, urina e amostras de tecidos dos animais selvagens e sinantrópicos foram analisados pela reação em cadeia pela polimerase (PCR). Um questionário epidemiológico foi aplicado para se avaliar os fatores de risco de infecção por leptospira dos animais e também para avaliar o grau de conhecimento dos funcionários do parque sobre a leptospirose. Um total de 13/229 (5,68%; CI95% 3.37-9.47%) amostras de soro dos mamíferos selvagens foram reagentes na SAM. A sorologia dos animais sinantrópicos, funcionários do zoológico e a análise molecular lograram-se negativas. O conhecimento dos funcionários sobre a leptospirose foi considerado médio. Em conclusão, a infecção leptospírica ocorre no parque zoológico estudado, porém devido à baixa ocorrência encontrada, a menor descrita na literatura, os mamíferos cativos não desempenham um papel de fonte de infecção para outros animais e para o homem.


#39 - Epidemiology of equine pythiosis in southern of Rio Grande do Sul State, Brazil, 32(9):865-868

Abstract in English:

ABSTRACT.- Marcolongo-Pereira C., Sallis E.S.V., Raffi M.B., Pereira D.I.B., Hinnah F.L., Coe- lho A.C.B. & Schild A.L. 2012. [Epidemiology of equine pythiosis in southern of Rio Grande do Sul State, Brazil.] Epidemiologia da pitiose equina na Região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):865-868. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br A survey of cases of equine pythiosis received by the Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, from January 1979 to July 2011, was made to determine the epidemiological conditions in which the disease occurs in southern Rio Grande do Sul. Samples from 1888 horses were received; 435 samples were from the integumentary system, of which 63 (14.5%) corresponded to pythiosis. The affected animals were of both sexes and their age ranged from 8 months to 22 years. Crioulo was the most prevalent breed. Most cases of pythiosis were sent to the laboratory between March and June. The evolution of the lesions due to pythiosis ranged from 2 weeks to 1 year. The municipalities with the greatest number of cases were Pelotas (22/63), Santa Vitória do Palmar (15/63) and Rio Grande (8/63). With respect to the climatic data, in most cases the maximum temperature in the probable month of infection was above or close to 30°C during at least one day. The observation of cases in the colder seasons of the year could be due to the stagnant water temperature higher than the temperature of the air, which allows the development of infective structures of Pythium insidiosum.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Marcolongo-Pereira C., Sallis E.S.V., Raffi M.B., Pereira D.I.B., Hinnah F.L., Coe- lho A.C.B. & Schild A.L. 2012. [Epidemiology of equine pythiosis in southern of Rio Grande do Sul State, Brazil.] Epidemiologia da pitiose equina na Região Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):865-868. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br Foi realizado um levantamento dos casos de pitiose equina recebidos no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas, no período de janeiro de 1979 a julho de 2011, com o objetivo de determinar as condições epidemiológicas em que a doença ocorre na região sul do Rio Grande do Sul. Nesse período foram recebidos 1888 materiais de equinos, dos quais, 435 eram provenientes do sistema tegumentar e 63 (14,5%) corresponderam à pitiose. Os animais afetados eram de ambos os sexos com idades variando entre oito meses e 22 anos. A raça mais frequentemente afetada foi a Crioula. A maioria dos casos de pitiose foi encaminhada ao laboratório entre março e junho. A evolução das lesões de pitiose variou de duas semanas até um ano. Os municípios com maior número de casos de pitiose foram Pelotas (22/63) Santa Vitória do Palmar (15/63) e Rio Grande (8/63). Foi observado que na maioria dos casos, no mês provável de infecção a temperatura máxima foi superior ou próxima a 30°C em pelo menos um dia. A observação de casos em épocas mais frias do ano pode ser devido ao fato da temperatura de águas estagnadas ser mais elevada que a temperatura ambiental o que permite o desenvolvimento das estruturas infectantes de Pythium insidiosum.


#40 - Seroepidemiology of toxoplasmosis in goats and sheep from three counties of Rio de Janeiro state, Brazil, 31(7):569-574

Abstract in English:

ABSTRACT.- Luciano D.M., Menezes R.C., Ferreira L.C., Nicolau J.L., Neves L.B., Luciano R.M., Dahroug M.A.A. & Amendoeira M.R.R. 2011. [Seroepidemiology of toxoplasmosis in goats and sheep from three counties of Rio de Janeiro state, Brazil.] Soroepidemiologia da toxoplasmose em caprinos e ovinos de três municípios do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(7):569-574. Laboratório de Toxoplasmose, Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz, Av. Brasil 4365, Rio de Janeiro, RJ 21040-360, Brazil. E-mail: amendoei@ioc.fiocruz.br Toxoplasmosis is a worldwide zoonosis caused by Toxoplasma gondii. Epidemiological surveys of T. gondii infection among livestock have great economical importance since this infection may cause abortion, growth retardation and neonatal mortality, with significant losses to breeders. In regard of public health, human infection can be acquired by ingestion of meat or milk in natura from infected livestock. The aim of this study was to assess the toxoplasmosis seroprevalence by indirect immunofluorescence antibody test (IFAT) in goats and sheep, in three counties of Rio de Janeiro state, from 10 different farms. The seroprevalences of anti-T.gondii IgG antibodies were 29.12% (60/206) in goats and 38.05% (137/360) in sheep, with titers ranging from 64 to 256, suggesting chronic infection. Association of each of the following epidemiological factors: female gender, adult age, extensive management system, grazing pasture and drinking lake water with seropositivity was observed only in sheep (p£0.05). Improvement in breeding conditions may reduce the sources of infection in herds.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Luciano D.M., Menezes R.C., Ferreira L.C., Nicolau J.L., Neves L.B., Luciano R.M., Dahroug M.A.A. & Amendoeira M.R.R. 2011. [Seroepidemiology of toxoplasmosis in goats and sheep from three counties of Rio de Janeiro state, Brazil.] Soroepidemiologia da toxoplasmose em caprinos e ovinos de três municípios do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(7):569-574. Laboratório de Toxoplasmose, Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz, Av. Brasil 4365, Rio de Janeiro, RJ 21040-360, Brazil. E-mail: amendoei@ioc.fiocruz.br A toxoplasmose é uma zoonose de ampla distribuição mundial, causada pelo Toxoplasma gondii. O estudo da prevalência desta infecção em animais produtores de carne e leite é de interesse à saúde pública, devido ao fato desses produtos oriundos de animais infectados serem importantes vias de transmissão para o homem, quando consumidos in natura. Além disso, há o aspecto econômico, uma vez que pode causar aborto, retardo no crescimento e animais debilitados, levando prejuízos ao pecuarista. Este trabalho objetivou estimar a soroprevalência da infecção por T. gondii, por meio da reação de imunofluorescência indireta (RIFI) em caprinos e ovinos de três municípios do estado do Rio de Janeiro, provenientes de 10 propriedades. A prevalência de anticorpos IgG anti-T.gondii foi de 29,12% (60/206) nos caprinos e de 38,05% (137/360) nos ovinos, sendo observada nessa última espécie associação (p£0,05) entre sexo (fêmeas), idade adulta, sistema de criação extensivo, dieta de pastagem e água de beber de açude com a soropositividade. Os títulos variaram de 64 a 256, podendo ser sugestivos de infecção crônica. Melhorias nas técnicas de criação podem reduzir as fontes de infecção por T. gondii nos rebanhos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV