Resultado da pesquisa (12)

Termo utilizado na pesquisa feedlot

#1 - Causes of death in feedlot beef cattle and their control: a brief review

Abstract in English:

This review reports the leading causes of death in feedlot beef cattle. It describes economic losses resulting from these deaths and suggests control alternatives. Diseases associated with the respiratory and digestive systems were the most frequently observed. In different geographical areas, the importance of each one might vary. Outbreaks of diseases such as botulism occur occasionally and can cause important economic losses. Cattle tick fever can cause significant losses in zones of enzootic tick instability. Technical assistance and sanitary and food management are critical for the best productivity in feedlot cattle.

Abstract in Portuguese:

Esta revisão discute as principais causas de morte em bovinos de corte em confinamento. Descreve as perdas econômicas resultantes dessas mortes e sugere alternativas de controle. As doenças associadas aos sistemas respiratório e digestivo foram as mais frequentemente observadas. Em diferentes áreas geográficas, a importância de cada uma pode variar. Surtos de doenças como o botulismo ocorrem ocasionalmente e podem causar importantes perdas econômicas. A tristeza parasitária bovina pode causar perdas significativas em zonas de instabilidade enzoótica do carrapato. A assistência técnica e um bom gerenciamento sanitário e alimentar são essenciais para a melhor produtividade em bovinos de corte confinados.


#2 - Causes of death of beef cattle raised in feedlots

Abstract in English:

The causes of death of cattle kept in pre-export feedlots (PEFs) and in feedlot for finishing for slaughter are described. Two studies were conducted: a retrospective study of mortality cases in feedlots from 2000 to 2017 registered at the “Laboratório Regional de Diagnóstico” of the “Faculdade de Veterinária” of the “Universidade Federal de Pelotas”; and a prospective study from January 2018 to August 2019, following up 22 feedlots for finishing and six PEFs for the export of live cattle. From January 2000 to August 2019 samples of 150 cases of diseases that affected feedlot cattle were received from 22 feedlots for finishing and 115 of the six PEFs followed. Mortality considering all diagnosed diseases was significantly higher in feedlots for finishing (p<0.05), than in PEFs for the export of live cattle, of 1% and 0.12%, respectively. Diseases of the digestive system were the most important causes, of death in feedlots regardless of its purpose. Acidosis presented the highest mortality rates both in feedlot for finishing (3.33%) as in PEFs for export (0.95%). In all cases the disease occurred due to failure in the adaptation of animals to the ingestion of concentrated foods. Bovine tick fever and pneumonia presented mortality rates of 0.13% and 0.09%, respectively in PEFs. In the feedlot for finishing seneciosis was the second cause of death due to cattle coming from areas with high infestation by the plant. In the present study, it was possible to identify the main diseases that occur in cattle feedlots for finishing or for the export of live animals in the southern region of Rio Grande do Sul. These diseases are known in other systems of cattle breeding and can be prevented or controlled through management, chemoprophylaxis or vaccination, minimizing losses due to mortality.

Abstract in Portuguese:

Descrevem-se as causas de morte de bovinos mantidos confinados em estabelecimentos pré-embarque (EPEs) para exportação de animais vivos e em estabelecimentos de terminação para abate. Foram realizados dois estudos: um retrospectivo dos casos de mortalidade em confinamentos de 2000 a 2017 registrados no Laboratório Regional de Diagnóstico da Faculdade de Veterinária da Universidade Federal de Pelotas; e um estudo prospectivo de janeiro de 2018 a agosto de 2019, acompanhando-se 22 confinamentos de terminação e seis EPEs para exportação de bovinos vivos. No total, de janeiro de 2000 a agosto de 2019 foram recebidos no LRD-UFPel amostras de 150 casos de enfermidades que afetaram bovinos confinados, 35 provenientes de 22 confinamentos de terminação e 115 dos seis EPEs acompanhados. A mortalidade considerando-se todas as enfermidades diagnosticadas foi significativamente maior nos confinamentos para terminação (p<0,05), do que nos EPEs para exportação de bovinos vivos, de 1% e 0,12%, respectivamente. As doenças do sistema digestivo foram as causas de morte mais importante nos confinamentos, independente da finalidade. Acidose apresentou as maiores taxas de mortalidade tanto nos confinamentos para terminação (3,33%) como nos EPEs para exportação (0,95%). Em todos os casos a doença ocorreu devido a falha na adaptação dos animais à ingestão de alimentos concentrados. Tristeza parasitária bovina e pneumonias apresentaram taxas de mortalidade de 0,13% e 0,09, respectivamente em EPEs de exportação. Nos confinamentos para terminação a seneciose foi a segunda causa de morte devido aos bovinos serem provenientes de áreas com alta infestação pela planta. Este estudo permitiu identificar as principais enfermidades diagnosticadas em confinamentos para terminação de bovinos ou para exportação de bovinos vivos na região Sul do Rio Grande do Sul. Observou-se que são doenças que ocorrem em outros sistemas de criação de bovinos e que podem ser prevenidas ou controladas por meio de manejo, quimioprofilaxia ou vacinação, minimizando prejuízos por mortalidade de animais.


#3 - Necrohemorrhagic enteritis outbreak in a cattle feedlot in Nova Crixás, Goiás, Brazil

Abstract in English:

This study described an outbreak of necrohemorrhagic enteritis in a beef cattle feedlot in Nova Crixás, State of Goiás, Brazil, with emphasis on epidemiological, lesional, and laboratory aspects. Visits to the property were carried out and a necroscopic examination was performed on the bovine cadavers (N=57), which presented similar macroscopic alterations. Epidemiological data were collected, mainly referring to the feeding management of animals, and tissue samples were submitted to histopathological examination. Samples of feces and intestinal contents were also collected for bacterial isolation and PCR genotyping to detect the etiological agent, being confirmed Clostridium perfringens type A strains in 100% of the samples. Furthermore, 33.3% of strains isolated from intestinal contents and 40% of those isolated from feces were positive for beta-2 encoding gene. Considering the history, macroscopic and microscopic findings, as well as bacterial isolation and PCR, the diagnosis of bovine necrohemorrhagic enteritis was determined.

Abstract in Portuguese:

Descreve-se um surto de enterite necro hemorrágica em um confinamento de bovinos de corte no município de Nova Crixás, Estado de Goiás, Brasil, com ênfase nos aspectos epidemiológicos, lesionais e laboratoriais. Foram realizadas visitas à propriedade e todos os cadáveres bovinos (N=57) foram submetidos ao exame necroscópico, os quais apresentaram alterações macroscópicas semelhantes. Foram compilados dados epidemiológicos, sobretudo referentes ao manejo alimentar dos animais e amostras de tecido foram submetidas a exame histopatológico. Foram colhidas, também, amostras de fezes e conteúdo intestinal para isolamento bacteriano e genotipagem por PCR para detecção do agente etiológico, sendo confirmadas estirpes de Clostridium perfringens tipo A em 100% das amostras. Ainda, 33,3% das cepas de Clostridium perfringens isoladas no conteúdo intestinal e 40% daquelas isoladas nas fezes foram positivas para o gene codificador da toxina beta-2. Considerando o histórico, os achados macroscópicos e microscópicos, o isolamento bacteriano e o PCR, foi estabelecido o diagnóstico de enterite necro-hemorrágica por C. perfringens tipo A.


#4 - Economic impact of an outbreak of botulism in a cattle feedlot

Abstract in English:

Botulism is a febrile disease, fatal in most cases, which affects the muscles of locomotion, chewing, and swallowing, as well as the diaphragm and intercostal muscles, causing flaccid paralysis and respiratory arrest. In bovines, the etiology is due to the ingestion of neurotoxins types C and D formed by the bacterium Clostridium botulinum in an animal or vegetal substance, during decomposition. Vaccination is one of the most effective prophylactic means to prevent this disease. In this study, an outbreak of botulism was evaluated in a feedlot with 6,300 finishing cattle, wherein 25 died as a consequence of contracting this disease. The economic losses resulting from the deaths were analyzed, and economic analysis was conducted, involving the estimated cost of vaccination for the whole herd under risk, with the objective of evaluating whether this prophylactic practice is a viable action plan. The financial loss due to the deaths resulting from botulism in the case studied was found to be R$55,560.00, equivalent to 0.39% of the total monetary value of the herd. The cost of immunizing the entire herd under risk was 14.06% (for toxins exclusive to toxins C and D) and 22.22% (for polyvalent vaccines against clostridiosis) of the financial loss incurred as a consequence of the recorded deaths. It was concluded that botulism is a disease that can cause a significant economic impact on intensive livestock production systems, and that vaccination is an economically viable prophylactic action if performed with adequate sanitary planning.

Abstract in Portuguese:

O botulismo é uma doença afebril, fatal na maioria dos casos, que afeta os músculos da locomoção, mastigação, deglutição e também o diafragma e os músculos intercostais, causando paralisia flácida e parada respiratória. Nos bovinos a etiologia é devido à ingestão de neurotoxinas tipos C e D previamente formadas pela bactéria Clostridium botulinum em matéria animal ou vegetal em decomposição. A vacinação é um dos meios profiláticos mais eficazes para prevenir esta doença. Neste trabalho, estudou‑se um surto de botulismo em um confinamento com 6300 bovinos em terminação, no qual 25 morreram devido a esta doença. Foram analisadas as perdas econômicas em consequência das mortes, e por meio do percentual do prejuízo contabilizado, foi realizada uma análise econômica referente ao custo estimado da vacinação para todo do rebanho sob-risco com o objetivo de avaliar se esta prática profilática é um plano de ação viável. Como resultado, o prejuízo financeiro devido às mortes resultantes do botulismo no caso estudado foi de R$ 55.560,00 o equivalente a 0,39% do valor monetário total do rebanho. O custo da vacinação para imunizar todo o rebanho sob-risco foi equivalente a 14,06% (para vacinas exclusivas para toxinas C e D) e 22,22% (para vacinas polivalentes contra clostridioses) relativo ao prejuízo financeiro em consequência dos óbitos registrados. Concluiu-se que o botulismo é uma doença que pode provocar impacto econômico significativo em sistemas de corte intensivos em bovinos, e que, a vacinação é um meio profilático economicamente viável se for realizada por meio de um planejamento sanitário adequado.


#5 - Major health problems and their economic impact on beef cattle under two different feedlot systems in Brazil, 36(9):837-843

Abstract in English:

ABSTRACT.- Malafaia P., Granato T.A.L., Costa R.M., Souza V.C., Costa D.F.A. & Tokarnia C.H. 2016. Major health problems and their economic impact on beef cattle under two different feedlot systems in Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):837-843. Departamento de Nutrição Animal e Pastagem, Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: malafaia_ufrrj@yahoo.com.br This study aimed to describe the diagnosis of health problems and to evaluate the cost of their treatment for cattle raised in feedlots to be slaughtered or to be sold as sires for cow-calf systems. Bovine respiratory disease and digestive disorders were the main problems diagnosed in the feedlot for slaughter; the cost for treatment was high, accounting for 9.7 to 20.9 kg of live weight (LW) or the equivalent of 7 to 15% of total LW gained over the days on feed. Due to the high intake of starch-rich concentrate, rumen and fecal pH was lower, whilst rumen osmolarity and blood lactate were higher in cattle fed for slaughter. Cattle affected by digestive disorders spent on average four additional days in the feedlot. Diseases and cost of treatments were associated with lower average daily gain and considerable economic losses. Health problems commonly observed in the feedlots for slaughter were not observed in the feedlots for males to be sold as sires. The most likely reason for this observation was the more careful nutrition and prophylactic health management in sire production systems, which produce animals of much higher selling price. Results from this study suggest that health problems found in feedlots for slaughter may not only reduce animal productivity and pro&#64257;tability, but also the welfare of the animals. The systemic understaffing of livestock cattle workers and veterinarians in large feedlots in Brazil results in under reporting of diseases and lack to understand epidemiological context and disease prevention.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Malafaia P., Granato T.A.L., Costa R.M., Souza V.C., Costa D.F.A. & Tokarnia C.H. 2016. Major health problems and their economic impact on beef cattle under two different feedlot systems in Brazil. [Principais problemas sanitários e seu impacto econômico em bovinos de corte criados em diferentes tipos de confinamento no Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):837-843. Departamento de Nutrição Animal e Pastagem, Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: malafaia_ufrrj@yahoo.com.br No presente estudo coletou-se e se interpretou dados sobre os principais problemas sanitários, bem como a respeito dos custos com os tratamentos de bovinos de corte confinados em dois sistemas diferentes: o tradicional, isto é, aquele que objetiva produzir animais prontos para o abate e o sistema de produção de touros destinados à venda destes como reprodutores. A porcentagem de bovinos confinados para o abate e que adquiriram problemas sanitários foi consideravelmente maior do que nos sistemas que os confinam para a venda como futuros reprodutores. As pneumonias e os transtornos digestórios foram os principais problemas diagnosticados no confinamento para o abate e os custos com os tratamentos foram elevados e, em média, representaram entre 9,7 e 20,9 kg de peso vivo ou o equivalente de 7 a 15% das arrobas ganhas durante o período confinado. O crescimento exagerado e a aglutinação (paraqueratose) das papilas ruminais foram os principais achados macroscópicos nos rúmens dos bovinos confinados para o abate. Devido à maior ingestão de grãos, o pH ruminal e fecal foi sempre menor, enquanto que a osmolaridade ruminal e o lactato sanguíneo foi sempre maior nos animais confinados para o abate. O tempo de permanência no confinamento foi maior, em média 4 dias, para os animais que adquiriram qualquer problema digestório. Isso, aliado ao fato de também terem os menores ganhos de peso diários, pode resultar em um considerável prejuízo. Os ganhos de peso diários foram similares para os animais confinados (que ingeriram mais de 85% de concentrados) para o abate e para os que foram confinados para a venda como reprodutores, que consumiram cerca de 50% de concentrados em sua dieta.


#6 - Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation, 36(1):1-12

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Rodrigues M.M.P., Dantas G.N., Sacco S.R., Lopes R.S., Dias A. & Gonçalves R.C. 2016. [Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation.] Avaliação clínica, laboratorial e anatomopatológica do sistema urinário de ovinos confinados com ou sem suplementação de cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):1-12. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com The urinary acidification with ammonium chloride (AC) is an efficient preventive method for urolithiasis in sheep. The objectives of this study with feedlot sheep receiving concentrated diet with high protein content were (1) to verify the effect of diet on urolith formation and development of the disease, (2) to analyze the macroscopic and histopathological characteristics of the urinary system, and (3) to relate the clinical, laboratory and necropsy findings with the presence of uroliths. Sixty male sheep were used: AC group (n=40), 400mg/kg AC/day, orally treated for 42 consecutive days, and control group (n=20), untreated. Seven times were determined for sampling with a seven-day interval, totaling 56 days of feedlot. Small uroliths were found in the renal pelvis of five sheep in both groups. The most relevant microscopic renal lesions were vascular congestion and tubular necrosis. It was concluded that the highly concentrated diet caused renal injury in both groups, without changing the renal function, what was proven by laboratory tests of urea and creatinine. Ammonium chloride provided to the CA group did not prevent urolith formation, but reduced its prevalence in comparison with the control group. Sheep of the control group had increased kidney damage, which resulted in higher incidence of crystalluria and tubular necrosis induced by the consumption of a diet rich in grains.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santarosa B.P., Ferreira D.O.L., Rodrigues M.M.P., Dantas G.N., Sacco S.R., Lopes R.S., Dias A. & Gonçalves R.C. 2016. [Clinical, laboratory and anatomopathological evaluation of the urinary system of feedlot sheep with or without ammonium chloride supplementation.] Avaliação clínica, laboratorial e anatomopatológica do sistema urinário de ovinos confinados com ou sem suplementação de cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(1):1-12. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: biancasantarosavet@gmail.com A acidificação urinária com cloreto de amônio (CA) é um método preventivo eficiente em urolitíase obstrutiva em ovinos. Os objetivos deste estudo com ovinos confinados, que receberam dieta concentrada com elevado teor proteico, foram: verificar o efeito da dieta sobre a formação de urólitos e o desenvolvimento da doença; analisar as características macroscópicas e histopatológicas do sistema urinário; relacionar os achados clínicos, laboratoriais e necroscópicos com a presença de urólitos. Utilizaram-se 60 ovinos machos: grupo CA (n=40), 400 mg/kg CA/dia, tratados via oral, por 42 dias consecutivos; grupo-controle (n=20), não tratado. Determinaram-se sete momentos de colheita de amostras com intervalos de sete dias, no total de 56 dias de confinamento. Encontraram-se microcálculos na pelve renal em cinco animais de ambos os grupos. As lesões renais microscópicas mais relevantes foram congestão vascular e necrose tubular. Concluiu-se que a dieta rica em concentrado provocou lesão renal em ambos os grupos, embora sem alterar a função renal, o que foi comprovado em testes pela ureia e creatinina séricas. O cloreto de amônio fornecido ao grupo CA não impediu a calculogênese, mas reduziu sua prevalência em relação ao grupo-controle. Os ovinos do grupo-controle tiveram maior comprometimento renal, pela alta incidência de cristalúria e pela necrose tubular, induzidas pelo consumo da dieta rica em grãos.


#7 - Renal and bladder ultrasound changes in feedlot sheep and supplemented with ammonium chloride, 34(Supl.1):99-106

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Belotta A.F., Mamprim M.J., Silva A.A., Dias A., Chiacchio S.B. & Gonçalves R.C. 2014. [Renal and bladder ultrasound changes in feedlot sheep and supplemented with ammonium chloride.] Alterações ultrassonográficas renais e vesicais de ovinos confinados e suplementados com cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):99-106. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com The incidence of obstructive urolithiasis in sheep is high, especially in feedlot males, both for meat production, or the breeder of high genetic value. The urinary acidification is one of the methods for preventing this disease and can be performed efficiently with supplementation of ammonium chloride (AC) in the diet. It was used 100 male lambs, in a feedlot, crossbred (Ile de France X White Dorper), aged approximately three months. It was constituted three groups: Group 21AC (n=40) that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 21 consecutive days, the time of discontinuation of the urinary acidifiers (M3) and continued clinical follow until the end of the experiment (M6); Group 42AC (n=40), that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 42 consecutive days, Group control (n=20), that did not receive ammonium chloride throughout the experimental period. The feed consisted of total dry matter, composed of 15% ground hay and 85% concentrate, water and mineral salts ad libitum. After 14 days of adaptation to food and the environment, the moments (M) for clinical evaluation, and blood collection ultrasound examinations were performed with an interval of seven days, and M0 (immediately before the beginning of the treatment with ammonium chloride), M1 (seven days), M2 (14 days after), M3 (21 days after initiation of treatment and suspension of ammonium chloride in Group 21CA), M4 (28 days), M5 (35 days), and M6 (42 days), amounting to 56 days of feedlot. The serum urea and creatinine showed no change in renal function, although the urea was above the reference values for sheep. There were compatible ultrasound images with bladder stones and dilatation of the renal pelvis. In Group 21AC, 15% (6/40) of the animals had bladder stones; in Group 42AC 5% (2/40); and in Group control, 20% (4/20) of the lambs. It was visualized suggestive images of sediment and crystals in 31% (31/100) of examined animals. Ultrasonography allowed visualization of kidney and bladder abnormalities, which were not related to clinical symptoms of obstructive urolithiasis, appearing as an examination complement of great importance for the early detection of changes in the urinary system of sheep.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Belotta A.F., Mamprim M.J., Silva A.A., Dias A., Chiacchio S.B. & Gonçalves R.C. 2014. [Renal and bladder ultrasound changes in feedlot sheep and supplemented with ammonium chloride.] Alterações ultrassonográficas renais e vesicais de ovinos confinados e suplementados com cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):99-106. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com A incidência da urolitíase obstrutiva em ovinos é elevada, principalmente em machos confinados, tanto para produção de carne, quanto reprodutores de alto valor genético. A acidificação urinária é um dos métodos para prevenção desta enfermidade e pode ser realizada de forma eficaz com a suplementação de cloreto de amônio (CA) na dieta. Utilizaram-se 100 ovinos, machos não castrados, mestiços (Ile de France X White Dorper), confinados, com idade aproximada de três meses. Constituíram-se três grupos experimentais: Grupo 21CA (n=40) que recebeu 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia, por 21 dias consecutivos; Grupo 42CA (n=40) que foi suplementado com 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia, por 42 dias consecutivos; Grupo controle (n=20), que não recebeu CA. A alimentação consistiu de ração total, composta por 15% de feno triturado e 85% de concentrado, água e sal mineral ad libitum. Após 14 dias de adaptação à alimentação e ao ambiente, os Momentos (M) de avaliação clínica, colheita de sangue e exame ultrassonográfico foram realizados com intervalo de sete dias, sendo M0 (imediatamente antes do início do tratamento com cloreto de amônio), M1 (sete dias após), M2 (14 dias após), M3 (21 dias após o início do tratamento e suspensão do cloreto de amônio em Grupo 21CA), M4 (28 dias após), M5 (35 dias após) e M6 (42 dias após), totalizando 56 dias de confinamento. As dosagens de ureia e creatinina não evidenciaram alteração na função renal, embora a ureia estivesse acima dos valores de referência para espécie ovina. Observaram-se imagens ultrassonográficas compatíveis com cálculos vesicais e dilatação de pelve renal. No Grupo 21CA, 15% (6/40) dos animais apresentaram cálculos vesicais; no Grupo 42CA, 5% (2/40); e no Grupo controle, 20% (4/20) dos cordeiros. Visibilizaram-se também imagens sugestivas de sedimentos e cristais em 31% (31/100) dos animais examinados. A ultrassonografia permitiu a visibilização de alterações renais e vesicais, porém não relacionados ao quadro clínico de urolitíase obstrutiva, revelando-se como um exame complementar de grande relevância para o diagnóstico precoce de alterações no sistema urinário de ovinos.


#8 - Effect of supplementation of ammonium chloride on electrolyte and acid-base balances and urinary pH of feedlot sheep, 34(8):797-804

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Sacco S.R., Dias A., Amorim R.M., Chiacchio S.B., Lisbôa J.A.N. & Gonçalves R.C. 2014. [Effect of supplementation of ammonium chloride on electrolyte and acid-base balances and urinary pH of feedlot sheep.] Efeito da suplementação de cloreto de amônio sobre o equilíbrio ácido-básico e o pH urinário de ovinos confinados. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):797-804. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com The incidence of obstructive urolithiasis in sheep is high, especially in feedlot males, both for meat production, or the breeder of high genetic value. The urinary acidification is one way to prevent this disease and can be performed effectively supplementation with ammonium chloride in the diet, which may facilitate the installation of metabolic acidosis. The blood gas analysis evaluates the acid-base balance of blood in a practical and easy way. In this study, it was evaluated the effect of ammonium chloride on acid-base and electrolyte in feedlot sheep blood gas analysis to determine the occurrence of metabolic acidosis. It was used 100 male lambs, in a feedlot, aged approximately three months. It was constituted three groups: Group I (n=40) that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 21 consecutive days, the time of discontinuation of the urinary acidifiers (M3) and continued clinical follow until the end of the experiment (M6); Group II (n=40), that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 42 consecutive days, Group III (n=20), that did not receive ammonium chloride throughout the experimental period. The moments (M) of samples and clinical assessment were established on seven days of interval, M0 (immediately before the beginning of the treatment with ammonium chloride), M1 (seven days after), M2, M3, M4, M5 and M6, totalizing 56 days of feedlot. The feed consisted of a total mixed ration consisting of 15% of ground hay and 85 % of concentrate, water and mineral salt ad libitum. After 15 days of adaptation to the diet of feedlot, urine samples for measurement of pH, and venous blood for blood gas analysis were collected from all animals at different moments. The urinary acidification was maintained as was the administration of ammonium chloride in GI and GII. The values of Na+ and K+ remained within the normal range for the species. Ammonium chloride caused metabolic acidosis compensated change in GI and GII, confirmed by values of HCO3- and EB below the reference values, with a normal pH, and high levels of Cl-, and decreased SID. It was concluded that although ammonium chloride to cause decrease of alkalinity in the body, caused no loss in animal development and can be used as a preventive agent obstructive urolithiasis in sheep.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Sacco S.R., Dias A., Amorim R.M., Chiacchio S.B., Lisbôa J.A.N. & Gonçalves R.C. 2014. [Effect of supplementation of ammonium chloride on electrolyte and acid-base balances and urinary pH of feedlot sheep.] Efeito da suplementação de cloreto de amônio sobre o equilíbrio ácido-básico e o pH urinário de ovinos confinados. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):797-804. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com A incidência da urolitíase obstrutiva em ovinos é elevada, principalmente em machos confinados, tanto para produção de carne, quanto reprodutores de alto valor genético. A acidificação urinária é um dos métodos para prevenção desta enfermidade e pode ser realizada de forma eficaz com a suplementação de cloreto de amônio na dieta, que pode propiciar a instalação de acidose metabólica. A hemogasometria avalia o equilíbrio ácido-básico sanguíneo de forma prática e fácil. Neste trabalho, avaliou-se o efeito do cloreto de amônio sobre o equilíbrio ácido-básico e eletrolítico de ovinos em confinamento para quantificar a acidose metabólica desenvolvida. Utilizaram-se 100 ovinos, machos, confinados, com idade aproximada de três meses. Constituíram-se três grupos experimentais: Grupo I (n=40), recebeu 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia por 21 dias consecutivos, momento da interrupção da administração do acidificante urinário (M3) e continuidade do acompanhamento clinico até o final do experimento (M6); Grupo II (n=40), 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia por 42 dias consecutivos; Grupo III (n=20), não recebeu cloreto de amônio durante todo o período do experimento. Os Momentos (M) de colheita de amostras e avaliação clínica foram estabelecidos com intervalo de sete dias, sendo M0 (imediatamente antes do início do tratamento com cloreto de amônio), M1 (sete dias após), M2, M3, M4, M5 e M6, totalizando 56 dias de confinamento. A alimentação consistiu de ração total, composta por 15% de feno triturado e 85% de concentrado, água e sal mineral ad libitum. Após adaptação de 15 dias à dieta de confinamento, colheram-se de todos os animais amostras de urina para mensuração do pH, e sangue venoso para hemogasometria, nos diferentes momentos. A acidificação urinária foi mantida enquanto houve a administração de cloreto de amônio nos grupos GI e GII. Os valores de Na+ e K+ permaneceram dentro da normalidade para a espécie. O cloreto de amônio provocou acidose metabólica hiperclorêmica compensada nos grupos GI e GII, comprovada pelos valores reduzidos de HCO3-, EB e SID, pelos valores elevados de Cl- e pelo pH normal. Concluiu-se que o cloreto de amônio apesar de provocar diminuição da reserva alcalina no organismo, não interferiu com o desenvolvimento dos animais, podendo ser empregado como agente preventivo da urolitíase obstrutiva em ovinos.


#9 - Impact of ivermectin-resistant gastrointestinal nematodes in feedlot cattle in Argentina, 32(5):419-423

Abstract in English:

ABSTRACT.- Fazzio L.E, Yacachury N., Galvan W.R., Peruzzo E., Sanchez R.O. & Gimeno E.J. 2012. Impact of ivermectin-resistant gastrointestinal nematodes in feedlot cattle in Argentina. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(5):419-423. Facultad de Ciencias Veterinarias, Universidad Nacional de La Plata, calle 60 y 118, CC 296, B1900AVW, La Plata, Argentina. E-mail: fazzio@fcv.unlp.edu.ar The aim was to evaluate for 75 days the impact on production of the remaining burden of ivermectin (IVM)-resistant parasites in naturally infected feedlot calves. The herds came from tick-infested areas of cattle breeding where the systematic use of IVM to control tick increases the gastrointestinal parasites resistant to this drug. This investigation was carried out in two commercial feedlots in Buenos Aires province. In feedlot A, two groups of 35 animal each received IVM 1% and the other received ricobendazole (RBZ) 10% respectively. The same was done in feedlot B. On day 0, two groups of 35 animals were made in feedlots A and B. Fecal samples were taken on days 0, 22, 54 and 75 pos-treatment (PT), and body weight was registered, from each animal. Fecal samples were processed for individual count of eggs per gram (EPG) and pooled fecal culture was carried out for identification of the parasite genus in each sampling. Fecal egg count reduction test (FECR) was calculated on day 22 PT. The study design used was a totally randomized block, with commercial feedlot and sex as block variables. For data analysis, a mixed model of the SAS statistical program was used. The FECR average on day 22 was 28.4% in the IVM group, and 94,2 % in the RBZ group . From this date on, significant differences in EPG were kept until day 54. EPG counts were only equal near the end of the trial, on day 75 (p=0.16). In both commercial feedlots, especially in the IVM group, Cooperia spp. was the most prevalent parasite in the fecal cultures. Significant differences in weight (P<0.01) on post-treatment day 75 was found between the average weight in the RBZ and the IVM group (246 vs. 238 kg respectively), what means a difference of 8.3% in gains. The importance for production in the antiparasite failure treatment in commercial feedlots was demonstrated, and the need of pos-treatment controls to evaluate the efficacy of the antiparasitic administered is emphasized.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Fazzio L.E, Yacachury N., Galvan W.R., Peruzzo E., Sanchez R.O. & Gimeno E.J. 2012. Impact of ivermectin-resistant gastrointestinal nematodes in feedlot cattle in Argentina. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(5):419-423. Facultad de Ciencias Veterinarias, Universidad Nacional de La Plata, calle 60 y 118, CC 296, B1900AVW, La Plata, Argentina. E-mail: fazzio@fcv.unlp.edu.ar O objetivo deste trabalho foi avaliar durante 75 dias o impacto sobre a produção da carga de parasita-ivermectina (IVM) resistentes remanescentes em bezerros naturalmente infectados no confinamento. Os rebanhos são provenientes de áreas infestadas por carrapatos, onde o uso sistemático de IVM para o controle do carrapato aumenta a resistência de parasita gastrintestinais a esta droga. Este trabalho foi realizado em dois confinamentos comerciais na província de Buenos Aires. Na fazenda A, dois grupos de 35 animais cada receberam IVM 1% e ricobendazole (RBZ) 10%, respectivamente. O mesmo foi feito no confinamento B. No dia 0, dois grupos de 35 animais foram feitos nas fazendas A e B. As amostras fecais foram tomadas nos dias 0, 22, 54 e 75 pós-tratamento (PT) e o peso corporal foi registrado, de cada animal. Amostras fecais foram processadas para a contagem individual de ovos por grama (EPG). Amostras fecais foram agrupadas para a identificação do gênero parasitária. O teste de redução de ovos fecais (TROF) foi calculado no dia 22 PT. O desenho do estudo utilizado foi aquele dos blocos inteiramente randomizados, sendo confinamento comercial e sexo as variáveis de bloco. Para a análise dos dados, um modelo misto do programa estatístico SAS foi utilizado. A média TROF no dia 22 foi de 28,4% no grupo IVM e 94,2% no grupo RBZ. A partir desta data, diferenças significativas na EPG foram mantidas até o dia 54. Contas de OPG só foram iguais perto do fim do estudo, no dia 75 (p=0,16). Em ambos os confinamentos comerciais, especialmente no grupo IVM, Cooperia spp. foram os parasitos mais prevalentes nas culturas fecais. Diferenças significativas no peso (P<0,01) 75 dias pós-tratamento foram encontradas entre o peso médio nos grupos RBZ e IVM (246 vs 238 kg, respectivamente), o que significa uma diferença de 8,3% nos ganhos. A importância para a produção no tratamento da insuficiência antiparasitários em confinamento comercial foi demonstrada, bem como a necessidade de controles pós-tratamento para avaliar a eficácia dos antiparasitários administrados é enfatizada.


#10 - Experimental poisoning by Brachiaria decumbens in feedlot sheep, 30(3):195-202

Abstract in English:

RESUMO.- Saturnino K.C., Mariani T.M., Barbosa-Ferreira M., Brum K.B., Fernandes C.E.S. & Lemos R.A.A. 2010. [Experimental poisoning by Brachiaria decumbens in feedlot sheep.] Intoxicação experimental por Brachiaria decumbens em ovinos confinados. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(3):195-202. Departamento de Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS 79070-900, Brazil. E-mail: rlemos@nin.ufms.br Foi realizado estudo experimental de intoxicação por Brachiaria decumbens em ovinos confinados que receberam apenas esta forrageira como alimento. Os animais foram avaliados em três períodos do ano, com duração de 60 dias cada. As análises incluíram exame clínico e amostras de sangue para mensuração da atividade sérica das enzimas gama glutamiltransferase e aspartato aminotransferase com o objetivo de avaliar sua importância e utilidade no diagnóstico de fotossensibilização hepatógena causada pela planta. Foram descritos ainda, achados de necropsia e histopatológicos. Dos vinte e quatro animais confinados, cinco morreram no primeiro período (fevereiro a abril), quatro no segundo (junho a agosto) e dois no terceiro (outubro a dezembro), tendo como principais sinais clínicos anorexia, icterícia, fotofobia, dermatite leve, além de desidratação e apatia. Nos achados de necropsia foram constatados icterícia generalizada, vesícula biliar repleta e distendida, padrão lobular hepático evidente e, em dois casos, opacidade de córnea. As alterações microscópicas foram mais significativas no fígado com bilestase, tumefação e vacuolização de hepatócitos, sinusóides com macrófagos, proliferação de ductos e dúctulos biliares com infiltração linfocítica, que variaram na sua severidade conforme o tempo decorrido da ingestão da planta, além de imagens negativas de cristais no citoplasma de macrófagos presentes nos sinusóides hepáticos e no espaço periportal e cristais refringentes oticamente ativos, ocluindo a luz de ductos biliares. Os achados foram característicos de fotossensibilização hepatógena por B. decumbens, principalmente pela presença de fotofobia, mesmo quando os animais não apresentaram fotodermatite. O aumento da atividade sérica da gama glutamiltransferase teve alta correlação com a morte dos animais. O surgimento da elevação da atividade sérica de gama glutamiltransferase foi, em média, 11 dias antes da constatação dos sinais clínicos, validando sua importância no diagnóstico e na prevenção. A aspartato aminotransferase teve resultados inconsistentes. Treze animais não apresentaram sinais clínicos, apesar de serem constatadas significativas elevações nos níveis séricos das enzimas em questão, sugerindo a existência de indivíduos tolerantes/resistentes dentro do intervalo estabelecido. O modelo experimental foi adequado na caracterização da intoxicação de ovinos por B. decumbens, oferecendo subsídios para estimar preventivamente o risco de morte de ovinos intoxicados pela planta, além de ser útil para a realização de novos estudos da intoxicação por B. decumbens.

Abstract in Portuguese:

ABSTRACT.- Saturnino K.C., Mariani T.M., Barbosa-Ferreira M., Brum K.B., Fernandes C.E.S. & Lemos R.A.A. 2010. [Experimental poisoning by Brachiaria decumbens in feedlot sheep.] Intoxicação experimental por Brachiaria decumbens em ovinos confinados. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(3):195-202. Departamento de Medicina Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, MS 79070-900, Brazil. E-mail: rlemos@nin.ufms.br Brachiaria decumbens was fed as exclusive source of food to feedlot sheep. Sheep were evaluated in three periods of the year, of 60 days each, regarding their clinical status and was performed collection of blood samples to measure enzymatic activity of gamma glutamyltransferase and aspartate aminotransferase to evaluate their diagnostic importance and usefulness besides the clinical signs, necropsy and histopathology finds in hepatogenous photosensitization Brachiaria related. Out of 24 feedlot sheep, five died in the first period (February-April), four in the second (June-August) and two in the third (October-December). Main clinical signs were anorexia, jaundice, photophobia and two cases of slight dermatitis, besides dehydration, apathy and corneal opacity. Necropsy revealed generalized jaundice, distended gall bladder and liver with evident lobular pattern. The histological changes varied in severity according the time after the beginning of the plant ingestion; they were more significant in the liver and included bilestasis, swelling and vacuolation of hepatocytes, foammy macrophages, bile duct proliferation and mononuclear inflammatory cell infiltration, further crystal negative images were found within cytoplasm of macrophages present inside of hepatic sinusoid and in the periportal space and also optically active refringent crystal in the lumen of bile tubules. These finds are characteristic of hepatogenous photosensitization, mainly by presence of photophobia, even when the sheep did not present photodermatitis. The results of serum biochemistry activity, during the course of poisoning with strong relation between increased gamma glutamyltransferase activity, and lethality. Onset of arising gama glutamyltransferase activity was 11 days, in average, before beginning of clinical signs. Aspartate aminotransferase had increased activity only close to the beginning of clinical signs. Serum biochemistry results of GGT suggest that they are useful for a precocious diagnosis preventing deaths caused by ingestion of B. decumbens. Thirteen sheep didn’t show clinical signs despite significant increases on serum enzyme activity, suggesting the existence of tolerant/resistant individuals. The experimental model of feedlot was adequate to study B. decumbens toxicosis in sheep.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV