Resultado da pesquisa (2)

Termo utilizado na pesquisa recém-nascidos

#1 - Response of vital functions, Apgar and cortisol in the prognosis of vigor against neonatal factors of lambs

Abstract in English:

The management of lambs during the neonatal period has been studied in several researches due to the vital and hormonal organic adaptations undergone by the calf after birth. However, gender, number of pups and type of delivery play an important role in understanding neonatal vigor. The study of these groups with the monitoring of clinical evolution and cortisol metabolism becomes an indispensable subsidy for a better understanding of this neonatal phase, aiming to minimize the losses generated. The objective of this study was to evaluate the influence of gender, number of pups and type of delivery in the prognosis of neonatal vigor of lambs through clinical and cortisol diagnosis. Thirty crossbred Santa Inês lambs with Dorper in the neonatal phase were divided into three groups: male and female, number of pups (single and twin) and type of delivery (eutocic and dystocic). In each group, clinical evaluation of heart and respiratory rate, rectal temperature, Apgar score and weight were performed; and with the exception of cortisol, all evaluations were performed at fifteen and sixty minutes, as well as at twelve and twenty-four hours. In addition, blood samples were collected for cortisol dosage obtained in two moments at fifteen and sixty minutes using the radioimmunoassay technique. Among the three experimental groups related to lamb vigor, the heart rate was the only one that showed lower mean values ​​(P<0.05) at twenty-four hours in the male group 90.00±20.20bpm, twins 96.44±20.02bpm and eutocic 93.25±18.11bpm. Differences in respiratory rate values ​​were observed in the eutocic group (64.00±14.75mpm) at twenty‑four hours. In the group of males there was a significant reduction in body temperature during the evaluation moments (P<0.05). Lambs from the group of twins showed lower body weight during the evaluations. At both times the analysis of serum cortisol was less than at sixty minutes. It was concluded that soon after the birth there were marked changes in the physiological parameters and weight of Santa Inês lambs, but were not enough to cause negative effects on the vigor of the neonates, indicating the occurrence of effective neonatal adaptation capacity in this species.

Abstract in Portuguese:

O manejo dos cordeiros durante o período neonatal tem sido objeto de estudo em diversas pesquisas devido às adaptações orgânicas vitais e hormonais sofridas pela cria após o parto. Todavia, o gênero, número de filhotes e o tipo de parto parecem desempenhar um papel importante para melhor compreensão do vigor neonatal. Além disso, o estudo destes grupos com o acompanhamento da evolução clínica e do metabolismo do cortisol torna-se um subsidio indispensável para melhor compreensão dessa fase neonatal, visando minimizar as perdas geradas. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a influência do gênero, número de filhotes e tipo de parto na apresentação do vigor neonatal dos cordeiros através do diagnostico clinico e de cortisol. Foram utilizados trinta cordeiros mestiços da raça Santa Inês com Dorper em fase neonatal divididos em três grupos: gênero (macho e fêmea), número de filhotes (único e gemelar) e tipo de parto (eutócico e distócico). Em cada grupo, foi realizada a avaliação clínica da frequência cardíaca e respiratória, temperatura retal, escore Apgar e peso; e com a exceção do cortisol, todas as avaliações foram realizadas aos quinze e sessenta minutos, como também às doze e vinte e quatro horas. Adicionalmente, procedeu-se com a coleta de amostras de sangue total para dosagem de cortisol obtida em dois momentos aos quinze e sessenta minutos através da técnica de radioimunoensaio. Dentre os três grupos experimentais relacionados com vigor dos cordeiros, a frequência cardíaca foi a única que evidenciou menores médias (P<0,05) às vinte e quatro horas no grupo dos machos 90,00±20,20bpm, gêmeos 96,44±20,02bpm e eutócicos 93,25±18,11bpm. Observou‑se no grupo eutócico diferenças nos valores da frequência respiratória de 64,00±14,75mpm às vinte e quatro horas. No grupo dos machos houve redução significativa na temperatura corpórea durante os momentos de avaliação (P<0,05). Cordeiros do grupo de gêmeos demonstraram menor peso corpóreo durante as avaliações. Em ambos momentos a análise do cortisol sérico demonstrou se menor aos sessenta minutos. Pôde se concluir que logo após o parto ocorreram alterações marcantes nos parâmetros fisiológicos e peso de cordeiros Santa Inês, porém não foram suficientes para causar efeitos negativos sobre o vigor dos neonatos, indicando a ocorrência de efetiva capacidade de adaptação neonatal nesta espécie.


#2 - Macromolecules intestinal absorption period of goat kids after bovine colostrum intake, 32(8):794-802

Abstract in English:

ABSTRACT.- Yanaka R., Camargo D.G., Bovino F., Santos W.A., Dócusse M.R., Cavassano B.S. & Feitosa F.L.F. 2012. [Macromolecules intestinal absorption period of goat kids after bovine colostrum intake.] Período de absorção intestinal de macromoléculas em cabritos recém-nascidos após a ingestão de colostro bovino. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(8):794-802. Curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual Paulista, Campus de Araçatuba, Rua Clóvis Pestana 793, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: leydsonf@fmva.unesp.br After birth goat kids are dependent of colostrum immunoglobulins due to placental characteristics that don’t allow macromolecules passage from dam’s circulation. According to literature goat kids have colostrum immunoglobulin absorption capability for up to four days. Many physiological aspects of other species have been accepted and used for goats, but those related to passive immunity transference needs more investigation. The goals of the present study was to determine the period of macromolecules passage through gut wall to circulation until 36 hours postpartum and verify the duration of protective humoral immunity transferred by the ingestion of bovine and caprine colostrum. Sixty newborn goat kids were allocated into six treatment groups: T 0 (n=25), non-restricted natural ingestion of goat colostrum; T 1 (n=7), bovine colostrum from birth to two hours postpartum; T 2 (n=7), bovine colostrum ingestion between four to six hours after birth; T 3 (n=7), milk intake until the first eight hours and bovine colostrum administration between 10 to 12 hours postpartum; T 4 (n=7), milk ingestion for the first 18 hours and bovine colostrum ingestion between 22 and 24 hours after birth; T 5 (n=7), milk administration until 30 hours and bovine colostrum intake between 34 to 36 hours postpartum. The total protein (TP), gammaglobulin, immunoglobulin G (IgG) and gamma-glutamyltransferase (GGT) serum concentrations were determined. At birth all neonates presented lower values of the variables, with significant increase of TP and gammaglobulin at two days in groups T 0, T 1 and T 2, IgG and GGT increased in all groups. The treatments T 3, T 4 and T 5 were considered to induce failure of immunity passive transfer. The absorption of macromolecules by kid’s intestinal tract occurred until 36 hours postpartum, with better effectiveness until 12 hours. Antibody levels persist up to 75 days after bovine colostrum intake, but at this time their low concentrations doesn’t provide adequate protection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Yanaka R., Camargo D.G., Bovino F., Santos W.A., Dócusse M.R., Cavassano B.S. & Feitosa F.L.F. 2012. [Macromolecules intestinal absorption period of goat kids after bovine colostrum intake.] Período de absorção intestinal de macromoléculas em cabritos recém-nascidos após a ingestão de colostro bovino. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(8):794-802. Curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual Paulista, Campus de Araçatuba, Rua Clóvis Pestana 793, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: leydsonf@fmva.unesp.br Após o nascimento, os cabritos são dependentes das imunoglobulinas colostrais devido às características placentárias que não permitem a passagem de macromoléculas da circulação materna. De acordo com a literatura, os cabritos possuem capacidade absortiva por até quatro dias. Muitos aspectos fisiológicos de outras espécies são aceitos e utilizados para caprinos, mas aqueles relacionados à transferência de imunidade passiva precisam de investigação. Os objetivos do presente estudo foram determinar o período de passagem de macromoléculas da mucosa intestinal para a circulação e a duração da proteção humoral transferida passivamente pela ingestão de colostro bovino e caprino. Sessenta cabritos recém-nascidos foram distribuídos em seis tratamentos: T 0 (n=25), ingestão natural de colostro caprino à vontade; T 1 (n=7), colostro bovino entre o nascimento e duas horas pós-parto; T 2 (n=7), ingestão de colostro bovino entre quatro e seis horas pós-nascimento; T 3 (n=7), leite nas primeiras oito horas e colostro bovino entre 10 e 12 horas pós-parto; T 4 (n=7), ingestão de leite até 18 horas e colostro bovino entre 22 e 24 horas pós-nascimento; T 5 (n=7), leite até 30 horas e ingestão de colostro bovino entre 34 e 36 horas pós-parto. Determinaram-se as concentrações séricas de proteína total (PT), gamaglobulina, imunoglobulina G (IgG) e a atividade sérica de gama glutamiltransferase (GGT). Ao nascimento, todos os neonatos tiveram valores mais baixos das variáveis, com aumento significativo da PT e gamaglobulina, após dois dias, nos grupos T 0, T 1 e T 2; a IgG e GGT aumentaram em todos os grupos. Os tratamentos T 3, T 4 e T 5 foram considerados como indutores de falha de transferência de imunidade passiva. A absorção de macromoléculas pelo trato intestinal dos cabritos ocorreu até 36 horas pós-parto, sendo mais efetiva até 12 horas. Os níveis de anticorpos persistiram até 75 dias após a ingestão de colostro bovino, porém, com concentrações inadequadas.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV