Resultado da pesquisa (7)

Termo utilizado na pesquisa cardiovascular

#1 - Anesthetic quality and cardiovascular and respiratory effects of continuous intravenous infusion of tiletamine-zolazepam in bitches

Abstract in English:

The objective of this study was to evaluate the quality and recovery from anesthesia promoted by the tiletamine-zolazepam (TZ) combination administered intravenously (IV) continuously in bitches pre-medicated with acepromazine. Eight cross-bred, clinically healthy bitches weighing 13.7 ±1.9kg on average were used in this study. After a food fast of 12 h and a water fast of four hours, the animals were treated with acepromazine (0.1mg/kg, intramuscular) and, after 15 minutes, anesthesia was induced with a combination of tiletamine-zolazepam (2mg/kg, IV) immediately followed by continuous IV infusion thereof at a dose of 2mg/kg/h for 60 min. The following parameters were measured in all animals immediately before administration of acepromazine (M15), immediately before anesthetic induction (M0), and at 5, 10, 20, 30, 40, 50, and 60 min after initiation of continuous infusion (M5, M10, M20, M30, M40, M50, and M60): electrocardiography (ECG), heart rate (HR), mean arterial pressure (MAP), respiratory rate (RR), body temperature (BT), and arterial hemogasometry, with the last performed only at experimental times M15, M0, M30, and M60. A subcutaneous electrical stimulator was used to evaluate the degree of analgesia. Myorelaxation and quality of anesthetic recovery were also assessed, classifying these parameters as excellent, good, and poor. Anesthetic recovery time was recorded in minutes. HR increased significantly at time M10 in relation to that at M-15, and at times M5, M10, M40, and M50 in relation to that at M0. MAP decreased significantly at M20 and M30 compared with the baseline. BT decreased significantly at M50 compared with that at M0, but no hypothermia was observed. RR showed significant reduction at M5, M10, and M20 in relation to that at M-15, and at M5 and M10 in relation to that at M0, and bradypnoea was observed during the first 20 min after anesthetic induction. Significant decreases in the PR interval at times M10, M40, and M50 were observed in relation to that at M15. Amplitude of the R wave showed significant decrease at M20 compared with that at M-15. In the other ECG parameters, no significant difference was observed between the times evaluated. Hemogasometric parameters and analgesia did not show significant alterations. Myorelaxation and quality of anesthetic recovery were considered excellent. Recovery time was 15.1±7.7 min for positioning of sternal decubitus and 45.5±23.1 minutes for return of ambulation. Continuous IV administration of TZ combination does not produce satisfactory analgesia and does not cause severe cardiorespiratory and hemogasometric effects in bitches pre-medicated with acepromazine.

Abstract in Portuguese:

Objetivou-se avaliar a qualidade e a recuperação da anestesia promovida pela associação tiletamina-zolazepam, administrada por via intravenosa (IV) contínua, em cadelas pré-medicadas com acepromazina. Foram utilizadas oito cadelas, sem raças definidas, clinicamente sadias, pesando em média 13,7±1,9kg. Após jejum alimentar de 12 horas e hídrico de quatro horas, os animais foram medicados com acepromazina (0,1mg/kg, via intramuscular) e, após 15 minutos, a anestesia foi induzida com a associação tiletamina-zolazepam (2mg/kg, IV) seguida imediatamente pela infusão IV contínua da mesma, na dose de 2mg/kg/h, durante 60 minutos. Os parâmetros que foram mensurados em todos os animais, imediatamente antes da administração da acepromazina (M-15), imediatamente antes da indução anestésica (M0) e, aos 5, 10, 20, 30, 40, 50 e 60 minutos após o início da infusão contínua (M5, M10, M20, M30, M40, M50 e M60) foram os seguintes: eletrocardiografia (ECG), frequência cardíaca (FC), pressão arterial média (PAM), frequência respiratória (f), temperatura corpórea (TC) e hemogasometria arterial, esta sendo realizada apenas nos momentos M-15, M0, M30 e M60. Para avaliação do grau de analgesia foi empregado um estimulador elétrico subcutâneo. Também se avaliou o miorrelaxamento e a qualidade da recuperação anestésica, classificando estes parâmetros em: excelente, bom e ruim. O tempo de recuperação anestésica foi registrado em minutos. A FC aumentou significativamente no momento M10 em relação ao M-15, e nos momentos M5, M10, M40 e M50 em relação ao M0. A PAM diminuiu significativamente em M20 e M30 em comparação ao valor basal. A TC diminuiu significativamente em M50 em comparação ao M0, mas não foi observada hipotermia. A f apresentou uma redução significativa nos momentos M5, M10 e M20 em relação ao M-15, e em M5 e M10 em relação ao M0, sendo observado bradipneia durante os primeiros 20 minutos após a indução anestésica. Foram observadas diminuições significativas do intervalo PR nos momentos M10, M40 e M50, em relação ao M-15. A amplitude da onda R apresentou diminuição significativa em M20 em comparação ao M-15. Nos demais parâmetros da ECG não houve diferença significativa entre os momentos avaliados. Os parâmetros hemogasométricos e a analgesia não apresentaram alterações significativas. O miorrelaxamento e a qualidade da recuperação anestésica foram considerados excelentes. O período de recuperação foi de 15,1±7,7 minutos para posicionamento do decúbito esternal e 45,5±23,1 minutos para retorno da deambulação. A administração intravenosa contínua de tiletamina-zolazepam não produz analgesia satisfatória e não causa efeitos cardiorrespiratórios e hemogasométricos severos, em cadelas pré-tratadas com acepromazina.


#2 - Echocardiographic parameters and vertebral heart size (VHS) in lambs during the neonatal period, 38(9):1869-1877

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ulian C.M.V., Lourenço M.L.G., Inamassu L.R., Souza P.M., Mamprim M.J., Alfonso A. & Chiacchio S.B. 2018. Echocardiographic parameters and VHS in lambs during the neonatal period. [Parâmetros ecocardiográficos e tamanho cardíaco vertebral (VHS) em cordeiros durante o período neonatal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1869-1877. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Devido à imaturidade cardíaca, os recém-nascidos apresentam uma morfologia e débito cardíacos diferenciados quando comparado aos adultos. O objetivo deste estudo foi descrever as alterações cardíacas ecocardiográficas e silhueta cardíaca ao exame radiográfico a partir do método VHS (vertebral heart size) em cordeiros recém-nascidos durante o período neonatal. Vinte e oito cordeiros saudáveis da raça Ile de France foram avaliados desde o nascimento até os 35 dias de idade. Ao exame ecocardiográfico avaliou-se em sístole e diástole, os índices relacionados aos ventrículos direito (VD) e esquerdo (VE), a parede livre do ventrículo esquerdo, aorta (Ao), átrio esquerdo (Ae), septo e ponto E, e diâmetros finais. Foi feita a relação entre o átrio esquerdo e aorta, além da fração de ejeção e de encurtamento. O VHS foi mensurado a partir do tamanho dos eixos longo e curto do coração em relação às vértebras torácicas. Os resultados obtidos demonstraram aumento do VE em relação ao VD no decorrer dos 35 dias (p<0,05). Os índices calculados e a relação AE:Ao não tiveram diferença. Os valores de VHS tiveram distribuição normal com média de 9,67 vértebras em todo o período. Os parâmetros radiográficos e ecocardiográficos mostraram diferenças significativas entre os momentos analisados. Os valores VHS variaram de 8.4 a 11.2 vertebras. Para evitar que essas alterações sejam erroneamente interpretadas como cardiopatias na espécie, este estudo demonstra às peculiaridades do desenvolvimento cardíaco neonatal em cordeiros, além de descrever parâmetros para esta faixa etária em cordeiros da raça Ilê de France.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ulian C.M.V., Lourenço M.L.G., Inamassu L.R., Souza P.M., Mamprim M.J., Alfonso A. & Chiacchio S.B. 2018. Echocardiographic parameters and VHS in lambs during the neonatal period. [Parâmetros ecocardiográficos e tamanho cardíaco vertebral (VHS) em cordeiros durante o período neonatal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1869-1877. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Due to cardiac immaturity, newborns have a different morphology and cardiac output when compared with adults. The purpose of this study was to describe the cardiac changes in echocardiographic characteristics and vertebral heart size (VHS) in newborn lambs during the neonatal period. Twenty-eight healthy Ile de France lambs were evaluated from birth to 35 days old. With the assistance of echocardiography, this study evaluated, both in systole and diastole, indexes related to the right and left ventricles, the aorta (Ao), the left atrium (LA), the E point to septal separation (EPSS) and the thickness of the interventricular septum (VSd, VSs). The left atrium-to-aorta ratio (LA:Ao) was analyzed and both the shortening (SF%) and ejection fractions were calculated (EF%). The VHS was obtained by measuring the heart’s long and short axes and comparing it to the thoracic vertebrae. Throughout the first 35 days, the results obtained demonstrated an increased LV:RV ratio when compared to adult lambs. The calculated indexes and the LA:Ao ratio did not present statistically significant differences. The VHS values were normally distributed, presenting a mean of 9.67 vertebrae (v) during the entire period. Both radiographic and echocardiographic parameters showed significant differences between the analyzed moments. The VHS values ranged from 8.4v at the minimum end to 11.2v at the maximum. In order to prevent these changes from being misdiagnosed as heart diseases, this study contributed to take note of neonatal physiological anatomy peculiarities and in addition, it describes the parameters for this age in Ilê de France lambs.


#3 - Cardiac parameters during the estrous cycle of canine bitches, 37(3):295-299

Abstract in English:

ABSTRACT.- Souza R.C.A., Peres R., Sousa M.G. & Camacho A.A. 2017. Cardiac parameters during the estrous cycle of canine bitches. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):295-299. Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Unesp-Jaboticabal, Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Jaboticabal, SP 14870-000, Brazil, E-mail: camacho@fcav.unesp.br The cardiovascular parameters of canine bitches were assessed during the estrous cycle. A total of eleven mongrel female dogs were enrolled in a longitudinal prospective investigation. Six animals were bred during the study and were assigned into group I, in which evaluations were performed during proestrus, estrus, gestational diestrus and anestrus. The five remaining bitches were not bred and underwent evaluations during proestrus, estrus, nongestational diestrus and anestrus. The holter data showed a gradual increase in the minimum and mean heart rate along pregnancy, as well as a reduction during anestrus, which differed significantly among the distinct periods. The values for maximal heart rate documented during pregnancy were significantly lower than those recorded during anestrus, and a variation in the heart rate circadian rhythm was also found, as demonstrated by decreases at night and rises during the day. Cardiac rhythm had a similar performance in both pregnancy and anestrus. Likewise, the blood pressure, electrocardiography, and echocardiography data did not vary during the estrous cycle. The results support the role played by the autonomic nervous system during these two distinct periods in order to attain a heart rate that provides the blood needed by the female’s body during the various stages of the reproductive cycle. Further studies are needed to better clarify the cardiovascular compensatory neuroendocrine events that accompany gestation in this species.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Souza R.C.A., Peres R., Sousa M.G. & Camacho A.A. 2017. Cardiac parameters during the estrous cycle of canine bitches. [Parâmetros cardíacos durante o ciclo estral de cadelas.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(3):295-299. Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Unesp-Jaboticabal, Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Jaboticabal, SP 14870-000, Brazil, E-mail: camacho@fcav.unesp.br Os parâmetros cardiovasculares de fêmeas caninas foram avaliados durante o ciclo estral. Um total de onze cadelas sem raça definida foram incluídas nesta pesquisa prospectiva longitudinal. Seis animais foram colocados em reprodução durante o estudo e avaliados durante o proestro, estro, diestro gestacional e anestro. As cinco cadelas restantes não se reproduziram e foram avaliadas durante o proestro, estro, diestro não gestacional e anestro. Os dados derivados do holter indicaram aumento gradativo nas frequências cardíacas mínima e média durante a gestação, bem como redução durante o anestro, diferindo significativamente entre os distintos períodos. Os valores da frequência cardíaca máxima documentados durante a gestação foram significativamente inferiores àqueles registrados durante o anestro. Também foi identificada variação no ritmo circadiano da frequência cardíaca, conforme demonstrado por sua redução à noite e elevação durante o dia. No entanto, o ritmo cardíaco se comportou de modo semelhante tanto na gestação quanto no anestro. Da mesma forma, os dados de pressão sanguínea, eletrocardiografia e ecocardiografia não variaram durante o ciclo estral. Os resultados atestam o papel desempenhado pelo sistema nervoso autônomo ao longo desses dois períodos distintos, visando manter uma frequência cardíaca que garanta o suprimento sanguíneo necessário pelo organismo da fêmea durante os vários estágios do ciclo reprodutivo. Estudos adicionais são necessários para esclarecer mais detalhadamente os eventos neuroendócrinos e cardiovasculares compensatórios que acompanham a gestão nessa espécie.


#4 - Efficacy and hemodynamic effects of spinal anesthesia with isobaric, hypobaric or hyperbaric ropivacaine in dogs anesthetized with isoflurane, 37(2):137-144

Abstract in English:

ABSTRACT.- Abimussi C.J.X., Floriano B.P., Wagatsuma J.T., Canceli C.H.B., Ferreira J.Z., Garcia-Pereira F.L., Santos P.S.P. & Oliva V.N.L.S. 2017. [Efficacy and hemodynamic effects of spinal anesthesia with isobaric, hypobaric or hyperbaric ropivacaine in dogs anesthetized with isoflurane.] Eficácia e efeitos hemodinâmicos da anestesia raquidiana com ropivacaína isobárica, hipobárica ou hiperbárica em cães anestesiados com isofluorano. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):137-144. Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Rua Clóvis Pestana 793, Dona Amélia, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: cjxabimussi@hotmail.com The aim of the study was to assess hemodynamic changes and complications of spinal anesthesia with ropivacaine at different baricities. Six beagle dogs aged four years. The dogs were anesthetized with isoflurane and subjected to the following treatments: Ghypo = spinal anesthesia with hypobaric ropivacaine (0.5mL of 0.9% NaCl+0.5mL ropivacaine at 0.75%); Giso = isobaric spinal anesthesia (0.5mL of 0,906% NaCl+0.5mL ropivacaine at 0.75%); Ghyper = hyperbaric spinal anesthesia (0.5mL of 10% glucose+0.5mL ropivacaine at 0.75%). After induction to anesthesia and maintenance with isoflurane, animals were positioned in right lateral recumbency for pulmonary artery catheterization through the left jugular vein. Spinal anesthesia was carried out with injection of 1mL of local anesthetic using a 22G Quincke tip needle in the L5-L6 space along 1 minute. Dogs were maintained under inhalation anesthesia for 60 minutes in ventral recumbency. HR, FR, MAP, CO, mPAP and body temperature progressively increased in all groups, whereas PCWP increased only in GHYPO at all time points. The TPRI showed significantly higher values in GISO at M1, M5 and M10 compared to the other groups, except for M5, during which GISO differed only from GHYPER. The PVRI increased at M5 compared to MB in GISO. Side effects such as unilateral motor deficit, bladder atony, excitation, acute pain and chemosis were observed. The hemodynamic changes were not relevant, although inhalation anesthesia with isoflurane might have influenced the results. The changes observed in the study demonstrate that motor blockade is likely to be obtained with isobaric and hyperbaric ropivacaine, thereby confirming the influence of baricity on the type of nerve fibers on the spinal cord. The isobaric solution results in a mixed blockade (motor and sensory blockade). Hemodynamic changes such as hypotension and bradycardia were not evidenced in this study, although local anesthetics were administered in low volumes and together with isoflurane anesthesia. Regarding complications, post-anesthetic observation is warranted in order to identify and treat possible changes. Spinal anesthesia in the conditions studied did not cause hemodynamic changes in isoflurane-anesthetized dogs and is thus considered safe for routine practice, although a few complications are prone to occur.

Abstract in Portuguese:

ABSTRACT.- Abimussi C.J.X., Floriano B.P., Wagatsuma J.T., Canceli C.H.B., Ferreira J.Z., Garcia-Pereira F.L., Santos P.S.P. & Oliva V.N.L.S. 2017. [Efficacy and hemodynamic effects of spinal anesthesia with isobaric, hypobaric or hyperbaric ropivacaine in dogs anesthetized with isoflurane.] Eficácia e efeitos hemodinâmicos da anestesia raquidiana com ropivacaína isobárica, hipobárica ou hiperbárica em cães anestesiados com isofluorano. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):137-144. Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Rua Clóvis Pestana 793, Dona Amélia, Araçatuba, SP 16050-680, Brazil. E-mail: cjxabimussi@hotmail.com O presente estudo objetivou avaliar a anestesia raquidiana com ropivacaína em cães alterando a baricidade do anestésico local, investigando as alterações hemodinâmicas e complicações. Foram utilizados seis cães, Beagle, 4 anos, submetidos a anestesia inalatória com isofluorano e aos tratamentos: Ghipo = anestesia raquidiana hipobárica (0,5 mL NaCl 0,9% + 0,5 mL ropivacaína 0,75%); Giso = anestesia raquidiana isobárica (0,5 mL NaCl 1,53% + 0,5 mL ropivacaína 0,75%); Ghiper = anestesia raquidiana hiperbárica (0,5 mL glicose 10% + 0,5 mL ropivacaína 0,75%). Após indução anestésica e manutenção com isofluorano, os animais foram posicionados em decúbito lateral direito para a passagem de um cateter de artéria pulmonar pela veia jugular esquerda. Após esse procedimento, a punção subaracnóide foi realizada entre L5-L6 com uma agulha espinhal 22G, seguida da administração de 1 mL de anestésico local em 1 min. Os animais foram mantidos por 60 minutos anestesiados em decúbito ventral. A FC, f, PAM, DC, PAPm e TºC apresentaram aumento progressivo em todos os grupos enquanto que a PCPm, apenas no GHIPO, aumentou ao longo de todos os momentos. O IRPT no GISO apresentou valores significativamente superiores no M1, M5 e M10 comparado aos demais grupos, exceto no M5, em que o GISO diferiu somente do GHIPER. O IRVP no GISO aumentou no M5 em comparação ao MB. Foram observados efeitos adversos como déficit motor unilateral, atonia vesical, excitação, dor aguda e quemose. De acordo com os dados obtidos no presente estudo pode-se concluir que os animais que receberam anestesia raquidiana com as soluções hiperbárica e isobárica apresentaram maior bloqueio motor comprovando que a baricidade influencia diretamente o tipo de fibra a ser bloqueada. A utilização de solução isobárica resulta em um bloqueio misto (motor e sensitivo). As alterações hemodinâmicas descritas na literatura como, bradicardia e hipotensão, não puderam ser evidenciadas neste estudo embora o volume de anestésico tenha sido baixo associado a influência dos efeitos do isofluorano. Em relação às complicações evidenciadas, sugere-se acompanhamento pós-anestésico dos animais submetidos à anestesia raquidiana a fim de que quaisquer alterações possam ser identificadas precocemente e tratadas.


#5 - Clinical study and associated risk factors of cardiovascular alterations in dogs, 36(11):1095-1100

Abstract in English:

ABSTRACT.- Borges O.M.M., Araújo S.B., Azevedo S.S., Tanikawa A., Santana V.L., Silva R.M.N. & Souza A.P. 2016. [Clinical study and associated risk factors of cardiovascular alterations in dogs.] Estudo clínico e de fatores de risco associados às alterações cardiovasculares em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(11):1095-1100. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Sta Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: almir@cstr.ufcg.edu.br The clinical knowledge of cardiac disorders in dogs is fundamental to diagnose and apply appropriate therapy in the routine of a Small Animal Clinic. The objective of this study was to describe the clinical, epidemiological and radiographic aspects inherent to cardiovascular changes of cardiopathic dogs examined at the Veterinary Hospital of Patos/PB, Brazil. Clinical records of all animals treated between January 2007 and December 2012 were evaluated. The 131 dogs (GCARD) selected for the study had clinical and radiographic changes compatible with heart disease. For comparison, a control group (GCON) with the same number of dogs with no history of heart disease was formed. Pulmonary edema and cardiac morphological alterations were the most frequent radiographic finding. The results showed that gender was not a factor; however, older Poodles were more commonly affected by cardiac disorders. Cough, tiredness and sadness were the most frequent complaints. Cardiac murmur, dental plaque and ocular abnormalities were the most frequent clinical signs. Variables related to choking (OR=14.59), dizziness/weakness (OR=8.6), pulmonary crepitation (OR=37.34), ascites (OR=18.32), obesity (OR=12.28), tumor (OR=4.25) and dental plaque (OR=3.75) were identified as associated with heart disease. Even if it is not possible to determine the etiologic diagnosis of heart diseases, a broad clinical and epidemiological knowledge of these diseases is necessary, so that the pathophysiological consequences of heart disease are quickly identified, bringing quality of life to all cardiopathic patients.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Borges O.M.M., Araújo S.B., Azevedo S.S., Tanikawa A., Santana V.L., Silva R.M.N. & Souza A.P. 2016. [Clinical study and associated risk factors of cardiovascular alterations in dogs.] Estudo clínico e de fatores de risco associados às alterações cardiovasculares em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(11):1095-1100. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Sta Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: almir@cstr.ufcg.edu.br O conhecimento clínico das alterações cardíacas em cães é de fundamental importância na formulação de diagnósticos diferenciais e instituição terapêutica na rotina da Clínica Médica de Pequenos Animais. Objetivaram-se com este estudo descrever os aspectos clínicos, epidemiológicos e radiográficos inerentes as alterações cardiovasculares de cães cardiopatas atendidos no Hospital Veterinário de Patos-PB (HV). Para isso foram avaliados os prontuários clínicos de todos os animais atendidos no período de Janeiro de 2007 a Dezembro de 2012, selecionando-se 131 cães (GCARD) que apresentavam histórico, alterações clínicas e radiográficas compatíveis com cardiopatia. Para fins comparativos, um grupo controle sem cardiopatia de igual número foi criado (GCON). Para análise estatística foram utilizados o teste de qui-quadrado ou teste exato de Fisher e regressão logística múltipla, com nível de significância de 5%, utilizando-se o programa SPSS 20.0 for Windows. Edema pulmonar e alterações morfológicas cardíacas foram os achados radiográficos mais frequentes. Não houve diferença quanto ao sexo e prevaleceram os animais mais velhos e da raça poodle. Tosse, cansaço e tristeza foram as queixas mais comuns. Sopro, tártaro e alterações oculares foram os sinais clínicos de maior ocorrência. As variáveis relacionadas ao engasgo, tontura/fraqueza, creptação pulmonar, ascite, obesidade, tumor e tártaro foram identificadas como associadas às cardiopatias. O modelo final apresentou ajuste satisfatório (teste de Hosmer e Lemeshow: &#967;2=0,221; P=0,994; R2 = 0,46). Mesmo que não seja possível determinar o diagnóstico etiológico das cardiopatias, faz-se necessário que um amplo conhecimento clínico e epidemiológico destes seja cada vez mais consolidado, de modo que as consequências fisiopatológicas dos distúrbios cardíacos sejam rapidamente identificados, trazendo qualidade de vida a todos os pacientes cardiopatas.


#6 - Origin and main ramifications of the cranial and caudal mesenteric arteries in ostrich (Struthio camelus Linnaeus, 1758), 36(9):912-918.

Abstract in English:

ABSTRACT.- Neira R.H., Estruc T.M., Nascimento R.M., Santos-Sousa C.A., Souza-Junior P. & Abidu-Figueiredo M. 2016. [Origin and main ramifications of the cranial and caudal mesenteric arteries in ostrich (Struthio camelus Linnaeus, 1758).] Origem e principais ramificações das artérias mesentéricas cranial e caudal em avestruz (Struthio camelus Linnaeus, 1758). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):912-918. Departamento de Anatomia, Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rodovia BR-465 Km7, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: marceloabidu@gmail.com The mesenteric arteries of birds are important for the irrigation of the digestive tract and are associated with weight gain and food conversion. This study aimed to describe the origins, skeletopy, measures and main branches of cranial and caudal mesenteric arteries in ostriches. Forty-one cadavers of ostrich chicks, 23 males and 18 females, obtained from a farmer after natural death. The cadavers were fixed with 10% formaldehyde solution and their vascular system was filled with colored Petrolatex® S-65. The cranial and caudal mesenteric arteries and its proximal branches were dissected in situ and measured with a digital caliper. The mesenteric artery had an average length of 3.68cm±1.04 and emerged from the descending aorta at the level of the eighth thoracic vertebra in most cases; it branched into jejunal and ileocecal arteries. The jejunal artery sent a mean of 14 (14.04±2.08) branches to the jejunum. The ileocecal artery sent a rectal branch and another branch that irrigated ileum, cecum and rectum. In a male specimen the ileocecal artery was originated from the celiac artery. The caudal mesenteric artery emerged in the terminal portion of the descending aorta predominantly at the level of the 4th and 6th sacrocaudal vertebrae. Near the caudal end of the kidney it issued the cranial and caudal branches. The first irrigated the rectum and anastomosed with the rectal branch of the cranial mesenteric artery; the second irrigated the final part of the rectum, cloaca and cloacal bursa. There was no significant difference (p<0.05) between measurements, skeletopy and number of branches of the arteries between genders.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Neira R.H., Estruc T.M., Nascimento R.M., Santos-Sousa C.A., Souza-Junior P. & Abidu-Figueiredo M. 2016. [Origin and main ramifications of the cranial and caudal mesenteric arteries in ostrich (Struthio camelus Linnaeus, 1758).] Origem e principais ramificações das artérias mesentéricas cranial e caudal em avestruz (Struthio camelus Linnaeus, 1758). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):912-918. Departamento de Anatomia, Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Rodovia BR-465 Km7, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: marceloabidu@gmail.com As artérias mesentéricas das aves são importantes para a irrigação do aparelho digestório e encontram-se associadas ao ganho de peso e conversão alimentar. Objetivou-se descrever as origens, esqueletopias, medidas e principais ramificações das artérias mesentéricas cranial e caudal em avestruzes. Foram utilizados 41 cadáveres de filhotes de avestruzes, 23 machos e 18 fêmeas, obtidos de um criadouro após morte natural. Os cadáveres foram fixados com formaldeído a 10% e tiveram o sistema vascular preenchido com Petrolatex® S-65 colorido. As artérias mesentéricas, cranial e caudal e seus ramos proximais foram dissecados “in situ” e medidas com paquímetro digital. A artéria mesentérica cranial teve comprimento médio de 3,68 ± 1,04 cm e surgiu da aorta descendente ao nível da oitava vértebra torácica na maioria dos casos. Ramificou-se em artérias jejunal e ileocecal. A artéria jejunal ofereceu média de 14,04 ±2,08 ramos ao jejuno e a artéria ileocecal originou um ramo retal e outro que se bifurcou para derivar ramos para íleo, ceco e reto. Em um espécime macho a artéria ileocecal foi ramo da artéria celíaca. A artéria mesentérica caudal originou-se na porção terminal da aorta descendente predominantemente ao nível das 4ª e 6ª vértebras sacro-caudais. Perto da extremidade caudal do rim emitiu os ramos cranial e caudal. O primeiro irrigou o reto e anastomosou-se com ramo retal da artéria mesentérica cranial; o segundo irrigou a porção final do reto, cloaca e bolsa cloacal. Não houve diferença significativa (p<0,05) entre as medidas, esqueletopia e número de ramificações das artérias entre os sexos.


#7 - Cardiac markers in five different breeds of rabbits (Oryctolagus cuniculus Linnaeus, 1758) used for cardiovascular research, 36(8):737-742

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ferreira F.S., Barretto F.L., Fabres A., Silveira L.S. & Carvalho C.B. 2016. Cardiac markers in five different breeds of rabbits (Oryctolagus cuniculus Linnaeus, 1758) used for cardiovascular research. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(8):737-742. Instituto Qualittas de Pós-Graduação, Rua Padre Leonel França 641, Jardim Leonor, Campinas, SP 13041-190, Brazil. E-mail: felipp.sf@gmail.com Cardiac biomarkers for clinical and experimental heart diseases have previously been evaluated in rabbits. However, several laboratory assays performed and reported with inconsistent results. This study aimed to assess the effects of breed on serum ANP, CRP, and ACE and establish reference interval (RI) for these biomarkers in a large population of healthy rabbits. Ninety-seven adult rabbits from five breeds were included in this study. Assays were performed using specific ELISA commercial kits. The results were statistically analyzed using ANOVA, Tukey test (p<0.05), arithmetic mean, RI of mean, and standard deviation. A significant effect of breed was shown, indicating different RI between breeds for each biomarker. In conclusion, this study demonstrated that breed is an important physiological variable influencing the normal values of cardiac markers in healthy rabbits.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ferreira F.S., Barretto F.L., Fabres A., Silveira L.S. & Carvalho C.B. 2016. Cardiac markers in five different breeds of rabbits (Oryctolagus cuniculus Linnaeus, 1758) used for cardiovascular research. [Marcadores cardíacos em cinco diferentes raças de coelhos (Oryctolagus cuniculus Linnaeus, 1758) utilizados para pesquisa cardiovascular.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(8):737-742. Instituto Qualittas de Pós-Graduação, Rua Padre Leonel França 641, Jardim Leonor, Campinas, SP 13041-190, Brazil. E-mail: felipp.sf@gmail.com Biomarcadores cardíacos têm sido avaliados em coelhos para avaliação clínica e experimental das doenças cardíacas. Entretanto diferentes testes laboratoriais têm sido utilizados e relatados, sem uma confluência de resultados. Os objetivos deste estudo foram verificar os efeitos de diferentes raças de coelhos sobre as concentrações séricas de ANP, CRP e ACE, além de estabelecer intervalor de referência para estes biomarcadores em uma população de coelhos saudáveis. Foram utilizados noventa e sete coelhos de cinco diferentes raças. Os exames foram realizados pela metodologia de ELISA, por meio de kits comerciais específicos. Os resultados foram analisados estatisticamente os testes de ANOVA e Tukey (p<0,05), média aritmética, intervalo de referência da média e desvio padrão. Um efeito significativo da raça foi observado sobre as variáveis estudadas, indicando diferentes intervalos de referência entre as raças para cada biomarcador. Em conclusão, este estudo demonstrou que a raça é uma variável fisiológica importante que influencia os valores normais destes biomarcadores em coelhos saudáveis.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV