Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa obesity

#1 - Glucose and insulin curve in pregnant mares and its relationship with clinical and biometric features of newborn foals

Abstract in English:

The aim of the present study was to describe the dynamics of glucose and insulin curves in pregnant mares, and to evaluate the curves according to body condition score, identifying the presence of insulin resistance and correlating these values with the weight, height and clinical changes of the neonates. For this, pregnant mares were evaluated and then grouped according to body condition score during the gestation length until lactation. GrM corresponds to mares with moderate body score (BCS 5-6); GrOv were mares with overweight body score (BCS 7) and GrOb were obese mares (BCS 8-9). A two-step oral sugar test (OST) was used to determine the data. Cortisol analysis was performed with 300-320 days of gestation, at foaling and after parturition. For evaluation of the neonate, a general clinical examination and, weight and height measurements were performed. The results showed hyperglycemia in response to OST with normal insulin values at foaling with a subsequent fall in both values at lactation disregarding group division. Baseline glucose was decreased in GrM compared to GrOv and GrOb with 70-100 days of gestation and with 130-160 days of gestation. With 270-300 days of gestation and post-partum GrOb had increased baseline glucose than GrM. After OST, glucose at foaling day in GrOb presented increased values than GrM. Baseline insulin values did not differ between groups. Post OST insulin levels were higher in GrOb than GrM and GrOv at parturition. No difference in cortisol between moments was identified. GrOb and GrOv maintained increased concentrations after foaling while GrM had a decrease. No correlation was found between maternal glucose and insulin values with foal weight and height, however, a lower ratio between neonatal weight and mare’s weight in GrOb and GrOv was identified in relation to the GrM. At foaling, mares presented glucose dysregulation, with obese and overweight mares presenting a greater response to OST.

Abstract in Portuguese:

O objetivo do presente estudo foi descrever a dinâmica das curvas de glicose e insulina em éguas gestantes e avaliar as curvas de acordo com o escore de condição corporal, identificando a presença de resistência insulínica e correlacionando esses valores com o peso, altura e alterações clínicas dos neonatos. Para isso, as éguas prenhes foram avaliadas em conjunto e agrupadas de acordo com o escore de condição corporal durante a gestação até o pós-parto. GrM pertenciam éguas com escore corporal moderado (EC 5-6); GrOv, grupo de éguas com escore corporal acima do peso (EC 7) e GrOb, grupo de éguas obesas (EC 8-9). O teste de glicose oral em duas etapas (OST) foi usado para determinar os dados. A análise do cortisol também foi realizada nos 300-320 dias de gestação, no dia do parto e após o parto. Para avaliação do neonato, foram realizados exame clínico geral e medidas de peso e altura. Os resultados mostraram hiperglicemia em resposta ao OST com valores normais de insulina no momento parto, com uma queda subsequente em ambas as variáveis na lactação, desconsiderando a divisão do grupo. A glicemia basal diminuiu no GrM em comparação com GrOv e GrOb com 70-100 dias de gestação e com 130 160 dias de gestação. Com 270-300 dias de gestação e no pós-parto, o GrOb apresentou aumento na glicemia basal em relação ao GrM. Após OST, a glicose no dia do parto no GrOb apresentou valores aumentados em relação ao GrM. Os valores basais de insulina não diferiram entre os grupos. Após OST níveis de insulina foram maiores no GrOb do que GrM e GrOv no momento do parto. Não houve diferença nos valores de cortisol entre os momentos. O GrOb e GrOv mantiveram cortisol aumentado após o parto enquanto o GrM diminuiu. Não foi encontrada correlação entre os valores de glicemia e insulina materna com o peso e a altura do potro, entretanto, foi identificada uma relação menor entre o peso neonatal e o peso da égua no GrOb e GrOv em relação ao GrM. No parto, as éguas apresentaram desregulação da glicose, sendo que as éguas obesas e com sobrepeso apresentaram uma resposta maior ao OST.


#2 - Spatial relationship between the distal phalanx and the hoof capsule in young Campolina mares with and without obesity, 37(9):1025-1031

Abstract in English:

ABSTRACT.- Magalhães J.F., Lima L.R., Paz C.F.R., Rocha Junior S.S., Oliveira A.P.L., Duarte P.C., Lago L.A. & Faleiros R.R. 2017. [Spatial relationship between the distal phalanx and the hoof capsule in young Campolina mares with and without obesity.] Relação espacial entre a falange distal e o estojo córneo em éguas Campolinas jovens com e sem sinais de obesidade. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):1025-1031. Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Presidente Antônio Carlos 6627, Cx. Postal 567, Pampulha, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. E-mail: faleirosufmg@gmail.com Previous studies have demonstrated radiographic changes in the hoof of obese horses. The objective was to study through radiographic evaluation the spatial relationship between the hoof capsule and the distal phalanx of Campolina mares with and without obesity. Twenty-two Campolina mares 3 to 5 years old were used. We analyzed adiposity variables and radiographic measurements of the hoof of both forelimbs of mares with body condition score from 5 to 7/9 (Control group) and from 8 to 9 (Obese group). Comparisons were made between groups using the Student t test for parametric variables and the Mann-Whitney test for the nonparametric ones. Pearson or Spearman tests were used to evaluate the correlation among parametric and nonparametric variables respectively (P<0.05). Evidences of changes in the spatial relationship between the hoof capsule and the distal phalanx were observed in obese Campolina young mares.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Magalhães J.F., Lima L.R., Paz C.F.R., Rocha Junior S.S., Oliveira A.P.L., Duarte P.C., Lago L.A. & Faleiros R.R. 2017. [Spatial relationship between the distal phalanx and the hoof capsule in young Campolina mares with and without obesity.] Relação espacial entre a falange distal e o estojo córneo em éguas Campolinas jovens com e sem sinais de obesidade. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):1025-1031. Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais, Av. Presidente Antônio Carlos 6627, Cx. Postal 567, Pampulha, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. E-mail: faleirosufmg@gmail.com Estudos prévios têm demonstrado alterações radiográficas em cascos de equinos obesos. Os objetivos foram estudar, com avaliação radiográfica, a relação espacial entre estojo córneo e falange distal de éguas jovens da raça Campolina com e sem obesidade. Foram utilizadas 22 éguas entre três e cinco anos de idade, sendo analisadas varáveis de adiposidade e medidas radiográficas dos cascos dos membros torácicos de éguas com escore corporal de 5 a 7/9 (Grupo Controle) e de 8 a 9 (Grupo Obeso). Foram feitas comparações entre os grupos e correlacionaram-se as variáveis de adiposidade entre si, variáveis adiposidade com variáveis casco e variáveis de casco entre si. Utilizou-se o teste t de Student para variáveis paramétricas e o teste Mann-Whitney para as não-paramétricas, para as medidas de correlação, utilizou o teste de Pearson para duas amostras paramétricas e o teste de Spearman para comparações que envolvam pelo menos uma variável não paramétrica (P<0,05). Os resultados demonstraram que éguas Campolinas obesas, ainda jovens, já apresentam indícios de alteração na relação espacial entre estojo córneo e falange distal.


#3 - Relationship between adiposity, energy profile, inflammatory proteins and osteoarticular lesions in young horses on different rearing systems, 37(2):115-120

Abstract in English:

ABSTRACT.- Amaral L.A., Marchiori M., Moraes B.S., Finger I., Dos Santos R.S. & Nogueira C.E.W. 2017. [Relationship between adiposity, energy profile, inflammatory proteins and osteoarticular lesions in young horses on different rearing systems.] Relação entre adiposidade, perfil energético, proteínas inflamatórias e lesões osteoarticulares em equinos jovens sobre diferentes sistemas de criação. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):115-120. Departamento de Clinicas, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: lo1amaral@gmail.com High carbohydrate diets are increasingly used in horse rearing systems. This can result in weight gain and fat accumulation in young horses. There is a growing incidence of juvenile osteoarthritis and other inflammatory conditions in overweight young horses that undergo intense physical exercise. The aim of this study was to associate corporal adiposity with energy profile, serum concentration of acute phase proteins and presence of osteo-articular lesion in the tarsal region of young horses raised in two different rearing systems: intensive system and extensive system. We evaluated 40 young horses 18 months old, 23 of them were females and 17 were males. Twenty horses were raised in the extensive rearing system and twenty horses were raised in intensive rearing system. Blood samples were collected for biochemical analysis and protein electrophoresis. Fat deposition on the crest of the neck, peritoneum and tailhead was measured by ultrasonography. Radiographic examination of the left tarsus was performed in 17 horses of the farm rearing system and in nine horses of the extensive rearing system. We observed higher levels of total cholesterol, LDL, glucose, serum amyloid A (SAA), transferrin, haptoglobin, acid glycoprotein and unidentified protein 23Kda in horses of the intensive system. These horses also showed higher fat deposition on the crest of the neck, peritoneum and tailhead than horses raised on extensive system. All horses on the intensive system group that underwent radiographic examination had lesions compatible with juvenile osteoarthritis while only 23% of the animals of the extensive system group showed such changes. With Fisher’s exact test we observed that horses of the intensive rearing system are 105% more likely to develop osteoarthritis than horses of the extensive rearing system. With the Pearson correlation test we found a positive correlation between fat deposition on the crest of the neck and degree of articular injury. Fat deposition on the crest of the neck also showed a positive correlation with serum levels of LDL, glucose, acid glycoprotein, haptoglobin, transferrin and SAA. The SAA correlated with the thickness of retroperitoneal fat. There was a positive correlation between retroperitoneal fat deposition and presence of osteoarticular abnormalities. In conclusion, fat deposition on the crest of the neck has a correlation with energetic profile changes, cute phase proteins changes and with articular injuries. Levels of glucose, LDL cholesterol, acid glycoprotein, haptoglobin, ceruloplasmin, transferrin and SAA have a correlation with fat deposition on the crest of the neck. In addition, young horses of the intensive rearing system are 105% more likely to have chronic degenerative joint lesions compatible with juvenile osteoarthritis than horses of the extensive rearing system.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Amaral L.A., Marchiori M., Moraes B.S., Finger I., Dos Santos R.S. & Nogueira C.E.W. 2017. [Relationship between adiposity, energy profile, inflammatory proteins and osteoarticular lesions in young horses on different rearing systems.] Relação entre adiposidade, perfil energético, proteínas inflamatórias e lesões osteoarticulares em equinos jovens sobre diferentes sistemas de criação. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):115-120. Departamento de Clinicas, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: lo1amaral@gmail.com Os atuais sistemas de criação de equinos estão associados às dietas ricas em carboidratos que resultam em sobre peso e acúmulo de gordura em animais ainda muito jovens. Nesses animais com sobre peso submetidos exercício físico intenso há aumento na incidência de osteoartrite juvenil e outras afecções inflamatórias. O objetivo deste estudo foi associar a adiposidade corporal e a forma de criação de potros com o perfil energético sanguíneo, as concentrações sanguíneas de proteínas inflamatórias e lesões osteoarticulares na região társica comparando animais criados em regimes intensivo ou extensivo. Foram avaliados 40 potros com 18 meses de idade da raça crioula, 23 fêmeas e 17 machos, sendo 20 animais criados exclusivamente em sistema extensivo e 20 animais criados em sistema intensivo. Foram efetuadas coletas de sangue para avaliação bioquímica e eletroforese proteica. Foram efetuadas através de ultrassonografia a mensuração da gordura na crista do pescoço, região retroperitoneal e na base da cauda. Em 17 animais do grupo intensivo e nove animais do grupo extensivo foi efetuado o estudo radiográfico da região do tarso esquerdo. Foi observado maiores níveis de colesterol total e LDL, glicemia, Amilóide A sérica (SAA), transferrina, haptoglobina, ceruloplasmina, glicoproteína ácida e uma proteína de 23Kda de peso molecular (não identificada) nos animais do grupo intensivo com relação aos do grupo extensivo. O grupo intensivo também apresentou maior depósito de gordura na região da crista do pescoço, região retroperitoneal e base da cauda. Em 100% dos animais do grupo intensivo foram observados lesões compatíveis com osteoartrite juvenil, enquanto que em apenas 23% dos animais do grupo extensivo apresentaram tais alterações. No teste exato de Fisher foi observado que os animais do grupo intensivo apresentaram 105% mais chance de desenvolver osteoartrite que os animais do grupo extensivo. Ainda, no teste de Pearson foi observada correlação positiva entre a gordura na crista do pescoço com o grau de comprometimento articular dos potros. A gordura na crista do pescoço apresentou correlação positiva com as alterações osteoarticulares, com os níveis séricos de colesterol LDL, níveis séricos de glicose, níveis de glicoproteína ácida, haptoglobina, transferrina e SAA. A SAA apresentou correlação com a espessura de gordura retroperitoneal. Conclui-se que o depósito de gordura na crista do pescoço apresenta correlação com as alterações no perfil energético, inflamatório e no comprometimento osteoarticular dos animais avaliados. Os níveis de glicose, colesterol LDL, glicoproteína ácida, haptoglobina, ceruloplasmina, transferrina e SAA estiveram correlacionados ao depósito de gordura na crista do pescoço. Potros em sistema intensivo apresentam, em relação aos criados em sistema extensivo, 105 % mais chance de apresentarem lesões articulares degenerativas crônicas compatíveis com osteoartrite juvenil.


#4 - Clinical study and associated risk factors of cardiovascular alterations in dogs, 36(11):1095-1100

Abstract in English:

ABSTRACT.- Borges O.M.M., Araújo S.B., Azevedo S.S., Tanikawa A., Santana V.L., Silva R.M.N. & Souza A.P. 2016. [Clinical study and associated risk factors of cardiovascular alterations in dogs.] Estudo clínico e de fatores de risco associados às alterações cardiovasculares em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(11):1095-1100. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Sta Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: almir@cstr.ufcg.edu.br The clinical knowledge of cardiac disorders in dogs is fundamental to diagnose and apply appropriate therapy in the routine of a Small Animal Clinic. The objective of this study was to describe the clinical, epidemiological and radiographic aspects inherent to cardiovascular changes of cardiopathic dogs examined at the Veterinary Hospital of Patos/PB, Brazil. Clinical records of all animals treated between January 2007 and December 2012 were evaluated. The 131 dogs (GCARD) selected for the study had clinical and radiographic changes compatible with heart disease. For comparison, a control group (GCON) with the same number of dogs with no history of heart disease was formed. Pulmonary edema and cardiac morphological alterations were the most frequent radiographic finding. The results showed that gender was not a factor; however, older Poodles were more commonly affected by cardiac disorders. Cough, tiredness and sadness were the most frequent complaints. Cardiac murmur, dental plaque and ocular abnormalities were the most frequent clinical signs. Variables related to choking (OR=14.59), dizziness/weakness (OR=8.6), pulmonary crepitation (OR=37.34), ascites (OR=18.32), obesity (OR=12.28), tumor (OR=4.25) and dental plaque (OR=3.75) were identified as associated with heart disease. Even if it is not possible to determine the etiologic diagnosis of heart diseases, a broad clinical and epidemiological knowledge of these diseases is necessary, so that the pathophysiological consequences of heart disease are quickly identified, bringing quality of life to all cardiopathic patients.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Borges O.M.M., Araújo S.B., Azevedo S.S., Tanikawa A., Santana V.L., Silva R.M.N. & Souza A.P. 2016. [Clinical study and associated risk factors of cardiovascular alterations in dogs.] Estudo clínico e de fatores de risco associados às alterações cardiovasculares em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(11):1095-1100. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Sta Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: almir@cstr.ufcg.edu.br O conhecimento clínico das alterações cardíacas em cães é de fundamental importância na formulação de diagnósticos diferenciais e instituição terapêutica na rotina da Clínica Médica de Pequenos Animais. Objetivaram-se com este estudo descrever os aspectos clínicos, epidemiológicos e radiográficos inerentes as alterações cardiovasculares de cães cardiopatas atendidos no Hospital Veterinário de Patos-PB (HV). Para isso foram avaliados os prontuários clínicos de todos os animais atendidos no período de Janeiro de 2007 a Dezembro de 2012, selecionando-se 131 cães (GCARD) que apresentavam histórico, alterações clínicas e radiográficas compatíveis com cardiopatia. Para fins comparativos, um grupo controle sem cardiopatia de igual número foi criado (GCON). Para análise estatística foram utilizados o teste de qui-quadrado ou teste exato de Fisher e regressão logística múltipla, com nível de significância de 5%, utilizando-se o programa SPSS 20.0 for Windows. Edema pulmonar e alterações morfológicas cardíacas foram os achados radiográficos mais frequentes. Não houve diferença quanto ao sexo e prevaleceram os animais mais velhos e da raça poodle. Tosse, cansaço e tristeza foram as queixas mais comuns. Sopro, tártaro e alterações oculares foram os sinais clínicos de maior ocorrência. As variáveis relacionadas ao engasgo, tontura/fraqueza, creptação pulmonar, ascite, obesidade, tumor e tártaro foram identificadas como associadas às cardiopatias. O modelo final apresentou ajuste satisfatório (teste de Hosmer e Lemeshow: &#967;2=0,221; P=0,994; R2 = 0,46). Mesmo que não seja possível determinar o diagnóstico etiológico das cardiopatias, faz-se necessário que um amplo conhecimento clínico e epidemiológico destes seja cada vez mais consolidado, de modo que as consequências fisiopatológicas dos distúrbios cardíacos sejam rapidamente identificados, trazendo qualidade de vida a todos os pacientes cardiopatas.


#5 - Systemic blood pressure evaluation by oscillometric versus doppler ultrasonographic methods in obese dogs, 34(Supl.1):87-91

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pereira-Neto G.B., Brunetto M.A., Champion T., Ortiz E.M.G., Carciofi A.C. & Camacho A.A. 2014. [Systemic blood pressure evaluation by oscillometric versus doppler ultrasonographic methods in obese dogs.] Avaliação da pressão arterial sistêmica em cães obesos: comparação entre os métodos oscilométrico e doppler ultrassônico. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):87-91. Hospital Veterinário, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília, DF 70910-900, Brazil. E-mail: mabrunetto@usp.br Obesity is the most common nutritional problem in dogs and it can cause various harmful effects on animal health. However, the effect of this condition on systolic blood pressure (SBP) in obese dogs is controversial. The indirect method of measuring PAS is the most commonly used in veterinary medicine for the diagnosis of systemic hypertension, because it is more practical and easy to access. There is little scientific information about the comparison of the two non-invasive methods of measurement of blood pressure in obese dogs. Therefore, the objective of this study was to evaluate the SBP in obese dogs by comparing both indirect methods of measuring blood pressure, with oscillometric and doppler vascular in order to verify the differences in blood pressure values, but also the best method to assess the SBP dogs in this body score condition. The study complain blood pressure measurement of 50 dogs, with were divided in obese dogs with mean body condition score (BCS) of 8.42±0.50 (n=25) and dogs with ideal BCS of 4.56±0.51 (n=25). At comparison of blood pressure values, SBP values obtained by doppler method (152±16mmHg) were higher than the oscillometric (136±11mmHg). Correspondence analysis determined by multivariate statistical analysis showed correlation between body condition and the procedure of the SBP. These findings suggest that the indirect method doppler can better reflect the SBP in obese dogs.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pereira-Neto G.B., Brunetto M.A., Champion T., Ortiz E.M.G., Carciofi A.C. & Camacho A.A. 2014. [Systemic blood pressure evaluation by oscillometric versus doppler ultrasonographic methods in obese dogs.] Avaliação da pressão arterial sistêmica em cães obesos: comparação entre os métodos oscilométrico e doppler ultrassônico. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):87-91. Hospital Veterinário, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, Campus Universitário Darcy Ribeiro, Asa Norte, Brasília, DF 70910-900, Brazil. E-mail: mabrunetto@usp.br A obesidade é o problema nutricional que mais acomete os cães e pode causar vários efeitos deletérios a saúde animal. No entanto, o efeito desta condição sobre a pressão arterial sistólica (PAS) em cães obesos é controverso. Os métodos indiretos de mensuração da PAS são os mais comumente utilizados na medicina veterinária para o diagnóstico da hipertensão sistêmica, por serem mais práticos e de fácil acesso. Não foram localizados na literatura estudos que tenham comparado os dois métodos para esta avaliação em cães obesos. Diante do exposto, o objetivo desse estudo foi avaliar a PAS em cães obesos, comparando os métodos indiretos de mensuração da pressão arterial, oscilométrico e doppler ultrassônico, a fim de verificar as diferenças nos valores obtidos, como também o método mais indicado para aferir a PAS em cães nesta condição. Foram avaliados 50 cães, incluindo 25 obesos com escore de condição corporal (ECC) médio de 8,42±0,50 e 25 cães com peso corporal ideal com ECC médio de 4,56±0,51. Os resultados revelaram valores superiores da PAS obtidos pelo método doppler (152±16mmHg) comparados ao oscilométrico (136±11mmHg). A análise de correspondência determinada por análise estatística multivariada demonstrou maior correspondência entre a condição corporal e o método de avaliação da PAS. Esses achados sugerem que o método indireto doppler pode aferir com mais precisão os valores de PAS em cães obesos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV