Resultado da pesquisa (69)

Termo utilizado na pesquisa gatos

#1 - Oral lesions and retroviruses in shelter cats

Abstract in English:

Oral lesions are common problems in feline medicine worldwide, and may be associated with different causes, such as infectious agents. There are only a few studies reporting the chief oral diseases and the results for retrovirus tests in shelter cats in Brazil, especially in the South region. This study aimed to identify the main inflammatory oral lesions in shelter cats and verify the test results for feline immunodeficiency virus (FIV) and feline leukemia virus (FeLV) infections. Forty-three felines from private shelters in the central region of Rio Grande do Sul state (RS) that presented clinically evident oral lesions, regardless of age, breed, sex, and neuter status, were used in this survey. Serological tests for FIV and FeLV were performed in all cats, and data regarding the rearing system were collected. Sixteen cats (37.2%) were reared in a free system, whereas 27 (62.8%) were kept under a restrict system. Of the 43 cats with oral lesions, 29 (67.44%) presented only one type of lesion, characterized as periodontitis (n=22, 51.16%), followed by gingivitis (n=6, 13.95%), and stomatitis (n=1, 2.32%). Concomitant stomatitis and periodontitis were found in the 14 remaining cats (100%). With respect to the test results for retrovirus infections, nine (20.93%) of the 43 felines were positive for FIV alone. Co-infection with both viruses was observed in seven cats (16.28%). No cat was seropositive for FeLV valone. None of the six cats that presented gingivitis was positive for FIV and FeLV; one cat with stomatitis was positive for FIV and FeLV; of the 22 cats with periodontitis, six (27.27%) were FIV positive and two (9.09%) were FIV/FeLV positive; and of the 14 cats that presented stomatitis and periodontitis, three (21.43%) were FIV positive and four (28.57%) were FIV/FeLV positive. As for diagnosis, 28 cats (65.1%) presented solely periodontal disease (PD), one cat (2.32%) had feline chronic gingivostomatitis (FCG) alone, and 14 (32.5%) had both PD and FCG. The results obtained show that the main oral lesions found in shelter cats in the central region of RS were gingivitis, stomatitis, and periodontitis. Periodontitis, in association or not with stomatitis, was the most frequently observed oral cavity lesion in FIV- and/or FeLV-positive cats. Other factors may contribute to installation of inflammatory oral diseases in shelter cats because most cats with oral cavity lesions tested negative for retrovirus infections.

Abstract in Portuguese:

As afecções orais são problemas comuns em medicina felina em diferentes locais do mundo e podem estar relacionadas a diferentes causas, como agentes infecciosos. Poucos estudos foram encontrados no Brasil sobre o levantamento das principais doenças orais e dos resultados de testes para retrovírus em gatos de abrigos, principalmente na região Sul. Diante disso, o objetivo deste artigo foi identificar as principais afecções orais inflamatórias em gatos de abrigos e verificar os resultados dos testes para o vírus da imunodeficiência felina (FIV) e o vírus da leucemia felina (FeLV). Foram incluídos 43 felinos provenientes de abrigos privados localizados na região central do Rio Grande do Sul (RS) que apresentavam lesões orais clinicamente evidentes, independente de idade, raça, gênero e estado reprodutivo. Em todos os gatos foram realizados testes sorológicos para FIV e FeLV e obtidas informações referentes ao sistema de criação. Em 16 gatos (37,2%), o sistema de criação era livre, enquanto em 27 (62,8%) era restrito. Dos 43 gatos com lesões orais, em 29 (67,44%) foi verificado somente um tipo de lesão, caracterizado como periodontite (n=22, 51,16%), seguido de gengivite (n=6, 13,95%) e estomatite (n=1, 2,32%). Lesões concomitantes de estomatite e periodontite foram encontradas nos 14 gatos (100%) restantes. Quanto aos resultados dos testes para retrovírus, nove (20,93%) dos 43 felinos testados, foram positivos somente para FIV. Em sete gatos (16,28%) foi observada coinfecção pelos dois vírus. Em nenhum gato foi observado soropositividade somente para FeLV. Dos seis gatos com gengivite, nenhum foi positivo para FIV e FeLV; um gato com estomatite foi positivo para FIV e FeLV; dos 22 gatos com periodontite, seis (27,27%) foram FIV positivos e dois (9,09%) FIV/FeLV positivos; e dos 14 com estomatite e periodontite, três (21,43%) foram FIV positivos e quatro (28,57%) FIV/FeLV positivos. Quanto ao diagnóstico, em 28 gatos (65,1%) foi observada somente doença periodontal (DP), em um (2,32%) somente gengivoestomatite crônica felina (GECF) e em 14 gatos (32,5%) DP e GECF. Diante dos resultados obtidos, pode-se concluir que as principais lesões orais encontradas em gatos de abrigos da região central do RS foram gengivite, estomatite e periodontite; a periodontite associada ou não a estomatite foi a lesão oral mais frequente nos gatos positivos para FIV e/ou FeLV. Acredita-se que outros fatores possam contribuir na instalação de doenças orais em gatos de abrigos, já que houve predomínio de gatos com resultados negativos nos testes para os retrovírus.


#2 - Feline lymphoma in the nervous system: pathological, immunohistochemical, and etiological aspects in 16 cats

Abstract in English:

The pathological, immunohistochemical (IHC), and etiological features of lymphoma involving the nervous system (NS) in cats were analyzed through a retrospective study (2004-2017) in Rio Grande do Sul State, Brazil. The NS involvement was observed in 16 (12.2%) of 125 felines with lymphoma. Young cats were mainly affected, with a median of 24 months old. Most cases were secondary central NS lymphoma, whereas in three cats, the NS involvement was primary. IHC revealed 14 (87.5%) FeLV-positive, six FIV-positive, and one FeLV/FIV-negative cats. Distribution of feline lymphoma in the NS was 8/16 in the spinal cord, 7/16 in the brain, and 1/16 in the paravertebral nerves and ganglia (neurolymphomatosis). The lymphoma pattern in the spinal cord was exclusively extradural, often focal (6/8), and located in the lumbar (3/6), sacral (1/6), thoracic (1/6), and cervical segments (1/6). Brain neuroanatomical patterns were: leptomeningeal lymphomatosis (4/7), lymphomatous choroiditis (2/7), and intradural lymphoma (1/7). The feline with primary neurolymphomatosis presented a marked thickening of paravertebral nerves and ganglia from the sacral region. B-cell lymphoma (75%) was often diagnosed, and diffuse large B-cell lymphoma (DLBCL) (11/16) was the main subtype. T-cell lymphoma (25%) was less commonly observed and was classified as peripheral T-cell lymphoma (PTCL) (3/16) and T-cell lymphoblastic lymphoma (T-LBL) (1/16).

Abstract in Portuguese:

Os aspectos patológicos, imuno-histoquímicos (IHQ) e etiológicos do linfoma envolvendo o sistema nervoso de felinos foram analisados através de um estudo retrospectivo (período de 2004-2017) no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. O envolvimento do sistema nervoso foi observado em 16 (12,2%) dos 125 felinos com linfoma desse estudo e afetou principalmente, jovens com idade mediana de 24 meses. A grande maioria dos casos o linfoma era secundário no sistema nervoso central e somente em três gatos o linfoma foi primário do sistema nervoso. Na IHQ, 14 (87,5%) casos foram positivos para FeLV, seis (37,5%) para FIV, e um foi negativo para ambos. A distribuição do linfoma no sistema nervoso foi em 8/16 felinos na medula espinhal, 7/16 no encéfalo e em 1/16 em nervos e gânglios paravertebrais (neurolinfomatose). Na medula espinhal, o padrão do linfoma foi exclusivamente extradural e frequentemente focal (6/8), localizadas nos segmentos lombares (3/6), sacrais (1/6), torácicos (1/6) e cervicais (1/6). No encéfalo, os padrões neuroanatômicos observados foram: linfomatose leptomeningeal (4/7), coroidite linfomatosa (2/7), linfoma intradural (1/7). No felino diagnosticado com neurolinfomatose primária, foi observado acentuado espessamento dos nervos e gânglios paravertebrais da região sacral. Os linfomas de células de células B (75%) foram os mais frequentes e o principal tipo foi o linfoma difuso de grandes células B (11/16). Os linfomas de células T (25%), menos observados, foram classificados como linfomas de células T periférico inespecífico (3/16) e linfoma linfoblástico T (1/16).


#3 - Causes of death and euthanasia in domestic cats in the Santa Catarina plateau (1995-2015)

Abstract in English:

Knowledge about the causes of death in felines constitutes important information to owners, veterinarians, and researchers, aiming at reducing the number of deaths in this species. In order to determine the main causes of death or euthanasia in cats in the Santa Catarina plateau, data from 1995 to 2015 available in necropsy files of the Laboratory of Animal Pathology (LAPA) of the State University of Santa Catarina (UDESC) were collected and evaluated. In that period, 1,728 cats were necropsied, mainly males (46.12%) and adults (50.11%). The mean ages at death for kittens, adults, and elderly were 5.07 months, 3.9 years, and 13.9 years, respectively. Of the 1,728 necropsy reports assessed, the cause of death was identified in 1,184 (68.52%) cases. The main cause of death was associated with infectious diseases (15.8%), with prevalence of feline infectious peritonitis (29.76%), followed by neoplasms (11.98%) with lymphoma (44.93%) and leukemia (16.91%) as the most common, and traumas (11.81%) mainly caused by motor vehicle accidents. These results show the need for owner awareness, as well as establishment of prophylaxis and vaccination programs, aimed at reducing the number of deaths and thus increasing life expectancy in the feline population.

Abstract in Portuguese:

O conhecimento a respeito da causa mortis em felinos é importante para que se construa um informativo para proprietários, médicos veterinários e pesquisadores, objetivando a redução no número de mortes na espécie. Com o intuito de determinar as principais causas de morte ou eutanásia em felinos domésticos no planalto catarinense foram avaliados os arquivos de registro das necropsias do período de 1995 a 2015 do Laboratório de Patologia Animal da Universidade do Estado de Santa Catarina. No período, foram necropsiados 1.728 felinos, principalmente machos (46,12%), adultos (50,11%). A idade média para filhotes foi de 5,07 meses, enquanto para adultos foi 3,9 anos e para idosos 13,9 anos. Das 1.728 necropsias de felinos, a enfermidade que levou o animal a morte foi determinada em 1.184 (68,52%). As doenças infecciosas foram a principal causa de morte (15,8%), dentre as quais a peritonite infecciosa felina (29,76%) foi a mais frequente; seguida das neoplasias (11,98%), sendo o linfoma (44,93%) e a leucemia (16,91%), as mais comuns; e dos traumatismos (11,81%), principalmente atropelamentos por veículos automotivos. Estes resultados refletem a necessidade da conscientização dos proprietários, bem como da instituição de programas de profilaxia e vacinação, visando a redução de mortes e o aumento na expectativa de vida para a população felina.


#4 - Seroepidemiological study of feline coronavirus (FCoV) infection in domiciled cats from Botucatu, São Paulo, Brazil

Abstract in English:

Feline coronavirus (FCoV) is responsible for causing one of the most important infectious diseases of domestic and wild felids, the feline infectious peritonitis (FIP), which is an immune-mediated, systemic, progressive and fatal disease. FCoV is highly contagious, and infection is common in domestic feline populations worldwide. The present study aimed to determine the seropositivity of FCoV infection and its associated epidemiological variables (risk factors) in domiciled cats in Botucatu, São Paulo, Brazil. Whole blood samples (0.5-1mL) were collected from 151 cats, and sera were extracted by centrifugation. These sera were tested by an commercial enzyme-linked immunosorbent assay (ELISA) for the detection of IgG anti-FCoV antibodies. The assessed risk factors were age range, breed, gender, reproductive status, outdoor access and rearing mode (living alone or in a group). The seropositivity was 64.2% (97/151). There was no statistical significance for risk factors related to breed, gender or rearing mode. There were significant differences in seropositivity (p-values ≤0.05) for age range (p=0.0157), reproductive status (p=0.0074) and outdoor access (p=0.0001). This study verified a wide dissemination of FCoV in the studied population, with a higher than expected seropositivity for indoor cats. Among the risk factors, age range, reproductive status and outdoor access presented statistically significant differences, thus helping to establish an epidemiological profile of this population.

Abstract in Portuguese:

O coronavírus felino (FCoV) é responsável por causar uma das mais importantes doenças infecciosas que acometem os felinos domésticos e selvagens, a peritonite infecciosa felina (PIF), que é uma enfermidade imunomediada, sistêmica, progressiva e fatal. O FCoV é altamente contagioso e a infecção é comum nas populações de felinos domésticos por todo o mundo. O presente estudo objetivou determinar a soropositividade da infecção pelo FCoV e correlacionar variáveis epidemiológicas (fatores de risco) de gatos domiciliados de Botucatu, São Paulo, Brasil. Amostras de sangue total (0,5 a 1mL) foram colhidas de 151 gatos e os soros foram obtidos após centrifugação. Estes soros foram testados por um teste commercial de ELISA para detecção de anticorpos IgG anti-FCoV. Os fatores de risco avaliados foram faixa etária, raça, gênero, condição reprodutiva, acesso à rua e modo de criação (viver solitário ou em grupo). Observou-se uma soropositividade de 64,2% (97/151). Não houve significância estatística para os fatores de risco relacionados à raça, gênero e modo de criação. Houve significância estatística quanto a soropositividade (p-values ≤0,05) para os fatores de risco faixa etária (p=0,0157), condição reprodutiva (p=0,0074) e acesso à rua (p=0,0001). Através do presente estudo verificou-se que o FCoV está amplamente disseminado na população estudada, onde a soropositividade encontrada foi maior do que a esperada para gatos domiciliados. Dentre os fatores de risco, faixa etária, condição reprodutiva e acesso à rua apresentaram diferenças estatisticamente significativas, contribuindo assim, para se estabelecer um perfil epidemiológico desta população.


#5 - Sedative and electrocardiographic effects of low dose dexmedetomidine in healthy cats

Abstract in English:

In feline veterinary practice sedation is often needed to perform diagnostic or minimally invasive procedures, minimize stress, and facilitate handling. The mortality rate of cats undergoing sedation is significantly higher than dogs, so it is fundamental that the sedatives provide good cardiovascular stability. Dexmedetomidine (DEX) is an α2-adrenergic receptor agonist utilized in cats to provide sedation and analgesia, although studies have been utilized high doses, and markedly hemodynamic impairments were reported. The aim of this study was to prospectively investigate how the sedative and electrocardiographic effects of a low dose of DEX performing in cats. Eleven healthy cats were recruited; baseline sedative score, systolic arterial pressure, electrocardiography, and vasovagal tonus index (VVTI) were assessed, and repeated after ten minutes of DEX 5µg/kg intramuscularly (IM). A smooth sedation was noticed, and emesis and sialorrhea were common adverse effects, observed on average seven minutes after IM injection. Furthermore, electrocardiographic effects of a low dose of DEX mainly include decreases on heart rate, and increases on T-wave amplitude. The augmentation on VVTI and appearance of respiratory sinus arrhythmia, as well as sinus bradycardia in some cats, suggesting that DEX enhances parasympathetic tonus in healthy cats, and therefore will be best avoid in patients at risk for bradycardia.

Abstract in Portuguese:

Na rotina clínica da medicina veterinária felina a sedação é frequentemente requerida para realização de procedimentos diagnósticos ou minimamente invasivos, para minimizar o estresse e facilitar o manuseio dos pacientes. A taxa de mortalidade de gatos submetidos à sedação é mais elevada do que em cães, por esse motivo, é fundamental que os sedativos confiram estabilidade hemodinâmica. A dexmedetomidina (DEX) é um α2-agonista utilizado em felinos para promover sedação e analgesia, porém os estudos têm utilizado doses elevadas, e com isso prejuízos hemodinâmicos importantes foram relatados. O objetivo desta investigação foi avaliar os efeitos sedativos e eletrocardiográficos da baixa dose de DEX em gatos. Para tal, onze felinos saudáveis foram recrutados, foram obtidos valores basais para escore de sedação, pressão arterial sistólica e eletrocardiografia, além do índice de tônus vaso vagal (ITVV). Após dez minutos da aplicação intramuscular (IM) de DEX 5µg/kg todos os exames foram repetidos. Após a DEX, sedação suave foi detectada, e a êmese e sialorreia foram efeitos adversos comuns, observados em média 7 minutos após a injeção IM. Ademais, os principais efeitos eletrocardiográficos foram redução na frequência cardíaca e aumento na amplitude da onda T. O ITVV mais elevado e surgimento de arritmia sinusal respiratória, bem como bradicardia sinusal em alguns gatos, sugerem que a DEX eleva o tônus parassimpático, e por esse motivo deve ser utilizada com cautela em pacientes com predisposição à bradicardia.


#6 - Low level of the immune response against rabies virus in dogs and cats, a cross-sectional study in sheltered animals, Santander, Colombia

Abstract in English:

Rabies is an incurable and fatal progressive viral encephalomyelitis that causes approximately 61,000 deaths a year globally mainly by dog bites, which show the importance of anti-rabies vaccination in dogs to achieve elimination of the disease. In Colombia, multiple cases of human rabies transmitted by dogs and cats have been reported since 1999, showing an increased significance of cats in the transmission of rabies, mainly in rabies of wild origin. Therefore, the aim of the present study was to evaluate the development of neutralizing antibodies in dogs and cats during the mass vaccination campaign of the second half of 2015 in the city of Bucaramanga. For this purpose, a descriptive cross-sectional study with convenience sampling was conducted in 382 dogs and cats (295 dogs, 87 cats), and an evaluation of the humoral immune response of the animals was performed by quantitative ELISA. The prevalence of optimal neutralizing antibodies (>0.5 IU/ml) was only 32.76% (95% CI=28.05-37.46%) in the entire population studied and most of the animals did not have an adequate response to the vaccination, or seroconversion was not detected on them (65.45-95% confidence interval, CI=60.68-70.21%). Significant difference was found between the neutralizing antibody titers in cats and dogs, with a higher neutralizing response in cats. In conclusion, although mass vaccination campaigns for dogs and cats are the most important measure to interrupt virus circulation among the animals, achievement of a good neutralizing immune response in the animals is useful to demonstrate that vaccination has been successful, allowing the maintenance of the required minimum levels of population immunity. These results will allow the implementation of corrective measures in Bucaramanga to achieve better seroconversion rates. Other cities are expected to implement similar seroconversion assessments to verify the quality of effective anti-rabies vaccination in animal populations.

Abstract in Portuguese:

A raiva é uma encefalomielite viral progressiva incurável e fatal que causa aproximadamente 61.000 mortes por ano no mundo, principalmente por mordidas de cães, que mostram a importância da vacinação anti-rábica em cães para conseguir a eliminação da doença. Na Colômbia, vários casos de raiva humana transmitida por cães e gatos foram relatados desde 1999, mostrando um aumento na importância de gatos na transmissão da raiva, principalmente em raiva de origem selvagem. Portanto, o objetivo do presente estudo foi avaliar o desenvolvimento de anticorpos neutralizantes em cães e gatos durante a campanha de vacinação em massa do segundo semestre de 2015 na cidade de Bucaramanga. Para este propósito, um estudo descritivo transversal com amostragem de conveniência foi realizado em 382 cães e gatos (295 cães, 87 gatos), e uma avaliação da resposta imune humoral dos animais foi realizada por ELISA quantitativo. A prevalência de anticorpos neutralizantes ótimos (>0,5 UI/ml) foi de apenas 32,76% (IC 95% = 28,05-37,46%) em toda a população estudada e a maioria dos animais não teve resposta adequada à vacinação, ou a soroconversão foi não detectado neles (65,45-95% intervalo de confiança IC = 60,68-70,21%). Diferença significativa foi encontrada entre os títulos de anticorpos neutralizantes em gatos e cães, com uma maior resposta neutralizante em gatos. Em conclusão, embora as campanhas de vacinação em massa para cães e gatos sejam a medida mais importante para interromper a circulação do vírus entre os animais, a obtenção de uma boa resposta imunológica neutralizante nos animais é útil para demonstrar que a vacinação foi bem sucedida, permitindo a manutenção necessária dos níveis mínimos de imunidade da população. Esses resultados permitirão que a implementação de medidas corretivas em Bucaramanga alcance melhores taxas de soroconversão. Outras cidades devem implementar avaliações similares de soroconversão para verificar a qualidade da vacinação anti-rábica efetiva em populações animais.


#7 - Effect of calcium sources in the diets of adult cats on urinary parameters and acid-base balance

Abstract in English:

Calcium is a macroelement that is part of the mineral composition of the diet of companion animals, and is considered a cation of strong alkalizing power, increasing urinary pH. Calcium salts have different solubilities and depending on the anion to which calcium is associated with, it can be more or less absorbed, modifying the pH of the urine. The aim of this study was to evaluate the efficiency of calcium sources on alkalinization of urinary pH, as well as excretion of urinary electrolytes and acid-base balance of adult cats. An extruded diet for cats was selected, and had 160mEq/kg of calcium from the sources of either calcium carbonate (CaCO3) or calcium gluconate (C12H22CaO14) added. In the control treatment there was no addition of calcium sources, resulting in three treatments. Nine adult cats were used, mixed breed, in two experimental periods, with six replicates per treatment. Animal average age was 4±1.3 years old and average weight was 3.96±0.71kg. The cats remained in metabolic cages for an adaptation period of seven days, followed by six days of urine total collection, with volume, density, pH and calcium concentration (g/d) measurements. The acid-base balance was studied by blood gas analysis of venous blood. The two sources of calcium alkalinized the urine (P<0.001). However, calcium gluconate had less alkalinization power compared to the calcium carbonate (P<0.05). Urinary calcium was not affected by treatments, and represented less than 0.5% of calcium intake. The experiment showed that calcium, although an alkaline cation and considered strong influencer of the EB of the diet, cannot be evaluated individually, because depending on its associated anion it may have greater or lesser influence on cats urine pH.

Abstract in Portuguese:

O cálcio (Ca) é um macroelemento que faz parte da composição mineral da dieta de animais de companhia. Este macroelemento é considerado um cátion de forte capacidade alcalinizante e, de acordo com a fonte e quantidade inclusa, pode aumentar o pH urinário. Os sais de cálcio têm diferentes solubilidades e dependendo do ânion ao qual o cálcio está associado, pode ser mais ou menos absorvido e assim, alterar o pH da urina. O objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de duas fontes de cálcio na alcalinização do pH urinário, bem como a excreção de eletrólitos urinários e o equilíbrio ácido-básico de felinos. Foi selecionada uma dieta extrusada para gatos e adicionados 160mEq/kg de cálcio das fontes carbonato de cálcio (CaCO3) ou gluconato de cálcio (C12H22CaO14). No tratamento controle, não houve adição de fontes de cálcio. Foram utilizados nove gatos adultos, de raças mistas, em dois períodos experimentais, com seis repetições por tratamento. Os animais apresentavam idade média de 4,0±1,3 anos e peso corporal médio de 3,96±0,71kg. Estes permaneceram em gaiolas metabólicas em período de adaptação durante sete dias, seguido de coleta total de urina durante seis dias. Nestas amostras foram aferidos o volume, densidade, pH e concentração de cálcio (g/d). O equilíbrio ácido-básico foi avaliado por hemogasometria em amostras de sangue venoso. As duas fontes de cálcio alcalinizaram a urina (P<0,001). No entanto, o gluconato de cálcio apresentou menor potencial de alcalinização em comparação ao carbonato de cálcio (P<0,05). O cálcio urinário não foi afetado pelos tratamentos e representou menos de 0,5% da ingestão de Ca. O experimento demonstrou que o cálcio, apesar de ser um cátion alcalinizante e influenciador do EB da dieta, não pode ser avaliado individualmente, porque dependendo do ânion associado, pode apresentar maior ou menor influência no pH da urina de gatos.


#8 - Age-related changes of the cerebral ventricles of healthy domestic cats, 38(10):1935-1941

Abstract in English:

ABSTRACT.- Babicsak V.R., Klein A.V., Tsunemi M.H. & Vulcano L.C. 2018. Age-related changes of the cerebral ventricles of healthy domestic cats. [Alterações senis dos ventrículos cerebrais de gatos domésticos hígidos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1935-1941. Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Botucatu, SP 18618-681, Brazil. E-mail: viviam.babicsak@gmail.com This study aimed to determine age-related changes of the cerebral ventricles of healthy non&#8209;brachycephalic domestic cats by the acquisition of brain MRI images of 12 adult (1 to 6 years), 11 mature (7 to11 years) and 10 geriatric (12 years or more) cats. Our hypothesis is that the cerebral ventricular system of cats expands with increasing age. The possibility of the evidence of the olfactory bulb cavities and temporal horns of the lateral ventricles were evaluated in this study. Volumes of the olfactory bulb cavities, lateral ventricles (including the temporal horns), third ventricle, mesencephalic aqueduct and fourth ventricle were measured and corrected for the intracranial volume. Significant differences were found between the adult and mature groups in relation to the geriatric one for the variable related to the evidence of the temporal ventricular horns, which were most frequently visualized in geriatric cats. Percentage of the right lateral and third ventricles volume by intracranial volume were significantly higher in geriatric cats compared to the adults. The results of this study demonstrate that ventricular dilation tends to occur with advancing age in cats, as well as the increase in the frequency of the temporal ventricular horn evidence, as had been indicated in the hypothesis of the study.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Babicsak V.R., Klein A.V., Tsunemi M.H. & Vulcano L.C. 2018. Age-related changes of the cerebral ventricles of healthy domestic cats. [Alterações senis dos ventrículos cerebrais de gatos domésticos hígidos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(10):1935-1941. Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Botucatu, SP 18618-681, Brazil. E-mail: viviam.babicsak@gmail.com O estudo objetivou a determinação das alterações senis dos ventrículos cerebrais de gatos domésticos hígidos não braquicefálicos pela aquisição de imagens encefálicas de 12 indivíduos adultos (1 a 6 anos), 11 maduros (7 a 11 anos) e 10 geriátricos (12 anos de idade ou mais) por ressonância magnética. Nossa hipótese é de que o sistema ventricular dos gatos se expande com o avanço da idade. A possibilidade de evidenciação das cavidades do bulbo olfatório e dos cornos temporais dos ventrículos laterais foi avaliada nesse estudo. Os volumes das cavidades do bulbo olfatório, ventrículos laterais (incluindo os cornos temporais), terceiro ventrículo, aqueduto mesencefálico e quarto ventrículo foram mensurados e corrigidos de acordo com o volume intracraniano. Diferenças significativas foram encontradas entre os grupos dos adultos e maduros em relação aos geriátricos para a variável referente à evidenciação dos cornos temporais, que foram visualizados de forma mais frequente nos gatos geriátricos. A porcentagem do volume do ventrículo lateral direito e do terceiro ventrículo em relação ao volume intracraniano foi significativamente maior nos animais geriátricos em comparação aos adultos. Os resultados desse estudo demonstram que a dilatação ventricular tende a ocorrer com o avanço da idade nos gatos, assim como o aumento na frequência da evidenciação dos cornos temporais, como havia sido indicado na hipótese do estudo.


#9 - Standardization of a PCR multiplex for the detection of dermatophytes in dogs and cats fur and crusts, 38(9):1824-1828

Abstract in English:

ABSTRACT.- Leal C.A.S., Kim P.C.P., Almeida J.C., Melo R.P.B., Santos A.S., Lima D.C.V., Pinheiro Júnior J.W. & Mota R.A. 2018. [Standardization of a PCR multiplex for the detection of dermatophytes in dogs and cats fur and crusts.] Padronização de multiplex PCR para detecção de dermatófitos em pelos e crostas de cães e gatos. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1824-1828. Laboratório de Doenças Infecciosas dos Animais Domésticos, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Av. Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: c_adrianosl@hotmail.com The aim of this study was to standardize a multiplex PCR (mPCR) reaction to detect Microsporum canis, Microsporum gypseum and the Trichophyton mentagrophytes complex in dog and cat fur and/or crusts. 250 fur and/or crusts samples from dogs and cats were analyzed by direct examination and culture, DNA from them was extracted for mPCR. Primers were designed and the DNA extracted from colonies of M. canis (URM 6273), M. gypseum (URM 6921) and T. mentagrophytes (URM 6211) from the Collection of Cultures - URM Micoteca - Department of Mycology, Biological Sciences Center of the Federal University of Pernambuco (CCB / UFPE). As negative controls, sterile distilled water and DNA extracted from Alternaria sp., were used to verify the specificity of the primers. Of the total samples analyzed, 15 (6%) were identified in culture as dermatophytes, and of these, 10 were M. canis, three M. gypseum and two T. mentagrophytes (complex). Of these 15 positive samples, 11 (73.3%) were detected by mPCR. Besides these, six others, negative in culture, were identified as M. gypseum. There was good agreement between culture results and mPCR (Kappa: 0.66). The protocol standardized in this study can be used as a screening method, because it has a sensitivity greater than that of the culture, used in parallel to the routine exams, allowing a diagnosis in a shorter time.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Leal C.A.S., Kim P.C.P., Almeida J.C., Melo R.P.B., Santos A.S., Lima D.C.V., Pinheiro Júnior J.W. & Mota R.A. 2018. [Standardization of a PCR multiplex for the detection of dermatophytes in dogs and cats fur and crusts.] Padronização de multiplex PCR para detecção de dermatófitos em pelos e crostas de cães e gatos. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1824-1828. Laboratório de Doenças Infecciosas dos Animais Domésticos, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Av. Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: c_adrianosl@hotmail.com Objetivou-se padronizar uma reação do tipo multiplex PCR (mPCR) para detectar Microsporum canis, Microsporum gypseum e o complexo Trichophyton mentagrophytes em amostras de pelos e/ou crostas de cães e gatos. 250 amostras de pelos e/ou crostas de cães e gatos foram analisadas por meio de exame direto e cultura, o DNA das mesmas foi extraído para mPCR. Primers foram desenhados e como controle positivo da reação utilizou-se o DNA extraído de colônias de M. canis (URM 6273), M. gypseum (URM 6921) e T. mentagrophytes (URM 6211), provenientes da Coleção de Culturas (Micoteca URM), Departamento de Micologia, Centro de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Pernambuco (CCB/UFPE). Como controles negativos de reação, utilizou-se água destilada esterilizada e DNA extraído de Alternaria sp. para verificar a especificidade dos primers. Do total de amostras analisadas, 15 (6%) foram identificadas, em cultura, como dermatófitos, e destas, 10 foram M. canis, três M. gypseum e dois T. mentagrophytes (complexo). Destas 15 amostras positivas, 11 (73,3%) foram detectadas por meio da mPCR. Além destas, seis outras, negativas em cultura, foram identificadas como M. gypseum. Verificou-se uma boa concordância entre os resultados da cultura e mPCR (Kappa: 0,66). O protocolo padronizado neste estudo pode ser utilizado como um método de triagem, por apresentar uma sensibilidade maior que a da cultura, usado paralelamente aos exames de rotina, permitindo um diagnóstico em menor tempo.


#10 - Myelodysplasia in feline infectious peritonitis: 16 cases (2000-2017), 38(8):1638-1648

Abstract in English:

ABSTRACT.- Luz F.S., Mazaro R.D., Lorensetti D.M., Kommers G.D., Flores M.M. & Fighera R.A. 2018. [Myelodysplasia in feline infectious peritonitis: 16 cases (2000-2017).] Mielodisplasia na peritonite infecciosa felina: 16 casos (2000-2017). Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1638-1648. Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: anemiaveterinaria@yahoo.com.br Although the prevalence of feline infectious peritonitis (FIP) is high worldwide, recent anatomopathological studies about this disease are scarce. Information on the microscopic characteristics of the bone marrow in FIP-affected cats are absent in the available literature. Based on this, the purpose of this article is to describe bone marrow lesions seen in spontaneous cases of FIP. The bone marrow collected systematically from the femoral diaphysis of 16 cats necropsied in the Laboratory of Veterinary Pathology (LPV) of the Federal University (UFSM) of Southern Brazil, between January 2000 and June 2017, with a definitive diagnosis of FIP, were evaluated phenotypically (histopathology - hematoxylin and eosin and histochemistry - Perls stain) and immunophenotypically (immunohistochemistry using myeloid - Anti&#8209;MAC387, and lymphocytic - Anti-CD79 &#945;cy and Anti-CD3 markers). Regardless the following was observed the clinicopathological form of the disease (“dry” - noneffusive or “wet” - effusive): 1) myeloid hyperplasia; 2) erythroid hipoplasia; 3) megakaryocytic dysplasia (dismegakaryocytopoiesis); and 4) medullary plasmacytosis. Exclusively in cases of “dry FIP” was bone marrow and hepatic hemosiderosis. These lesions allowed establishing that cats with FIP develop myelodysplasia, a myeloproliferative lesion very similar to that reported in HIV-infected humans. It is suggested that, based on the findings described here, myelodysplasia is considered to be the main cause of hematological abnormalities observed in FIP, especially for non-regenerative anemia and thrombocytopenia, frequently developed by patients.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Luz F.S., Mazaro R.D., Lorensetti D.M., Kommers G.D., Flores M.M. & Fighera R.A. 2018. [Myelodysplasia in feline infectious peritonitis: 16 cases (2000-2017).] Mielodisplasia na peritonite infecciosa felina: 16 casos (2000-2017). Pesquisa Veterinária Brasileira 38(8):1638-1648. Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: anemiaveterinaria@yahoo.com.br Apesar da prevalência da peritonite infecciosa felina (PIF) ser alta em praticamente o mundo todo, estudos anatomopatológicos recentes acerca dessa doença são escassos. Não obstante, as características microscópicas da medula óssea de gatos com PIF estão ausentes da literatura consultada. O objetivo deste artigo é descrever alterações medulares ósseas vistas em casos espontâneos de PIF. As medulas ósseas colhidas sistematicamente da região diafisária dos fêmures de 16 gatos necropsiados no Laboratório de Patologia Veterinária (LPV) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Rio Grande do Sul, entre janeiro de 2000 e junho de 2017, e que tiveram diagnóstico definitivo de PIF, foram avaliadas fenotípica (histopatologia - hematoxilina e eosina e histoquímica - reação de Perls) e imunofenotipicamente (utilizando marcadores mieloides (anti-MAC387) e de linfócitos (anti-CD79&#945;cy e anti-CD3). Os resultados permitem afirmar que, independentemente da apresentação clinicopatológica da doença ocorrem as seguintes alterações: 1) hiperplasia mieloide; 2) hipoplasia eritroide, 3) displasia megacariocítica (dismegacariocitopoiese) e 4) plasmocitose medular. Exclusivamente nos casos de PIF seca há hemossiderose medular óssea e hepática. Essas alterações permitem estabelecer que gatos com PIF desenvolvem mielodisplasia, uma lesão mieloproliferativa muito semelhante àquela relatada em humanos infectados pelo HIV. Sugere-se que a partir dos achados aqui descritos, a mielodisplasia seja considerada a principal responsável pelas alterações hematológicas observadas na PIF, especialmente pela anemia e trombocitopenia arregenerativas frequentemente desenvolvidas pelos pacientes com essa doença.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV