Resultado da pesquisa (23)

Termo utilizado na pesquisa genética

#1 - Genotyping of Malassezia pachydermatis disclosed genetic variation in isolates from dogs in Colombia

Abstract in English:

Malassezia pachydermatis is a lipophilic and lipid-dependent yeast mostly isolated from animals’ skin; hence, it is regarded as a zoophilic species causing otitis externa in dogs. Aspects associated with its epidemiology and pathogenicity is a matter of interest. This study aimed to conduct a molecular characterization of 43 isolates of M. pachydermatis obtained from dogs with otitis externa. For this purpose, the 5.8S internal transcribed spacer 2 (ITS2) and D1/D2 26S rRNA regions were amplified, sequenced and analyzed using restriction fragment length polymorphism (RFLP) with AluI, CfoI, and BstF5I endonucleases. Phylogenetic analyses revealed that these isolates grouped with the sequence types I, IV and V, previously proposed for M. pachydermatis. Interestingly, we found a new polymorphic RFLP pattern using BstF5I, these isolates were associated with the sequence types IV and V, nevertheless an association between polymorphic RFLP patterns, and fosfolipase activity or canine population data was not observed. These findings underline the genetic diversity of M. pachydermatis and provide new insights about the epidemiology of this species in the analyzed population.

Abstract in Portuguese:

Malassezia pachydermatis é uma levedura lipofílica e dependente de lipídios, principalmente da pele de animais. Sendo, por essa razão, considerada uma espécie zoofílica e causadora de otite externa em cães. Neste sentido, aspectos associados à sua epidemiologia e patogenicidade constituem um tema de interesse científico. O objetivo deste estudo foi realizar a caracterização molecular de 43 isolados de M. pachydermatis obtidos a partir de cães com otite externa. Para esta propósito, foram amplificadas, sequenciadas e analisadas com enzimas de restrição as regiões do gene 5.8S, do espaçador interno transcrito 2 (ITS2) e D1/D2 do 26S do rRNA pelo método RFLP, com as endonucleases AluI, CfOI e BstF5I. Análises filogenéticas revelaram que os isolados se agruparam com as sequências tipo I, IV e V de M. pachydermatis como já descrito anteriormente. De maneira interessante, se observou um novo RFLP polimórfico utilizando BstF5I. Os isolados que mostraram esse padrão foram associados com os padrões IV e V. No entanto, não foi observada associação entre padrões polimórficos de RFLP e atividade de fosfolipase ou dados da população canina. Estes resultados demonstram a diversidade genética de M. pachydermatis e fornecem novas perspectivas sobre a epidemiologia destas espécies na população analisada.


#2 - Molecular detection of albinism gene in Brazilian buffalo herds (Bubalus bubalis)

Abstract in English:

Albinism is a genetic disease characterized by deficient melanin production making affected animals more susceptible to skin problems, negatively influencing production systems of the same. In buffalo, a nonsense mutation (c.1431G>A) in the tyrosinase gene was already described, which is responsible for the oculocutaneous albinism buffalo phenotype. However, prevalence studies have never been performed for this anomaly in Brazil. Therefore, the objective of this study was to investigate this mutation in buffalo herd in Brazil. Of the 315 buffalo tested with no albinism phenotype evident, 11 (3.5%) were heterozygous for the mutation and none were mutated homozygous, showing the existence of the albinism gene in buffalo production herds and proving the importance of prevalence studies for hereditary diseases in order to prevent the dissemination of these same genes and their negative productivity consequences.

Abstract in Portuguese:

O Albinismo é uma doença genética caracterizada pela deficiência na produção de melanina, o que torna os animais afetados mais susceptíveis a problemas cutâneos e influencia negativamente a criação destes animais. A mutação nonsense (c.1431G>A) no gene da tyrosinase já foi descrita como responsável pelo albinismo oculocutâneo em búfalos, entretanto estudos prévios sobre a prevalência dessa mutação ainda não foram realizados no Brasil. Portanto, o objetivo deste estudo foi avaliar a presença desta mutação em uma população de búfalos brasileiros. Foram genotipados 315 búfalos clinicamente normais, ou seja, sem o fenótipo albino evidente. Desses, 11 (3,5%) eram heterozigotos para a mutação (N/TYR) e os demais eram homozigotos selvagens (N/N). Este resultado demonstra que o alelo mutado para o albinismo em búfalo está presente no rebanho brasileiro e aponta a importância de estudos de prevalência de enfermidades hereditárias com o objetivo de prevenir a disseminação desses alelos mutados, minimizando os prejuízos.


#3 - Detection and genetic identification of pestiviruses in Brazilian lots of fetal bovine serum collected from 2006 to 2014

Abstract in English:

The present study performed a genetic identification of pestiviruses contaminating batches of fetal bovine serum (FBS) produced in Brazil from 2006 to 2014. Seventy-three FBS lots were screened by a RT-PCR targeting the 5’untranslated region (UTR) of the pestivirus genome. Thirty-nine lots (53.4%) were positive for pestivirus RNA and one contained infectious virus. Nucleotide sequencing and phylogenetic analysis of the 5’UTR revealed 34 lots (46.6%) containing RNA of bovine viral diarrhea virus type 1 (BVDV-1), being 23 BVDV-1a (5’ UTR identity 90.8-98.7%), eight BVDV-1b (93.9-96.7%) and three BVDV-1d (96.2- 97.6%). Six lots (8.2%) contained BVDV-2 (90.3-100% UTR identity) being two BVDV-2a; three BVDV-2b and one undetermined. Four FBS batches (5.5%) were found contaminated with HoBi-like virus (98.3 to 100%). Five batches (6.8%) contained more than one pestivirus. The high frequency of contamination of FBS with pestivirus RNA reinforce the need for systematic and updated guidelines for monitoring this product to reduce the risk of contamination of biologicals and introduction of contaminating agents into free areas.

Abstract in Portuguese:

No presente estudo foi realizada a identificação genética de pestivírus contaminantes de lotes de soro fetal bovino (SFB) produzidos no Brasil de 2006 a 2014. Setenta e três lotes de SFB foram testados por RT-PCR para a região 5’ não traduzida do genoma dos pestivírus. Trinta e nove lotes (53,4%) foram positivos para RNA de pestivírus e um continha vírus infeccioso. O sequenciamento de nucleotídeos e análise filogenética da região 5’UTR revelou que 34 lotes (46,6%) continham RNA do vírus da diarreia viral bovina tipo 1 (BVDV‑1), sendo 23 BVDV-1a (identidade na 5’ UTR de 90,8-98,7%), oito BVDV-1b (93,9 a 96,7%) e três BVDV‑1d (96,2%‑97,6%). Seis lotes (8,2%) continham BVDV-2 (90,3 a 100% de identidade), sendo dois BVDV-2a, três BVDV-2b e um de subgenótipo indeterminado. Quatro lotes de SFB (5,5%) estavam contaminados com o vírus HoBi‑like (98,3 a 100%). Cinco lotes (6,8%) continham mais do que um pestivírus. A alta frequência de contaminação de SFB com RNA de pestivírus reforça a necessidade para diretrizes sistemáticas atualizadas para a monitoração deste produto com a finalidade de reduzir a contaminação de produtos biológicos e a introdução de agentes contaminantes em áreas livres.


#4 - Phylogenetic characterization of serum plus antibiotic-resistant extraintestinal Escherichia coli obtained from the liver of poultry carcasses in Pernambuco, 37(10):1069-1073

Abstract in English:

ABSTRACT.- Vaz R.V., Gouveia G.V., Andrade N.M.J., Costa M.M. & Lima-Filho J.V. 2017. Phylogenetic characterization of serum plus antibiotic-resistant extraintestinal Escherichia coli obtained from the liver of poultry carcasses in Pernambuco. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1069-1073. Departamento de Biologia, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: jose.mlimafo@ufrpe.br In this study, avian extraintestinal Escherichia coli obtained from the liver of poultry carcasses approved for human consumption in the State of Pernambuco-Brazil were tested for antibiotic plus serum-resistance. Liver samples (n=110) were obtained from one slaughterhouse and 88 bacterial isolates were identified as Escherichia coli. The antibiotic-resistance profiles of antibiotics used in human and/or veterinary practice were accessed by the disk-diffusion method. Phenotypes with high resistance to streptomycin (84.0%), tetracycline (44.7%), amikacin (29.8%), gentamicin (21.3%) and ciprofloxacin (21.3%) were identified. Resistance to antibiotics such as ceftazidime, amoxicillin-clavulanic acid and imipenem was also recorded. Twenty isolates with distinct antibiotic-resistance and susceptibility profiles were selected for serum resistance assays, phylogenetic characterization and detection of the iss gene. We have shown that multidrug resistant isolates were often simultaneously resistant to broiler and human sera. Phylogenetic characterization of serum- plus antibiotic-resistant isolates have shown three belonging to group D, eleven to group B1, one to group B2, and five to group A. We concluded that commensal E. coli strains isolated from the liver of healthy poultry carcasses can harbor and potentially share multidrug- plus virulence genes found in pathogenic pathotypes. This suspicion was not related to specific phylogenetic groups or presence of the iss gene.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Vaz R.V., Gouveia G.V., Andrade N.M.J., Costa M.M. & Lima-Filho J.V. 2017. Phylogenetic characterization of serum plus antibiotic-resistant extraintestinal Escherichia coli obtained from the liver of poultry carcasses in Pernambuco. [Caracterização filogenética de Escherichia coli extraintestinal soro- e antibiótico-resistentes isoladas do fígado de carcaças de frango em Pernambuco.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1069-1073. Departamento de Biologia, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n, Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: jose.mlimafo@ufrpe.br Neste estudo, isolados de Escherichia coli extraintestinal aviária obtidos a partir do fígado de carcaças de aves aprovadas para consumo humano no Estado de Pernambuco-Brasil foram testados para resistência a antibióticos e soro. As amostras de fígado (n = 110) foram obtidas de um abatedouro, sendo 88 isolados bacterianos identificados como Escherichia coli. Os perfis de resistência a antibióticos de uso humano e/ou veterinário foram determinados pelo método de disco-difusão. Foram identificados fenótipos com alta resistência à estreptomicina (84,0%), tetraciclina (44,7%), amicacina (29,8%), gentamicina (21,3%) e ciprofloxacina (21,3%). A resistência a antibióticos utilizados na medicina humana e/ou veterinária, tais como a ceftazidima, amoxicilina-ácido clavulânico, estreptomicina e imipenem também foi registrada. Vinte amostras com perfis distintos de resistência/sensibilidade a antibióticos foram selecionadas para os ensaios de resistência ao soro, caracterização filogenética e detecção do gene iss. Foi demonstrado que isolados resistentes a múltiplas drogas foram também simultaneamente resistentes ao soro de frangos e ao soro humano. A caracterização filogenética desses isolados mostraram três pertencentes ao grupo D, onze ao grupo B1, um ao grupo B2 e cinco ao grupo A. Conclui-se que E. coli comensais isoladas do fígado de carcaças de aves saudáveis podem abrigar e potencialmente compartilhar genes de resistência a drogas e de virulência encontrados em patotipos patogênicos. Essa suspeita não foi relacionada com grupos filogenéticos específicos ou com a presença do gene iss.


#5 - First phylogenetic analysis of Avipoxvirus (APV) in Brazil, 36(5):357-362

Abstract in English:

ABSTRACT.- Kunert-Filho H.C., Cibulski S.P., Finkler F., Grassotti T.T., Jaenisch F.R.F., Brito K.C.T., Carvalho D., Lovato M. & Brito B.G. 2016. First phylogenetic analysis of Avipoxvirus (APV) in Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):357-362. Laboratório de Saúde das Aves e Inovação Tecnológica, Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor, FEPAGRO Saúde Animal, Estrada do Conde 6000, Eldorado do Sul, RS 92990-000, Brazil. E-mail: hiran_veterinario@hotmail.com This study represents the first phylogenetic analysis of avian poxvirus recovered from turkeys in Brazil. The clinical disorders related to fowlpox herein described occurred in a turkey housing system. The birds displaying characteristic pox lesions which were observed on the neck, eyelids and beak of the turkeys. Four affected turkeys were randomly chosen, euthanized and necropsied. Tissues samples were submitted for histopathological analysis and total DNA was further extracted, amplified by conventional PCR, sequenced and phylogenetically analyzed. Avian poxviruses specific PCR was performed based on P4b core protein gene sequence. The histological analysis revealed dermal inflammatory process, granulation tissue, hyperplasia of epithelial cells and inclusion bodies. The P4b gene was detected in all samples. Sequencing revealed a 100% nucleotide and amino acid sequence identity among the samples, and the sequences were deposited in GenBank®. The four Avian poxviruses fragments sequenced in this study clustered along the A1 clade of avipoxviruses, and were classified as Avipoxvirus (APV). Additional studies, such as virus isolation, PCR and sequencing includinga large number of specimens from the Brazilian turkey production must be conducted due to the hazardous risk that poxvirus infections may cause to the Brazilian poultry production scenario, given that Brazil’s turkey production attracts attention due to its economic importance worldwide. Our findings point to the need to identify the prevalence of APV in Brazilian turkey production, to perform risk assessment studies and continued surveillance of APV infections in both wild and commercial avian species.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Kunert-Filho H.C., Cibulski S.P., Finkler F., Grassotti T.T., Jaenisch F.R.F., Brito K.C.T., Carvalho D., Lovato M. & Brito B.G. 2016. First phylogenetic analysis of Avipoxvirus (APV) in Brazil. [Primeira análise filogenética de Avipoxvirus (APV) no Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):357-362. Laboratório de Saúde das Aves e Inovação Tecnológica, Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor, FEPAGRO Saúde Animal, Estrada do Conde 6000, Eldorado do Sul, RS 92990-000, Brazil. E-mail: hiran_veterinario@hotmail.com Este trabalho representa a primeira análise filogenética de Poxvirus aviário detectado em perus no Brasil. Os distúrbios clínicos relacionados com bouba aviária aqui descritos ocorreram em um sistema de alojamento de perus. As aves apresentaram lesões características de varíola observadas no pescoço, pálpebras e bico das aves. Quatro perus com sinais característicos foram escolhidos aleatoriamente, sacrificados e submetidos à autópsia. Amostras de tecido foram submetidas à análise histopatológica e o DNA total foi extraído, amplificado por PCR convencional e os amplicons foram sequenciados e analisados ​​filogeneticamente. A PCR específica para Poxvírus aviário foi realizada com base na seqüência do gene da proteína do núcleo P4b. A análise histológica revelou um processo inflamatório dérmico, tecido de granulação, hiperplasia de células epiteliais e corpúsculos de inclusão. O gene P4b foi detectado em todas as amostras. O sequenciamento revelou uma identidade entre nucleotídeos e aminoácido de 100% entre as amostras e as sequências foram depositadas no GenBank®. Os quatro fragmentos de poxvírus aviário sequenciado neste estudo foram agrupados no clado A1 de avipoxvirus e foram classificados como Avipoxvirus (APV). Estudos adicionais, como isolamento viral, PCR e sequenciamento, incluindo um grande número de perus da produção brasileira devem ser conduzidos devido ao grave risco que a infecção por poxvírus pode causar ao cenário de produção avícola brasileira, tendo em vista que a produção brasileira de perus atrai atenção devido a sua importância mundial. Nossos resultados apontam para a necessidade de identificar a prevalência da APV na produção de peru no Brasil, para realizar estudos de avaliação de risco e continuada monitoração de infecções por APV nas espécies de aves comerciais e silvestres.


#6 - Identification of lamb flocks susceptible and resistant against Brachiaria poisoning, 36(5):383-388

Abstract in English:

ABSTACT.- Pupin R.C., Melo G.K.A., Heckler R.F., Faccin T.C., Ítavo C.C.B.F., Fernandes C.E, Gomes D.C. & Lemos R.A.A. 2016. Identification of lamb flocks susceptible and resistant against Brachiaria poisoning. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):383-388. Laboratório de Anatomia Patológica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Av. Senador Filinto Müller 2443, Campo Grande, MS 79074-460, Brazil. E-mail: ricardo.lemos@ufms.br This study was designed to assess the influence of genetic resistance against brachiaria poisoning in sheep. Two groups of sheep, one identified as susceptible (formed by two ewes and one ram) and the other as resistant against brachiaria poisoning (formed by three ewes and one ram) were selected. Sheep considered susceptible were those that presented clinical signs of brachiaria poisoning at any time of their life; resistant sheep were those that even raised on Brachiaria spp. pastures, did not developed any sign of the poisoning during their life. The offspring of the two flocks (15 lambs from the sensitive flock and 9 lambs from the resistant flock) were placed into brachiaria pasture (initially Brachiaria decumbens and B. brizantha,and only B. decumbens after weaning) and followed up during two years (2013-2014). The determination of protodioscin levels in B. decumbens pasture was performed only in 2014 and revealed significant amounts of the toxic principle. Eleven lambs of the susceptible group were affected to some degree of brachiaria poisoning and six died; no lamb of the resistant group was affected. Clinical signs consisted of varying degrees of subcutaneous edema of the face and, erythema and loss of hair of the ears, crusts on the skin of ears, around the eyes and on planum nasale, scar deformation of the ears, and bilateral ocular discharge; affected lambs also sought for shadowy shelters and they were poor doers. Several sheep recovered from the condition and then relapsed. Necropsy findings in six lambs included pale mucous membranes, emaciation, dermatitis, scar deformation of the ears, large yellow livers with marked lobular pattern, and moderate infestation by Haemonchus contortus. Histologically the liver lesions were similar in all necropsied lambs but with varying degrees of severity; they were consistent with brachiaria poisoning and included architectural disruption of hepatocellular trabecula, clusters of foamy macrophages occasionally forming multinucleated giant cells, swollen and vacuolated hepatocytes, crystals or negative images of crystals in the biliary system, bilestasis, bile duct proliferation and lymphoplasmacytic infiltrate in portal triads. The skin lesions were those of photodermatitis and included epidermal necrosis, hyperkeratosis and dermal neutrophilic infiltrate. The results of this study allow to conclude that there is a genetic related resistance to brachiaria poisoning in sheep since the progeny of resistant sheep did not manifest the poisoning. The use of resistant flocks in brachiaria pastures is suggested as a valuable option for the prevention of brachiaria poisoning in sheep.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pupin R.C., Melo G.K.A., Heckler R.F., Faccin T.C., Ítavo C.C.B.F., Fernandes C.E, Gomes D.C. & Lemos R.A.A. 2016. Identification of lamb flocks susceptible and resistant against Brachiaria poisoning. [Identificação de rebanhos de cordeiros suscetíveis e resistentes a intoxicação por braquiária.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):383-388. Laboratório de Anatomia Patológica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Av. Senador Filinto Müller 2443, Campo Grande, MS 79074-460, Brazil. E-mail: ricardo.lemos@ufms.br Este estudo avaliou a resistência genética na ocorrência de intoxicação por braquiária em ovinos. Foram selecionados dois grupos de ovinos, um identificado como suscetível (formado por duas ovelhas e um carneiro) e o outro como resistente (formado por três ovelhas e um carneiro). Foram considerados suscetíveis ovinos que apresentaram sinais de intoxicação por Brachiaria spp. em algum ponto de suas vidas e resistentes aqueles ovinos que, mesmo criados em pastagem de braquiária, nunca desenvolveram qualquer sinal da intoxicação. A progênie desses dois grupos (15 cordeiros do grupo suscetível e 9 no grupo resistente) foi colocada numa pastagem de braquiária (inicialmente Brachiaria decumbens e B. brizantha e, após o desmame, apenas B. decumbens) e acompanhada durante dois anos (2013-2014). A determinação dos níveis de protodioscina em B. decumbens foi realizada apenas em 2014 e foram encontradas quantidades significativas do princípio tóxico. Onze cordeiros do grupo suscetível foram afetados por algum grau de intoxicação por braquiária; nenhum cordeiro do grupo resistente foi afetado. Os sinais clínicos consistiam de graus variáveis de edema subcutâneo da face e eritema e alopecia da pele das orelhas, crostas na pele das orelhas e ao redor dos olhos e no plano nasal, retração cicatricial das orelhas, fotofobia e corrimento ocular bilateral. Três cordeiros apresentaram desenvolvimento retardado. Vários cordeiros se recuperaram da condição, mas posteriormente quando foram colocados na pastagem apresentaram recidivas. Achados de necropsia em seis cordeiros incluíam mucosas pálidas, pobre condição corporal, dermatite, deformação cicatricial das orelhas, fígado aumentado de volume, amarelo e com padrão lobular evidenciado e graus moderados de infestação por Haemonchus contortus. Histologicamente, as lesões hepáticas eram semelhantes em todos os cordeiros necropsiados, mas apresentavam vários graus de intensidade; eram consistentes com as lesões de intoxicação por braquiária e consistiam de desorganização da arquitetura trabecular dos hepatócitos, agregados de macrófagos espumosos ocasionalmente formando células gigantes multinucleadas, hepatócitos tumefeitos e vacuolizados, cristais ou imagem negativa de cristais no sistema biliar, bilestase, proliferação de ductos biliares e infiltrado linfoplasmocitário nas tríades portais. As lesões da pele eram de fotodermatite e incluíam necrose da epiderme, hiperqueratose e infiltrado neutrofílico na derme. Os resultados desse estudo permitem concluir que há uma resistência genética à intoxicação por braquiária em ovinos, uma vez que a progênie dos ovinos resistentes não manifestou a intoxicação. O uso de rebanhos resistentes em pastagens e braquiária é sugerido como uma valiosa opção para prevenir a intoxicação por braquiária em ovinos.


#7 - Phylogenetic analysis of rabies virus isolated from herbivores in Minas Gerais and São Paulo border (2000-2009), Brazil, 34(12):1196-1202

Abstract in English:

ABSTRACT.- Estévez Garcia A.I., Peixoto H.C., Silva S.O., Polo G., Alves A.J., Brandão P.E., Cunha E.M. & Richtzenhain L.J. 2014. Phylogenetic analysis of rabies virus isolated from herbivores in Minas Gerais and São Paulo border (2000-2009), Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1196-1202. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, Faculdade de Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: isaestgar@yahoo.com Rabies transmitted by the hematophagous bat Desmodus rotundus represents a public health concern and a burden for the Brazilian livestock industry. Current evidence suggests that rabies occurrence is related to landscape characteristics, topography, hydrography, animal production systems and land use. However, a few studies have analyzed the possible connections among geographic factors and the molecular diversity of the rabies virus, furthering the understanding of the spatial and temporal dynamics of outbreaks. A study reported that the latest rabies epizootics in herbivores reported in the eastern region of São Paulo (close to the Minas Gerais border) occurred in two epidemic waves; the first was before 1998, and the other occurred after 1999. Using this evidence, the aim of the present study was to analyze cases of rabies in herbivores in the southern region of Minas Gerais (2000-2009) and their possible relationship with the aforementioned epidemics, considering the geographic characteristics of the region. Partial sequences of glycoprotein (539 nt) and nucleoprotein genes (414 nt) were obtained from 31 rabies virus isolates from herbivores. A phylogenetic tree was proposed for each genomic region using the Neighbor joining method, fixing the Kimura 2-parameter evolution model with a bootstrap level of 1,000 replications. Genetic sublineages were plotted on maps, considering rabies risk areas for herbivores in São Paulo, as well as topographic characteristics and hydrographic basins, to visualize any apparent distribution pattern influenced by those features. The phylogenetic trees had concordant topologies, suggesting a possible common origin for rabies outbreaks in herbivores along the SP/MG border, surrounding the less elevated portions of the Serra da Mantiqueira and along the hydrographic basins of Piracicaba/Jaguarí, Paranaíba do Sul, Grande, Pardo and Mogi-Guaçu rivers.The co-circulation of several viral lineages was observed in some municipalities, possibly due to an overlapping of rabies outbreaks. Inferred protein sequences of both genes showed synonymous mutations, except among residues 20 to 200, corresponding to the external domain of the glycoprotein. This information prompted cooperation among the animal health services of both states to reinforce rabies control in the border area.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Estévez Garcia A.I., Peixoto H.C., Silva S.O., Polo G., Alves A.J., Brandão P.E., Cunha E.M. & Richtzenhain L.J. 2014. Phylogenetic analysis of rabies virus isolated from herbivores in Minas Gerais and São Paulo border (2000-2009), Brazil. [Análise filogenética de isolados do vírus da raiva de herbívoros na fronteira de Minas Gerais e São Paulo (2000-2009), Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1196-1202. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, Faculdade de Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: isaestgar@yahoo.com A raiva transmitida por morcegos hematófagos da espécie Desmodus rotundus representa uma preocupação de saúde pública e causa de importantes prejuízos para a pecuária brasileira. A evidência atual sugere que a ocorrência de raiva está relacionada às características da paisagem, topografia, hidrografia, sistemas de produção animal e usos da terra. Contudo, existem poucos estudos que analisem as possíveis conexões entre fatores geográficos e a diversidade molecular do vírus da raiva, permitindo a compreensão da dinâmica espacial e temporal dos focos de raiva. Um desses trabalhos estabeleceu que a última epizootia de raiva dos herbívoros registrada no leste do estado de São Paulo (na fronteira com Minas Gerais), aconteceu em duas ondas epidêmicas, sendo a primeira em 1998 e, em 1999, a segunda. Considerando esta evidência, o intuito do presente estudo foi analisar casos de raiva em herbívoros na região sudeste de Minas Gerais (2000-2009) e sua possível relação com a epidemia previamente mencionada, incluindo as características geográficas da região. Foram obtidas sequencias parciais dos genes da glicoproteína (539 nt) e da nucleoproteína (414 nt) a partir de 31 isolados de vírus da raiva procedentes de herbívoros. Foi proposta uma árvore filogenética para cada região genômica usando o método de Neighbor joining, fixando o modelo evolutivo Kimura 2 - parâmetros com um nível de bootstrap de 1000 replicações. As sublinhagens genéticas foram localizadas sobre mapas, considerando as áreas de risco para raiva dos herbívoros em São Paulo, assim como as características topográficas e bacias hidrográficas com o intuito de visualizar qualquer padrão aparente de distribuição segundo essas características. As duas árvores filogenéticas mostraram topologias concordantes, sugerindo uma possível origem comum para os surtos que aconteceram ao longo da fronteira SP/MG, ao redor das porções menos elevadas da Serra da Mantiqueira e acompanhando as bacias hidrográficas dos rios Piracicaba/Jaguarí, Paranaíba do Sul, Grande, Pardo e Mogi-Guaçu. Foi possível observar circulação de varias linhagens virais simultaneamente em alguns municípios, possivelmente por causa de sobreposição de surtos. As sequencias de proteína inferidas a partir dos dois genes mostraram mutações sinônimas, excetuando aquelas encontradas entre os resíduos 20 a 200, correspondentes ao domínio externo da glicoproteína. Esta informação salienta a importância da cooperação entre as autoridades sanitárias de ambos os estados para reforçar o programa de controle da doença nas áreas limítrofes.


#8 - Assessment of diastolic function by pulsed and color tissue Doppler echocardiography in Maine Coon cats tested for MyBPC-A31P mutation, 34(3):290-300

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pellegrino A., Daniel A.G.T., Pereira G.G., Júnior F.F.L., Itikawa P.H. & Larsson M.H.M.A. 2014. [Assessment of diastolic function by pulsed and color tissue Doppler echocardiography in Maine Coon cats tested for MyBPC-A31P mutation.] Avaliação da função diastólica por meio de Doppler tecidual pulsado e colorido em gatos da raça Maine Coon geneticamente testados para a mutação no gene MyBPC-A31P. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):290-300. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP, 05508-270, Brazil. E-mail: arinepel@yahoo.com.br Hypertrophic cardiomyopathy (HCM) is the most common feline heart disease and is characterized by increased cardiac mass with a hypertrophied nondilated left ventricle. Myocardial dysfunction occurs in cats with HCM but less is known about dysfunctions in initial stages of HCM. A mutation in MYBPC-A31P gene has been identified in a colony of Maine Coon cats with HCM. However, the close correlation between genotype and phenotype still be inconclusive. Myocardial analysis by tissue Doppler imaging (TDI) is a noninvasive echocardiographic method to assess systolic and diastolic function that is more sensitive than conventional echocardiography. To evaluate diastolic and systolic function in cats with mutation, with or without ventricular hypertrophy, Maine Coon cats (n=57) were screened for mutation and examined with both echocardiography and TDI (pulsed tissue Doppler and color tissue Doppler methods). Then, were phenotypically classified in: normal (n=45), suspects (n=7) and HCM group (n=5); and genotypically classified in: negative (n=28), heterozygous (n=26) and homozygous group (n=3). Myocardial velocities (by pulsed and color tissue Doppler imaging) measured in the basal and mildventricular segment of the interventricular septal wall (IVS), left ventricular free wall (LVW), left ventricular anterior wall (LVAW), left ventricular posterior wall (LVPW) and radial segment of LVW, was compared among different groups. A decreased longitudinal Em velocities (pulsed tissue Doppler) at the mildventricular segment of LVW was observed in HCM cats compared with suspects and normal cats. A decreased longitudinal Em/Am (color tissue Doppler) at the basal segment of IVS was observed in HCM cats compared with suspects and normal cats. A significant increased longitudinal E/Em (color tissue Doppler) at the basal segment of IVS was observed in HCM cats compared with suspects and normal cats. And a significant decreased longitudinal Sm (color tissue Doppler) at the basal segment of the LVW was observed in heterozygous cats compared with negative cats, both without hypertrophy. There was a positive correlation between summated early and late diastolic velocities (Em/Am) and heart rate; and a positive correlation between Sm and Em velocities and heart rate, both in pulsed and in color TDI. TDI analyses are a new, valuable and reproducible method in cats that alone is not able to identify cats with mutation before myocardial hypertrophy. Despite high expectations regarding the use of TDI for early identification of individuals with HCM, there is still need for larger studies with greater numbers of individuals.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pellegrino A., Daniel A.G.T., Pereira G.G., Júnior F.F.L., Itikawa P.H. & Larsson M.H.M.A. 2014. [Assessment of diastolic function by pulsed and color tissue Doppler echocardiography in Maine Coon cats tested for MyBPC-A31P mutation.] Avaliação da função diastólica por meio de Doppler tecidual pulsado e colorido em gatos da raça Maine Coon geneticamente testados para a mutação no gene MyBPC-A31P. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(3):290-300. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP, 05508-270, Brazil. E-mail: arinepel@yahoo.com.br A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é a principal cardiopatia dos felinos e é caracterizada por hipertrofia miocárdica concêntrica, sem dilatação ventricular. Disfunções miocárdicas ocorrem em gatos com CMH, mas pouco se conhece a respeito destas alterações nos estágios iniciais da afecção. Em gatos da raça Maine Coon, a mutação no gene MyBPC-A31P está relacionada com a CMH de origem familial, porém, a correlação exata entre o genótipo e o fenótipo ainda é inconclusiva. A ecocardiografia tecidual é uma modalidade não invasiva que permite avaliação da função miocárdica e é mais sensível que a ecocardiografia convencional. Para avaliar as funções sistólica e diastólica, antes ou após a ocorrência de hipertrofia ventricular, gatos da raça Maine Coon (n=57), geneticamente testados para a mutação, foram avaliados por meio de ecocardiografias convencional e tecidual (nas modalidades Doppler tecidual pulsado e Doppler tecidual colorido). Posteriormente, foram fenotipicamente classificados em: normais (n=45), suspeitos (n=7) e acometidos pela CMH (n=5); e genotipicamente classificados em: negativos (n=28), heterozigotos (n=26) e homozigotos para a mutação (n=3). Valores de velocidades miocárdicas (Doppler tecidual pulsado e colorido) medidos na região basal e média do septo interventricular (SIV), da parede livre do ventrículo esquerdo (PVE), da parede anterior do ventrículo esquerdo (PAVE), da parede posterior do ventrículo esquerdo (PPVE) e do segmento radial da PVE, foram comparados nos diferentes grupos. Observou-se que as velocidades longitudinais Em (Doppler tecidual pulsado) na região média da PVE foram menores nos gatos com CMH quando comparados com suspeitos e normais. Os valores de Em/Am (Doppler tecidual colorido), na região basal do SIV, foram inferiores nos gatos com CMH quando comparados com suspeitos e normais. A relação E/Em (Doppler tecidual colorido), na região basal do SIV, foi maior nos gatos com CMH em relação aos suspeitos e normais, enquanto que os valores de Sm (Doppler tecidual colorido), em região basal da PVE, foram menores nos gatos heterozigotos quando comparados com os negativos, ambos sem hipertrofia ventricular. Observou-se correlação positiva entre a ocorrência de fusão das ondas Em e Am e a frequência cardíaca, assim como correlação positiva entre valores de Sm e Em e a frequência cardíaca (Doppler tecidual pulsado e colorido). A ecocardiografia tecidual é uma nova modalidade ecocardiográfica reprodutível em gatos que, isoladamente, não permite diferenciar gatos portadores da mutação antes do desenvolvimento de hipertrofia ventricular. Apresenta utilidade como auxílio no diagnóstico em fases iniciais, mas, apesar da expectativa para a identificação precoce de indivíduos portadores da CMH, ainda há necessidade de estudos mais extensos e com maior número de indivíduos.


#9 - Genetic evaluation of vaccine against bovine brucellosis marketed in Brazil, 32(10):957-962

Abstract in English:

ABSTRACT.- Bastos R., Soares C.O., Elisei C., Munhoz A.L.R., Bezerra N.L., Caitano M.A.B. & Rosinha, G.M.S. 2012. [Genetic evaluation of vaccine against bovine brucellosis marketed in Brazil.] Avaliação genética das vacinas contra a brucelose bovina comercializadas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(10):957-962. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Av. Felinto Müller 2443, Ipiranga, Campo Grande, 79070-900, MS, Brazil. E-mail: rosinha@cnpgc.embrapa.br Vaccine strains B19 and RB51 are administered to cattle for prevention against infection by Brucella abortus. However, there are reports that these vaccines can cause miscarriages. Thus, every miscarriage among vaccinated animals should be thoroughly studied to determine the cause. In Brazil, there are no records on the origin of B19 and RB51 samples used in the preparation of commercial vaccines. Therefore, a study is needed to determine possible mutations in relation to the USDA reference samples of B. abortus due to the fact that vaccine samples could revert to the virulence of the disease. The aim of the present study was to perform a genotype analysis of vaccine strains B19 and RB51 used in Brazil. The methodology was based on the genotyping of marker genes of these vaccine strains by amplification using polymerase chain reaction. The results allowed the identification of the genotype of the B19 and RB51 commercial vaccine available for use on cattle in Brazil. The absence of mutations in the samples tested confirmed the genetic quality of the vaccines and stability of genes analyzed.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Bastos R., Soares C.O., Elisei C., Munhoz A.L.R., Bezerra N.L., Caitano M.A.B. & Rosinha, G.M.S. 2012. [Genetic evaluation of vaccine against bovine brucellosis marketed in Brazil.] Avaliação genética das vacinas contra a brucelose bovina comercializadas no Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(10):957-962. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Av. Felinto Müller 2443, Ipiranga, Campo Grande, 79070-900, MS, Brazil. E-mail: rosinha@cnpgc.embrapa.br A prevenção contra infecções causadas por Brucella abortus em bovinos é realizada por meio da administração das amostras vacinais B19 e RB51. Existem relatos de que estas vacinas podem causar aborto em fêmeas vacinadas. Portanto, toda a ocorrência de aborto em animais vacinados merece um estudo aprofundado sobre a causa. No Brasil, não há registro sobre a origem das amostras B19 e RB51 utilizadas na produção das vacinas comerciais. Assim, um estudo para verificar possíveis mutações em relação às amostras referência USDA B19 e USDA RB51 de B. abortus se faz necessário, devido às amostras vacinais poderem reverter a sua virulência. Objetivou-se com este estudo caracterizar genotipicamente as amostras vacinais B19 e RB51 comercializadas no Brasil. A metodologia utilizada foi a genotipagem de genes marcadores destas amostras vacinais, por meio da amplificação pela reação em cadeia da polimerase. Os resultados obtidos permitiram a identificação do genótipo das vacinas comerciais B19 e RB51 disponíveis e utilizadas em bovinos no Brasil. A ausência de mutações nas vacinas testadas corrobora com a qualidade genética das mesmas, quanto à estabilidade dos genes analisados.


#10 - Phylogenetic and pathotype analysis of Escherichia coli swine isolates from Southern Brazil, 32(5):374-378

Abstract in English:

ABSTRACT.- Girardini L.K., Siqueira F.M., Krewer C.C., Krewer C.C., Costa M.M. & Vargas A.C. 2012. Phylogenetic and pathotype analysis of Escherichia coli swine isolates from Southern Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(5):374-378. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: agueda.vargas@gmail.com The current study evaluated the presence of virulence factors by a multiplex PCR technique and then phylogenetically classified the studied strains into groups A, B1, B2 and D, according to Clermont et al. (2000), in 152 intestinal and extraintestinal swine isolates of Escherichia coli. Seventy seven isolates tested were positive for virulence factors. Phylogenetic characterization placed 21 samples into group A, 65 into B1, 19 into B2 and 47 into D. Fourteen urine samples were classified as uropathogenic E. coli (UPEC), nine were both UPEC and enterotoxigenic E. coli (ETEC) and four were ETEC only. The most common phylogenetic classifications were B1 and D groups. Of the analyzed fecal samples, 25 were classified as ETEC. Phylogenetically, the group of higher occurrence was B1, followed by B2, A and D. For the small intestine samples, 20 were classified as ETEC. Phylogenetic analysis found groups B1 and A to be the most commons in these samples. Six isolated tissue samples were classified as ETEC and most of them were designated as group D by phylogenetic classification. The phylogenetic analysis could be employed in veterinary laboratories in the E. coli isolates screening, including the possibility of vaccine strain selection and epidemiological searches.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Girardini L.K., Siqueira F.M., Krewer C.C., Krewer C.C., Costa M.M. & Vargas A.C. 2012. Phylogenetic and pathotype analysis of Escherichia coli swine isolates from Southern Brazil. [Análise filogenética e de patotipos de Escherichia coli isoladas de suínos no Sul do Brazil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 32(5):374-378. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Federal de Santa Maria, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: agueda.vargas@gmail.com O presente estudo teve por objetivo avaliar a presença de diferentes fatores de virulência em 152 isolados de Escherichia coli intestinais e extra-intestinais provenientes de suínos pela técnica de PCR multiplex e classificá-los nos grupos filogenéticos A, B1, B2 e D, de acordo com Clermont et al. (2000). Setenta e sete isolados foram positivos para pelo menos um fator de virulência. Através da caracterização filogenética, 21 isolados foram caracterizados como pertencentes ao grupo A, 65 ao grupo B1, 19 ao grupo B2 e 47 isolados ao grupo D. Quatorze isolados de urina foram caracterizados como E. coli uropatogênica (UPEC); nove apresentaram fatores de UPEC e E. coli enterotoxigênica (ETEC) simultaneamente e quatro foram classificados como ETEC. Na classificação filogenética, os isolados provenientes de amostras de urina classificaram-se principalmente nos grupos D e B1. Das amostras de fezes analisadas, 25 demonstraram fatores de virulência característicos do patotipo ETEC. Filogeneticamente, o grupo de maior ocorrência foi o B1 seguido de B2, A e D. Em relação às cepas isoladas de intestino delgado, 20 foram caracterizadas como ETEC. Pela filogenia, 23 isolados classificaram-se nos grupos A ou B1. Seis isolados de tecidos foram qualificados como ETEC e a maioria deles foram designados como pertencentes ao grupo D, pela classificação filogenética. A análise filogenética pode ser empregada em laboratórios de diagnóstico veterinário como um screening para isolados de E. coli, incluindo a possibilidade de seleção de cepas vacinais e levantamentos epidemiológicos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV