Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa uterus

#1 - Morphological description of ovary and uterus of the nurse shark (Ginglymostoma cirratum) caught off at the Fortaleza coast, Northeast Brazil

Abstract in English:

The nurse shark, Ginglymostoma cirratum (Bonnaterre, 1778) is one of the most studied species of elasmobranchs. However, the knowledge of their reproductive biology is still relatively rare, particularly in the western South Atlantic. This study aimed to describe the morphology of the uterus and the ovary of G. cirratum, based on specimens caught off at the Fortaleza/CE coast, northeast Brazil. Samples were collected from September 2012 to June 2013, from regular landings of artisanal fishing, which commercialize this species freely. A total of ten females were collected. The methodologies followed for analyzing the ovaries and uterus of those females included both macroscopic and histological analysis. G. cirratum has internal type ovary morphology, with invaginations of connective tissue, which defines compartments and separate oocyte groups in ovigerous lots. The epithelium lining the ovary changes from simple columnar ciliated in the area without ovigerous lots, which turns into a simple cubic epithelium in the coating portion of the epigonal organ where ovarian tissue is absent. The uterine mucosa has secretory cells denoted by Alcian Blue staining, indicating the production of mucopolysaccharides, even in immature individuals. This lecithotrophic shark has a uterine vascularized mucosa that is one characteristic of viviparous elasmobranch species.

Abstract in Portuguese:

O tubarão-lixa, Ginglymostoma cirratum (Bonnaterre, 1778) é uma das espécies mais estudadas de elasmobrânquios. O conhecimento de sua biologia reprodutiva, no entanto, ainda é relativamente raro, particularmente no Oeste do Atlântico Sul. Este estudo objetivou a descrição morfológica do útero e ovário de G. cirratum, baseado em espécimes capturados na costa de Fortaleza/CE, no Nordeste do Brasil. Um total de dez fêmeas foi coletado de setembro de 2012 a junho de 2013, nos desembarques regulares da pesca artesanal, que comercializam essa espécie livremente. A metodologia foi de acordo com as analises macroscópica e histológica dos ovários e útero. G. cirratum tem o tipo de morfologia de ovário interno, com invaginações de tecido conjuntivo, que define compartimentos e separa grupos de oócitos em lotes ovígeros. O epitélio que reveste o ovário varia de epitélio simples colunar ciliado na área que não apresenta lotes ovígeros para epitélio simples cúbico na porção de revestimento do órgão epigonal, onde o tecido ovariano é ausente. A mucosa uterina possui células secretoras, evidenciadas pela coloração em Alcian Blue, indicando a produção de mucopolissacarídeos, mesmo em indivíduos imaturos. Este tubarão lecitotrófico apresenta a mucosa uterina vascularizada, sendo esta uma característica de espécies de elasmobrânquios vivíparos.


#2 - Ultrasound monitoring of the uterus and ovaries of dominant and subordinate females of yellow-breasted capuchin (Sapajus xanthosternos) and robust tufted capuchin (Sapajus robustus) in captive colonies during the ovarian cycle and anestrus periods

Abstract in English:

The yellow-breasted capuchin (Sapajus xanthosternos) and robust tufted capuchin (Sapajus robustus) are endangered species due to destruction of their natural habitat and predatory chase. However, it is still necessary to elucidate some details of their reproductive physiology in order to obtain better indices in the assisted reproduction of these species. This study aimed to evaluate the ovarian cycle of 13 dominant and subordinate females of S. xanthosternos (n=8) and S. robustus (n=5) using sagittal and transversally scanned ultrasound of their uterus and ovaries. Sonograms were performed every seven days for two months. The ovarian cycle phase and anestrous condition were confirmed by colpocytology. Our results showed different uterine parameters (craniocaudal diameter, dorso-ventral diameter, and transverse diameter) (P<0.05) between anestrous subordinate females and other ovarian cycle phases and social classes. The mean of uterine volume was higher in dominant females than subordinate females in all cycle phases (P<0.05), except in follicular phase. During anestrus, endometrial width was smaller in subordinate females than in dominant females (P<0.05). Subordinate females showed differences in endometrial measures (P<0.05) between anestrous period and follicular and luteal periods. Ovarian measures in dominant females were higher than in subordinate females only during anestrus (P<0.05). In the subordinate females, ovarian parameters were different (P<0.05) between anestrus and follicular and luteal phases. Dominant females showed higher volume of right ovary compared to volume of the left ovary during anestrus and follicular phase (P<0.05). Follicles and corpus luteum were distinguished by ultrasonography in most exams (86.11%). During anestrus, measurable ovarian structures were not observed in both ovaries in dominant and subordinate females. In conclusion, the methodology used in this study allowed to evaluate the ovarian cycle in S. xanthosternos e S. robustus females and that cycle phase/anestrus and social class of the female influenced the size of the uterus and ovaries.

Abstract in Portuguese:

O macaco-prego-do-peito-amarelo (Sapajus xanthosternos) e o macaco–prego-de-crista (Sapajus robustus) encontram-se em risco de extinção devido a destruição do seu habitat e a caça predatória. Porém, ainda necessita-se elucidar alguns detalhes de sua fisiologia reprodutiva, para obterem-se melhores índices por meio de reprodução assistida. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi acompanhar o ciclo ovariano de 13 fêmeas dominantes e subordinadas de S. xanthosternos (n=8) e S. robustus (n=5) por meio de cortes ultrassonográficos sagitais e transversais do útero e dos ovários. Estas fêmeas foram examinadas uma vez por semana durante dois meses. A fase do ciclo ovariano/anestro foi confirmada pela colpocitologia. Os resultados da pesquisa demonstrou diferença significativa (P<0,05) relacionada ao diâmetro crânio‑caudal, diâmetro dorso-ventral e diâmetro transversal entre as fêmeas subordinadas em anestro com todas as outras fases do ciclo ovariano e classes sociais. A média do volume uterino foi maior nas fêmeas dominantes que nas subordinadas em todas as fases do ciclo (P<0,05) a exceção da fase folicular. A largura endometrial, durante o período de anestro, foi menor nas fêmeas subordinadas quando comparada às dominantes (P<0,05). Nas fêmeas subordinadas, houve diferenças (P<0,05) nas mensurações endometriais entre o período de anestro e das fases folicular e lútea. Quanto aos ovários, as médias das medidas observadas nas fêmeas dominantes foram superiores as das subordinadas durante o anestro (P<0,05). As médias das medidas das variáveis ovarianas das fêmeas subordinadas apresentaram diferenças entre o anestro e as fases folicular e lútea (P<0,05). Nas fêmeas dominantes o volume do ovário direito foi maior que o do ovário esquerdo durante o anestro e na fase folicular (P<0,05). Folículos e corpos lúteos foram diferenciados pela ultrassonografia na maioria das coletas (86,11%). Durante o anestro não foram observadas estruturas ovarianas mensuráveis nos ovários em ambas as classes sociais. Concluiu-se que a metodologia empregada neste estudo permitiu o acompanhamento do ciclo ovariano das fêmeas S. xanthosternos e S. robustus e que as fases do ciclo/anestro e a classe social das fêmeas influenciaram as medidas do útero e ovários.


#3 - Uterine vasculature of pregnant mares of donkey and stallion through the Doppler ultrasonography spectral mode, 37(8):877-882

Abstract in English:

ABSTRACT.- Lemos S.G.C., Campos D.G., Ferreira C.S.C., Balaro M.F.A., Cunha L.E.R., Pinna A.E. & Brandão F.Z. 2017. [Uterine vasculature of pregnant mares of donkey and stallion through the Doppler ultrasonography spectral mode.] Vascularização uterina de éguas prenhes de jumento e de garanhão monitoradas por ultrassonografia Doppler. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):877-882. Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: binagaiacl@gmail.com This study aimed to evaluate and describe the ultrasonographic findings of uterus of pregnant mares of different ages, mated by either ass or stallion, using the spectral Doppler ultrasonography, aiming to characterize the resistance (RI) and pulsatility (PI) Doppler indices up to 154 days of pregnancy. A total of 20 mares in reproductive age of non-defined breed were used. The evaluations were performed in uterine arteries. There was no interaction between RI and PI values obtained in uterine horns (that initiated or not the pregnancy) with time of pregnancy (P>0.05), thus, data were discussed separately. There were no differences between RI and PI evaluations when compared to the uterine horns that initiated or not the pregnancy (P>0.05). A time effect was observed (P<0.05) on PI, when D70 presented lower averages than D0, D7, D14 and D21. There was no time effect (P>0.05) on RI. Pregnant mares mated by asses presented higher uterine vascularization in non-pregnant horn than pregnant mares mated by stallions. With the exception of RI in non-pregnant horn, there was a female age effect on the side of pregnancy (P<0.05), where aged mares in both – pregnant and non-pregnant horns – showed higher PI and RI, so less vascularized. It is possible to conclude that the uterine vascularization did not present any difference between uterine horns. There is an increase in the uterine vascularization on the 70th day of pregnancy. Pregnant mares mated by assess presented higher uterine vascularization when compared to those mated by stallions. Mares aging over 15 years old presented lower uterine vascularization, when compared to those younger.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Lemos S.G.C., Campos D.G., Ferreira C.S.C., Balaro M.F.A., Cunha L.E.R., Pinna A.E. & Brandão F.Z. 2017. [Uterine vasculature of pregnant mares of donkey and stallion through the Doppler ultrasonography spectral mode.] Vascularização uterina de éguas prenhes de jumento e de garanhão monitoradas por ultrassonografia Doppler. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):877-882. Faculdade de Veterinária, Universidade Federal Fluminense, Rua Vital Brazil Filho 64, Vital Brazil, Niterói, RJ 24230-340, Brazil. E-mail: binagaiacl@gmail.com Este estudo teve como objetivo analisar e descrever os achados ultrassonográficos do útero de éguas gestantes de diferentes idades, de jumento e garanhão, utilizando a técnica de ultrassonografia Doppler Espectral, visando caracterizar os índices de resistência (RI) e pulsatilidade (PI) até 154 dias de gestação. Foram utilizadas 20 éguas em idade reprodutiva, sem raça definida. As avaliações foram realizadas nas artérias uterinas. Não foi constatada interação entre os valores de RI e PI obtidos nos cornos uterinos (que iniciaram ou não a gestação) com o tempo da gestação (P>0,05), desta forma os dados foram discutidos separadamente. Não foram encontradas diferenças entre as avaliações de RI e PI quando comparado os cornos que iniciaram ou não a gestação (P>0,05). Verificou-se efeito de tempo (P<0,05) sobre o PI, onde no D70 foi constatada a menor média quando comparado aos tempos D0, D7, D14 e D21. Não f oi encontrado efeito de tempo sobre o RI (P>0,05). As éguas gestantes de jumento apresentaram maior vascularização uterina no corno não gestante, que as éguas gestantes do garanhão. Com exceção do RI no lado não gravídico, foi verificado efeito de idade da fêmea sobre o lado da gestação (P<0,05), onde as éguas idosas, tanto no corno que iniciou a gestação e o contralateral, tiveram PI e RI mais altos, ou seja, menos vascularizados. Concluiu-se que a vascularização uterina não apresentou diferença entre os cornos uterinos. Há um aumento da vascularização uterina no 70º dia de gestação. Éguas gestantes de jumentos apresentaram maior vascularização uterina, quando comparada às éguas gestantes de garanhões. Éguas com idade acima de 15 anos apresentaram menor vascularização uterina, quando comparadas com idade inferior a 15 anos.


#4 - Morphological and morphometric evaluation of prepubertal gilt ovaries, uterine tubes and uterus at different oestrus cycle stages, 34(1):83-90

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oberlender G., Pontelo T.P., Miranda J.R., Miranda D.R., Zangeronimo M.G., Silva A.C., Menezes T.A. & Rocha L.G.P. 2014. Morphological and morphometric evaluation of prepubertal gilt ovaries, uterine tubes and uterus at different oestrus cycle stages. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(1):83-90. Setor de Fisiologia e Farmacologia Veterinárias, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário s/n, Caixa Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: zangeronimo@dmv.ufa.br Studies are performed in developing techniques/procedures that provide greater reproductive performance in farm animals, including pigs. In this sense, the study of gilts reproductive organs at different oestrus cycle stages for assessing the presence of abnormalities and/or other parameters that may affect the future animal fertility is important. In order to evaluate the morphological, morphometric and histomorphometric features of ovaries, uterus and uterine tubes (UTs) characteristics of prepubertal gilts at different oestrus cycle stages, reproductive tracts from 48 animals immediately after slaughter were obtained. After, the structures were dissected and removed, and the ovaries were used for classification of oestrus cycle stage of each gilt in follicular phase (FP) and luteal phase (FL). Then, morphometric evaluations of ovaries, UTs, uterine horns and uterine body were performed. Besides that, medial segments of UTs and uterus were fixed in Bouin solution, processed and included in paraffin, when histological sections of 5.0 micrometers (µm) were obtained and stained with Hematoxylin and Eosin. Histomorphometric analyzes using image capture system and specific software were performed. Afterwards, data were submitted to Student’s t test for assessment the statistical differences (P<0.05) between the two different oestrus cycle stages (FP × LP) and between the placement of reproductive structures (right × left antimer). Among the gilts evaluated, 35 were in the FP and 13 in LP. There was no difference (P>0.05) between morphometric parameters of ovaries, UTs and uterus of gilts in FP and LP. Likewise, in respect to the placement of reproductive structures, both in the oestrus cycle stages, as in the general average, there was no difference (P>0.05). Regarding the histomorphometric variables, gilts classified in FP presented a higher (P<0.05) height of glandular and UT epithelium compared to animals in LP. On the other hand, the diameter of endometrial glands was higher (P<0.05) in gilts at LP compared to FP. Furthermore, gilts in LP presented a higher (P<0.05) proportion of endometrium occupied by glands, whereas animals in FP had a higher (P<0.05) proportion of connective tissue and blood vessels. In conclusion, in prepubertal gilts, the histomorphometric parameters as endometrial glands diameter, the height of glandular epithelium and of UT epithelium and the proportion of endometrium occupied by connective tissue, besides the glands and blood vessels varies through the oestrus cycle, possibly under the influence of ovarian steroids.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oberlender G., Pontelo T.P., Miranda J.R., Miranda D.R., Zangeronimo M.G., Silva A.C., Menezes T.A. & Rocha L.G.P. 2014. Morphological and morphometric evaluation of prepubertal gilt ovaries, uterine tubes and uterus at different oestrus cycle stages. [Avaliação morfológica e morfométrica de ovários, tubas uterinas e útero de fêmeas suínas pré-púberes em diferentes fases do ciclo estral.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(1):83-90. Setor de Fisiologia e Farmacologia Veterinárias, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário s/n, Caixa Postal 3037, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: zangeronimo@dmv.ufa.br Pesquisas são realizadas no desenvolvimento de técnicas/procedimentos que propiciem maior eficiência reprodutiva em animais de produção, dentre esses, os suínos. Nesse sentido, o estudo dos órgãos reprodutivos das fêmeas suínas em diferentes fases do ciclo estral é importante para avaliação da presença de anomalias e/ou demais parâmetros que possam afetar a fertilidade futura do animal. Objetivando-se avaliar as características morfológicas, morfométricas e histomorfométricas dos ovários, útero e tubas uterinas (TUs) de fêmeas suínas pré-púberes em diferentes fases do ciclo estral, tratos reprodutivos foram obtidos de 48 animais imediatamente após o abate. Posteriormente, as estruturas foram dissecadas e retiradas, sendo os ovários utilizados para a classificação da fase do ciclo estral de cada fêmea em fase folicular (FF) e fase luteínica (FL). Em seguida, foram realizadas avaliações morfométricas dos ovários, TUs, cornos uterinos e corpo uterino. Após, segmentos mediais das TUs e útero foram fixados em solução de Bouin, processados e incluídos rotineiramente em parafina, quando cortes histológicos de 5,0 micrômetros (µm) foram obtidos e corados com Hematoxilina e Eosina. Análises histomorfométricas foram realizadas utilizando sistema de captura de imagens e software específico. Posteriormente, os dados obtidos foram submetidos ao teste t de Student para a avaliação de diferenças estatísticas (P<0,05) entre as diferentes fases do ciclo estral (FF × FL) e entre a localização das estruturas reprodutivas (antímero direito × esquerdo). Dentre as fêmeas avaliadas, 35 encontravam-se na FF e 13 na FL. Não houve diferença (P>0,05) entre os parâmetros morfométricos dos ovários, TUs e útero das fêmeas nas FF e FL. Da mesma forma, em relação à localização das estruturas reprodutivas, tanto nas duas fases do ciclo estral, como na média geral, não houve diferença (P>0,05). Em relação às variáveis histomorfométricas, as fêmeas classificadas na FF apresentaram maior (P<0,05) altura do epitélio glandular e da TU em comparação com os animais na FL. Por outro lado, o diâmetro das glândulas endometriais foi maior (P<0,05) nas fêmeas classificadas na FL em comparação com a FF. Além disso, as fêmeas na FL apresentaram maior (P<0,05) proporção do endométrio ocupada por glândulas, enquanto que as fêmeas da FF apresentaram maior (P<0,05) proporção de tecido conjuntivo e vasos sanguíneos. Em conclusão, em fêmeas suínas pré-púberes, os parâmetros histomorfométricos, o diâmetro das glândulas endometriais, a altura do epitélio glandular e da TU e a proporção do endométrio ocupada por tecido conjuntivo, além das glândulas e vasos sanguíneos variam ao longo do ciclo estral, possivelmente devido à influência dos esteróides ovarianos.


#5 - Histology and morphometry in uterus horns of nulliparous bitches, multiparous ones and bitches treated with contraceptives, 29(10):847-851

Abstract in English:

RESUMO.- Monteiro C.M.R., Perri S.H.V., Roberto Gameiro de Carvalho R.G. & Koivisto M.B. 2009. [Histology and morphometry in uterus horns of nulliparous bitches, multiparous ones and bitches treated with contraceptives.] Histologia e morfometria em cornos uterinos de cadelas nulíparas, multíparas e tratadas com contraceptivos. Pesquisa Veterinária Brasileira 29(10):847-851. Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Curso de Medicina Veterinária, Faculdade de Odontologia, Universidade Estadual Paulista, Rua Clóvis Pestana 173, Araçatuba, SP 16065-090, Brazil. E-mail: monteiro@fmva.unesp.br Dados histológicos e morfométricos foram obtidos de útero de cadelas nulíparas (n=6), multíparas (n=6) e de cadelas tratadas com contraceptivo (n=6). Para esse fim foram usadas seis amostras de cornos uterinos, em corte médio, para cada grupo. As mensurações das espessuras da parede uterina, endométrio total, miométrio total, miométrio interno, miométrio externo, estrato vascular e diâmetro das glândulas endometriais normais não foram estatisticamente significantes entre as cadelas multíparas e tratadas, com exceção para a altura do epitélio de glândulas normais. As mensurações das espessuras da parede uterina, endométrio total, miométrio total, miométrio interno, diâmetro das glândulas normais e altura do epitélio glandular foram significantes, comparando cadelas nulíparas com as multíparas e/ou tratadas, com exceção para as espessuras do miométrio externo e estrato vascular. Diante dos resultados obtidos, pode-se concluir que os dados numéricos confirmam que (1) o uso de anticoncepcionais e sucessivas gestações afetam a estrutura uterina em seu total; (2) o miométrio externo e estrato vascular foram as regiões que menos sofreram alterações comparando-se os 3 grupos; (3) as variações morfológicas ocorreram com a mesma intensidade no endométrio e miométrio totais para as cadelas tratadas e multíparas, e (4) a presença de glândulas endometriais dilatadas foi o diferencial encontrado nas cadelas tratadas, pois as mesmas estavam ausentes nas multíparas e nulíparas.

Abstract in Portuguese:

ABSTRACT.- Monteiro C.M.R., Perri S.H.V., Roberto Gameiro de Carvalho R.G. & Koivisto M.B. 2009. [Histology and morphometry in uterus horns of nulliparous bitches, multiparous ones and bitches treated with contraceptives.] Histologia e morfometria em cornos uterinos de cadelas nulíparas, multíparas e tratadas com contraceptivos. Pesquisa Veterinária Brasileira 29(10):847-851. Departamento de Clínica, Cirurgia e Reprodução Animal, Curso de Medicina Veterinária, Faculdade de Odontologia, Universidade Estadual Paulista, Rua Clóvis Pestana 173, Araçatuba, SP 16065-090, Brazil. E-mail: monteiro@fmva.unesp.br Histological and morphometric data were obtained from uterus of nulliparous bitches (n=6), multiparous ones (n=6), and bitches treated with contraceptive (n=6). Six samples of uterine horns, cut in average for each group. Measurements of the thickness of the uterine wall, total endometrium, total myometrium, internal myometrium, external myometrium, vascular layer and diameter of normal endometrial glands were not statistically significant between the treated and multiparous bitches, except for the height of the epithelium of normal glands. Measurements of thickness of the uterine wall, total endometrium, total myometrium, myometrium internal diameter and height of the glands of normal glandular epithelium were significant, comparing nulliparous with multiparous bitches and/or treated, except for thickness of the myometrium and vascular outer layer. It can be concluded that (1) the use of contraceptives and successive pregnancies affected uterine structures in its full, (2) the vascular layer and external myometrium were the regions with less variation, (3) morphological changes occurred with the same intensity in the total endometrium and myometrium of treated and multiparous bitches; and (4) the presence of dilated endometrial glands was the difference found in the treated bitches, because they were absent in nulliparous and multiparous ones.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV